Resolver o Simulado CONSULPLAN

0 / 34

Contabilidade de Custos

1
“Uma empresa industrial utiliza-se do custeio por absorção para realizar toda a sua apuração de custos.” Considerando um fator importante, a classificação dos custos em diretos e indiretos se dá em relação
  • A à atividade.
  • B aos produtos.
  • C aos departamentos.
  • D à quantidade produzida.
2
Uma indústria incorreu em custos variáveis no valor de 1.200.000,00 e em custos fixos no montante de 700.000,00, para uma produção de 4.800 unidades, com previsão de uma margem de contribuição de R$ 500,00 por unidade.

Considerando essas informações, o ponto de equilíbrio contábil em unidades e o preço de venda unitária são, respectivamente:
  • A 2.800 unidades e R$ 750,00.
  • B 2.400 unidades e R$ 500,00.
  • C 1.400 unidades e R$ 750,00.
  • D 1.250 unidades e R$ 750,00.
  • E 1.400 unidades e R$ 800,00.
3
Considere as seguintes informações:

• Capital de terceiros – R$ 250.000,00;
• Custo efetivo do capital de terceiros – 12% a.a.;
• Capital próprio – R$ 350.000,00;
• Custo do capital próprio – 15% a.a.

Com base nos dados apresentados, qual é o custo médio ponderado de capital?
  • A 7,27%.
  • B 13,75%.
  • C 41,00%.
  • D 58,33%.
4

A  gestão  de  estoques  é  o  principal  critério  de  avaliação  do  sistema de administração de materiais e abrange uma série de  atividades que vão desde a programação e planejamento das  necessidades  de materiais  em  estoque,  até  ao  controle  das  quantidades  adquiridas  (SEVERO  FILHO,  2006). A  respeito  da  gestão de estoques, assinale a opção correta. 

  • A A análise ABC permite a classificação dos itens de estoque por ordem decrescente de importância, a partir da verificação do consumo dos referidos itens de estoque, em valores monetários ou quantidades, em certo período de tempo.
  • B Os atrasos da entrega de produtos aos clientes, devido à falta de material decorrente da redução repentina da demanda ou de atrasos na entrega pelos fornecedores, não são minimizados com a adoção do estoque de segurança.
  • C O sistema just in time tem como objetivo elevar o custo de armazenagem de estoques, através da utilização intensiva de espaço físico para estocagem de grandes quantidades de matéria-prima ou mercadorias em estoque.
  • D O volume do estoque mínimo deve ultrapassar a somatória da quantidade do estoque de segurança em um valor que seja suficiente para suportar variações normais de estoque e não onere os custos de manutenção do mesmo.

Contabilidade Pública

5
De acordo com a Lei nº 4.320/64, a verificação do direito adquirido pelo credor, tendo por base os títulos e os documentos comprobatórios do respectivo crédito, corresponde à seguinte fase da despesa:
  • A Empenho da despesa.
  • B Liquidação da despesa.
  • C Ordem de pagamento.
  • D Abertura de crédito orçamentário.
6
A despesa orçamentária compreende o conjunto dos créditos ou autorizações consignadas na Lei de Orçamento e se realiza por meio da denominada administração de créditos. A ordem dos estágios que a despesa pública percorre é:
  • A Empenho, fixação, pagamento e liquidação.
  • B Pagamento, empenho, fixação e liquidação.
  • C Fixação, empenho, liquidação e pagamento.
  • D Liquidação, pagamento, empenho e fixação.
7
“Princípio que determina que os efeitos das transações e outros eventos sejam reconhecidos nos períodos a que se referem, independentemente do recebimento ou pagamento. Tal princípio pressupõe a simultaneidade da confrontação de receitas e de despesas correlatas e tem aplicação integral no setor público nos termos da Lei nº 4.210/64.” Trata-se do seguinte princípio:
  • A Entidade.
  • B Continuidade.
  • C Competência.
  • D Registro pelo valor original.
8
A contabilidade governamental brasileira distancia-se conceitualmente da contabilidade empresarial, pois seu principal enfoque é o orçamento e sua execução. Um dos principais exemplos deste distanciamento refere-se ao regime contábil adotado na contabilidade pública que é o regime (de)
  • A caixa.
  • B misto.
  • C financeiro.
  • D competência .
9
“A contabilidade pública ou contabilidade governamental é o ramo da ciência contábil que registra, controla e demonstra ____________ e ____________ relativos à administração pública.” Assinale a alternativa que completa correta e sequencialmente a afirmativa anterior.
  • A atos / fatos
  • B riscos / atos
  • C regimes / sistemas
  • D fatos / informações

