Resolver o Simulado Centrais Elétricas de Santa Catarina (CELESC) - FEPESE - Nível Médio

0 / 30

Matemática

1

Em uma localidade o número de unidades consumidoras com ligação irregular de eletricidade supera o número de unidades com ligação regular em 20%.


Se o número total de unidades consumidoras nesta localidade é de 495, então o número de unidades com ligação irregular é:

  • A Maior que 280.
  • B Maior que 260 e menor que 280.
  • C Maior que 240 e menor que 260.
  • D Maior que 220 e menor que 240.
  • E Menor que 220.
2

Uma empresa irá dividir um bônus de R$ 100.000 entre três funcionários, de maneira diretamente proporcional a sua idade.


Sabendo que as idades dos funcionários são 30, 28 e 22, podemos afirmar que a menor quantia que um funcionário receberá é:

  • A Menor que 20.000.
  • B Maior que 20.000 e menor que 25.000.
  • C Maior que 25.000 e menor que 30.000.
  • D Maior que 30.000 e menor que 35.000.
  • E Maior que 35.000.
3

Em uma linha de montagem, 32 pessoas produzem 120 unidades do produto “A” a cada 6 dias. Logo, quantas pessoas são necessárias para produzir 320 unidades do produto “A” a cada 2 dias?

  • A Menos do que 260.
  • B Mais do que 260 e menos que 290.
  • C Mais do que 290 e menos que 330.
  • D Mais do que 330 e menos que 370.
  • E Mais do que 370.
4

Alfredo tem 7 barras de chocolate, todas de sabores diferentes, e uma caixa onde cabem apenas 3 barras de chocolate. Alfredo decide encher completamente a caixa com suas barras para presentear um amigo.

Se a ordem em que as barras são colocadas na caixa não altera o presente, então o número de presentes diferentes que Alfredo pode criar com 3 de suas barras de chocolate é igual a:

  • A 35
  • B 75
  • C 150
  • D 180
  • E 210
5
Uma pessoa dispõe de 5 tipos de sementes de hortaliças para semear. De quantas maneiras diferentes essa pessoa pode escolher 3 tipos diferentes de semente para fazer uma horta?
  • A 5
  • B 8
  • C 10
  • D 15
  • E 20
6

Um filme tem duração de horas.


João assiste a 1/3 do filme quando tem que parar o filme para atender seu filho.


Quanto tempo falta para João acabar de assistir a seu filme?

  • A 80 minutos.
  • B 90 minutos.
  • C 95 minutos.
  • D 100 minutos.
  • E 110 minutos.
7

Uma função f definida nos números reais é dita injetiva se x ≠ y, então f(x) ≠ f(y).

Considere as afirmativas abaixo:

1. A função f: dada por f(x) = x² é injetiva.

2. Se f é uma função tal que f(x) = f(y) implica que x = y, então, f é injetiva.

3. A função f: dada por f(x) = -2x + 5 é injetiva.

Assinale a alternativa que indica todas as afirmativas corretas.

  • A É correta apenas a afirmativa 3.
  • B São corretas apenas as afirmativas 1 e 2.
  • C São corretas apenas as afirmativas 1 e 3.
  • D São corretas apenas as afirmativas 2 e 3.
  • E São corretas as afirmativas 1, 2 e 3.
8

Uma pessoa decide cercar três lados de um terreno quadrangular (no formato de um quadrado) de área 2500 m2 .


O comprimento mínimo de cerca necessário é:

  • A 150 m.
  • B 200 m.
  • C 500 m.
  • D 1500 m
  • E 2000 m.
9

Para um encontro com amigos Maria encomenda 9 pizzas. O preço unitário de cada pizza é R$ 20,22 e para compras acima de 10 pizzas há um desconto de 8% no total da compra.


Portanto, a diferença entre o custo de Maria comprar 10 pizzas ou 9 pizzas é:

  • A Mais do que R$ 4,5.
  • B Mais do que R$ 4,25 e menos do que R$ 4,5.
  • C Mais do que R$ 4 e menos que R$ 4,25.
  • D Mais do que R$ 3,75 e menos do que R$ 4.
  • E Menos do que R$ 3,75.
10

Para organizar um armazém que contém 1773 caixas, uma empresa decide comprar paletes, de maneira que se formem pilhas de exatamente 9 caixas sobre cada palete.


Portanto, o número de paletes que deve ser comprado é:

  • A Menos do que 195.
  • B Mais do que 195 e menos do que 200.
  • C Mais do que 200 e menos que 205.
  • D Mais do que 205 e menos que 210.
  • E Mais do que 210.

