Resolver o Simulado MS CONCURSOS - Nível Médio

0 / 50

Português

1

Quem ama inventa. (Mário Quintana)


Quem ama inventa as coisas que ama...

Talvez chegaste quando eu te sonhava.

Então de súbito acendeu-se a chama!

Era a brasa dormida que acordava...

E era um revoo sobre a ruinaria.

Tangidos por uns anjos peregrinos

Cujo dom é fazer ressurreições...

Um ritmo divino? Oh! Simplesmente

O palpitar de nossos corações

Batendo juntos e festivamente

Ou sozinhos, num ritmo tristonho...

Oh! Meu pobre, meu grande amor distante.

Nem sabes tu o bem que faz à gente

Haver sonhado... e ter vivido o sonho!

Veja sequencialmente estas palavras do poema: “coisas” (1º verso), “talvez” (2º verso), “sobre” (5º verso), e “tristonho” (11º verso). Quanto à classe de palavras, elas são:
  • A Substantivo, advérbio, interjeição, adjetivo.
  • B Substantivo, advérbio, preposição, adjetivo.
  • C Substantivo, advérbio, conjunção, adjetivo.
  • D Substantivo, preposição, pronome, adjetivo.
2

Leia o poema seguinte para responder à próxima questão.


“O amor, quando se revela.” (Fernando Pessoa).


O amor, quando se revela,

Não se sabe revelar.

Sabe bem olhar p’ra ela,

Mas não lhe sabe falar.


Quem quer dizer o que sente

Não sabe o que há de dizer.

Fala: parece que mente...

Cala: parece esquecer...


Ah, mas se ela adivinhasse,

Se pudesse ouvir o olhar,

E se um olhar lhe bastasse

P’ra saber que a estão a amar!


Mas quem sente muito, cala;

Quem quer dizer quanto sente

Fica sem alma nem fala,

Fica só, inteiramente!


Mas se isto puder contar-lhe

O que não lhe ouso contar,

Já não terei que falar-lhe

Porque lhe estou a falar...

Assinale a alternativa incorreta quanto ao poema:
  • A O uso do pronome quem, no poema (Quem quer dizer o que sente/ Quem sente muito cala/ Quem quer dizer quanto sente), produz um efeito de generalizar as ações, torná-las indefinidas, comuns a muitas pessoas.
  • B Os dois últimos versos do poema mostram uma contradição (Já não terei que falar-lhe/ Porque lhe estou a falar...).
  • C As formas verbais dos versos da última estrofe (Mas se isto puder contar-lhe/ O que não lhe ouso contar,/ Já não terei que falar-lhe/ Porque lhe estou a falar...) estão flexionados nas 1ª e 2ª pessoas do singular.
  • D Na 3ª estrofe há um desejo do eu lírico em relação à amada, que parece fugir à razão, pois mistura sensações diferentes, que a amada pudesse ouvir o olhar.
3

Leia o texto abaixo, que se trata de um verbete e seu respectivo significado, publicado no Dicionário ilustrado da moda. A seguir, responda à próxima questão.

Coleção
Portfólio dos melhores trabalhos de um estilista, montado por estação. Todas as roupas de uma coleção representam a inspiração do estilista e exploram temas, tecidos, texturas e cores em comum.

Leia o texto abaixo, que se trata de um verbete e seu respectivo significado, publicado no Dicionário ilustrado da moda. A seguir, responda à próxima questão.

Coleção
Portfólio dos melhores trabalhos de um estilista, montado por estação. Todas as roupas de uma coleção representam a inspiração do estilista e exploram temas, tecidos, texturas e cores em comum.

(AMBROSE, G.; HARRIS, P. Dicionário ilustrado da moda. (Trad. Márcia Longarço).
Barcelona: Gustavo Gili, 2012. p. 75)

Analise alguns substantivos do texto e escolha a alternativa correta.

  • A O substantivo “roupas" sofreu flexão de número.
  • B Tanto o substantivo “estação" como o substantivo “inspiração" são palavras derivadas.
  • C Todos os substantivos do trecho “Portfólio dos melhores trabalhos de um estilista" estão no plural.
  • D A formação do plural dos substantivos “temas", “tecidos", “texturas" e “cores" é idêntica.
  • E O radical do substantivo “inspiração" é inspiraç-.
4

Leia o texto abaixo, que se trata de um verbete e seu respectivo significado, publicado no Dicionário ilustrado da moda. A seguir, responda à próxima questão.

Coleção
Portfólio dos melhores trabalhos de um estilista, montado por estação. Todas as roupas de uma coleção representam a inspiração do estilista e exploram temas, tecidos, texturas e cores em comum.

Leia, agora, um trecho de outro verbete retirado do mesmo dicionário e responda à próxima questão.

Conceito
A ideia central e dominante ou motivo apresentado em um modelo ou através de uma coleção completa de roupas. Um conceito apresenta a ideia que levou àquele modelo, é o ponto de partida e a referência constante. O conceito de uma coleção pode ser mostrado de forma evidente, literal, ou de maneira sutil. Um conceito pode ser algo simples, como África, burlesco ou piratas. [...]

(AMBROSE, G.; HARRIS, P. Dicionário ilustrado da moda. (Trad. Márcia Longarço).
Barcelona: Gustavo Gili, 2012. p. 81)

Agora, das mesmas orações apresentadas anteriormente, escolha aquela cujo trecho sublinhado é o predicado dessa oração.

  • A “Um conceito apresenta a ideia".
  • B “é o ponto de partida e a referência constante".
  • CO conceito de uma coleção pode ser mostrado de forma evidente, literal, ou de maneira sutil.".
  • D “Um conceito pode ser algo simples, como África, burlesco ou piratas.".
  • E “Um conceito pode ser algo simples, como África, burlesco ou piratas.".
5

Leia o seguinte fragmento retirado do capítulo 22 - Na terra dos lápis -, do livro Marley e eu, para responder à seguinte questão.

Esperávamos que nosso primeiro Natal na Pensilvânia fosse branco. Jenny e eu tivemos de usar uma série de argumentos para convencer Patrick e Connor de que estariam deixando sua casa e seus amigos na Flórida em troca de algo melhor, e o mais persuasivo de todos fora a promessa de que teriam neve. E não era qualquer tipo de neve, mas uma grande quantidade, fofinha, como em um cartão-postal, que caía do céu em flocos grandes e silenciosos, formando montanhas, com a consistência perfeita para se fazer bonecos de neve. E a neve do Natal, bem, essa era a melhor de todas, o Santo Graal da vida no inverno do norte. (...)

Na manhã de Natal havia um tobogã novinho em folha debaixo da árvore e equipamentos de neve suficientes para uma excursão até a Antártica, mas a vista que tínhamos da janela ainda era de galhos sem folhas, gramados dormentes e campos de milho amarronzados. Acendi a lareira, deixando o ambiente agradavelmente aquecido, e disse às crianças que fossem pacientes. A neve viria quando tivesse de vir.

