Resolver o Simulado Enfermeiro

0 / 30

Enfermagem

1
Em relação ao sarampo, assinale a alternativa INCORRETA.
  • A O contágio ocorre por via respiratória, por meio de secreções nasofaríngeas de indivíduo infectado.
  • B Possui período de incubação geralmente de 10 dias, variando de 7 a 18 dias, da data de exposição até o aparecimento da febre.
  • C Sintomas pródromos característicos como: cefaleia, febre baixa, linfadenopatia retromandibular e cervical, sinal de Koplik, e fonofobia. 
  • D O exantema é maculopapular de coloração vermelha, com progressão em sentido craniocaudal.
  • E Durante o exantema que, geralmente, se instalam as complicações sistêmicas, embora a encefalite possa aparecer após o 20º dia.
2
Adolescente, 16 anos, chega à Unidade Básica de Saúde levado pela mãe por esta acreditar que seu filho está com crise de asma. Ao exame, apresenta-se da seguinte forma: saturação de oxigênio, 94%; frequência cardíaca, 108 bpm; frequência respiratória aumentada, 25 mrpm, sem uso de musculatura acessória; afebril, 36,8ºC; ausculta pulmonar com sibilos difusos. Nega uso de qualquer medicação em domicílio. Conforme a classificação geral dos casos de demanda espontânea na Atenção Básica, quais seriam o encaminhamento e classificação de risco dados pelo enfermeiro do acolhimento? 
  • A Encaminhar para a unidade de pronto atendimento.
  • B Atendimento no dia.
  • C Atendimento prioritário.
  • D Atendimento imediato.
  • E Agendar consulta para o dia seguinte.
3
Os Consultórios de Rua são formados por equipes multiprofissionais da atenção básica e devem seguir os atributos desse ponto de atenção, quais sejam: ser porta de entrada preferencial, propiciar atenção integral e longitudinal e coordenar o cuidado, prestando atenção à saúde da população em situação de rua in loco. Porém, quando necessário, deverá atuar em parceria com as equipes da Unidade Básica de Saúde responsável pelo território. Sendo assim, assinale a alternativa que NÃO é atribuição da equipe do Consultório de Rua.
  • A Realizar atividades em grupo.
  • B Fazer busca ativa de agravos prevalentes na rua, priorizando a tuberculose, DST, hepatites virais, dermatoses, uso abusivo de álcool e outras drogas.
  • C Atuar com estratégias para que todos os usuários de drogas ilícitas identificados pela equipe sejam encaminhados à reabilitação das drogas.
  • D Articulação com a rede de saúde.
  • E Atendimento das demandas espontâneas ou identificadas pelo profissional/equipe.
4
Gerenciar o cuidado das pessoas idosas com doenças crônicas exige conhecimento técnico assistencial, administrativo e capacidade em técnicas de resolução de problemas. Para isso, a equipe da Atenção Básica elabora um Projeto Terapêutico Singular (PTS). Nesse sentido, assinale a alternativa que apresente as etapas corretas a serem seguidas na elaboração de um bom PTS.
  • A Avaliação; planejamento do cuidado; coordenação e implementação de soluções; monitoramento e avaliação do plano de cuidado.
  • B Diagnóstico situacional; elaboração de problemas; plano de cuidados; implementação; avaliação.
  • C Investigação; diagnóstico situacional; plano de cuidados; implementação e monitoramento.
  • D Análise; planejamento do plano de cuidado; monitoramento e avaliação do plano de cuidado. 
  • E Investigação; elaboração de problemas; diagnóstico situacional; coordenação do plano de cuidados; avaliação do plano de cuidados.
5
Em relação à alimentação da pessoa idosa, é importante que o profissional da atenção básica esteja atento aos aspectos que não acarretem em alterações nutricionais. Assinale a alternativa INCORRETA para aspectos necessários de observação que possam alterar alterações nutricionais.
  • A Perda da autonomia para comprar os alimentos, não considerando a condição financeira, por ser questão social.
  • B Restrição de determinados tipos de alimentos, devido à diabetes mellitus, hipertensão, e/ou hipercolesterolemia.
  • C Anorexia, diminuição da sensação de sede, e perda da percepção da temperatura dos alimentos.
  • D Dificuldade de mastigação por lesão oral, por uso de prótese dentária ou por problemas digestivos.
  • E Perda da autonomia para preparar os alimentos e para alimentar-se.
6
Nos serviços de atenção básica, os profissionais que realizam o pré-natal frequentemente são os que seguirão acompanhando a família durante a puericultura da criança. (DEMOTT et al., 2006). Em relação à primeira consulta de puericultura, assinale a alternativa INCORRETA.
  • A A primeira consulta do recém-nascido deverá ocorrer na sua primeira semana de vida.
  • B Na anamnese, procura-se avaliar as condições do nascimento da criança como: tipo de parto, intercorrências clínicas na gestação, tratamentos realizados, entre outras questões.
  • C Orientar os pais sobre o banho e os cuidados com o coto umbilical, que deve cair nas primeiras duas semanas. Para isso, o coto deve ser mantido limpo e seco.
  • D Ao examinar o crânio do recém-nascido, avaliar as fontanelas: a anterior é de forma triangular, fecha-se do 11º ao 15º mês; a posterior, de forma losangular, fecha-se até o terceiro mês. 
  • E É necessário incentivar a amamentação exclusiva até os 06 meses de idade e avaliar a pega correta e o posicionamento adequado do bebê.
7

