Resolver o Simulado Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH) - Enfermeiro - IBFC - Nível Superior

0 / 45

Português

1

Leia atentamente a tira abaixo de “Calvin e Haroldo”, criada pelo cartunista Bill Watterson, para responder à questão:


Considerando a tira acima, analise as afirmativas e assinale a alternativa correta.


I. A expressão “Olhe para isso” no primeiro quadrinho é um exemplo de trecho injuntivo presente na tira, já que o verbo conjugado no modo imperativo incita o interlocutor a uma ação, no caso, a de atentar para a inundação causada por ele.

II. O segundo quadrinho possui uma incoerência textual interna, já que no primeiro quadrinho Calvin afirma que não fez nada ao pai e, em seguida, se contradiz dizendo que estava procurando o fio dental.

III. Os três últimos quadrinhos apresentam três sequências narrativas distintas, que são enunciadas pelo garoto com a intenção de se isentar da responsabilidade e da consequência de sua traquinagem.

IV. O humor da tira está no fato de que o pai é tratado como ingênuo, por acreditar na explicação absurda dada pelo menino no último quadrinho.

  • A Apenas as alternativas I, III, e IV estão corretas.
  • B Apenas as alternativas I e III estão corretas.
  • C Apenas as alternativas II e IV estão corretas.
  • D Apenas as alternativas II e III estão corretas.
2

Leia atentamente a tira abaixo de “Calvin e Haroldo”, criada pelo cartunista Bill Watterson, para responder à questão:


De acordo com a leitura da tira e da Gramática Normativa da Língua Portuguesa, assinale a alternativa incorreta.
  • A Os vocábulos “você” no primeiro quadrinho, “papai” no segundo quadrinho e “pai” no quarto quadrinho são vocativos, porque se referem diretamente ao interlocutor, como forma de chamamento.
  • B No segundo quadrinho, a expressão “quando chuá”, constituída, respectivamente, por uma conjunção e uma onomatopeia, é uma construção coloquial usada pelo menino, que, dentro de um contexto mais formal, poderia ser substituída pela frase “De repente, a água começou a jorrar” preservando o seu sentido original.
  • C A expressão “na verdade” utilizada pelo garoto no terceiro quadrinho funciona como um indicativo de retificação da história contada no quadrinho anterior.
  • D As reticências utilizadas no final do segundo e terceiro quadrinhos indicam a hesitação do garoto na construção da mentira contada, ao contrário dos pontos de exclamação utilizados no último quadrinho, que expressam convicção na forma de explicar ao pai o que aconteceu.
3

Leia com atenção o artigo abaixo, “O que é inconsciente”, da psicanalista Carmelita Gomes Rodrigues, para responder a questão.

(adaptado) 


      O inconsciente refere-se a conteúdos mentais/emocionais não acessados pela razão, pela consciência. É composto de memórias esquecidas, experiências reprimidas, percepções subliminares, experiências afetivas, sensações e intuições. É como um “espaço” psíquico que funciona como um “baú” repleto de fantasias, desejos e emoções de difícil controle. (...)

      O inconsciente se expressa, mas por meio de símbolos e reações autônomas. Externaliza seus “alertas”, recados e anseios autênticos de diferentes formas, inclusive por meio dos sonhos (...). Também ocorrem expressões do inconsciente por meio dos chistes (humor), atos falhos (comportamentos inesperados), lapsos de linguagem, expressão artísticas (desenhos, pinturas, modelagens, etc.) e associação livre de ideias (fala livre sem crítica e sem preocupação com a coerência).

      São, ainda, exemplos concretos de expressões do inconsciente: chamar uma pessoa pelo nome de outra; uma palavra que escapa fora do contexto; comportamentos não planejados ou fazer algo e depois não reconhecer o ato como sendo ação própria. Após essas “escapadas” do inconsciente as pessoas se questionam: “por que fiz isso?”, “por que disse isso?”. Vazou do inconsciente! (...)

      Por que um conteúdo é reprimido?

      Por ser doloroso.

      A dinâmica do psiquismo humano mobiliza, conduz o organismo para a sobrevivência, recorrendo a artifícios que evitem a “destruição” do ser. Os caminhos de sobrevivência são os mais variados possíveis, inclusive a neurose, a psicose, a negação e o “esquecimento”, entre muitos outros. Mas com o decorrer do tempo, o recalque vai perdendo a eficiência e os conteúdos começam a escapar, a se mostrar por meio dos caminhos citados acima.

      O ideal é livrar-se do sofrimento antes de chegar ao limite de tolerância do psiquismo e do corpo. No processo analítico, é possível recordar, reviver e elaborar a vivência traumática, fazendo com que a pessoa esvazie o complexo e recupere a autonomia de seu funcionamento.

      (...) A doença não é inimiga, mas uma aliada da vida. É o protesto do corpo, é como se ele estivesse dizendo: “Chega! Eu não aguento mais (...)”. O corpo dá esse grito de alerta por meio dos sintomas, das doenças. Alteração no sono, ansiedade, medos, depressão, pânico são alguns dos “protestos” do psiquismo via soma (corpo). É daí que vem o termo somatizar. Ouça seu corpo! (...)

Com base na leitura e interpretação do artigo acima, assinale a alternativa incorreta.
  • A O inconsciente é um espaço psíquico que pode se manifestar por meio dos sonhos, chistes, atos falhos, lapsos de linguagem e expressões artísticas. O processo analítico é a única forma de o sujeito recuperar a autonomia e o controle destas manifestações.
  • B Sensações e intuições fazem parte da composição do que a autora chama de espaço inconsciente, podendo, assim, serem entendidas como conteúdos passíveis de produzir símbolos e manifestações autônomas.
  • C Conteúdos reprimidos são artifícios de sobrevivência do psiquismo que com o passar do tempo perdem sua eficiência, gerando assim manifestações de diversas ordens, fora do controle consciente e racional do sujeito.
  • D Corpo e mente estão conectados para a autora visto que a movimentação psíquica tem no soma, ou seja, no corpo, seu lugar de manifestação e dinâmica. É possível entender pelo texto que somatizar é apresentar no corpo uma movimentação psíquica.
4

Leia com atenção o artigo abaixo, “O que é inconsciente”, da psicanalista Carmelita Gomes Rodrigues, para responder a questão.

(adaptado) 


      O inconsciente refere-se a conteúdos mentais/emocionais não acessados pela razão, pela consciência. É composto de memórias esquecidas, experiências reprimidas, percepções subliminares, experiências afetivas, sensações e intuições. É como um “espaço” psíquico que funciona como um “baú” repleto de fantasias, desejos e emoções de difícil controle. (...)

      O inconsciente se expressa, mas por meio de símbolos e reações autônomas. Externaliza seus “alertas”, recados e anseios autênticos de diferentes formas, inclusive por meio dos sonhos (...). Também ocorrem expressões do inconsciente por meio dos chistes (humor), atos falhos (comportamentos inesperados), lapsos de linguagem, expressão artísticas (desenhos, pinturas, modelagens, etc.) e associação livre de ideias (fala livre sem crítica e sem preocupação com a coerência).