Chegou o Ano-Novo, e ela ainda não tinha caído. (...)

Três semanas depois do início do ano, a neve finalmente veio me salvar do meu purgatório de culpa. Chegou à noite, depois que todos haviam ido dormir, e Patrick foi o primeiro a soar o alarme, correndo para nosso quarto ao amanhecer e abrindo totalmente as cortinas.

- Olhem! Olhem! - exclamou ele. - Ela veio!

Jenny e eu nos sentamos na cama para admirar nossa absolvição. Uma cobertura branca se espalhava
pelas colinas, pelos campos de milho, pelos pinheiros e pelos telhados, estendendo-se até o horizonte.

- É claro que veio - respondi, sem querer dar muita importância. - O que eu disse a vocês?

A neve tinha quase um metro de altura e continuava caindo. Connor e Colleen não demoraram a
aparecer, o dedão enfiado na boca, arrastando seus cobertores pelo corredor. Marley acordou e se espreguiçou, batendo o rabo em tudo, sentindo a excitação. Eu me virei para Jenny e disse:

- Acho que pensar em voltar a dormir, nem pensar.

E quando Jenny assentiu com a cabeça, me virei para as crianças e gritei:

- Está certo, coelhinhos da neve, vamos nos vestir.

Pela meia hora seguinte, colocamos roupas, fechamos zíperes, calçamos botas, enfiamos gorros
e luvas. Quando terminamos, as crianças pareciam múmias, e nossa cozinha, uma réplica dos bastidores das Olimpíadas de Inverno. E concorrendo na prova Bobo no Gelo Morro Abaixo, na categoria de Cães de Grande Porte, estava... Marley, o Cão. Eu abri a porta da frente e, antes que qualquer um saísse, Marley passou zunindo por nós, derrubando a encapotada Colleen. Quando suas patas tocaram aquela coisa branca e toda estranha - “Ih, molhado! Ih, frio!” -, ele mudou de ideia e tentou subitamente mudar de direção. Quem já dirigiu um carro na neve sabe que frear repentinamente e fazer uma conversão em “U” nunca é uma boa ideia.

Marley derrapou, girando de trás para a frente. Ele caiu ligeiramente de um lado, antes de se
levantar novamente a tempo de dar uma cambalhota nos degraus da varanda da frente e bater de cabeça na neve. Quando se equilibrou um minuto depois, parecia um biscoito gigante polvilhado de açúcar. Com exceção do nariz preto e dos olhos castanhos, ele estava totalmente coberto de branco. O Abominável Cachorro das Neves. Marley não sabia o que fazer com aquela substância estranha. Enfiou o nariz e soltou um espirro violento. Enfiou a cabeça e esfregou a cara. Então, como por um encanto, como se tivesse recebido uma dose gigante de adrenalina, ele disparou pelo quintal executando uma série de saltos mortais entremeados de cambalhotas ou mergulhos de cabeça. A neve era quase tão divertida quanto bagunçar o lixo do vizinho.

Acompanhando-se o rastro de Marley pela neve conseguia-se começar a entender como
funcionava sua mente tortuosa. Seu rastro tinha inúmeras viradas, voltas e desvios repentinos, com giros erráticos em forma de oito, fazendo espirais e saltos triplos, como se estivesse seguindo algum algoritmo bizarro que só ele conseguiria entender. Logo as crianças começaram a imitá-lo, girando, rolando e brincando, amontoando neve em todas as dobras e fendas de suas roupas. Jenny nos trouxe torradas amanteigadas, canecas de chocolate quente e um aviso: a escola tinha cancelado as aulas. Eu sabia que tão cedo não conseguiria tirar da garagem meu Nissan com tração nas duas rodas, sem mencionar as subidas e descidas das estradas cobertas de neve nas montanhas, e declarei oficialmente um dia de neve pra mim também.

GROGAN, John. Tradução: Thereza C. R. da Motta e Elvira Serapicos. Marley e eu: A vida e o amor ao
lado do pior cão do mundo. Ediouro. 2006.pp274-278.

O texto, fragmento da obra Marley e eu, apresenta uma linguagem simples, mas construída com certa riqueza de detalhes. Assim, de uma atenta leitura consegue-se deduzir:

  • A Jenny e a família mudaram-se da Flórida para a Pensilvânia havia menos de dois anos.
  • B A família moradora da Pensilvânia é constituída por seis personagens: Jenny e seu esposo, Colleen, Patrick, Connor e outro personagem que também é o narrador.
  • C Na Pensilvânia, haveria uma prova para Cães de Grande Porte, na qual Marley foi inscrito para concorrer.
  • D A família estava preparada para enfrentar o rigoroso inverno da Pensilvânia que chegou quatro semanas após o início do ano.
6

Leia o poema seguinte para responder à próxima questão.


“O amor, quando se revela.” (Fernando Pessoa).


O amor, quando se revela,

Não se sabe revelar.

Sabe bem olhar p’ra ela,

Mas não lhe sabe falar.


Quem quer dizer o que sente

Não sabe o que há de dizer.

Fala: parece que mente...

Cala: parece esquecer...


Ah, mas se ela adivinhasse,

Se pudesse ouvir o olhar,

E se um olhar lhe bastasse

P’ra saber que a estão a amar!


Mas quem sente muito, cala;

Quem quer dizer quanto sente

Fica sem alma nem fala,

Fica só, inteiramente!


Mas se isto puder contar-lhe

O que não lhe ouso contar,

Já não terei que falar-lhe

Porque lhe estou a falar...

Com referência ao poema acima, leia as duas primeiras estrofes e assinale a alternativa incorreta.
  • A Mostram a importância de escolher entre falar e calar.
  • B Referem-se às pessoas apaixonadas em geral, mas também, podem se referir a uma pessoa específica.
  • C Mostram o drama interno vivido por quem ama.
  • D Indicam que revelar o amor à pessoa amada é algo muito difícil.
7

Numeral é a palavra que determina a quantidade ou a sucessão de elementos. O numeral pode ser cardinal, ordinal, multiplicativo e fracionário. Leia os itens e assinale a alternativa correta:

I - O numeral cardinal indica a quantidade; o ordinal indica a sequência, a ordem.

II - Podemos usar os numerais “ambos” e “ambas” para indicar, respectivamente, dois, duas. Exemplo: Ambas as crianças estavam com febre. (Ou, As duas crianças estavam com febre).

III - Palavras como último, penúltimo, anterior, terciário, quinzenal, embora guardem ideia de número, são classificados como adjetivos.

IV - “Um” e “uma,” em qualquer contexto, são sempre numerais.

  • A Apenas I, II e IV estão corretos.
  • B Apenas II, III e IV estão corretos.
  • C Apenas I, II e III estão corretos.
  • D Apenas I, III e IV estão corretos.
8

Leia os itens e assinale a opção correta:

I - São ditongos crescentes: indício, malícia, matéria.

II - São ditongos decrescentes: rói, criação, saudade.

III - São hiatos: suado, comeríamos, país.

