Resolver o Simulado Nível Médio

0 / 30

Atualidades

1
Em junho de 2015, por unanimidade, o Supremo Tribunal Federal decidiu uma questão que foi alvo de uma das maiores polêmicas da área cultural na história recente do país. O STF
  • A proibiu a censura a vídeos postados no YouTube.
  • B liberou a publicação de biografias não autorizadas.
  • C estabeleceu a licença prévia para publicar obras póstumas.
  • D restringiu os direitos autorais de músicas baixadas da internet.
  • E regulamentou o leilão de obras de arte de autoria desconhecida.
2
O planeta está cada vez mais quente. E as emissões devem continuar crescendo até 2030, com expansão de 45% em relação a 1990, de acordo com relatório publicado pela ONU. 2015 se encerra como o ano mais quente já registrado, ultrapassando o simbólico limite da era pré- industrial. Disponível em: http://super.abril.com.br/cotidiano/osfatos-mais-marcantes-de-2015 Acesso em: 03 abril, 2016. Assinale a alternativa CORRETA em relação ao trecho acima:
  • A Os níveis de gases de efeito estufa na atmosfera atingiram novos máximos. No verão do hemisfério sul, a concentração média global de O (oxigênio) não atingiu 400 partes por milhão pela primeira vez.
  • B Uma estimativa preliminar com base em dados de janeiro a outubro de 2015 mostra que a temperatura média da superfície global foi de quase 30ºC.
  • C Estamos cerca de 0,73°C acima da média de 14°C registrada entre 1961-1990. O ano foi tão quente que ultrapassamos um limite simbólico - e bastante significativo: ficamos 1ºC acima do registrado no período pré-industrial, no final do século 19.
  • D Nenhuma das alternativas.
3

Em entrevista por e-mail, Edward Snowden (norte-americano atualmente foragido na Rússia) disse que “nunca vai trocar informações por asilo”, mas afirma que, se o governo oferecer, vem morar no Brasil. (dezembro de 2013)

(http://g1.globo.com/fantastico/noticia/2013/12/edward-snowden-fala-com- -exclusividade-para-o-fantastico.html. Adaptado)


Snowden ficou conhecido no Brasil por

  • A denunciar o esquema de espionagem dos Estados Unidos ao governo brasileiro.
  • B ser membro da ONG Greenpeace e exigir o fim das obras da usina Belo Monte.
  • C defender a demarcação de terras indígenas, ação sabotada por latifundiários.
  • D evidenciar as manobras de membros do Mercosul contra as exportações brasileiras.
  • E delatar os principais fornecedores de armas para os morros do Rio de Janeiro.
4

A economia brasileira apresentou em 2012 expansão de 0,9% do Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de todas as riquezas do país. Foi o pior resultado em três anos. A divulgação do Pibinho brasileiro foi feita ontem [01.03.2013] pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Com os números de 2012, a economia brasileira perdeu a sexta colocação no ranking mundial para o Reino Unido.

A queda do PIB brasileiro foi resultado de vários fatores, dentre os quais, pode-se citar:

  • A a redução dos investimentos em setores produtivos.
  • B a rígida política de controle da inflação.
  • C a diminuição dos impostos federais e estaduais.
  • D a nacionalização de empresas mineradoras.
  • E o esgotamento das exportações de soja e ferro.

Matemática

5
Considere o polinômio p(x)=x6-2x5+2x4-4x3+x2-2x. Sobre as raízes de p(x)=0, podemos afirmar que
  • A quatro raízes são reais distintas.
  • B quatro raízes são reais, sendo duas iguais.
  • C apenas uma raiz é real.
  • D apenas duas raízes são reais e iguais.
  • E apenas duas raízes são reais distintas.
6

Se f(x) = 2x3 - 3x - 12, então f(3) é igual a

  • A 21
  • B 25
  • C 27
  • D 33
7

Da renda mensal de um professor, 32% correspondem ao salário que ele recebe na escola A, e o restante, na escola B.