      São, ainda, exemplos concretos de expressões do inconsciente: chamar uma pessoa pelo nome de outra; uma palavra que escapa fora do contexto; comportamentos não planejados ou fazer algo e depois não reconhecer o ato como sendo ação própria. Após essas “escapadas” do inconsciente as pessoas se questionam: “por que fiz isso?”, “por que disse isso?”. Vazou do inconsciente! (...)

      Por que um conteúdo é reprimido?

      Por ser doloroso.

      A dinâmica do psiquismo humano mobiliza, conduz o organismo para a sobrevivência, recorrendo a artifícios que evitem a “destruição” do ser. Os caminhos de sobrevivência são os mais variados possíveis, inclusive a neurose, a psicose, a negação e o “esquecimento”, entre muitos outros. Mas com o decorrer do tempo, o recalque vai perdendo a eficiência e os conteúdos começam a escapar, a se mostrar por meio dos caminhos citados acima.

      O ideal é livrar-se do sofrimento antes de chegar ao limite de tolerância do psiquismo e do corpo. No processo analítico, é possível recordar, reviver e elaborar a vivência traumática, fazendo com que a pessoa esvazie o complexo e recupere a autonomia de seu funcionamento.

      (...) A doença não é inimiga, mas uma aliada da vida. É o protesto do corpo, é como se ele estivesse dizendo: “Chega! Eu não aguento mais (...)”. O corpo dá esse grito de alerta por meio dos sintomas, das doenças. Alteração no sono, ansiedade, medos, depressão, pânico são alguns dos “protestos” do psiquismo via soma (corpo). É daí que vem o termo somatizar. Ouça seu corpo! (...)

Considerando o texto e a Gramática Normativa da Língua Portuguesa, analise as afirmativas abaixo e dê valores Verdadeiro (V) ou Falso (F).


( ) No trecho “Externaliza seus ‘alertas’, recados e anseios autênticos de diferentes formas” os termos destacados são respectivamente classificados pela sintaxe como: Objeto Indireto, Objeto Direto e Objeto Direto.

( ) No trecho “A doença não é inimiga, mas uma aliada da vida”, a oração destacada é classificada como Oração Coordenada Adversativa.

( ) No trecho “A dinâmica do psiquismo humano mobiliza, conduz o organismo para a sobrevivência” o verbo destacado é, sintaticamente, Transitivo Direto e Indireto.

( ) No trecho “No processo analítico, é possível recordar, reviver e elaborar a vivência traumática”, as expressões destacadas são classificadas pela sintaxe, respectivamente, como Adjunto Adverbial e Adjunto Adnominal.

( ) No trecho “O corpo dá esse grito de alerta por meio dos sintomas, das doenças”, o termo em destaque é um elemento de coesão textual que retoma a palavra “corpo” nesse mesmo trecho.


Assinale a alternativa que apresenta a sequência correta de cima para baixo.

  • A V, V, V, F, V.
  • B F, F, V, V, F.
  • C V, F, F, F, F.
  • D F, V, V, V, F.
5

Leia com atenção a tirinha abaixo e responda a questão.



Sobre a interpretação do quadrinho, assinale a alternativa correta.

  • A Os quatro quadrinhos são justificativas que sustentam e caracterizam a afirmação inicial do título induzindo o leitor a se apaixonar e comprar livros.
  • B A sequência de afirmações nos quatro quadrinhos descrevem hábitos de pessoas que sofrem com o consumo excessivo de livros.
  • C O primeiro quadrinho demonstra como a personagem sente dificuldades com as regras de acentuação gráfica pela ausência do hábito de leitura.
  • D O adjetivo “viciado” presente no título da tirinha possui uma conotação positiva se amparado pela descrição de satisfação vivenciada pela personagem nos quatro quadrinhos.
6

Leia com atenção a história mítica “La Loba” escrita por Clarissa Pinkola Estés, com tradução de Waldéa Barcellos, para responder a questão.


La Loba (Adaptado)


Existe uma velha que vive num lugar oculto de que todos sabem, mas que poucos já viram. Como nos contos de fadas da Europa oriental, ela parece esperar que cheguem até ali pessoas que se perderam, que estão vagueando ou à procura de algo.

Ela é circunspecta, quase sempre cabeluda e invariavelmente gorda, e demonstra especialmente querer evitar a maioria das pessoas. Ela sabe crocitar e cacarejar, apresentando geralmente mais sons animais do que humanos. (...)

O único trabalho de La Loba é o de recolher ossos. Sabe-se que ela recolhe e conserva especialmente o que corre o risco de se perder para o mundo. Sua caverna é cheia dos ossos de todos os tipos de criaturas do deserto: o veado, a cascavel, o corvo. Dizem, porém, que sua especialidade reside nos lobos.

Ela se arrasta sorrateira e esquadrinha as montanhas (...), leitos secos de rios, à procura de ossos de lobos e, quando consegue reunir um esqueleto inteiro, quando o último osso está no lugar e a bela escultura branca da criatura está disposta à sua frente, ela senta junto ao fogo e pensa na canção que irá cantar.

Quando se decide, ela se levanta e aproxima-se da criatura, ergue seus braços sobre o esqueleto e começa a cantar. É aí que os ossos das costelas e das pernas do lobo começam a se forrar de carne, e que a criatura começa a se cobrir de pelos. La Loba canta um pouco mais, e uma proporção maior da criatura ganha vida. Seu rabo forma uma curva para cima, forte e desgrenhado.

La Loba canta mais, e a criatura-lobo começa a respirar. E La Loba ainda canta, com tanta intensidade que o chão do deserto estremece, e enquanto canta, o lobo abre os olhos, dá um salto e sai correndo pelo desfiladeiro.

Em algum ponto da corrida, quer pela velocidade, por atravessar um rio respingando água, quer pela incidência de um raio de sol ou de luar sobre seu flanco, o lobo de repente é transformado numa mulher que ri e corre livre na direção do horizonte.

Por isso, diz-se que, se você estiver perambulando pelo deserto, por volta do pôr-do-sol, e quem sabe esteja um pouco perdido, cansado, sem dúvida você tem sorte, porque La Loba pode simpatizar com você e lhe ensinar algo — algo da alma.

(Fonte: ESTÉS, Clarissa Pinkola. Mulheres que correm com os lobos. Mitos e histórias do arquétipo da mulher selvagem. Tradução Waldéa Barcellos. Rio de Janeiro: Editora Rocco, 1994, pg. 43-44.)

Sobre a interpretação da história, assinale a alternativa incorreta.
  • A La Loba é uma personagem mítica que recolhe ossos, especialmente ossos de lobo e, quando consegue recolher e formar um esqueleto inteiro, por meio de seu canto, consegue atribuir vida novamente à criatura-lobo.
  • B La Loba simpatiza com o que pode se perder no mundo, por isso, recolhe ossos abandonados em lugares como montanhas e leitos secos de rios e também parece esperar no deserto por pessoas perdidas que estejam à procura de algo.
  • C As palavras “circunspecta”, “crocitar” e “cacarejar” são palavras que, na tessitura textual, são responsáveis por caracterizar La Loba como mais próxima dos animais que dos seres humanos.
  • D As criaturas-lobo, revividas pelo canto de La Loba, ao saírem correndo pelo desfiladeiro, em algum momento de sua corrida, quer pela velocidade ou quer por terem sido tocadas por algo – como a água, um raio de sol ou de luar – transformam-se em mulheres.
7

Leia com atenção a história mítica “La Loba” escrita por Clarissa Pinkola Estés, com tradução de Waldéa Barcellos, para responder a questão.