IV - São tritongos: Paraguai, quando, herói.

  • A Apenas I, II e III estão corretos.
  • B Apenas I, II e IV estão corretos.
  • C Apenas II, III e IV estão corretos.
  • D Apenas I, III e IV estão corretos.
9
Figuras de linguagem, também chamadas figuras de estilo, são recursos especiais de que se vale quem fala ou escreve, para comunicar à expressão mais força e colorido, intensidade e beleza. Sendo assim, assinale a alternativa onde temos uma figura de linguagem chamada metáfora:
  • A O rei dos animais foi generoso.(= leão).
  • B As derrotas e as desilusões são amargas.
  • C Foi o que vi com os meus próprios olhos.
  • D Chorou rios de lágrimas.
10
Leia o seguinte fragmento retirado do capítulo 22 - Na terra dos lápis -, do livro Marley e eu, para responder à seguinte questão.

Esperávamos que nosso primeiro Natal na Pensilvânia fosse branco. Jenny e eu tivemos de usar uma série de argumentos para convencer Patrick e Connor de que estariam deixando sua casa e seus amigos na Flórida em troca de algo melhor, e o mais persuasivo de todos fora a promessa de que teriam neve. E não era qualquer tipo de neve, mas uma grande quantidade, fofinha, como em um cartão-postal, que caía do céu em flocos grandes e silenciosos, formando montanhas, com a consistência perfeita para se fazer bonecos de neve. E a neve do Natal, bem, essa era a melhor de todas, o Santo Graal da vida no inverno do norte. (...)

Na manhã de Natal havia um tobogã novinho em folha debaixo da árvore e equipamentos de neve suficientes para uma excursão até a Antártica, mas a vista que tínhamos da janela ainda era de galhos sem folhas, gramados dormentes e campos de milho amarronzados. Acendi a lareira, deixando o ambiente agradavelmente aquecido, e disse às crianças que fossem pacientes. A neve viria quando tivesse de vir.

Chegou o Ano-Novo, e ela ainda não tinha caído. (...)

Três semanas depois do início do ano, a neve finalmente veio me salvar do meu purgatório de culpa. Chegou à noite, depois que todos haviam ido dormir, e Patrick foi o primeiro a soar o alarme, correndo para nosso quarto ao amanhecer e abrindo totalmente as cortinas.

- Olhem! Olhem! - exclamou ele. - Ela veio!

Jenny e eu nos sentamos na cama para admirar nossa absolvição. Uma cobertura branca se espalhava
pelas colinas, pelos campos de milho, pelos pinheiros e pelos telhados, estendendo-se até o horizonte.

- É claro que veio - respondi, sem querer dar muita importância. - O que eu disse a vocês?

A neve tinha quase um metro de altura e continuava caindo. Connor e Colleen não demoraram a
aparecer, o dedão enfiado na boca, arrastando seus cobertores pelo corredor. Marley acordou e se espreguiçou, batendo o rabo em tudo, sentindo a excitação. Eu me virei para Jenny e disse:

- Acho que pensar em voltar a dormir, nem pensar.

E quando Jenny assentiu com a cabeça, me virei para as crianças e gritei:

- Está certo, coelhinhos da neve, vamos nos vestir.

Pela meia hora seguinte, colocamos roupas, fechamos zíperes, calçamos botas, enfiamos gorros
e luvas. Quando terminamos, as crianças pareciam múmias, e nossa cozinha, uma réplica dos bastidores das Olimpíadas de Inverno. E concorrendo na prova Bobo no Gelo Morro Abaixo, na categoria de Cães de Grande Porte, estava... Marley, o Cão. Eu abri a porta da frente e, antes que qualquer um saísse, Marley passou zunindo por nós, derrubando a encapotada Colleen. Quando suas patas tocaram aquela coisa branca e toda estranha - “Ih, molhado! Ih, frio!” -, ele mudou de ideia e tentou subitamente mudar de direção. Quem já dirigiu um carro na neve sabe que frear repentinamente e fazer uma conversão em “U” nunca é uma boa ideia.

Marley derrapou, girando de trás para a frente. Ele caiu ligeiramente de um lado, antes de se
levantar novamente a tempo de dar uma cambalhota nos degraus da varanda da frente e bater de cabeça na neve. Quando se equilibrou um minuto depois, parecia um biscoito gigante polvilhado de açúcar. Com exceção do nariz preto e dos olhos castanhos, ele estava totalmente coberto de branco. O Abominável Cachorro das Neves. Marley não sabia o que fazer com aquela substância estranha. Enfiou o nariz e soltou um espirro violento. Enfiou a cabeça e esfregou a cara. Então, como por um encanto, como se tivesse recebido uma dose gigante de adrenalina, ele disparou pelo quintal executando uma série de saltos mortais entremeados de cambalhotas ou mergulhos de cabeça. A neve era quase tão divertida quanto bagunçar o lixo do vizinho.

Acompanhando-se o rastro de Marley pela neve conseguia-se começar a entender como
funcionava sua mente tortuosa. Seu rastro tinha inúmeras viradas, voltas e desvios repentinos, com giros erráticos em forma de oito, fazendo espirais e saltos triplos, como se estivesse seguindo algum algoritmo bizarro que só ele conseguiria entender. Logo as crianças começaram a imitá-lo, girando, rolando e brincando, amontoando neve em todas as dobras e fendas de suas roupas. Jenny nos trouxe torradas amanteigadas, canecas de chocolate quente e um aviso: a escola tinha cancelado as aulas. Eu sabia que tão cedo não conseguiria tirar da garagem meu Nissan com tração nas duas rodas, sem mencionar as subidas e descidas das estradas cobertas de neve nas montanhas, e declarei oficialmente um dia de neve pra mim também.

GROGAN, John. Tradução: Thereza C. R. da Motta e Elvira Serapicos. Marley e eu: A vida e o amor ao
lado do pior cão do mundo. Ediouro. 2006.pp274-278.

O verbo frear foi empregado no texto no modo infinitivo. Em qual alternativa ele se apresenta conjugado e grafado corretamente?

  • A O turista freiou imediatamente ao perceber um animal na pista.
  • B Eles disseram que freiariam apenas em caso de perigo, pois o freio estava com problemas.
  • C Eu freio, você freia, enfim, nós freamos o carro quando é necessário evitar o pior.
  • D Eu freiei e consegui impedir um grave acidente.
11
Assinale a alternativa incorreta quanto à ocorrência ou não da crase:
  • A Chegamos cedo à casa de seus pais.
  • B Fiz o curso à distância.
  • C Ele fez um gol à Pelé.
  • D Refiro-me a ela e não a você.
12
Quanto à regência verbal, assinale a alternativa correta:
  • A Resido na Rua Monte Castelo.
  • B Ele sempre aspirou o cargo de diretor executivo.
  • C A peça não agradou os críticos.
  • D Adoro aspirar ao perfume das flores.
13
Assinale a alternativa onde temos sequencialmente ditongo, hiato e tritongo:
  • A Sarau, friíssimo, tênue.
  • B Riu, creem, quatro.
  • C Sofreu, doer, enxaguei.
  • D Quantia, cruel, bainha.
14

Quem ama inventa. (Mário Quintana)


Quem ama inventa as coisas que ama...

