Questões de Taxa Interna de Retorno (Economia) Página 1

A taxa de retorno total esperada de uma ação consiste em um rendimento de dividendo esperado mais um rendimento de ganhos de capital esperado. Nos mercados, existe uma condição na qual o retorno esperado sobre um título deve ser igual ao seu retorno requerido, bem como o valor intrínseco da ação deve ser igual ao seu preço de mercado, sendo esse estável. Trata-se do seguinte aspecto do mercado:

  • A ausência de interveção governamental.
  • B condição de perpetuidade.
  • C horizonte de rentabilização.
  • D equilíbrio.
  • E antecedente de queda da bolsa.

O orçamento de capital é o processo de análise de investimentos potenciais em ativos permanentes. Em relação às técnicas que são usadas na análise de orçamento de capital, avalie se são verdadeiras (V) ou falsas (F) as afirmativas a seguir.

I O método de payback descontado é similar ao método comum de payback, exceto pelo fato de que ele desconta os fluxos de caixa ao custo de capital de terceiros do projeto.

II Um projeto deve ser aceito se a sua TIR for maior do que o custo de capital.

III O verdadeiro valor de um projeto pode ser maior que o VPL baseado em sua vida física se ele puder ser terminado no final de sua vida econômica.

As afirmativas I, II e III são, respectivamente:

  • A F, V e V.
  • B F, V e F.
  • C V, V e V.
  • D F, F e V.
  • E V, V e F.

A correta administração de risco pode aumentar o valor de uma empresa e envolve a administração de eventos imprevisíveis que têm consequências adversas para a empresa. Uma transação entre duas contrapartes, na qual os riscos de ambas são invertidos, constitui o caso denominado:

  • A derivativo posicional.
  • B opção estruturada.
  • C opção real.
  • D swap perfeito.
  • E hedge natural.

O ROI (Return On Investment ou, em português, Retorno Sobre Investimento) é uma das maneiras mais tradicionais de se fazer a previsão dos prováveis proventos auferidos num projeto social. Com relação a essa métrica, temos que:

  • A Ela é a taxa de desconto que zera o valor presente líquido dos fluxos de caixa de um projeto, ou seja, faz com que todas as entradas igualem todas as saídas de caixa do projeto social
  • B É definido como o número de períodos (anos, meses, semanas etc.) para se recuperar o investimento inicial. Seu cálculo requer que se some os valores dos fluxos de caixa descontados pela taxa mínima de atratividade.
  • C Consiste em uma métrica utilizada para mensurar o rendimento obtido com uma dada quantia de recursos. O ROI é dado pela razão entre o lucro líquido alcançado e o investimento efetuado dentro de um dado período.
  • D Por definição, esse método consiste em trazer para a data zero, usando como taxa de desconto a Taxa Mínima de Atratividade do projeto, todos os fluxos de caixa do investimento e somá-los ao valor do investimento inicial.
  • E É definido como o número de períodos (anos, meses, semanas etc.) para se recuperar o investimento inicial. Seu cálculo requer que se some os valores dos fluxos de caixa auferidos, período a período, até que essa soma se iguale ao valor do investimento inicial.

Marque a opção correta.

  • A A taxa de desconto ajustada ao risco incorpora o risco à taxa de desconto através de um ajuste a posteriori do risco associado a um projeto de investimento.
  • B ) Quanto maior for o horizonte de análise de um projeto de investimentos, ou seja, quanto maior for o prazo do projeto de investimento, menor será a margem de erro nas análises de VPL e da TIR.
  • C O VPL e a TIR são duas métricas essenciais para avaliação econômica de projetos sociais, sendo que, ao contrário dos projetos de investimento privados, os projetos de investimento sociais costumam ter VPL negativo.
  • D A análise de equivalente-certeza segue o princípio do VPL, mas utiliza um coeficiente que corrige o fluxo de um período em razão do risco associado a ele. Esse coeficiente varia entre 0 e infinito e é determinado pela menor ou menor aversão ao risco por parte da alta administração.
  • E Análise de cenários e análise de sensibilidade são duas maneiras distintas de se lidar com a incerteza em projetos de investimento. Enquanto a primeira altera variáveis chave com base em alterações calcadas em conceitos como elasticidade e variações percentuais, a segunda lida com distribuições de probabilidade e tem como base, por exemplo, experimentos de Monte Carlo.