Resumo de História - Cultura Medieval

A Cultura Medieval está diretamente ligada às influências da Igreja Católica sob as culturas greco-romanas e germânicas.  Ao contrário do que se pensa, na História Medieval (Idade Média), chamada pelos renascentistas como “Idade das Trevas“, houve sim o desenvolvimento de manifestações culturais importantes.

A História Medieval foi delimitada com base em dois acontecimentos: a queda Império Romano do Ocidente no século V (476), que marcou o início desse período, e fim do Império Romano do Oriente no século XV (1453) encerrou a História Medieval.  

Igreja Medieval

O catolicismo surgiu durante o Império Romano, mas foi durante a Idade Média que se consolidou como uma das instituições mais poderosas da Europa Ocidental.  Um dos motivos para tal, foi a determinação do cristianismo como religião oficial do Império Romano e, consequentemente, proibição do paganismo.

Durante esse período, a Igreja Católica acumulou muitos bens. Nos séculos XVII e IX, o Império Carolíngio iniciou um processo expansionista no norte da Europa, com objetivo de atingir todo o continente. As terras conquistadas na Península Itálica foram doadas para Igreja Católica, criando assim os Estados Papais ou Estados Pontifícios.

A Igreja possuía uma estrutura administrativa rígida e hierárquica. No topo do poder, o Papa tinha o domínio espiritual e temporal dos Estados Pontifícios; o sacerdote, geralmente de origem humilde, governava um pequena província chamada de paróquia e o bispo era responsável pela diocese (conjunto de paróquias).

Já o arcebispo, além de administrar uma diocese particular, fiscalizava outras que compunham sua província eclesiástica. Havia também os Tribunais Eclesiásticos, que julgavam assuntos relativos à religião católica.

Mais tarde, os Tribunais Eclesiásticos adotaram um sistema inquisitório para combater os hereges (não católicos). Durante o período da Santa Inquisição, a Igreja Católica prendeu, torturou e matou várias pessoas que não seguiam os dogmas religiosos.

Esses dogmas eram verdades incontestáveis, que precisavam ser seguidas pelos servos de Deus para que após a morte tivesse lugar no Paraíso. O pecado era proibido. E as regras estavam relacionadas à caridade e ajuda ao próximo, logo as doações também eram para ajudar a Igreja na “missão divína”.

Afim de se livrarem dos pecados terrenos, muitos nobres doaram bens materiais e dinheiro à Igreja. Por outro lado, a Igreja enriqueceu a Cultura Medieval por meio dos manuscritos produzidos pelos membros do clero regular.

Porque a Idade Média é chamada de Idade das Trevas?

A Igreja Católica acumulou bens financeiros e poderes durante a História Medieval, sendo presente em todos os aspectos da vida social, exercendo mais controle até mesmo que o Estado. Por esse motivo, os iluministas consideraram que a religião criou uma barreira para florescer as artes e as ciências.

A conotação negativa, com o uso do termo “trevas” já não é comumente utilizada, pois a partir do século XX foram sendo percebidas as contribuições científicas e culturais do período. Alguns historiadores afirmam que foi uma época rica em termos de Cultura Medieval.

Principais aspectos da Cultura Medieval

Educação

Durante a Idade Média, o analfabetismo era predominante entre a população e até entre os nobres, pois a escrita era um privilégio do clero. Os religiosos eram responsáveis pela educação e era necessário autorização desses líderes para um jovem (apenas homem e rico) ingressar em algum tipo de escola.

  • Escolas paroquiais: o ensino era religioso e voltado para formação de padres;
  • Escolas monásticas: funcionavam no sistema de internato e eram voltadas principalmente para formação de monges. Latim, canto gregoriano, textos sagrados eram os principais conteúdos ensinados;
  • Escolas palatinas: possuía uma formação ampla e ensinava as sete artes liberais: gramática, retórica, lógica, aritmética, geografia, astronomia e música;
  • Universidades medievais: surgiram no século XII na Europa (França, Inglaterra e Itália) com cursos de Teologia, Medicina e Direito, sendo base para o atual modelo universitário.

Um dos métodos educacionais da Cultura Medieval foi a Filosofia Escolástica, baseada nos ideais dos filósofos gregos Aristóteles e Platão. São Thomaz de Aquino foi um dos principais filósofos de corrente escolástica, para ele era necessário “racionalizar o pensamento cristão”.

