Questões de Teoria do Consumidor (Economia)

Limpar Busca

Para entendermos de que modo o consumidor realiza suas escolhas, precisamos dominar alguns recursos de análise e relações chaves da microeconomia sobre o seu comportamento. Sobre este tema, analise as assertivas abaixo e assinale V, se verdadeiras, ou F, se falsas.


( ) Curvas de indiferença representam as combinações de bens e serviços que produzem o mesmo grau de satisfação para o consumidor.

( ) O consumidor maximiza seu grau de satisfação no ponto no qual a linha de orçamento tangencia uma curva de indiferença.

( ) As preferências do consumidor também podem ser descritas por meio do conceito de utilidade. Assim, uma curva de preferência mais elevada apresenta níveis de utilidade menores do que outra curva de indiferença menos elevada.

( ) A utilidade marginal para o consumidor é decrescente, a partir de dado ponto, indicando que o consumo adicional de uma mercadoria resulta em adições menores de sua utilidade.


A ordem correta de preenchimento dos parênteses, de cima para baixo, é:

  • A V – V – V – F.
  • B V – V – F – V.
  • C V – F – F – V.
  • D F – V – F – V.
  • E F – F – V – F.

A análise ordinal do comportamento do consumidor tem como pressuposto o fato de que suas preferências são completas, monotônicas e transitivas. As preferências são

  • A transitivas porque o consumidor sempre prefere cestas de consumo que contenham maiores quantidades de bens.
  • B transitivas porque o consumidor pode trocar uma cesta de consumo por outra cesta, se desejar fazer a troca.
  • C completas porque os bens que o consumidor deseja adquirir podem ser encontrados no mercado.
  • D monotônicas porque cestas com maiores quantidades de bens são preferíveis às que possuem menores quantidades.

Um consumidor dispõe de $ 1.000 para adquirir os bens X e Y, cujos preços são, respectivamente, $ 4 e $ 2. A respeito da reta orçamentária (ou linha de orçamento), compatível com dados apresentados, é correto afirmar que

  • A sua expressão matemática Y = f(X) é representada pela equação Y = 500 – 2X.
  • B aumentos no preço de um dos bens, mantido constante o preço do outro bem, provocarão deslocamentos paralelos da reta orçamentária.
  • C ocorrendo variações proporcionais e na mesma direção nos preços dos dois bens (duplicarem simultaneamente, por exemplo), a reta orçamentária não sofrerá deslocamento.
  • D as combinações das quantidades de X e Y situadas na reta orçamentária possibilitam ao consumidor poupar parte dos recursos de que dispõe para adquirir os bens.

A curva de Engel relaciona a quantidade adquirida de um bem com a renda do consumidor e pode ser obtida a partir da curva de renda-consumo. A respeito da curva de Engel e de sua relação com a curva de renda-consumo é correto afirmar o seguinte:

  • A no caso dos bens inferiores, a curva de Engel apresenta declividade positiva.
  • B quando se trata de um bem inferior, a curva de renda-consumo apresenta declividade negativa.
  • C o coeficiente de elasticidade-renda da demanda dos bens normais apresenta sinal negativo.
  • D no caso dos bens normais, tanto a curva de renda-consumo como a curva de Engel apresentam declividade negativa.

A função utilidade de um consumidor é expressa por U = AB, onde A e B representam as quantidades dos bens e U, o grau de satisfação alcançado. Representando por R a renda do consumidor e operando-se as condições da escolha ótima da combinação dos bens A e B, chega-se ao resultado de que a demanda do bem B é expressa pela equação

  • A B = R/Pb.
  • B B = R/2Pb.
  • C B = R/3Pb.
  • D B = R/4Pb.