Talvez chegaste quando eu te sonhava.

Então de súbito acendeu-se a chama!

Era a brasa dormida que acordava...

E era um revoo sobre a ruinaria.

Tangidos por uns anjos peregrinos

Cujo dom é fazer ressurreições...

Um ritmo divino? Oh! Simplesmente

O palpitar de nossos corações

Batendo juntos e festivamente

Ou sozinhos, num ritmo tristonho...

Oh! Meu pobre, meu grande amor distante.

Nem sabes tu o bem que faz à gente

Haver sonhado... e ter vivido o sonho!

No segundo verso do poema, há quatro palavras com encontros consonantais, são elas:
  • A Talvez, chegaste, eu, sonhava.
  • B Chegaste, quando, te, sonhava.
  • C Talvez, chegaste, quando, sonhava.
  • D Talvez, eu, te, sonhava.
15

Leia o texto abaixo e, depois, responda a questão.

As algas

As algas
das águas salgadas
são mais amadas,
são mais amargas

As algas marinhas
não andam sozinhas,
de um reino maravilhoso
são as rainhas.

As algas muito amigas
inventam cantigas
pra embalar
os habitantes do mar.

As algas tão sábias
são cheias de lábias
se jogam sem medo
e descobrem
o segredo
mais profundo
que há bem no fundo
do mar.

As algas em seus verdores
são plantas e são flores.

Um pouco de tudo: de bichos, de gente, de flores, de Elias José. São Paulo: Paulinas, 1982. p. 17.
Escolha a alternativa que mencione, de forma sucinta, o assunto tratado no texto.
  • A Algas.
  • B Fundo do mar.
  • C Águas salgadas.
  • D Um reino maravilhoso.
16
Leia o seguinte fragmento retirado do capítulo 22 - Na terra dos lápis -, do livro Marley e eu, para responder à seguinte questão.

Esperávamos que nosso primeiro Natal na Pensilvânia fosse branco. Jenny e eu tivemos de usar uma série de argumentos para convencer Patrick e Connor de que estariam deixando sua casa e seus amigos na Flórida em troca de algo melhor, e o mais persuasivo de todos fora a promessa de que teriam neve. E não era qualquer tipo de neve, mas uma grande quantidade, fofinha, como em um cartão-postal, que caía do céu em flocos grandes e silenciosos, formando montanhas, com a consistência perfeita para se fazer bonecos de neve. E a neve do Natal, bem, essa era a melhor de todas, o Santo Graal da vida no inverno do norte. (...)

Na manhã de Natal havia um tobogã novinho em folha debaixo da árvore e equipamentos de neve suficientes para uma excursão até a Antártica, mas a vista que tínhamos da janela ainda era de galhos sem folhas, gramados dormentes e campos de milho amarronzados. Acendi a lareira, deixando o ambiente agradavelmente aquecido, e disse às crianças que fossem pacientes. A neve viria quando tivesse de vir.

Chegou o Ano-Novo, e ela ainda não tinha caído. (...)

Três semanas depois do início do ano, a neve finalmente veio me salvar do meu purgatório de culpa. Chegou à noite, depois que todos haviam ido dormir, e Patrick foi o primeiro a soar o alarme, correndo para nosso quarto ao amanhecer e abrindo totalmente as cortinas.

- Olhem! Olhem! - exclamou ele. - Ela veio!

Jenny e eu nos sentamos na cama para admirar nossa absolvição. Uma cobertura branca se espalhava
pelas colinas, pelos campos de milho, pelos pinheiros e pelos telhados, estendendo-se até o horizonte.

- É claro que veio - respondi, sem querer dar muita importância. - O que eu disse a vocês?

A neve tinha quase um metro de altura e continuava caindo. Connor e Colleen não demoraram a
aparecer, o dedão enfiado na boca, arrastando seus cobertores pelo corredor. Marley acordou e se espreguiçou, batendo o rabo em tudo, sentindo a excitação. Eu me virei para Jenny e disse:

- Acho que pensar em voltar a dormir, nem pensar.

E quando Jenny assentiu com a cabeça, me virei para as crianças e gritei:

- Está certo, coelhinhos da neve, vamos nos vestir.

Pela meia hora seguinte, colocamos roupas, fechamos zíperes, calçamos botas, enfiamos gorros
e luvas. Quando terminamos, as crianças pareciam múmias, e nossa cozinha, uma réplica dos bastidores das Olimpíadas de Inverno. E concorrendo na prova Bobo no Gelo Morro Abaixo, na categoria de Cães de Grande Porte, estava... Marley, o Cão. Eu abri a porta da frente e, antes que qualquer um saísse, Marley passou zunindo por nós, derrubando a encapotada Colleen. Quando suas patas tocaram aquela coisa branca e toda estranha - “Ih, molhado! Ih, frio!” -, ele mudou de ideia e tentou subitamente mudar de direção. Quem já dirigiu um carro na neve sabe que frear repentinamente e fazer uma conversão em “U” nunca é uma boa ideia.

Marley derrapou, girando de trás para a frente. Ele caiu ligeiramente de um lado, antes de se
levantar novamente a tempo de dar uma cambalhota nos degraus da varanda da frente e bater de cabeça na neve. Quando se equilibrou um minuto depois, parecia um biscoito gigante polvilhado de açúcar. Com exceção do nariz preto e dos olhos castanhos, ele estava totalmente coberto de branco. O Abominável Cachorro das Neves. Marley não sabia o que fazer com aquela substância estranha. Enfiou o nariz e soltou um espirro violento. Enfiou a cabeça e esfregou a cara. Então, como por um encanto, como se tivesse recebido uma dose gigante de adrenalina, ele disparou pelo quintal executando uma série de saltos mortais entremeados de cambalhotas ou mergulhos de cabeça. A neve era quase tão divertida quanto bagunçar o lixo do vizinho.

Acompanhando-se o rastro de Marley pela neve conseguia-se começar a entender como
funcionava sua mente tortuosa. Seu rastro tinha inúmeras viradas, voltas e desvios repentinos, com giros erráticos em forma de oito, fazendo espirais e saltos triplos, como se estivesse seguindo algum algoritmo bizarro que só ele conseguiria entender. Logo as crianças começaram a imitá-lo, girando, rolando e brincando, amontoando neve em todas as dobras e fendas de suas roupas. Jenny nos trouxe torradas amanteigadas, canecas de chocolate quente e um aviso: a escola tinha cancelado as aulas. Eu sabia que tão cedo não conseguiria tirar da garagem meu Nissan com tração nas duas rodas, sem mencionar as subidas e descidas das estradas cobertas de neve nas montanhas, e declarei oficialmente um dia de neve pra mim também.

