Resolver o Simulado Merendeiro - Itame - Nível Fundamental

0 / 30

Português

1

Assinale a alternativa em que a grafia das palavras dos trechos está de acordo com as regras da ortografia oficial brasileira e com os significados apropriados.

  • A Estou com dificuldade em absolver tanta informação.
  • B Com este calor, não paro de suar.
  • C Há novas medidas para combater o tráfego de drogas.
  • D Não se preocupe, não vou dilatar ninguém.
  • E É preciso ratificar estes dados errados.
2

Assinale a alternativa em que a grafia da palavra está de acordo com as regras da ortografia oficial brasileira.

  • A espectativa
  • B exitante
  • C empreza
  • D cuscuz
  • E luchação
3
CUSTO DA CONSTRUÇÃO

Publicado em 26/11/2019
Por Vitor Abdala - Repórter da Agência Brasil

O Índice Nacional de Custo da Construção – M (INCC-M), medido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), registrou inflação de 0,15% em novembro de 2019. O percentual é superior ao observado em outubro de 2019 (0,12%). O indicador acumula 3,99% no ano de 2019 e 4,12% em 12 meses.

A alta da taxa na passagem de outubro para novembro de 2019 foi puxada pelos serviços, que tiveram deflação (queda de preços) de 0,08% em outubro e passaram para uma inflação de 0,36% em novembro.

Os materiais e equipamentos tiveram queda na taxa, apesar de continuarem com inflação. A taxa recuou de 0,37% em outubro para 0,31% em novembro.

Já a mão de obra manteve-se, em novembro, sem variação de preços como ocorreu em outubro.

CONFIANÇA DA CONSTRUÇÃO SOBE 1,5 PONTO

O Índice de Confiança da Construção, medido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), subiu 1,5 ponto na passagem de outubro para novembro de 2019 e chegou a 89 pontos, em uma escala de zero a 200. Esse é o maior patamar atingido pelo indicador desde setembro de 2014, quando a confiança ficou em 89,9 pontos.

A alta do índice é relacionada a uma melhora da situação corrente, já que o Índice de Situação Atual avançou 2,4 pontos, para 81,3 pontos. O Índice de Expectativas, que mede a confiança no futuro, também subiu, mas de forma mais moderada: 0,5 ponto, passando a 97,0 pontos.

O Nível de Utilização da Capacidade do setor cresceu 0,4 ponto percentual, para 70,5%. Segundo a pesquisadora da FGV, Ana Maria Castelo, a melhora das vendas e os lançamentos imobiliários, principalmente em São Paulo, têm impacto na confiança dos empresários. Ela também destaca que o acesso ao crédito pelas empresas está sendo fundamental para a retomada do setor.

Adaptado. Disponível em: http://bit.ly/2OLpRuT.
Com base no texto 'CUSTO DA CONSTRUÇÃO', leia as afirmativas a seguir:
I. O autor afirma que o Nível de Utilização da Capacidade do setor de construção cresceu 0,4 ponto percentual. II. De acordo com o texto, o Índice Nacional de Custo da Construção – M acumula 4,12% no ano de 2019 e 3,99% em 12 meses.
Marque a alternativa CORRETA:
  • A As duas afirmativas são verdadeiras.
  • B A afirmativa I é verdadeira, e a II é falsa.
  • C A afirmativa II é verdadeira, e a I é falsa.
  • D As duas afirmativas são falsas.
4

Assinale a alternativa que apresenta par cuja relação de antonímia está correta.

  • A cautela e precipitação
  • B estandardização e automação
  • C assunção e hesitação
  • D benção e elevação
  • E progredir e intensificar
5
CUSTO DA CONSTRUÇÃO

Publicado em 26/11/2019
Por Vitor Abdala - Repórter da Agência Brasil

O Índice Nacional de Custo da Construção – M (INCC-M), medido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), registrou inflação de 0,15% em novembro de 2019. O percentual é superior ao observado em outubro de 2019 (0,12%). O indicador acumula 3,99% no ano de 2019 e 4,12% em 12 meses.

A alta da taxa na passagem de outubro para novembro de 2019 foi puxada pelos serviços, que tiveram deflação (queda de preços) de 0,08% em outubro e passaram para uma inflação de 0,36% em novembro.

