Questões de Funções morfossintáticas da palavra COMO (Português)

Limpar Busca

Com relação ao trecho do último quadro “Como eu odeio garotas”, assinale a alternativa em que o vocábulo como foi empregado com valor equivalente.

  • A A garota ia à biblioteca e como ela tinha prazer de estar entre os livros!
  • B Como se chama o seu colega de sala que nunca faz seus trabalhos?
  • C A menina, como era muito inteligente, tinha a atenção toda voltada para ela.
  • D O pai não conseguia disfarçar sua curiosidade como fazia a mãe.
  • E Como o ano ia passando, o aluno se desesperava por não ser o primeiro da sala.

Com relação ao trecho do último quadro “Como eu odeio garotas”, assinale a alternativa em que o vocábulo como foi empregado com valor equivalente.

  • A A garota ia à biblioteca e como ela tinha prazer de estar entre os livros!
  • B Como se chama o seu colega de sala que nunca faz seus trabalhos?
  • C A menina, como era muito inteligente, tinha a atenção toda voltada para ela.
  • D O pai não conseguia disfarçar sua curiosidade como fazia a mãe.
  • E Como o ano ia passando, o aluno se desesperava por não ser o primeiro da sala.

Assinale a alternativa em que o termo “como” está empregado com o mesmo sentido que tem na passagem – e ficou muito grata, como se acreditasse que, produzindo mais vento, adquirisse maior eficiência na sua luta contra a morte.

  • A A senhora deixou claro como se sentia melhor viajando ao lado daquele senhor.
  • B A senhora pensava que, como o avião dava voltas, ele fosse cair
  • C O narrador não sabe como impedir a queda do avião.
  • D A mulher permaneceu junto do homem, como se ele pudesse salvá-la.
  • E Uniram-se todos, no medo como na esperança.
Observa-se, no texto, uma recorrência do emprego do vocábulo “como”. Assinale a opção que apresenta um emprego desse vocábulo com valor semântico diferente dos demais:
  • A “(...) como dizer das árvores e das flores, dos teus olhos e do mar, das canoas e do cais, das borboletas nas árvores, (...)” (1º parágrafo)
  • BComo falar, então, da beleza, dessa beleza simples e pura da farinha e do pão, (...)” (2º parágrafo)
  • C “É como u’a nuvem inesperada num céu azul e límpido.” (2º parágrafo)
  • D Nenhuma das alternativas.

Analise a formulação do trecho a seguir: “Como o nosso ensino da língua sempre se baseou na norma gramatical literária de Portugal, as regras que aprendemos na escola, em boa parte, não correspondem à língua que falamos e escrevemos no Brasil”. O sentido do conectivo sublinhado coincide com o sentido expresso na seguinte alternativa:

  • A Aprendemos como usar a língua fora dos usos falados e escritos em contextos brasileiros.
  • B As regras que aprendemos na escola são como as regras que usamos no dia a dia quando falamos e escrevemos.
  • C Como a língua falada no Brasil corresponde à língua usada em Portugal?
  • D Até agora desconhecíamos que a língua é como um sistema que se apreende pelo uso falado e escrito no cotidiano.
  • E A verdade é esta: como a língua escolar difere da língua usada informalmente, achamos que o português é muito difícil.