Resolver o Simulado Conselho Regional de Enfermagem do Maranhão - Analista - Enfermagem - Nível Superior

0 / 30

Segurança da Informação

1

Método de criptografia que utiliza um par de chaves diferentes entre si, que se relacionam matematicamente por meio de um algoritmo, de forma que o texto cifrado por uma chave seja decifrado apenas pela outra do mesmo par. As duas chaves envolvidas na criptografia são denominadas chave pública e privada. Este método de criptografia é conhecido como criptografia

  • A de custódia.
  • B assimétrica.
  • C simétrica.
  • D sintética.
  • E de emulação.
2

Que tipo de ataque malicioso a um site web se caracteriza pelo envio de comandos não autorizados por parte de um usuário em que esse site confia?

  • A CSRF (Cross-Site Request Forgery).
  • B CIFS (Cross InFiltration Site).
  • C Hardening.
  • D Spoofing.
  • E XSS (Cross-Site Scripting).
3

Como se denomina o tipo de malware capaz de se propagar de forma autônoma, isso é, sem intervenção humana, explorando vulnerabilidades ou falhas de configuração de softwares instalados em computadores e que pode ser controlado remotamente por um atacante?

  • A Virus
  • B Spyware
  • C Backdoor
  • D Bot
  • E Verme
4

Quanto às propriedades confidencialidade, autenticidade e integridade da segurança da informação, quais são, conceitualmente, garantidas por uma assinatura digital?

  • A Apenas integridade.
  • B Apenas confidencialidade.
  • C Autencidade e integridade
  • D Confidencialidade e integridade.
  • E Autenticidade, confidencialidade e integridade.
5

Como se denomina o tipo de backup que contém somente arquivos que foram criados (novos) ou modificados desde o último backup realizado, independentemente do tipo deste último backup?

  • A Diferencial.
  • B Incremental.
  • C Completo.
  • D Espelhamento (mirroring).
  • E Inteligente.
6

Um ambiente de rede sem fio, com segurança WPA2- Enterprise, utiliza o algoritmo de encriptação AES.


Assinale a alternativa que apresenta, respectivamente, o protocolo de encriptação, o algoritmo para cálculo do Message Integrit Code (MIC) e o número de bits para chave de encriptação.

  • A TKIP, Michael, 256
  • B CCMP, CBC-MAC, 128
  • C CCMP, Michael, 128
  • D TKIP, CBC-MAC, 64
  • E TKIP, CRC32, 32
7

Assinale a alternativa correta no que se refere ao método de criptografia assimétrica RSA.

  • A Existe uma parte comum entre o par de chaves pública e privada que é o divisor do operador de módulo.
  • B A operação de substituição (S-BOX) é realizada a partir de um dicionário, em que o índice é a primeira parte da chave privada.
  • C Os números componentes das chaves pública e privada que são utilizados como expoentes devem ser múltiplos entre si.
  • D Uma mensagem deve ser sempre cifrada com a chave pública do originador para garantir a sua autenticidade junto ao destinatário.
  • E A utilização de um valor pequeno de expoente na chave privada acelera o tempo de criptografia sem comprometer a segurança dos dados cifrados.
8

A Norma ABNT NBR ISO/IEC 27005:2011 recomenda que o processo de avaliação de riscos de segurança da informação receba como entrada

  • A os critérios básicos, o escopo e os limites da avaliação de riscos e a organização do processo de gestão de riscos de segurança da informação que se está definindo.
  • B a relação de riscos identificados e as ações para responder adequadamente a cada risco de segurança da informação.
  • C a relação de riscos identificados, a probabilidade de cada risco ocorrer, o impacto de cada risco no negócio e as ações para mitigar estes riscos.
  • D o plano de tratamento de riscos, o plano de continuidade de negócios e a política de segurança da informação.
  • E o escopo da avaliação de riscos, a matriz de probabilidade e impacto de cada risco e o termo de ciência da alta direção em relação aos riscos.
9

A Norma ABNT NBR ISO/IEC 27002:2013 recomenda que as políticas de segurança da informação considerem requisitos oriundos de estratégias do negócio, de ambientes de ameaça à segurança da informação (atuais e futuros) e de