Se a escola A reajustar em 20% os salários de seus professores, e a escola B, em 10%, a renda mensal desse professor aumentará em

  • A 13,2%
  • B 15,0%
  • C 16,8%
  • D 24,6%
  • E 30,0%
8

Numa pesquisa sobre acesso à internet, três em cada quatro homens e duas em cada três mulheres responderam que acessam a rede diariamente. A razão entre o número de mulheres e de homens participantes dessa pesquisa é, nessa ordem, igual a 1⁄2

Que fração do total de entrevistados corresponde àqueles que responderam que acessam a rede todos os dias?

  • A 5⁄7
  • B 8⁄11
  • C 13⁄18
  • D 17⁄24
  • E 25⁄36

Português

9
A tecnologia e o futuro do policiamento

O policiamento - como todas as demais atividades - está sendo reimaginado na era das montanhas de dados, sob a expectativa de que uma análise mais ampla e profunda sobre crimes passados, combinada a algoritmos1 sofisticados, possa ajudar a prever futuros delitos. Trata-se de uma prática conhecida como “policiamento preditivo” e, ainda que exista há apenas alguns anos, muitos especialistas a veem como uma revolução na forma pela qual o trabalho policial é realizado.
Um exemplo é o departamento de polícia de Los Angeles, que está usando um software chamado PredPol. O software começa pela análise de anos de estatísticas criminais disponíveis, depois divide o mapa de patrulha em zonas (de cerca de 45 metros quadrados) e calcula a distribuição e frequência de crimes em cada uma delas. Por fim, informa aos policiais sobre as probabilidades de local e horário de crimes, o que permite que eles policiem de maneira mais intensa as áreas sob ameaça.
A atraente ideia que embasa o policiamento preditivo é a de que é muito melhor prevenir um crime antes que aconteça do que chegar depois e investigá-lo. Assim, mesmo que os policiais em patrulha não apanhem o bandido em flagrante, sua presença no lugar certo e na hora certa pode exercer efeito dissuasório2.
A lógica parece sólida. Em Los Angeles, houve um declínio de 13% na criminalidade. A cidade de Santa Cruz, também usuária do PredPol, viu queda de 30% no número de furtos.
Mas, apesar do mérito inegável do novo sistema, há quem questione sua eficácia, uma vez que as ações da polícia não podem ser guiadas apenas pela interpretação de números aproximados. Isso porque, nos regimes democráticos, a polícia precisa de causa provável - alguma forma de prova, e não apenas um palpite - para deter e revistar alguém na rua.
Também há o problema dos crimes que passam sem denúncia. Embora a maioria dos homicídios seja denunciada, muitos estupros e furtos residenciais não são. Mesmo na ausência desse tipo de denúncia, a polícia continua a desenvolver métodos de descobrir quando algo de estranho acontece em um bairro. Os críticos do policiamento preditivo temem que esse conhecimento obtido pela análise atenta que os policiais fazem de seu entorno seja substituído pela análise exclusiva das estatísticas. Se apenas dados sobre crimes que foram registrados em queixas formais forem usados para prever futuros crimes e orientar o trabalho policial, algumas formas de crime poderão passar sem registro - e, com isso, sem qualquer repressão.
As recompensas do policiamento preditivo podem ser reais, mas seus perigos também o são. A polícia precisa sujeitar seus algoritmos a um rigoroso exame externo e enfrentar a questão das distorções implícitas que carreguem.

1 algoritmo: conjunto das regras e procedimentos lógicos que levam à solução de um problema.
2 dissuasório: que convence ou tenta convencer a desistir.