La Loba (Adaptado)


Existe uma velha que vive num lugar oculto de que todos sabem, mas que poucos já viram. Como nos contos de fadas da Europa oriental, ela parece esperar que cheguem até ali pessoas que se perderam, que estão vagueando ou à procura de algo.

Ela é circunspecta, quase sempre cabeluda e invariavelmente gorda, e demonstra especialmente querer evitar a maioria das pessoas. Ela sabe crocitar e cacarejar, apresentando geralmente mais sons animais do que humanos. (...)

O único trabalho de La Loba é o de recolher ossos. Sabe-se que ela recolhe e conserva especialmente o que corre o risco de se perder para o mundo. Sua caverna é cheia dos ossos de todos os tipos de criaturas do deserto: o veado, a cascavel, o corvo. Dizem, porém, que sua especialidade reside nos lobos.

Ela se arrasta sorrateira e esquadrinha as montanhas (...), leitos secos de rios, à procura de ossos de lobos e, quando consegue reunir um esqueleto inteiro, quando o último osso está no lugar e a bela escultura branca da criatura está disposta à sua frente, ela senta junto ao fogo e pensa na canção que irá cantar.

Quando se decide, ela se levanta e aproxima-se da criatura, ergue seus braços sobre o esqueleto e começa a cantar. É aí que os ossos das costelas e das pernas do lobo começam a se forrar de carne, e que a criatura começa a se cobrir de pelos. La Loba canta um pouco mais, e uma proporção maior da criatura ganha vida. Seu rabo forma uma curva para cima, forte e desgrenhado.

La Loba canta mais, e a criatura-lobo começa a respirar. E La Loba ainda canta, com tanta intensidade que o chão do deserto estremece, e enquanto canta, o lobo abre os olhos, dá um salto e sai correndo pelo desfiladeiro.

Em algum ponto da corrida, quer pela velocidade, por atravessar um rio respingando água, quer pela incidência de um raio de sol ou de luar sobre seu flanco, o lobo de repente é transformado numa mulher que ri e corre livre na direção do horizonte.

Por isso, diz-se que, se você estiver perambulando pelo deserto, por volta do pôr-do-sol, e quem sabe esteja um pouco perdido, cansado, sem dúvida você tem sorte, porque La Loba pode simpatizar com você e lhe ensinar algo — algo da alma.

(Fonte: ESTÉS, Clarissa Pinkola. Mulheres que correm com os lobos. Mitos e histórias do arquétipo da mulher selvagem. Tradução Waldéa Barcellos. Rio de Janeiro: Editora Rocco, 1994, pg. 43-44.)

Com base na análise textual da história “La Loba”, analise as afirmativas abaixo e assinale a alternativa correta.


I. Os dois primeiros parágrafos da história podem ser caracterizados como descritivos pelo fato de o narrador ter como prioridade a caracterização da personagem, marcando, assim, a inexistência de progressão temporal.

II. O trecho “Quando se decide, ela se levanta e aproxima-se da criatura, ergue seus braços sobre o esqueleto e começa a cantar. É aí que os ossos das costelas e das pernas do lobo começam a se forrar de carne, e que a criatura começa a se cobrir de pelos”, pode ser caracterizado como narrativo pela existência de uma progressão temporal.

III. A história pode ser compreendida como um texto argumentativo visto que defende um mito e conta com a descrição e a narração estratégias argumentativas para sustentar a existência de La Loba.

IV. O texto acima apresenta uma unidade de sentido, pois apresenta progressão temporal, encadeamento lógico e centralidade temática, podendo, assim, ser caracterizado como dissertativo.


Estão corretas as afirmativas:

  • A I, II e III apenas.
  • B I e II apenas.
  • C III apenas.
  • D III e IV apenas.
8

Leia com atenção a história mítica “La Loba” escrita por Clarissa Pinkola Estés, com tradução de Waldéa Barcellos, para responder a questão.


La Loba (Adaptado)


Existe uma velha que vive num lugar oculto de que todos sabem, mas que poucos já viram. Como nos contos de fadas da Europa oriental, ela parece esperar que cheguem até ali pessoas que se perderam, que estão vagueando ou à procura de algo.

Ela é circunspecta, quase sempre cabeluda e invariavelmente gorda, e demonstra especialmente querer evitar a maioria das pessoas. Ela sabe crocitar e cacarejar, apresentando geralmente mais sons animais do que humanos. (...)

O único trabalho de La Loba é o de recolher ossos. Sabe-se que ela recolhe e conserva especialmente o que corre o risco de se perder para o mundo. Sua caverna é cheia dos ossos de todos os tipos de criaturas do deserto: o veado, a cascavel, o corvo. Dizem, porém, que sua especialidade reside nos lobos.

Ela se arrasta sorrateira e esquadrinha as montanhas (...), leitos secos de rios, à procura de ossos de lobos e, quando consegue reunir um esqueleto inteiro, quando o último osso está no lugar e a bela escultura branca da criatura está disposta à sua frente, ela senta junto ao fogo e pensa na canção que irá cantar.

Quando se decide, ela se levanta e aproxima-se da criatura, ergue seus braços sobre o esqueleto e começa a cantar. É aí que os ossos das costelas e das pernas do lobo começam a se forrar de carne, e que a criatura começa a se cobrir de pelos. La Loba canta um pouco mais, e uma proporção maior da criatura ganha vida. Seu rabo forma uma curva para cima, forte e desgrenhado.

La Loba canta mais, e a criatura-lobo começa a respirar. E La Loba ainda canta, com tanta intensidade que o chão do deserto estremece, e enquanto canta, o lobo abre os olhos, dá um salto e sai correndo pelo desfiladeiro.

Em algum ponto da corrida, quer pela velocidade, por atravessar um rio respingando água, quer pela incidência de um raio de sol ou de luar sobre seu flanco, o lobo de repente é transformado numa mulher que ri e corre livre na direção do horizonte.

Por isso, diz-se que, se você estiver perambulando pelo deserto, por volta do pôr-do-sol, e quem sabe esteja um pouco perdido, cansado, sem dúvida você tem sorte, porque La Loba pode simpatizar com você e lhe ensinar algo — algo da alma.

(Fonte: ESTÉS, Clarissa Pinkola. Mulheres que correm com os lobos. Mitos e histórias do arquétipo da mulher selvagem. Tradução Waldéa Barcellos. Rio de Janeiro: Editora Rocco, 1994, pg. 43-44.)