GROGAN, John. Tradução: Thereza C. R. da Motta e Elvira Serapicos. Marley e eu: A vida e o amor ao
lado do pior cão do mundo. Ediouro. 2006.pp274-278.

Um dos recursos utilizados para enriquecer um texto é a intertextualidade. Pode-se dizer que ela ocorre nos trechos a seguir, exceto naquele apontado em qual alternativa?

  • A “Na manhã de Natal havia um tobogã novinho em folha debaixo da árvore”.
  • B “a neve finalmente veio me salvar do meu purgatório de culpa.”
  • C “O Abominável Cachorro das Neves.”
  • D “essa era a melhor de todas, o Santo Graal da vida no inverno do norte.”
17

VAIDOSO, SIM!


Pesquisa mostra que os homens são responsáveis por 40% do faturamento nas lojas dos Shoppings Centers


Há algum tempo o mercado de beleza vem crescendo, mostrando que vaidade não é mais uma exclusividade feminina. Coisas do passado... Dados da consultoria britânica Euromonitor International demonstram que as vendas de produtos voltados para a beleza masculina crescem a cada dia. Já outra pesquisa revelou que os homens não resistem a uma vitrine e são responsáveis por 40% do faturamento nas lojas dos Shoppings Centers. Detalhe: no departamento de vestuário. O modelo Felipe Maximo concorda. "Homem tem que ser vaidoso, sim! É importante estarmos sempre bem apresentáveis", frisou o negro gato, que sonha com as passarelas internacionais e será destaque em uma das próximas edições. Pois é... Quando o assunto é vaidade, eles dizem SIM!


(Fonte: http://racabrasil.uol.com.br/paginas-pretas/vaidoso-sim/3218/. Acesso em 23/03/2016.)

Para qual dos segmentos, extraídos do texto, há uma afirmação incorreta quanto à pontuação? 
  • A Em Quando o assunto é vaidade, eles dizem SIM! - a vírgula atende à regra gramatical.
  • B Em Há algum tempo o mercado de beleza vem crescendo - caberia uma vírgula após a palavra tempo.
  • C Em "Homem tem que ser vaidoso, sim! É importante estarmos sempre bem apresentáveis" - as aspas poderiam ser retiradas e todo o trecho destacado em itálico.

  • D Em Há algum tempo o mercado de beleza vem crescendo, mostrando que vaidade não é mais uma exclusividade feminina. - a vírgula após crescendo é dispensável.
18
Leia o seguinte fragmento retirado do capítulo 22 - Na terra dos lápis -, do livro Marley e eu, para responder à seguinte questão.

Esperávamos que nosso primeiro Natal na Pensilvânia fosse branco. Jenny e eu tivemos de usar uma série de argumentos para convencer Patrick e Connor de que estariam deixando sua casa e seus amigos na Flórida em troca de algo melhor, e o mais persuasivo de todos fora a promessa de que teriam neve. E não era qualquer tipo de neve, mas uma grande quantidade, fofinha, como em um cartão-postal, que caía do céu em flocos grandes e silenciosos, formando montanhas, com a consistência perfeita para se fazer bonecos de neve. E a neve do Natal, bem, essa era a melhor de todas, o Santo Graal da vida no inverno do norte. (...)

Na manhã de Natal havia um tobogã novinho em folha debaixo da árvore e equipamentos de neve suficientes para uma excursão até a Antártica, mas a vista que tínhamos da janela ainda era de galhos sem folhas, gramados dormentes e campos de milho amarronzados. Acendi a lareira, deixando o ambiente agradavelmente aquecido, e disse às crianças que fossem pacientes. A neve viria quando tivesse de vir.

Chegou o Ano-Novo, e ela ainda não tinha caído. (...)

Três semanas depois do início do ano, a neve finalmente veio me salvar do meu purgatório de culpa. Chegou à noite, depois que todos haviam ido dormir, e Patrick foi o primeiro a soar o alarme, correndo para nosso quarto ao amanhecer e abrindo totalmente as cortinas.

- Olhem! Olhem! - exclamou ele. - Ela veio!

Jenny e eu nos sentamos na cama para admirar nossa absolvição. Uma cobertura branca se espalhava
pelas colinas, pelos campos de milho, pelos pinheiros e pelos telhados, estendendo-se até o horizonte.

- É claro que veio - respondi, sem querer dar muita importância. - O que eu disse a vocês?

A neve tinha quase um metro de altura e continuava caindo. Connor e Colleen não demoraram a
aparecer, o dedão enfiado na boca, arrastando seus cobertores pelo corredor. Marley acordou e se espreguiçou, batendo o rabo em tudo, sentindo a excitação. Eu me virei para Jenny e disse:

- Acho que pensar em voltar a dormir, nem pensar.

E quando Jenny assentiu com a cabeça, me virei para as crianças e gritei:

- Está certo, coelhinhos da neve, vamos nos vestir.

Pela meia hora seguinte, colocamos roupas, fechamos zíperes, calçamos botas, enfiamos gorros
e luvas. Quando terminamos, as crianças pareciam múmias, e nossa cozinha, uma réplica dos bastidores das Olimpíadas de Inverno. E concorrendo na prova Bobo no Gelo Morro Abaixo, na categoria de Cães de Grande Porte, estava... Marley, o Cão. Eu abri a porta da frente e, antes que qualquer um saísse, Marley passou zunindo por nós, derrubando a encapotada Colleen. Quando suas patas tocaram aquela coisa branca e toda estranha - “Ih, molhado! Ih, frio!” -, ele mudou de ideia e tentou subitamente mudar de direção. Quem já dirigiu um carro na neve sabe que frear repentinamente e fazer uma conversão em “U” nunca é uma boa ideia.

Marley derrapou, girando de trás para a frente. Ele caiu ligeiramente de um lado, antes de se
levantar novamente a tempo de dar uma cambalhota nos degraus da varanda da frente e bater de cabeça na neve. Quando se equilibrou um minuto depois, parecia um biscoito gigante polvilhado de açúcar. Com exceção do nariz preto e dos olhos castanhos, ele estava totalmente coberto de branco. O Abominável Cachorro das Neves. Marley não sabia o que fazer com aquela substância estranha. Enfiou o nariz e soltou um espirro violento. Enfiou a cabeça e esfregou a cara. Então, como por um encanto, como se tivesse recebido uma dose gigante de adrenalina, ele disparou pelo quintal executando uma série de saltos mortais entremeados de cambalhotas ou mergulhos de cabeça. A neve era quase tão divertida quanto bagunçar o lixo do vizinho.

Acompanhando-se o rastro de Marley pela neve conseguia-se começar a entender como
funcionava sua mente tortuosa. Seu rastro tinha inúmeras viradas, voltas e desvios repentinos, com giros erráticos em forma de oito, fazendo espirais e saltos triplos, como se estivesse seguindo algum algoritmo bizarro que só ele conseguiria entender. Logo as crianças começaram a imitá-lo, girando, rolando e brincando, amontoando neve em todas as dobras e fendas de suas roupas. Jenny nos trouxe torradas amanteigadas, canecas de chocolate quente e um aviso: a escola tinha cancelado as aulas. Eu sabia que tão cedo não conseguiria tirar da garagem meu Nissan com tração nas duas rodas, sem mencionar as subidas e descidas das estradas cobertas de neve nas montanhas, e declarei oficialmente um dia de neve pra mim também.

