Resolver o Simulado Universidade Federal do Maranhão (UFMA) - Redator - UFMA - Nível Superior

0 / 44

Direito Administrativo

1

O Decreto nº 7.746, de 05 de junho de 2012, regulamenta o Art. 3º da Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993, para estabelecer critérios e práticas para a promoção do desenvolvimento nacional sustentável nas contratações realizadas pela administração pública federal direta, autárquica e fundacional e pelas empresas estatais dependentes, e institui a Comissão Interministerial de Sustentabilidade na Administração Pública – CISAP (Redação dada pelo Decreto nº 9.178, de 2017).

Sobre o que se estabelece nesse Decreto, podemos afirmar que:

  • A A administração pública federal direta, autárquica e fundacional e as empresas estatais dependentes deverão elaborar e implementar Planos de Gestão de Logística Sustentável, conforme ato editado pela Secretaria de Gestão do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão.
  • B A administração pública federal direta, autárquica e fundacional e as empresas estatais dependentes deverão adquirir bens e contratar serviços e obras considerando critérios e práticas de sustentabilidade objetivamente definidos no instrumento convocatório.
  • C A administração pública federal direta, autárquica e fundacional e as empresas estatais dependentes deverão exigir no instrumento convocatório para a aquisição de bens que estes sejam constituídos por material renovável, reciclado, atóxico ou biodegradável, entre outros critérios de sustentabilidade.
  • D A Comissão Interministerial de Sustentabilidade na Administração Pública (CISAP) conta, além de outros membros, com um representante da Secretaria de Orçamento Federal e um representante da Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação que a presidirá.
2

De acordo com a Lei nº 8.666 de 21 de junho de 1993, em seu Art. 38º, o procedimento da licitação será iniciado, necessariamente, com:

  • A O encerramento de processo administrativo, devidamente autuado, protocolado e numerado, contendo a autorização respectiva, a indicação detalhada de seu objeto e do recurso próprio para a despesa.
  • B A abertura de processo administrativo, devidamente autuado, protocolado e numerado, contendo a autorização respectiva, a indicação sucinta de seu objeto e do recurso próprio para a despesa.
  • C O encerramento de processo administrativo, devidamente autuado, mas não protocolado e não numerado, contendo a autorização respectiva, a indicação genérica de seu objeto e do recurso próprio para a despesa.
  • D A abertura de processo administrativo, devidamente autuado, protocolado e numerado, sem necessidade de autorização respectiva, a indicação estendida de seu objeto e do recurso próprio estimado para a despesa.
3

A adoção do sistema de registro de preços para aquisições, de acordo com as disposições legais aplicáveis,

  • A obriga todos os órgãos que aderirem a ata de registro de preços a efetuarem as aquisições de acordo com os quantitativos informados.
  • B somente é possível para bens e serviços de natureza comum, com a adoção obrigatória da modalidade pregão.
  • C não enseja obrigatoriedade de assinatura de contrato por parte dos fornecedores com preços registrados, mas apenas a preferência para aquisições futuras.
  • D possibilita compras sucessivas, com base no preço estabelecido na correspondente ata de registro de preços, com validade de até 1 ano.
  • E somente é aplicável para determinados produtos, em razão de sua especificidade e falta de padronização como medicamentos e insumos de informática.
4

De acordo com as disposições da Lei n° 8.666/1993, a anulação de um procedimento licitatório em curso

  • A não é possível se já ultrapassada a fase de habilitação, que implica em saneamento das eventuais falhas.
  • B é cabível por razões supervenientes de interesse público, devidamente comprovadas.
  • C é obrigatória, por ato da autoridade competente, se constatada ilegalidade.
  • D somente é possível judicialmente, por provocação dos interessados ou da própria Administração.
  • E não é juridicamente possível, violando os direitos subjetivos dos licitantes e a vinculação ao instrumento convocatório.

Redação Oficial

5

No que tange à linguagem dos atos normativos, com base no que orienta o Manual de redação da Presidência da República, é correto afirmar que