De acordo com o texto e a Norma Culta da Língua Portuguesa, assinale a alternativa correta:
  • A No trecho “e a bela escultura branca da criatura está disposta à sua frente”, o acento grave é facultativo no termo destacado.
  • B No trecho “Por isso, diz-se que, se você estiver perambulando pelo deserto”, as palavras destacadas desempenham mesma função sintática”.
  • C Nos trechos “quando o último osso”, “quer pela incidência” e “um rio respingando água”, as palavras destacadas recebem acento gráfico devido à mesma regra gramatical.
  • D No trecho “Sabe-se que ela recolhe e conserva especialmente o que corre o risco de se perder para o mundo”, as palavras destacadas têm a mesma classificação morfológica.
9

De acordo com a leitura atenta do cartaz publicado abaixo e com a Norma Padrão da Língua Portuguesa, analise as afirmativas abaixo e assinale a alternativa correta:



I. A partir da análise textual do cartaz acima, é correto dizer que, com exceção do gato e do cachorro expostos na primeira coluna, todos os donos dos animais foram responsáveis por abandoná-los.

II. Na frase “A culpa não é deles. É de quem os abandonou” os termos destacados retomam termos enunciados no texto e têm o mesmo referente.

III. Na frase “A minha dona é alérgica” o termo destacado é um predicativo do objeto.

IV. A oração “Roí um sapato” é formada, sintaticamente, por um verbo transitivo direto e um objeto direto.

  • A Apenas as afirmativas I, II e III são corretas.
  • B Apenas as afirmativas II e IV são corretas.
  • C Apenas as afirmativas III e IV são corretas.
  • D Apenas a afirmativa IV está correta.
10

Leia atentamente a notícia e o artigo de opinião abaixo para responder a questão.


Texto I

(Adaptado)

Fogo destrói Museu Nacional, mais antigo centro de ciência do País

RIO - Um incêndio de grandes proporções destruiu o acervo do Museu Nacional, na zona norte do Rio, na noite deste domingo, 2. Especializado em história natural e mais antigo centro de ciência do País, o Museu Nacional completou 200 anos em junho em meio a uma situação de abandono. Não houve feridos.

O Corpo de Bombeiros foi acionado às 19h30 e rapidamente chegou ao local, mas, na madrugada de segunda, o fogo permanecia fora de controle. Dois andares foram bastante destruídos, e parte do teto, de madeira, caiu. Segundo o comandante-geral do Corpo de Bombeiros do Rio, o coronel Roberto Robadey, o prédio não corre risco de desabar. As paredes externas do prédio são bastante grossas, diz ele, e, embora antigas, resistiram ao fogo. “Algumas partes internas desabaram”, afirmou.

Segundo informações do canal GloboNews, às 3h desta segunda-feira, já havia sido iniciado pelos Bombeiros o trabalho de rescaldo após apagar os últimos focos do incêndio. A equipe que trabalha no local trata de resfriar os escombros para, em seguida, fazer uma avaliação do estado do edifício e, finalmente, adentrar o museu.

O comandante dos bombeiros contou também que os dois hidrantes existentes ao redor do imóvel não funcionaram. Por isso, o combate ao fogo começou com atraso. (...)

Segundo Robadey, o prédio não tinha um sistema adequado de proteção contra incêndios. A legislação que exige esse tipo de estrutura é de 1976, quando o prédio já tinha mais de cem anos. Conforme o comandante dos bombeiros, há cerca de um mês representantes do museu procuraram os bombeiros para tratar da instalação de um sistema de proteção contra incêndios.

“Não vai sobrar praticamente nada. Todo o prédio foi atingido. Um absurdo o descaso e abandono que estava esse museu icônico. É como se queimassem o Louvre ou o Museu de História Natural de Londres”, lamentou o vice-diretor do Museu Nacional, Luiz Fernando Dias Duarte. (...)

(Fonte: o Estado de São Paulo)


Texto II

(Adaptado)

Incêndio do Museu Nacional foi um crime

JOSÉ NÊUMANNE, O Estado de S.Paulo

Os 20 milhões de itens expostos ao público, objetos de pesquisa e testemunhas à mão da memória e da História do Brasil, ainda ardiam no incêndio que devastou o Museu Nacional da Quinta da Boa Vista, por não haver água nos hidrantes do prédio enquanto vários oportunistas já vinham à tona para se aproveitarem da tragédia.

O esqueleto de Luzia, a mulher mais antiga do continente, resistente a 12 mil anos de intempéries, era apenas uma imagem virtual quando os repórteres dos telejornais, enfrentando a desinformação absoluta com a necessidade de falar alguma coisa, noticiaram que a polícia terá de descobrir e revelar se o incêndio foi acidental ou criminoso. (...) Minhas senhoras, meus senhores, o que se assistiu na noite de domingo passado foi ao assassinato sem piedade de milhares de anos da História do País e da humanidade pelas castas que dilapidam há séculos o patrimônio público. A documentação do registro da passagem do mamífero bípede, impropriamente definido como racional, e da identidade nacional de uma pretensa civilização, instalada nestes tristes trópicos em substituição à barbárie dos silvícolas, anterior a ela, virou cinzas molhadas pelos jatos impotentes de uma (!) escada de bombeiros jorrando água suficiente para apagar uma fogueira junina, se muito.

(...)

O ministro da Cultura, Sérgio de Sá Leitão, disse que “certamente a tragédia poderia ter sido evitada”, numa tentativa absurda de transferir apenas para os governos anteriores as causas do desastre, que, segundo Walter Neves, antropólogo que pesquisava o esqueleto de Luzia, foi “anunciado”. A culpa não é apenas do governo atual, é claro, mas é principalmente deste. Leitão age como um sujeito que cai do décimo andar, sai caminhando e pergunta aos transeuntes o que aconteceu. E ninguém foi demitido! (...)

(Fonte: o Estado de São Paulo)



A partir da leitura atenta dos dois textos acima, analise as afirmativas abaixo e assinale a alternativa correta.


I. O objetivo principal do texto 1 é o de informar o leitor, o que é conseguido pelo predomínio de trechos argumentativos em relação aos narrativos.

II. No último parágrafo do texto 1, há um trecho argumentativo enunciado pelo vice-diretor do Museu Nacional, que, por meio do discurso direto, opina sobre o fato ocorrido.

III. O texto 2 é marcado pela enunciação subjetiva, que intenciona, por meio de estratégias argumentativas, expor uma convicção, um julgamento, do seu autor.

IV. A transcrição literal da fala do ministro da Cultura é utilizada, no último parágrafo do texto 2, como estratégia argumentativa pelo autor do texto, já que, assim como Sérgio de Sá Leitão, ele culpabiliza os governos anteriores e o atual pelo incêndio ocorrido.

  • A Apenas as afirmativas I, III estão corretas.
  • B Apenas as afirmativas II e III estão corretas.
  • C Apenas as afirmativas II e IV estão corretas.
  • D Apenas as afirmativas III e IV estão corretas.
11

            João Cruz e Sousa (1861 - 1898), lançador do Simbolismo no Brasil, é situado, por alguns estudiosos, junto de Mallarmé e Stefan George, entre os três maiores simbolistas do mundo, formando a “grande tríade harmoniosa”.

            Além de ter uma boa apresentação física, era um homem extremamente culto e elogiado por seus mestres. Mas nada disso, para as pessoas da época, superava o fato de ser negro, o que lhe causou sérios problemas.

            Em vida, sofreu muito e não conheceu o sucesso. Mudou-se de Santa Catarina (seu estado natal) para o Rio de Janeiro e, com muito empenho, chegou a ser arquivista da Central do Brasil, cargo que lhe garantia subsistência e não valorizava sequer um décimo de sua capacidade intelectual. Terminou atacado pela “doença dos poetas”, a tuberculose, que matou, junto com ele, toda sua família.

