Resolver o Simulado UPENET/IAUPE

0 / 35

Pedagogia

1
O Comitê de Assistência ao Desenvolvimento da OCDE assinala que o propósito da avaliação é determinar a pertinência e o alcance dos objetivos. Assim, os critérios usualmente utilizados para avaliar o desempenho das políticas, dos programas e projetos são: eficácia, eficiência, efetividade, equidade, sustentabilidade. Sobre esses critérios, analise os itens abaixo:
I. Eficácia – capacidade de produzir os resultados esperados/desejados. II. Eficiência capacidade de produzir os resultados esperados/desejados com o menor dispêndio de recursos (materiais, humanos e financeiros). III. Efetividade – capacidade de produzir resultados permanentes, diretos e indiretos, usualmente definidos como impactos. IV. Equidade – capacidade de contribuir para a redução das desigualdades e da exclusão social. V. Sustentabilidade - capacidade institucional de sustentar financeiramente a si e outros que, porventura, se envolvam no programa e/ou projeto.
Estão CORRETOS, apenas, os itens
  • A I, II e III.
  • B II, III e IV.
  • C III, IV e V.
  • D II, III, IV e V.
  • E I, II, III e IV.
2
A meta 12 do Plano Nacional de Educação - PNE, Lei 13.005, de 25 de junho 2014, prevê elevar a taxa bruta de matrícula na educação superior para 50% (cinquenta por cento) e a taxa líquida para 33% (trinta e três por cento) da população de 18 (dezoito) a 24 (vinte e quatro) anos, assegurada a qualidade da oferta e expansão para, pelo menos, 40% (quarenta por cento) das novas matrículas, no segmento público. Para atingir tal objetivo, esse plano tem como estratégia, entre outras,
I. otimizar a capacidade instalada da estrutura física e de recursos humanos das instituições públicas de educação superior, mediante ações planejadas e coordenadas, de forma a ampliar e interiorizar o acesso à graduação. II. ampliar a oferta de vagas, por meio da expansão e interiorização da rede federal de educação superior, da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica e do sistema Universidade Aberta do Brasil. III. fomentar a oferta de educação superior pública e gratuita prioritariamente para a formação de professores e professoras para a educação básica, sobretudo nas áreas de ciências e matemática, bem como para atender ao déficit de profissionais em áreas específicas. IV. ampliar as políticas de inclusão e de assistência estudantil, dirigidas prioritariamente aos estudantes de instituições privadas de educação superior e beneficiários do Fundo de Financiamento Estudantil – FIES. V. assegurar, no mínimo, 10% (dez por cento) do total de créditos curriculares exigidos para a graduação em programas e projetos de extensão universitária, orientando sua ação, prioritariamente, para áreas de grande pertinência social.
Estão CORRETOS, apenas, os itens
  • A I, II e III.
  • B I, II, III e V.
  • C II, III, IV e V.
  • D III, IV e V.
  • E I, IV e V.
3
O planejamento de uma instituição educativa, comprometido com a democratização das práticas educativas, sociais e culturais, parte de alguns pressupostos. Sobre estes, analise as afirmativas abaixo:
I. Desenvolver um diagnóstico com novas formas de participação e de articulação com a realidade, que possibilite a tomada de decisões políticas e sócio-educacionais. II. Superar o caráter autoritário, centralizador e tecnocrático mediante um processo com a participação dos diversos segmentos educacionais e a comunidade. III. Considerar como características principais uma sequência burocrática, organizada e eficaz. IV. Cooperar com todo o efetivo escolar no desenvolvimento de uma racionalidade técnica, centralizada e sistemática. V. Transformar o modo de planejar com adoção dos aspectos de integração, articulação e continuidade.
Estão CORRETAS, apenas,
  • A I, III e V.
  • B II, IV e V.
  • C III, IV e V.
  • D I, II e III.
  • E I, II e V
4
A Lei Nº 13.005, de 25 de junho de 2014, do Plano Nacional de Educação - PNE em sua meta 11, referente à formação do trabalhador, relaciona-se à educação profissional média de nível técnico e estabelece como prioridade
  • A triplicar as matrículas da educação, assegurando a qualidade da oferta.
  • B redução da forma de oferta concomitante de cursos.
  • C criação dos mecanismos que garantam o acesso à permanência do aluno.
  • D obrigação de forma integrada para manter a qualidade de ensino.
  • E verticalização do ensino, visando ao acesso do egresso do ensino médio profissional para o ensino superior.
5
O planejamento de ensino contextualizado por meio de projetos didáticos auxilia no processo de construção do conhecimento do aluno e fundamenta-se em alguns pressupostos, dos quais se destacam todos abaixo citados, EXCETO:
  • A Parte de problemas de pesquisa que se relacionam com problemas sociais.
  • B Organiza as atividades de pesquisas nas quais os alunos aprendem a partir de situações-problema.
  • C O ensino é organizado em unidades separadas por meio de textos, tendo como centro de discussão o conteúdo das disciplinas.
  • D Os temas selecionados têm como referência o projeto pedagógico e a realidade do aluno.
  • E Contribui para o trabalho colaborativo e autônomo entre professores e alunos.
6
O Analista Técnico em Gestão Universitária – Pedagogo deve corroborar a gestão da unidade educacional, assessorando as atividades de
  • A organização de atividades teóricas e práticas de natureza didático-pedagógica em sala de aula.
  • B intervenção em práticas pedagógicas dos professores para o desenvolvimento de projetos de extensão.
  • C pesquisas teóricas e práticas com registro das atividades técnicas.
  • D fortalecimento de práticas pedagógicas, com vistas à articulação do ensino, da pesquisa e da extensão.
  • E inserção e alterações novas nas concepções e práticas estabelecidas nos projetos de curso.
7
Na educação contemporânea, a organização curricular tem como foco
  • A a organização sequencial de disciplinas de um curso.
  • B o conjunto de atividades planejadas para um curso.
  • C o processo dinâmico de organização e construção do conhecimento pelo estudante.
  • D o percurso da vida educacional e profissional de uma pessoa.
  • E as normas e orientações dadas durante um programa ou curso.
8
Zabala (1998) explicita que a validade de uma sequência didática deve ser avaliada quando favorece o maior grau de significância às aprendizagens. Nesse sentido, as sequências didáticas são adequadas numa perspectiva construtivista, quando
I. identificam os conhecimentos prévios que cada aluno tem em relação ao novo conhecimento. II. propõem conteúdos que sejam significativos, funcionais e adequados ao desenvolvimento dos alunos. III. deixam que cada aluno supere individualmente suas dificuldades, considerando que os conteúdos são bem trabalhados pelos professores. IV. consideram as competências atuais dos alunos e permitem avançar com a ajuda necessária do professor como mediador, ou seja, intervêm na zona de desenvolvimento proximal. V. determinam que os alunos pesquisem todos os conteúdos a serem trabalhados na unidade e, assim, não apresentem dificuldades no processo de ensino do professor.
Estão CORRETAS, apenas, as afirmativas
  • A I, II e III.
  • B II, III e IV.
  • C I, IV e V.
  • D I, II e IV.
  • E II, III e V.
9

