Resolver o Simulado Conselho Federal de Contabilidade - CONSULPLAN

0 / 33

Contabilidade Geral

1
Considerando as demonstrações contábeis da empresa Vencedora S/A, o fluxo de caixa gerado pelas atividades operacionais corresponde a:
  • A 145,00
  • B 130,00
  • C -125,00
  • D 150,00
  • E -25,00
2

O critério de avaliação de um imóvel classificado como investimento é o:

  • A Valor de reavaliação.
  • B Valor de custo ou valor justo.
  • C Valor de mercado.
  • D Valor de reposição.
  • E Valor atualizado monetariamente.
3
A empresa Vencedora S/A, ao adquirir o controle da Cia. Semprebom, incorreu em gastos com advogados e auditores. Esses gastos são tratados contabilmente da seguinte forma:
  • A Registrados no Patrimônio líquido, sem transitar pelo resultado.
  • B Registrados em conta redutora do investimento.
  • C Registrados como custo de aquisição do investimento.
  • D Registrados em resultado de exercícios futuros.
  • E Registrados, quando incorridos, como despesas no resultado do exercício.
4
No que diz respeito às demonstrações financeiras consolidadas, a Lei 6.404/76 (Sociedade por Ações) define que:
  • A A consolidação das demonstrações financeiras não devem incluir as subsidiárias.
  • B A data-base das demonstrações financeiras de uma subsidiária não pode diferir em mais de seis meses da data-base do grupo.
  • C A consolidação das demonstrações financeiras é efetuada por meio de registros contábeis diretamente no sistema contábil da controladora.
  • D Na consolidação os saldos, as transações, as receitas e as despesas entre empresas relacionadas são totalmente eliminados.
  • E Todas as companhias por ações estão obrigadas a preparar demonstrações financeiras consolidadas.
5
De acordo, ainda, com as demonstrações contábeis acima, o índice de imobilização dos Recursos Não Correntes (IRNC) da empresa Vencedora S/A:
  • A Financiava mais de 75% do ativo fixo, nos dois anos.
  • B Financiava menos de 70% do total do ativo fixo nos dois anos.
  • C Financiava todo o ativo fixo no ano de 2013.
  • D No ano de 2012 o índice correspondia a 1,36.
  • E Financiava todo o ativo fixo, tanto no ano de 2012 quanto em 2013.
6
A Demonstração do Resultado do Exercício tem por objetivo evidenciar a situação econômica de uma empresa, ou seja, verificar se houve lucro ou prejuízo. Havendo lucro, a empresa deverá:
  • A Cobrir eventual prejuízo acumulado, inclusive em detrimento de participações e dos dividendos.
  • B Destinar determinado valor desse lucro para participações dos empregados, administradores, mesmo que haja prejuízo acumulado.
  • C Destinar, no mínimo, 25.
  • D Constituir reservas de lucros, ainda que suplante o valor do capital social.
  • E Constituir reserva legal, independentemente do seu saldo anterior.
7
O pronunciamento técnico contábil que regulou a análise de recuperabilidade (impairment) é o CPC 01.