            É nesse ambiente de dor que nasce sua incrível obra, onde transparecem a melancolia e a revolta, porém com versos magicamente ricos e sonoros. Arte é a palavra-chave. Arte libertária, ansiosa, criativa, que foge dos padrões métricos sem perder a classe e a musicalidade. Cruz e Sousa é, sem dúvida, um dos maiores expoentes da poesia brasileira. Entre suas obras estão Missal, Broquéis, Os Faróis e Últimos Sonetos, todos livros de poesia.

(brasilescola.uol.com.br/biografa/joao-cruz-sousa)

A expressão sublinhada do texto apresenta um pronome enclítico. De acorco com a norma gramatical de seu uso, a ênclise ocorre:
  • A nos períodos iniciados por verbos (desde que não estejam no tempo futuro), isto porque na linguagem padrão da língua não é apropriado iniciar frase com pronome oblíquo.
  • B nas orações iniciadas por verbos acompanhados de pronome refexivo seguido de preposição.
  • C somente em frases afirmativas no pretérito perfeito.
  • D quando há a partícula apassivadora “se” porque na linguagem culta essa formação é gramaticalmente correta.
12

            João Cruz e Sousa (1861 - 1898), lançador do Simbolismo no Brasil, é situado, por alguns estudiosos, junto de Mallarmé e Stefan George, entre os três maiores simbolistas do mundo, formando a “grande tríade harmoniosa”.

            Além de ter uma boa apresentação física, era um homem extremamente culto e elogiado por seus mestres. Mas nada disso, para as pessoas da época, superava o fato de ser negro, o que lhe causou sérios problemas.

            Em vida, sofreu muito e não conheceu o sucesso. Mudou-se de Santa Catarina (seu estado natal) para o Rio de Janeiro e, com muito empenho, chegou a ser arquivista da Central do Brasil, cargo que lhe garantia subsistência e não valorizava sequer um décimo de sua capacidade intelectual. Terminou atacado pela “doença dos poetas”, a tuberculose, que matou, junto com ele, toda sua família.

            É nesse ambiente de dor que nasce sua incrível obra, onde transparecem a melancolia e a revolta, porém com versos magicamente ricos e sonoros. Arte é a palavra-chave. Arte libertária, ansiosa, criativa, que foge dos padrões métricos sem perder a classe e a musicalidade. Cruz e Sousa é, sem dúvida, um dos maiores expoentes da poesia brasileira. Entre suas obras estão Missal, Broquéis, Os Faróis e Últimos Sonetos, todos livros de poesia.

(brasilescola.uol.com.br/biografa/joao-cruz-sousa)

[...] cargo que lhe garantia subsistência e não valorizava sequer um décimo de sua capacidade intelectual [...] Observe as conjugações e classificações feitas a partir do trecho acima e assinale a alternativa incorreta.
  • A cargo que lhe garantiu subsistência e não valorizou um décimo de sua capacidade intelectual. (pretérito perfeito).
  • B cargo que lhe garantiria subsistência e não valorizaria um décimo de sua capacidade intelectual. (futuro do presente).
  • C cargo que lhe garantia subsistência e não valorizava um décimo de sua capacidade intelectual. (pretérito imperfeito).
  • D cargo que lhe garantira subsistência e não valorizara um décimo de sua capacidade intelectual. (pretérito mais-que-perfeito).
13

VIA LÁCTEA

Soneto XIII


“Ora (direis) ouvir estrelas! Certo

Perdeste o senso!” E eu vos direi, no entanto,

Que, para ouvi-las, muita vez desperto

E abro as janelas, pálido de espanto...


E conversamos toda a noite, enquanto

A via láctea, como um pálio aberto,

Cintila. E, ao vir do sol, saudoso e em pranto,

Inda as procuro pelo céu deserto.


Direis agora: “Tresloucado amigo!

Que conversas com elas? Que sentido

Tem o que dizem, quando estão contigo?”


E eu vos direi: “Amai para entendê-las!

Pois só quem ama pode ter ouvido

Capaz de ouvir e de entender estrelas.”

Olavo Bilac

“Direis agora: ‘Tresloucado amigo!’” A expressão destacada tem função sintática de :
  • A Aposto
  • B Agente da Passiva
  • C Sujeito Determinado
  • D Vocativo
14

VIA LÁCTEA

Soneto XIII


“Ora (direis) ouvir estrelas! Certo

Perdeste o senso!” E eu vos direi, no entanto,

Que, para ouvi-las, muita vez desperto

E abro as janelas, pálido de espanto...


E conversamos toda a noite, enquanto

A via láctea, como um pálio aberto,

Cintila. E, ao vir do sol, saudoso e em pranto,

Inda as procuro pelo céu deserto.


Direis agora: “Tresloucado amigo!

Que conversas com elas? Que sentido

Tem o que dizem, quando estão contigo?”


E eu vos direi: “Amai para entendê-las!

Pois só quem ama pode ter ouvido

Capaz de ouvir e de entender estrelas.”

Olavo Bilac

Observe:

I. “E abro as janelas...” 4º verso

II. “Capaz de ouvir e entender estrelas” Último verso

III. “Inda as procuro pelo céu deserto.” 8º verso

IV. “A via láctea, como um pálio aberto, cintila.” 6º verso

Assinale a alternativa que apresenta, respectivamente, as funções sintáticas dos termos destacados.

  • A objeto direto, objeto direto, adjunto adverbial, aposto.
  • B adjunto adverbial, objeto indireto, aposto, vocativo.
  • C vocativo, predicativo do sujeito, adjunto adnominal, objeto indireto.
  • D objeto direto, complemento verbal, adjunto adverbial, objeto direto.
15

VIA LÁCTEA

Soneto XIII


“Ora (direis) ouvir estrelas! Certo

Perdeste o senso!” E eu vos direi, no entanto,

Que, para ouvi-las, muita vez desperto

E abro as janelas, pálido de espanto...


E conversamos toda a noite, enquanto

A via láctea, como um pálio aberto,

Cintila. E, ao vir do sol, saudoso e em pranto,

Inda as procuro pelo céu deserto.


Direis agora: “Tresloucado amigo!

Que conversas com elas? Que sentido

Tem o que dizem, quando estão contigo?”


E eu vos direi: “Amai para entendê-las!

Pois só quem ama pode ter ouvido

Capaz de ouvir e de entender estrelas.”

Olavo Bilac

Assinale a alternativa que apresenta uma breve análise da obra e siga corretamente as regras de pontuação, concordância e regência da Língua Portuguesa.
  • A O título do poema, é numérico porque é parte integrante de uma coletânea de vinte e cinco sonetos e possuem como título central Via Láctea : um nome metafórico que representa a quem ama.
  • B É uma Obra Parnasiana o qual se apresenta sob forma de conversa. Isto é, verifcado ao observar com o uso da segunda pessoa do discurso em vários versos do poema, como por exemplo: “Ora (direis) ouvir estrelas! Certo perdeste o senso!”
  • C A mensagem principal do texto aparece sintetizada na última estrofe da obra. Nela, infere-se que o poeta apresenta o foco temático com um parecer pessoal e subjetivo; observa-se que as ações ali contidas só serão possíveis para um ser apaixonado.
  • D Na 2ª estrofe há a presença, de expressões que marca características de seres enamorados, que por esta razão passa horas a fio a contemplar o céu estrelado, como se pudessem conversa com os astros .