Português

11

O lado bom de não saber


Uma das coisas mais inteligentes que um homem e uma mulher podem saber é saber que não sabem. Aliás, só é possível caminhar em direção à excelência se você souber que não sabe algumas coisas. Pior do que não saber é fingir que sabe. Quando você finge que sabe, impede um planejamento adequado, uma ação coletiva eficaz. Por isso, a expressão “não sei” é um sinal de inteligência. Gente que não tem dúvida não é capaz de inovar, de reinventar, não é capaz de fazer de outro modo; só é capaz de repetir. Claro, você não pode ser alguém que só tem dúvidas, mas não tê-las é sinal de tolice. “Será que estou fazendo do melhor modo? Da maneira mais correta? Será que estou fazendo aquilo que deve e pode ser feito?”

      Só seres que arriscam erram. Não confunda erro com negligência, desatenção e descuido. Ser capaz de arriscar é uma das coisas mais inteligentes para mudar. Quem inventou a lâmpada elétrica de corrente contí- nua foi Thomas Edison, sabemos. O que nem sempre se tem ideia é que ele fez 1.430 experiências antes de chegar à lâmpada que deram errado. Ele inclusive registrou: inventei 1.430 modos de não fazer a lâmpada. Porque é muito importante também saber o que não fazer. Ele aprendeu que o fracasso não acontece quando se erra, mas quando se desiste face ao erro.

      Num mundo competitivo, para caminhar para a excelência é preciso fazer o melhor, no lugar de, vez ou outra, contentar-se com o possível. E isso exige humildade e exige que coloquemos em dúvida as práticas que já tínhamos. Só quem acha que já sabe acaba caindo na armadilha perigosa que é não dar passos adiante.

      Qual o contrário de humildade? Arrogância. Gente arrogante é gente que acha que já sabe, que não precisa aprender, que costuma dizer: “Há dois modos de fazer as coisas, o meu ou o errado. Escolha você”. Arrogância é um perigo porque ela altera inclusive a nossa capacidade de aprender com o outro, de entrar em sintonia. Bons músicos não fazem uma boa orquestra a menos que eles tenham sintonia. E essa sintonia vem quando as pessoas respeitam a atividade que o outro faz e querem atuar de forma integrada. Se há uma coisa que liquida uma orquestra é arrogância.

      Por que com empresa seria diferente?

CORTELLA, M. S. Qual é a tua obra? Inquietações propositivas sobre gestão, liderança e ética. 11. ed. p. 28-31. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010. Adaptado.

Identifique abaixo as afirmativas verdadeiras ( V ) e as falsas ( F ), com base no texto.


( ) O autor tece reflexões sobre facetas do comportamento humano – ter dúvidas, arriscar, errar, aprender –, enfatizando o lado positivo de não saber.

( ) O texto alterna diferentes pessoas do discurso, expressas por diferentes pronomes pessoais: “você”, “gente”, “ele”, “eles”.

( ) O sinal de aspas, nas frases do primeiro e do quarto parágrafo, é usado para representar o discurso direto de alguém que, se expressando na perspectiva da primeira pessoa, tem dúvidas e é arrogante, respectivamente.

( ) As perguntas indicadas com ponto de interrogação, no primeiro e nos dois últimos parágrafos, são todas respondidas ao longo do texto.

( ) O sinal de dois pontos, usado no segundo e no quarto parágrafo, tem a função de introduzir uma enumeração.


Assinale a alternativa que indica a sequência correta, de cima para baixo.

  • A V • V • F • F • F
  • B F • V • V • V • F
  • C V • F • V • F • F
  • D F • F • V • F • V
  • E V • F • F • V • V
12

O lado bom de não saber


Uma das coisas mais inteligentes que um homem e uma mulher podem saber é saber que não sabem. Aliás, só é possível caminhar em direção à excelência se você souber que não sabe algumas coisas. Pior do que não saber é fingir que sabe. Quando você finge que sabe, impede um planejamento adequado, uma ação coletiva eficaz. Por isso, a expressão “não sei” é um sinal de inteligência. Gente que não tem dúvida não é capaz de inovar, de reinventar, não é capaz de fazer de outro modo; só é capaz de repetir. Claro, você não pode ser alguém que só tem dúvidas, mas não tê-las é sinal de tolice. “Será que estou fazendo do melhor modo? Da maneira mais correta? Será que estou fazendo aquilo que deve e pode ser feito?”

