Resolver o Simulado Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) - Técnico de Geociências - Conhecimentos Básicos - FGV - Nível Médio

0 / 30

Português

1
Horóscopo do signo de Virgem, do dia 01 de fevereiro de 2015. “
Procure agregar aliados com interesses semelhantes aos seus, invista em parcerias corretas. Mercúrio segue retrógrado em Aquário: você ganha mais se unir forças e trabalhar em equipe. Continue com atenção redobrada ao se comunicar. Bom período para ouvir opiniões diferentes, repensar assuntos e se abrir para novos pontos de vista. Bom, também, para revisar equipamentos eletrônicos
.”

As opções a seguir apresentam vocábulos que pertencem à mesma família etimológica, à exceção de uma. Assinale-a.
  • A atenção / atento.
  • B opinião / opinativo.
  • C aliado / aliança.
  • D semelhante / similitude.
  • E atenção / atendimento.
2
Francisco, os gays e a doutrina
“Se alguém que é gay procura Deus e tem boa vontade, quem sou eu para julgá‐lo?” A declaração do Papa Francisco, pronunciada durante uma entrevista à imprensa no final de sua visita ao Brasil, ecoou como um trovão mundo afora. Nela, existe mais forma que substância – mas a forma conta.
A homossexualidade é um tabu no Vaticano. Bento XVI, o antecessor de Francisco, escreveu apenas oito anos atrás que a homossexualidade é uma “desordem objetiva” e “uma forte inclinação dirigida para um pecado mortal intrínseco”. Francisco não contestou Bento XVI – e talvez concorde com ele. Contudo, usou o termo coloquial “gay”, algo antes impensável, e colocou o acento em outro lugar: “Quem sou eu para julgá‐lo?”
Francisco deslocou o problema. Sob a lógica de sua declaração revolucionária, o problema não é de substância (ser gay), mas de circunstância (viver à luz de Deus). Ele não foi além disso. Entretanto, nas dioceses distantes, a frase provocará debates, e muitos a interpretarão como uma licença implícita para ordenar padres que são gays, mas celibatários. “Não fale, não pergunte”: essa foi a orientação de Bill Clinton que começou a abrir as portas das forças armadas americanas aos gays. Francisco disse quase o mesmo.
“Quem sou eu para julgá‐lo?” – isso, dito pelo Papa, não é pouca coisa. O impacto da declaração não está confinado às fronteiras da Igreja. Em dezenas de países, especialmente nos da África, existem leis contra gays. A Rússia de Vladimir Putin acaba de criar uma lei desse tipo. Estados e governos querem a prerrogativa de “julgar” – e de punir! – a orientação sexual das pessoas. Quando a Igreja ensaia rever sua anacrônica posição sobre os homossexuais, algo de relevante está acontecendo.
Na África do Sul, o arcebispo anglicano Desmond Tutu, uma das mais destacadas figuras da luta contra o apartheid, lidera uma campanha internacional de denúncia das leis antigays. Ele declarou que repudiaria “um Deus homofóbico”. Francisco ficou bem longe disso, mas suas palavras anunciam o fim de um tempo de escuridão. A pergunta que emerge delas é bem simples: se o Papa não tem o direito de “julgar” os gays, quem são as autoridades políticas para fazê‐lo?

O título do texto destaca três elementos: o Papa Francisco, os gays e a doutrina. Entre esses três elementos, a única ligação inadequada é:

  • A o Papa Francisco acaba de mostrar uma possível mudança na posição doutrinária da Igreja em relação aos gays.
  • B os gays passam por um momento de forte discriminação em muitos países, particularmente africanos.
  • C a doutrina da Igreja Católica parece estar passando por momentos de turbulência, tendo em vista as últimas declarações do Papa sobre os gays.
  • D os gays foram motivo de apreciações do Papa Francisco, quando de sua passagem pelo Brasil.
  • E o Papa Francisco, em suas declarações sobre os gays, deixou esperanças de mudanças na doutrina da Igreja em relação à homossexualidade.
3

O Tribunal de Apelações do Estado de Nova York está estudando um caso peculiar: o apelo pela libertação de um chimpanzé. Tommy, o símio em questão, não sofre maus-tratos. Mas é obrigado a viver sozinho numa jaula.
“O que tem isso de ilegal?" - perguntou a juíza responsável pelo caso, numa primeira audiência. Steve Wise, o responsável pelo pedido de libertação, rebateu: “Manter uma pessoa em confinamento solitário é contra a lei, sim", ele disse à juíza.
O tribunal não chegou ainda a um veredito. Caso a decisão seja favorável ao chimpanzé, será uma revolução: pela primeira vez um animal será solto por ser considerado uma “pessoa". Teremos estendido o conceito de “humanidade" a outra espécie além do Homo sapiens.
Faz mais sentido do que parece. Se você voltar 7 milhões de anos no tempo e procurar bem, vai encontrar indivíduos amacacados que são ancestrais tanto do Homo sapiens como dos chimpanzés modernos. Ou seja: você e eles compartilham um mesmo tatata(…)tataravô, que viveu há 70 séculos. Até por isso, um humano é geneticamente mais próximo de um chimpanzé que um chimpanzé é de um gorila. Jared Diamond, um cientista multidisciplinar, resumiu tudo isso com uma frase certeira: “Não é que eles sejam humanos. Nós é que somos mais uma espécie de chimpanzé."
Steve Wise, o advogado que move o pedido pela libertação do chimpanzé nova-iorquino, diz que, se ganhar o caso, vai lutar para que a noção de direitos humanos seja aplicada a qualquer ser vivo com cérebro relativamente complexo - gorilas, orangotangos, elefantes, golfinhos. A lógica é a mesma.