De acordo com esse pronunciamento é incorreto afirmar:
  • A A cada data das demonstrações financeiras, os ativos são revisados para averiguar qualquer indicação de possível deterioração.
  • B A taxa de desconto é uma taxa antes dos impostos.
  • C Uma perda por impairment é reconhecida quando o valor contábil de um ativo excede seu valor recuperável.
  • D O valor recuperável é o valor justo do ativo menos os custos de venda, ou seu valor em uso, dos dois o menor.
  • E Uma perda de impairment é reconhecida no resultado do exercício.
8
De acordo com a Lei Nº. 6.404/76, as companhias de capital aberto são obrigadas a elaborar as seguintes demonstrações:
  • A Balanço patrimonial (BP), Demonstração do Resultado do Exercício (DRE), Demonstração dos Fluxos de Caixa (DFC), Demonstração do Valor Adicionado e Relatório da Administração.
  • B Balanço patrimonial (BP), Demonstração do Resultado do Exercício (DRE), Demonstração dos Lucros ou Prejuízos Acumulados (DLPA), Demonstração dos Fluxos de Caixa (DFC) e Demonstração do Valor Adicionado (DVA).
  • C Balanço patrimonial (BP), Demonstração do Resultado do Exercício (DRE), Demonstração dos Lucros ou Prejuízos Acumulados (DLPA), Demonstração dos Fluxos de Caixa (DFC) e Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido (DMPL).
  • D Balanço patrimonial (BP), Demonstração do Resultado do Exercício (DRE), Demonstração dos Lucros ou Prejuízos Acumulados (DLPA) e Demonstração do Valor Adicionado.
  • E Balanço patrimonial (BP), Demonstração do Resultado do Exercício (DRE), Demonstração dos Fluxos de Caixa (DFC), Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido (DMPL) e Demonstração do Valor Adicionado.
9
O registro contábil de dividendos recebidos, em face de investimento em sociedade coligada avaliado pelo método de equivalência patrimonial, deve ser realizado como:
  • A Resultado de exercícios futuros.
  • B Redução do investimento.
  • C Receita de dividendos no resultado do exercício.
  • D Ajuste de avaliação patrimonial.
  • E Ganho no resultado do exercício.
10
No que diz respeito aos Princípios de Contabilidade, assinale a alternativa incorreta:
  • A Na aplicação dos Princípios de Contabilidade, a essência das transações deve prevalecer sobre seus aspectos formais.
  • B O Princípio da Competência pressupõe a simultaneidade da confrontação de receitas e de despesas correspondentes.
  • C Após o registro inicial pelo valor original das transações, outras bases de mensuração podem ser utilizadas ao longo do tempo, dentre essas, a correção monetária.
  • D O Princípio da Continuidade pressupõe, precipuamente, que a Entidade continuará em operação por um período pré-determinado.
  • E O Princípio da Entidade reconhece o Patrimônio como objeto da Contabilidade e afirma a a sua autonomia patrimonial.

Contabilidade de Custos

11
Uma indústria incorreu em custos variáveis no valor de 1.200.000,00 e em custos fixos no montante de 700.000,00, para uma produção de 4.800 unidades, com previsão de uma margem de contribuição de R$ 500,00 por unidade.

Considerando essas informações, o ponto de equilíbrio contábil em unidades e o preço de venda unitária são, respectivamente:
  • A 2.800 unidades e R$ 750,00.
  • B 2.400 unidades e R$ 500,00.
  • C 1.400 unidades e R$ 750,00.
  • D 1.250 unidades e R$ 750,00.
  • E 1.400 unidades e R$ 800,00.
12
Considere as seguintes informações:

• Capital de terceiros – R$ 250.000,00;
• Custo efetivo do capital de terceiros – 12% a.a.;
• Capital próprio – R$ 350.000,00;
• Custo do capital próprio – 15% a.a.

Com base nos dados apresentados, qual é o custo médio ponderado de capital?
  • A 7,27%.
  • B 13,75%.
  • C 41,00%.
  • D 58,33%.
13

A  gestão  de  estoques  é  o  principal  critério  de  avaliação  do  sistema de administração de materiais e abrange uma série de  atividades que vão desde a programação e planejamento das  necessidades  de materiais  em  estoque,  até  ao  controle  das  quantidades  adquiridas  (SEVERO  FILHO,  2006). A  respeito  da  gestão de estoques, assinale a opção correta. 

  • A A análise ABC permite a classificação dos itens de estoque por ordem decrescente de importância, a partir da verificação do consumo dos referidos itens de estoque, em valores monetários ou quantidades, em certo período de tempo.
  • B Os atrasos da entrega de produtos aos clientes, devido à falta de material decorrente da redução repentina da demanda ou de atrasos na entrega pelos fornecedores, não são minimizados com a adoção do estoque de segurança.
  • C O sistema just in time tem como objetivo elevar o custo de armazenagem de estoques, através da utilização intensiva de espaço físico para estocagem de grandes quantidades de matéria-prima ou mercadorias em estoque.
  • D O volume do estoque mínimo deve ultrapassar a somatória da quantidade do estoque de segurança em um valor que seja suficiente para suportar variações normais de estoque e não onere os custos de manutenção do mesmo.