      Só seres que arriscam erram. Não confunda erro com negligência, desatenção e descuido. Ser capaz de arriscar é uma das coisas mais inteligentes para mudar. Quem inventou a lâmpada elétrica de corrente contí- nua foi Thomas Edison, sabemos. O que nem sempre se tem ideia é que ele fez 1.430 experiências antes de chegar à lâmpada que deram errado. Ele inclusive registrou: inventei 1.430 modos de não fazer a lâmpada. Porque é muito importante também saber o que não fazer. Ele aprendeu que o fracasso não acontece quando se erra, mas quando se desiste face ao erro.

      Num mundo competitivo, para caminhar para a excelência é preciso fazer o melhor, no lugar de, vez ou outra, contentar-se com o possível. E isso exige humildade e exige que coloquemos em dúvida as práticas que já tínhamos. Só quem acha que já sabe acaba caindo na armadilha perigosa que é não dar passos adiante.

      Qual o contrário de humildade? Arrogância. Gente arrogante é gente que acha que já sabe, que não precisa aprender, que costuma dizer: “Há dois modos de fazer as coisas, o meu ou o errado. Escolha você”. Arrogância é um perigo porque ela altera inclusive a nossa capacidade de aprender com o outro, de entrar em sintonia. Bons músicos não fazem uma boa orquestra a menos que eles tenham sintonia. E essa sintonia vem quando as pessoas respeitam a atividade que o outro faz e querem atuar de forma integrada. Se há uma coisa que liquida uma orquestra é arrogância.

      Por que com empresa seria diferente?

CORTELLA, M. S. Qual é a tua obra? Inquietações propositivas sobre gestão, liderança e ética. 11. ed. p. 28-31. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010. Adaptado.

Identifique abaixo as afirmativas verdadeiras ( V ) e as falsas ( F ), com base no texto.


( ) Na primeira frase do texto, a forma verbal “é” pode ser substituída por “são”, em concordância verbal com o sujeito composto, de acordo com a norma culta da língua.

( ) As palavras “excelência”, “possível” e “contínua” seguem a mesma regra de acentuação gráfica: são paroxítonas terminadas em ditongo crescente.

( ) As palavras “dúvida”, “lâmpada”, “elétrica” e “tínhamos” seguem a mesma regra de acentuação gráfica: são proparoxítonas.

( ) A construção “mas não tê-las é sinal de tolice” (1° parágrafo) pode ser reescrita, em conformidade com a norma culta da língua, como “mas não as ter é sinal de tolice”.

( ) Em “Será que estou fazendo aquilo que deve e pode ser feito?” (1° parágrafo), as formas verbais “deve” e “pode” significam, respectivamente, possibilidade e obrigatoriedade.


Assinale a alternativa que indica a sequência correta, de cima para baixo.

  • A V • V • F • F • F
  • B V • F • F • V • V
  • C F • V • V • V • F
  • D F • F • V • V • F
  • E F • F • V • F • V
13

O lado bom de não saber


Uma das coisas mais inteligentes que um homem e uma mulher podem saber é saber que não sabem. Aliás, só é possível caminhar em direção à excelência se você souber que não sabe algumas coisas. Pior do que não saber é fingir que sabe. Quando você finge que sabe, impede um planejamento adequado, uma ação coletiva eficaz. Por isso, a expressão “não sei” é um sinal de inteligência. Gente que não tem dúvida não é capaz de inovar, de reinventar, não é capaz de fazer de outro modo; só é capaz de repetir. Claro, você não pode ser alguém que só tem dúvidas, mas não tê-las é sinal de tolice. “Será que estou fazendo do melhor modo? Da maneira mais correta? Será que estou fazendo aquilo que deve e pode ser feito?”

      Só seres que arriscam erram. Não confunda erro com negligência, desatenção e descuido. Ser capaz de arriscar é uma das coisas mais inteligentes para mudar. Quem inventou a lâmpada elétrica de corrente contí- nua foi Thomas Edison, sabemos. O que nem sempre se tem ideia é que ele fez 1.430 experiências antes de chegar à lâmpada que deram errado. Ele inclusive registrou: inventei 1.430 modos de não fazer a lâmpada. Porque é muito importante também saber o que não fazer. Ele aprendeu que o fracasso não acontece quando se erra, mas quando se desiste face ao erro.

      Num mundo competitivo, para caminhar para a excelência é preciso fazer o melhor, no lugar de, vez ou outra, contentar-se com o possível. E isso exige humildade e exige que coloquemos em dúvida as práticas que já tínhamos. Só quem acha que já sabe acaba caindo na armadilha perigosa que é não dar passos adiante.