  • A as comunicações que partem dos órgãos públicos federais devem ser compreendidas por todo e qualquer cidadão brasileiro. Para atingir esse objetivo, há que evitar o uso de uma linguagem restrita a determinados grupos. Não há dúvida de que um texto marcado por expressões de circulação restrita, como a gíria, os regionalismos vocabulares, tem sua compreensão dificultada. Entretanto, abre-se exceção para os jargões técnicos, inerentes ao assunto abordado.
  • B o padrão culto nada tem contra a simplicidade de expressão, desde que não seja confundida com pobreza de expressão. Caso se considere um caminho para a pobreza de linguagem, o uso do padrão culto possibilita, com reservas, o emprego de linguagem rebuscada, mas não de contorcionismos sintáticos e figuras de linguagem próprios da língua literária.
  • C se deve buscar, em nome da uniformidade, um “padrão oficial de linguagem”, com uso do padrão culto nos atos e comunicações oficiais. É claro que haverá preferência pelo uso de determinadas expressões, ou será obedecida certa tradição no emprego das formas sintáticas, e isso implica, necessariamente, que se consagre a utilização de uma forma de linguagem burocrática.
  • D a linguagem técnica deve ser empregada apenas em situações que a exijam, sendo de evitar o seu uso indiscriminado. Certos rebuscamentos acadêmicos, e mesmo o vocabulário próprio a determinada área, são de difícil entendimento por quem não esteja com eles familiarizado. Deve-se ter o cuidado, portanto, de explicitá-los em comunicações encaminhadas a outros órgãos da administração e em expedientes dirigidos aos cidadãos.
  • E a necessidade de empregar determinado nível de linguagem nos atos e expedientes oficiais decorre do próprio caráter público desses atos e comunicações. Em relação à sua finalidade, os atos oficiais estabelecem regras para a conduta dos cidadãos e regulam o funcionamento dos órgãos públicos, o que só é alcançado se for empregada a linguagem técnica adequada própria do órgão regulador.

Português

6

                                        Esportes, negócios


      Comecinho dos anos 60, nosso professor de educação física, um homem já encanecido (por isso, considerado um velho bem velho, na nossa perspectiva de adolescentes), não tinha dúvida em nos dizer: “Não briguem por causa de futebol. Futebol como esporte não existe mais, desde que se profissionalizou. Só fazia sentido quando todos eram amadores e jogavam só pelo prazer do jogo e pelo amor à camisa”. Era uma opinião radical, mas que nos fazia pensar em sua consistência.

      Por certo o professor estava se referindo a experiências de sua meninice e adolescência, nos anos 30 e 40, quando o futebol ainda era uma espécie de arte pela arte, sem a intromissão decisiva dos chamados “interesses do mercado”. Às vezes acho que a nostalgia de meu professor tinha toda a razão de ser: era possível e desejável gostar de um esporte apenas pelas qualidades intrínsecas desse esporte.

      Altos negócios no mundo das atrações de massa supõem muito dinheiro, plena visibilidade e excesso de celebração. Nada disso falta, hoje, aos esportes de alto rendimento que sejam também negociáveis, isto é, que constituam matéria de interesse para milhões de consumidores. Com isso, perde-se aquela dimensão de gratuidade que havia nos esportistas empenhados numa tarefa em que a competitividade não eliminava o prazer, que por sua vez não se rendia a poderosos empresários. “O que passou passou. / Jamais acenderás de novo / o lume / do tempo que passou”- já desabafou o poeta Ferreira Gullar, num momento de versos céticos. O que é uma pena, diria nosso velho professor de educação física.

                                                                                     (Jayme de Souto Albuquerque, inédito)

As normas de concordância verbal estão adequada e plenamente atendidas na frase:

  • A Remontam aos anos 60, às minhas aulas de educação física, a convicção das ideias de meu professor quanto aos ônus que acarretaram a profissionalização do futebol.
  • B Ao nosso professor de educação física não impressionavam as supostas condições vantajosas a que veio se submeter a prática do futebol profissional.
  • C Quem viveu nos anos 30 certamente se deparou com uma realidade do esporte que não podiam imaginar susceptíveis às rupturas que implicariam a profissionalização.
  • D Sensível à fatalidade dos anos que inapelavelmente transcorre, o poeta Ferreira Gullar deixou que em seus versos se expressasse, mais que uma nostalgia, as impossibilidades da memória.
  • E O prazer de jogar e o amor à camisa, na época do amadorismo, não podia faltar ao praticante de um esporte cujos prazeres tornava dispensável qualquer outra retribuição.
7

O uso adequado da pontuação é fundamental para o bom entendimento do texto. Nos casos abaixo, a vírgula está usada de forma inadequada em:

  • A Todos os cidadãos brasileiros, são iguais perante a lei, conforme a Constituição Federal.
  • B Além disso, à noite, fazer caminhada até a minha casa é inseguro.
  • C Agora, em relação à tecnologia, os jovens dispõem de uma série de comodidades, salientou o pesquisador.
  • D "Eu sei, mas não devia" (Marina Colasanti).
  • E Ainda havia muito a se deliberar, todavia, considerando o horário avançado, a reunião foi encerrada.
8
Marque a opção em que a palavra NÃO apresenta dígrafo.
  • A Campo.
  • B Cachorro.
  • C Quero.
  • D Quase.
  • E Nascer.
9
Analise as afirmativas a seguir e marque em qual das opções a palavra melhor funciona como advérbio.
  • A Conheço isso melhor que você.
  • B Ela é muito melhor que vocês.
  • C Não há nada melhor que um dia após o outro.
  • D Viva em paz que você terá vida melhor.
  • E Esse auditório é melhor que o outro.
10
Leia as afirmativas a seguir e marque a opção CORRETA em que o verbo é pronominal.
  • A Eu me cortei.
  • B Ele se dá ares de importância.
  • C Banhou-se nas águas do rio.
  • D Marília vestiu-se com capricho.
  • E Eu me arrependi do que fiz.
11
Em qual das opções a seguir temos um sujeito oracional?
  • A Havia poucos ingressos à venda.
  • B Era primavera.
  • C Roubaram minha carteira.
  • D Cumpre trabalharmos bastante.
  • E Mande-as entrar.
12
Leia as afirmativas a seguir quanto à regência verbal e marque a opção CORRETA.
  • A Esqueceram de mim.
  • B Esqueceram-me todos os documentos.
  • C Não lembro do seu nome.
  • D Todos obedecem o regulamento.
  • E Nunca revide nenhuma agressão.
13

                              Conversa sobre o liberalismo


      O liberalismo promoveu uma ideia curiosa: para fazer a felicidade de todos (ou, ao menos, da maioria), não seria necessário decidir qual é o bem comum e, logo, impor aos cidadãos que se esforçassem para realizá-lo. Seria suficiente que cada um se preocupasse com seus interesses e seu bem-estar. Essa atitude espontânea garantiria o melhor mundo possível para todos. Afinal, nenhum malandro seria tolo a ponto de perseguir seu interesse particular de maneira excessiva, pois isso comprometeria o bem-estar dos outros e produziria conflitos que reverteriam contra o suposto malandro.

      Ora, o liberalismo, aparentemente, pegou pra valer. Não paro de encontrar pessoas convencidas de que, cuidando só de seus interesses, elas, no mínimo, não fazem mal a ninguém. O caso seguinte ilustra o que digo.

      Converso com o moço que dirige o táxi. Falamos de perspectivas políticas. Ele está indignado com a corrupção das altas e das baixas esferas da política, convencido de que, não fossem os ladrões, o país avançaria e resolveríamos todos os nossos problemas. Concordo, mas aponto que, mesmo calculando generosamente, o dinheiro que some na corrupção não seria suficiente para mudar o Brasil. Sem dúvida, deve ser bem inferior ao dinheiro que o governo deixa de arrecadar por causa da sonegação banal: rendas não declaradas, notas fiscais que só aparecem sob pedido e por aí vai. Pergunto-lhe então quanto ele paga de Imposto de Renda. Ganho a famosa resposta: “Não adianta pagar, porque nada volta para a gente.” Alego que não adianta esperar que algo volte se a gente não paga.

(Adaptado de: CALLIGARIS, Contardo. Terra de ninguém. São Paulo: Publifolha, 2004, p. 252-253)

Há ocorrência de forma verbal na voz passiva e pleno atendimento às normas de concordância na frase:

  • A Costuma ocorrer com frequência, conforme a argumentação do autor do texto, distorções graves quanto ao que se entende por liberalismo.
  • B Não é dado a ninguém presumir que seus interesses pessoais, em todos os casos, haja de coincidir com os de seus semelhantes.
  • C Por que razão esperar que sejamos aquinhoados de um conjunto de benefícios que nada fizemos por merecer?
  • D Os impostos de renda dos sonegadores não poderão reverter em investimentos capazes de gerar benefícios públicos.
  • E O motorista de táxi acabou por fornecer ao autor argumentos que o deixou convencido da justeza de sua teoria sobre os liberais de ocasião.
14

Atenção: Para responder à questão, baseie-se no texto abaixo, do escritor e crítico profissional de literatura e teatro Décio de Almeida Prado.


                                         Vocação de escritor


      Os escritores, como os oficiais das forças armadas, são promovidos, seja por merecimento, seja por antiguidade. Alguns impõem-se ao público e aos seus pares em poucos golpes de audácia e talento. São os escritores natos, de vocação imperiosa e irresistível. Outros - e talvez seja este o meu caso - crescem na estima da classe intelectual graças à continuidade de um trabalho de muitos e muitos anos. Escrevem por força do ofício, mas é possível que preferissem permanecer como leitores inveterados.