A sífilis é uma doença sexualmente transmissível, tendo se tornado, nos últimos anos, uma epidemia no Brasil. Nesse sentido, analise as assertivas abaixo e assinale V, se verdadeiras, ou F, se falsas.


( ) O período de incubação é de 10 a 90 dias, com média de 21 dias, a partir do contato sexual infectante.

( ) São exames para diagnóstico: teste treponêmico (VDRL e TRUST) e teste não treponêmico (FTA-abs).

( ) Em gestantes, a sífilis pode ser transmitida para o feto (transmissão vertical), por via transplacentária, em qualquer fase da gestação: média de 100% na fase primária, 90% na fase secundária e 30% na fase latente.

( ) Doença de notificação compulsória regular (até 10 dias): todo caso confirmado de sífilis adquirida, gestacional ou congênita.

( ) Deverá ser realizada testagem para sífilis no 1º trimestre da gravidez ou na 1ª consulta, e no início do 3º trimestre.


A ordem correta de preenchimento dos parênteses, de cima para baixo, é:

  • A V – V – F – V – F.
  • B F – V – F – F – V.
  • C V – V – V – V – F.
  • D F – F – V – V – V.
  • E V – F – V – F – V.
8
Lactente, 12 meses, com esquema vacinal completo até então, necessita receber as vacinas para sua idade. Quais seriam administradas?
  • A 1º reforço da DTP; Tríplice viral.
  • B Reforço pneumocócica 10V; reforço meningoncócica C; 1ª dose tríplice viral.
  • C Apenas 1ª dose tríplice viral.
  • D 1º reforço VOP; tetra viral; reforço meningocócica C.
  • E 1º reforço VOP; 1ª dose tríplice viral; reforço pneumocócica 10V.
9
Em relação à vacinação contra o HPV, assinale a alternativa INCORRETA. 
  • A A vacina quadrivalente recombinante é inativada, constituída por proteínas do HPV tipos 8, 11, 14 e 18.
  • B A imunização tem o objetivo de prevenir contra câncer do colo do útero, vulvar, vaginal e anal, lesões pré-cancerosas ou displásicas, verrugas genitais e infecções causadas pelo papilomavírus humano.
  • C Não há contraindicação específica para vacina em usuários imunocomprometidos, incluindo doentes com HIV/AIDS.
  • D O esquema vacinal contempla duas doses para meninas de 9 a 14 anos e duas doses para meninos de 11 a 14 anos.
  • E É disponibilizada para mulheres e homens de 9 a 26 anos, portadores de HIV/AIDS, transplantados de órgãos sólidos, de medula óssea ou pacientes oncológicos, sendo o esquema vacinal de três doses.
10
Em relação ao exame de coleta do citopatológico do colo de útero, assinale a alternativa correta.
  • A Na preparação, a lâmina deverá ser identificada com as iniciais da mulher e com a data de nascimento, grafadas com lápis preto nº 2 na extremidade fosca.
  • B O espéculo deve ter tamanho de acordo com as características perineais e vaginais da mulher examinada e deve ser introduzido na horizontal e ligeiramente inclinado.
  • C Para coleta na endocérvice, deve-se utilizar a espátula de Ayre, e a coleta deverá ser realizada em um movimento giratório de 360°.
  • D Para coleta na ectocérvice, deve-se utilizar a escova ectocervical, e a coleta deverá ser realizada em um movimento giratório de 360°.
  • E Na lâmina, deve-se dispor a amostra ectocervical no sentido transversal, na metade superior, próximo da região fosca, e a endocérvice na metade inferior, no sentido longitudinal.