      Qual o contrário de humildade? Arrogância. Gente arrogante é gente que acha que já sabe, que não precisa aprender, que costuma dizer: “Há dois modos de fazer as coisas, o meu ou o errado. Escolha você”. Arrogância é um perigo porque ela altera inclusive a nossa capacidade de aprender com o outro, de entrar em sintonia. Bons músicos não fazem uma boa orquestra a menos que eles tenham sintonia. E essa sintonia vem quando as pessoas respeitam a atividade que o outro faz e querem atuar de forma integrada. Se há uma coisa que liquida uma orquestra é arrogância.

      Por que com empresa seria diferente?

CORTELLA, M. S. Qual é a tua obra? Inquietações propositivas sobre gestão, liderança e ética. 11. ed. p. 28-31. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010. Adaptado.

Considere as frases abaixo:


I. Só é possível caminhar em direção à excelência se você souber que não sabe algumas coisas. (1° parágrafo)

II. Não confunda erro com negligência. (2° parágrafo)

III. Quem inventou a lâmpada elétrica de corrente contínua foi Thomas Edison. (2° parágrafo)

IV. E isso exige humildade e exige que coloquemos em dúvida as práticas que já tínhamos. (3° parágrafo)

V. Bons músicos não fazem uma boa orquestra a menos que eles tenham sintonia. (4° parágrafo)


Agora analise as afirmativas abaixo


1. Em I, as formas verbais “souber” e “sabe” estão conjugadas no futuro do modo subjuntivo e no presente do modo indicativo, respectivamente.

2. Em II e IV, as formas verbais “confunda” e “coloquemos” estão conjugadas no modo imperativo.

3. Em III e IV, as formas verbais “inventou” e “tínhamos” estão conjugadas no pretérito perfeito e no pretérito imperfeito do modo indicativo, respectivamente.

4. Em V, as formas verbais “fazem” e “tenham” estão conjugadas no presente do modo subjuntivo.

5. Em IV e V, as formas verbais “coloquemos” e “tenham” podem ser substituídas por “colocamos” e “têm”, sem prejuízo de significado temporal e sem desvio da norma culta da língua.


Assinale a alternativa que indica todas as afirmativas corretas.

  • A São corretas apenas as afirmativas 1 e 2.
  • B São corretas apenas as afirmativas 1 e 3.
  • C São corretas apenas as afirmativas 3 e 5.
  • D São corretas apenas as afirmativas 1, 2 e 4.
  • E São corretas apenas as afirmativas 3, 4 e 5.
14

O lado bom de não saber


Uma das coisas mais inteligentes que um homem e uma mulher podem saber é saber que não sabem. Aliás, só é possível caminhar em direção à excelência se você souber que não sabe algumas coisas. Pior do que não saber é fingir que sabe. Quando você finge que sabe, impede um planejamento adequado, uma ação coletiva eficaz. Por isso, a expressão “não sei” é um sinal de inteligência. Gente que não tem dúvida não é capaz de inovar, de reinventar, não é capaz de fazer de outro modo; só é capaz de repetir. Claro, você não pode ser alguém que só tem dúvidas, mas não tê-las é sinal de tolice. “Será que estou fazendo do melhor modo? Da maneira mais correta? Será que estou fazendo aquilo que deve e pode ser feito?”

      Só seres que arriscam erram. Não confunda erro com negligência, desatenção e descuido. Ser capaz de arriscar é uma das coisas mais inteligentes para mudar. Quem inventou a lâmpada elétrica de corrente contí- nua foi Thomas Edison, sabemos. O que nem sempre se tem ideia é que ele fez 1.430 experiências antes de chegar à lâmpada que deram errado. Ele inclusive registrou: inventei 1.430 modos de não fazer a lâmpada. Porque é muito importante também saber o que não fazer. Ele aprendeu que o fracasso não acontece quando se erra, mas quando se desiste face ao erro.

      Num mundo competitivo, para caminhar para a excelência é preciso fazer o melhor, no lugar de, vez ou outra, contentar-se com o possível. E isso exige humildade e exige que coloquemos em dúvida as práticas que já tínhamos. Só quem acha que já sabe acaba caindo na armadilha perigosa que é não dar passos adiante.

      Qual o contrário de humildade? Arrogância. Gente arrogante é gente que acha que já sabe, que não precisa aprender, que costuma dizer: “Há dois modos de fazer as coisas, o meu ou o errado. Escolha você”. Arrogância é um perigo porque ela altera inclusive a nossa capacidade de aprender com o outro, de entrar em sintonia. Bons músicos não fazem uma boa orquestra a menos que eles tenham sintonia. E essa sintonia vem quando as pessoas respeitam a atividade que o outro faz e querem atuar de forma integrada. Se há uma coisa que liquida uma orquestra é arrogância.