De acordo com a Lei 13.005/2014, referente ao Plano Nacional de Educação-PNE, em seu Art. 2º, são diretrizes do PNE, analise os itens abaixo:


I. Superação das desigualdades educacionais, com ênfase na promoção da cidadania e na erradicação de todas as formas de discriminação.

II. Formação para o trabalho e para a cidadania, com ênfase nos valores morais e éticos em que se fundamenta a sociedade.

III. Promoção do princípio da gestão democrática da educação pública.

IV. Promoção humanística, científica, cultural e tecnológica do País.

V. Estabelecimento de meta de aplicação de recursos públicos em educação, que assegure atendimento às necessidades de expansão, com padrão de qualidade e equidade, independente dos resultados e da proporção do Produto Interno Bruto/PIB.


Estão CORRETAS, apenas,

  • A II, III e V.
  • B I, II, III e IV
  • C I e IV.
  • D I, III e V.
  • E II e III.
10

Conforme o Art. 39, § 2º, da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional LDB.9394/96, A educação profissional e tecnológica abrangerá alguns cursos. Sobre eles, analise os itens abaixo:


I. de formação inicial e continuada ou qualificação profissional.

II. de educação profissional técnica de nível médio.

III. de educação profissional tecnológica de graduação e pós-graduação.

IV. de educação experimental no campo das tecnologias.

V. de formação profissionalizante, tendo duração curta de até dois anos.


Estão CORRETOS, apenas,

  • A I, II e III.
  • B II, III e IV.
  • C III, IV e V.
  • D II e IV.
  • E III e V.
11
A elaboração, execução e avaliação do projeto pedagógico ou do plano de desenvolvimento institucional de uma unidade de educação consistem numa estratégia para conduzir, de forma articulada, as ações.
Nas etapas de coordenação do projeto ou plano, é necessário investir coletivamente em, EXCETO:
  • A diagnóstico, que identifica fatores positivos e negativos presentes na realidade institucional.
  • B descrição detalhada das atribuições e funções dos cargos de cada membro da comunidade educativa.
  • C marco operativo, que propõe ações para diminuir a distância entre a realidade da instituição e o ideal proposto.
  • D marco referencial, que implica explicitar onde se está, para onde se quer ir e qual o horizonte de ação.
  • E estratégias coletivas para que todas as propostas e estratégias sejam realizadas com sucesso.
12
A verificação do rendimento escolar do aluno, de acordo com a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, de 1996, enfatiza
  • A a realização de avaliação contínua por meio de instrumentos objetivos, como provas objetivas e dissertativas, com critérios de correção previamente definidos.
  • B estudos de recuperação ao final do ano letivo, para o aluno que apresentar frequência e desempenho mínimos durante o ano letivo.
  • C um ensino de qualidade ao aluno no Ensino Fundamental e no Médio para subsidiar seu desempenho ao final da Educação Básica e no processo de ingresso à universidade.
  • D a realização de um diagnóstico dos conhecimentos prévios da criança e do adolescente, adquiridos antes do seu ingresso na escola, para subsidiar o planejamento de um currículo restrito à realidade local do aluno.
  • E uma avaliação contínua e cumulativa do desempenho do aluno, com prevalência dos aspectos qualitativos sobre os quantitativos e dos resultados ao longo do período sobre os de eventuais provas finais.
13
“A nova sociedade será uma sociedade do conhecimento. O conhecimento será seu principal recurso, e os trabalhadores do conhecimento constituirão o grupo dominante da força de trabalho.” (Drucker, 1993, p. 125.)
Considerando o fragmento do texto exposto e o papel do pedagogo numa instituição educativa, analise as afirmativas a seguir:
I. Zelar pelas ações de caráter educativo relacionadas ao desenvolvimento do trabalhador com capacitação, além de avaliar e diagnosticar constantemente futuras necessidades ou falhas, indicando metodologias adequadas ao contexto institucional. II. Elaborar e coordenar projetos e programas de formação continuada, contribuindo, assim, para o aprimoramento, bem como para a promoção do conhecimento. III. Promover o acesso ao conhecimento dentro da instituição educacional de forma interdisciplinar e fazer uso de metodologias diversificadas e adequadas, com o olhar atento para o alcance dos objetivos traçados pela equipe gestora quanto ao aprendizado dos estudantes. IV. Capacitar funcionários para provocar mudanças no perfil de cada um, contribuindo para o crescimento da confiança, flexibilidade, criatividade, e se perceber produtivo, capaz de crescer tanto no âmbito profissional quanto pessoal, despertando o prazer no desempenho das funções. V. Elaborar projetos pedagógicos de curso - PPC para serem coordenados pelos professores de cada área de conhecimento.
Estão CORRETAS, apenas,
  • A I, II, III e IV.
  • B I, II e III.
  • C II, IV e V.
  • D III, IV e V.
  • E II, III, IV e V.
14
“Segundo Finger (2003), a educação de adultos tem merecido especial atenção da UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura), desde a sua criação, podendo a sua contribuição para este campo ser considerada histórica, especialmente no que se refere à alfabetização e educação básica de adultos.” Nesse sentido, analise as características que fundamentam essa proposição:
I. despertar, no adulto, a consciência da necessidade de instruir-se e a noção clara da sua participação na sociedade. II. partir dos elementos que compõem a realidade do educando, que se destacam como expressão de sua relação direta e contínua com o mundo em que vive. III. impor o método ao educando de acordo com a realidade da maioria e sua condição cognitiva. IV. propor conteúdos de conhecimento, que devem ser justificados como uma contribuição para melhoria das condições de vida do cidadão. V. realizar atividades problematizadoras, considerando a realidade e os conhecimentos prévios dos educandos.
Estão CORRETAS, apenas, as afirmativas
  • A I, II e V.
  • B I, II e III.
  • C II, III e IV.
  • D I, II, IV e V.
  • E II, III, IV e V.
15
O papel do pedagogo na equipe multidisciplinar de uma organização educativa deve ser o de
  • A mediar o projeto institucional em consonância com os pressupostos da sociedade capitalista globalizada.
  • B ampliar as possibilidades educacionais, controlando a prática pedagógica dos gestores e docentes.
  • C responsabilizar-se pelos espaços criativos para desenvolver práticas pedagógicas que privilegiem as atividades rotineiras.
  • D organizar, supervisionar e avaliar processos da prática educativa de forma técnica e burocrática.
  • E integrar os espaços educativos com os espaços sociais, favorecendo atividades coletivas, includentes e socializadoras.
16