De acordo com o texto, o PredPol ajuda a prever futuros delitos por meio de cálculos feitos a partir:

  • A da vigilância ininterrupta das regiões mais populosas.
  • B de informações sobre crimes cometidos no passado.
  • C de denúncias feitas por cidadãos que se sentem ameaçados
  • D do interrogatório dos bandidos que são presos em flagrante.
  • E da análise do comportamento de criminosos em detenção.
10

      Está aberta a temporada de ipês. Eu definiria essas árvores como sendo o clichê menos enfadonho de Brasília. Sim, porque, como parte do ciclo da natureza, eles brotam e colorem a capital das mesmas cores, no mesmo período, todos os anos. É a repetição mais original trazida pelo início da seca. Ainda que presença certa, os ipês são esperados com igual ansiedade a cada estação. E eles não aparecem sozinhos. Mesmo que soberanos em uma paisagem ressequida, a beleza dessas árvores − que exibem flores em cachos, de cores vistosas − é exaltada pela questionável feiura das plantas mirradas do cerrado.

      Os ipês ficam ainda altivos ao lado de árvores que hibernam em forma de seu próprio esqueleto. Seus galhos aparentemente mortos, retorcidos, sem flores, sem folhas, se recolhem para dar espaço à exuberância dos ipês em tons de roxo, rosa, amarelo ou branco. Na paisagem desértica, eles ganham ainda mais destaque, o que me faz pensar que a natureza é mesmo um belo exemplo de equilíbrio. Se brotassem todos juntos, teriam que dividir a majestade. Em apresentação solo, viram reis absolutos, para os quais se dirigem aplausos, flashes, sorrisos e agradecimentos pela beleza da vida. Excesso é veneno para a magia. Sábios, os ipês.

(Adaptado de: DUARTE, Flávia. Eu não me canso dos ipês. Disponível em: http://blogs.correiobraziliense.com.br, 17.07.2017) 

A expressão Ainda que, no 1° parágrafo, sinaliza que o fato de os ipês terem sua floração esperada com ansiedade a cada estação

  • A contraria a ideia de que aquilo que se repete com regularidade deixa de ser recebido com expectativa.
  • B vai ao encontro da ideia de que os eventos que ocorrem de maneira sistemática são mais interessantes.
  • C corrobora a ideia de que os acontecimentos sazonais tendem a ser interpretados como surpreendentes.
  • D ilustra a ideia de que a recorrência periódica de um evento torna-o paulatinamente mais esperado.
  • E confirma a ideia de que a repetição de uma ação ao longo do tempo faz com que ela ganhe em relevância.
11
É como se a floresta se dissolvesse: o sul do Amazonas perdeu cerca de 2 milhões de hectares de floresta por ano nesta década. O Ibama, que deveria conter a devastação, olha tudo de longe. Monitora imagens de satélites em Manaus, a cerca de 500 quilômetros. Na região onde motosserras e o fogo dizimam a floresta, os fiscais só aparecem uma vez por ano e ficam por um mês. Nessa época, os madeireiros tiram suas férias. “Quan- do a gente entra nas serrarias, vê dezenas de caminhões parados”, revelou o analista ambiental Geraldo Motta.

O madeireiro Vítor José de Souza, dono de uma serraria em Santo Antônio do Matupi, diz que a ausência do Estado favorece a devastação: “Um plano de manejo florestal leva 18 meses para sair porque tem de vir alguém de Manaus para fazer a vistoria”. Nesse meio tempo, os madeireiros clandestinos agem. O manejo florestal, garante Souza, gera mais dinheiro que o boi ou a agricultura: “Um lote de 100 hectares produz madeira suficiente para o cara viver sem fazer mais nada. Por que ele iria querer só desmatar?” Migrante do Paraná, Souza detém seis planos de manejo para abastecer a serraria.