      Por que com empresa seria diferente?

CORTELLA, M. S. Qual é a tua obra? Inquietações propositivas sobre gestão, liderança e ética. 11. ed. p. 28-31. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010. Adaptado.

De acordo com o texto, o autor defende que:

  • A pessoas que acham que já estão prontas não precisam se submeter a mudanças.
  • B uma boa dose de humildade e de arrogância deve fazer parte da vida de todas as pessoas empreendedoras.
  • C em caso de dúvida, o melhor é não arriscar, pois a incerteza passa uma imagem de negligência.
  • D num mundo competitivo, fingir saber solucionar os problemas demonstra segurança e credibilidade.
  • E reconhecer o desconhecimento sobre certas coisas é sinal de inteligência e um passo para agir de forma diferente.
15

Leia o excerto abaixo.


Ele faz parte da crônica “A outra noite” de Rubem Braga.


A outra noite.


Outro dia fui a São Paulo e resolvi voltar à noite, uma noite de vento sul e chuva, tanto lá como aqui. Quando vinha para casa de táxi, encontrei um amigo e o trouxe até Copacabana; e contei a ele que lá em cima, além das nuvens, estava um luar lindo, de lua cheia; e que as nuvens feias que cobriam a cidade eram, vistas de cima, enluaradas, colchões de sonho, alvas, uma paisagem irreal.

Assinale a alternativa correta.

  • A As palavras: “chapéus, ideia, glúten, tábua, papéis e leem” não apresentam erro quanto à acentuação gráfica.
  • B A crase na expressão “Fui à São Paulo” é optativa, assim o autor optou por não usar.
  • C As palavras “lá” e “além” possuem a mesma justificativa para receberem acento gráfico.
  • D As nuvens estavam pouco espessas e permitiam ao narrador visualizar o céu acima delas.
  • E As palavras “Copacabana, paisagem e enluaradas” são proparoxítonas.
16

Leia o texto.


Memória:

Otto Lara Resende ou

a importância da leitura


As três coisas que mais fez na vida foram, pela ordem, ler jornais, escrever cartas e falar ao telefone.

Em 1975 confessava: “De uns anos para , leio jornais e revistas como verdadeiro louco. Qualquer junta médica me internaria se verificasse o tempo, o sono que perco com essa leitura perfeitamente dispensável. Gostei muito quando li no diário de João XXIII que a leitura de jornal é frívola. O Papa lia, mas era doido para parar. Como eu, que eu no duro não quero parar. Quero diminuir.”

Acordava cedo, antes do galo, quando havia galo. Lia os jornais, todos os jornais do Rio e de São Paulo, antes do café. Telefonava, em seguida, a alguns amigos, já indignado com os fatos ou com os jornais. Amava a Deus sobre todas as coisas e o Brasil abaixo de Deus.

Depois de escrever e reescrever o artigo para a Folha, continuava na velha máquina Olivetti a bater, desesperadamente, cartas e mais cartas. Para os amigos com quem não tinha conseguido falar e sobretudo com quem tinha acabado de falar. Escrever, escrever, escrever. “Vivo, sobrevivo, dizia, porque tenho esse recado, esse telegrama a entregar”.

in. Enani &Nicola. Redação para o 2°grau.

Assinale a alternativa em que a pontuação foi corretamente empregada.

  • A Imagine amiga, quem é que veio aqui visitar com alegria, essa família linda?
  • B Apesar de toda a atenção do funcionário o fato passou, despercebido a todos, que estavam no Departamento naquele dia.
  • C No inverno, através de vidros nas casas de Fraiburgo vê-se o vento frio chicotear, as árvores frondosas!
  • D Os funcionários da Prefeitura de Fraiburgo, voltam hoje para casa mais cedo, pois o prédio será dedetizado.
  • E O escritor, Otto Lara Resende, deixou-nos um vasto legado de artigos, contos e romances.
17

Leia o texto.


Memória:

Otto Lara Resende ou

a importância da leitura


As três coisas que mais fez na vida foram, pela ordem, ler jornais, escrever cartas e falar ao telefone.

Em 1975 confessava: “De uns anos para , leio jornais e revistas como verdadeiro louco. Qualquer junta médica me internaria se verificasse o tempo, o sono que perco com essa leitura perfeitamente dispensável. Gostei muito quando li no diário de João XXIII que a leitura de jornal é frívola. O Papa lia, mas era doido para parar. Como eu, que eu no duro não quero parar. Quero diminuir.”