O pedagogo deve analisar e fazer uma adequação dos métodos e das abordagens a serem utilizados aos objetivos e às condições diferenciadas de ensino-aprendizagem. Considerando os diferentes paradigmas e abordagens sobre o comportamento humano para a escolha e melhor condução dos trabalhos numa instituição educacional, analise as afirmativas abaixo:


I. Na abordagem tradicional, os ensinamentos são definidos alheios à vontade daquele que aprende, pois alguém fará o julgamento e organizará a seleção de temas a serem repassados.

II. Na abordagem comportamentalista, defende-se um comportamento padronizado com o intuito de manter a ordem. O homem tem de se submeter ao ambiente e, a partir daí, explicitar suas ações.

III. Na abordagem cognitivista, o homem e o mundo possuem relação dinâmica de trocas e atuação constantes. O homem, pela sua inteligência em constante aperfeiçoamento, modifica-se sempre e modifica o meio em benefício próprio.

IV. Na abordagem sociocultural, o mundo é o resultado da ação do homem e, por isso, o homem deve pré-avaliar suas ações, porque elas têm ascendência sobre o ambiente. Nesse paradigma, coloca-se nas mãos dos indivíduos a responsabilidade pela organização social.

V. Na abordagem humanista, o homem e o mundo são inseparáveis, mas neste paradigma, o homem se sobressai sobre o mundo por ser o organizador, o estruturador, o grande ser, determinado pelas mudanças sociais.

Estão CORRETAS, apenas, as afirmativas

  • A I e III.
  • B II, IV e V.
  • C I, II, IV e V.
  • D I, II e III.
  • E II, III e V.
17

No Brasil, além da pouca tradição de avaliação de programas educacionais, quando esta ocorre, muitas vezes, reveste-se de um caráter formal, não se observando a valorização de seus resultados para a revisão/reformulação das propostas e ações que constituem objeto de avaliação (BAUER; SOUZA, 2015).

No intuito de avançar e superar o caráter formal e burocrático no processo de avaliação de programas, é preciso


I. avançar no sentido da maior institucionalização das avaliações não no plano simplesmente administrativo, fiscalizatório ou burocrático-formal, mas no sentido formativo, que busque incorporar o uso dos resultados obtidos para mudanças, reajustes e melhorias das políticas públicas.

II. concretizar uma perspectiva de avaliação que venha a constituir, numa ação intrínseca, a execução de um programa que suponha o enfrentamento de limitações de natureza técnica, que abrange desde a opção por abordagem avaliativa adequada aos propósitos e ao objeto de avaliação até a construção de instrumental válido e fidedigno.

III. que o avaliador não tenha independência e nenhum controle das informações por ele fornecidas. Afinal, o relatório pertence à burocracia da instituição avaliada e vai para seus arquivos.

IV. nas decisões relativas ao delineamento da proposta avaliativa, estabelecer indicadores capazes de sintetizar dimensões de qualidade do objeto em análise. Etapa complexa, principalmente, quando se trata de avaliar objetos no âmbito educacional.

V. entender que a avaliação é realizada para satisfazer os propósitos e valores daqueles que a contratam e deve fornecer informações técnicas que ajudem as instituições a atingirem seus objetivos, exclusivamente, políticos de interesse interno.


Estão CORRETAS as afirmativas

  • A I, II e III.
  • B II, III e IV.
  • C I, II e IV.
  • D II, IV e V.
  • E III, IV e V.
18
Lück (2000) destaca que a sociedade defronta-se com um grande leque de áreas de conhecimento e de teorias dentro dessas áreas, que passam a gerar dúvidas, tendo em vista que tais conhecimentos foram, em geral, produzidos por meio da visão de linearidade e atomização, resultando em conhecimentos dissociados do todo ou de outras partes desse mesmo todo. Nesse sentido, para que seja possível reverter esse tipo de conhecimento distanciado da realidade, desagregado, limitado, surge a necessidade da proposição de contextos e currículos
  • A disciplinares como meio de superação da desagregação.
  • B interdisciplinares como meio de superação da fragmentação.
  • C disciplinares como meio de superação da fragmentação.
  • D interdisciplinares como meio de superação da veiculação.
  • E disciplinares como meio de superação da articulação.
19

[...] a universidade deve ser o lugar por excelência do cultivo do espírito, do saber e onde se desenvolvem as mais altas formas de cultura e da reflexão. [...] a universidade é por excelência razão concretizada, inteligência institucionalizada, daí ser, por natureza, crítica, porque a razão é eminentemente crítica.

(LUCKESI, et al., 1991, p 41).

De acordo com a citação, o profissional pedagogo deve favorecer a realização de

I. programas de formação continuada de docentes com perspectiva problematizadora, focados na formação crítica e científica.

II. formação de pessoal técnico, contribuindo para a construção de reflexão crítica sobre os processos educacionais para efetuar as mudanças necessárias no âmbito da instituição educativa onde atua.

III. mudanças no comportamento humano de profissionais que vivem em situação de conflito pessoal e que participam das propostas da instituição educativa.

IV. encontros com diversos segmentos que compõem a instituição para que todos contribuam com o projeto pedagógico institucional e possam atuar como agentes de mudança.

V. de todas as atividades culturais e cerimônias oficiais que a instituição tenha a realizar e sejam necessárias ao bom andamento das ações burocráticas dos cursos.