  • A sistemas de informação atuais e legados.
  • B regulamentações, legislação e contratos.
  • C auditorias internas e externas de segurança da informação.
  • D consultorias terceirizadas de segurança da informação.
  • E gestão de pessoas e ativos de informação.
10

Considere, por hipótese, que um incêndio danificou um servidor da Prefeitura e um Auditor foi acionado para restaurar um backup completo do que havia em uma fita em um novo servidor. Apesar de o Auditor ter levado cerca de 30 minutos para restaurar os dados do backup, o total de tempo entre a notificação da interrupção dos serviços dependentes dos dados do servidor danificado, a recuperação total dos dados e a restauração dos serviços foi de aproximadamente 50 minutos, dentro do tempo tolerável previsto no Plano de Recuperação de Desastres associado ao Plano de Continuidade de Negócio. Este limite de tempo é conhecido como

  • A Recovery Time Point (RTP).
  • B Business Process Recovery Objective (BPRO).
  • C Recovery Point Objective (RPO).
  • D Business Recovery Time (BRT).
  • E Recovery Time Objective (RTO).

Enfermagem

11

No campo dos sistemas de saúde, os debates acerca da educação e desenvolvimento dos recursos humanos levaram a contrastar os paradigmas das denominadas “Educação Continuada” e “Educação Permanente”. O enfoque da Educação Permanente representa uma importante mudança na concepção e nas práticas de capacitação dos trabalhadores. Nesse sentido, a Educação Permanente

  • A incorpora o ensino e o aprendizado à vida cotidiana das organizações e às práticas sociais e laborais, no contexto real em que ocorrem.
  • B representa uma continuidade do modelo escolar ou acadêmico, geralmente com enfoque disciplinar, em ambiente didático e centralizado na transmissão e atualização de conhecimentos.
  • C considera uma estratégia centrada em cada categoria profissional com enfoque unidisciplinar e com cursos periódicos sem sequência constante.
  • D conceitua a prática enquanto campo de aplicação de conhecimentos como continuidade dos currículos universitários, produzindo uma desconexão do saber como solução dos problemas que se verifica na prática.
12

O texto a seguir serve de referência para responder à questão.


A Norma Regulamentadora nº 32 (NR 32), do Ministério do Trabalho, tem por finalidade estabelecer as diretrizes básicas para a implementação de medidas de proteção à segurança e à saúde dos trabalhadores dos serviços de saúde, bem como daqueles que exercem atividades de promoção e assistência à saúde em geral.

No item que se refere às radiações ionizantes, a NR 32 determina:

  • A o trabalhador que realize atividades em áreas onde existam fontes de radiações ionizantes deve permanecer nessas áreas o menor tempo possível para a realização do procedimento.
  • B toda instalação radiativa deve dispor de monitoração individual e, na suspeita de exposição acidental, os dosímetros devem ser encaminhados para leitura, no prazo máximo de 72 horas.
  • C toda monitoração individual externa, de corpo inteiro ou de extremidades, deve ser feita através de dosimetria com periodicidade quinzenal e levando-se em conta a natureza e a intensidade das exposições normais e potenciais previstas.
  • D após a suspeita de acidentes com fontes seladas, devem ser adotados procedimentos de monitoração individual, avaliação clínica e a realização de exames complementares,
13

O texto a seguir serve de referência para responder à questão.


A Norma Regulamentadora nº 32 (NR 32), do Ministério do Trabalho, tem por finalidade estabelecer as diretrizes básicas para a implementação de medidas de proteção à segurança e à saúde dos trabalhadores dos serviços de saúde, bem como daqueles que exercem atividades de promoção e assistência à saúde em geral.

A NR 32, no item que se refere às medidas de proteção, que normatiza a Segurança e Saúde no Trabalho em Serviços de Saúde, determina que

  • A em caso de exposição acidental ou incidental, medidas de proteção devem ser adotadas imediatamente, mesmo que não previstas no PPRA.
  • B ocorrendo acidente envolvendo riscos biológicos, sem afastamento do trabalhador, a emissão da Comunicação de Acidente de Trabalho é dispensável.
  • C havendo transferência ocasional de um trabalhador para outro posto de trabalho que implique em mudança de risco, como medida de proteção, esta deve ser comunicada ao médico, em até 72 horas.
  • D em todo ambiente com exposição a agentes biológicos, devem ser fornecidas aos trabalhadores, em até 72 horas, instruções verbais das rotinas, como medidas de proteção.
14

O texto a seguir serve de referência para responder à questão.