Os materiais e equipamentos tiveram queda na taxa, apesar de continuarem com inflação. A taxa recuou de 0,37% em outubro para 0,31% em novembro.

Já a mão de obra manteve-se, em novembro, sem variação de preços como ocorreu em outubro.

CONFIANÇA DA CONSTRUÇÃO SOBE 1,5 PONTO

O Índice de Confiança da Construção, medido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), subiu 1,5 ponto na passagem de outubro para novembro de 2019 e chegou a 89 pontos, em uma escala de zero a 200. Esse é o maior patamar atingido pelo indicador desde setembro de 2014, quando a confiança ficou em 89,9 pontos.

A alta do índice é relacionada a uma melhora da situação corrente, já que o Índice de Situação Atual avançou 2,4 pontos, para 81,3 pontos. O Índice de Expectativas, que mede a confiança no futuro, também subiu, mas de forma mais moderada: 0,5 ponto, passando a 97,0 pontos.

O Nível de Utilização da Capacidade do setor cresceu 0,4 ponto percentual, para 70,5%. Segundo a pesquisadora da FGV, Ana Maria Castelo, a melhora das vendas e os lançamentos imobiliários, principalmente em São Paulo, têm impacto na confiança dos empresários. Ela também destaca que o acesso ao crédito pelas empresas está sendo fundamental para a retomada do setor.

Adaptado. Disponível em: http://bit.ly/2OLpRuT.
Com base no texto 'CUSTO DA CONSTRUÇÃO', leia as afirmativas a seguir:
I. No texto, o autor afirma que o Índice de Expectativas, que mede a confiança no futuro, também subiu, mas de forma mais moderada: 0,5 ponto, passando a 97,0 pontos. II. O texto aponta que o Índice de Confiança da Construção, medido pela Fundação Getúlio Vargas, subiu 1,5 ponto, na passagem de outubro para novembro de 2019.
Marque a alternativa CORRETA:
  • A As duas afirmativas são verdadeiras.
  • B A afirmativa I é verdadeira, e a II é falsa.
  • C A afirmativa II é verdadeira, e a I é falsa.
  • D As duas afirmativas são falsas.
6

Assinale a alternativa que apresenta par cuja relação de antonímia está incorreta.

  • A pessimismo/otimismo
  • B rapidez/lentidão
  • C ativo/passivo
  • D precedente/prioridade
  • E aceitação/recusa
7
CUSTO DA CONSTRUÇÃO

Publicado em 26/11/2019
Por Vitor Abdala - Repórter da Agência Brasil

O Índice Nacional de Custo da Construção – M (INCC-M), medido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), registrou inflação de 0,15% em novembro de 2019. O percentual é superior ao observado em outubro de 2019 (0,12%). O indicador acumula 3,99% no ano de 2019 e 4,12% em 12 meses.

A alta da taxa na passagem de outubro para novembro de 2019 foi puxada pelos serviços, que tiveram deflação (queda de preços) de 0,08% em outubro e passaram para uma inflação de 0,36% em novembro.

Os materiais e equipamentos tiveram queda na taxa, apesar de continuarem com inflação. A taxa recuou de 0,37% em outubro para 0,31% em novembro.

Já a mão de obra manteve-se, em novembro, sem variação de preços como ocorreu em outubro.

CONFIANÇA DA CONSTRUÇÃO SOBE 1,5 PONTO

O Índice de Confiança da Construção, medido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), subiu 1,5 ponto na passagem de outubro para novembro de 2019 e chegou a 89 pontos, em uma escala de zero a 200. Esse é o maior patamar atingido pelo indicador desde setembro de 2014, quando a confiança ficou em 89,9 pontos.

A alta do índice é relacionada a uma melhora da situação corrente, já que o Índice de Situação Atual avançou 2,4 pontos, para 81,3 pontos. O Índice de Expectativas, que mede a confiança no futuro, também subiu, mas de forma mais moderada: 0,5 ponto, passando a 97,0 pontos.