Estão CORRETAS, apenas,

  • A I, II e III.
  • B II, III e IV.
  • C I, II e IV.
  • D II e V.
  • E III e IV.
20
O planejamento eficaz da ação pedagógica na instituição educacional possibilita a realização de funções educativas, que resultam na produção e circulação de conhecimento.
Nesse contexto, o pedagogo precisa ter competência para
  • A definir, com a gestão institucional, a missão, os compromissos e as metas durante a construção dos Projetos Pedagógicos de Curso - PPC, tendo como referência as necessidades internas, independente da legislação vigente.
  • B participar na elaboração da proposta pedagógica institucional, definindo as linhas norteadoras do currículo, princípios metodológicos, procedimentos didáticos, estratégias de formação continuada para docentes, concepções de avaliação, entre outros.
  • C desenvolver um currículo escolar que organize e possibilite a produção do conhecimento numa perspectiva de formação voltada à cidadania com a participação de todos os representantes da comunidade acadêmica e das instituições municipais, como secretarias e câmara de vereadores.
  • D favorecer a formação continuada dos professores e contribuir sempre com a liberação de todos os interessados para a participação em congressos, seminários, simpósios e pós-graduação da área de interesse da instituição.
  • E contribuir com a contextualização e articulação das várias áreas do conhecimento, tendo o professor e o ensino como foco principal das ações, buscando a construção individual de competências e habilidades acadêmicas dos profissionais envolvidos.

Português

21

TEXTO 2


                              Furto de flor


Furtei uma flor daquele jardim. O porteiro do edifício cochilava, e eu furtei a flor.

Trouxe-a para casa e coloquei-a no copo com água. Logo senti que ela não estava feliz. O copo destina-se a beber, e flor não é para ser bebida.

Passei-a para o vaso, e notei que ela me agradecia, revelando melhor sua delicada composição. Quantas novidades há numa flor, se a contemplarmos bem.

Sendo autor do furto, eu assumira a obrigação de conservá-la. Renovei a água do vaso, mas a flor empalidecia. Temi por sua vida. Não adiantava restituí-la ao jardim. Nem apelar para o médico de flores. Eu a furtara, eu a via morrer.

Já murcha, e com a cor particular da morte, peguei-a docemente e fui depositá-la no jardim onde desabrochara. O porteiro estava atento e repreendeu-me.

– Que ideia a sua, vir jogar lixo de sua casa neste jardim!


ANDRADE, Carlos Drummond de. Contos plausíveis. Rio de Janeiro: Record, 1991. p. 76.

Algumas formas verbais recebem acento gráfico quando se ligam a pronomes átonos, como “conservá-la”. Assinale a alternativa em que a forma verbal está CORRETAMENTE acentuada ou está, CORRETAMENTE, sem acento gráfico.
  • A Não gosto muito da bolsa que comprei. Resolvi da-la de presente.
  • B Li um texto maravilhoso em inglês. Estou pensando em traduzí-lo.
  • C Já lhe disse o recado duas vezes e agora tenho que repetí-lo novamente.
  • D Apesar de gostar muito da minha casa, sei que algum dia terei que vendê-la.
  • E Conheci um servidor público excepcional. Era preciso distinguí-lo dos demais.
22

TEXTO 2


                                Hino de Pernambuco


                          Coração do Brasil em teu seio

                          Corre o sangue de heróis – rubro veio

                          Que há de sempre o valor traduzir

                          És a fonte da vida e da história

                          Desse povo coberto de glória

                          O primeiro, talvez, no porvir


                           Salve, ó terra dos altos coqueiros!

                           De belezas soberbo estendal!

                           Nova Roma de bravos guerreiros

                           Pernambuco, imortal! Imortal!


                           Esses montes e vales e rios

                           Proclamando o valor de teus brios

                           Reproduzem batalhas cruéis

                           No presente és a guarda avançada

                           Sentinela indormida e sagrada

                           Que defende da Pátria os lauréis


                           Salve, ó terra dos altos coqueiros!

                           De belezas soberbo estendal!

                           Nova Roma de bravos guerreiros

                           Pernambuco, imortal! Imortal!

Trecho do Hino de Pernambuco. Letra de Oscar Brandão da Rocha e música de Nicolino Milano. Disponível em: https://www.letras.mus.br/hinos-de-estados/1655087/. Acesso em: 10/07/2018.

No Texto 2, as palavras “cruéis” e “lauréis” aparecem grafadas com acento agudo, em atendimento às normas ortográficas vigentes.


Para atender a essas normas, também se devem grafar com acento agudo as palavras:

  • A fortuíto e indú.
  • B tireóide e gratuíto.
  • C heroína e biquíni.
  • D rúbrica e caquí.
  • E púdico e européia.
23

TEXTO 2


                                Hino de Pernambuco


                          Coração do Brasil em teu seio

                          Corre o sangue de heróis – rubro veio

                          Que há de sempre o valor traduzir

                          És a fonte da vida e da história

                          Desse povo coberto de glória

                          O primeiro, talvez, no porvir


                           Salve, ó terra dos altos coqueiros!

                           De belezas soberbo estendal!

                           Nova Roma de bravos guerreiros

                           Pernambuco, imortal! Imortal!


                           Esses montes e vales e rios

                           Proclamando o valor de teus brios

                           Reproduzem batalhas cruéis

                           No presente és a guarda avançada

                           Sentinela indormida e sagrada

                           Que defende da Pátria os lauréis


                           Salve, ó terra dos altos coqueiros!

                           De belezas soberbo estendal!

                           Nova Roma de bravos guerreiros

                           Pernambuco, imortal! Imortal!

Trecho do Hino de Pernambuco. Letra de Oscar Brandão da Rocha e música de Nicolino Milano. Disponível em: https://www.letras.mus.br/hinos-de-estados/1655087/. Acesso em: 10/07/2018.

Releia o seguinte trecho: “Sentinela indormida e sagrada / Que defende da Pátria os lauréis”.


No segundo verso, observe o cumprimento das normas de regência, apesar da ordem não canônica dos elementos. Se esse verso fosse alterado, em qual alternativa estaria preservada a coerência e seriam cumpridas as normas da regência verbal?

  • A “Sentinela indormida e sagrada / Que homenageia da Pátria os lauréis”.
  • B “Sentinela indormida e sagrada / Que agradece da Pátria os lauréis”.
  • C “Sentinela indormida e sagrada / Que gosta da Pátria os lauréis”
  • D “Sentinela indormida e sagrada / Que se lembra da Pátria os lauréis”.
  • E “Sentinela indormida e sagrada / Que depende da Pátria os lauréis”.
24

TEXTO 2


                              Furto de flor


Furtei uma flor daquele jardim. O porteiro do edifício cochilava, e eu furtei a flor.