A Norma Regulamentadora nº 32 (NR 32), do Ministério do Trabalho, tem por finalidade estabelecer as diretrizes básicas para a implementação de medidas de proteção à segurança e à saúde dos trabalhadores dos serviços de saúde, bem como daqueles que exercem atividades de promoção e assistência à saúde em geral.

A NR 32, no item que se refere aos riscos biológicos, regulamenta que todos os trabalhadores com possibilidade de exposição a agentes biológicos devem utilizar vestimenta de trabalho adequada e em condições de conforto. No que se refere às vestimentas, a NR 32 determina que

  • A a higienização das vestimentas utilizadas nos serviços de tratamento intensivo deve ser de responsabilidade do trabalhador com colaboração efetiva do empregador.
  • B os trabalhadores podem deixar o local de trabalho com as vestimentas utilizadas em suas atividades laborais desde que estejam visivelmente limpas.
  • C as vestimentas devem ser fornecidas sem ônus para o empregado, desde que tenham identificação do serviço e o trabalhador providencie a guarda e a conservação das mesmas.
  • D o empregador deve providenciar locais apropriados para fornecimento de vestimentas limpas e para deposição das usadas.
15

De acordo com a Norma Regulamentadora Nº 9 – NR 9, relativa ao Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA), do Ministério do Trabalho, deverão ser adotadas as medidas necessárias suficientes para a eliminação, a minimização ou o controle dos riscos ambientais sempre que for verificada a seguinte situação:

  • A quando os resultados das avaliações qualitativas da exposição dos trabalhadores alcançarem os valores dos limites mínimos, considerando-se a caracterização da atividade.
  • B quando, na fase de monitoramento, for identificado risco evidente à saúde.
  • C quando, através do controle médico da saúde, ficar caracterizado o nexo causal entre danos observados na saúde dos trabalhadores e a situação de trabalho a que eles estão expostos.
  • D quando, na fase de registro, for constatado risco potencial à saúde.
16

A Norma Regulamentadora Nº 7 - NR 7, do Ministério do Trabalho, estabelece a obrigatoriedade de elaboração e implementação do Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional – PCMSO, com o objetivo de promover e preservar a saúde do conjunto dos trabalhadores. O PCMSO

  • A terá caráter de diagnóstico tardio dos acidentes e agravos à saúde relacionados ao trabalho, inclusive de natureza clínica e subclínica, além da constatação da existência de casos de doenças profissionais.
  • B obedecerá a um planejamento em que estejam previstas as ações a serem executadas durante cada semestre, devendo este ser objeto de relatório trienal.
  • C será custeado pelo empregado, que pagará pelos procedimentos e exames admissionais, periódicos, demissionais e de mudança de função realizados.
  • D deverá considerar as questões incidentes sobre o indivíduo e sobre a coletividade de trabalhadores, privilegiando o instrumental clínico-epidemiológico na abordagem da relação entre sua saúde e o trabalho.
17

A Norma Regulamentadora Nº 05, do Ministério do Trabalho, trata da obrigatoriedade de constituição de Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA) que tem como objetivo a prevenção de acidentes e de doenças decorrentes do trabalho, de modo a tornar compatível, permanentemente, o trabalho com a preservação da vida e a promoção da saúde do trabalhador. Tendo como base a NR 05, sobre as atribuições da CIPA, considere as determinações apresentadas abaixo.
I Elaborar plano de trabalho que possibilite a ação preventiva na solução de problemas de segurança e saúde no trabalho. II Realizar, periodicamente, verificações dos ambientes e condições de trabalho visando à identificação de situações que possam trazer riscos para a segurança e a saúde dos trabalhadores. III Identificar, por meio de avaliação quantitativa, os riscos do processo de trabalho, e elaborar o mapa de riscos, sob supervisão da gestão da empresa. IV Promover, a cada dois anos, em parceria com o Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho (SESMT), onde houver esse serviço, a Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho (SIPAT).
Em relação às atribuições da CIPA, estão corretas as afirmativas