Contabilidade de Custos

10

“Com o advento da nova forma de se usar Contabilidade de Custos, ocorreu seu maior aproveitamento em outros campos que não o industrial. No caso de instituição não tipicamente daquela natureza, tais como financeiras e prestadores de serviço, onde seu uso para efeito de elaboração das demonstrações contábeis era quase irrelevante (pela ausência de estoques), passou-se a explorar seu potencial para o controle e até para a tomada de decisões.” (MARTINS, Eliseu. Contabilidade de Custos. São Paulo: Atlas.)
A respeito da estrutura e análise de custos, sistemas de custeio, métodos de rateio, utilização de custos para tomadas de decisões, margem de contribuição e ponto de equilíbrio, assinale a afirmativa INCORRETA.

  • A O sucesso de um sistema de custos está, principalmente, nas informações e depende do pessoal que o alimenta e o faz funcionar, pois se trata de um conduto que recolhe dados em diversos pontos, processa-os e emite, com base neles, relatórios.
  • B A análise de custos como instrumento auxiliar à tomada de decisão consiste, também, na alimentação de informações sobre valores relevantes que dizem respeito às consequências de curto e longo prazos sobre medidas de corte de produtos/serviços, fixação de preços para aquisição e opções de aquisição de bens/serviços.
  • C Apesar da impossibilidade, inúmeras empresas prestadoras de serviços, na atualidade, utilizam princípios e técnicas da Contabilidade de Custos de maneira não apropriada em função da inexistência de quaisquer similaridades entre estas e as empresas industriais, principalmente nas entidades em que se busca trabalhar por projeto: empresas de engenharia, escritórios de auditoria, de planejamento e órgãos públicos.
  • D Normalmente, o problema mais grave na implantação de qualquer sistema e na análise de custos, reside na qualidade do pessoal envolvido nas fases iniciais do processo. Os primeiros informes nascem de diversos apontamentos efetuados por inúmeros funcionários/servidores que não têm uma visão sistêmica da instituição e desconhecem a importância de um Sistema de Custos, o que se traduz no principal fator de insucesso.

Contabilidade Pública

11
“Conforme a NBC TSP – Estrutura Conceitual, os elementos das demonstrações contábeis correspondem às estruturas básicas a partir das quais as demonstrações contábeis são elaboradas. Essas estruturas fornecem um ponto inicial para reconhecer, classificar e agregar dados e atividades econômicas de maneira a fornecer aos usuários informações que satisfaçam aos objetivos e atinjam as características qualitativas das informações contábeis, levando em consideração as restrições existentes. Os conceitos de ativo e passivo identificam os seus aspectos essenciais, mas não especificam os critérios para seu reconhecimento. Ao avaliar se um item se enquadra na definição de ativo, passivo ou patrimônio líquido, deve-se atentar para a sua essência e realidade econômica e não apenas sua forma legal.”
(Manual de Contabilidade Aplicada ao Setor Público (MCASP) – 7ª Edição.) 
Com base em definições oficiais constantes em normas do Conselho Federal de Contabilidade e, também, no Manual de Contabilidade Aplicada ao Setor Público, as quais são extremamente importantes nas análises e na compreensão das demonstrações financeiras e na administração do ativo e do passivo de uma organização, seja pública ou privada, assinale a afirmativa INCORRETA.
  • A Ativo é um recurso resultante de evento presente, controlado no passado pela entidade. O ativo deve ser classificado como circulante quando estiver disponível para realização mediata ou tiver a expectativa de realização após doze meses do período a que se refere às demonstrações contábeis.
  • B Os benefícios econômicos correspondem a entradas de caixa ou a reduções das saídas de caixa. As entradas de caixa (ou as reduções das saídas de caixa) podem derivar, por exemplo, da utilização do ativo na produção e na venda de serviços ou da troca direta do ativo por caixa ou por outros recursos.
  • C Passivo é uma obrigação presente, derivada de evento passado, cuja extinção deva resultar na saída de recursos da entidade. Uma característica essencial para a existência de um passivo é que a entidade tenha uma obrigação presente. Obrigação presente é aquela que ocorre por força de lei (obrigação legal ou obrigação legalmente vinculada) ou não (obrigação não legalmente vinculada), a qual não possa ser evitada pela entidade.
  • D Recurso é um item com potencial de serviços ou com a capacidade de gerar benefícios econômicos. A forma física não é uma condição necessária para um recurso. O controle do recurso envolve a capacidade da entidade em utilizar o recurso (ou controlar o uso por terceiros) de modo que haja a geração do potencial de serviços ou dos benefícios econômicos originados do recurso para o cumprimento dos seus objetivos de prestação de serviços, entre outros.