GROGAN, John. Tradução: Thereza C. R. da Motta e Elvira Serapicos. Marley e eu: A vida e o amor ao
lado do pior cão do mundo. Ediouro. 2006.pp274-278.

Ao relatar as traquinagens de Marley, em alguns momentos o narrador parece assumir o lugar do cão, personificando-o e exteriorizando aquilo que o animal pensaria ou sentiria em determinada situação.
Quanto a essa ideia, analise os trechos seguintes e assinale a alternativa correta:
I – “A neve era quase tão divertida quanto bagunçar o lixo do vizinho.”
II – “Quando suas patas tocaram aquela coisa branca e toda estranha - 'Ih, molhado! Ih, frio!’”
III – “Acompanhando-se o rastro de Marley pela neve conseguia-se começar a entender como funcionava sua mente tortuosa.”

  • A Somente I está de acordo com a ideia do enunciado.
  • B Somente III está de acordo com a ideia do enunciado.
  • C Somente I e III estão de acordo com a ideia do enunciado.
  • D Somente I e II estão de acordo com a ideia do enunciado.
19

VAIDOSO, SIM!

Pesquisa mostra que os homens são responsáveis por 40% do faturamento nas lojas dos Shoppings Centers

Há algum tempo o mercado de beleza vem crescendo, mostrando que vaidade não é mais uma exclusividade feminina. Coisas do passado... Dados da consultoria britânica Euromonitor International demonstram que as vendas de produtos voltados para a beleza masculina crescem a cada dia. Já outra pesquisa revelou que os homens não resistem a uma vitrine e são responsáveis por 40% do faturamento nas lojas dos Shoppings Centers. Detalhe: no departamento de vestuário. O modelo Felipe Maximo concorda. "Homem tem que ser vaidoso, sim! É importante estarmos sempre bem apresentáveis", frisou o negro gato, que sonha com as passarelas internacionais e será destaque em uma das próximas edições. Pois é... Quando o assunto é vaidade, eles dizem SIM!

(Fonte: http://racabrasil.uol.com.br/paginas-pretas/vaidoso-sim/3218/. Acesso em 23/03/2016.)

Para qual dos segmentos, extraídos do texto, há uma afirmação incorreta quanto à pontuação? 
  • A Em Quando o assunto é vaidade, eles dizem SIM! - a vírgula atende à regra gramatical.
  • B Em Há algum tempo o mercado de beleza vem crescendo - caberia uma vírgula após a palavra tempo.
  • C Em "Homem tem que ser vaidoso, sim! É importante estarmos sempre bem apresentáveis" - as aspas poderiam ser retiradas e todo o trecho destacado em itálico.
  • D Em Há algum tempo o mercado de beleza vem crescendo, mostrando que vaidade não é mais uma exclusividade feminina. - a vírgula após crescendo é dispensável.
20
Entre os pronomes pessoais, incluem-se os pronomes de tratamento, também chamados formas de tratamento, que se usam no trato com as pessoas. Dependendo da pessoa a quem nos dirigimos, do seu cargo, título, idade, dignidade, o tratamento será familiar ou cerimonioso. Então, assinale a alternativa onde haja pronome de tratamento:
  • A Não há nada para eu ler.
  • B Ele não é eu, eu não sou ele.
  • C Entre mim e os professores da escola a relação era muito amistosa.
  • D Sua Santidade está cansado.

Matemática

21
A probabilidade de qualquer uma das 3 crianças de um grupo soletrar, individualmente, a palavra PIRAÚBA de forma correta é 70%. Qual a probabilidade das três crianças soletrarem essa palavra de maneira errada?
  • A 2,7%
  • B 9%
  • C 30%
  • D 35,7%
22

Seja a função do 1º grau f : R ->R, tal que f transforma a Progressão Aritmética 3, 7, 11, 15, 19, 23..., em outra Progressão Aritmética 5, 25, 45, 65, 85, 105... Qual é a lei de formação dessa função f?

  • A f(x) = 2x – 15
  • B f(x) = x + 2
  • C f(x) = – x + 20
  • D f(x) = 5x – 10
  • E
23
O conjunto solução da equação cos(2x) = 1, onde 0<x<4π, possui:
  • A 2 elementos
  • B 3 elementos
  • C 4 elementos
  • D 5 elementos
24
Jonas é comerciante e tem um capital de R$ 8 000,00 a ser empregado. Escolheu uma aplicação na qual o rendimento é feito a juros simples, e a taxa de juros é de 3% ao mês. Se Jonas deixar seu capital investido pelo período de 2 anos, o montante obtido será de:
  • A R$ 480,00.
  • B R$ 5760,00.
  • C R$ 13 760,00.
  • D R$ 13 800,00.
25

Sabe-se que o determinante de uma matriz A4x4 é 64. Se dividirmos todos os elementos da segunda coluna de A por 16 e multiplicarmos todos os elementos da matriz A por 2, obtemos uma matriz B4x4. O determinante da matriz B é:

  • A 4
  • B 8
  • C 32
  • D 64
26
João estuda à noite e sua aula começa às 18h40min. Cada aula tem duração de 45 minutos, e o intervalo dura 15 minutos. Sabendo-se que nessa escola há 5 aulas e 1 intervalo diariamente, pode-se afirmar que o término das aulas de João se dá às:
  • A 22h30min
  • B 22h40min
  • C 22h50min
  • D 23h
27
Ana e Paulo correm, com velocidades constantes, em uma pista circular de 600 metros. Eles partiram do mesmo ponto, porém em sentidos opostos. Sabendo que Ana percorreu 240 metros até o ponto em que eles se encontraram novamente, então quando Ana der uma volta completa nessa pista, Paulo terá percorrido:
  • A 360 m
  • B 480 m
  • C 720 m
  • D 900 m
28
Uma linha de telefonia tem 762 km e 405m de comprimento. Dois postes consecutivos quaisquer dessa linha distam 53m um do outro. Nessas condições, podemos concluir que a quantidade de postes dessa linha telefônica é:
  • A 14 380
  • B 14 385
  • C 14 400
  • D 14 480
29
Sabe-se que o determinante de uma matriz A4x4 é 64. Se dividirmos todos os elementos da segunda coluna de A por 16 e multiplicarmos todos os elementos da matriz A por 2, obtemos uma matriz B4x4. O determinante da matriz B é:
  • A 4
  • B 8
  • C 32
  • D 64
30

Seja A uma matriz antissimétrica tal que A = . Nessas condições, qual das matrizes dadas a seguir representa a matriz At .