Aos pobres, quando crianças, a educação se restringia ao aprendizado nos locais de trabalho dos adultos como oficinas e mosteiro. Já os nobres decidiam se seus filhos iriam seguir a carreira militar, religiosa ou técnica.

Ciências

A ciência, que utilizava métodos experimentais, pouco se desenvolveu durante a Idade Média por impedimentos da Igreja. As principais influências naquela época foram os árabes, com a alquimia, e posteriormente os gregos, com a medicina.

Além de São Thomas de Aquino, outros nomes se destacaram na ciência durante o período medieval como:

  • Albertus Magnus: considerado santo na Igreja Católica, Magnus tem o título de Doutor da Igreja, sendo o primeiro a defender a relação harmoniosa entre a ciência e a religião;
  • Robert Grosseteste: religioso, Grosseteste foi considerado fundados do pensamento cientifico em Oxford e escreveu sobre temas como astronomia, geometria, óptica e som;
  • Roger Bacon: um dos grades nomes da Cultura Medieval, Bacon introduziu o método da experimentação e observação, bem como propagou as “leis da natureza “, que contribuíram para o estudo da mecânica, ótica e geografia.

Após a construção de mais universidades na Europa, outros cientistas foram surgindo e gerando mais contribuições para essa grande área. São exemplos: João Duns Scot, Jean Buridan, William de Ockham, Nicolás d'Oresme, Jordanus de Nemore, Theodoric de Freiberg, Thomas Bradwardine e Nicolau de Cusa.

Filosofia

A filosofia da escolástica foi um dos elementos que compôs a Cultura Medieval, sendo Thomaz de Aquino o principal percussor. Esse filósofo e cientista buscava conciliar o pensamento racionalista com os ideais pregados pela Igreja, por esse motivo seus sucessores foram religiosos em sua maioria.

Arquitetura

Outro elemento da Cultura Medieval, a arquitetura, caracterizou-se pelas construções com temas religiosos e a predominância dos etilos gótico e romântico. A maioria das obras eram igrejas, mosteiros e catedrais, com objetivo de reforçar o poder do catolicismo.

No início as igrejas em pequenas e simples, mas por volta do século X passaram a ser grandes, com vidraças coloridas e torres. A grandiosidade dessas construções serviam para lembrar que o homem era pequeno diante de Deus.

O estilo romântico teve início na França e Itália entre os séculos XI e XIII. A maioria das obras tinham como características:

  • Construções de pedra
  • Igrejas em formato de cruz e estilo de defesa, semelhante aos castelos
  • Pouca iluminação
  • Poucas janelas
  • Arcos de volta-perfeita
  • Paredes espessas

Em muitas características, o estilo gótico, que desenvolveu entre os séculos XII e XV, chegava a ser oposto ao romântico. O novo padrão de obras a serem seguidas possuía:  

  • Muitas janelas e mais portais
  • Arcos de volta-quebrada e ogivas
  • Torres em formato de pirâmide
  • Paredes finas, dando um aspecto de leveza

Literatura

Grande parte dos textos literários da Cultura Medieval estavam escritos em latim e relacionados a temas religiosos. As primeiras obras literárias em línguas vernáculas surgiram somente a partir do século XI, por meio de narrativas líricas e românticas. Esse fato sinalizou o fim do latim clássico.

No século XII surgiu em Portugal o Trovadorismo, um estilo literário que unia a música e a poesia. Acompanhados de instrumentos musicais, os trovadores escreviam e cantavam as cantigas, que eram divididas em: Cantigas de Amor, Cantigas de Amigo, Cantigas de Escárnio e Cantigas de Maldizer.

A cantiga francesa, Canção de Rolando marcou o estilo literário da época. O poema épico, composto por 4002 versos decassilábicos, em estrofes assonantes, narra o fim heroico do conde Rolando na batalha de Roncesvales.

Durante a transição do Trovadorismo para o Classicismo, o Humanismo marcou a literatura da Cultura Medieval. Os textos, com foco no homem, eram produzidos em forma de prosa, poesia e teatro.

A “Divína Comédia” (Dante), “Os Lusíadas” (Camões) e “Hamlet” (Shakespeare) foram algumas das principais obra humanistas.

Música

A música, dentro da Cultura Medieval, também sofreu grandes influências da Igreja. Os principais estilos musicais do período foram o canto gregoriano, trovadorismo, polifonia e a arsantiqua e a ars nova.

Voltar

Questões