Contabilidade Pública

14

Além de obedecer às demais normas de Contabilidade Pública, a Escrituração das contas públicas observará que:

  • A os Estados encaminharão suas contas ao Poder Executivo da União até o dia trinta de junho.
  • B os Municípios, com cópia para o Poder Legislativo, encaminharão suas contas ao Poder Executivo da União no prazo até o dia trinta de abril.
  • C apenas as receitas previdenciárias serão apresentadas em demonstrativos financeiros e orçamentários específicos.
  • D o Poder Executivo da União promoverá, até o dia trinta de julho, a consolidação, nacional e por esfera de governo, das contas dos entes da Federação relativas ao exercício anterior e a sua divulgação, inclusive por meio eletrônico de acesso público.
15

Um determinado órgão público adquiriu um veículo em 1/4/2014, tendo recebido-o em 30/4/2014. Seguindo o disposto no MCASP, um dos lançamentos que deverá ser realizado no momento da liquidação é:

  • A D - Crédito empenhado em liquidação C - Crédito empenhado liquidado a pagar.
  • B D - Crédito empenhado a liquidar C - Crédito empenhado em liquidação.
  • C D - Bens móveis C - Fornecedores.
  • D D - Crédito disponível C - Crédito empenhado a liquidar.
  • E D - Bens móveis C - Caixa.
16
Com base no MCASP, o reconhecimento de uma variação aumentativa após o fato gerador de um tributo, mas antes da ocorrência da arrecadação da receita orçamentária, deve ser contabilizado nos seguintes subsistemas:
  • A Patrimonial, orçamentário e custos.
  • B Patrimonial, orçamentário e financeiro.
  • C Orçamentário, financeiro e compensação.
  • D Patrimonial, orçamentário e compensação.
  • E Orçamentário, compensação e custo.
17

De acordo com o Manual de Contabilidade Aplicada ao Setor Público (MCASP):

  • A Os investimentos permanentes devem ser avaliados pelo método de custo.
  • B O método de mensuração e avaliação das saídas dos estoques é o custo médio ponderado.
  • C O ágio derivado da expectativa de rentabilidade futura (goodwill) gerado internamente deve ser reconhecido como ativo.
  • D As atualizações e os ajustes dos créditos e obrigações são contabilizados em conta do patrimônio líquido.
  • E Um ativo deve ser reconhecido quando for provável que os benefícios econômicos futuros esperados fluam para a entidade, ou o custo do ativo possa ser mensurado com segurança.
18
De acordo com as Normas Brasileiras de Contabilidade aplicadas ao setor público em vigor, emitidas pelo Conselho Federal de Contabilidade, a estrutura do sistema de informação contábil é composta pelos seguintes subsistemas:
  • A Patrimonial, financeiro, orçamentário, compensação.
  • B Orçamentário, patrimonial, financeiro e compensação.
  • C Orçamentário, patrimonial, financeiro e custos.
  • D Patrimonial, custos, orçamentário, financeiro, compensação.
  • E Orçamentário, patrimonial, custos e compensação.
19
De acordo com Normas Brasileiras de Contabilidade aplicadas ao setor público em vigor, emitidas pelo Conselho Federal de Contabilidade:
  • A Os registros da entidade devem ser efetuados, desde que estimáveis tecnicamente, mesmo na hipótese de existir razoável certeza de sua ocorrência.
  • B Na Demonstração das Variações Patrimoniais não há mais a necessidade de segregar as variações entre quantitativas e qualitativas.
  • C Os ajustes decorrentes de omissões e erros de exercícios anteriores devem ser realizados à conta de resultado.
  • D A Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido é exigida de todos os órgãos da administração pública.
  • E Os valores de terceiros ou retenções em nome deles devem ser classificadas no passivo circulante ou no não circulante, conforme o seu período de exigibilidade.
20
Segundo o Manual de Contabilidade Aplicada ao Setor Público (MCASP), os estoques (matéria-prima, bens em almoxarifado) devem ser avaliados,
  • A Pelo método Primeiro a Entrar, Primeiro a Sair.
  • B Pelo custo de aquisição/produção/construção, deduzido de provisão para ajustá-lo ao valor de mercado, quando esse for inferior.
  • C Pelo valor de aquisição/produção/construção, ou valor realizável líquido, dos dois o menor.
  • D Pelo valor de mercado, quando o de aquisição/produção/construção for superior.
  • E Pelo valor específico de cada item em estoque.