(Superinteressante,novembro de 2014. Adaptado)

Interpretando-se a frase de Steve Wise, no segundo parágrafo, conclui-se:

  • A a lei permite que pessoas e animais vivam isolados.
  • B o isolamento de pessoas é prática comum entre os humanos.
  • C a lei condena separar pessoas isolando-as das demais
  • D o confinamento de pessoas não pode ser aplicado aos animais
  • E as pessoas não devem submeter-se às leis que regem os animais.
4

O Tribunal de Apelações do Estado de Nova York está estudando um caso peculiar: o apelo pela libertação de um chimpanzé. Tommy, o símio em questão, não sofre maus-tratos. Mas é obrigado a viver sozinho numa jaula.
“O que tem isso de ilegal?" - perguntou a juíza responsável pelo caso, numa primeira audiência. Steve Wise, o responsável pelo pedido de libertação, rebateu: “Manter uma pessoa em confinamento solitário é contra a lei, sim", ele disse à juíza.
O tribunal não chegou ainda a um veredito. Caso a decisão seja favorável ao chimpanzé, será uma revolução: pela primeira vez um animal será solto por ser considerado uma “pessoa". Teremos estendido o conceito de “humanidade" a outra espécie além do Homo sapiens.
Faz mais sentido do que parece. Se você voltar 7 milhões de anos no tempo e procurar bem, vai encontrar indivíduos amacacados que são ancestrais tanto do Homo sapiens como dos chimpanzés modernos. Ou seja: você e eles compartilham um mesmo tatata(…)tataravô, que viveu há 70 séculos. Até por isso, um humano é geneticamente mais próximo de um chimpanzé que um chimpanzé é de um gorila. Jared Diamond, um cientista multidisciplinar, resumiu tudo isso com uma frase certeira: “Não é que eles sejam humanos. Nós é que somos mais uma espécie de chimpanzé."
Steve Wise, o advogado que move o pedido pela libertação do chimpanzé nova-iorquino, diz que, se ganhar o caso, vai lutar para que a noção de direitos humanos seja aplicada a qualquer ser vivo com cérebro relativamente complexo - gorilas, orangotangos, elefantes, golfinhos. A lógica é a mesma.

(Superinteressante,novembro de 2014. Adaptado)

Considere o trecho – Caso a decisão seja favorável ao chimpanzé, será uma revolução: pela primeira vez um animal será solto por ser considerado uma “pessoa”. – para responder às questões de números 05 e 06.

Eliminando-se os dois-pontos, o trecho assume versão correta em:

  • A Caso a decisão seja favorável ao chimpanzé, será uma revolução se pela primeira vez um animal será solto por ser considerado uma “pessoa”.
  • B Caso a decisão seja favorável ao chimpanzé, será uma revolução, porque pela primeira vez um animal será solto por ser considerado uma “pessoa”.
  • C Caso a decisão seja favorável ao chimpanzé, será uma revolução, contanto que pela primeira vez um animal será solto por ser considerado uma “pessoa”.
  • D Caso a decisão seja favorável ao chimpanzé, será uma revolução, entretanto pela primeira vez um animal será solto por ser considerado uma “pessoa”.
  • E Caso a decisão seja favorável ao chimpanzé, será uma revolução, para que pela primeira vez um animal será solto por ser considerado uma “pessoa”.
5
Um verbo decisivo

Ansiosos por descobrirem mais um “inimigo" político, eleitores, ou melhor, torcedores me criticam por não tomar partido, por estar em cima do muro nessa briga de foice entre os presidenciáveis. E estou mesmo, porque, em meio a paixões desenfreadas, esse é o lugar mais indicado para quem dispõe de um espaço privilegiado e se recusa a transformá-lo em palanque. Proselitismo aqui só contra o uso da violência pelos candidatos, cujas divergências, aliás, são menos ideológicas e mais idiossincráticas. Na verdade, combatem de preferência as pessoas, mais do que as ideias. Quem gosta de baixo nível deve procurar o “território livre" da Internet - livre principalmente para xingamentos e acusações sem provas. Alguém sugeriu que, a exemplo deste jornal, que na seção “Dos leitores" se recusa a publicar cartas com ofensas, as emissoras de TV deveriam criar um código de conduta nos debates, uma espécie de pacto de não agressão pessoal pelas partes em disputa. Se até nas selvagens lutas de vale-tudo do MMA há limites para os golpes, por que não estabelecer restrições éticas na guerra eletrônica? Claro que muitos iam acusar a medida de censura, cerceamento da liberdade de expressão. Mas os que ligam a televisão para ver debates, e não embates, com certeza aplaudiriam.

[....] É possível que vença não quem apresentou o melhor programa de governo, mas quem usou com mais eficácia contra o/a adversário/a o verbo que virou moda nessa campanha: desconstruir.

(Zuenir Ventura)

Analise o fragmento a seguir.

Ansiosos por descobrirem mais um 'inimigo' político, eleitores, ou melhor, torcedores me criticam por não tomar partido, por estar em cima do muro nessa briga de foice entre os presidenciáveis. E estou mesmo, porque, em meio a paixões desenfreadas, esse é o lugar mais indicado para quem dispõe de um espaço privilegiado e se recusa a transformá-lo em palanque."

