Resolver o Simulado Professor - CONSULPAM - Nível Superior

0 / 30

Pedagogia

1

Responda a questão de acordo com a LDB.

De acordo com o artigo 21. A educação escolar compõe-se de:
I. Educação básica, formada pela educação infantil, ensino fundamental e ensino médio; II. Educação superior. III. Especialização.
Assinale a alternativa correta.

  • A Somente o item I está correto.
  • B Somente os itens I e II estão corretos.
  • C Somente o item II está correto.
  • D Somente o item III está correto.
  • E Somente os itens I e III estão corretos.
2

Para formar leitores e escritores na escola, segundo Vygotsky, é importante considerar:

  • A a escrita como uma representação de primeira ordem, ou seja, como uma representação direta da realidade.
  • B apenas o aspecto técnico da escrita.
  • C somente as letras e sílabas, e não a função social da escrita.
  • D que não é necessário o convívio da criança com diferentes portadores textuais.
3

Acerca do Currículo, marque a opção INCORRETA.

  • A O Currículo é um dos mediadores do Projeto Político-Pedagógico.
  • B O Currículo é uma sistematização do que é ensinar e aprender.
  • C O Currículo diz respeito, exclusivamente, aos conteúdos que devem ser ensinados.
  • D O Currículo diz respeito aos conteúdos escolares, as metodologias praticadas no ensino, as condutas e atitudes no exercício da atividade estudantil, entre outros aspectos.
4

Nilda Alves e Inês Barbosa de Oliveira, ao se debruçarem sobre o lugar da teoria e da prática em currículo, defendem que um processo não existe sem o outro. Nesse sentido, falam sobre “práticasteorias” e “aprenderensinar”. Nessa perspectiva, pensar e conceber a aprendizagemensino, segundo as autoras, é:

  • A excluir as escolhas, os desejos e as possibilidades de todos os que estão neles envolvidos.
  • B incluir as escolhas, os desejos e as possibilidades de todos os que estão neles envolvidos, tanto na definição formal do que deve ser ensinado quanto circunstancialmente, naquilo que efetivamente se faz.
  • C incluir as escolhas, os desejos e as possibilidades apenas dos educadores, desconsiderando o que os estudantes trazem dos contextos em que vivem e das experiências que vivenciam.
  • D incluir as escolhas, os desejos e as possibilidades dos gestores pedagógicos da escola, considerando as metas que devem ser alcançadas.
5

Sobre o processo de aprendizagem, marque a opção correta.

  • A A aprendizagem pode ser compreendida como qualquer processo, em organismos vivos, que, às vezes, leva a uma mudança permanente em capacidades, não estando vinculada apenas ao amadurecimento biológico ou ao envelhecimento.
  • B As principais áreas de estudo da aprendizagem são: Base (biologia, psicologia e ciência social); Condições Internas (disposições, idade, situação subjetiva); Condições Externas (espaço de aprendizagem, sociedade, situação objetiva) e Aplicação (pedagogia, políticas de aprendizagem).
  • C Algumas aprendizagens dizem respeito à integração de dois processos diferentes: um processo externo e um processo psicológico interno.
  • D Segundo Illeris (2013), existem algumas aprendizagens que envolvem três dimensões, quais sejam: conteúdo, incentivo e ambiente.
6

A Política Educacional brasileira tem como um dos seus pressupostos básicos a defesa da qualidade da educação que, nos anos 70 e 80, estava relacionada somente com as condições básicas de funcionamento das escolas. A partir da década de 90, sob o argumento de que o País investia muito na educação, porém gastava mal, foram eleitos outros fatores. Para entendimento desta questão, preencha corretamente as lacunas no texto que se segue.

A __________ e a __________ das escolas passaram a ser consideradas no tocante à avaliação da qualidade da educação, buscando-se atentar para os __________ por elas obtidos. Isso foi denominado de qualidade __________ da educação e incluía mobilizações pelo __________ à educação, bem como o compromisso com a superação das __________ sociais.


Qual a opção que contém a sequência correta?

  • A eficiência, eficácia, resultados, social, direito, desigualdades.
  • B avaliação, eficiência, resultados, social, respeito, questões.
  • C avaliação, qualidade, resultados, pedagógica, atendimento, classes.
  • D efetividade, qualidade, resultados, cognitiva, respeito, políticas.
7

Sobre a estrutura do How people learn (Como as pessoas aprendem – HPL), marque a opção correta.

  • A O foco no conhecimento diz respeito ao que deve ser ensinado, sem considerar o porquê.
  • B O foco na avaliação diz respeito às maneiras como os diferentes objetivos de ensino e aprendizagem afetam o que os professores fazem para avaliar o progresso.
  • C O foco no aluno direciona atenção aos alunos, mas não considera a subjetividade, seus interesses e necessidades.
  • D O foco na comunidade está relacionado à natureza social da aprendizagem, contudo, não há lugar de centralidade para a cultura e a interação humana nos processos de desenvolvimento.
8

A BNCC (Base Nacional Comum Curricular) é referência nacional para os sistemas de ensino e para as instituições ou redes escolares públicas e privadas da Educação Básica, dos sistemas federal, estaduais, distrital e municipais, para construírem ou revisarem os seus currículos. Considerando o que preconiza a BNCC para o Ensino Fundamental, assinale, nas afirmativas que se seguem, SIM para as VERDADEIRAS e NÃO para as FALSAS.