Auditoria

12

Segundo o código de ética do contador, a transgressão de preceito deste Código constitui infração ética, sancionada, segundo a gravidade, com a aplicação de uma das seguintes penalidades: advertência reservada, censura reservada e censura pública. Na aplicação das sanções éticas, podem ser consideradas como atenuantes:

I. Ação desenvolvida sem prerrogativa profissional.

II. Ausência de punição ética anterior.

III. Prestação de relevantes serviços à Contabilidade.

Estão corretas as alternativas

  • A I, II e III.
  • B I e II, apenas.
  • C I e III, apenas.
  • D II e III, apenas.

Contabilidade Pública

13
Um estado brasileiro fez a utilização do superávit financeiro de exercícios anteriores para abertura de créditos adicionais, apurado no Balanço Patrimonial do exercício anterior ao de referência. “Neste caso, o Balanço Orçamentário demonstrará uma situação de _____________ entre a previsão atualizada da ____________ e a dotação atualizada.” Assinale a alternativa que completa correta e sequencialmente a afirmativa anterior.
  • A equilíbrio / receita
  • B equilíbrio / despesa
  • C desequilíbrio / receita
  • D desequilíbrio / despesa
14
A contabilidade aplicada ao setor público tem em seu principal objetivo fornecer informações sobre os resultados e sobre os dados de natureza orçamentária, econômica, patrimonial e financeira das entidades do setor público, ajudando, principalmente na transparência das contas públicas. Para isso ela se utiliza de demonstrações específicas deste tipo de contabilidade. Assinale a alternativa que apresente, apenas, Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público.
  • A Balanço orçamentário; balanço financeiro; balanço patrimonial; demonstração das variações patrimoniais; e, Demonstração dos Fluxos de Caixa (DFC).
  • B Balanço orçamentário; balanço financeiro; balanço patrimonial; demonstração das variações patrimoniais; e, demonstração dos lucros ou prejuízos acumulados.
  • C Balanço orçamentário; balanço financeiro; balanço patrimonial; demonstração das variações patrimoniais; e, demonstração das origens e aplicações de recursos.
  • D Balanço orçamentário; balanço patrimonial; demonstração dos lucros ou prejuízos acumulados; demonstração das variações patrimoniais; e, Demonstração dos Fluxos de Caixa (DFC).

Contabilidade Geral

15
“Regime de escrituração contábil em que as receitas e as despesas são atribuídas aos exercícios de acordo com a real incorrência, isto é, de acordo com a data do fato gerador, e não quando são recebidos ou pagos em dinheiro. Por esse regime toda receita e toda despesa do exercício pertencem ao próprio exercício, embora já empenhadas; uma vez terminada a vigência do orçamento passam para o exercício seguinte, a fim de serem arrecadadas ou pagas, continuando, entretanto, a pertencer ao orçamento que lhes deu origem.” O regime de escrituração contábil, descrito anteriormente, trata-se de:
  • A Caixa.
  • B Misto.
  • C Financeiro.
  • D Competência.
16
Ao final do exercício de 2015, a empresa Cravo S/A apurou, através do seu departamento jurídico, que havia 3 processos trabalhistas contra ela: ficou evidente que no processo 1 era provável que a empresa tivesse um gasto de R$ 20.000,00; no processo 2 era possível que a empresa tivesse um gasto de R$ 30.000,00; e, no processo 3 era remota a possibilidade de um gasto. A empresa deverá realizar a seguinte ação em relação a provisão:
  • A Não reconhecer uma provisão.
  • B Reconhecer uma provisão de R$ 20.000,00.
  • C Reconhecer uma provisão de R$ 30.000,00.
  • D Reconhecer uma provisão de R$ 50.000,00.
17
“Um contador, chamado Júnior, tem um amigo de mais de 30 anos de amizade e sabe-se que este amigo sempre agiu com honestidade. Certo dia, para conseguir um financiamento, o amigo pediu para o contador emitir um parecer sobre a situação financeira de sua empresa. O contador da empresa é outro, e Júnior não tem qualquer conhecimento sobre os documentos contábeis da empresa.” De acordo com o código de ética do contador, ele deve:
  • A Emitir o parecer, já que sabe que este amigo sempre agiu com honestidade.
  • B Não emitir o parecer, pois não tem em mãos os documentos que comprovem a situação.
  • C Emitir o parecer, desde que ligue antes para o contador da empresa e se informe da situação.
  • D Não emitir o parecer, pois não poderia cobrar do amigo, o que é vedado pelo código de ética do contador.