O Nível de Utilização da Capacidade do setor cresceu 0,4 ponto percentual, para 70,5%. Segundo a pesquisadora da FGV, Ana Maria Castelo, a melhora das vendas e os lançamentos imobiliários, principalmente em São Paulo, têm impacto na confiança dos empresários. Ela também destaca que o acesso ao crédito pelas empresas está sendo fundamental para a retomada do setor.

Adaptado. Disponível em: http://bit.ly/2OLpRuT.
Com base no texto 'CUSTO DA CONSTRUÇÃO', leia as afirmativas a seguir:
I. Depreende-se do texto que a alta do Índice Nacional de Custo da Construção – M, na passagem de outubro para novembro de 2019, foi puxada pelos serviços, que tiveram inflação (alta de preços) de 0,08% em outubro e passaram para uma deflação de 0,36% em novembro. II. No texto, é possível identificar a ideia de que o Índice de Situação Atual avançou 2,4 pontos, para 81,3 pontos.
Marque a alternativa CORRETA:
  • A As duas afirmativas são verdadeiras.
  • B A afirmativa I é verdadeira, e a II é falsa.
  • C A afirmativa II é verdadeira, e a I é falsa.
  • D As duas afirmativas são falsas.
8

Assinale a alternativa que apresenta par cuja relação de antonímia está incorreta.

  • A claro/escuro
  • B mau/bem
  • C cheio/vazio
  • D disperso/atento
  • E duro/mole
9
CUSTO DA CONSTRUÇÃO

Publicado em 26/11/2019
Por Vitor Abdala - Repórter da Agência Brasil

O Índice Nacional de Custo da Construção – M (INCC-M), medido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), registrou inflação de 0,15% em novembro de 2019. O percentual é superior ao observado em outubro de 2019 (0,12%). O indicador acumula 3,99% no ano de 2019 e 4,12% em 12 meses.

A alta da taxa na passagem de outubro para novembro de 2019 foi puxada pelos serviços, que tiveram deflação (queda de preços) de 0,08% em outubro e passaram para uma inflação de 0,36% em novembro.

Os materiais e equipamentos tiveram queda na taxa, apesar de continuarem com inflação. A taxa recuou de 0,37% em outubro para 0,31% em novembro.

Já a mão de obra manteve-se, em novembro, sem variação de preços como ocorreu em outubro.

CONFIANÇA DA CONSTRUÇÃO SOBE 1,5 PONTO

O Índice de Confiança da Construção, medido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), subiu 1,5 ponto na passagem de outubro para novembro de 2019 e chegou a 89 pontos, em uma escala de zero a 200. Esse é o maior patamar atingido pelo indicador desde setembro de 2014, quando a confiança ficou em 89,9 pontos.

A alta do índice é relacionada a uma melhora da situação corrente, já que o Índice de Situação Atual avançou 2,4 pontos, para 81,3 pontos. O Índice de Expectativas, que mede a confiança no futuro, também subiu, mas de forma mais moderada: 0,5 ponto, passando a 97,0 pontos.

O Nível de Utilização da Capacidade do setor cresceu 0,4 ponto percentual, para 70,5%. Segundo a pesquisadora da FGV, Ana Maria Castelo, a melhora das vendas e os lançamentos imobiliários, principalmente em São Paulo, têm impacto na confiança dos empresários. Ela também destaca que o acesso ao crédito pelas empresas está sendo fundamental para a retomada do setor.

Adaptado. Disponível em: http://bit.ly/2OLpRuT.
Com base no texto 'CUSTO DA CONSTRUÇÃO', leia as afirmativas a seguir:
I. Conclui-se do texto que o Índice Nacional de Custo da Construção – M, medido pela Fundação Getúlio Vargas, registrou deflação de 0,15% em novembro de 2019. II. Infere-se do texto que, na passagem de outubro para novembro de 2019, o Índice de Confiança da Construção atingiu o maior patamar desde setembro de 2014, quando a confiança ficou em 89,9 pontos.
Marque a alternativa CORRETA:
  • A As duas afirmativas são verdadeiras.
  • B A afirmativa I é verdadeira, e a II é falsa.
  • C A afirmativa II é verdadeira, e a I é falsa.
  • D As duas afirmativas são falsas.
10

A fotografia está morrendo?