Enfermagem

16
Os pacotes de procedimentos são elaborados por levantamento e descrição de todos os itens utilizados para realização dos mesmos, apresentando vantagens e desvantagens para as operadoras de planos de saúde e prestadores de serviço. Para a operadora de planos de saúde, uma das desvantagens para implantação dos sistemas de pacotes de procedimentos é:
  • A Caso não seja bem negociado, pode haver perda de pacientes com complicações e de procedimentos de alto custo
  • B Diminuição de eventuais conflitos entre operadora e instituição de saúde
  • C Diminuição da mão de obra na análise de contas hospitalares
  • D Os custos podem estar mais altos do que o realmente praticados pela rede credenciada
17

A auditoria operacional no sistema público brasileiro, consiste na realização de atividades voltadas para controle das ações desenvolvidas pela rede de serviços do Sistema Único de Saúde. A esse respeito, analise as afirmativas abaixo, dê valores Verdadeiro (V) ou Falso (F).


( ) O sistema de saúde opera de maneira centralizada na esfera do governo federal.

( ) No setor público, existe o controle externo, sendo exercido pelos Tribunais de Contas, por meio das auditorias operacionais.

( ) O sistema de saúde opera de maneira descentralizada nas três esferas de governo.

( ) Em nível federal, executam-se ações e serviços de abrangência nacional, com análise das aplicações de recursos transferidos aos estados e municípios.


Assinale a alternativa que apresenta a sequência correta de cima para baixo.