Assinale a opção que indica o comentário inadequado sobre componentes do fragmento acima.

  • A “Ansiosos" é um adjetivo que se refere aos eleitores ou torcedores.
  • B “não tomar partido" e “estar em cima do muro" são expressões sinônimas.
  • C a expressão “ou melhor" mostra uma reconsideração de um termo anterior
  • D na expressão “estou mesmo", o vocábulo “mesmo" indica confirmação.
  • E o vocábulo “desenfreadas" deveria ser grafado “desenfreiadas".
6

TEXTO 1 - CONSTRUIR A REALIDADE

José Antonio Marina

Todos queremos viver em liberdade e procuramos construir caminhos para alcançar esse propósito. Se um problema atravessa nossas vidas, nos sentimos impossibilitados de estar plenamente livres, pois há limitações e dificuldades de atuar. Ficamos em uma rua sem saída.

Felizmente, a inteligência nos permite encontrar soluções e nos possibilita criar alternativas. O pensamento liberta! Não nos contentamos em conhecer, não nos basta possuir, não somos seres passivos. Nossos projetos buscam conectar-se à realidade e ampliá-la. Por exemplo, milhares de pessoas leem livros de autoajuda, pois desejam mudar sua própria realidade, ainda que os resultados sejam pequenos. Então, por que continuam lendo? Porque a simples ideia de que “se pode” mudar enche o coração de esperança.

Em muitas ocasiões, nos sentimos presos à realidade, sem poder agir, limitados pelas contingências da vida. Felizmente, a inteligência nos diz que, dentro de certos limites - a morte é um deles -, a realidade não está totalmente decidida; está esperando que acabemos de defini-la. A realidade não é bela nem feia, nem justa nem injusta, nem exultante nem deprimente, não há maniqueísmo. A vida é um conjunto de possibilidades que devem ser construídas. Por isso, nada é definitivo, tudo está por vir. As coisas adquirem propriedades novas quando vamos em direção a elas com novos projetos.

Observemos essa explosão do real em múltiplas possibilidades. Cada coisa é uma fonte de ocorrências, cada ponto se converte na intersecção de infinitas retas, ou de infinitos caminhos. Cada vez mais se desfazem os limites entre o natural e o artificial. 4

“As coisas adquirem propriedades novas quando vamos em direção a elas com novos projetos”; o termo que equivale exatamente ao segmento sublinhado é:

  • A ao encontro delas;
  • B de encontro a elas;
  • C junto delas;
  • D em companhia delas;
  • E contra elas.
7
Texto 4 – Uma ideia simples
Todos os candidatos prometem crescimento e austeridade. Entre os chavões mais batidos vem sempre a reforma tributária, tema complexo, chato mesmo, acaba sempre em parolagem. Promete-se a simplificação das leis que regulam os tributos, e a cada ano eles ficam mais complicados. Uma coletânea da legislação brasileira pesa seis toneladas. Aqui vai uma contribuição, que foi trazida pelo Instituto Endeavor. Relaciona-se com o regime de cobrança de impostos de pequenas empresas, aquelas que faturam até R$ 3,6 milhões por ano (R$ 300 mil por mês). É o Simples – pode-se estimar que ele facilita a vida de algo como 3 milhões de empresas ativas.

Texto 4 – Uma ideia simples


Elio Gaspari, Folha de São Paulo, 27/8/2014


Todos os candidatos prometem crescimento e austeridade. Entre os chavões mais batidos vem sempre a reforma tributária, tema complexo, chato mesmo, acaba sempre em parolagem. Promete - se a simplificação das leis que regulam os tributos, e a cada ano eles ficam mais complicados. Uma coletânea da legislação brasileira pesa seis toneladas. Aqui vai uma contribuição, que foi trazida pelo Instituto Endeavor. Relaciona-se com o regime de cobrança de impostos de pequenas empresas, aquelas que faturam até R$ 3,6 milhões por ano (R$ 300 mil por mês). É o Simples – pode-se estimar que ele facilita a vida de algo como 3 milhões de empresas ativas.

“Uma coletânea da legislação brasileira pesa seis toneladas”. Essa frase do texto 4:

  • A elogia a preocupação legal da sociedade brasileira;
  • B destaca a impossibilidade de conhecerem-se todas as leis;
  • C mostra a necessidade de atualização do código legal;
  • D exemplifica um caso de progresso social;
  • E critica o excesso inútil de legislação.
8
Não éramos cordiais?