De tempos em tempos temos algum artigo apocalíptico dizendo que algo está morrendo, ou simplesmente vai acabar. Até hoje estamos esperando a morte do rádio ou o fim do papel. Mas, alguns destes artigos nos trazem coisas para pensarmos. É o caso do texto intitulado “The Death of Photography: are camera phones destroying an artform?” (Em português: “A morte da fotografia: as câmeras de celular estão destruindo uma forma de arte?”) publicado no The Guardian por Stuart Jeffries em 13 de dezembro. Ele parte de uma pergunta simples: estaria a massificação da fotografia destruindo a arte? Pergunta complicada. Em vez de expressar unicamente sua opinião, o jornalista procurou alguns grandes fotógrafos e os fez pensar sobre o assunto.

O primeiro a ser questionado foi Antonio Olmos, fotógrafo mexicano que vive em Londres. Segundo ele, nunca houve tantas fotografias tiradas no mundo, mas ao mesmo tempo a fotografia está morrendo. Para o fotógrafo isso se deve justamente pela massificação. Para falar a verdade, a reportagem toda foi motivada por dois acontecimentos da semana passada. O primeiro foi flagrante do autorretrato em que participou o Presidente dos Estados Unidos Barack Obama na cerimônia em memória a Nelson Mandela. Segundo a reportagem ela mostra toda a natureza narcisista que cerca a nova fotografia executada com celulares. O segundo fato foi a divulgação de uma pesquisa feita por psicólogos onde foi demonstrado que o atual comportamento que nos leva a fotografar tudo o que vemos tem por consequência o fato de não vivermos intensamente o momento, levando a sua não assimilação total dos fatos. Ou seja, quanto mais você fotografa o seu cotidiano, menos capacidade de se lembrar dele você tem.

É nesse segundo ponto que Olmos bate mais forte: “As pessoas que tomam fotografias de sua comida em um restaurante em vez de comê-la. As pessoas que tomam fotografias da Mona Lisa, em vez de olhar para ela. Acho que o iPhone está levando as pessoas para longe de suas experiências.” O argumento do fotógrafo também passa pela história do surgimento da fotografia, na qual os pintores perderam o filão de retratos de família para os fotógrafos. Agora, os profissionais estão perdendo o seu espaço para as fotografias feitas pelo cidadão comum. Entendo o argumento do fotógrafo, mas sinto aqui também um pouco de amargura. Sabemos que o ramo do fotojornalismo, a área de Olmos, está em crise. Antigamente era necessário enviar um profissional para uma zona de conflito. Hoje é possível encontrar diversas fotos desses conflitos feitas por quem está vivendo o acontecimento. Imagens feitas com celulares e postadas em redes sociais. Complicado competir com esse tipo de interatividade.

Por outro lado, o fotógrafo Eamonn McCabe tem uma visão um pouco diferente. Para ele, a massificação da tecnologia digital está deixando os fotógrafos cada vez mais preguiçosos. Antes uma sessão fotográfica era feita com dois rolos de filme de 24 poses. Hoje pode-se fazer mil fotos em uma sessão e todos os defeitos são corrigidos no pós processamento. Sem dizer que tamanha quantidade de fotos nos tira a capacidade de apreciar uma imagem. Por isso que sempre digo que ninguém vai querer ver as 2 mil fotos de suas férias. Faça uma seleção de 20 fotos e vai ser um sucesso. “As pessoas estão fazendo um monte de fotos, mas ninguém está olhando para elas”.

E, no final do artigo, temos a voz da razão na pessoa do fotógrafo Nick Knight, que já publicou um livro e fez uma campanha de moda utilizando apenas o iPhone. Para ele, o iPhone trouxe uma liberdade que só tem paralelo com os anos 60, quando deixou-se de utilizar tripé nas sessões de moda com a utilização de câmeras 35mm em detrimento das de médio formato. Segundo Nick, “O que importa, artisticamente, não é quantos pixels elas tem, mas se as imagens funcionam. A máquina com que você cria sua arte é irrelevante.”