  • A V,V,F,V
  • B F,V,V,V
  • C V,F,F,F
  • D F,V,F,V
18
Considerando a regulamentação da auditoria de enfermagem, leia as afirmativas abaixo e a seguir assinale a alternativa correta. I. A auditoria na área de enfermagem é prevista na Lei no . 7.498/1986, que dispõe sobre regulamentação do exercício da enfermagem. II. A Resolução do Conselho Federal de Enfermagem (COFEN) no 260/2001 fixa a Auditoria como uma Especialidade de Enfermagem, de competência do Enfermeiro. III. De acordo com a Resolução do Conselho Federal de Enfermagem (COFEN) no 266/2001, o Enfermeiro auditor tem direito de acesso ao prontuário do paciente, devendo registrar seu nome completo e número do registro junto ao Conselho Regional de Enfermagem (COREN), e interferir, quando necessário, nos registros de enfermagem e da equipe multiprofissional. IV. De acordo com a Resolução do Conselho Federal de Enfermagem (COFEN) no 266/2001, o Enfermeiro Auditor, no cumprimento de sua função, tem o direito de visitar e entrevistar o paciente com objetivo de constatar a satisfação do mesmo com serviço prestado bem como a qualidade. Se necessário, também pode acompanhar procedimentos realizados.
  • A Apenas a afirmativa IV está correta
  • B As afirmativas I, II e IV estão corretas
  • C As afirmativas I, II, III e IV estão corretas
  • D As afirmativas III e IV estão corretas
  • E Apenas as afirmativas I e II estão corretas
19
Todo prontuário médico deverá ser arquivado no mínimo por ___________ e, nos casos de hospitais maternidade, os prontuários de parto deverão ser arquivados por ____________ conforme estabelecido no Estatuto da Criança e do Adolescente. Decorrido esses prazos, os originais podem ser substituídos por métodos de registro capazes de assegurar a restauração plena das informações nele contidas. Assinale a alternativa que completa correta e respectivamente as lacunas.
  • A 5 anos; 18 anos
  • B 10 anos; 35 anos
  • C 15 anos; 70 anos
  • D 25 anos; 25 anos
  • E 20 anos; 21 anos
20
Sobre os limites de tolerância para ruído, assinale a alternativa correta.
  • A 8 horas é a exposição máxima diária permitida para um nível de ruído de até 115 decibeis
  • B 6 horas é a exposição máxima diária permitida para um nível de ruído de até 110 decibeis
  • C 8 horas é a exposição máxima diária permitida para um nível de ruído de até 100 decibeis
  • D 1 hora é a exposição máxima diária permitida para um nível de ruído de até 123 decibeis
  • E 6 horas é a exposição máxima diária permitida para um nível de ruído de até 87 decibeis
21
____________ é o serviço de auditoria realizado por profissional enfermeiro contratado pela operadora de planos de saúde. É responsável pela auditoria realizada dentro das instalações dos prestadores de serviço, pela análise de contas hospitalares, após a alta do paciente. Assinale a alternativa que completa corretamente a lacuna.
  • A Auditoria de Enfermagem Interna “in loco”
  • B Auditoria de Enfermagem Interna na Operadora de Planos de Saúde
  • C Auditoria de Enfermagem Externa na Operadora de Planos de Saúde
  • D Auditoria de Enfermagem Interna no faturamento
  • E Auditoria de Enfermagem Externa em educação continuada
22
O Relatório de Saída Efetivo do Sistema de Informações Hospitalares (SIH/SUS) é um grupo constituído por documentos de consulta obrigatória, que retrata o perfil da atividade, serviço ou unidade auditada, sendo um exemplo o:
  • A Relatório de Créditos Bancários Efetuados (relatório extraído pelo gestor municipal ou estadual após cada processamento
  • B Relatório Frequência de Procedimentos – TAB (pode ser extraído utilizando o programa TABWIN ou Planilha Eletrônica)
  • C Relatório da Situação da Produção Ambulatorial (relatório extraído pelo gestor municipal ou estadual após cada processamento)
  • D Relatório Síntese de Produção da Autorização de Procedimentos Ambulatoriais de Alta Complexidade/ Custo - Apac (relatório extraído pelo gestor municipal ou estadual após cada processamento)
  • E Relatório de Acompanhamento da Programação Físico-Orçamentária (pode ser extraído utilizando o programa CADSIA)
23
As manchas na pele decorrentes de hemorragia são denominadas púrpuras. De acordo com a extensão, podem ser denominadas ___________, quando têm até cerca de 3 cm de dimensão. Assinale a alternativa que completa corretamente a lacuna.
  • A Petéquias
  • B Equimoses
  • C Sufusões
  • D Hematúria
  • E Hemartrose
24
Assinale a alternativa correta. A evolução da auditoria no Brasil está relacionada, primariamente, com a instalação das empresas de origem estrangeiras de auditorias independentes, por conta de seus investimentos. No setor público da saúde, antes de 1976, as atividades eram realizadas:
  • A Pelos supervisores do Instituto Nacional de Previdência Social por meio de apurações em prontuários de pacientes e em contas hospitalares, não havendo auditorias diretas em hospitais
  • B Pelos auditores do Sistema Nacional de Auditoria por meio de fscalização dos prestadores de serviços de saúde existentes no país
  • C Pelos auditores do Departamento Nacional de Auditoria do SUS (DENASUS) por meio de fscalização e controle das contas hospitalares
  • D Pelos consultores da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) por meio de criação de normas, o controle e a fscalização de segmentos de mercado explorados por empresas para assegurar o interesse público
  • E Pelos servidores das Instituto de Aposentadorias e Pensões (IAPs) por meio de criação de normas e controles das empresas de saúde, não havendo auditorias diretas em serviços ambulatoriais, apenas em hospitais
25
Sobre a Neurastenia, que inclui a Síndrome de Fadiga, analise as afirmativas a seguir e assinale a alternativa correta. I. A característica mais marcante da Síndrome de Fadiga relacionada ao trabalho é a presença de fadiga constante, acumulada ao longo de meses ou anos em situações de trabalho em que não há oportunidade de se obter descanso necessário e suficiente. II. A fadiga é referida pelo paciente como sendo constante, como acordar cansado, simultaneamente física e mentalmente, caracterizando uma fadiga geral. III. Outras manifestações importantes são: facilidade de aprofundar o sono, não acorda com facilidade durante a noite ou pela manhã, irritabilidade ou falta de paciência e desanimo durante o dia. IV. Essas manifestações também têm sido associadas à exposição ocupacional a algumas substâncias químicas como: brometo de metila, chumbo, sulfeto de carbono, tolueno, entre outras. Estão corretas as afirmativas:
  • A I, II e IV, apenas
  • B I, II, III e IV
  • C I e II, apenas
  • D I, II e III, apenas
  • E II, III e IV, apenas
26
O Sistema Nacional de Auditoria (SNA) do Sistema Único de Saúde (SUS) utiliza sistemas e redes como ferramentas para obtenção de dados, análise e suporte à realização de auditorias analíticas e auditorias operacionais (in loco). Dos sistemas e redes de informações disponíveis, o Sistema de Informações Ambulatoriais do SUS (SIA/SUS):
  • A Apresenta informações sobre os Programas: Agentes Comunitários de Saúde e Saúde da Família, quanto ao número de nascidos vivos, número de crianças menores de 2 anos, pesadas e vacinadas, as gestantes cadastradas, número de hipertensos, diabéticos, hansenianos e tuberculosos, o número de visitas domiciliares e o número de consultas realizadas por médicos e enfermeiros
  • B Integrada à internet, promove acesso e intercâmbio de informações em saúde para gestão, planejamento e pesquisa aos gestores, agentes e usuários do SUS
  • C Apresenta o número de ambulatórios e hospitais existentes, sua produtividade, o tempo médio de fila de espera e de permanência do paciente no hospital, quando são públicos ou credenciados pelo SUS
  • D Informa a capacidade instalada de municípios, isto é, o número de postos de saúde, policlínicas, maternidades, prontos-socorros, consultórios médicos e odontológicos, dentre outros
  • E Disponibiliza dados básicos, indicadores e análises de situação sobre as condições de saúde e suas tendências no País, para melhorar a capacidade operacional de formulação, coordenação e gestão de políticas e ações públicas dirigidas à qualidade de saúde e de vida da população
27
______________ são infamações do tecido próprio dos tendões, com ou sem degeneração de suas fbras. O termo, de ampla abrangência, é aplicável a todo e qualquer processo infamatório dos tendões, em qualquer local do corpo. Assinale a alternativa que completa corretamente a lacuna.
  • A Sinovite
  • B Tendinites
  • C Tenossinovite
  • D Fasciites
  • E Flebite
28
De acordo com o Sistema Nacional de Auditoria (SNA) do Sistema Único de Saúde (SUS) para escolha do percentual que será auditado (amostragem), considerar a representatividade e o quantitativo de Autorizações de Internações Hospitalares (AIH) apresentado. A Unidade com mais de 500 AIH, o percentual a ser auditado será de:
  • A 50%
  • B 20%
  • C 10%
  • D 75%
  • E 100%
29
Existem variadas formas de apresentação de medicamentos. Assinale a alternativa correta que contemple a definição de elixir.
  • A É uma mistura não homogênea de determinada substância sólida e um líquido, em que a parte sólida fica suspensa no líquido
  • B É uma solução que, além do soluto, contém 20% de açúcar e 20% de álcool
  • C É uma solução que contém um soluto e um solvente e 2/3 de açúcar
  • D É composta por dois tipos de líquidos imiscíveis, sendo caracterizados pelo óleo e a água
  • E É uma forma semissólida, coloide, que proporciona absorção rápida
30
O Enfermeiro Auditor deve ter conhecimento sobre os conceitos de custos hospitalares. Considerando os conceitos de custos, correlacione as colunas abaixo, enumerando-as, de cima para baixo, e a seguir assinale a alternativa correta. (1)custos diretos (2)custos indiretos (3)custos variáveis (4)custos fixos ( )Itens de custos que permanecem constantes, mesmo que ocorram alterações de volume de serviços, dentro de uma determinada capacidade de produção. ( )Custos identificados com os centros de custos. Exemplos: pessoal, consumo de medicamentos e materiais. ( )Calculados por meio de rateio. Exemplos: aluguel, energia e água. ( )Custos que variam à mesma proporção do volume de atendimento do hospital.
  • A 4,3,2,1
  • B 1,2,4,3
  • C 3,2,1,4
  • D 4,2,1,3
  • E 4,1,2,3
31
Foi prescrito soro glicosado 7,5% de 500ml para infundir de 6/6 horas. Disponível soro glicosado 5% de 500ml e ampolas de glicose de 10ml a 50%. Serão necessárias ________ ampolas de glicose de 10 ml a 50% para a transformação do soro glicosado de 5% a 7,5%. Assinale a alternativa que completa corretamente a lacuna.
  • A 5
  • B 2
  • C 1,5
  • D 3
  • E 2,5
32
De acordo com as abordagens utilizadas no processo de apuração e análise de custos, é correto afrmar que, a apropriação de custos por centro de custos e o custeio de procedimentos hospitalares representam as duas formas mais usuais de expressão do custo de um serviço gerado por uma instituição hospitalar do sistema de:
  • A Custeio padrão
  • B Custeio indireto
  • C Custeio direto
  • D Custeio baseado em atividade ABC (Activity Based Costing)
  • E Custeio por absorção
33
Sobre a verificação dos sinais vitais, analise as afirmativas a seguir e assinale a alternativa correta. I. Locais mais comuns para verificação da pressão arterial nos membros superiores é na artéria braquial e nos membros inferiores é na artéria poplítea. II. A pressão sistólica representa o grau de resistência periférica, e a diastólica a intensidade da contração ventricular. III. Ortopnéia é a respiração facilitada em posição horizontal. IV. Respiração de Cheyne-Stokes caracteriza-se por aumento gradual na profundidade, seguido por decréscimo gradual na profundidade das respirações e, após, segue-se um período de apnéia. Estão corretas as afirmativas:
  • A I, II, III e IV
  • B I, II e IV, apenas
  • C II e IV, apenas
  • D I e IV, apenas
  • E I e II, apenas
34
Considerando que o Sistema Nacional de Auditoria (SNA) foi instituído no âmbito do Ministério da Saúde, leia as afirmativas a seguir e assinale a alternativa correta. I. Ao SNA compete exclusivamente a avaliação contábil e financeira do Sistema Único de Saúde, que é realizada de forma descentralizada. II. O Sistema Nacional de Auditoria ocorre por meio da centralização das ações realizadas pelo Ministério da Saúde. III. Os órgãos do SNA exercem atividades de controle, avaliação e auditoria nas entidades privadas, com ou sem fins lucrativos, com as quais a respectiva direção do SUS tiver celebrado contrato ou convênio para realização de serviços de assistência à saúde. IV. O Departamento de Controle, Avaliação e Auditoria (DCAA) é o órgão de atuação do SNA, no plano federal.
  • A As afirmativas I, III e IV estão corretas
  • B Apenas as afirmativas III e IV estão corretas
  • C Apenas as afirmativas I e II estão corretas
  • D Apenas a afirmativa I está correta
  • E Apenas a afirmativa IV está correta
35

Sobre vitaminas, analise as afirmativas abaixo, dê valores Verdadeiro (V) ou Falso (F) e assinale a alternativa que apresenta a sequência correta de cima para baixo.