Trouxe-a para casa e coloquei-a no copo com água. Logo senti que ela não estava feliz. O copo destina-se a beber, e flor não é para ser bebida.

Passei-a para o vaso, e notei que ela me agradecia, revelando melhor sua delicada composição. Quantas novidades há numa flor, se a contemplarmos bem.

Sendo autor do furto, eu assumira a obrigação de conservá-la. Renovei a água do vaso, mas a flor empalidecia. Temi por sua vida. Não adiantava restituí-la ao jardim. Nem apelar para o médico de flores. Eu a furtara, eu a via morrer.

Já murcha, e com a cor particular da morte, peguei-a docemente e fui depositá-la no jardim onde desabrochara. O porteiro estava atento e repreendeu-me.

– Que ideia a sua, vir jogar lixo de sua casa neste jardim!


ANDRADE, Carlos Drummond de. Contos plausíveis. Rio de Janeiro: Record, 1991. p. 76.

Sabemos que a vírgula pode ser empregada, também, como um recurso estilístico. No Texto 2, por exemplo, a vírgula é facultativa no seguinte trecho:
  • A “Renovei a água do vaso, mas a flor empalidecia.”
  • B “O porteiro do edifício cochilava, e eu furtei a flor.”
  • C “Eu a furtara, eu a via morrer.”
  • D “Sendo autor do furto, eu assumira a obrigação de conservá-la.”
  • E “– Que ideia a sua, vir jogar lixo de sua casa neste jardim!”
25

TEXTO 2


                              Furto de flor


Furtei uma flor daquele jardim. O porteiro do edifício cochilava, e eu furtei a flor.

Trouxe-a para casa e coloquei-a no copo com água. Logo senti que ela não estava feliz. O copo destina-se a beber, e flor não é para ser bebida.

Passei-a para o vaso, e notei que ela me agradecia, revelando melhor sua delicada composição. Quantas novidades há numa flor, se a contemplarmos bem.

Sendo autor do furto, eu assumira a obrigação de conservá-la. Renovei a água do vaso, mas a flor empalidecia. Temi por sua vida. Não adiantava restituí-la ao jardim. Nem apelar para o médico de flores. Eu a furtara, eu a via morrer.

Já murcha, e com a cor particular da morte, peguei-a docemente e fui depositá-la no jardim onde desabrochara. O porteiro estava atento e repreendeu-me.

– Que ideia a sua, vir jogar lixo de sua casa neste jardim!


ANDRADE, Carlos Drummond de. Contos plausíveis. Rio de Janeiro: Record, 1991. p. 76.

Assinale a alternativa em que todas as formas verbais estão CORRETAMENTE flexionadas.
  • A Se nós mantêssemos vigilância constante nos jardins da cidade, não haveria tantas flores roubadas.
  • B Um homem tentou roubar uma flor do jardim, mas o vigilante interviu e não permitiu o roubo.
  • C Nós requisemos nosso dinheiro de volta quando compramos flores e elas logo murcharam.
  • D Se você vier a minha casa, por favor, não traga flores roubadas de algum jardim.
  • E É tão interessante saber que as pessoas se entreteram com uma simples flor!
26

TEXTO 2


                              Furto de flor


Furtei uma flor daquele jardim. O porteiro do edifício cochilava, e eu furtei a flor.

Trouxe-a para casa e coloquei-a no copo com água. Logo senti que ela não estava feliz. O copo destina-se a beber, e flor não é para ser bebida.

Passei-a para o vaso, e notei que ela me agradecia, revelando melhor sua delicada composição. Quantas novidades há numa flor, se a contemplarmos bem.

Sendo autor do furto, eu assumira a obrigação de conservá-la. Renovei a água do vaso, mas a flor empalidecia. Temi por sua vida. Não adiantava restituí-la ao jardim. Nem apelar para o médico de flores. Eu a furtara, eu a via morrer.

Já murcha, e com a cor particular da morte, peguei-a docemente e fui depositá-la no jardim onde desabrochara. O porteiro estava atento e repreendeu-me.

– Que ideia a sua, vir jogar lixo de sua casa neste jardim!


ANDRADE, Carlos Drummond de. Contos plausíveis. Rio de Janeiro: Record, 1991. p. 76.

Para uma leitura adequada do Texto 2, é indispensável a apreciação de seus recursos expressivos. Acerca de tais recursos, analise as afirmativas a seguir:


1. O tom sério, confessional, como o narrador assume o seu “crime” só pode ser admitido se o texto for considerado no plano ficcional, literário.

2. A linguagem rebuscada, rigorosamente atenta à norma culta, destoa da situação narrativa a tal ponto que impede que a história possa ser aceita, mesmo como ficção.

3. A flor aparece no texto como elemento personificado, isto é, com características e ações humanas, como “não estar feliz”, “agradecer” e “empalidecer”.

4. A percepção do porteiro em relação à flor, revelada por sua fala no desfecho da história, coincide com os sentimentos e a percepção fantasiosa do narrador.


Estão CORRETAS, apenas:

  • A 1 e 2.
  • B 1 e 3.
  • C 1, 3 e 4.
  • D 2 e 3.
  • E 2, 3 e 4.
27

TEXTO 2


                                Hino de Pernambuco


                          Coração do Brasil em teu seio

                          Corre o sangue de heróis – rubro veio

                          Que há de sempre o valor traduzir

                          És a fonte da vida e da história

                          Desse povo coberto de glória

                          O primeiro, talvez, no porvir


                           Salve, ó terra dos altos coqueiros!

                           De belezas soberbo estendal!

                           Nova Roma de bravos guerreiros

                           Pernambuco, imortal! Imortal!


                           Esses montes e vales e rios

                           Proclamando o valor de teus brios

                           Reproduzem batalhas cruéis

                           No presente és a guarda avançada

                           Sentinela indormida e sagrada

                           Que defende da Pátria os lauréis


                           Salve, ó terra dos altos coqueiros!

                           De belezas soberbo estendal!

                           Nova Roma de bravos guerreiros

                           Pernambuco, imortal! Imortal!

Trecho do Hino de Pernambuco. Letra de Oscar Brandão da Rocha e música de Nicolino Milano. Disponível em: https://www.letras.mus.br/hinos-de-estados/1655087/. Acesso em: 10/07/2018.