A morte do cinegrafista Santiago Andrade não configura um atentado à liberdade de imprensa, ao contrário do que tantos apregoam.
É muito pior que isso: é um atentado ao convívio civilizado entre brasileiros, um degrau a mais na escalada impressionante de violência que está empurrando o país para um teor ainda mais exacerbado de barbárie.
O incidente com o cinegrafista é parte de uma coreografia de violência crescente que se dá por onde quer que se olhe.
Nunca se matou com tanta facilidade em assaltos. Nunca se apertou o gatilho com tanta facilidade. É até curioso que as estatísticas policiais no Estado de São Paulo apontem uma redução no número de homicídios dolosos, como se fosse um avanço, quando aumenta o número de vítimas de latrocínio, que não passa de homicídio precedido de roubo.
De fato, em 2013, o número de latrocínios (379) foi o mais alto em nove anos, com aumento de 10% em relação aos 344 casos do ano anterior.
Mas a violência não é um fenômeno restrito à criminalidade. A polícia age muitas vezes com uma violência desproporcional.
A vida nas cidades e, cada vez mais, no interior, é de uma violência inacreditável. O trânsito é uma violência contra a mente humana. O transporte público violenta dia após dia. Não é um atentado aos direitos humanos perder às vezes três horas entre ir e voltar do trabalho?
A saúde é uma violência contra o usuário. A educação violenta, pela sua baixa qualidade, o natural anseio de ascensão social.
A existência de moradias em zonas de risco é outra violência.
A contaminação do ar mata ou fere de maneira invisível os habitantes das cidades em que o nível de poluição supera o mínimo tolerável.
Não adianta, agora, culpar o governo do PT ou a suposta herança maldita legada pelo PSDB, ou os crimes praticados pela ditadura militar ou a turbulência que precedeu o golpe de 1964. O país foi sendo construído de maneira torta, irresponsável, sem o mais leve sinal de planejamento, de preparação para o futuro.
Acumularam-se violências em todas as áreas de vida. A explosão no consumo de drogas exacerbou, por sua vez, a violência da criminalidade comum. Não há “coitadinhos” nessa história. Há delinquentes e vítimas e há a incompetência do poder público.
É como escreveu, para Carta Capital, esse impecável humanista chamado Luiz Gonzaga Belluzzo:
“O descumprimento do dever de punir pelo ente público termina por solapar a solidariedade que cimenta a vida civilizada, lançando a sociedade no desamparo e na violência sem quartel”.
Antes que o desamparo e a violência sem quartel se tornem completamente descontrolados, seria desejável o surgimento de lideranças capazes de pensar na coisa pública, em vez de se dedicarem a seus interesses pessoais, mesmo os legítimos.
Alguém precisa aparecer com um projeto de país, em vez de projetos de poder. Não é por acaso que 60% dos brasileiros querem mudanças, ainda que não as definam claramente. A encruzilhada agora é entre ideias e rojões.
(Clovis Rossi, Folha de São Paulo, 13/02/2014)

Não adianta, agora, culpar o governo do PT ou a suposta herança maldita legada pelo PSDB, ou os crimes praticados pela ditadura militar ou a turbulência que precedeu o golpe de 1964”.
Argumentativamente falando, o autor do texto, nesse caso

  • A acrescenta argumentos de autoridade em defesa de sua tese.
  • B defende-se previamente de uma argumentação contrária.
  • C exemplifica argumentos de grande validade.
  • D explica claramente a fonte da violência reinante.
  • E volta-se para o passado em busca de explicações.
9

Texto 2 - “A saga do rapto de Helena e a subsequente Guerra de Troia continuam sendo um dos melhores exemplos dos perigos da luxúria. No todo, a história sugere quão imprudente é para um hóspede na casa de um homem levar consigo, ao partir, a esposa do anfitrião. Acrescentamos a esse erro crasso a dupla idiotice da raiva e da inveja, agravadas quando o marido abandonado, Menelau, insistiu nos direitos de um velho tratado e arrastou todo o seu reino e os dos vizinhos em missão de vingança. Muitos deles demoraram quase vinte anos na guerra e no retorno, para não falar na maioria que morreu, deixando os lares e as famílias no desamparo e na ruína – mal sobrevivendo, sugerem os registros, a assédios diversos e a desastres naturais." (Menelau e a esposa perdida, Stephen Weir)



“A saga do rapto de Helena e a subsequente Guerra de Troia continuam sendo um dos melhores exemplos dos perigos da luxúria."



Sobre os componentes desse segmento do texto 2, a afirmação correta é:

  • A os termos “de Helena" e “de Troia" desempenham a mesma função sintática;
  • B a saga do rapto de Helena e a Guerra de Troia são acontecimentos sucessivos, sendo o segundo causa do primeiro;
  • C o verbo “continuar" é um verbo de ligação, expressando mudança de estado;
  • D a Guerra de Troia, segundo o texto, é o exemplo mais importante dos problemas trazidos pela luxúria;
  • E na expressão “perigos da luxúria", o termo “da luxúria" representa a causa dos “perigos" aludidos.
10
Eu e ele

No vertiginoso mundo dos computadores o meu, que devo ter há uns quatro ou cinco anos, já pode ser definido como uma carroça. Nosso convívio não tem sido muito confortável. Ele produz um texto limpo, e é só o que lhe peço. Desde que literalmente metíamos a mão no barro e depois gravávamos nossos símbolos primitivos com cunhas em tabletes até as laudas arrancadas da máquina de escrever para serem revisadas com esferográfica, não havia processo de escrever que não deixasse vestígio nos dedos. Nem o abnegado monge copiando escrituras na sua cela asséptica estava livre do tinteiro virado. Agora, não. Damos ordens ao computador, que faz o trabalho sujo por nós. Deixamos de ser trabalhadores braçais e viramos gerentes de texto. Ficamos pós-industriais. Com os dedos limpos.

Mas com um custo. Nosso trabalho ficou menos respeitável. O que ganhamos em asseio perdemos em autoridade. A um computador não se olha de cima, como se olhava uma máquina de escrever. Ele nos olha na cara. Tela no olho. A máquina de escrever fazia o que você queria, mesmo que fosse a tapa. Já o computador impõe certas regras. Se erramos, ele nos avisa. Não diz “Burro!”, mas está implícito na sua correção. Ele é mais inteligente do que você. Sabe mais coisas, e está subentendido que você jamais aproveitará metade do que ele sabe. Que ele só desenvolverá todo o seu potencial quando estiver sendo programado por um igual. Isto é, outro computador. A máquina de escrever podia ter recursos que você também nunca usaria (abandonei a minha sem saber para o que servia “tabulador”, por exemplo), mas não tinha a mesma empáfia, o mesmo ar de quem só aguenta os humanos por falta de coisa melhor, no momento.