Acordava cedo, antes do galo, quando havia galo. Lia os jornais, todos os jornais do Rio e de São Paulo, antes do café. Telefonava, em seguida, a alguns amigos, já indignado com os fatos ou com os jornais. Amava a Deus sobre todas as coisas e o Brasil abaixo de Deus.

Depois de escrever e reescrever o artigo para a Folha, continuava na velha máquina Olivetti a bater, desesperadamente, cartas e mais cartas. Para os amigos com quem não tinha conseguido falar e sobretudo com quem tinha acabado de falar. Escrever, escrever, escrever. “Vivo, sobrevivo, dizia, porque tenho esse recado, esse telegrama a entregar”.

in. Enani &Nicola. Redação para o 2°grau.

Assinale a alternativa correta.

  • A Na frase “Lia os jornais”, o termo sublinhado é sujeito composto.
  • B Na frase “Qualquer junta médica me internaria se verificasse o tempo”, a expressão sublinhada é um predicado nominal do sujeito “qualquer junta médica”.
  • C Na frase “Acordava cedo”, o sujeito está oculto.
  • D Na frase: “Depois de escrever e reescrever o artigo para a Folha”, o termo sublinhado é objeto direto.
  • E Na frase: “Vivo, sobrevivo, dizia, porque tenho esse recado”, o termo sublinhado é objeto indireto do verbo “ter”.
18

Leia o texto.


Memória:

Otto Lara Resende ou

a importância da leitura


As três coisas que mais fez na vida foram, pela ordem, ler jornais, escrever cartas e falar ao telefone.

Em 1975 confessava: “De uns anos para , leio jornais e revistas como verdadeiro louco. Qualquer junta médica me internaria se verificasse o tempo, o sono que perco com essa leitura perfeitamente dispensável. Gostei muito quando li no diário de João XXIII que a leitura de jornal é frívola. O Papa lia, mas era doido para parar. Como eu, que eu no duro não quero parar. Quero diminuir.”

Acordava cedo, antes do galo, quando havia galo. Lia os jornais, todos os jornais do Rio e de São Paulo, antes do café. Telefonava, em seguida, a alguns amigos, já indignado com os fatos ou com os jornais. Amava a Deus sobre todas as coisas e o Brasil abaixo de Deus.

Depois de escrever e reescrever o artigo para a Folha, continuava na velha máquina Olivetti a bater, desesperadamente, cartas e mais cartas. Para os amigos com quem não tinha conseguido falar e sobretudo com quem tinha acabado de falar. Escrever, escrever, escrever. “Vivo, sobrevivo, dizia, porque tenho esse recado, esse telegrama a entregar”.

in. Enani &Nicola. Redação para o 2°grau.

Assinale a alternativa correta.

  • A A palavra “dispensável” recebe acento gráfico porque é proparoxítona terminada em “l”
  • B Nem todas as palavras oxítonas terminadas em “e” são acentuadas graficamente. A palavra “café”, posta no texto, é uma exceção à regra.
  • C Otto Lara Resende (do texto lido) sempre acordava com os galos, não importava onde estava; isso significa dizer que ele acordava cedo.
  • D As palavras sublinhadas no texto recebem acento gráfico porque são monossílabos tônicos terminados em “e” seguido de “s”, em “a” e em “o”, respectivamente.
  • E As palavras “médica e máquina” são paroxítonas, por isso são acentuadas, já que todas as palavras com essa classificação recebem acento gráfico.
19

Leia o texto.


Memória:

Otto Lara Resende ou

a importância da leitura


As três coisas que mais fez na vida foram, pela ordem, ler jornais, escrever cartas e falar ao telefone.

Em 1975 confessava: “De uns anos para , leio jornais e revistas como verdadeiro louco. Qualquer junta médica me internaria se verificasse o tempo, o sono que perco com essa leitura perfeitamente dispensável. Gostei muito quando li no diário de João XXIII que a leitura de jornal é frívola. O Papa lia, mas era doido para parar. Como eu, que eu no duro não quero parar. Quero diminuir.”

Acordava cedo, antes do galo, quando havia galo. Lia os jornais, todos os jornais do Rio e de São Paulo, antes do café. Telefonava, em seguida, a alguns amigos, já indignado com os fatos ou com os jornais. Amava a Deus sobre todas as coisas e o Brasil abaixo de Deus.

Depois de escrever e reescrever o artigo para a Folha, continuava na velha máquina Olivetti a bater, desesperadamente, cartas e mais cartas. Para os amigos com quem não tinha conseguido falar e sobretudo com quem tinha acabado de falar. Escrever, escrever, escrever. “Vivo, sobrevivo, dizia, porque tenho esse recado, esse telegrama a entregar”.

in. Enani &Nicola. Redação para o 2°grau.