      Quando vejo e revejo a minha vida, que já vai longa, passam-me pela memória várias imagens, as mais antigas às vezes, mais nítidas que as recentes. Verifico então, não sem surpresa, que fiz muitas coisas com as quais não contava e deixei de fazer outras tantas que planejara, é verdade que no plano superficial da vontade, não das forças mais profundas da personalidade.

      Na minha meninice, sonhei muito em ser poeta. Depois, já na adolescência, na hora difícil de optar por uma profissão, desejei ser médico, como meu pai, casando, de certo modo, clínica e literatura. Já no fim dos estudos superiores, na falta de melhor, tentei ser professor de filosofia, matéria que, apesar de não ter “a cabeça metafísica”, ensinei por bastante tempo em colégios estaduais, sem qualquer proveito para Aristóteles e Kant, mas com imenso prazer pessoal e alguma aquiescência dos alunos. Não podia imaginar que, levado, certa vez, a escrever uma crítica de teatro, estava definindo, para sempre, o meu futuro. Confesso que tenho orgulho em haver contribuído, na medida das minhas forças, para que o teatro saísse da posição humilhante de primo pobre que ocupava entre as artes literárias brasileiras.

(Adaptado de: PRADO, Décio de Almeida. Seres, coisas, lugares. São Paulo: Companhia das Letras, 1997, 181-182)

O verbo indicado entre parênteses deverá flexionar-se de modo a concordar com o elemento sublinhado em:

  • A Não (faltar) ao autor, a despeito de suas vocações aparentes, bastante ânimo para reerguer o prestígio do teatro nacional.
  • B Quando a alguém não (ocorrer) atender seus impulsos primeiros, é possível que venha a atender sua vocação essencial.
  • C Diante das condições que (atravessar), naqueles anos, o teatro nacional, não hesitou o autor em buscar redimi-lo.
  • D Seria preciso que o (recomendar) amigos para a função de crítico teatral para que o autor efetivamente se consagrasse nesse trabalho.
  • E Aos alunos de colégio (brindar) o professor com suas aulas sobre Kant e Aristóteles, de modo modesto, segundo ele mesmo confessa.

Administração Geral

15

Os autores Peter Drucker e Warren Blank afirmam que podemos entender melhor os líderes se focalizarmos menos seus traços e mais o relacionamento entre eles e seus seguidores. Segundo eles, o que os líderes têm em comum é ter seguidores voluntários; não líderes não têm seguidores. Quando se foca o relacionamento como o ponto mais importante da relação entre líderes e seguidores, encontramos o que Warren Blank resume em nove leis da liderança. A seguir estão listadas as mais importantes, à exceção de uma. Assinale-a.

  • A Líderes com a intenção de realizar algo importante devem envolver outras pessoas na sua causa.
  • B Um líder tem seguidores e aliados voluntários.
  • C A liderança é um campo de interação; não é tanto uma relação pessoal, mas sim uma relação interpessoal.
  • D Demanda o desenvolvimento de um sólido relacionamento profissional com colegas e colaboradores.
  • E A liderança ocorre sob a forma de um evento, ou de liderança em condições específicas: o líder de hoje será o líder de amanhã.
16

As afirmativas a seguir remetem a fatores do comportamento organizacional como motivação e liderança. Indique se elas são verdadeiras (V) ou falsas (F):
( ) As pessoas têm interesses, ambições e necessidades. São forças internas que agem e orientam os indivíduos.
( ) Existem somente três estilos de liderança: liderança autocrática, democrática e liberal.
( ) Podemos afirmar que, geralmente, um líder utiliza diferentes estilos de liderança.
Assinale a alternativa que apresente a sequência correta, de cima para baixo.

  • A V, F, V
  • B F, V, V
  • C V, V, F
  • D V, V, V
  • E F, F, F
17

A liderança em que o comportamento do “líder formal” deve variar de acordo com o nível de maturidade dos integrantes do grupo e no qual a responsabilidade pela realização dos objetivos do grupo não é do “líder formal" é denominada:

  • A democrática.
  • B servidora.
  • C liberal.
  • D autocrática.
  • E situacional.
18

No contexto da Qualidade na Administração, a ênfase nos clientes; os aprimoramentos contínuos; a criação de equipes de trabalho (e os incentivos a elas); bem como o reconhecimento dos problemas de forma aberta, são características da(o):

  • A benchmark.
  • B kaizen.
  • C downsizing.
  • D terceirização.
  • E reengenharia de processos.
19

Um sistema de informações gerenciais de uma organização deve ser definido a partir:

  • A de uma consultaria externa.
  • B do seu nivel gerencial.
  • C do seu nível institucional.
  • D da sua assessoria de planejamento.
  • E do seu nivel operacional.
20

Considerando os tipos de planejamento e os níveis organizacionais, respectivamente, assinale a alternativa com a associação correta.