Contabilidade Geral

21
Na Demonstração do Valor Adicionado, as despesas com pessoal é classificada como:
  • A Valor adicionado produzido pela entidade.
  • B Insumos adquiridos de terceiros.
  • C Distribuição do valor adicionado.
  • D Despesas.
  • E Valor adicionado bruto.

Administração Financeira e Orçamentária

22
É considerada uma desvantagem da classificação institucional da despesa pública:
  • A Quando combinado com a classificação funcional, permite focalizar num único ponto a responsabilidade pela execução de determinado programa.
  • B Permite identificar o agente responsável pelas dotações autorizadas pelo Legislativo, para dado programa.
  • C Serve como ponto de partida para o estabelecimento de um programa de contabilização de custos dos vários serviços ou unidades administrativas.
  • D Se usado de forma predominante, impede que se tenha uma visão global das finalidades dos gastos do governo, em termos das funções precípuas que deve cumprir.
  • E Permite comparar imediatamente os vários órgãos, em termos de dotações recebidas.

Contabilidade Pública

23

De acordo com as Normas Brasileiras de Contabilidade aplicadas ao setor publico em vigor, emitidas pelo Conselho Federal de Contabilidade, a estrutura do sistema de informação contábil é composta pelos seguintes subsistemas:

  • A Patrimonial, custos, orçamentário, financeiro, compensação.
  • B Patrimonial, financeiro, orçamentário, compensação.
  • C Orçamentário, patrimonial, custos e compensação.
  • D Orçamentário, patrimonial, financeiro e custos.
  • E Orçamentário, patrimonial, financeiro e compensação.

Auditoria

24

O objetivo do auditor é definir e executar procedimentos de auditoria que lhe permitam conseguir evidências de auditoria apropriadas e suficientes. A maior parte do seu trabalho consiste na obtenção e avaliação dessas evidências. A evidência de auditoria compreende as informações utilizadas pelo auditor para chegar às conclusões em que se fundamenta a sua opinião. A Adequação da evidência de auditoria é a medida da sua qualidade, isto é, a sua relevância e confiabilidade para suportar as conclusões em que se fundamenta a opinião do auditor. Suficiência da evidência de auditoria é a medida da sua quantidade. A quantidade necessária de evidências de auditoria é afetada pela avaliação do auditor dos riscos de distorção relevante e também pela qualidade da evidência de auditoria. Assinale a única opção errada:

  • A Ao usar informações apresentadas pela entidade, o auditor deve avaliar se as informações são suficientemente confiáveis para os seus propósitos, incluindo, como necessário nas circunstâncias: i) obter evidência de auditoria sobre a exatidão e integridade das informações; e ii) avaliar se as informações são suficientemente precisas e detalhadas para os fins da auditoria.
  • B Se a evidência de auditoria obtida em uma fonte é inconsistente com a obtida em outra; ou se o auditor tem dúvidas quanto à confiabilidade das informações a serem utilizadas como evidência de auditoria, ele deve determinar quais modificações ou acréscimos aos procedimentos de auditoria são necessários para solucionar o assunto e deve considerar o efeito desse assunto, se houver, sobre outros aspectos da auditoria;
  • C Ao definir os testes de controles e os testes de detalhes, o auditor deve determinar meios para selecionar itens a serem testados que sejam eficazes para o cumprimento dos procedimentos de auditoria;
  • D Geralmente obtêm-se mais segurança com evidência de auditoria consistente obtida a partir de fontes diferentes ou de natureza diferente. Por exemplo, informações corroborativas obtidas de uma fonte independente da entidade podem aumentar a segurança que o auditor obtêm da evidência de auditoria gerada internamente, tais como a evidência existente em registros contábeis, minutas de reuniões ou representação da administração;
  • E Os procedimentos de auditoria para obter evidências podem incluir a indagação, que consiste na busca de informações junto a pessoas com conhecimento, financeiro e não financeiro, dentro ou fora da entidade. As indagações podem ser escritas ou orais. A avaliação das respostas às indagações é parte integral do processo de indagação. Mesmo que as respostas às indagações forneçam uma base para que o auditor modifique ou realize procedimentos de auditoria adicionais, ele não pode modificar os procedimentos previamente estabelecidos;
25