( ) São substâncias orgânicas, necessárias em pequenas quantidades e essenciais para a vida, não sendo sintetizadas pelo corpo.

( ) Normalmente, as vitaminas têm uma função construtora e não reguladora. ( ) As vitaminas hidrossolúvies são A, D, E, K.

( ) As vitaminas lipossolúveis, na maioria das vezes, são absorvidas com outros lipídios e estocadas em vários tecidos corpóreos.

A sequência correta é:

  • A V,F,F,V
  • B V,V,V,V
  • C F,V,V,V
  • D F,F,V,V
  • E F,V,F,V

Regimento Interno

36
As vagas na Câmara Municipal de Feira de Santana surgem mediante extinção ou perda do mandato. A extinção do mandato pode ocorrer em virtude de:
  • A licença para tratamento de saúde
  • B renúncia
  • C exoneração
  • D aposentadoria
37
No que concerne às sessões da Câmara Municipal de Feira de Santana, assinale a alternativa correta:
  • A É facultado à Câmara Municipal mediante deliberação do Plenário, motivada por requerimento de pelo menos metade dos Vereadores, realizar reuniões extraordinárias, depois das sessões ordinárias
  • B É vedado à Câmara Municipal realizar sessões extraordinárias no recesso parlamentar
  • C No recinto do Plenário, durante as sessões, só serão admitidos os Vereadores, funcionários da Câmara Municipal em serviço e profssionais de comunicação credenciados
  • D As sessões ordinárias devem ocorrer em dias úteis, com início às 08:00h (oito) horas, realizadas de segunda a quinta-feira
38
Proposição é toda matéria sujeita à deliberação do Plenário, qualquer que seja o seu objeto. Apresentam-se como modalidades de proposição:
  • A requisições e impedimentos
  • B decretos autônomos e portarias
  • C decretos regulamentares e ordens de serviço
  • D requerimentos e moções
39
Não deve ser aplicada a penalidade de perda de parcela da remuneração ao Vereador:
  • A ausente por motivo de falecimento de parente de terceiro grau
  • B licenciado para tratar de assuntos particulares
  • C licenciado para desempenho de missão temporária de interesse do Município
  • D ausente da sessão, em qualquer hipótese
40
A respeito do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar, assinale a alternativa correta:
  • A Na eleição dos membros titulares e suplentes, por força de razões de ordem ética, é vedado o direito de voto aos candidatos aos respectivos cargos
  • B O Conselho de Ética e Decoro Parlamentar deve ser constituído por 1/3 (um terço) dos membros titulares da Câmara e igual número de suplentes, eleitos para mandato de 02 (dois) anos
  • C Compete ao Conselho de Ética e Decoro Parlamentar zelar pela preservação da dignidade do mandato parlamentar, observados os preceitos estabelecidos neste Regimento Interno
  • D Cabe à Mesa da Câmara providenciar, durante o mês de janeiro, na primeira e segunda sessões legislativas de cada legislatura, a eleição dos membros do Conselho

Raciocínio Lógico

41
“Se uma pessoa dirige embriagada então assume o risco de prejudicar outras pessoas”. Assinale a alternativa que apresenta uma equivalência lógica dessa afirmação:
  • A Se uma pessoa, assume o risco de prejudicar outras pessoas, então dirige embriagada
  • B Se uma pessoa dirige embriagada, então não assume o risco de prejudicar outras
  • C Uma pessoa não dirige embriagada, ou assume o risco de prejudicar outras pessoas
  • D Uma pessoa dirige embriagada, ou não assume o risco de prejudicar outras
42
A lógica proposicional permite operar a construção de equivalências e negações de proposições compostas de maneira objetiva e única. Para tal se divide a proposição composta em proposições elementares e então se opera com os conectivos, e demais operações lógicas como a negação ou a precedência, de maneira única seguindo regras formais (logicamente consistentes e demonstradas verdadeiras, por exemplo a partir da sua verificação nas tabelas-verdade). Dessa forma o emprego da lógica proposicional dentro de um idioma pode gerar construções paradoxais ao se utilizar com palavras que possuem significados antagônicos entre si que sejam relacionadas por conectivos lógicos reforçando esse sentido, por exemplo se construímos a negação. Considere a disjunção exclusiva “Ou uma pessoa é rica ou essa pessoa é pobre”.Assinale a alternativa que identifica corretamente a negação lógica formal desta proposição.
  • A Uma pessoa é rica, se e somente se, essa pessoa é pobre
  • B Uma pessoa que não é rica não é pobre
  • C Se uma pessoa é rica, então essa pessoa é pobre
  • D Uma pessoa não é rica, ou essa pessoa não é pobre
43
O conectivo condicional ( → se ... então ) e o bicondicional (↔, se e somente se) diferenciam-se em suas tabelas verdades por uma linha. Assinale a linha que as diferencia.
  • A V→V = V contra V↔V = V
  • B F→V = V contra F↔V = F
  • C V→F = F contra V↔F = V
  • D F→F = F contra F↔F = V
44
Dentre as proposições condicionais abaixo, assinale a alternativa que apresenta qual corresponde a um exemplo correto de aplicação do método de indução para obtenção da conclusão.
  • A Se os cães desse bairro têm rabo, e cães são quadrúpedes, então, quadrúpedes têm rabo
  • B Se o ônibus passa às 18h e agora é 17h35, então o ônibus passará em 25 minutos
  • C Se Jorge é irmão de José, e José é irmão de João, então Jorge é irmão de João
  • D Se laranjeiras dão laranjas, e quero laranjas em meu quintal, então plantarei laranjeiras no quintal
45

Um casal terá uma criança. Cada um indica três possíveis nomes simples para compor uma lista.

Todos os nomes são diferentes entre si e cada nome pode ser utilizado para ambos os sexos (por exemplo: Adriano e Adriana). Decidem que o nome da criança será um nome composto por dois nomes retirados desta lista. O nome resultante não pode conter repetição e deve ser o mesmo gênero, e a ordem importa - Joana Adriana é diferente de Adriana Joana. Desconsiderando a variação de gênero (ou seja Joana Adriana é o mesmo que João Adriano), assinale a alternativa que indica o total de nomes possíveis.

  • A 9
  • B 18
  • C 30
  • D 72
Voltar para lista