Eu e o computador jamais seríamos íntimos. Nosso relacionamento é puramente profissional. Mesmo porque, acho que ele não se rebaixaria ao ponto de ser meu amigo. E seu ar de reprovação cresce. Agora mesmo, pedi para ele enviar esta crônica para o jornal e ele perguntou: “Tem certeza?”

(Luís Fernando Veríssimo)

Segundo o texto, o computador

  • A não tem a mesma autoridade da máquina de escrever.
  • B tem a sinceridade de quem olha a tela no olho.
  • C é aparentemente mais inteligente do que qualquer um de nós.
  • D suporta os seres humanos por considerá-los melhores.
  • E debocha dos usuários por vê-los como máquinas ultrapassadas.

Conhecimentos Gerais

11

O estudo dos impactos ambientais integra o conjunto das políticas públicas relacionadas à agenda do desenvolvimento sustentável do Estado do Rio de Janeiro. Segundo o portal do INEA-RJ, o Estudo de Impacto Ambiental (EIA) "é um conjunto de atividades técnicas e científicas destinadas a identificar, prever a magnitude e valorar os impactos ambientais de um projeto e suas alternativas".

Assinale a alternativa em que a atividade técnica prevista na elaboração de um EIA está corretamente caracterizada

  • A Atividades técnicas - Identificação e descrição do empreendimento
    Caracterização - Valoração e interpretação dos prováveis impactos ambientais associados à execução ou desativação de um empreendimento.
  • B Atividades técnicas - Diagnóstico ambiental
    Caracterização - Inspeção da evolução dos impactos ambientais positivos e negativos associados ao empreendimento.
  • C Atividades técnicas - Análise dos impactos ambientais
    Caracterização - Informação e síntese do empreendimento quanto ao planejamento, implantação, operação e desativação da obra.
  • D Atividades técnicas - Medidas mitigadoras
    Caracterização - Ações a serem adotadas para reduzir os impactos negativos e potencializar os positivos.
  • E Atividades técnicas - Monitoração
    Caracterização - Descrição e avaliação dos recursos ambientais e suas interações, prévias à implantação do empreendimento.
12

Em abril de 1967, na mostra de artes visuais Nova Objetividade Brasileira, realizada no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, o carioca Hélio Oiticica apresentou uma obra-ambiência batizada "Tropicália” que, pouco tempo depois, emprestaria o nome ao movimento que transformou o ambiente cultural do país no período.

Os trechos abaixo foram extraídos de canções que compõem a discografia associada ao Tropicalismo, com exceção de:

  • A O rei da brincadeira – ê, José / O rei da confusão - ê, João / Um trabalhava na feira – ê, José / Outro na construção – ê, João.
  • B Atenção / Tudo é perigoso / Tudo é divino, maravilhoso / Atenção para o refrão: / É preciso estar atento e forte / Não temos tempo de temer a morte.
  • C Eu quis cantar / Minha canção iluminada de sol / Soltei os panos, sobre os mastros no ar / Soltei os tigres e os leões, nos quintais / Mas as pessoas na sala de jantar / São ocupadas em nascer e morrer.
  • D Tem dias que a gente se sente / Como quem partiu ou morreu / A gente estancou de repente / Ou foi o mundo então que cresceu... / A gente quer ter voz ativa / No nosso destino mandar / Mas eis que chega a roda viva / E carrega o destino pra lá.
  • E Sobre a cabeça os aviões / Sob os meus pés os caminhões / Aponta contra os chapadões / Meu nariz / Eu organizo o movimento / Eu oriento o carnaval / Eu inauguro o monumento no planalto central / Do país / Viva a bossa-sa-sa / Viva a palhoça-ça-ça-ça-ça / Viva a bossa-sa-sa / Viva a palhoça-ça-ça-ça-ça.
13

A tabela abaixo apresenta as taxas de crescimento do PIB dos estados do Nordeste comparativamente ao do Brasil, nas últimas quatro décadas.



Com base em seus conhecimentos e nos dados fornecidos pela tabela, analise a(s) afirmativa(s) a seguir, considerando V para a(s) verdadeira(s) e F para a(s) falsa(s).

- A economia nordestina apresentou um desempenho econômico favorável entre 1970 e 1980, quando o PIB regional cresceu, em média, a 8,7% ao ano, e superou a taxa de crescimento médio do Brasil para esse mesmo período.
- A partir da década de 1980, as taxas de crescimento diminuíram, em função do contexto difícil da economia brasileira, de que são exemplo a crise da dívida externa, os elevados índices de inflação e a adoção de políticas restritivas ao crescimento.
- Nos períodos de 1980-1990 e de 1990-2000, as chamadas "décadas perdidas", a economia nordestina apresentou uma taxa média total de crescimento levemente inferior à média brasileira.
- A partir de 2000, o desempenho do PIB do Nordeste retomou um índice de crescimento superior à média brasileira, embora ainda inferior aos números obtidos na década de 1970.