Identifique abaixo as afirmativas verdadeiras ( V ) e as falsas ( F ) sobre o texto.


( ) Escrever cartas era a segunda atividade que Otto Lara Resende mais fazia na vida.

( ) O texto fala sobre Otto Lara Resende.

( ) João XXIII achava a leitura de jornais uma atividade supérflua.

( ) O Papa gostava muito de ler jornais e queria sempre ler mais.

( ) Otto Lara Resende amava pouco o Brasil.


Assinale a alternativa que indica a sequência correta, de cima para baixo.

  • A V • V • V • V • F
  • B V • V • V • F • F
  • C V • F • V • V • F
  • D F • V • V • F • F
  • E F • V • F • F • V
20

Leia o texto.


Memória:

Otto Lara Resende ou

a importância da leitura


As três coisas que mais fez na vida foram, pela ordem, ler jornais, escrever cartas e falar ao telefone.

Em 1975 confessava: “De uns anos para , leio jornais e revistas como verdadeiro louco. Qualquer junta médica me internaria se verificasse o tempo, o sono que perco com essa leitura perfeitamente dispensável. Gostei muito quando li no diário de João XXIII que a leitura de jornal é frívola. O Papa lia, mas era doido para parar. Como eu, que eu no duro não quero parar. Quero diminuir.”

Acordava cedo, antes do galo, quando havia galo. Lia os jornais, todos os jornais do Rio e de São Paulo, antes do café. Telefonava, em seguida, a alguns amigos, já indignado com os fatos ou com os jornais. Amava a Deus sobre todas as coisas e o Brasil abaixo de Deus.

Depois de escrever e reescrever o artigo para a Folha, continuava na velha máquina Olivetti a bater, desesperadamente, cartas e mais cartas. Para os amigos com quem não tinha conseguido falar e sobretudo com quem tinha acabado de falar. Escrever, escrever, escrever. “Vivo, sobrevivo, dizia, porque tenho esse recado, esse telegrama a entregar”.

in. Enani &Nicola. Redação para o 2°grau.

Assinale a alternativa que apresenta a correta concordância nominal ou verbal.

  • A Tu, ele e eu somos os vencedores.
  • B “Muito obrigado”, disse a jovem aprendiz ao seu mestre.
  • C Bateu dezoito horas no relógio da empresa, hora de encerrar o expediente.
  • D Haviam candidatos que ainda não sabiam o local de prova.
  • E “Hoje estou meia cansada”, disse Joana à sua amiga.

Atualidades

21

Analise as afirmativas abaixo sobre o consumo de recursos hídricos.


1. A agricultura consome a maior parte dos recursos hídricos disponíveis no planeta.

2. Graças aos alertas dos ambientalistas e às políticas governamentais, as retiradas de água na natureza vêm diminuindo ao longo das últimas décadas, em cerca de 2% ao ano.

3. A quantidade de água que as pessoas bebem corresponde a uma pequena fração da água consumida no mundo.

4. Com exceção da África, a falta de recursos hídricos para o consumo humano ainda não é um problema visível. Grave, no entanto, é a indisponibilidade de água para a produção de energia elétrica.


Assinale a alternativa que indica todas as afirmativas corretas.

  • A São corretas apenas as afirmativas 1 e 3.
  • B São corretas apenas as afirmativas 2 e 3.
  • C São corretas apenas as afirmativas 2 e 4.
  • D São corretas apenas as afirmativas 1, 2 e 3.
  • E São corretas apenas as afirmativas 2, 3 e 4.
22

Noel Rosa, Cartola e Nelson Cavaquinho são algumas das referências de um gênero musical tipicamente brasileiro, nascido provavelmente dos antigos batuques trazidos pelos africanos.


Assinale a alternativa que o identifica.

  • A Rock
  • B Balada
  • C Bolero
  • D Samba
  • E Sertanejo
23

Segundo o IBGE, a expectativa de vida dos brasileiros aumentou mais de 40 anos em 11 décadas.


Assinale a alternativa que indica um importante fator que contribui para que os brasileiros vivam mais.

  • A A queda das taxas de natalidade, em face do melhor atendimento médico e assistência governamental.
  • B A extinção do analfabetismo, a erradicação da fome e o crescente aumento da renda dos trabalhadores.
  • C Os avanços da medicina, entre os quais a possibilidade de diagnóstico precoce de doenças, possível graças à inovação tecnológica.
  • D As políticas públicas de ação afirmativa conducentes à inclusão social, entre as quais o regime de cotas de acesso à Universidade e ao emprego público.
  • E O aumento de investimentos governamentais na área de saúde que permitem o pleno acesso dos mais pobres, principalmente dos mais idosos, aos equipamentos e tratamentos de nova geração.
24

Os empresários do ramo das telecomunicações vislumbram as possibilidades de a Internet ter, já a partir do próximo ano, velocidades ainda maiores permitindo o desenvolvimento e a expansão da chamada “Internet das coisas”.