As técnicas de auditoria são os procedimentos a serem adotados no desenvolvimento dos trabalhos de auditoria. Assinale a única opção errada:

  • A Exames dos Lançamentos Contábeis é o procedimento usado pela auditoria para constatação da veracidade das informações contábeis, fiscais, além de possibilitar levantamentos específicos nas análises, composição de saldos, conciliações.
  • B Dentre as técnicas de auditoria encontram-se: i) exames físicos; ii) circularização; iii) exame de documentação original; iv) conferencia de somas e cálculos; v) exames de lançamentos contábeis; vi) entrevistas; vii) exames de livros e registros auxiliares; viii) correlação entre as informações obtidas; ix) observação das atividades; x) revisão analítica.
  • C Circularização é a técnica que consiste em circular (de preferencia em vermelho) todos os dados relevantes e informações ainda pendentes de confirmação, com vistas a que o auditor mantenha o pleno controle da evolução e das pendencias dos trabalhos.
  • D Correlação entre as Informações Obtidas: Durante a execução do trabalho, o auditor executará serviços cujas informações estarão relacionadas com outras áreas de controle do auditado. A medida que for sendo observado este inter-relacionamento, o auditor estará efetuando o procedimento da correlação.
  • E Entrevista consiste na formulação de perguntas e obtenção de respostas adequadas e satisfatórias. Este procedimento deve ser bem aplicado, evitando-se questionamentos desnecessários, não objeto da auditoria. As respostas podem ser obtidas através de declarações formais ou informais. Toda informação obtida deve, dentro do possível, ser examinada, constatando-se sua efetiva comprovação e veracidade.
26
As técnicas de auditoria são os procedimentos a serem adotados no desenvolvimento dos trabalhos de auditoria. Assinale a única opção errada:
  • A Dentre as técnicas de auditoria encontram-se: i) exames físicos; ii) circularização; iii) exame de documentação original; iv) conferência de somas e cálculos; v) exames de lançamentos contábeis; vi) entrevistas; vii) exames de livros e registros auxiliares; viii) correlação entre as informações obtidas; ix) observação das atividades; x) revisão analítica.
  • B Entrevista consiste na formulação de perguntas e obtenção de respostas adequadas e satisfatórias. Este procedimento deve ser bem aplicado, evitando-se questionamentos desnecessários, não objeto da auditoria. As respostas podem ser obtidas através de declarações formais ou informais. Toda informação obtida deve, dentro do possível, ser examinada, constatando-se sua efetiva comprovação e veracidade.
  • C Circularização é a técnica que consiste em circular (de preferência em vermelho) todos os dados relevantes e informações ainda pendentes de confirmação, com vistas a que o auditor mantenha o pleno controle da evolução e das pendências dos trabalhos.
  • D Exames dos Lançamentos Contábeis é o procedimento usado pela auditoria para constatação da veracidade das informações contábeis, fiscais, além de possibilitar levantamentos específicos nas análises, composição de saldos, conciliações.
  • E Correlação entre as Informações Obtidas: Durante a execução do trabalho, o auditor executará serviços cujas informações estarão relacionadas com outras áreas de controle do auditado. À medida que for sendo observado este inter-relacionamento, o auditor estará efetuando o procedimento da correlação.
27

A documentação de auditoria, também denominada papéis de trabalho, serve para várias finalidades adicionais, que incluem: i) assistir a equipe de trabalho no planejamento e execução da auditoria; ii) assistir aos membros da equipe de trabalho responsáveis pela direção e supervisão do trabalho de auditoria e no cumprimento de suas responsabilidades de revisão; iii) permitir que a equipe de trabalho possa ser responsabilizada por seu trabalho; iv) manter um registro de assuntos de importância recorrente para auditorias futuras; v) permitir a condução de revisões e inspeções de controle de qualidade de Auditores Independentes que executam exames de auditoria e revisões de informação financeira histórica, e outros trabalhos de asseguração e de serviços correlatos; vi) permitir a condução de inspeções externas em conformidade com as exigências legais, regulamentares e outras exigências aplicáveis. A documentação de auditoria, porém, não substitui os registros contábeis nem a documentação original da entidade.