Português

11

[Retratos fiéis]

        Não sei por que motivo há de a gente desenhar tão objetivamente as coisas: o galho daquela árvore exatamente na sua inclinação de quarenta e três graus, o casaco daquele homem justamente com as ruguinhas que no momento apresenta, e o próprio retratado com todos seus pés-de-galinha minuciosamente contadinhos... Para isso já existe há muito tempo a fotografia, com a qual jamais poderemos competir em matéria de objetividade.

        Se, para contrabalançar minhas lacunas, me houvesse Deus concedido o invejável dom da pintura, eu seria um pintor lírico (o adjetivo não é bem apropriado, mas vai esse mesmo enquanto não ocorrer outro). Quero dizer, o modelo serviria tão só do ponto de partida. O restante eu transfiguraria em conformidade com meu desejo de fantasia e poder de imaginação.


(Adaptado de: QUINTANA, Mário. Na volta da esquina. Porto Alegre: Globo, 1979, p. 88)

O verbo indicado entre parênteses deverá flexionar-se de modo a concordar com o elemento sublinhado na seguinte frase:

  • A A muitos pintores (interessar) mais a observância dos detalhes do que o engenho.
  • B Até mesmo aos pés-de-galinha (dedicar) aquele pintor sua obsessiva atenção.
  • C A muitos amantes da pintura não (ocorrer) bem distingui-la da arte da fotografia.
  • D Não (haver) tantas preocupações com o realismo, a imaginação sairia ganhando.
  • E Há pintores cuja imaginação (ultrapassar) em muito os limites do realismo.
12

Imigrações no Rio Grande do Sul

        Em 1740 chegou à região do atual Rio Grande do Sul o primeiro grupo organizado de povoadores. Portugueses oriundos da ilha dos Açores, contavam com o apoio oficial do governo, que pretendia que se instalassem na vasta área onde anteriormente estavam situadas as Missões.

        A partir da década de vinte do século XIX, o governo brasileiro resolveu estimular a vinda de imigrantes europeus, para formar uma camada social de homens livres que tivessem habilitação profissional e pudessem oferecer ao país os produtos que até então tinham que ser importados, ou que eram produzidos em escala mínima. Os primeiros imigrantes que chegaram foram os alemães, em 1824. Eles foram assentados em glebas de terra situadas nas proximidades da capital gaúcha. E, em pouco tempo, começaram a mudar o perfil da economia do atual estado. 

        Primeiramente, introduziram o artesanato em uma escala que, até então, nunca fora praticada. Depois, estabeleceram laços comerciais com seus países de origem, que terminaram por beneficiar o Rio Grande. Pela primeira vez havia, no país, uma região em que predominavam os homens livres, que viviam de seu trabalho, e não da exploração do trabalho alheio. 

        As levas de imigrantes se sucederam, e aos poucos transformaram o perfil do Rio Grande. Trouxeram a agricultura de pequena propriedade e o artesanato. Através dessas atividades, consolidaram um mercado interno e desenvolveram a camada média da população. E, embora o poder político ainda fosse detido pelos grandes senhores das estâncias e charqueadas, o poder econômico dos imigrantes foi, aos poucos, se consolidando.