Assinale a alternativa que indica a inovação que permitirá esse progresso.

  • A A possibilidade de conversa entre máquinas, como um smartwatch e um smartphone.
  • B A “banda estreita” capaz de transmitir sinais analógicos de voz.
  • C A comunicação instantânea entre pessoas, mesmo em países muito distantes como Cingapura ou China.
  • D A transmissão analógica de sinais de rádio.
  • E Internet móvel de quinta geração (5G).
25

Setenta e três por cento dos brasileiros que possuem celular não saem de casa sem o aparelho. Vivemos a “Era Virtual”, em que as chamadas “Redes Sociais” adquiriram extrema importância. Assinale a alternativa em que todas as expressões são denominações de redes sociais.

  • A Badoo • Facebook • Instagram • Twitter • Hello
  • B Linkedin • Facebook • Instagram • Twitter • Microsoft
  • C My Space • Badoo • Apple • Facebook • Instagram
  • D Flickr • Associated Press • Linkedin • Facebook • Microsoft
  • E Foursquare • Google+ • Windows • Yahoo • OS X • Badoo
26

Leia a chamada da reportagem publicada na revista Veja em 16 de setembro de 2015: “Quase 800 mil famílias já foram cortadas, neste ano, da lista do principal programa social do governo. Junto com os sem casa e os sem Pronatec, elas formam um novo contingente de desvalidos: o daqueles de quem o Estado, silenciosamente, começa a tirar o que deu”. O programa a que se refere o texto é o:

  • A Pronatec.
  • B Cad único.
  • C Minha casa, minha vida.
  • D Seguro defeso.
  • E Bolsa-família.
27

Recentemente o presidente do Supremo Tribunal Federal) determinou a suspensão da distribuição de um medicamento ao qual se atribuía a cura de numerosos casos de tumores malignos.

Assinale a alternativa correta a respeito do assunto.

  • A Trata-se da fosfoetalonamina sintética. A suspensão foi justificada em face da inexistência de estudos científicos que assegurem ser esta substância inofensiva ao organismo humano.
  • B Trata-se da chamada “pílula do câncer”, produzida pelo departamento de Química da USP, que não obstante as inúmeras pesquisas atestando sua eficácia, foi proibida por motivos políticos.
  • C A cura do câncer, principalmente o de pulmão, obtida pelo uso do medicamento e comprovada por inúmeros institutos de pesquisa, não era bem vista por alguns laboratórios farmacêuticos que conseguiram a sua proibição.
  • D O medicamento, um derivado da fosfoetalonamina, distribuído pela Universidade de São Paulo, teve a sua distribuição suspensa por ter sido responsável pela morte de cerca de 30 pacientes tratados no Instituto do Câncer em Campinas (SP).
  • E O medicamento, apesar de autorizado pelas agências reguladoras dos Estados Unidos, França e Israel, não conseguiu obter registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária e, por esta razão, apesar de sua comprovada eficácia, teve sua distribuição proibida.
28

Em 2015 o Brasil passou por uma preocupante crise energética que causou sérios prejuízos à economia nacional.

Escolha, entre os fatores abaixo, os que seriam causas dessa crise.

1. A redução de investimentos na transmissão, distribuição e conservação de energia elétrica.

2. A dependência do país com relação às usinas hidrelétricas.

3. Baixos índices pluviométricos.

4. Aumento de consumo residencial de energia elétrica.

Assinale a alternativa que indica todas as afirmativas corretas.

  • A São corretas apenas as afirmativas 1 e 2.
  • B São corretas apenas as afirmativas 2 e 4.
  • C São corretas apenas as afirmativas 1, 3 e 4.
  • D São corretas apenas as afirmativas 2, 3 e 4.
  • E São corretas as afirmativas 1, 2, 3 e 4.
29

A maior parte da energia elétrica consumida no Brasil é produzida em usinas:

  • A Eólicas
  • B Hidrelétricas
  • C Termonucleares
  • D Nucleares
  • E Solares
30

Assinale a alternativa que indica a nação mais pobre das Américas:

  • A Brasil
  • B Chile
  • C Haiti
  • D Gana
  • E Cingapura
Voltar para lista