Auditoria

18
Na NBC TA 200 encontramos a definição de “risco de distorção relevante”. Segundo a norma, “é o risco de que as demonstrações contábeis contenham distorção relevante antes da auditoria. Consiste em dois componentes: risco inerente e risco de controle”. Assinale a alternativa que apresenta a definição correta de risco de controle, de acordo com a NBC TA 200.
  • A É a suscetibilidade de uma afirmação a respeito de uma transação, saldo contábil ou divulgação, a uma distorção que possa ser relevante, individualmente ou em conjunto com outras distorções, antes da consideração de quaisquer controles relacionados.
  • B É a suscetibilidade de uma afirmação a respeito de uma transação, saldo contábil ou divulgação, a uma distorção que possa ser irrelevante, individualmente ou em conjunto com outras distorções, que seja prevenida, detectada e corrigida tempestivamente pelo controle interno da entidade.
  • C É o risco de que uma distorção que possa ocorrer em uma afirmação sobre uma classe de transação, saldo contábil ou divulgação e que possa ser relevante, individualmente ou em conjunto com outras distorções, não seja prevenida, detectada e corrigida tempestivamente pelo controle interno da entidade.
  • D É o risco de que uma distorção que possa ocorrer em uma afirmação sobre uma classe de transação, saldo contábil ou divulgação e que possa ser irrelevante, individualmente ou em conjunto com outras distorções, que seja prevenida, detectada e corrigida tempestivamente pelo controle interno da entidade.

Contabilidade Geral

19
“A empresa Beta S/A possui uma ação de indébitos tramitando na justiça. No entanto, analisando os critérios probabilísticos exigidos para reconhecimento, chegou-se a conclusão que não é possível mensurar com confiabilidade o montante que será recebido.” Neste caso, a empresa deve:
  • A Reconhecer como ativo.
  • B Reconhecer como receita.
  • C Divulgar nas notas explicativas.
  • D Reconhecer como ativo e divulgar nas notas explicativas.
20
“A empresa Bit Ltda., que tem como atividade fim exclusiva a fabricação de celulares e está situada em uma pequena cidade, tinha um imóvel registrado em seu ativo não circulante, imobilizado, com valor líquido (já descontando depreciação) de R$ 500.000,00. A venda foi realizada com recebimento a vista no valor de R$ 550.000,00.” O registro contábil da operação ocasionou, segundo a Resolução CFC nº 1.374/2011,
  • A um aumento no ativo.
  • B um aumento na receita.
  • C um aumento no passivo.
  • D um aumento na despesa.
21
A Resolução CFC nº 1.374/2011 define, entre outros fatores, as bases para mensuração, que pode ser definida como o processo de avaliar monetariamente os elementos das demonstrações contábeis, para que possam ser reconhecidos e apresentados no balanço patrimonial e na demonstração do resultado. A Resolução apresenta um número variado de bases de mensuração que podem ser utilizadas em diferentes graus e em variadas combinações nas demonstrações contábeis. Com relação às bases de mensuração e de acordo com a Resolução CFC nº 1.374/2011, aquela em que os passivos são mantidos pelos seus montantes de liquidação é:
  • A Custo histórico.
  • B Custo corrente.
  • C Valor realizável.
  • D Valor presente.
22
De acordo com a Resolução CFC nº 1.374/2011, “ativo é um recurso controlado pela entidade como resultado de eventos passados e do qual se espera que fluam futuros benefícios econômicos para a entidade”. A Resolução ainda afirma que: “Um ativo deve ser reconhecido no balanço patrimonial quando for provável que benefícios econômicos futuros dele provenientes fluirão para a entidade e seu custo ou valor puder ser mensurado com confiabilidade. Um ativo não deve ser reconhecido no balanço patrimonial quando os gastos incorridos não proporcionarem a expectativa provável de geração de benefícios econômicos para a entidade além do período contábil corrente”. A empresa Brasil Ltda. incorreu em gastos que não proporcionaram expectativa provável de geração de benefícios econômicos futuros para a entidade, apesar da intenção da administração de que tal gasto geraria os benefícios econômicos para a entidade além do período contábil corrente. No caso da empresa Brasil Ltda. e de acordo com a resolução CFC nº 1.374/2011, o gasto deve ser reconhecido
  • A como despesa no balanço.
  • B no passivo, uma vez que é um gasto.
  • C como despesa na demonstração do resultado.
  • D no Ativo pela intenção da administração de que tal gasto geraria os benefícios econômicos para a entidade além do período contábil corrente.
23
A Resolução CFC nº 1.374/2011 apresenta, entre outros, os conceitos das características qualitativas da informação contábil-financeira útil; uma destas características é a relevância. Sobre esta característica, a Resolução afirma que uma informação, para ser relevante, deve ter valor preditivo, valor confirmatório ou ambos. De acordo com a Resolução CFC nº 1.374/2011, a informação contábil-financeira tem valor preditivo se:
  • A Somente for uma predição ou uma projeção.
  • B For confirmada pela informação confirmatória.
  • C Retroalimentar – servir de feedback – avaliações prévias (confirmá-las ou alterá-las).
  • D Puder ser utilizada como dado de entrada em processos empregados pelos usuários para predizer futuros resultados
24