(Adaptado de: projetoriograndetche.weebly.com/imigraccedMatMdeo-no-rs.html)

Está correto o emprego do elemento sublinhado na frase:

  • A A área aonde se instalaram os primeiros imigrantes correspondia à das antigas Missões.
  • B O apoio que confiavam os imigrantes era a eles prometido pelo governo do estado.
  • C A vinda de imigrantes, em que o estímulo foi responsável o governo, passou a ocorrer em 1740.
  • D Nunca se praticara o artesanato na escala em que se deu com os imigrantes alemães.
  • E Os imigrantes influenciaram no mercado interno, cujo o crescimento foram decisivos.
13

A chave do tamanho

        O antes de nascer e o depois de morrer: duas eternidades no espaço infinito circunscrevem o nosso breve espasmo de vida. A imensidão do universo visível com suas centenas de bilhões de estrelas costuma provocar um misto de assombro, reverência e opressão nas pessoas. “O silêncio eterno desses espaços infinitos me abate de terror”, afligia-se o pensador francês Pascal. Mas será esse necessariamente o caso?

        O filósofo e economista inglês Frank Ramsey responde à questão com lucidez e bom humor: “Discordo de alguns amigos que atribuem grande importância ao tamanho físico do universo. Não me sinto absolutamente humilde diante da vastidão do espaço. As estrelas podem ser grandes, mas não pensam nem amam - qualidades que impressionam bem mais do que o tamanho. Não acho vantajoso pesar quase cento e vinte quilos”.

        Com o tempo não é diferente. E se vivêssemos, cada um de nós, não apenas um punhado de décadas, mas centenas de milhares ou milhões de anos? O valor da vida e o enigma da existência renderiam, por conta disso, os seus segredos? E se nos fosse concedida a imortalidade, isso teria o dom de aplacar de uma vez por todas o nosso desamparo cósmico e as nossas inquietações? Não creio. Mas o enfado, para muitos, seria difícil de suportar. 

(Adaptado de: GIANETTI, Eduardo. Trópicos utópicos. São Paulo: Companhia das Letras, 2016, p. 35) 

Está clara e correta a redação deste livre comentário sobre o texto:

  • A Diante do infinito do tempo e do espaço, o homem tem experimentado diferentes sensações, que vão da angústia existencial à confiança na marcha civilizatória. 
  • B Por conta do infinito, que se antepara a ele, os homens temem ou confiam, segundo à variedade de suas índoles e de seus momentos históricos.
  • C Durante a história observa-se fatores distintos que conduzem a humanidade a sentimentos diversos, em cujos há enorme diversidade de propósitos. 
  • D Muitos julgam constituir-se como nosso principal deslise o fato de sermos mortais, o que não significa que o contrário pudesse reverter em algo melhor.
  • E Para muitos de nós não há de faltar inúmeras justificativas para ver que antes de sermos imortais, talvez precisássemos aprimorar o que já somos. 
14

                             [Vocação de professor]


      Escritor nas horas vagas, sou professor por vocação e destino. “A quem os deuses odeiam, fazem-no pedagogo”, diz o antigo provérbio; assim, pois, dando minhas aulas há tantos anos, talvez esteja expiando algum crime que ignoro, cometido porventura nalguma existência anterior. Apesar disso, não tenho maiores queixas de um ofício que, mantendo-me sempre no meio dos moços, me dá a ilusão de envelhecer menos rapidamente do que aqueles que passam a vida inteira entre adultos solenes e estereotipados.

      Outra vantagem da minha profissão principal é fornecer material copioso para a profissão acessória. Se fosse ficcionista, que mina não teria à mão no mundo da adolescência, mina ainda insuficientemente explorada e cheia de tesouros! Mas, como não sou ficcionista, utilizo-me desse cabedal apenas para observação e reflexão; às vezes o aproveito nalgum monólogo inócuo, como este.