(Adaptado de: “Ibama fiscaliza o sul do Amazonas por satélite” Grandes Reportagens: Amazônia. São Paulo, nov.-dez./2007. p. 48)

Depreende-se corretamente do texto:
  • A a monitoração por satélite é bastante eficaz, ao delimitar as áreas de desmatamento para que os fiscais atuem durante o descanso dos madeireiros.
  • B lotes de 100 hectares são suficientes para o manejo da agropecuária, fazendo com que o Ibama considere a possibilidade de regularização das propriedades.
  • C madeireiros como Vítor José de Souza pretendem ampliar seu campo de atuação, apesar da ação do Ibama, para fortalecer o setor agrário.
  • D a ausência do Estado deixa caminho livre ao manejo de terras pelas madeireiras, ocasionando uma verdadeira dissolução da mata.
  • E na região amazônica, há pelo menos dois modos de exploração da madeira: um, marcado pela ilegalidade; outro, caracterizado pela sustentabilidade.
12

As intermitências da morte

(Fragmento)

A morte conhece tudo a nosso respeito, e talvez por isso seja triste. Se é certo que nunca sorri, é só porque lhe faltam os lábios, e esta lição anatômica nos diz que, ao contrário do que os vivos julgam, o sorriso não é uma questão de dentes. Há quem diga, com humor menos macabro que de mau gosto, que ela leva afivelada uma espécie de sorriso permanente, mas isso não é verdade, o que ela traz à vista é um esgar de sofrimento, porque a recordação do tempo em que tinha boca, e a boca língua, e a língua saliva, a persegue continuamente. Com um breve suspiro, puxou para si uma folha de papel e começou a escrever a primeira carta deste dia, Cara senhora, lamento comunicar-lhe que a sua vida terminará no prazo irrevogável e improrrogável de uma semana, desejo-lhe que aproveite o melhor que puder o tempo que lhe resta, sua atenta servidora, morte. Duzentas e noventa e oito folhas, duzentos e noventa e oito sobrescritos, duzentas e noventa e oito descargas na lista, não se poderá dizer que um trabalho destes seja de matar, mas a verdade é que a morte chegou ao fim exausta. Com o gesto da mão direita que já lhe conhecemos fez desaparecer as duzentas e noventa e oito cartas, depois, cruzando sobre a mesa os magros braços, deixou descair a cabeça sobre eles, não para dormir, porque morte não dorme, mas para descansar. Quando meia hora mais tarde, já refeita da fadiga, a levantou, a carta que havia sido devolvida à procedência e outra vez enviada, estava novamente ali, diante das suas órbitas atônitas.

Se a morte havia sonhado com a esperança de alguma surpresa que a viesse distrair dos aborrecimentos da rotina, estava servida. [...] Entre ir e vir, a carta não havia demorado mais que meia hora, provavelmente muito menos, dado que já se encontrava em cima da mesa quando a morte levantou a cabeça do duro amparo dos antebraços, isto é, do cúbito e do rádio, que para isso mesmo é que são entrelaçados. Uma força alheia, misteriosa, incompreensível, parecia opor-se à morte da pessoa, apesar de a data da sua defunção estar fixada, como para toda a gente, desde o próprio dia do nascimento. É impossível, disse a morte à gadanha silenciosa, ninguém no mundo ou fora dele teve alguma vez mais poder do que eu. eu sou a morte, o resto é nada. As intermitências da morte (Fragmento)

SARAMAGO, José. As intermitências da morte. São Paulo: Companhia das Letras, 2005. p. 139-40


A figura de linguagem predominante em “ninguém no mundo ou fora dele teve alguma vez mais poder do que eu” é:
  • A pleonasmo.
  • B eufemismo.
  • C sinestesia.
  • D comparação.
  • E metonímia.

Noções de Informática

13

Ao tentar remover um arquivo em um sistema Windows 7 Professional em português, utilizando a tecla DEL, o Windows pergunta se deseja-se mover o arquivo para a lixeira.
Para excluir permanentemente o arquivo, sem passar pela lixeira, pode-se pressionar, em conjunto com a tecla DEL, a tecla:

  • A COMMAND.
  • B SHIFT.
  • C CTRL.
  • D TAB.
  • E ALT.
14

A respeito do Firefox 38.0.1, para adicionar um endereço aos favoritos, basta que o usuário clique no botão