( ) A BNCC, no Ensino Fundamental, está organizada em Áreas do Conhecimento.

( ) O Conselho Nacional de Educação (CNE), mediante proposta de comissão específica, deliberará se o Ensino Religioso no Ensino Fundamental terá tratamento como área do conhecimento ou como componente curricular da área de Ciências Humanas.

( ) A BNCC dos anos iniciais do Ensino Fundamental aponta para a necessária articulação com as experiências vividas na Educação Infantil.

( ) Conforme estabelece a BNCC, somente no 1º ano do Ensino Fundamental a ação pedagógica deve ter como foco a alfabetização.

( ) Em atendimento ao que determina a BNCC, as instituições escolares não poderão adotar no processo de construção de suas propostas pedagógicas, formas de organização e propostas de progressão próprios.


A opção que contém a sequência correta, de cima para baixo, é:

  • A SIM, NÃO, SIM, NÃO, SIM.
  • B SIM, NÃO, NÃO, SIM, SIM.
  • C SIM, SIM, SIM, NÃO, NÃO.
  • D SIM, SIM, NÃO, NÃO, SIM.
9
Em relação à função social da escola, conforme Libâneo (2014), marque a opção que apresenta a relação correta entre a tendência pedagógica e o papel da escola.
  • A Na tendência liberal renovada não diretiva, o papel da escola é o de preparar os alunos na perspectiva intelectual e moral, para que possam assumir uma posição na sociedade.
  • B Na tendência progressista libertadora, o papel da escola é adequar as necessidades individuais ao meio social. Para tanto, deve retratar, o máximo que puder, a vida.
  • C Na tendência liberal tradicional, o papel da escola vincula-se aos problemas psicológicos em detrimento dos pedagógicos.
  • D Na tendência liberal tecnicista, o papel da escola é prover a aquisição de habilidades, atitudes e conhecimentos que sejam úteis para que os indivíduos se integrem à máquina do sistema.
10

Na contemporaneidade, o conceito de gestão escolar está associado à democratização e à participação consciente e responsável de toda a comunidade escolar, na busca da qualidade dos processos de ensino e de aprendizagem. Em relação à construção da gestão escolar no enfoque democrático, assinale com V ou F as afirmações que se seguem, conforme sejam verdadeiras ou falsas.


( ) A gestão democrática e participativa nos desafia a olhar a escola como centro do processo educativo e não como um elo mediador.

( ) Um dos fatores favoráveis à gestão escolar democrática é o próprio exemplo da cultura política brasileira, com sua horizontalidade nas relações de poder.

( ) O paradigma da gestão escolar democrática traz a ideia de conceber responsabilidades e olhares direcionados, de forma exclusiva, para a comunidade interna.

( ) A gestão democrática precisa se voltar para os diferentes espaços escolares que precisam ser considerados como espaços de participação e envolvimento de alunos e de suas famílias.

( ) A gestão escolar no enfoque democrático aponta para a necessidade de construção de novas formas de organização para efetivação de ações que fortaleçam as relações de convivência, entre os que formam a comunidade escolar.


A opção que contém a sequência correta, de cima para baixo, é:

  • A F, V, V, F, F.
  • B V, F, V, V, V.
  • C F, F, F, V, V.
  • D V, V, V, F, F.

Português

11

Instrução: A questão refere-se ao texto abaixo.


Nos pares de vocábulos abaixo, em qual apenas uma das palavras tem mais letras do que fonemas?Nos pares de vocábulos abaixo, em qual apenas uma das palavras tem mais letras do que fonemas?

  • A Humor – irritabilidade.
  • B Necessidade – quando.
  • C Consequência – doença.
  • D Especializado – humano.
  • E Triste – resultados.
12

Instrução: A questão refere-se ao texto abaixo.


Se os vocábulos “dúvida” (l. 17) e “esclarecimento” (l. 18) estivessem no plural, quantas outras alterações seriam necessárias para a manutenção da concordância na frase em questão?

  • A Cinco.
  • B Quatro.
  • C Três.
  • D Duas.
  • E Uma.
13

Instrução: A questão refere-se ao texto abaixo.


Considere o que se afirma sobre os seguintes termos do texto “Conforme” (l. 01), “Além disso” (l. 03), “Por isso” (l. 06-07) e “Entretanto” (l. 22):


I. São conjunções ou locuções conjuntivas coordenativas; ou seja, fazem parte de orações coordenadas.

II. Podem ser corretamente substituídas, no contexto em que se encontram, respectivamente por “Segundo”, Ademais, “Portanto” e “Todavia”.

III. Têm valor, respectivamente, de conformidade, adição, conclusão e adversidade. IV. “Entretanto” também poderia ser corretamente substituído por “Contudo”, “No entanto”, “Embora” ou “Conquanto”.