  • A Estratégico: Gerencial
  • B Tático: Operacional
  • C Tático: Institucional
  • D Operacional: Gerenciai
  • E Tático: Gerencial
21

O tipo de departamentalização que divide a fabricação do bem em função das operações industriais que os funcionários terão que desempenhar para produzi-lo, é a departamentalização por:

  • A linha de produto.
  • B clientes.
  • C projetos.
  • D produtos
  • E processo
22

Considerando as alternativas a seguir, é correto afirmar que o modelo burocrático de Organização tem como características o(a):

  • A empreendedorismo; a eficiência; a ênfase no processo gerencial; administração por objetivos (APO); e a transparência.
  • B racionalidade; a impessoalidade; a busca de resultados, como ênfase na função planejamento ; a meritocracia ; e o empreendedorismo,
  • C profissionalismo ; a meritocracia ; a impessoalidade; a racionalidade; e a ênfase na função planejamento.
  • D profissionalismo; o nepotismo; a impessoalidade; a racionalidade; e a ênfase na função planejamento.
  • E profissionalismo ; a meritocracia : a impessoalidade; a racionalidade; e a ênfase na função controle.
23

Em relação às habilidades do administrador, é correto afirmar que no nível estratégico:

  • A a habilidade técnica é a mais desenvolvida.
  • B não se faz necessário o uso dessas habilidades.
  • C a habilidade humana deve ser a mais desenvolvida.
  • D todas elas devem ser desenvolvidas na mesma proporção.
  • E a habilidade conceitual deve ser a mais desenvolvida.
24

O conceito de estrutura organizacional tem relação com divisão de cargos e atividades. Supondo que uma sociedade empresária deseje maximizar a autoridade do gerente de projetos, seria adequado que ela adotasse uma estrutura organizacional

  • A funcional.
  • B linear.
  • C por desempenho.
  • D projetizada.
  • E por clientes.

Comunicação Social

25

Nelson Traquina é um dos autores que tratou dos critérios de noticiabilidade. Para ele, alguns critérios dizem respeito à avaliação direta do acontecimento em termos da sua importância ou interesse (critérios substantivos) e outros ao contexto de produção da notícia e funcionam como guias para a reunião de pauta (critérios contextuais).
Os critérios substantivos e os contextuais são:



  • A Critérios substantivos - notoriedade, proximidade e relevância. Critérios contextuais - visualidade, concorrência e dia noticioso.
  • B Critérios substantivos - notoriedade, equilíbrio e disponibilidade.
    Critérios contextuais - visualidade, novidade e dia noticioso.
  • C Critérios substantivos - consonância, equilíbrio e relevância.
    Critérios contextuais - efeméride, novidade e dia noticioso.
  • D Critérios substantivos - consonância, equilíbrio e dia noticioso.
    Critérios contextuais - efeméride, novidade e relevância.
  • E Critérios substantivos - notoriedade, equilíbrio e disponibilidade.
    Critérios contextuais - inesperado, novidade e notabilidade.
26

A Língua Portuguesa é um dos principais instrumentos de trabalho do jornalista. Está inteiramente correto o título da seguinte matéria:

  • A A polícia interveio na manifestação.
  • B Houveram muitos assassinatos no Carnaval.
  • C Para arrecadar, governo tacha os mais ricos.
  • D Corrupção não tem nada haver com partidos.
  • E A viajem da seleção brasileira foi adiada.
27

Qual a opção abaixo não corresponde a uma característica da comunicação pública?

  • A Envolve os meios de comunicação dos governos, parlamentos e tribunais, excluindo os veículos comerciais e comunitários.
  • B É construída pela participação dos diversos segmentos da sociedade civil e dos poderes públicos.
  • C Diz respeito ao fluxo informacional de temas de interesse coletivos.
  • D Pode ser composta, em certas circunstâncias, por ações privadas.
28

O Código de Ética dos Profissionais da Propaganda define os seguintes princípios que devem nortear a publicidade, EXCETO:

  • A Todo anúncio deve ser preparado com senso de responsabilidade, evitando acentuar, de forma depreciativa, diferenciações sociais decorrentes do maior ou menor poder aquisitivo.
  • B O aumento no volume de verbas publicitárias pode servir para obter mudanças de atitudes dos veículos e influenciar suas decisões.
  • C O uso de pesquisas nos anúncios que deve ter fonte identificável e responsável e não pode levar a conclusões distorcidas ou opostas ao exame total da referência.
  • D As técnicas destinadas a produzir efeitos “subliminares” em publicidade ou propagada são condenadas.
29

Qual das opções abaixo explica corretamente um critério de noticiabilidade?