O artigo é muito mais denso e merece uma leitura detalhada. Mas, qual minha opinião? A arte sempre vai estar morrendo, segundo a opinião de alguém. Além do mais, a fotografia não é arte. É uma forma de comunicação que pode ser utilizada como arte. Esta utilização é que se encontra em baixa ultimamente e é de difícil acesso para o público comum. Até mesmo para os fotógrafos que investiram milhares de Reais em seu equipamento. Vejo muita foto feita com câmeras caras, lentes soberbas, conhecimento técnico e pós processamento exorbitante que são, apenas, bonitinhas. Expressões máximas da frase “sua fotografia é tão boa quanto seu equipamento”. A fotografia, como expressão da arte, não está morrendo. Ela continua existindo no mesmo nicho que sempre existiu. Talvez agora um pouco mais escondida por conta da massificação, mas ela está lá, vivendo bem. 

Disponível em: <https://meiobit.com/274065/fotografia-estamorrendo/>. Acesso em: 31 jul. 2019 (Adaptação).

O texto em questão, como se trata de um artigo de opinião, traz o posicionamento do autor em relação ao tema debatido.

Nesse sentido, é correto afirmar que, a respeito das opiniões expressas pelos fotógrafos abordados, o autor

  • A discorda da opinião de Eamonn McCabe e de Antonio Olmos.
  • B discorda de Antonio Olmos, enquanto concorda com Nick Knight.
  • C refuta a opinião de todos os fotógrafos abordados.
  • D reitera a opinião de Eamonn McCabe e discorda de Nick Knight.

Conhecimentos Gerais

11

Assinale a alternativa correta.

  • A O Uruguai não faz fronteira com o Brasil.
  • B Apenas o Equador faz fronteira com o Brasil.
  • C O Chile e o Equador fazem fronteira com o Brasil.
  • D Somente o Chile faz fronteira com o território brasileiro.
  • E A grande extensão do território nacional proporciona ao Brasil fronteira com quase todas as nações sul-americanas.
12

Complete a frase abaixo:


Não misture .......................... recicláveis com orgânicos - sobras de alimentos, cascas de frutas e legumes. Coloque plásticos, vidros, metais e papéis em sacos separados.


Assinale a alternativa que completa corretamente a lacuna do texto.

  • A resíduos
  • B líquidos
  • C alimentos
  • D temperos
  • E instrumentos
13

Complete a frase abaixo:
O livro de ocorrências deverá ser redigido de maneira que _____________ modificação posterior.
Assinale a alternativa que completa corretamente a lacuna do texto.

  • A permita
  • B propicie
  • C possibilite
  • D dificulte
  • E facilite
14

Complete a frase abaixo:
Condução, convecção e irradiação são as formas de ___________ de calor de um corpo para o outro ou para um meio.
Assinale a alternativa que completa corretamente a lacuna do texto.

  • A retenção
  • B produção
  • C eliminação
  • D diminuição
  • E transmissão
15

Considerando a teoria básica do fogo, concluímos que o fogo só existe quando estão presentes, em proporções ideais, o combustível, o comburente e o calor, reagindo:

  • A em cadeia.
  • B no vácuo.
  • C no gelo.
  • D sob a água.
  • E separadamente.
16

Os Estados de Mato Grosso, Roraima, Amapá e Goiás têm como suas capitais, respectivamente:

  • A Natal, Aracaju, Recife e Palmas.
  • B Rio Branco, Vitória, Maceió e Belém.
  • C Fortaleza, Maceió, João Pessoa e Recife.
  • D Palmas, Rio Branco, Belém e Maceió.
  • E Cuiabá, Boa Vista, Macapá e Goiânia.
17

Introdução de substâncias ou energia no meio ambiente, com consequências negativas no seu equilíbrio, causando danos à saúde humana, aos seres vivos e aos ecossistemas.

Estamos nos referindo:

  • A À toxidade.
  • B À poluição.
  • C À urbanização.
  • D À contaminação física.
  • E Ao aquecimento global.
18

Responda (V) verdadeiro ou (F) falso e, em seguida, assinale a alternativa contendo a ordem correta das respostas, de cima para baixo. A higiene é muito importante para o nosso corpo e contribui para a nossa saúde e bem estar. Por isso, devemos:
(__) - Tomar banho diariamente, escovar os dentes pelo menos 3 vezes ao dia (depois das refeições), usar roupa limpa, cuidar dos cabelos e das unhas; (__) - Compartilhar toalhas e roupa íntima, como calcinhas, cuecas, sutiãs, com outras pessoas; (__) - Lavar as mãos antes das refeições.