A sequência correta é:

  • A V - F - F - V;
  • B V - V - F - V;
  • C V - V - F - F;
  • D V - V - V - F;
  • E F - V - F – V.
14

Numa perspectiva a antropológica a, a cultura é um todo que a barca conhecimentos, crenças, artes, moral, leis,costumes e outras capacidades de hábitos que os homens produzem em sua interação social.

Partindo desta definição mais a abrangente de cultura, podemos afirrmar que as manifestações abaixo são exemplos da “cultura matogrossense", a exceção de uma . Assinale-a

  • A Samba de Roda
  • B Dança do Cururu e Siriri, em Poconé.
  • C Viola de cocho.
  • D Ritual Yaokwa.
  • E Festa de Sant’Ana, em Chapada dos Guimarães.
15

A Wikipédia é um produto colaborativo de sucesso e grande aceitação pública, pois

  • A se qualifica pela equipe de colaboradores, constituída de cientistas renomados por sua produção acadêmica e corporativa mundial.
  • B atrai os usuários, por ser um produto exclusivo para sistemas operacionais baseados em software livre.
  • C combina informações gerais e especializadas, de forma balanceada, sendo útil para muitos tipos de busca.
  • D reconhece direitos autorais ao colaborador, ao remunerar a posse do conteúdo, o trabalho de pesquisa e a produção.
  • E democratiza o acesso ao conteúdo de revistas acadêmicas especializadas, franqueando ao usuário a consulta a artigos pagos em suas plataformas de origem

História

16

Em meio às discussões entre Portugal e Espanha sobre os contornos de suas respectivas possessões, revisando o Tratado de Tordesilhas de 1494, a Coroa portuguesa fundou a capitania de Mato Grosso com o objetivo de

  • A deter o avanço das missões jesuíticas espanholas que tentavam se estabelecer na margem direita do rio Guaporé.
  • B povoar o sertão brasileiro com imigrantes portugueses que fugiam da pobreza depois do incêndio de Lisboa.
  • C controlar a atuação dos bandeirantes, cujas expedições privadas ameaçavam a autoridade da Coroa.
  • D fortalecer o regime do Padroado, através do incentivo à presença de várias ordens regulares na região.
  • E anexar as minas de Potosí no Peru, mediante conquista militar que partiria do Forte de Coimbra construído para esse fim.

Conhecimentos Gerais

17
“É ilusão pensar que as atividades de espionagem cessarão. A inteligência é uma das atividades fundamentais de qualquer Estado e tem reflexos diretos sobre o bem-estar de todos os cidadãos. É a partir de dados de inteligência que o Estado planeja e executa políticas públicas de defesa nacional, segurança pública e relações exteriores. Parte das atividades de inteligência diz respeito à proteção das informações  que  são  sensíveis  para  a  própria  realização dessas políticas. Ou  seja, a  ideia de que  cada  país  deve  desenvolver  meios  efetivos  de  inteligência  e  de  contrainteligência  é  uma  faceta  permanente  das  relações  internacionais.” 

(Trecho da entrevista concedida à Revista Ciência Hoje (outubro de 2013) por Marco Aurélio Sepik-UFRGS.) 

O contexto da afirmação acima está relacionado
  • A à assinatura do Acordo Swift entre os Estados Unidos e os países membros do Bloco Europeu para troca de informações bancárias, visando a combater o terrorismo.
  • B à revelação de Edward Snowden sobre o monitoramento de comunicações da população e de chefes de governos de vários países pelos Estados Unidos.
  • C à divulgação de dados pessoais de 13 milhões de usuários do game Nexon na Internet, em 2011, graças à atuação de hackers.
  • D ao roubo de informações de mais de 35 milhões de usuários cadastrados na rede social Cyworld em 2011.
  • E à publicação do perfil financeiro dos usuários do Facebook e de documentos bancários secretos pelo WikiLeaks de Julian Assange, em 2006.
18

Os erros gramaticais, em letreiros, cartazes e diálogos de telenovelas, têm provocado uma polêmica sobre se existe certo e errado em relação ao uso da língua.

A esse respeito, leia a posição de dois intelectuais brasileiros:

"Os critérios que decidem se é certo ou errado empregar uma construção derivam do campo em que se está e do gênero [textual], e não de um manual que lista erros e acertos independentemente de fatores sociais e históricos (...). Manter a língua intocada é imobilismo intelectual, por um lado, e, por outro, um duro golpe nos milhões de cidadãos que tiveram azar de não ter acesso ao português de antigamente". (Sírio Possenti) "Quanto maior fo r nosso domínio [da língua], maior e mais diversificada será nossa capacidade de expressão, de comunicação e de interação social. O falante deve ser capaz de dominar tanto quanto possível as regras de uso de sua língua,(... ) embora ninguém o consiga totalmente, para poder fazer suas escolhas quanto à melhor maneira de se comunicar nas diferentes situações em que se encontra". (Danilo Marcondes)

Com base nos trechos selecionados, assinale a alternativa que indica corretamente a posição desses autores sobre o uso da língua.