(Adaptado de: RÓNAI, Paulo. Como aprendi o Português e outras aventuras. Rio de Janeiro: Edições de Janeiro, 2014, p. 109)

Para integrar adequadamente a frase dada, o verbo indicado entre parênteses deverá flexionar-se numa forma 
  • A do plural em Bem (poder) caber ao professor o exercício dos dotes de um talentoso escritor.
  • B do plural em Não (chegar) aos seus ouvidos de professor qualquer recriminação por parte dos jovens alunos.
  • C do singular em De todos os castigos que lhe (ocorrer) nenhum poderia ser o da carreira de pedagogo.
  • D do singular em Dos talentos que lhe (caber) desenvolver, o de professor foi o mais bem-sucedido.
  • E do singular ou do plural, indiferentemente, em O fato de (haver) tantas profissões permite boas escolhas.
15

                       Surdos: os bilíngues bimodais


Em 26 de setembro foi comemorado o Dia Nacional do Surdo (Lei nº 11.796/2008). Esse dia foi escolhido como homenagem à data de criação, no Rio de Janeiro, da primeira Escola de Surdos do Brasil, hoje conhecida como Instituto Nacional de Educação de Surdos (Ines).

A história de criação do INES se confunde com a história de criação da Língua Brasileira de Sinais (Libras). Aliás aproveitamos para explicar que Libras é uma língua e não uma linguagem. Porque é um idioma oficial, reconhecido por lei federal (Lei nº 10.436/2002) e contém estrutura e regras próprias - tendo sido regulamentada desde 2010 a profissão de tradutor e intérprete de Libras.

As crianças surdas adquirem a língua de sinais de forma natural e espontânea. Enquanto o acesso à língua portuguesa acontece formalmente. Esses fatos tornam a língua de sinais imprescindível ao desenvolvimento de uma linguagem para a criança surda. Porque línguas de sinais e línguas faladas são línguas em modalidades diferentes, assim, pode-se dizer que os surdos são bilíngues bimodais.

O termo 'bilíngue bimodal' foi usado mais recentemente por pesquisadores que lidaram com crianças e adultos ouvintes com uma língua de sinais e uma língua falada. Não obstante o reconhecimento da condição bilíngue dos surdos ter existido na educação das pessoas com perdas auditivas há muito mais tempo.

É importante que as crianças surdas, além do aprendizado da língua de sinais, sejam também alfabetizadas na língua portuguesa, pois que é justamente essa última, sua segunda língua, que vai ser usada com função social interativa, como elemento de comunicação escrita através das redes sociais por exemplo.

A língua portuguesa será usada ainda para ler notícias, fazer consultas, escrever para alguém ou ler as mensagens que receber, ao mesmo tempo em que usam a língua de sinais para conversar e, em algumas situações, até ler textos em sinais. Assim, os surdos podem ser considerados bilíngues bimodais, pois a modalidade da escrita, apesar de também ser visual, é gráfica, o que a diferencia da modalidade gestualvisual.

Ser bilíngue bimodal apresenta uma série de vantagens, pois além das pessoas estarem diante de duas identidades linguísticas diferentes que propicia vantagens de ordem sociocultural, tem-se ainda vantagens como: você pode falar à distância; enquanto mastiga; através de portas de vidro; em ambientes com muito barulho, como em discotecas e pode falar até debaixo d'água, além de valorizar o seu currículo e tornar a sociedade mais inclusiva, ou seja, vale a pena ser bilíngue bimodal.

Geraldo Nogueira. Subsecretário da Pessoa com Deficiência do Município do Rio de Janeiro Agência O Dia. Texto disponível em: https://odia.ig.com.br/opiniao/2018/11/5589537- surdos-os-bilingues-bimodais.html. Acesso em: 01 de novembro de 2018.


Considerando a sintaxe de concordância e regência, qual dos períodos abaixo NÃO está de acordo com a norma culta da Língua Portuguesa.