Assinale a alternativa em que o sinal indicativo de crase foi CORRETAMENTE empregado.
  • A É importante ressaltar, em música, às belezas de Pernambuco.
  • B É interessante como nosso hino alude à diversos fatos históricos.
  • C Cantar o hino é, sem dúvida, render homenagem à Pernambuco.
  • D Há quem considere o hino uma declaração de amor à nosso estado.
  • E O hino nos remete àquilo que nos identifica como pessoas: nossas raízes.
28

TEXTO 2


                                Hino de Pernambuco


                          Coração do Brasil em teu seio

                          Corre o sangue de heróis – rubro veio

                          Que há de sempre o valor traduzir

                          És a fonte da vida e da história

                          Desse povo coberto de glória

                          O primeiro, talvez, no porvir


                           Salve, ó terra dos altos coqueiros!

                           De belezas soberbo estendal!

                           Nova Roma de bravos guerreiros

                           Pernambuco, imortal! Imortal!


                           Esses montes e vales e rios

                           Proclamando o valor de teus brios

                           Reproduzem batalhas cruéis

                           No presente és a guarda avançada

                           Sentinela indormida e sagrada

                           Que defende da Pátria os lauréis


                           Salve, ó terra dos altos coqueiros!

                           De belezas soberbo estendal!

                           Nova Roma de bravos guerreiros

                           Pernambuco, imortal! Imortal!

Trecho do Hino de Pernambuco. Letra de Oscar Brandão da Rocha e música de Nicolino Milano. Disponível em: https://www.letras.mus.br/hinos-de-estados/1655087/. Acesso em: 10/07/2018.

O Texto 2 é bastante conhecido dos pernambucanos e, como é típico de textos do gênero em que ele se organiza, exalta aspectos culturais, geográficos e sócio-históricos de um determinado lugar.


No caso do Texto 2, há exaltação explícita:


1. à semelhança geográfica entre a cidade do Recife e Roma, a capital italiana.

2. à vegetação típica de Pernambuco, especialmente aos coqueirais do estado.

3. à coragem e ao espírito aguerrido de cidadãos da terra, que a defenderam em batalhas.

4. ao anseio por tornar-se nação independente do Brasil, característico do povo pernambucano.


Estão CORRETOS

  • A 1, 2, 3 e 4.
  • B 1, 2 e 3, apenas.
  • C 1, 2 e 4, apenas.
  • D 1, 3 e 4, apenas.
  • E 2 e 3, apenas.
29

TEXTO 1


Mulheres comemoram uma década no Corpo de Bombeiros do Paraná


Uma década após a primeira turma, mulheres têm o respeito dos colegas, mas ainda têm longo caminho pela igualdade na corporação criada há cem anos


(1) O Corpo de Bombeiros do Paraná, criado em 1912, se aproximava dos 100 anos quando a primeira mulher vestiu o fardamento. Foi há uma década, quando uma lei estadual permitiu à corporação a inclusão das bombeiras. Na primeira turma, entraram 23 “bombeiros militares do sexo feminino”. Em dez anos, elas chegam a 119, entre oficiais e soldados. Foi o tempo de conquistar o respeito dentro da corporação. Mas o caminho até um Corpo de Bombeiros igualitário não terminou de ser trilhado, e passa por uma maior inclusão, tanto na base quanto no topo da hierarquia.

(2) A ampliação esbarra na lei, que hoje restringe a 50% a entrada de mulheres nos concursos. Tanto o concurso para soldado, realizado pela última vez em 2013, pela Fafipa, quanto o de oficiais, organizado pela UFPR, são claros: “Atingido o limite previsto não serão nomeados candidatos do sexo feminino, independente da classificação final obtida no certame”.

(3) A recíproca não é verdadeira. Se as primeiras posições forem conquistadas por homens, só eles entram. Uma mudança na regra poderia afrouxar a pirâmide que aponta que a proporção de mulheres diminui conforme a hierarquia sobe.

(4) Em dez anos, a patente mais alta atingida por uma mulher foi a de capitã. Para chegar a coronel, topo da carreira, a média na corporação é de 30 anos de serviço. Atualmente, as bombeiras representam menos de 4% de um efetivo de 3.126 bombeiros. A presença está concentrada nos grandes centros; no interior, há muitos batalhões sem presença feminina.

(5) Mesmo sendo poucas, elas já causam uma mudança de mentalidade dentro da instituição. Os próprios colegas homens que, no começo, diziam duvidar da capacidade das mulheres de fazer um bom trabalho, hoje admitem que era preconceito. [...]


Disponível em: https://www.gazetadopovo.com.br/vida-e-cidadania/mulheres-comemoram-uma-decada-no-corpo-de-bombeirosdo-parana-33v4kzdyhiyg7ks9gdlcsrr3e. Acesso em: 02/07/18. Adaptado.

Assinale a alternativa que atende à norma culta da língua, considerando tanto os usos do verbo como as atuais regras de grafia e acentuação.
  • A Há uma década, o Corpo de Bombeiros do Paraná inclue mulheres nos seus quadros.
  • B Esperemos que, daqui a cem anos, temos igualdade de direitos entre homens e mulheres.
  • C Todo homem deve saber algo muito simples: lugar de mulher é onde ela quizer.
  • D Reunidas em associações e assembleias, as mulheres fortalecem suas conquistas diárias.
  • E A ascenção das mulheres na escala hierárquica beneficiaria, também, toda a corporação.
30

TEXTO 1


Mulheres comemoram uma década no Corpo de Bombeiros do Paraná


Uma década após a primeira turma, mulheres têm o respeito dos colegas, mas ainda têm longo caminho pela igualdade na corporação criada há cem anos


(1) O Corpo de Bombeiros do Paraná, criado em 1912, se aproximava dos 100 anos quando a primeira mulher vestiu o fardamento. Foi há uma década, quando uma lei estadual permitiu à corporação a inclusão das bombeiras. Na primeira turma, entraram 23 “bombeiros militares do sexo feminino”. Em dez anos, elas chegam a 119, entre oficiais e soldados. Foi o tempo de conquistar o respeito dentro da corporação. Mas o caminho até um Corpo de Bombeiros igualitário não terminou de ser trilhado, e passa por uma maior inclusão, tanto na base quanto no topo da hierarquia.

(2) A ampliação esbarra na lei, que hoje restringe a 50% a entrada de mulheres nos concursos. Tanto o concurso para soldado, realizado pela última vez em 2013, pela Fafipa, quanto o de oficiais, organizado pela UFPR, são claros: “Atingido o limite previsto não serão nomeados candidatos do sexo feminino, independente da classificação final obtida no certame”.