Sobre o Patrimônio Líquido das entidades, segundo a Lei nº 6.404/76 e alterações posteriores, marque V para as afirmativas verdadeiras e F para as falsas.

( ) A conta do capital social discriminará o montante subscrito e, por dedução, a parcela ainda não realizada.

( ) Devem ser classificadas como reservas de lucros, entre outras, as contas que registrarem a contribuição do subscritor de ações que ultrapassar o valor nominal e a parte do preço de emissão das ações sem valor nominal que ultrapassar a importância destinada à formação do capital social, inclusive nos casos de conversão em ações de debêntures ou partes beneficiárias.

( ) Também será ainda registrado como reserva de capital o resultado da correção monetária do capital realizado, enquanto não capitalizado.

( ) Serão classificadas como reservas de lucros as contas constituídas pela apropriação de lucros da companhia.

( ) As ações em tesouraria deverão ser destacadas no balanço como dedução da conta do patrimônio líquido que registrar a origem dos recursos aplicados na sua aquisição.

A sequência está correta em

  • A V, V, V, V, V.
  • B V, F, V, V, V.
  • C F, V, V, V, F.
  • D V, F, V, F, V.

Auditoria

25
“Os Princípios Fundamentais de Auditoria no Setor Público decorrem, principalmente, da Declaração de Lima e fornecem uma estrutura normativa de referência internacional. Referidos Princípios se traduzem em diretrizes operacionais mais específicas e detalhadas que podem ser usadas diariamente na realização de auditorias e, também, como normas de auditoria, quando normas nacionais de auditoria não tenham sido desenvolvidas. A auditoria é um processo cumulativo e interativo. Os princípios fundamentais podem ser agrupados em Princípios relacionados ao processo de auditoria, Princípios Gerais que o auditor deve considerar antes do início e durante a auditoria e em Princípios relacionados com as etapas específicas do processo de auditoria.”
(Princípios Fundamentais de Auditoria do Setor Público Aprovada em 2013. Disponível em: http://www.intosai.org. Adaptado.)  
São Princípios Gerais de Auditoria no setor público, EXCETO:
  • A Ética; Independência; e, Comunicação.
  • B Julgamento Profissional; Materialidade; e, Documentação.
  • C Zelo e Ceticismo Profissionais; Hierarquia; Juízo de Valor; e, Meritocracia.
  • D Controle de Qualidade; Gerenciamento de Equipes e Habilidades; e, Risco de Auditoria.
26
Segundo a NBC TA 230, um auditor, na conclusão da montagem do arquivo final de auditoria, pode fazer novas modificações na documentação de auditoria durante o processo final de montagem. Segundo a NBC TA 230, o auditor pode fazer estas modificações, se elas forem de natureza:
  • A Civil.
  • B Criminal.
  • C Trabalhista.
  • D Administrativa.
27
“Um auditor, ao realizar seu trabalho, encontrou uma circunstância excepcional e julgou necessário não atender um requisito relevante de uma norma.” Segundo a NBC TA 230, neste caso, o auditor
  • A deve documentar como os procedimentos alternativos de auditoria executados cumprem a finalidade desse requisito e as razões para o não atendimento.
  • B não deve documentar como os procedimentos alternativos de auditoria executados cumprem a finalidade desse requisito e as razões para o não atendimento.
  • C deve documentar como os procedimentos alternativos de auditoria executados cumprem ou não a finalidade desse requisito e as razões para o não atendimento.
  • D deve documentar como os procedimentos alternativos de auditoria executados cumprem a finalidade desse requisito sem a necessidade de expor as razões para o não atendimento.
28
A NBC TA 200 trata das responsabilidades gerais do auditor independente na condução da auditoria de demonstrações contábeis em conformidade com as normas brasileiras e internacionais de auditoria. De acordo com a NBC TA 200, assinale a alternativa que apresenta uma definição INCORRETA.
  • A Administração é a pessoa com responsabilidade executiva pela condução das operações da entidade. Para algumas entidades, como no Brasil, a administração inclui alguns ou todos os responsáveis pela governança, por exemplo, membros executivos de um conselho de governança, ou sócio-diretor
  • B Informação contábil histórica é a informação expressa em termos financeiros em relação a uma entidade específica, derivada principalmente do sistema contábil da entidade, a respeito de eventos econômicos ocorridos em períodos passados e futuros ou de condições ou circunstâncias econômicas em determinada data no passado ou no futuro.
  • C Premissa, relativa às responsabilidades da administração e, quando apropriado, dos responsáveis pela governança, com base na qual a auditoria é conduzida – que a administração e, quando apropriado, os responsáveis pela governança tenham conhecimento e entendido que eles têm as seguintes responsabilidades, fundamentais para a condução da auditoria em conformidade com as normas de auditoria.
  • D Demonstrações contábeis são a representação estruturada de informações contábeis históricas, incluindo notas explicativas relacionadas, com a finalidade de informar os recursos econômicos ou obrigações da entidade em determinada data no tempo ou as mutações de tais recursos ou obrigações durante um período de tempo, em conformidade com a estrutura de relatório financeiro. As notas explicativas relacionadas geralmente compreendem um resumo das políticas contábeis significativas e outras informações. O termo “demonstrações contábeis” geralmente se refere a um conjunto completo de demonstrações contábeis, como determinado pela estrutura de relatório financeiro aplicável, mas também pode se referir a uma única demonstração contábil, que seria um quadro isolado.
29