  • A Em 26 de setembro foi comemorado o Dia Nacional do Surdo (Lei nº11.796/2008). Esse dia foi escolhido como homenagem à data de criação, no Rio de Janeiro, da primeira Escola de Surdos do Brasil, hoje conhecida como Instituto Nacional de Educação de Surdos (Ines).
  • B A história de criação do INES se confunde com a história de criação da Língua Brasileira de Sinais (Libras). Aliás aproveitamos para explicar que Libras é uma língua e não uma linguagem. Porque é um idioma oficial, reconhecido por lei federal (Lei nº 10.436/2002) e contém estrutura e regras próprias - tendo sido regulamentada desde 2010 a profissão de tradutor e intérprete de Libras.
  • C Ser bilíngue bimodal apresenta uma série de vantagens, pois além das pessoas estarem diante de duas identidades linguísticas diferentes que propicia vantagens de ordem sociocultural, tem-se ainda vantagens como: você pode falar à distância; enquanto mastiga; através de portas de vidro; em ambientes com muito barulho, como em discotecas e pode falar até debaixo d'água, além de valorizar o seu currículo e tornar a sociedade mais inclusiva, ou seja, vale a pena ser bilíngue bimodal.
  • D As crianças surdas adquirem a língua de sinais de forma natural e espontânea. Enquanto o acesso à língua portuguesa acontece formalmente. Esses fatos tornam a língua de sinais imprescindível ao desenvolvimento de uma linguagem para a criança surda. Porque línguas de sinais e línguas faladas são línguas em modalidades diferentes, assim, pode-se dizer que os surdos são bilíngues bimodais.
  • E Assim, os surdos podem ser considerados bilíngues bimodais, pois a modalidade da escrita, apesar de também ser visual, é gráfica, o que a diferencia da modalidade gestual-visual.
16
Assinale a alternativa na qual todas as palavras estão grafadas CORRETAMENTE:
  • A idéia, jiboia, co-orientador.
  • B idéia, jibóia, coorientador.
  • C ideia, jiboia, coorientador.
  • D ideia, jibóia, co-orientador.
  • E idéia, jibóia, co-orientador.
17
Considerando a norma padrão da língua portuguesa, assinale a alternativa CORRETA quanto às regras de concordância nominal:
  • A Enviamos em anexo os documentos necessários para a matrícula.
  • B No ENEM é proibida entrada de candidatos após o meio dia.
  • C É proibido portar qualquer tipo de equipamento eletrônico ou de comunicação durante a realização da prova. 
  • D Ana Paula Maia mesmo se recusara a receber o prêmio pessoalmente.
  • E Ao meio dia e meio as provas serão entregues aos candidatos.
18
Assinale a alternativa cujas palavras estão corretamente acentuadas:
  • A sací, relógio, órgão, urubu, chinés;
  • B farmacéutico, lapis, armazém, tatu;
  • C favor, ninguém, bíceps, torax, ceu;
  • D semântica, refém, álbum, sutil, erudito;
  • E discurso, baú, virus, dócil, bíceps, anéis.
19
A frase em que a grafia está inteiramente correta é:
  • A A rescessão asiática, o colapso russo e a perda de vultuosas quantias roubaram a expontaneidade do mercado de investidores.
  • B Nessas inserções, todas as disfunções familiares, sem exceção, vêm à tona, sempre acompanhadas de forte descarga emocional.
  • C Sua Magestade não admitiu a indiscreção do ministro, expulsando-o, imediatamente, da Corte.
  • D As medidas tomadas pelo Governo contra a inflação não atendem às espectativas da população e, certamente, não sortirão os resultados esperados.
  • E Estudiosos mostram-se apreensivos diante da eminência do recrudescimento das superstições nas sociedades capitalistas.
20

Após avanços tecnológicos, medicina deve mirar empatia


Médicos sempre ocuparam uma posição de prestígio na sociedade. Afinal, cuidar do maior bem do indivíduo – a vida – não é algo trivial. Embora a finalidade do ofício seja a mesma, o modus operandi mudou drasticamente com o tempo.