  • A
  • B
  • C
  • D
15

No Windows XP, para ajudar os usuários a evitar anexos de vírus que são executados de forma inadvertida, é importante exibir as extensões ocultas de nomes de arquivos para que todas elas sejam visíveis. Para deixar estas extensões visíveis, clique em Iniciar, depois em

  • A Painel de Controle e no menu Ferramentas Administrativas, clique em Tarefas de arquivo e pasta. Desmarque a opção Ocultar as extensões dos tipos de arquivos conhecidos e clique em OK.
  • B Executar e digite cmd. No prompt do sistema digite dir *.* -h ocultar as extensões dos tipos de arquivos conhecidos e tecle ENTER.
  • C Meu Computador e no menu Arquivos, clique em Exibir e em Escolher detalhes.... desmarque a opção Ocultar as extensões dos tipos de arquivos conhecidos e clique em OK.
  • D Meu Computador e no menu Ferramentas, clique em Opções de Pasta. Na aba Modo de Exibição, desmarque a opção Ocultar as extensões dos tipos de arquivos conhecidos e clique em OK.
  • E Executar e digite cmd. No prompt do sistema digite attrib -h ocultar as extensões dos tipos de arquivos conhecidos e tecle ENTER.
16

Sobre o Microsoft Windows 7, em sua configuração padrão de instalação, analise as afirmativas.
I - Por padrão, no Windows Explorer, a biblioteca Documentos permite exibir apenas arquivos criados no Microsoft Word. II - No Windows Explorer, é permitido renomear um arquivo mesmo que ele esteja aberto em um programa/aplicativo. III - A Caixa de Pesquisa no menu Iniciar é utilizada para localizar arquivos, pastas e programas armazenados no computador. IV - Quando um arquivo é restaurado da Lixeira, ele volta para seu local original de onde foi excluído (mandado para a Lixeira).
Estão corretas as afirmativas

  • A I e II, apenas.
  • B I, III e IV, apenas.
  • C I, II, III e IV.
  • D III e IV, apenas.

Atendimento ao Público

17

O atendimento ao público (clientes), além de ser um dever por fazer parte da entrega do produto ou serviço oferecido pela instituição, contribui para a construção da imagem institucional. Com base nessa premissa verdadeira, avalie as situações apresentadas abaixo e, em seguida, assinale a alternativa que apresenta a prática que demonstra excelência (alto nível) no atendimento.

  • A Viviane atendeu uma pessoa muito emotiva e sensível. Identificando que a pessoa era emocionalmente carente e que precisava de atenção, tratou de dar total atenção a ela para que se sentisse importante; forneceu todas as informações que solicitou, independentemente se iria comprar ou não.
  • B Roberta atendeu uma pessoa muito comunicativa, mas que não consegue focar em um assunto só. Durante o atendimento, Roberta tomou conhecimento de todos os detalhes do evento que a pessoa participaria, além de outras situações particulares. Sua postura estava focada no objetivo da instituição, mesmo que, para isso, consumisse o tempo necessário para o cliente.
  • C Selma atendeu um cliente com perfil racional. Ao identificar o perfil do cliente, colocou-se à disposição e aguardou ser solicitada para fornecer as informações desejadas com exatidão, assim, usou argumentos repletos de dados e com objetividade.
  • D Paulo é um profissional que adora o que faz. Por isso, dedica todo o tempo para atender quem o procura, seja cliente interno ou externo. Conta com orgulho os casos de clientes que se tornaram seus amigos, pois sua habilidade em identificar o perfil do cliente e ter disposição para ouvi-lo como se fosse um amigo e confidente é constante.
  • E Pablo atende os clientes selecionando pelo grau de importância (recursos financeiros e status) que eles têm. Sempre está focado nas metas institucionais e, por esse motivo, direciona seus esforços e diferencia o atendimento, dedicando mais tempo às pessoas que demonstram ter mais poder aquisitivo ou nível intelectual.
18