  • A III e IV.
  • B I e IV.
  • C II e III.
  • D I e II.
18

As Normas Regulamentadoras (NR) do Ministério do Trabalho relativas à segurança e medicina do trabalho, devem ser obrigatoriamente observadas pelas empresas privadas e públicas e pelos órgãos públicos da administração direta e indireta, bem como pelos órgãos dos Poderes Legislativo e Judiciário, que possuam empregados regidos pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). A NR 01, Disposições Gerais, determina as obrigações do empregador. Nesse contexto, sobre essa temática, analise as determinações apresentadas abaixo.
I Cumprir e fazer cumprir as disposições legais e regulamentares sobre segurança e medicina do trabalho. II Receber ordens de serviço sobre segurança e saúde do trabalho, divulgando-as aos empregados por meio de comunicados, cartazes ou meios eletrônicos. III Permitir os trabalhadores identificar os riscos profissionais que possam originar-se nos locais de trabalho. IV Determinar os procedimentos que devem ser adotados em caso de acidente ou doença relacionada ao trabalho.
Dentre as determinações, as que expressam atribuições ou obrigações dos empregadores quanto à segurança do trabalho são

  • A I e III.
  • B I e IV.
  • C II e III.
  • D II e IV.
19

De acordo com o Guia Técnico: “Os Riscos Biológicos no Âmbito da Norma Regulamentadora Nº 32”, nos serviços de saúde, o Programa de Prevenção de Riscos Ambientais, além do previsto na Norma Regulamentadora Nº 9, na fase de reconhecimento, a identificação dos riscos biológicos deve seguir

  • A metodologia qualitativa, devendo ser considerados os agentes epidemiologicamente mais frequentes, tendo em vista o perfil epidemiológico da região, do próprio serviço e dos trabalhadores do serviço de saúde.
  • B metodologia quantitativa, devendo ser considerados os agentes epidemiologicamente mais importantes, de acordo com as notificações compulsórias da região.
  • C metodologia exploratória, devendo ser levantados todos os agentes etiológicos que causam adoecimento por doenças infecciosas no município e nas regiões circunvizinhas.
  • D metodologia descritiva, devendo ser caracterizados todos agentes infecciosos causadores de doenças infecciosas, tendo em vista o perfil epidemiológico da região, do próprio serviço e dos trabalhadores do serviço de saúde.
20

De acordo com a Resolução da Diretoria do Colegiado (RDC) Nº 15 da ANVISA, de 15 de março de 2012, os produtos para saúde submetidos à esterilização, nos serviços regulamentados por essa RDC, devem ser identificados por meio de rótulos ou etiquetas. O rótulo dos produtos para saúde processados deve conter:

  • A nome do produto, número do lote, data da última utilização, data de validade, método de esterilização e nome do responsável pelo serviço.
  • B nome do produto, número do lote, data da esterilização, data limite de uso, método de esterilização e nome do responsável pelo preparo.
  • C nome do produto, número do certificado de aprovação, data da esterilização, data de manutenção da autoclave, método de esterilização e nome do gestor.
  • D nome do produto, número da carga, data da esterilização, data de validade, método de validação e registro do responsável pelo preparo.

Português

21

TEXTO 2


                                Hino de Pernambuco


                          Coração do Brasil em teu seio

                          Corre o sangue de heróis – rubro veio

                          Que há de sempre o valor traduzir

                          És a fonte da vida e da história

                          Desse povo coberto de glória

                          O primeiro, talvez, no porvir


                           Salve, ó terra dos altos coqueiros!

                           De belezas soberbo estendal!

                           Nova Roma de bravos guerreiros

                           Pernambuco, imortal! Imortal!


                           Esses montes e vales e rios

                           Proclamando o valor de teus brios

                           Reproduzem batalhas cruéis

                           No presente és a guarda avançada

                           Sentinela indormida e sagrada

                           Que defende da Pátria os lauréis


                           Salve, ó terra dos altos coqueiros!

                           De belezas soberbo estendal!

                           Nova Roma de bravos guerreiros

                           Pernambuco, imortal! Imortal!

Trecho do Hino de Pernambuco. Letra de Oscar Brandão da Rocha e música de Nicolino Milano. Disponível em: https://www.letras.mus.br/hinos-de-estados/1655087/. Acesso em: 10/07/2018.

