Resumo de Geografia - Clima da Região Centro-Oeste

Dois tipos são predominantes nessa região do Brasil

O clima da região Centro-Oeste é o tropical semiúmido, que caracteriza-se pelas temperaturas elevadas, inverno seco e chuvas intensas durante o verão. Apenas no norte do Mato Grosso que a predominância é do tipo equatorial úmido, isso por causa da influência da Floresta Amazônica.
Em virtude do calor e abundância de chuva ao longo do verão, a maior parte da planície do Pantanal – situada entre o oeste do Mato Grosso e do Mato Grosso do Sul – permanece alagada, compondo lagos que são abastecidos pelo rio Paraguai. Essa área é classificada como a maior planície inundável do mundo.

Aspectos do clima da região Centro-Oeste

Devido à diversidade no relevo, bioma e hidrografia, um vez que a localidade serve de berço para formação das bacias Amazônica, Tocantins-Araguaia e Platina, o clima da região Centro-Oeste é tropical semiúmido. Essa configuração climática gera estações bem definidas durante o ano – inverno seco e verão muito quente e chuvoso – e acentuada variação térmica.
Como a amplitude térmica é elevada, as temperaturas passam por grandes oscilações: podem atingir cerca de 40 °C nos momentos mais quentes e 15 °C nos períodos de frio. Entre os meses de outubro a março, a região Centro-Oeste enfrenta muitas chuvas, enquanto nos meses de abril a setembro o ambiente é totalmente seco. Isso faz com que as temperaturas de outubro a março apresentem uma média entre 30º e 36 ºC. Já no inverno, apesar do tempo seco, são amenas e oscilam entre 15º e 24ºC.
A exceção fica por conta do clima equatorial úmido ao norte do Mato Grosso. O bioma da Amazônia, que estende-se da região Norte até essa faixa, provoca umidade, alta na quantidade de chuvas e poucas variações térmicas.
Com isso, o índice pluviométrico dessa área é de 2.000 a 3.000 mm anuais. Na parte do Pantanal chega a 1.250 mm. Estima-se que 70% das chuvas ocorrem até março, tornando o inverno bastante seco.

Interferências do relevo


O relevo também é um dos principais influenciadores do clima da região Centro-Oeste. Embora não possua grandes altitudes, divide-se em três principais tipos de superfície:
Planalto central – Presente em quase todo o Centro-Oeste, é composto por terrenos antigos e modelados pelos processos de erosão, dando origem a serras e chapadas – a exemplo da Chapada dos Parecis e dos Guimarães. Apresenta altitudes que variam de 600 a 1000 metros, além da cobertura rochosa cristalina e sedimentar.



Planalto meridional – Estende-se entre o Mato Grosso do Sul e Goiás, sendo uma extensão do relevo central. Possui terrenos pouco acidentados e com solos de terra roxa (resulta da sedimentação do basalto – rocha de origem vulcânica), os mais férteis do Cerrado.
Planície do Pantanal – Considerada a principal planície alagável do mundo, ocupa o oeste do Mato Grosso e do Mato Grosso do Sul. Nos ciclos de chuva e de cheias dos rios, mais de 80% do seu bioma fica submerso. O início dos alagamento é a partir de novembro, quando as chuvas chegam aos pontos mais altos da bacia do Alto Paraguai. Somente em maio as águas voltam a baixar.
Como o clima da região Centro-Oeste estimula muitas precipitações, a vegetação mais abundante é de Cerrado – conhecido pela paisagem diversificada, com trechos formados por savanas, florestas e campos. Mas na zona que abrange o Pantanal, a cobertura vegetal é de acordo com as inundações.
Nas partes altas e que não sofrem alagamentos, é parecida com a da Caatinga, com árvores grandes, raízes profundas e folhas retorcidas. Nas regiões intermediárias, ou seja, que inundam em determinados meses, há arbustos e árvores de médio porte. Já as áreas que ficam debaixo d’água praticamente o ano inteiro, as plantas são rasteiras, como as gramíneas.
Voltar

Questões