Se um jovem de vinte e poucos anos chega a um balcão de atendimento e diz – “Que é que eu faço pra mim pagar uma conta?”, o atendente deve responder:

  • A O companheiro deve ir até o final do corredor e entrar na primeira porta à direita;
  • B Entre na primeira porta à direita, amigo;
  • C É moleza, cara, basta entrar na primeira porta à direita;
  • D Faz o seguinte: entra na primeira porta à direita, e pronto;
  • E O senhor deve entrar, por favor, na primeira porta à direita.
19

Considere a seguinte situação: O telefone toca no CRF TO, no horário de almoço dos outros funcionários, quando somente você estava realizando tarefas pertinentes ao seu cargo. Indique a melhor forma de atender ao telefone.

  • A Alô! CRF TO
  • B Pronto! Com quem deseja falar?
  • C Conselho Regional de Farmácia, Bom dia!
  • D Quem fala?
20

A telefonista exemplar sabe que a qualidade no atendimento faz toda a diferença, assim sendo, ela se aplica em

  • A praticar o atendimento com muita rapidez para evitar maiores explicações.
  • B escutar com atenção o que o interlocutor tem a dizer.
  • C atender informalmente a todas as ligações.
  • D colocar o interlocutor no seu devido lugar, em caso de reclamações.
  • E transferir rapidamente o interlocutor para qualquer ramal.
21

Com relação a excelência no atendimento ao público, que procura uma instituição, podemos afirmar que o comportamento correto está na alternativa:

  • A Nas reclamações dos clientes devemos ouvir com atenção, mas, também, ficar na defensiva da empresa, mesmo que o cliente tenha razão, pois indicará que estamos zelando pela imagem da organização.
  • B Atender bem significa receber, orientar e encaminhar o cliente de acordo com a sua necessidade, verificando, ao final, se realmente o seu pleito teve a solução adequada e se existe ainda alguma dúvida, a fim de que não haja problemas futuros para a empresa.
  • C A interrupção de um atendimento deve ser realizada mesmo sem dar satisfação ou solicitar permissão ao cliente que está na vez de ser atendido.
  • D Se um Assistente de Secretaria está cheio de serviços a realizar e não tem tempo disponível para ouvir o cliente, basta repassá-lo aos demais setores da organização, porque desconhece o que o cliente deseja solucionar.
22

A competitividade e a evolução tecnológica mudaram a dinâmica das organizações e os modelos das práticas organizacionais. Esta realidade fez com que as empresas buscassem novas formas de atender seus clientes, ajustando rapidez, flexibilidade e, principalmente, qualidade. No setor público, não foi diferente. Os novos tempos também estão exigindo, a todo momento, uma atualização nos sistemas, nas estruturas e nos modelos de gestão, devendo ser, cada vez mais, focados em resultados e orientados para as necessidades do cidadão. Estes novos tempos também exigem que se encontrem alternativas para atender esse cidadão, cada vez mais informado e exigente de seus direitos. Nessa relação com o cidadão em atendimento, o servidor que está à frente desse processo deve observar requisitos fundamentais no desempenho correto de seu trabalho. Acerca do atendimento à população, para bem atender, o servidor deverá

  • A interromper o atendimento imediatamente, quando não concordar com o ponto de vista do cidadão.
  • B abreviar as explicações do cidadão, caso o servidor já conheça o problema e já possua a resposta, a fim de agilizar o atendimento.
  • C conversar sobre assuntos pessoais do cidadão, para garantir a comunicabilidade.
  • D ser amigável e demonstrar interesse não só pela pessoa, mas pelo assunto que está sendo tratado.
  • E responder sempre às demandas do cidadão, mesmo que para isso precise dar uma informação imprecisa. O mais importante é não deixá-lo sem resposta.
23
Um dos instrumentos de trabalho de um telefonista é a voz; portanto, sempre ao atender uma ligação, a voz deve estar: 
  • A Baixa e enrolada.
  • B Baixa e murmurante.
  • C Clara e bem articulada.
  • D Grave e alta.