No Texto 2, as palavras “cruéis” e “lauréis” aparecem grafadas com acento agudo, em atendimento às normas ortográficas vigentes.


Para atender a essas normas, também se devem grafar com acento agudo as palavras:

  • A fortuíto e indú.
  • B tireóide e gratuíto.
  • C heroína e biquíni.
  • D rúbrica e caquí.
  • E púdico e européia.
22

A redação clara e correta, segundo a norma-padrão da língua, é:

  • A Quando se atribui a toda uma categoria a necessidade de obter algo que foi atingido por um indivíduo particular, corre-se o risco de provocarem frustrações, como ocorre ao se tratar da fama; nesse caso, peca-se ainda, ao tomar como eterno algo que pode ser bastante efêmero.
  • B O coordenador de um dos grupos defendeu que mais escassez adiviria se os plantadores, principalmente a agricultura familiar, se recusassem a investir na produção que, aliás, já conhecera mais de uma intempérie; não fomos nós, revendedores, que freiamos a carestia.
  • C Diziam que pelo fato de a presença de um animador ser incômoda, muitos recusariam participar da confraternização dos veteranos; mas enquanto vigir o respeito ao combatente mais idoso é a ele que todos seguirão, e tudo indica que, daqui há duas semanas, todos lá estarão.
  • D O guia dos turistas proveu-os de tudo que seria necessário para a escalada, e isso explica por que não houve conflitos ou dissidências; não se trata de excesso de zelo por parte da pessoa encarregada, mas da capacidade de prever possíveis empecilhos e se antecipar a providências para contorná-los.
  • E Muitos não se adéquam a novos caminhos e lamentam que nada é mais como era antes − é notório, certamente, a impressão que o novo destruirá uma ordem perfeita e imporá o caos, mas isso não procede, pois passos em outra vereda nos faz conhecer novas e sempre enriquecedoras paisagens.
23

Redação clara e em concordância com a norma-padrão da língua está presente na alternativa:

  • A Atitudes como aquela do renomado ator são moralmente condenável, por isso sanções previstas na lei devem ser efetivamente aplicadas, como forma de coibir comportamentos indiscutivelmente inadequados.
  • B O tumultuado revesamento de funcionários responsáveis pela revisão dos cinco últimos processos em análise impediu o coordenador de inclui-los num dos malotes recém-enviados à direção, sob a rúbrica de urgência.
  • C A tendência de alguns jovens empresários do setor adotar regras de conduta distintas dos empresários mais antigos merece ser analisada com cautela, pois é relevante considerar a experiência já adquirida.
  • D Se o debate desse assunto foi consensualmente tido como fundamental para o desenvolvimento do programa, os responsáveis haveriam de ter comunicado isso antes, porque agora a inclusão do tema é extemporânea.
  • E Foi convidado à defesa e argumentou de forma contundente, com um preciso e belo jogo de palavras que não deixassem dúvidas sobre a veracidade dos fatos, como comprova o resultado a favor do acusado.
24
Atenção: A questão refere-se ao que segue.
Na primeira audiência, ele se esforçou em manter-se calado. Indignado com tudo, rejeitava e respondia a qualquer gesto que considerasse suspeito, de quem quer que fosse. Via no banco quem o acusava do que não fizera. Era coisa que levaria tempo para digerir. Ou então, seria motivo de vingança, até mesmo de crime.
... respondia a qualquer gesto que considerasse suspeito, de quem quer que fosse.
Seguem propostas de alteração na frase acima. A redação que está em conformidade com a norma-padrão e não prejudica o sentido original é:
  • A respondia a quaisquer que fosse os gestos que considerasse suspeito, de quem quer que fosse.
  • B respondia a quaisquer gestos que considerasse suspeitos, fossem de quem fossem.
  • C respondia a todo e qualquer gesto que os considerasse suspeitos, de quem quer que fosse.
  • D respondia a gestos, qualquer um, que considerasse suspeitos, vindo de quem quer que fossem.
  • E respondia a gesto qualquer que fosse, que o considerasse suspeito, de quem fosse a pessoa.
25

