Resumo de História - Caixa de Pandora

A Caixa de Pandora é a história da mitologia grega que conta a criação da primeira mulher do planeta Terra. Além disso, nessa caixa era possível encontrar todas as desgraças do mundo, incluindo guerras e doenças. A única coisa positiva que se encontrava nela era a esperança.

História da Caixa de Pandora

Segundo os antigos gregos, Zeus e Prometeu fizeram o homem. Prometeu era um titã, um dos velhos deuses que apoiava Zeus na sua luta contra Cronos. Além disso, foi ele quem modelou com barro os primeiros homens, fazendo-os andar na posição vertical para que pudessem olhar os deuses. Já o deus do céu foi responsável por dar-lhes o sopro da vida.

Esses homens eram ainda seres primitivos, vivendo dos animais que conseguiam matar com flechas de madeira ou com machados e facas feitas de chifre, além dos poucos cereais que sabiam semear.

Eles desconheciam o fogo, por isso comiam a comida crua e embrulhavam-se em peles espeças para se defenderem do frio do inverno. Também não sabiam fazer recipientes para guardar utensílios, pois sem forno não podiam endurecer o barro, nem tão pouco eram capazes de produzir ferramentas ou armas de metal.

Zeus preferia que eles continuassem assim, pois, se fosse diferente, ele acreditava que em algum momento os homens poderiam roubar-lhe o poder. Porém, o sábio Prometeu amava a humanidade e sabia que com a ajuda os homens poderiam progredir, saindo assim do seu estado primitivo.

Em um certo diálogo entre os dois, Prometeu disse:

“É preciso ensinar-lhes o segrego de fazer fogo. Precisamos acabar o que começamos”

Porém, relutante, Zeus respondeu:

“Eles estão contentes com o que tem, não conhecem nada melhor, por isso que nos interessa”.

Sendo assim, Prometeu percebeu que não conseguiria fazer com que Zeus concordasse com ele, por isso, foi em segredo ao Olimpo, onde o fogo ardia durante todo o dia e toda a noite.

Chegando lá, conseguiu pegar uma centelha de fogo para entregar aos homens. O fogo, na época, representava a inteligência. Foi com o primeiro fogo terrestre que os homens fizeram além do que já sabiam e Prometeu ensinou-lhes a tirar maiores vantagens.

Além disso, os ajudou de outras maneiras. Por exemplo, quando se praticavam os sacrifícios, as melhores peças de carne eram sempre destinadas para os deuses, e o que restava ficava para os homens. Por meio de uma estratégia, Prometeu conseguiu que o homem recebesse a parte que lhe era devida, sem distinção.

Com a ajuda de Prometeu, o homem desenvolveu-se rapidamente. Aprendeu a fazer potes e vasilhas, lindos objetos para se enfeitar e edifícios construídos de tijolos, com tetos de telha. Além disso, aprenderam a arte dos metais, podendo assim se defender e caçar com espada e lança.

Mas Zeus, observando certa noite do alto de Olimpo, notou um fogo arder na Terra e percebeu que tinha sido enganado, ordenando a presença de Prometeu.

“Não proibi que revelasse ao homem o segredo do fogo? Dizem que és sábio, mas não vês que com essa ajuda o homem desafiará um dia os próprios deuses? ”, perguntou Zeus.

“Se for amado e ensinado como deve ser, isso não acontecerá nunca”, respondeu Prometeu.

O deus estava furioso e não quis ouvir, mandando levá-lo para uma das montanhas ao leste de Olimpo e acorrentá-lo em uma rocha. Com isso, uma águia feroz ia todos os dias comer-lhe o fígado e todas as manhãs o órgão tornava a crescer, de forma que a tortura recomeçava.

Passaram-se muitos anos até Prometeu ser liberto, acredita-se que cerca de trinta mil anos. Mesmo assim, não se sabe ao certo como o caso terminou. Segundo uma das lendas, Hércules que o libertou. 

Zeus não se contentou em vingar-se apenas de Prometeu. Para ele, a humanidade também deveria sofrer pelos benefícios que receberam. Com isso, ordenou que seu filho Hefesto esculpisse uma mulher em barro e pediu que a deusa grega Atena lhe desse o sopro da vida, e a ensinasse as artes femininas de postura e da cozinha.

Já o esperto deus Hermes ensinou-lhe a malícia, o engano e os falsos encantos, e Afrodite mostrou-lhe como tornar-se desejada por todos os homens. Outros deuses a vestiram com um roupa de prata e colocaram uma coroa de flores na cabeça.

Após todos os preparos, a mulher foi apresentada a Zeus. Na oportunidade, o deus a presenteou com uma caixa, afirmando que ela jamais, em hipótese alguma, poderia abri-la. Além disso, ela recebeu o nome de Pandora.

Toda satisfeita, pensou que a caixa estava repleta de joias e pedras preciosas. Zeus então disse que precisaria encontrar um homem na Terra para ser seu parceiro. O escolhido foi Epimeteu, o irmão irresponsável e sem sabedoria de Prometeu. 

Mesmo tento alertado seu irmão para não aceitar qualquer presente de Zeus, Epimeteu ficava lisonjeado ou talvez tivesse medo de recusar qualquer coisa oferecida pelo deus soberano.

Antes de ser entregue para Epimeteu, o deus Hermes o alertou de que não permitisse que a caixa fosse aberta, pois não saberia o que poderia acontecer após isso.

A princípio, Pandora foi tão feliz em sua vida que quase se esqueceu da caixa. Mas, conforme o tempo foi passando, lembrava-se cada vez mais dela e sentia curiosidade em encontrar a chave, pois seu marido havia escondido para que não fosse aberta.

Certo dia, quando Epimeteu estava dormindo profundamente, Pandora entrou no quarto e encontrou a chave escondida. Em seguida, pós a caixa em cima de uma mesa e a abriu.

Assim que abriu a caixa ouviu soprar uma ventania enorme e recuou. De dentro da caixa saíram todos os demônios que viriam a atormentar, entre eles: sofrimento, pobreza, velhice, doença, inveja, vícios, paixões e desconfiança.

Desesperada, Pandora tentou fechar a tampa, mas era tarde demais.  O conteúdo da caixa tinha se espalhado pelo mundo, estando assim consumada a vingança de Zeus.

Os homens que Prometeu aperfeiçoou e ensinou com tanta paciência nunca mais poderiam ser a nobre raça que imaginava. Pelo contrário, a vida ia ser uma luta constante contra toda a espécie de malefícios. As probabilidades do homem atingir o trono de Zeus agora eram mínimas. 

Contudo, Zeus não ganhou a partida. Receosa, Pandora aproximou-se da caixa e observou que havia algo no fundo dela. Era a esperança.

Com isso, a humanidade ainda tinha uma forma de sobreviver ao novo mundo hostil através da esperança.  

Voltar

Questões