  • A Interesse humano, quando se refere a uma utilidade pública, como campanha de vacinação.
  • B Interesse pessoal, relato de situações que despertam a solidariedade, como tragédias ambientais.
  • C Proeminência, fato relacionado a situações bizarras e interessantes.
  • D Consequências, acontecimentos que podem interferir na vida das pessoas, por exemplo, epidemia de febre amarela.
30

Numere, por ordem cronológica, as fases do processo de construção de uma notícia, a começar pelo que seria o ponto de partida, de acordo com estudos sobre a produção de textos jornalísticos.


( ) Pauta.

( ) Edição.

( ) Redação.

( ) Apuração.


A sequência correta dessa ordenação é

  • A (1); (2); (3); (4).
  • B (1); (4); (3); (2).
  • C (3); (4); (1); (2).
  • D (4); (3); (2); (1).
31

Sobre as características éticas da linguagem e da atividade jornalística, informe se é verdadeiro (V) ou falso (F) o que se afirma a seguir.


( ) Entre o fato e a versão jornalística que se divulga, há todo um processo de percepção e de interpretação que é secundário na atividade dos jornalistas.

( ) Muitos dos problemas éticos levantados na relação com as fontes referem-se à distinção entre o que é público e o que é privado.

( ) O jornalista tem uma delegação ou representação tácita que o autoriza a ser o ouvido e o olho remotos do público, a selecionar e lhe transmitir o que possa ser interessante.

( ) O jornalista deve conjugar sua atividade com seu compromisso com o empregador: desempenhar a tarefa com inteligência, o que significa gerir conflitos de interesse que sempre cercam a administração da informação.


De acordo com as afirmações, a sequência correta é

  • A (F); (V); (V); (V).
  • B (F); (V); (F); (F).
  • C (V); (F); (V); (F).
  • D (V); (F); (F); (V).
32

Sobre as características técnicas e teóricas da notícia e da reportagem, informe se é verdadeiro (V) ou falso (F) o que se afirma a seguir.


( ) A notícia ganhou sua forma moderna copiando o relato oral dos fatos singulares.

( ) O relato dos fatos na notícia baseia-se não na narrativa em sequência temporal, mas na valorização do aspecto mais importante de um evento.

( ) No caso do texto publicado, essa informação principal deve ser a primeira, na forma de lead - proposição completa, isto é, com as circunstâncias de tempo, lugar, modo, causa, finalidade e instrumento.

( ) Deflagrou-se uma campanha permanente a favor da linguagem retórica e destacou-se a inobservância da ética como fator de regulação da linguagem jornalística na notícia.


De acordo com as afirmações, a sequência correta é

  • A (V); (F); (F); (V).
  • B (V); (V); (V); (F).
  • C (F); (V); (F); (V).
  • D (F); (F); (V); (F).
33

Sabe-se que a reportagem de ciência e tecnologia, ao informar, complementa e atualiza conhecimentos, e, nesse sentido, educa e atua sobre a sociedade e a cultura.


A esse respeito, avalie as afirmações acerca das características técnicas e teóricas da pauta, apuração, redação e edição de textos jornalísticos informativos, interpretativos e opinativos na especificidade da divulgação científica.


I. A tarefa da reportagem especializada em ciência e tecnologia é transformar conhecimento científico-tecnológico em informação jornalística.

II. O fundamental num texto de informação jornalística científica é fazer compreender e aproximar o universo da ciência do universo em que vive e pensa o consumidor da informação.

III. A reportagem de ciência e tecnologia cumpre algumas funções básicas como educar ao socializar o conhecimento pela transmissão da informação jornalística científica.

IV. As relações entre o público a que se destina o cientista e entre o público a que se destina o jornalista, no que se refere ao acontecimento científico, são semelhantes.


Está correto apenas o que se afirma em

  • A I.
  • B IV.
  • C II e IV.
  • D I, II e III.
34

Avalie as afirmações sobre Agenda-setting.


I. O conceito de “estabelecimento de agenda” (Agenda-setting) foi criado para explicar o impacto dos meios de comunicação na formação da opinião pública.