  • A Para ambos, a norma culta deve ser abolida, de modo que a variedade da fala não seja corrigida pela convenção gramatical da língua escrita.
  • B Para Sírio Possenti, a língua é um produto histórico que gerou a gramática, sistema normativo cujo cumprimento garante a eficácia da comunicação.
  • C Para ambos, a língua é um elemento vivo que interage com a sociedade que pode provocar exclusão ou maior performance social.
  • D Para Danilo Marcondes, há uma diferença entre a língua, um sistema de signos interiorizado culturalmente pelos falantes, e a fala, que expressa o ato individual de escolha das palavras.
  • E Para ambos, o domínio da norma culta é um instrumento para obter melhores oportunidades de progressão social e superar a segregação de classes.
19

O secretário florentino Nicolau Maquiavel (1469-1527) fundamentou suas teorias políticas com base

  • A na verdade revelada nas Sagradas Escrituras.
  • B na codificação do direito romano contida no Código de Justiniano.
  • C na lição dos antigos e na experiência das coisas modernas.
  • D na vinculação aristotélica entre ética e política.
  • E nas normativas do direito canônico.
20

Sua economia continuou uma trajetória de forte crescimento econômico em 2011, com expansão do PIB de 9,2%. Seu acelerado crescimento gerou grande demanda por insumos industriais e alimentos. Nesse contexto, as exportações brasileiras para esse país se expandiram fortemente de US$ 4,5 bilhões em 2003 para US$ 44,3 bilhões em 2011. Esses números o colocam como o principal parceiro comercial do Brasil, com uma corrente de comércio de US$ 77 bilhões.

(Adaptado de "Intercâmbio Comercial do Agronegócio, 2012",
p. 141 in http://www.agricultura.gov.br)

  • A Estados Unidos
  • B Alemanha
  • C China
  • D África do Sul
  • E Argentina

Geografia

21

A ocupação e a exploração da região norte, durante a 1ª metade do século XX, pode ser explicada pelo grande fluxo de mão de obra migrante. Entre 1939 e 1945, com o Brasil envolvido, direta ou indiretamente, na II Guerra Mundial, ocorreu um forte afluxo de migrantes para a região norte, devido à necessidade da ampliação da extração de borracha.

Em relação aos migrantes responsáveis pelo desenvolvimento da produção da borracha, é correto afirmar que:

  • A os gaúchos formaram a grande maioria dos migrantes da região norte;
  • B os paulistas buscaram um novo eldorado com a ocupação da região norte;
  • C a presença de nordestinos foi a marca desse processo em função da seca no nordeste;
  • D os catarinenses em busca de terras baratas formaram o grupo majoritário;
  • E a população mestiça prevaleceu, oriunda da região centro-oeste.
22

As funções urbanas possuem uma forma espacial conhecida como rede urbana. São muitos os tipos de rede urbana segundo as suas formas, simples ou complexas. Um dos exemplos mais conhecidos de rede urbana simples é a rede dendrítica.
Sobre as características das redes dendríticas, analise as afirmativas a seguir.

I. Possuem uma cidade primaz que concentra a maior parte do comércio atacadista, da renda, da elite regional e do mercado de trabalho urbano.
II. Apresentam um grande número de pequenos centros urbanos indiferenciados entre si, no que diz respeito ao comércio varejista.
III. São formadas a partir da criação de uma cidade estratégica situada em uma posição central em relação à sua futura área de influência.
Assinale:

  • A se somente a afirmativa I estiver correta.
  • B se somente a afirmativa II estiver correta.
  • C se somente as afirmativas I e II estiverem corretas.
  • D se somente as afirmativas II e III estiverem corretas.
  • E se todas as afirmativas estiverem corretas.
23

Em 2007-2008 ocorre a maior crise financeira mundial desde a Grande Depressão dos anos 30 do século XX. Trata-se de uma crise sistêmica, iniciada nos Estados Unidos. Com relação ao sistema financeiro mundial, analise as afirmativas a seguir.

I. Crises e recessões são a norma da história do capitalismo mundial. Estas ocorrem tanto em economias emergentes quanto em economias industrialmente avançadas.
II. Como os mercados financeiros são interligados, aumenta a transmissão de riscos entre eles. Uma crise em um desses centros pode atingir outros mercados financeiros.
III. Os paraísos fiscais são utilizados em esquemas de evasão fiscal e em operações consideradas ilegais por muitos países. Neles existe uma variedade de serviços à disposição de instituições e agentes bancários e financeiros que operam em escala global.
Assinale:

  • A se somente a afirmativa I estiver correta.
  • B se somente a afirmativa III estiver correta.
  • C se somente as afirmativas I e II estiverem corretas.
  • D se somente as afirmativas II e III estiverem corretas.
  • E se todos as afirmativas estiverem corretas.
24

Leia o fragmento a seguir.

“Segundo as OCEM, um professor(a) que queira estimular _____ de seus alunos, deverá desenvolver trabalhos que estimulem a capacidade de identificar as contradições que se manifestam espacialmente, decorrentes dos processos produtivos e de consumo.”
Assinale a opção que completa corretamente a lacuna do fragmento acima.

  • A as funções motoras.
  • B a competência técnica.
  • C o espírito crítico.
  • D o sentido de hierarquia.
  • E a capacidade de memorização.
25

O modelo de desenvolvimento econômico brasileiro, a partir dos anos 1950, levou a significativas transformações na forma de ocupação do território e na distribuição espacial da produção e da população.
A partir do fragmento acima, assinale a opção que apresenta corretamente transformações ocorridas até a década de 1980.