O objetivo do auditor é definir e executar procedimentos de auditoria que lhe permitam conseguir evidências de auditoria apropriadas e suficientes. A maior parte do seu trabalho consiste na obtenção e avaliação dessas evidências. A evidência de auditoria compreende as informações utilizadas pelo auditor para chegar às conclusões em que se fundamenta a sua opinião. A Adequação da evidência de auditoria é a medida da sua qualidade, isto é, a sua relevância e confiabilidade para suportar as conclusões em que se fundamenta a opinião do auditor. Suficiência da evidência de auditoria é a medida da sua quantidade. A quantidade necessária de evidências de auditoria é afetada pela avaliação do auditor dos riscos de distorção relevante e também pela qualidade da evidência de auditoria. Assinale a única opção errada:

  • A Ao usar informações apresentadas pela entidade, o auditor deve avaliar se as informações são suficientemente confiáveis para os seus propósitos, incluindo, como necessário nas circunstâncias: i) obter evidência de auditoria sobre a exatidão e integridade das informações; e ii) avaliar se as informações são suficientemente precisas e detalhadas para os fins da auditoria.
  • B Se a evidência de auditoria obtida em uma fonte é inconsistente com a obtida em outra; ou se o auditor tem dúvidas quanto à confiabilidade das informações a serem utilizadas como evidência de auditoria, ele deve determinar quais modificações ou acréscimos aos procedimentos de auditoria são necessários para solucionar o assunto e deve considerar o efeito desse assunto, se houver, sobre outros aspectos da auditoria;
  • C Ao definir os testes de controles e os testes de detalhes, o auditor deve determinar meios para selecionar itens a serem testados que sejam eficazes para o cumprimento dos procedimentos de auditoria;
  • D Geralmente obtêm-se mais segurança com evidência de auditoria consistente obtida a partir de fontes diferentes ou de natureza diferente. Por exemplo, informações corroborativas obtidas de uma fonte independente da entidade podem aumentar a segurança que o auditor obtêm da evidência de auditoria gerada internamente, tais como a evidência existente em registros contábeis, minutas de reuniões ou representação da administração;
  • E Os procedimentos de auditoria para obter evidências podem incluir a indagação, que consiste na busca de informações junto a pessoas com conhecimento, financeiro e não financeiro, dentro ou fora da entidade. As indagações podem ser escritas ou orais. A avaliação das respostas às indagações é parte integral do processo de indagação. Mesmo que as respostas às indagações forneçam uma base para que o auditor modifique ou realize procedimentos de auditoria adicionais, ele não pode modificar os procedimentos previamente estabelecidos;
30

As técnicas de auditoria são os procedimentos a serem adotados no desenvolvimento dos trabalhos de auditoria. Assinale a única opção errada:

  • A Exames dos Lançamentos Contábeis é o procedimento usado pela auditoria para constatação da veracidade das informações contábeis, fiscais, além de possibilitar levantamentos específicos nas análises, composição de saldos, conciliações.
  • B Dentre as técnicas de auditoria encontram-se: i) exames físicos; ii) circularização; iii) exame de documentação original; iv) conferencia de somas e cálculos; v) exames de lançamentos contábeis; vi) entrevistas; vii) exames de livros e registros auxiliares; viii) correlação entre as informações obtidas; ix) observação das atividades; x) revisão analítica.
  • C Circularização é a técnica que consiste em circular (de preferencia em vermelho) todos os dados relevantes e informações ainda pendentes de confirmação, com vistas a que o auditor mantenha o pleno controle da evolução e das pendencias dos trabalhos.
  • D Correlação entre as Informações Obtidas: Durante a execução do trabalho, o auditor executará serviços cujas informações estarão relacionadas com outras áreas de controle do auditado. A medida que for sendo observado este inter-relacionamento, o auditor estará efetuando o procedimento da correlação.
  • E Entrevista consiste na formulação de perguntas e obtenção de respostas adequadas e satisfatórias. Este procedimento deve ser bem aplicado, evitando-se questionamentos desnecessários, não objeto da auditoria. As respostas podem ser obtidas através de declarações formais ou informais. Toda informação obtida deve, dentro do possível, ser examinada, constatando-se sua efetiva comprovação e veracidade.
31
As técnicas de auditoria são os procedimentos a serem adotados no desenvolvimento dos trabalhos de auditoria. Assinale a única opção errada:
  • A Dentre as técnicas de auditoria encontram-se: i) exames físicos; ii) circularização; iii) exame de documentação original; iv) conferência de somas e cálculos; v) exames de lançamentos contábeis; vi) entrevistas; vii) exames de livros e registros auxiliares; viii) correlação entre as informações obtidas; ix) observação das atividades; x) revisão analítica.
  • B Entrevista consiste na formulação de perguntas e obtenção de respostas adequadas e satisfatórias. Este procedimento deve ser bem aplicado, evitando-se questionamentos desnecessários, não objeto da auditoria. As respostas podem ser obtidas através de declarações formais ou informais. Toda informação obtida deve, dentro do possível, ser examinada, constatando-se sua efetiva comprovação e veracidade.
  • C Circularização é a técnica que consiste em circular (de preferência em vermelho) todos os dados relevantes e informações ainda pendentes de confirmação, com vistas a que o auditor mantenha o pleno controle da evolução e das pendências dos trabalhos.
  • D Exames dos Lançamentos Contábeis é o procedimento usado pela auditoria para constatação da veracidade das informações contábeis, fiscais, além de possibilitar levantamentos específicos nas análises, composição de saldos, conciliações.
  • E Correlação entre as Informações Obtidas: Durante a execução do trabalho, o auditor executará serviços cujas informações estarão relacionadas com outras áreas de controle do auditado. À medida que for sendo observado este inter-relacionamento, o auditor estará efetuando o procedimento da correlação.
32

A documentação de auditoria, também denominada papéis de trabalho, serve para várias finalidades adicionais, que incluem: i) assistir a equipe de trabalho no planejamento e execução da auditoria; ii) assistir aos membros da equipe de trabalho responsáveis pela direção e supervisão do trabalho de auditoria e no cumprimento de suas responsabilidades de revisão; iii) permitir que a equipe de trabalho possa ser responsabilizada por seu trabalho; iv) manter um registro de assuntos de importância recorrente para auditorias futuras; v) permitir a condução de revisões e inspeções de controle de qualidade de Auditores Independentes que executam exames de auditoria e revisões de informação financeira histórica, e outros trabalhos de asseguração e de serviços correlatos; vi) permitir a condução de inspeções externas em conformidade com as exigências legais, regulamentares e outras exigências aplicáveis. A documentação de auditoria, porém, não substitui os registros contábeis nem a documentação original da entidade.

