Questões de Vírus e bactérias (Biologia)

Limpar Busca

Existem, atualmente, pelo menos oito tipos de vacinas sendo testadas contra o coronavírus, utilizando diferentes vírus ou partes virais. Considerando as características das vacinas que utilizam o próprio vírus atenuado ou inativado, assinale a alternativa correta.

  • A O vírus inativado, componente da vacina, é um antígeno capaz de estimular o sistema imune a produzir anticorpos, porém sem causar doença.
  • B Quando aplicado no corpo de um indivíduo, o vírus inativado é capaz de se replicar, porém de maneira lenta, sem causar maiores danos ao organismo.
  • C Na vacina, o vírus atenuado é um anticorpo que não causa doença, mas provoca uma resposta imunológica que pode bloquear ou matar o vírus se uma pessoa for infectada.
  • D Na vacina, o vírus inativado é um anticorpo que provoca uma resposta imunológica que pode matar o vírus se uma pessoa for infectada.
  • E O vírus atenuado presente na vacina não é capaz de se replicar, sendo constituído apenas pela informação genética que codifica proteínas que representam antígenos relevantes para a proteção do organismo.
A doença do novo coronavírus 2019 (COVID-19), causada pelo vírus SARS-CoV-2, se constitui uma das principais pandemias que já acometeram a humanidade com um número crescente de mortes. Dentre as características estruturais e moleculares comuns aos coronavírus, está a presença da glicoproteína Spike (S) que atua no processo de infecção celular. Sobre esta glicoproteína, é correto afirmar:
  • A A glicoproteína Spike é altamente conservada e estável o que faz com que não seja necessária a realização de um rearranjo estrutural no momento da interação com a célula hospedeira.
  • B A glicoproteína Spike é relativamente pequena, com comprimento total de 600 resíduos de aminoácidos que podem ser agrupados em subunidade S1 e subunidade S2.
  • C O domínio de ligação ao receptor está localizado na subunidade S2, o que torna essa região um alvo promissor para prospecção de antivirais seletivos contra a Spike do SARS-CoV-2.
  • D Na infecção das células pelo SARS-CoV-2, o domínio de ligação ao receptor se liga a receptores celulares ACE2, resultando na modificação da conformação da subunidade 2 e consequente fusão viral e entrada na célula.
  • E A glicoproteína Spike é formada por dímeros que formam visualmente um halo característico em forma de coroa, bulboso, em torno da partícula viral.
A busca por potentes antivirais contra o SARS-CoV-2 tem sido objetivo de diversos pesquisadores ao redor do mundo. Mesmo com o início da vacinação, a adoção de alternativas terapêuticas para os casos graves de COVID-19 ainda é necessária. Nesse contexto, diversos compostos bioativos foram produzidos com o objetivo de inibir a protease do novo coronavírus, conhecida como protease principal (main protease - Mpro). Sobre esta enzima, é incorreto afirmar:
  • A As proteases virais são alvos de drogas bem validados que levaram a vários medicamentos aprovados, por exemplo, contra infecções crônicas com o vírus da imunodeficiência humana (HIV) ou o vírus da hepatite C (HCV), que empregam aspartil e serina proteases, respectivamente.
  • B A Mpro do SARS-CoV-2 atua na clivagem de duas proteínas sobrepostas - pp1a e pp1ab codificadas pela ORF1ab.
  • C As principais proteases do SARS-CoV-2, SARS-CoV e MERS-CoV apresentam baixo grau de similaridade estrutural e conservação do sítio ativo, o que justifica a ausência de antivirais provenientes do reposicionamento de drogas.
  • D A díade catalítica formada por cisteína e histidina localizadas em uma fenda entre os domínios I e II formam o centro ativo da protease principal do SARS-CoV-2.
  • E Acredita-se que o processo proteolítico realizado pela Mpro ocorre a abstração do próton da cadeia lateral da cisteína, resultando em um nucleófilo tiolato que ataca a ligação amida do substrado.

O Domínio Bacteria abrange milhares de espécies conhecidas de bactérias, muitas delas estudadas a partir de culturas em laboratório e também pelo sequenciamento de genes do RNA ribossômico. Por meio desses estudos, verificam-se características que permitem a classificação dessas bactérias em grupos denominados Filos. Dentre os principais Filos, estabelecidos com base nesses estudos, é correto afirmar que o Filo

  • A Chlamydia engloba bactérias Gram positivas, de vida livre ou parasitas, formadoras de endósporos.
  • B Ricketsia inclui bactérias sem parede celular, parasitas celulares obrigatórias e cultivadas em meios de cultura sintéticos.
  • C Firmicutes possui, como principal gênero, os micoplasmas, com parede celular rica em lipídios característicos.
  • D Proteobacteria abrange as bactérias Gram negativas, inclui bactérias nitrificantes, disseminadas no solo e na água, e bactérias entéricas.
  • E Espiroquetas apresenta bactérias imóveis, encontradas em diversos ambientes e que podem causar doenças, como a febre maculosa.

Bactérias do gênero Chloroflexus são de vida livre, filamentosas e podem ser encontradas em ambientes marinhos e em fontes de águas termais. Para crescerem, as Chloroflexus podem obter energia da mesma forma que as cianobactérias, e utilizar H2 como doador de elétrons, reduzindo moléculas de CO2 a glioxilato. Outras bactérias de vida livre são as do gênero Beggiatoa, também filamentosas, e que somente se desenvolvem em ambientes aquáticos, ricos em H2S. Para crescerem, essas bactérias oxidam H2S a sulfato (SO4 –2 ) e, então, fixam CO2 em compostos orgânicos.

Considerando a forma de obtenção de energia e de carbono, é correto afirmar que o metabolismo de

  • A Chloroflexus é quimiolitotrófico oxigênico.
  • B Beggiatoa é fotorganotrófico anoxigênico.
  • C Chloroflexus é fotolitotrófico anoxigênico.
  • D Beggiatoa é quimiorganotrófico oxigênico.
  • E Chloroflexus é fotorganotrófico oxigênico.