Redação Oficial

24

Um deputado chega a um balcão de informações e solicita auxílio; o tratamento mais adequado a ser empregado na comunicação direta com esse deputado é:

  • A Vossa Excelência;
  • B Sua Excelência;
  • C Vossa Senhoria;
  • D Vossa Alteza;
  • E Sua Senhoria.

Atendimento ao Público

25

O princípio da cortesia refere-se às estratégias e às normas de conduta - verbais e não verbais - estabelecidas pela sociedade para reduzir e/ou evitar conflitos, garantindo um comportamento social adequado.


Sobre essas estratégias, analise as afirmativas a seguir.


I. As expressões convencionais de cortesia ("por favor", "obrigado", "com licença", "desculpe") devem marcar o comportamento social.

II. O discurso, utilizando a competência comunicativa do interlocutor, deve estar adaptado às circunstâncias.

III. A comunicação, interrompendo-se o interlocutor sempre que necessário, deve ser marcada por longos períodos de silêncio.


Está correto o que se afirma em:

  • A I, apenas.
  • B II, apenas.
  • C III, apenas.
  • D I e II, apenas.
  • E II e III, apenas.
26
A fraseologia correta que deverá ser utilizada quando o telefonista atender uma ligação quando já estiver realizando outra função é: 
  • A “Um momento, por favor, obrigado.”
  • B “Só um pouco!”
  • C “Um minuto!”
  • D “Já te atendo!”

Redação Oficial

27

Conforme definido no Manual de Redação da Presidência da República, pode-se dizer que a maneira pela qual o Poder Público redige atos normativos e comunicações é denominada:

  • A redação oficial.
  • B jurisprudência.
  • C normatização.
  • D jurisdição.
  • E legislação.
28

Segundo as forma de diagramação, os documentos do Padrão Ofício devem obedecer à seguinte forma de apresentação, entre outros: EXCETO

  • A Deve ser utilizada fonte do tipo Times New Roman de corpo 12 no texto em geral, 11 nas citações, e 10 nas notas de rodapé.
  • B É obrigatória constar a partir da primeira página o número da página.
  • C O início de cada parágrafo do texto deve ter 2,5 cm de distância da margem esquerda.
  • D O campo destinado à margem lateral esquerda terá, no mínimo, 3,0 cm de largura e o campo destinado à margem lateral direita terá 1,5 cm.
  • E Todos os tipos de documentos do Padrão Ofício devem ser impressos em papel de tamanho A-4, ou seja, 29,7 x 21,0 cm.
29

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, enviou, na manhã desta sexta-feira (14), telegrama ao jogador brasileiro Tinga, meio-campo do Cruzeiro, no qual se solidarizou pelos "odiosos atos de racismo" contra o atleta.

"Caro Tinga, receba minha total solidariedade pelos odiosos atos de racismo de que foi vítima em partida disputada no Peru no último dia 12 de fevereiro. Abraço, ministro Joaquim Barbosa, presidente do Supremo Tribunal Federal", diz o telegrama de Barbosa.

Segundo os manuais de redação oficial, a forma e a estrutura do telegrama devem obedecer a um conjunto de marcas; nesse caso, a única marca que está presente é:
  • A mensagem redigida de forma sucinta;
  • B parágrafos numerados;
  • C formas de abreviação;
  • D nome e cargo do remetente;
  • E indicação de numeração sequencial.
30

Segundo o manual de redação da Presidência da República, aviso e ofício são comunicações oficiais quase idênticas, a diferença é:

  • A O aviso é expedido apenas por Ministros de Estado.
  • B O aviso é expedido apenas por Chefia de Gabinete.
  • C O ofício é expedido por Ministros de Estado e demais autoridades.
  • D O aviso é expedido por todas as autoridades do Executivo Federal.
  • E O ofício, quando não segue as regras do manual é passível de nulidade.
Voltar para lista