  • A V – F – V.
  • B V – V – F.
  • C F – V – F.
  • D V – F – F.
19

Setembro é o mês mundial de prevenção do suicídio, chamado também de:
(Fonte adaptada: https://www.cvv.org.br// >acesso em 03 de setembro de 2019)

  • A Setembro Amarelo.
  • B Setembro Azul.
  • C Setembro Vermelho.
  • D Setembro Laranja.
20

Na esfera Federal, o Congresso Nacional exerce sua função de elaboração de:
Assinale a alternativa INCORRETA:

  • A Emendas à Constituição.
  • B Leis complementares.
  • C Manuais.
  • D Leis ordinárias e delegadas.
  • E Medidas provisórias.

Conhecimentos de Serviços Gerais

21

São atitudes adequadas no ambiente de trabalho, exceto:

  • A Cumprimentar a todos, sem distinção de cargos hierárquicos.
  • B Falar com sobriedade.
  • C Vestir-se com discrição.
  • D Fazer a equipe sempre lembrar de erros anteriores para serem mais assertivos.
22

São atividades inerentes à limpeza diária, para conservação predial, exceto:

  • A Remover o pó dos móveis.
  • B Limpar os elevadores.
  • C Lustrar o piso.
  • D Varrer as áreas pavimentadas.
23

Materiais de limpeza utilizados para varrição úmida de um ambiente:

  • A Mop e luva do tipo cabeleira plana.
  • B Vassoura e balde.
  • C Balde e espanador.
  • D Vassoura e luva do tipo cabeleira plana.
24

Qual destes métodos pode ser utilizado para separar sólidos e líquidos?

  • A Decantação.
  • B Centrifugação.
  • C Emulsificação.
  • D Homogeneização.
25

Qual o nome que se dá a organização prévia do espaço de trabalho, assim como dos itens que serão utilizados nele?

  • A Mise-en-place.
  • B Organização antecedente.
  • C Senso de organização: shitsuke.
  • D Sous-vide.
26

Leia as afirmativas a seguir:


I. A manutenção das condições de limpeza e organização na instituição baseia-se em um conjunto de premissas e responsabilidades compartilhadas entre os colaboradores da entidade. Nesse contexto, por exemplo, o profissional de limpeza deve evitar lavar as mãos ao adentrar ou antes de sair do ambiente de trabalho, pois essa medida contribui diretamente para a manutenção das condições de higienização na organização.

II. No processo de reciclagem, que além de preservar o meio ambiente também gera riquezas, os materiais mais reciclados são o vidro, o alumínio, o papel e o plástico. Esta reciclagem contribui para a diminuição significativa da poluição do solo, da água e do ar. Muitas indústrias estão reciclando materiais como uma forma de reduzir os custos de produção.


Marque a alternativa CORRETA:

  • A As duas afirmativas são verdadeiras.
  • B A afirmativa I é verdadeira, e a II é falsa.
  • C A afirmativa II é verdadeira, e a I é falsa.
  • D As duas afirmativas são falsas.
27

Leia as afirmativas a seguir:


I. O profissional de limpeza, em uma organização pública, deve conhecer claramente seus direitos e deveres. Por exemplo, esse profissional deve zelar pelos processos de remoção de sujidades, estimular a separação dos resíduos e evitar o desperdício de produtos de limpeza. Ao mesmo tempo, é vedado a esse profissional proceder com a limpeza das superfícies fixas (verticais e horizontais), devendo executar regularmente a higienização dos banheiros e demais ambientes, conforme as instruções dos seus superiores.

II. A higienização dos ambientes das instituições é um processo que pode exigir a utilização de diversos materiais e equipamentos de limpeza. Assim, controlar o consumo desses materiais e, quando necessário, informar à chefia superior a necessidade de reposição dos mesmos, é uma atribuição importante do profissional de limpeza. O abastecimento e a reposição dos materiais de consumo diário, por exemplo, como sabonete líquido, papel higiênico e papel toalha, é uma atividade desnecessária à limpeza e organização da instituição.