Texto 1


A Política de Tolerância Zero


Suas vozes frágeis e seus corpos miúdos sugerem que elas não têm mais de 7 anos, mas já conhecem a brutal realidade dos desaventurados cuja sina é cruzar fronteiras para sobreviver. O drama dessas crianças tiradas dos braços de seus pais e mães pela “política de tolerância zero” do governo americano tem comovido o mundo e dividido o país do presidente Donald Trump. Os relatos são de solidão e desespero para essas famílias divididas, que, não raro, mal podem se comunicar com o mundo exterior e não conseguem informações sobre o paradeiro de seus parentes após terem cruzado a fronteira do México para os EUA em busca de uma vida menos difícil. Em vez de encontrarem a realização de seu “sonho americano”, elas vêm sendo recebidas por essa prática de hostilidade reforçada na zona fronteiriça, que já separou mais de 2300 crianças de seus pais desde abril.

Época, nº 1043. Adaptado.


Texto 2


“Isso é inacreditável. Autoridades do governo Trump estão enviando bebês e crianças pequenas... desculpem... há pelo menos três...”. Foi o que conseguiu dizer Rachel Maddow, âncora da MSNBC, antes de se render às lágrimas ao tentar noticiar esse drama infantil latino-americano, num vídeo que já viralizou”.

Época, nº 1043, p. 11.

“O drama dessas crianças tiradas dos braços de seus pais e mães.”
Nesse segmento do texto há um exemplo sublinhado de linguagem figurada denominada

  • A ironia.
  • B eufemismo.
  • C metáfora.
  • D metonímia.
  • E hipérbole.
26

                                      Marieta


      Marieta fez 90 anos.

      Não resisto à tentação de revelar a idade de Marieta.

      Sei que é falta de educação (mas pouca gente sabe hoje o que quer dizer falta de educação, ou mesmo educação) falar em idade de mulher.

      São múltiplas as teorias sobre idade feminina. Eu envelheceria ainda mais, se fosse anotar aqui todos os conceitos alusivos a essa matéria; enquanto isso, as mulheres ficariam cada vez mais jovens. Depois, não estou interessado em compendiar a incerta sabedoria em torno do tema incerto. Meu desejo é só este: contar a idade de Marieta, por estranho que pareça.

      E não é nada estranho, afinal. Marieta fazer 90 anos é tão simples quanto ela fazer 15. No fundo, está fazendo seis vezes 15 anos, esta é talvez sua verdadeira idade, por uma graça da natureza que assim o determinou e assim o fez. Privilégio.

      Ah, Marieta, que inveja eu sinto de você, menos pelos seus 90, perdão, 6 x 15 anos, do que pelo sinal que iluminou seu nascimento, sinal de alegria serena, de firmeza e constância, de leve compreensão da vida, que manda chorar quando é hora de chorar, rir o riso certo, curtir uma forma de amor com a seriedade e a naturalidade que todo amor exige.

      Sei não, Marieta (de batismo e certidão, Maria Luísa), mas você é a mais agradável combinação de gente com gente que eu conheço.

                       (Carlos Drummond de Andrade, Boca de Luar. Adaptado)

Na passagem “Eu envelheceria ainda mais, se fosse anotar aqui todos os conceitos alusivos a essa matéria; enquanto isso, as mulheres ficariam cada vez mais jovens.”, tal como estão flexionados, os verbos

  • A exprimem incerteza ou dúvida acerca de fatos ocorridos em tempo próximo.
  • B expressam possibilidades, referindo-se a fatos não ocorridos.
  • C indicam ação que se produzirá em certo momento do futuro.
  • D asseveram que uma ação futura estará realizada antes de outra.
  • E indicam, entre ações simultâneas, a que estava em processo quando a outra ocorreu.
27

                                   Debaixo da ponte


       Moravam debaixo da ponte. Oficialmente, não é lugar onde se more, porém eles moravam. Ninguém lhes cobrava aluguel, imposto predial, taxa de condomínio: a ponte é de todos, na parte de cima; de ninguém, na parte de baixo. Não pagavam conta de luz e gás porque luz e gás não consumiam. Não reclamavam da falta d’água, raramente observada por baixo de pontes. Problema de lixo não tinham; podia ser atirado em qualquer parte, embora não conviesse atirá-lo em parte alguma, se dele vinham muitas vezes o vestuário, o alimento, objetos de casa. Viviam debaixo da ponte, podiam dar esse endereço a amigos, receber amigos, fazer os amigos desfrutarem comodidades internas da ponte.