O que se pode afirmar é que o foco da atuação médica deve ser cada vez menos o controle sobre o destino do paciente e mais a mediação e a interpretação de tecnologias, incluindo a famigerada inteligência artificial. Já o lado humanístico, que perdeu espaço para os exames e as máquinas, tende a recuperar cada vez mais sua importância.

De meados do século 20 até agora, concomitantemente às novas especialidades, houve avanço tecnológico e a proliferação de modalidades de exames. Cresceu o catálogo dos laboratórios e também a dependência do médico em relação a exames. A impressão dos pacientes passou a ser a de que o cuidado é ruim, caso o médico não os solicite.

O tema é caro a Jayme Murahovschi, referência em pediatria no país. “Tem que haver progressão tecnológica, claro, mas mais importante que isso é a ligação emocional com o paciente. Hoje médicos pedem muitos exames e os pacientes também.”

Murahovschi está entre os que acreditam que a profissão está sofrendo uma nova reviravolta, quase que voltando às origens clássicas, hipocráticas: “Os médicos do futuro, os que sobrarem, vão ter que conhecer o paciente a fundo, dar toda a atenção que ele precisa, usando muita tecnologia, mas com foco no paciente.”

Alguns profissionais poderão migrar para uma medicina mais técnica, preveem analistas.

Esses doutores teriam uma função diferente, atuando na interface entre o conhecimento biomédico e a tecnologia por trás de plataformas de diagnóstico e reabilitação. Ou ainda atuariam alimentando com dados uma plataforma de inteligência artificial, tornando-a mais esperta.

Outra tecnologia já presente é a telemedicina, que descentraliza a realização de consultas e exames. Clínicas e médicos generalistas podem, rapidamente e pela internet, contar com laudos de especialistas situados em diferentes localidades; uma junta médica pode discutir casos de pacientes e seria possível até a realização, a distância, de consultas propriamente ditas, se não existissem restrições do CFM nesse sentido.

Até cirurgias podem ser feitas a distância, com o advento da robótica. O tema continua fascinando médicos e pacientes, mas, por enquanto, nada de droides médicos à la Star Wars – quem controla o robô ainda é o ser humano.

(Gabriela Alves. Folha de S.Paulo, 19.10.2018. Adaptado)

Considere os trechos do texto.


•  Médicos sempre ocuparam uma posição de prestígio na sociedade. (1° parágrafo)

•  Já o lado humanístico, que perdeu espaço para os exames e as máquinas... (2° parágrafo)

•  Esses doutores teriam uma função diferente, atuando na interface... (7° parágrafo)


De acordo com a norma-padrão de emprego e colocação de pronomes, as expressões destacadas podem ser substituídas por:

  • A a ocuparam; o perdeu; a teriam.
  • B ocuparam-na; perdeu-o; teriam-na.
  • C ocuparam-lhe; o perdeu; a teriam.
  • D a ocuparam; o perdeu; teriam-na.
  • E ocuparam-na; perdeu-lhe; a teriam.