Assinale a única opção errada:

  • A O auditor deve preparar documentação que forneça: i) registro suficiente e apropriado do embasamento do relatório do auditor; e ii) evidências de que a auditoria foi planejada e executada em conformidade com as normas e as exigências legais e regulamentares aplicáveis.
  • B A elaboração de documentação de auditoria suficiente e apropriada aprimora a qualidade da auditoria e facilita a revisão e a avaliação eficazes da evidencia de auditoria e das conclusões obtidas antes da finalização do relatório do auditor. A documentação elaborada após a execução do trabalho de auditoria tende a ser mais precisa do que aquela elaborada no momento em que o trabalho é executado, até porque tal preocupação atrapalha o bom desenvolvimento dos trabalhos.
  • C Ao documentar a natureza, a época e a extensão dos procedimentos de auditoria executados, o auditor deve registrar: i) as características que identificam os itens ou assuntos específicos testados; ii) quem executou o trabalho de auditoria e a data em que foi concluído; e iii) quem revisou o trabalho de auditoria executado e a data e extensão de tal revisão.
  • D Se, em circunstâncias excepcionais, o auditor julgar necessário não atender um requisito relevante de uma norma, ele deve documentar como os procedimentos alternativos de auditoria executados cumprem a finalidade desse requisito, e as razões para o não atendimento.
  • E Se o auditor identificou informações referentes a um assunto significativo que são inconsistentes com a sua conclusão final, ele deve documentar como tratou essa inconsistência.
33

Ao selecionar itens a serem testados, o auditor deve determinar a relevância e a confiabilidade das informações a serem utilizadas como evidência de auditoria; outro aspecto da eficácia (suficiência) é uma consideração importante na seleção de itens a serem testados. Os meios à disposição do auditor para a seleção de itens a serem testados são: i) seleção de todos os itens (exame de 100%); ii) seleção de itens específicos; e iii) amostragem de auditoria. O objetivo do auditor, ao usar a amostragem em auditoria, é o de proporcionar uma base razoável para ele concluir quanto à população da qual a amostra é selecionada. Assinale a única opção errada:

  • A Taxa tolerável de desvio é a taxa de desvio dos procedimentos de controles internos previstos, definida pelo auditor para obter um nível apropriado de segurança de que essa taxa de desvio não seja excedida pela taxa real de desvio na população.
  • B Amostragem estatística é a abordagem à amostragem com as seguintes características: i) seleção aleatória dos itens da amostra; e ii) uso da teoria das probabilidades para avaliar os resultados das amostras, incluindo a mensuração do risco de amostragem. A abordagem de amostragem que não tem essas características é considerada uma amostragem não estatística.
  • C O auditor deve executar os procedimentos de auditoria, apropriados à finalidade, para cada item selecionado. Se o procedimento de auditoria não for aplicável ao item selecionado, o auditor deve desprezar esse item e prosseguir com os testes seguintes.
  • D Ao definir uma amostra de auditoria, o auditor deve: i) considerar a finalidade do procedimento de auditoria e as características da população da qual será retirada a amostra; ii) determinar o tamanho de amostra suficiente para reduzir o risco de amostragem a um nível mínimo aceitável; e iii) selecionar itens para a amostragem de forma que cada unidade de amostragem da população tenha a mesma chance de ser selecionada.
  • E Amostragem em auditoria é a aplicação de procedimentos de auditoria em menos de 100% dos itens de população relevante para fins de auditoria, de maneira que todas as unidades de amostragem tenham a mesma chance de serem selecionadas para proporcionar uma base razoável que possibilite ao auditor concluir sobre toda a população.
34

Ameaças podem ser criadas por ampla gama de relações e circunstâncias. Quando um relacionamento ou circunstância cria uma ameaça, essa ameaça pode comprometer o cumprimento dos princípios éticos por parte do profissional de auditoria. Uma circunstância ou relacionamento pode criar mais de uma ameaça, e uma ameaça pode afetar o cumprimento de mais de um princípio ético. As ameaças se enquadram em pelo menos uma das categorias a seguir, exceto:

  • A Ameaça de familiaridade é a ameaça, devido a relacionamento longo ou próximo com o cliente ou empregador, de o profissional tornar-se solidário aos interesses dele ou aceitar seu trabalho sem muito questionamento.
  • B Ameaça de interesse próprio é a ameaça de que um interesse financeiro ou outro interesse influenciará de forma não apropriada o julgamento ou o comportamento do profissional.
  • C Ameaça de defesa de interesse do cliente é a ameaça de que o profissional promoverá ou defenderá a posição de seu cliente ou empregador a ponto em que a sua objetividade fique comprometida.
  • D Ameaça de intimidação é a ameaça de que o profissional será dissuadido de agir objetivamente em decorrência de pressões reais ou aparentes, incluindo tentativas de exercer influência indevida sobre ele.
  • E Ameaça de autorrevisão é a ameaça de que o profissional, por excesso de zelo, demande tempo excessivo avaliando os resultados de julgamento dado ou serviço prestado anteriormente por ele, ou por outra pessoa física ou jurídica a ele ligada direta ou indiretamente.
Voltar para lista