Questões da Prova do Escola de Formação Complementar do Exército (EsFCEx) - Capelão Militar (2013)

Limpar Busca

Para George Eldon Ladd, em seu livro, Teologia do Novo Testamento, o apocalipse, último livro do Novo Testamento é um:

  • A livro de igual importância e relacionado em uma perspectiva estática de revelação Veterotestamentária.
  • B livro de igual importância e relacionado em uma perspectiva histórica Neotestamentária.
  • C livro de maior importância em relação aos outros livros do NT.
  • D livro menor em relação aos outros escritos do Novo Testamento.
  • E livro de igual importância e relacionado em uma perspectiva progressiva de revelação Neotestamentária.

Para Ladd, a Teologia Bíblica apresenta-se como uma abordagem de diversos pontos difíceis de se conjugar. Porém, ele declara que esses pontos não são de todo insuperáveis. Podemos afirmar, assim, que sua abordagem é

  • A diversidade progressiva.
  • B sintética.
  • C analítica.
  • D monocromática.
  • E aleatória.

Para Bultmann, a Teologia do Novo Testamento pode ser definida a partir do:

  • A entendimento do Antigo Testamento.
  • B desejo do cristão de crer em uma divindade.
  • C anúncio do querigma que proclama Jesus como um ato salvífico escatológico de Deus.
  • D trabalho hermenêutico de desmistificação do Novo Testamento.
  • E processo de desconstrução do apocalipse como livro histórico.

Berkhof, após analisar detidamente as várias possibilidades apresentadas para a narrativa da criação em sua Teologia Sistemática, opta por entender que a narrativa da:

  • A criação em “dias” é uma possibilidade remosta, visto que dias na bíblia pode ser entendido por ciclos de tempo indefinidos.
  • B que descreve a criação em “dias” pode ser tanto literal quanto alegórica, visto que o texto é antigo.
  • C da criação que trata das etapas em dias tem seu significado primário na palavra hebraica que denota “dia natural”, sendo, por isso, a melhor tradução.
  • D deve ser entendida como uma fábula que conta uma estória com fundo moral, isto é, despreocupada com aspectos fatuais.
  • E da criação é incompreensível na visão ocidental moderna.

Fiquei surpreendido; mas serviu-me isto de importante lição, pois fiquei sabendo que da porta do céu há cominho para o inferno, do mesmo modo que o há da Cidade da destruição".


A celebre frase é um marco do movimento puritano que indubitavelmente alimentou todo o esforço missionário do protestantismo, e serviu de inspiração artística para a elaboração da gravura amplamente difundida no meio protestante denominada de “Os Dois Caminhos”.


A frase acima é atribuída a:

  • A João Bunyan.
  • B George Bull.
  • C João Wesley.
  • D Carlos Wesley.
  • E George Whitefield.