II. As decisões tomadas pelos editores e jornalistas ao selecionar e reportar a notícia têm um papel importante na construção da realidade política.

III. O processo de construção de agenda é coletivo e recíproco, ou seja, a imprensa, o público e os divulgadores do governo influenciam e são influenciados ao mesmo tempo.

IV. A cobertura da mídia influencia minimamente o público e os políticos.


Está correto apenas o que se afirma em

  • A IV.
  • B I e III.
  • C II e IV.
  • D I, II e III.

Redação Oficial

35

Em relação ao que orienta o Manual de redação da Presidência da República, analise as afirmativas a seguir:


I. Emprega-se o tratamento Vossa Excelência para Ministros do Tribunal de Contas da União.

II. Excluídas as comunicações assinadas pelo Presidente da República, todas as demais comunicações oficiais devem trazer o nome e o cargo da autoridade que as expede, abaixo do local de sua assinatura.

III. Vossa Excelência Reverendíssima é usado em comunicações dirigidas a Arcebispos e Bispos; Vossa Reverendíssima ou Vossa Senhoria Reverendíssima para Monsenhores, Cônegos e superiores religiosos. Vossa Reverência é empregado para sacerdotes, clérigos e demais religiosos.


Assinale

  • A se somente as afirmativas I e II estiverem corretas.
  • B se somente as afirmativas II e III estiverem corretas.
  • C se somente as afirmativas I e III estiverem corretas.
  • D se todas as afirmativas estiverem corretas.
  • E se nenhuma afirmativa estiver correta.
36

A ambiguidade em comunicações oficiais pode causar sérios problemas, portanto deve ser evitada, de modo a garantir a precisão das informações.
INDIQUE a alternativa que NÃO contém problemas de ambiguidade.

  • A O Delegado de Polícia redigiu seu relatório e encaminhou o respectivo inquérito à justiça.
  • B O Deputado saudou o Embaixador, em seu discurso, e solicitou sua intervenção no seu Estado.
  • C O Governador comunicou a seu secretariado que ele seria exonerado.
  • D Roubaram o computador do gabinete em que eu costumava trabalhar.
37

O ofício é um tipo de comunicação oficial que tem como finalidade o tratamento de assuntos oficiais pelos órgãos da Administração Pública entre si e também com particulares.
É INCORRETO afirmar sobre a redação de ofício.

  • A A identificação do signatário deve trazer o nome e o cargo da autoridade que o expede, abaixo do local de sua assinatura.
  • B Deve conter: tipo e número do expediente, seguido da sigla do órgão que o expede.
  • C O destinatário deve ser mencionado apenas pelo cargo que este ocupa.
  • D São empregados somente dois fechos diferentes: “Respeitosamente” e “Atenciosamente”.
38

Para manter a impessoalidade, as comunicações oficiais devem ser sempre formais.
IDENTIFIQUE o fator que NÃO concorre para a formalidade na Redação Oficial:

  • A A hierarquia entre as ideias: fundamentais e secundárias.
  • B A polidez e civilidade na fundamentação textual.
  • C O ajuste do Pronome de Tratamento à autoridade a quem se dirige.
  • D O uso do padrão culto de linguagem.
39

Os princípios norteadores da Redação Oficial visam facilitar o trabalho do redator bem como garantir a precisão e a eficiência daquela comunicação.
Sobre Redação Oficial, é INCORRETO afirmar:

  • A A qualidade básica do texto oficial é a clareza, que se define pelo texto que possibilita imediata compreensão pelo leitor.
  • B As comunicações oficiais devem ter como objetivo assegurar uma única interpretação e ser estritamente impessoais e uniformes.
  • C É necessário considerar o Serviço Público como um único comunicador. Já no caso do receptor, temos o próprio Serviço Público (de um órgão para outro) ou o conjunto dos cidadãos ou instituições tratados de forma homogênea (o público).
  • D Exige o uso do padrão culto da língua, de modo a consagrar uma linguagem burocrática, com preferência pelo uso de determinadas expressões de tradição, incluindo, necessariamente, vocábulos de circulação restrita, de modo que se atinja a pretendida compreensão por todos os cidadãos.
40

Segundo o Manual de Redação da Presidência da República, “A linguagem dos textos oficiais deve sempre pautar-se pelo padrão culto formal da língua [...]. Não é aceitável [...] que constem coloquialismos ou expressões de uso restrito a determinados grupos, que comprometeriam sua própria compreensão pelo público. [...] indesejável é também a repetição excessiva de uma mesma palavra quando há outra que pode substituí-la sem prejuízo ou alteração de sentido.” O Manual apresenta uma “lista de expressões cujo uso ou repetição deve ser evitado, indicando com que sentido devem ser empregadas e sugerindo alternativas vocabulares a palavras que costumam constar com excesso dos expedientes oficiais”.
Qual orientação está em discordância com o Manual de Redação?