  • A
  • B
  • C
  • D
31
Raoni comprou um fogão com 25% de desconto, pagando por ele R$ 330,00. Qual era o preço do fogão sem o desconto?
  • A R$ 355,00
  • B R$ 412,50
  • C R$ 440,00
  • D R$ 460,00
32

Seja r uma reta tal que r intercepta o eixo Oy no ponto de ordenada 1. Dada uma reta s que passa por P = (1,2) e, sendo P o ponto de intersecção entre r e s, podemos concluir que a equação reduzida da reta r é:

  • A y = x – 1.
  • B y = x + 1.
  • C y = - x – 1.
  • D y = - x + 1
33
Para calcular a área de um triângulo retângulo, basta multiplicar a base pela altura e dividir o resultado por dois, no entanto, isso é válido para triângulos retângulos. Mas o desafio é calcular a área de um triângulo que não seja retângulo, por exemplo, um triângulo cujos lados medem 4cm, 6cm e 8cm. Calculada então, a área desse triângulo é:
  • A √15
  • B √27
  • C √45
  • D √135
34
Certa máquina de tricô produz 2,5m² de tapete por hora. Para se produzir 1m² de tapete são necessários 2,5 Kg de lã. Quantos Kg de lã serão utilizados por esta máquina, se esta trabalhar em um total de 380 horas?
  • A 380 Kg.
  • B 950 Kg.
  • C 1187 Kg.
  • D 1950 Kg.
  • E 2375 Kg.
35
Certo estabelecimento de ensino possui em seu quadro de estudantes alunos de várias idades. A quantidade de alunos matriculados neste estabelecimento é de 1300. Sabendo que deste total 20% são alunos maiores de idade, podemos concluir que a quantidade de alunos menores de idade que estão matriculados é:
  • A 160.
  • B 1040.
  • C 1100.
  • D 1300.

Noções de Informática

36

Na planilha eletrônica “Microsoft Excel”, tem-se nas células A1, B1 e C1, os nomes “JOÃO”, “JOSÉ” e “ANTONIO”, respectivamente (Note que não existe espaço nem antes nem depois dos caracteres). Para que na célula D1 tenha como resultado “José João ANTONIO”, é necessário qual combinação de funções abaixo?

  • A =CONCANTENAR(PRI.MAIÚSCULA(CONCANTENAR(B1;" ";A1));" ";C1)
  • B =CONCATENAR(PRIM.MAIÚSCULA(CONCATENAR(B1;" ";A1));" ";C1)
  • C =PRIM.MAIÚSCULA((B1;+;A1))+C1)
  • D =CONCATENAR(PRI.MAIÚSCULA(CONCATENAR(B1;" ";A1));" ";C1)
37
Antes de compartilhar um documento importante com colegas ou clientes, você provavelmente toma a precaução de ler ou revisar o conteúdo do documento para garantir que tudo está correto e que o documento não contém nada que você não deseja compartilhar com outras pessoas. Se você planeja compartilhar uma cópia eletrônica de um documento do Microsoft Office 2007, seria uma boa ideia realizar uma etapa extra de revisão do documento a procura de dados ocultos ou informações pessoais que podem ser armazenados no próprio documento ou nas propriedades do documento (metadados). Os documentos do Office podem conter os seguintes tipos de dados ocultos e informações pessoais: I - Comentários, marcas de revisão de alterações controladas, versões e anotações à tinta. ] II - Propriedades de documento e informações pessoais. III - Cabeçalhos, rodapés e marcas d’água. IV - Linhas, colunas e planilhas ocultas.
Estão corretas:
  • A I, II, III e IV.
  • B Apenas as opções II, III e IV.
  • C Apenas as opções III e IV.
  • D Apenas as opções II e IV.
38
Com base no Microsoft Excel 2010, a opção “Mesclar e Centralizar” permite, entre outros, que as células sejam mescladas em uma linha ou uma coluna, e o conteúdo das células seja centralizado na célula mesclada. Assinale abaixo a guia onde é possível localizar a opção “Mesclar e Centralizar”.
  • A Inserir.
  • B Página Inicial.
  • C Revisão.
  • D Fórmulas.
39
No Microsoft Excel temos o conceito de referência absoluta e relativa ao utilizar fórmulas. Assinale a alternativa que representa o caráter utilizado para criar uma referência absoluta.
  • A $
  • B %
  • C @
  • D !
  • E ^
40

O Outlook 2007 é um programa da Microsoft que auxilia na organização e gerenciamento de compromissos, mensagens e tarefas. Interprete as informações seguintes e assinale a alternativa correta.

I- Com ele é possível escrever lembretes, enviar e-mails, anotar seus contatos e organizar tarefas. A tela principal apresenta as opções de Calendário, Contatos, Tarefas e e-mail.

II- Preferencialmente a primeira opção de trabalho apresentada é o e-mail referente à data da visualização. Quando você seleciona uma determinada mensagem o conteúdo da mesma aparece ao lado. O calendário também é outro recurso do Outlook 2007 e nele você tem a possibilidade de agendar compromissos. Eles podem ser visualizados por dia, semana ou mês.

III- Podemos usar o programa para salvar seus contatos físicos e jurídicos e manter dados como e-mail, telefone e endereço. Você pode escolher como eles serão visualizados no modo contato.

IV- Para enviar e receber e-mails é importante configurar o programa para tal procedimento. Acesse o menu Ferramentas e escolha Configurações. Clique no botão Novo e haverá algumas etapas para ajudar nessa configuração. Uma das atividades nessa etapa é escolher qual servidor de e-mail será usado para enviar e receber mensagens.

  • A Somente o item I está incorreto.
  • B Todos os itens estão corretos.
  • C Somente os itens I e IV estão corretos.
  • D Somente o item IV está correto.