Marque a alternativa CORRETA:

  • A As duas afirmativas são verdadeiras.
  • B A afirmativa I é verdadeira, e a II é falsa.
  • C A afirmativa II é verdadeira, e a I é falsa.
  • D As duas afirmativas são falsas.
28

Leia as afirmativas a seguir:


I. Em determinados ambientes, como os banheiros, o processo de limpeza pode exigir um enxaguamento para a remoção de partículas de sujidade e de alguns microrganismos (que são arrastados com os outros resíduos). Pode-se também aplicar o detergente (ou outro produto químico), o qual vai atuar sobre as partículas de sujidade que se encontram aderidas, diminuindo a sua ligação às superfícies.

II. Os processos de limpeza e remoção de sujidades na organização devem ser realizados de modo a promover a saúde no ambiente de trabalho e manter o ambiente da instituição limpo e agradável. Assim, o profissional de limpeza deve evitar renovar a água utilizada no processo de limpeza de sala para sala, certificando-se apenas que os panos sejam higienizados regularmente e que os produtos químicos empregados nessa função atendam às normas regulamentares vigentes.


Marque a alternativa CORRETA:

  • A As duas afirmativas são verdadeiras.
  • B A afirmativa I é verdadeira, e a II é falsa.
  • C A afirmativa II é verdadeira, e a I é falsa.
  • D As duas afirmativas são falsas.
29

Leia as afirmativas a seguir:


I. A reciclagem é o processo de conversão de desperdício em materiais ou produtos de potencial utilidade. Esse conceito está intimamente relacionado a processos como a coleta seletiva e as atividades de limpeza nas organizações. Para estimular o processo de reciclagem, a entidade pública deve estimular a separação e a destinação adequada dos seus resíduos para os locais onde possam ser reaproveitados. Nesse contexto, o termo resíduo refere-se a todo material aproveitado na atividade humana, utilizado por entidades para a prestação dos serviços aos cidadãos. Ao término da prestação de serviços, o que sobra dos resíduos é chamado de insumos.

II. Plásticos são artefatos fabricados a partir de resinas (polímeros), geralmente sintéticos e derivados do petróleo. Quando o lixo é depositado em lixões, os problemas principais relacionados ao material plástico provêm da queima indevida e sem controle. Quando a disposição é feita em aterros, os plásticos dificultam sua compactação e prejudicam a decomposição dos materiais biologicamente degradáveis, pois criam camadas impermeáveis que afetam as trocas de líquidos e gases gerados no processo de biodegradação da matéria orgânica.


Marque a alternativa CORRETA:

  • A As duas afirmativas são verdadeiras.
  • B A afirmativa I é verdadeira, e a II é falsa.
  • C A afirmativa II é verdadeira, e a I é falsa.
  • D As duas afirmativas são falsas.
30

Leia as afirmativas a seguir:


I. São exemplos de condições que podem favorecer o aparecimento de microrganismos e o desenvolvimento de doenças no ambiente de trabalho os seguintes: ausência de uma cultura de lavar as mãos antes e depois de utilizar os banheiros; ausência da utilização de técnicas básicas de limpeza e higienização; manutenção de superfícies úmidas ou molhadas; manutenção de superfícies empoeiradas; condições precárias de revestimentos; manutenção de matéria orgânica sobre as superfícies.

II. O trabalho de limpeza e organização do ambiente de trabalho exige que os servidores que ali atuam conheçam algumas práticas favoráveis ao processo de reciclagem. Por exemplo, a separação de plásticos do restante do lixo traz uma série de danos à sociedade, como, por exemplo, a redução da vida útil dos aterros, redução de empregos relacionados à reciclagem, gasto excessivo de energia nas indústrias etc.


Marque a alternativa CORRETA:

  • A As duas afirmativas são verdadeiras.
  • B A afirmativa I é verdadeira, e a II é falsa.
  • C A afirmativa II é verdadeira, e a I é falsa.
  • D As duas afirmativas são falsas.
Voltar para lista