  • A através de/por intermédio deAtravés de quer dizer de lado a lado, por entre: A viagem incluía deslocamentos através de boa parte da floresta. Evite o emprego com o sentido de meio ou instrumento; nesse caso empregue por intermédio, por, mediante, por meio de, segundo, servindo-se de, valendo-se de: O projeto foi apresentado por intermédio do Departamento. O assunto deve ser regulado por meio de decreto. A comissão foi criada mediante portaria do Ministro de Estado
  • B ambos/todos os doisAmbos significa ‘os dois’ ou ‘um e outro’. Evite expressões pleonásticas como ambos dois, ambos os dois, ambos de dois, ambos a dois. Quando for o caso de enfatizar a dualidade, empregue todos os dois: Todos os dois Ministros assinaram a Portaria.
  • C anexo/em anexoO adjetivo anexo concorda em gênero e número com o substantivo ao qual se refere: Encaminho as minutas anexas. Dirigimos os anexos projetos à Chefia. Use também junto, apenso. A locução adverbial em anexo, como é próprio aos advérbios, é invariável: Encaminho as minutas em anexo. Em anexo, dirigimos os projetos à Chefia. Empregue também conjuntamente, juntamente com.
  • D à partir deÀ partir de deve ser empregado preferencialmente no sentido temporal: A cobrança do imposto entra em vigor à partir do início do próximo ano. Evite repeti-la com o sentido de ‘com base em’, preferindo considerando, tomando-se por base, fundando-se em, baseando-se em.

Português

41

Joana Maria é responsável pela escrita de memorandos, ofícios, despachos administrativos e atas na Pró-Reitoria de Graduação. Suponha que as sentenças constantes no quadro a seguir foram extraídas de textos elaborados por ela.
01 Sua Excelência, o Senhor Ministro, não compareceu à reunião. 02 Senhor Deputado, peço a Vossa Excelência que conclua a sua oração. 03 Procurei o chefe da repartição, mas Sua Senhoria se recusou à me ouvir
Analisando as sentenças quanto ao uso do acento indicador de crase, Joana Maria deveria ter escrito:

  • A “à Vossa Excelência”, porque o verbo “pedir” exige a preposição “a” e “Vossa Excelência” está no feminino.
  • B “a reunião”, porque o verbo “comparecer” não exige a preposição “a” apesar de o substantivo “reunião” ser uma palavra feminina.
  • C “conclua à sua oração” em vez de “conclua a sua oração”.
  • D “se recusou a me ouvir” em vez de “se recusou à me ouvir

Redação Oficial

42

No que se refere às formas de tratamento, segundo o Manual de Redação e Estilo da Apex-Brasil, assinale a alternativa correta.

  • A O título de “doutor” e “doutora” não deve ser utilizado como forma de tratamento; usa-se somente para identificação de indivíduos que tenham o título acadêmico.
  • B As formas de tratamento “senhor” e “senhora” podem ser utilizadas em correspondências oficiais.
  • C A forma “dom”, quando incorporada ao nome da pessoa, deve ser grafada com inicial maiúscula.
  • D Pronomes de reverência não podem ser abreviados em nenhuma hipótese, por representar desrespeito à autoridade.
  • E A forma “dona”, por ser coloquial, somente deve ser usada em reproduções de falas.
43

Tendo em vista o Manual de Redação e Estilo da Apex-Brasil, assinale a alternativa que apresenta somente vocábulos escritos em conformidade com o Novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa.

  • A Ideia; baiúca.
  • B Vôo; bóia.
  • C Heroico; creem.
  • D Pelo; platéia.
  • E Asteróide; polo.
44

Com base no Manual de Redação e Estilo da Apex-Brasil, e considerando-se expressões de ampla utilização no contexto da agência, assinale a alternativa em que todos os termos da oração estão corretos.

  • A Todos compareceram à confraternização, a fora o presidente da instituição.
  • B Durante essa semana, pretendo chegar cedo na agência.
  • C Ao meu ver, a equipe está comprometida com a missão da empresa.
  • D A fim de alcançar as metas da organização, é preciso rever determinados processos.
  • E Acerca de três anos, trabalho na área de comércio exterior.
Voltar para lista