Assinale a única opção errada:

  • A O auditor deve preparar documentação que forneça: i) registro suficiente e apropriado do embasamento do relatório do auditor; e ii) evidências de que a auditoria foi planejada e executada em conformidade com as normas e as exigências legais e regulamentares aplicáveis.
  • B A elaboração de documentação de auditoria suficiente e apropriada aprimora a qualidade da auditoria e facilita a revisão e a avaliação eficazes da evidencia de auditoria e das conclusões obtidas antes da finalização do relatório do auditor. A documentação elaborada após a execução do trabalho de auditoria tende a ser mais precisa do que aquela elaborada no momento em que o trabalho é executado, até porque tal preocupação atrapalha o bom desenvolvimento dos trabalhos.
  • C Ao documentar a natureza, a época e a extensão dos procedimentos de auditoria executados, o auditor deve registrar: i) as características que identificam os itens ou assuntos específicos testados; ii) quem executou o trabalho de auditoria e a data em que foi concluído; e iii) quem revisou o trabalho de auditoria executado e a data e extensão de tal revisão.
  • D Se, em circunstâncias excepcionais, o auditor julgar necessário não atender um requisito relevante de uma norma, ele deve documentar como os procedimentos alternativos de auditoria executados cumprem a finalidade desse requisito, e as razões para o não atendimento.
  • E Se o auditor identificou informações referentes a um assunto significativo que são inconsistentes com a sua conclusão final, ele deve documentar como tratou essa inconsistência.
28

Ao selecionar itens a serem testados, o auditor deve determinar a relevância e a confiabilidade das informações a serem utilizadas como evidência de auditoria; outro aspecto da eficácia (suficiência) é uma consideração importante na seleção de itens a serem testados. Os meios à disposição do auditor para a seleção de itens a serem testados são: i) seleção de todos os itens (exame de 100%); ii) seleção de itens específicos; e iii) amostragem de auditoria. O objetivo do auditor, ao usar a amostragem em auditoria, é o de proporcionar uma base razoável para ele concluir quanto à população da qual a amostra é selecionada. Assinale a única opção errada:

  • A Taxa tolerável de desvio é a taxa de desvio dos procedimentos de controles internos previstos, definida pelo auditor para obter um nível apropriado de segurança de que essa taxa de desvio não seja excedida pela taxa real de desvio na população.
  • B Amostragem estatística é a abordagem à amostragem com as seguintes características: i) seleção aleatória dos itens da amostra; e ii) uso da teoria das probabilidades para avaliar os resultados das amostras, incluindo a mensuração do risco de amostragem. A abordagem de amostragem que não tem essas características é considerada uma amostragem não estatística.
  • C O auditor deve executar os procedimentos de auditoria, apropriados à finalidade, para cada item selecionado. Se o procedimento de auditoria não for aplicável ao item selecionado, o auditor deve desprezar esse item e prosseguir com os testes seguintes.
  • D Ao definir uma amostra de auditoria, o auditor deve: i) considerar a finalidade do procedimento de auditoria e as características da população da qual será retirada a amostra; ii) determinar o tamanho de amostra suficiente para reduzir o risco de amostragem a um nível mínimo aceitável; e iii) selecionar itens para a amostragem de forma que cada unidade de amostragem da população tenha a mesma chance de ser selecionada.
  • E Amostragem em auditoria é a aplicação de procedimentos de auditoria em menos de 100% dos itens de população relevante para fins de auditoria, de maneira que todas as unidades de amostragem tenham a mesma chance de serem selecionadas para proporcionar uma base razoável que possibilite ao auditor concluir sobre toda a população.
29

Ameaças podem ser criadas por ampla gama de relações e circunstâncias. Quando um relacionamento ou circunstância cria uma ameaça, essa ameaça pode comprometer o cumprimento dos princípios éticos por parte do profissional de auditoria. Uma circunstância ou relacionamento pode criar mais de uma ameaça, e uma ameaça pode afetar o cumprimento de mais de um princípio ético. As ameaças se enquadram em pelo menos uma das categorias a seguir, exceto:

  • A Ameaça de familiaridade é a ameaça, devido a relacionamento longo ou próximo com o cliente ou empregador, de o profissional tornar-se solidário aos interesses dele ou aceitar seu trabalho sem muito questionamento.
  • B Ameaça de interesse próprio é a ameaça de que um interesse financeiro ou outro interesse influenciará de forma não apropriada o julgamento ou o comportamento do profissional.
  • C Ameaça de defesa de interesse do cliente é a ameaça de que o profissional promoverá ou defenderá a posição de seu cliente ou empregador a ponto em que a sua objetividade fique comprometida.
  • D Ameaça de intimidação é a ameaça de que o profissional será dissuadido de agir objetivamente em decorrência de pressões reais ou aparentes, incluindo tentativas de exercer influência indevida sobre ele.
  • E Ameaça de autorrevisão é a ameaça de que o profissional, por excesso de zelo, demande tempo excessivo avaliando os resultados de julgamento dado ou serviço prestado anteriormente por ele, ou por outra pessoa física ou jurídica a ele ligada direta ou indiretamente.
30

Sobre a proteção que a auditoria oferece à riqueza patrimonial, dando maior segurança e garantia aos administradores, proprietários, fisco e financiadores do patrimônio, analise.

I. Sob o aspecto administrativo, contribui para redução de ineficiência, negligência, incapacidade e improbidade de empregados e administradores.

II. Sob o aspecto patrimonial, possibilita melhor controle dos bens, direitos e obrigações que constituem o patrimônio.

III. Sob o aspecto fiscal é fator de mais rigoroso cumprimento das obrigações fiscais, resguardando o patrimônio contra multas, o proprietário contra penalidades decorrentes da lei de sonegação fiscal e o fisco contra sonegação de impostos, sendo praticado apenas em empresas de médio porte.

IV. Sob o aspecto técnico, contribui para a mais adequada utilização das contas, maior eficiência dos serviços contábeis, maior precisão das informações e a garantia de que a escrituração e as demonstrações contábeis foram elaboradas de acordo com os princípios e normas de Contabilidade.

V. Sob o aspecto financeiro, resguarda créditos de terceiros – fornecedores e financiadores – contra possíveis fraudes e dilapidações do patrimônio, permitindo maior controle dos recursos para fazer face a esses compromissos.

VI. Sob o aspecto ético, examina a moralidade do ato praticado.

Estão corretas apenas as afirmativas :

  • A III, V e VI.
  • B I, II, III e IV.
  • C II, III, IV e V.
  • D I, II, IV, V e VI.
31

O relatório é o coroamento do trabalho de auditoria, pois é por meio dele que o auditor informa às pessoas a quem se dirige as seguintes informações, EXCETO:

  • A O trabalho que realizou.
  • B A forma como o realizou.
  • C Os fatos relevantes observados, os quais ele julga que devem ser divulgados.
  • D O alcance abrangido pelo trabalho, tornando-se irrelevante as normas de auditoria existentes.
32

A auditoria independente busca evidências da integridade das demonstrações contábeis através da aplicação dos testes de auditoria. Em relação aos testes de auditoria, é correto afirmar que os testes

  • A substantivos visam à obtenção de razoável segurança de que os procedimentos de controle interno estão em efetivo funcionamento.
  • B de observância têm por finalidade obter evidências quanto à suficiência, exatidão e validade dos dados gerados pelo sistema de contabilidade da entidade.
  • C de observância podem ser utilizados para verificação de que o encarregado de contas a pagar aprovou as compras das faturas pagas.
  • D substantivos não podem ser utilizados para analisar o conteúdo das notas explicativas sobre Contingências passivas.
33

Um auditor planeja entregar seu parecer sem ressalvas em relação à auditoria de 2010 de uma empresa, em 20 de janeiro de 2011. No dia 15 de janeiro de 2011, ele recebe a informação de que o principal cliente da empresa auditada, responsável por 80% de suas vendas, e que já estava em má situação em 2010, pediu concordata. Considerando que não há risco de descontinuidade da empresa, o auditor deve

  • A determinar um ajuste na conta perdas estimadas para créditos de liquidação duvidosa no balanço patrimonial de 2010.
  • B determinar um ajuste na conta perdas estimadas para créditos de liquidação duvidosa no balanço patrimonial de 2011.
  • C incluir no parecer de 2010, um parágrafo de ênfase destacando a nova informação e suas consequências.
  • D incluir no parecer de 2010, uma ressalva sobre a ocorrência.
Voltar para lista