Direito Administrativo

41
A licitação é considerada inexigível:
  • A Na contratação de instituição ou organização, pública ou privada, com ou sem fins lucrativos, para a prestação de serviços de assistência técnica e extensão rural no âmbito do Programa Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural na Agricultura Familiar e na Reforma Agrária, instituído por lei federal.
  • B Na contratação de entidades privadas sem fins lucrativos, para a implementação de cisternas ou outras tecnologias sociais de acesso à água para consumo humano e produção de alimentos, para beneficiar as famílias rurais de baixa renda atingidas pela seca ou falta regular de água.
  • C Na contratação realizada por Instituição Científica e Tecnológica - ICT ou por agência de fomento para a transferência de tecnologia e para o licenciamento de direito de uso ou de exploração de criação protegida.
  • D Quando houver inviabilidade de competição, em especial, para aquisição de materiais, equipamentos, ou gêneros que só possam ser fornecidos por produtor, empresa ou representante comercial exclusivo, vedada a preferência de marca, devendo a comprovação de exclusividade ser feita através de atestado fornecido pelo órgão de registro do comércio do local em que se realizaria a licitação ou a obra ou o serviço, pelo Sindicato, Federação ou Confederação Patronal, ou, ainda, pelas entidades equivalentes.
  • E Nos casos de guerra ou grave perturbação da ordem.
42
Acerca dos conceitos básicos de direito administrativo, assinale a alternativa incorreta.
  • A O Estado é formado por três elementos: povo, território e governo soberano.
  • B Jurisprudência, técnica e costumes são fontes primárias do direito administrativo.
  • C A forma de Estado no Brasil é a federação.
  • D O sistema de governo no Brasil é o presidencialismo.
43
O processo de licitação na esfera pública é regido pela Lei nº 8.666/93, que apresenta modalidades. As alternativas descrevem algumas destas modalidades, marque a incorreta.
  • A Concorrência é a modalidade de licitação entre quaisquer interessados que, na fase inicial de habilitação preliminar, podem possuir os requisitos mínimos de qualificação exigidos no edital para execução de seu objeto.
  • B Tomada de preços é a modalidade de licitação entre interessados devidamente cadastrados ou que atenderem a todas as condições exigidas para cadastramento até o terceiro dia anterior à data do recebimento das propostas, observada a necessária qualificação.
  • C Convite é a modalidade de licitação entre interessados do ramo pertinente ao seu objeto, cadastrados ou não, escolhidos e convidados em número mínimo de 3 (três) pela unidade administrativa, a qual afixará, em local apropriado, cópia do instrumento convocatório e o estenderá aos demais cadastrados na correspondente especialidade que manifestarem seu interesse com antecedência de até 24 (vinte e quatro) horas da apresentação das propostas.
  • D Leilão é a modalidade de licitação entre quaisquer interessados para a venda de bens móveis inservíveis para a administração ou de produtos legalmente apreendidos ou penhorados, ou para a alienação de bens imóveis prevista no art. 19, a quem oferecer o maior lance, igual ou superior ao valor da avaliação.
44
Diante do que dispõe a Lei nº 8.429/92 (Lei de Improbidade Administrativa), assinale a alternativa incorreta:
  • A Constitui crime a representação por ato de improbidade contra agente público ou terceiro beneficiário, quando o autor da denúncia o sabe inocente.
  • B A perda da função pública e a suspensão dos direitos políticos só se efetivam com o trânsito em julgado da sentença condenatória.
  • C A autoridade judicial ou administrativa competente determinará o afastamento do agente público do exercício do cargo, emprego ou função, sem prejuízo da remuneração.
  • D O Ministério Público, se não intervir no processo como parte, atuará obrigatoriamente, como fiscal da lei, sob pena de nulidade.
45

Em conformidade com o art. 22, não são modalidades de licitação:

  • A Concorrência e tomadas de preços.
  • B Convite e concurso
  • C Convite e leilão.
  • D Dispensa de exigibilidade e contratos públicos privados.
  • E Concorrência e leilão.
46
Responda à próxima questão em conformidade com a Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990, que dispõe sobre o regime jurídico dos servidores públicos civis da União, das autarquias e das fundações públicas federais.

Aponte a alternativa em que a afirmativa está incorreta.
  • A Ao servidor público civil é assegurado, nos termos da Constituição Federal, o direito à livre associação sindical e o seguinte direito, entre outros, de descontar em folha, sem ônus para a entidade sindical a que for filiado, o valor das mensalidades e contribuições definidas em assembléia geral da categoria.
  • B Ao entrar em exercício, o servidor nomeado para cargo de provimento efetivo ficará sujeito a estágio probatório.
  • C Será tornado sem efeito o aproveitamento e cassada a disponibilidade se o servidor não entrar em exercício no prazo legal, salvo doença comprovada por junta médica oficial.
  • D Poderá reverter o aposentado que já tiver completado setenta anos de idade, desde que comprove capacidade física e psíquica compatível com a função.
  • E Para fins de incidência do imposto de renda na fonte e na declaração de rendimentos, serão considerados como indenizações isentas os pagamentos efetuados a título de indenização prevista no § 7º art. 243..
47
Com relação à licitação, conforme estabelece a Lei nº 8666/93, assinale a alternativa correta.
  • A Em qualquer caso, a anulação do procedimento licitatório por motivo de ilegalidade não gera obrigação de indenizar.
  • B A Administração poderá, sem restrições, celebrar o contrato com preterição da ordem de classificação das propostas ou com terceiros estranhos ao procedimento licitatório.
  • C As propostas que não atendam às exigências do ato convocatório da licitação não poderão, em qualquer hipótese, ser desclassificadas. Isso se deve ao princípio administrativo da vedação de vinculação ao instrumento convocatório.
  • D No caso da modalidade de licitação “concurso”, o julgamento será feito por uma comissão especial integrada por pessoas de reputação ilibada e reconhecido conhecimento da matéria em exame, servidores públicos ou não.
  • E A Administração pode descumprir as normas e condições do edital, pois não está estritamente vinculada a esse documento.
48
A Lei nº 8.429, de 2 de junho de 1992, dispõe sobre as sanções aplicáveis aos agentes públicos nos casos de enriquecimento ilícito no exercício de mandato, cargo, emprego ou função na administração pública direta, indireta ou fundacional. De acordo com essa Lei, não é verdadeira a alternativa:
  • A A posse e o exercício de agente público ficam condicionados à apresentação de declaração dos bens e valores que compõem o seu patrimônio privado, a fim de ser arquivada no serviço de pessoal competente.
  • B Quando o ato de improbidade causar lesão ao patrimônio público ou ensejar enriquecimento ilícito, caberá a autoridade administrativa responsável pelo inquérito representar ao Ministério Público, para a indisponibilidade dos bens do indiciado. A indisponibilidade recairá sobre bens que assegurem o integral ressarcimento do dano, ou sobre o acréscimo patrimonial resultante do enriquecimento ilícito.
  • C As disposições da Lei nº 8.429/92, são aplicáveis, no que couber, àquele que, sendo agente público, induza ou concorra para a prática do ato de improbidade ou dele se beneficie sob qualquer forma direta ou indireta.
  • D A comissão processante dará conhecimento ao Ministério Público e ao Tribunal ou Conselho de Contas da existência de procedimento administrativo para apurar a prática de ato de improbidade.
49
Em relação às funções de confiança, a Constituição Federal de 1988 estabelece regras relativas aos cargos em comissão e funções de confiança. Portanto, estas deverão ser exercidas:
  • A Somente por servidores que ocupem cargos em comissão.
  • B Exclusivamente por servidores ocupantes de cargo efetivo.
  • C Por um percentual mínimo, previsto em lei, de servidores comissionados.
  • D Dando preferência aos servidores que ocupam cargo efetivo.
  • E Por um percentual máximo, previsto em lei específica dos servidores de carreira.
50
É princípio expressamente previsto na Lei nº 8.666/93, norteando assim, o procedimento licitatório. Trata-se do:
  • A Princípio da especialidade.
  • B Princípio do orçamento bruto.
  • C Princípio da vinculação ao instrumento convocatório.
  • D Princípio da adjudicação objetiva.
  • E Princípio da objetividade.
Voltar para lista