(3) A recíproca não é verdadeira. Se as primeiras posições forem conquistadas por homens, só eles entram. Uma mudança na regra poderia afrouxar a pirâmide que aponta que a proporção de mulheres diminui conforme a hierarquia sobe.

(4) Em dez anos, a patente mais alta atingida por uma mulher foi a de capitã. Para chegar a coronel, topo da carreira, a média na corporação é de 30 anos de serviço. Atualmente, as bombeiras representam menos de 4% de um efetivo de 3.126 bombeiros. A presença está concentrada nos grandes centros; no interior, há muitos batalhões sem presença feminina.

(5) Mesmo sendo poucas, elas já causam uma mudança de mentalidade dentro da instituição. Os próprios colegas homens que, no começo, diziam duvidar da capacidade das mulheres de fazer um bom trabalho, hoje admitem que era preconceito. [...]


Disponível em: https://www.gazetadopovo.com.br/vida-e-cidadania/mulheres-comemoram-uma-decada-no-corpo-de-bombeirosdo-parana-33v4kzdyhiyg7ks9gdlcsrr3e. Acesso em: 02/07/18. Adaptado.

Está de acordo com as normas da concordância verbal o seguinte enunciado:
  • A Com a participação de toda a tropa, comemorou-se dez anos da chegada das mulheres ao Corpo de Bombeiros do Paraná.
  • B Na primeira turma de mulheres do Corpo de Bombeiros do Paraná, haviam 23 mulheres destemidas, ansiosas para ingressar na carreira.
  • C Já faziam quase cem anos que o Corpo de Bombeiros do Paraná tinha iniciado suas atividades, quando, finalmente, resolveram contratar mulheres.
  • D No século XXI, surgiu novas exigências sociais que colocaram a mulher em situação de protagonista do desenvolvimento social.
  • E Esperemos que, em breve, a presença de mulheres nos batalhões não seja apenas a exceção de uma regra criada em um passado que deve ser esquecido.

Atualidades

31

Para além da discussão sobre o Impeachment, que ainda hoje divide opiniões entre especialistas, a chegada de Michel Temer à Presidência representou a implementação do projeto político derrotado nas urnas em 2014. Com sua principal base aliada oriunda da oposição ao governo petista, uma série de propostas estão sendo levadas a plenário e aprovadas em tempo recorde. A posição reclama da falta de tempo para se debater o tema, a situação se defende dizendo que existe urgência nas medidas, uma vez que considera a condição econômica do país periclitante.

Em relação aos últimos fatos da política brasileira, assinale a alternativa CORRETA.

  • A O Projeto de Emenda à Constituição que tramitou no Senado como PEC 55/2016 prevê a contenção dos gastos públicos. Todavia, áreas que o governo considerou como prioritárias, a saber, educação, saúde e segurança pública, não foram incluídas no texto original, apesar de a base aliada no Congresso solicitar sua inclusão.
  • B Depois de aprovado o texto-base da Proposta de Emenda à Constituição 55/2016, os senadores analisaram dois destaques para retirar, do teto de gastos, despesas com reajustes do salário mínimo e investimentos em saúde e educação. Os destaques foram aprovados, e o texto foi alterado, tendo que voltar para a Câmara dos Deputados, antes da sanção presidencial.
  • C O Supremo Tribunal Federal, por meio do seu ministro Roberto Barroso, concedeu, em março de 2017, liminar favorável à Lei da Escola Livre, promulgada pela Assembleia Legislativa de Alagoas. Com essa decisão, o projeto de Lei 193/2016, de autoria do Senador Magno Malta (PR-ES), estende automaticamente o programa "Escola Sem Partido" para as diretrizes e bases da educação nacional, devendo ser aprovado sem resistência no Congresso.
  • D O Presidente Michel Temer sancionou, em fevereiro de 2017, a reforma do ensino médio. O texto, elaborado ainda sob o governo da ex-Presidenta Dilma Rousseff, já havia sido aprovado pelo Senado desde junho de 2016, mas sofria forte resistência do atual Ministério da Educação. O texto final manteve todos os eixos do original.
  • E A PEC 287/2016 dispõe sobre a reforma do sistema previdenciário brasileiro. A proposta inicial do governo fixava idade mínima de 65 anos para requerer aposentadoria e elevava o tempo mínimo de contribuição de 15 para 25 anos. Todavia, para que o segurando tivesse direito a receber sua aposentadoria integral, teria que ter 49 anos de contribuição.
32

O Programa Mais Médicos (PMM) é parte de um amplo esforço do Governo Federal, com apoio de estados e municípios, para a melhoria do atendimento aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). Além de levar mais médicos para regiões onde há escassez ou ausência desses profissionais, o programa prevê, ainda, mais investimentos para a construção, reforma e ampliação de Unidades Básicas de Saúde (UBS).

(http://maismedicos.gov.br/conheca-programa)

Em relação a esse Programa, assinale a alternativa CORRETA.

  • A Sem possuir qualquer tipo de experiência em assistência de saúde no exterior, o governo brasileiro contratou médicos cubanos, exclusivamente por questões ideológicas, não levando em consideração a má formação desses profissionais.
  • B O programa busca não só resolver a questão emergencial do atendimento básico ao cidadão como também cria condições para continuar a garantir um atendimento qualificado no futuro para aqueles que acessam cotidianamente o SUS.
  • C Sofreu, em 2017, uma mudança no seu objetivo principal, introduzindo, como umas de suas metas, a criação de novas vagas de graduação e residência médica para qualificar a formação desses profissionais.
  • D A escassez de médicos em área de vulnerabilidade foi uma das justificativas para a aquisição de médicos cubanos. Todavia, quando se compara o percentual de médicos para cada mil habitantes com Portugal, Espanha, Argentina e Uruguai, percebe-se que a propalada “escassez” não é real.
  • E Seguindo a posição tomada em finais dos anos noventa do século XX, quando o então governador do Tocantins, Siqueira Campos (na época filiado ao extinto PFL), fechou um acordo para trazer de Cuba médicos para o Estado, o Conselho de Medicina parabenizou e incentivou a vinda desses profissionais para esse Programa em 2013.
33

“Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai assinaram, em 26 de março de 1991, o Tratado de Assunção, com vistas a criar o Mercado Comum do Sul (MERCOSUL). O objetivo primordial do Tratado de Assunção é a integração dos Estados Partes por meio da livre circulação de bens, serviços e fatores produtivos, do estabelecimento de uma Tarifa Externa Comum (TEC), da adoção de uma política comercial comum, da coordenação de políticas macroeconômicas e setoriais e da harmonização de legislações nas áreas pertinentes.”