  • A O país passa a dispor de um parque industrial integrado setorialmente, capaz de ser posto a serviço de diferentes estratégias de crescimento.
  • B As atividades informais sofrem redução e ocorre decréscimo nos serviços e equipamentos de uso coletivo.
  • C A concentração espacial da atividade industrial se acentua e diminui a integração produtiva das diversas regiões brasileiras.
  • D A mudança espacial da produção agropecuária se deu, principalmente, pelo avanço da produção nas áreas de mata atlântica.
  • E Os pontos mais distantes do território nacional estão interligados por complexas redes ferroviárias e de telecomunicação.
26

As crianças possuem uma percepção inata das relações de proporção e localização. O trabalho dos docentes deve desenvolver a percepção natural das crianças desde os anos inicias di Ensino Fundamental. Daí a importância de estimular a confecção de desenhos por parte dos alunos. Para isso, o professor propõe a uma turma do 3º ano do Ensino Fundamental a seguinte atividade: desenhar a sala de aula vista de cima, ou seja, a partir do ponto de vista vertical.
O docente pretende, com essa atividade, introduzir o conteúdo de

  • A legenda.
  • B curva de nível.
  • C projeção cartográfica.
  • D coordenadas cartográficas.
  • E representação cartográfica.
27

As diferenças de interesse entre os Estados nacionais, essenciais para as concepções da geopolítica clássica, perdem importância diante da configuração de uma "nova" geopolítica da segurança, relacionada com as ameaças globais.

Entre as ameaças globais não é correto incluir as redes de

  • A terrorismo não-estatais.
  • B narcotráfico transnacionais.
  • C espionagem de informações.
  • D tráfico de armas e munições.
  • E órgãos intergovernamentais.
28

A Terceira Revolução Industrial, conhecida como revolução tecnocientífica e informacional, iniciada nas últimas décadas do século XX, impôs ao mundo novas técnicas, novas maneiras de produzir e novos produtos. Uma das principais características desse novo contexto foi o crescente desenvolvimento de empresas de alta tecnologia, cujas inovações permitiram que elas se libertassem das restrições locacionais tradicionais.
Assinale a opção que indica o fator locacional que atua, de modo decisivo, na estratégia de localização das empresas de alta tecnologia.

  • A A concentração de mercado consumidor.
  • B A presença de mão de obra de menor custo.
  • C A proximidade com as fontes de matérias primas.
  • D A legislação ambiental mais rigorosa.
  • E A qualidade da infraestrutura educacional e cultural.
29

A cidade de Florianópolis é constituída, geologicamente, por duas formações básicas: os terrenos rochosos, chamados cristalinos, e os terrenos sedimentares de formação recente. As rochas cristalinas estão no embasamento Cristalino ou Escudo Catarinense que ocorre em toda a borda leste do estado de Santa Catarina. Os terrenos sedimentares estão em áreas baixas e planas com a cobertura sedimentar Quaternária onde são denominadas “Planícies Costeiras”. Nessas formações podem ser encontrados um ou mais tipos de rochas, a saber, ígneas, metamórficas ou sedimentares. Sobre esses tipos de rochas, é correto afirmar que:

  • A as rochas ígneas formam-se pela cristalização do magma, uma massa de rocha fundida que se origina em profundidade na crosta e no interior. Podem ser do tipo intrusiva e extrusiva. Elas se distinguem pela textura, composição mineralógica e química;
  • B as rochas sedimentares foram uma vez sedimentos e, por isso, são o registro das condições da superfície terrestre da época e do lugar onde eles foram depositados. O intemperismo e a erosão são processos que pouco influem no estágio sedimentar, predominando o processo de deposição;
  • C as rochas metamórficas são produzidas quando as altas temperaturas e as baixas pressões do interior da Terra atuam em qualquer tipo de rocha para mudar sua textura, mineralogia, composição química e sua forma e condição sólida;
  • D as rochas ígneas e metamórficas apresentam o mesmo processo de formação e estão localizadas nas bordas dos continentes que sofreram intensa orogenia. A textura, a composição mineralógica e química são afetadas pela temperatura e pressão;
  • E as rochas sedimentares são formadas a partir de sedimentos, encontrados na superfície terrestre como camadas de partículas soltas. Essas partículas se formam a grandes profundidades à medida que as rochas vão sendo transformadas e sedimentadas.
30
“O caldeirão de tensões geopolíticas no Oriente Médio é o principal foco de instabilidade da ordem mundial pós Guerra Fria. Petróleo, terror global, nacionalismos em choque e conflitos religiosos se misturam no complexo cenário estratégico da região.” (MAGNOLI, Demétrio. Geografia para o Ensino Médio. São Paulo: Atual, 2008.)

A partir do texto, analise as afirmativas a seguir.

I. As tentativas de paz no Oriente Médio esbarram no traçado das fronteiras do futuro Estado territorial palestino, porque Israel não aceita devolver o conjunto da Cisjordânia onde se encontram blocos de colônias judaicas.
II. As ações destinadas à criação de um Estado curdo contribuem para aumentar o clima de instabilidade na região, pois isso significaria a reorganização das fronteiras políticas e um novo rearranjo na geopolítica do petróleo.
III. Os países do golfo Pérsico são os maiores produtores de petróleo do mundo, e a maior parte da produção é controlada pelos islâmicos xiitas da Arábia Saudita, que mantêm uma política de animosidade constante com os Estados Unidos.
Assinale:
  • A se somente a afirmativa I estiver correta.
  • B se somente a afirmativa II estiver correta.
  • C se somente as afirmativas I e II estiverem corretas.
  • D se somente as afirmativas II e III estiverem corretas.
  • E se todas as afirmativas estiverem corretas.
Voltar para lista