      À tarde surgiu precisamente um amigo que morava nem ele mesmo sabia onde, mas certamente morava: nem só a ponte é lugar de moradia para quem não dispõe de outro rancho. Há bancos confortáveis nos jardins, muito disputados; a calçada, um pouco menos propícia; a cavidade na pedra, o mato. Até o ar é uma casa, se soubermos habitá-lo, principalmente o ar da rua. O que morava não se sabe onde vinha visitar os de debaixo da ponte e trazer-lhes uma grande posta de carne.

                        (Carlos Drummond de Andrade. A bolsa e a vida. Adaptado)

Observando-se as orações do primeiro parágrafo do texto, é correto afirmar que nele

  • A combinam-se orações coordenadas justapostas e orações subordinadas.
  • B predominam orações coordenadas iniciadas por conjunção.
  • C predominam orações subordinadas não iniciadas por conjunção.
  • D não há orações subordinadas iniciadas por conjunção.
  • E não há orações coordenadas justapostas, não iniciadas por conjunção.
28

                                              Teresa


A primeira vez que vi Teresa

Achei que ela tinha pernas estúpidas

Achei também que a cara parecia uma perna


Quando vi Teresa de novo

Achei que os olhos eram muito mais velhos que

                                                                [o resto do corpo

(Os olhos nasceram e ficaram dez anos esperando

                                       [que o resto do corpo nascesse)

Da terceira vez não vi mais nada

Os céus se misturaram com a terra

E o espírito de Deus voltou a se mover

                                                   [sobre a face das águas.

                                                                   (Manuel Bandeira, Libertinagem)

No verso – Achei que os olhos eram muito mais velhos que o resto do corpo –, as conjunções destacadas funcionam, respectivamente, para relacionar a oração principal à oração

  • A adverbial e introduzir oração substantiva predicativa.
  • B substantiva e introduzir oração adverbial consecutiva.
  • C substantiva e introduzir oração adverbial comparativa.
  • D coordenada e introduzir oração adjetiva restritiva.
  • E adjetiva e introduzir oração coordenada aditiva.
29

Caso se queira minorar o destaque dado ao sujeito responsável por determinado ato, deve-se adotar a estruturação sintática exemplificada por:

  • A Estamos acostumados a rir do que é baixo ou vil, e atribuímos uma natureza solene às histórias elevadas.
  • B Em seus depoimentos, os indígenas queixavam-se pelo fato de os brancos considerarem-nos como objetos de museu.
  • C À chegada dos antropólogos, os índios escondiam o aparelho de televisão, rindo-se do olhar sisudo que os perscrutava.
  • D O riso, em nossa sociedade, muitas vezes corrobora a ordem moral estabelecida, sobretudo quando se volta contra o que é posto à margem.
  • E As histórias tinham sido contadas com riqueza de detalhes, de modo que todos foram transportados para dentro da ação.
30

Leia com atenção o poema de Gregório de Matos:


Três dúzias de casebres remendados,

Seis becos de mentrastos entupidos

Quinze soldados rotos e despidos

Doze porcos na praça bem criados.


Dois conventos, seis frades, três letrados

Um juiz com bigodes sem ouvidos

Três presos de piolhos carcomidos

Por comer dois meirinhos esfaimados.


As damas com sapatos de baeta

Palmilha de tamanca como frade


Saia de chita, cinta de raquete.


O feijão que só faz ventosidade

Farinha de pipoca, pão de greta

De Sergipe Del Rei esta é a cidade.


Quanto à tipologia textual usada pelo escritor analise as afirmativas a seguir:

I. É uma descrição, por relatar as características de um local.

II. É uma dissertação, por analisar e interpretar dados reais sobre a cidade de Sergipe Del Rei.

III. É apenas a definição de uma linda cidade aos olhos do poeta.

IV. É uma exposição, são apresentadas informações sobre assuntos e fatos específicos; expõe ideias; explica; avalia; reflete.


Estão corretas as afirmativas:

  • A I e IV, apenas.
  • B I, apenas.
  • C III e IV, apenas.
  • D III apenas.
Voltar para lista