Raciocínio Lógico

21
Dentre os funcionários de uma determinada agência bancária, os gerentes são todos casados e têm filhos. Nenhum funcionário casado mora na capital, mas há funcionários que moram na capital e têm filhos. Nessas condições,
  • A nenhum funcionário que tem filhos é casado.
  • B todos os funcionários que têm filhos são casados.
  • C há gerentes que moram na capital.
  • D todos os funcionários que têm filhos moram na capital.
  • E nenhum funcionário que mora na capital é gerente.
22
Se Paulo colar na prova de Matemática, então ele será punido. Contudo, Paulo não colou na prova de Matemática. Dessa maneira, podemos afirmar, com toda certeza, que:
  • A Paulo não será punido.
  • B Paulo será punido.
  • C Paulo colou na prova de Matemática.
  • D Alguém colou na prova de Matemática.
  • E Alguém não colou na prova de Matemática.
23
Um shopping realizou uma pesquisa sobre a preferência do público quanto à premiação para quem realizar compras de final de ano nas lojas parceiras. Nessa pesquisa, foram entrevistadas 250 pessoas, entre homens e mulheres, escolhidas aleatoriamente. Desse grupo, 100 eram mulheres e dessas, 40 não preferem carro como premiação. Se o total de pessoas pesquisadas que têm preferência por carro foi de 170 pessoas, o número de homens que não têm preferência por carro como premiação de final de ano é igual a: 
  • A 150
  • B 110
  • C 60
  • D 40
  • E 20
24
Uma pesquisa realizada entre os 80 formandos de uma turma de Direito, constatou que 20 deles cursaram a matéria optativa de Criminalística; 30 frequentaram a de Medicina Legal e 15 estudaram tanto Criminalística quanto Medicina Legal. Quantos alunos não fizeram nenhuma das duas matérias?
  • A 30
  • B 40
  • C 45
  • D 50
  • E 60
25
Uma afirmação logicamente equivalente à afirmação: “Não quero comer agora ou vou tomar banho”, é
  • A Se quero comer agora, então não vou tomar banho.
  • B Se quero comer agora, então vou tomar banho.
  • C Se não quero comer agora, então vou tomar banho.
  • D Se não vou tomar banho, então quero comer agora.
  • E Se vou tomar banho, então quero comer agora.
26
Três números ímpares e consecutivos, cujo produto é igual a 7 vezes a sua soma, se somados, resulta?
  • A 12.
  • B 13.
  • C 14.
  • D 15.
  • E 16.
27

André, Bernardo, Caíque, Durval e Estevan são amigos de infância. Certo dia, eles se encontraram pra conversar e disseram:


• André: Eu sou mais baixo do que o Caíque, mas sou maior do que o Durval!

• Estevan: Só um de vocês é maior do que eu!

• Durval: Só sei de uma coisa: eu não sou o mais baixinho!


Sabendo que todas essas afirmações são verdadeiras e que esses amigos fizeram uma fila, do menor para o maior, segundo suas alturas, que eram distintas, é correto afirmar que

  • A Estevan é o terceiro da fila.
  • B Bernardo é o primeiro da fila.
  • C Bernardo é o último da fila.
  • D André tem três pessoas à sua frente.
  • E Caíque é o quarto da fila.
28

Qual das seguintes alternativas apresenta a contraditória da afirmação:


“Todo condenado é culpado.”?

  • A “Todo condenado não é culpado.”.
  • B “Algum culpado é condenado.”.
  • C “Algum condenado não é culpado.”.
  • D “Algum condenado é culpado.”.
  • E “Todo culpado é condenado.”.
29

Em uma cena de crime, encontram-se digitais e DNA de várias pessoas, porém nem sempre são encontrados as digitais e o DNA do culpado. Considere verdade que: “Se a digital do culpado estiver na cena do crime, então o DNA não estará.”.


Essa afirmação é equivalente a

  • A “Se o DNA estiver na cena do crime, então a digital do culpado não estará.”.
  • B “Se a digital do culpado não estiver na cena do crime, então o DNA estará.”.
  • C “Se a digital do culpado não estiver na cena do crime, então o não DNA estará.”.
  • D “Se o DNA estiver na cena do crime, então a digital do culpado estará.”.
  • E “Se o DNA não estiver na cena do crime, então a digital do culpado estará.”.
30
Assinale a alternativa que apresenta a negação da seguinte afirmação: “Se o DNA encontrado for compatível e se as digitais forem as mesmas, o crime estará solucionado.”.
  • A “O DNA encontrado é compatível e as digitais são as mesmas, e o crime não foi solucionado.”.
  • B “O DNA encontrado é compatível e as digitais são as mesmas ou o crime não foi solucionado.”.
  • C “O DNA encontrado não é compatível e as digitais não são as mesmas, e o crime não foi solucionado.”.
  • D  “Se o DNA encontrado não for compatível e se as digitais não forem as mesmas, o crime não estará solucionado.”.
  • E “Se o DNA encontrado for compatível e se as digitais forem as mesmas, o crime não estará solucionado.”.
Voltar para lista