(http://www.mercosul.gov.br/saiba-mais-sobre-o-mercosul).

Mesmo com a participação de novos membros, o objetivo primordial do MERCOSUL permanece o mesmo, estando seu marco institucional no Protocolo de Ouro Preto, assinado em dezembro de 1994.

Sobre o MERCOSUL, é CORRETO afirmar que

  • A o ingresso da Venezuela nele como um Estado Parte, em 2012, foi justificável como também favorável à integração regional. O respeito à Cláusula Democrática do Mercosul nunca foi ressalvado por parte do Congresso Brasileiro como condição prévia da admissão da Venezuela.
  • B todos os países da América do Sul dele participam. Como Estados Partes: Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai; Integram o bloco como Estado Parte em Processo de Adesão: Bolívia e Chile; e como Estados Associados, Venezuela, Peru, Colômbia, Equador, Guiana, Suriname.
  • C o Brasil, caso realmente pretenda deixá-lo, precisa dinamizar e tornar ainda menos globalizada a sua economia. Só dessa maneira, poderá deixar de dar atenção e negociar com sua vizinhança por razões de parceria comercial como também de exigência política.
  • D a ideologização das decisões e a politização das negociações comerciais, características que moldaram as prioridades da política externa do governo brasileiro, exclusivamente enquanto o Partido dos Trabalhadores esteve na presidência, não se refletiram na ação diplomática do Itamaraty, na América do Sul.
  • E de acordo com o art. 1º do Tratado de Assunção, a criação de um mercado comum implica, dentre outras coisas, livre circulação de bens, serviços e fatores de produção entre os países do bloco; a coordenação de posições em foros econômico-comerciais regionais e internacionais e coordenação de políticas macroeconômicas e setoriais entre os Estados Partes.
34

“O terrorismo é um fenômeno global de grande impacto na paz e na segurança internacionais, além de influenciar as relações entre os Estados e as comunidades. Afeganistão, Iraque, Paquistão, Nigéria e Rússia são os países mais afetados do mundo. Juntos, os cinco países somam 8.961 mil mortes por atentados só no ano de 2012.”

(http://www.humanas.ufpr.br/portal/nepri/files/2012/04/Terrorismo_Uma-abordagem-conceitual.pdf)

Além desses, países, como França, Alemanha, Inglaterra, Itália, vêm sofrendo uma onda de ataques terroristas, que ganham as manchetes dos principais países ocidentais, provocando grande comoção pública.

Em relação a esse tema, assinale a alternativa CORRETA.

  • A Para alguns especialistas em terrorismo e historiadores, o conceito de terrorismo moderno, este que, afetando a contemporaneidade, não está vinculado a atos de violência realizados por indivíduos e grupos, principalmente entre períodos de paz. Pelo contrário, vincula-se ao exército de uma nação que busca exclusivamente seu reconhecimento como um Estado pela comunidade internacional.
  • B Como pode ser visto nos ataques mais recentes, em solo europeu, os alvos escolhidos pelos grupos terroristas são bem distintos daqueles de guerras convencionais, em que os alvos são símbolos estatais, oposição política/religiosa e, principalmente, o público em larga escala. Já no terrorismo, os alvos são unidades militares e infraestrutura, como transporte e comunicações, para derrubar o inimigo.
  • C A série de atentados ocorridos na França, em novembro de 2015, teve como um dos alvos a boate Bataclan. O atentado foi organizado pela Al Qaeda, tendo como justificativa o apoio dado pelo governo francês, a luta antiterror, encabeçada pelos Estados Unidos.
  • D Embora extremamente criticado pela opinião pública, o terrorismo, segundo os especialistas, é a única alternativa que grupos e nações menores possuem de se fazer ouvir pelas grandes potências imperialistas.
  • E Os ataques terroristas em Madrid e Londres, por exemplo, ao surgirem como ameaça para o bloco europeu, foram, muitas vezes, associados às migrações e, de modo especial, à imigração. Nesse contexto, a União Europeia procura criar uma área de segurança e justiça, na qual são centrais a luta antiterrorista e a política de imigração comum.
35

Para o historiador Eric Hobsbawm...," a questão genérica da guerra e da paz no século XXI, o passado e o futuro dos impérios globais, a natureza e o contexto cambiante do nacionalismo, o futuro da democracia liberal e a questão da violência política e do terror, todas elas têm lugar em um cenário mundial dominado por dois desenvolvimentos correlatos: a aceleração enorme e contínua da capacidade da espécie humana de modificar o planeta por meio da tecnologia e da atividade econômica e a globalização."

Sobre a globalização, é CORRETO afirmar que

  • A é um fenômeno muito recente, uma vez que tem seu início em finais da década de 80 do século XX, momento em que a ideologia neoliberal rompe com as barreiras nacionais, abrindo os mercados para produtos de toda a parte do mundo.
  • B os principais países por ela beneficiados foram aqueles subdesenvolvidos, pois a transferência de tecnologia, know how e a concorrência, oriunda dos produtos dos países desenvolvidos, permitiu que aqueles pudessem desenvolver empresas competitivas e passassem a disputar, em termos iguais, o mercado internacional, principalmente no ramo da tecnologia de ponta.
  • C embora muito se fale da globalização econômica, esta ainda dá seus primeiros passos no sentido de haver, de fato, um mercado econômico global. Isso fica comprovado pela crise econômica que assolou os Estados Unidos em 2008 que pouco atingiu a Europa e quase não foi sentida no Brasil.
  • D uma das principais contribuições para a preservação da identidade nacional, advinda da globalização, é, sem sombra de dúvida, a homogeneização cultural. Setores hegemônicos da produção cultural internacional, como, por exemplo, os filmes de Hollywood, mais que cristalizar as características culturais estadunidenses, favorecem a perpetuação da cultura local.
  • E uma de suas consequências é o crescimento do xenofobismo e a repulsa de tudo aquilo que é do "outro". Parcelas da população, ao verem que traços culturais definidores da identidade do povo, grupo ou nação do qual elas fazem parte estão sucumbindo diante do processo de homogeneização cultural, buscam reafirmar sua cultura, negando e/ou restringindo, muitas vezes, de forma violenta, tudo aquilo que lhes é estrangeiro.
Voltar para lista