Quais estão corretas?

  • A Apenas I e II.
  • B Apenas I e IV.
  • C Apenas II e III.
  • D Apenas I, II e III.
  • E I, II, III e IV.
14
Borderline: o transtorno que faz pessoas irem
do "céu ao inferno" em horas
Tatiana Pronin
Uma alegria contagiante pode se transformar em tristeza profunda em um piscar de olhos porque alguém "pisou na bola". O amor intenso vira ódio profundo, porque a atitude foi interpretada como traição; o sentimento sai de controle e se traduz em gritos, palavrões e até socos. E, então, bate uma culpa enorme e o medo de ser abandonado, como sempre. Dá vontade de se cortar, de beber e até de morrer, porque a dor, o vazio e a raiva de si mesmo são insuportáveis. As emoções e comportamentos exaltados podem dar uma ideia do que vive alguém com transtorno de personalidade borderline (ou "limítrofe").
 Reconhecido como um dos transtornos mais lesivos, leva a episódios de automutilação, abuso de substâncias e agressões físicas. Além disso, cerca de 10% dos pacientes cometem suicídio. Além da montanha-russa emocional e da dificuldade em controlar os impulsos, o borderline tende a enxergar a si mesmo e aos outros na base do "tudo ou nada", o que torna as relações familiares, amorosas, de amizade e até mesmo a com o médico ou terapeuta extremamente desgastantes.
Muitos comportamentos do "border" (apelido usado pelos especialistas) lembram os de um jovem rebelde sem tolerância à frustração. Mas, enquanto um adolescente problemático pode melhorar com o tempo ou depois de uma boa terapia, o adulto com o transtorno parece alguém cujo lado afetivo não amadurece nunca.
Ainda que seja inteligente, talentoso e brilhante no que faz, reage como uma criança ao se relacionar com os outros e com as próprias emoções — o que os psicanalistas chamam de "ego imaturo". Em muitos casos, o transtorno fica camuflado entre outros, como o bipolar, a depressão e o uso abusivo de álcool, remédios e drogas ilícitas.
De forma resumida, um transtorno de personalidade pode ser descrito como um jeito de ser, de sentir, se perceber e se relacionar com os outros que foge do padrão considerado "normal" ou saudável. Ou seja, causa sofrimento para a própria pessoa e/ou para os outros. Enquadrar um indivíduo em uma categoria não é fácil — cada pessoa é um universo, com características próprias. [...]
O diagnóstico é bem mais frequente entre as mulheres, mas estudos sugerem que a incidência seja igual em ambos os sexos. O que acontece é que elas tendem a pedir mais socorro, enquanto os homens são mais propensos a se meter em encrencas, ir para a cadeira ou até morrer mais precocemente por causa de comportamentos de risco. Quase sempre o transtorno é identificado em adultos jovens e os sintomas tendem a se tornar atenuados com o passar da idade.
Transtornos de personalidade são diferentes de transtornos mentais (como depressão, ansiedade, transtorno bipolar, psicose etc.), embora seja difícil para leigos e desafiante até para especialistas fazer essa distinção, já que sobreposições ou comorbidades (existência de duas ou mais condições ao mesmo tempo) são muito frequentes. Não é raro que o borderline desenvolva transtorno bipolar, depressão, transtornos alimentares (em especial a bulimia), estresse pós-traumático, déficit de atenção/hiperatividade e transtorno por abuso de substâncias, entre outros. [...]
O paciente borderline sofre os períodos de instabilidade mais intensos no início da vida adulta. Há situações de crise, ou maior descontrole, que podem até resultar em internações porque o paciente coloca sua própria vida ou a dos outros em risco. Por volta dos 40 ou 50 anos, a maioria dos "borders" melhora bastante, probabilidade que aumenta se o paciente se engaja no tratamento. [...]
 A personalidade envolve não só aspectos herdados, mas também aprendidos, por isso a melhora é possível, ainda que seja difícil de acreditar no início. Se a psicoterapia é importante para ajudar o bipolar a identificar uma virada e evitar perdas, no transtorno de personalidade ela é o carro-chefe do tratamento. [...]
Medicamentos ajudam a aliviar os sintomas depressivos, a agressividade e o perfeccionismo exagerado, e são ainda mais importantes quando existe um transtorno mental associado. Os fármacos mais utilizados são os antidepressivos (flluoxetina, escitalopram, venlafaxina etc.), os estabilizadores de humor (lítio, lamotrigina, ácido valproico etc.), os antipsicóticos (olanzapina, risperidona, quietiapina etc.) e, em situações pontuais, sedativos ou remédios para dormir (clonazepan, diazepan, alprazolan etc.). Esses últimos costumam ser até solicitados pelos pacientes, mas devem ser evitados ao máximo, porque podem afrouxar o controle dos impulsos, assim como o álcool, além de causarem dependência. [...]
Disponível em:
https://www.uol.com.br/vivabem/noticias/redacao/2018/04/16/borderlinea-doenca-que-faz-10-dos-diagnosticados-cometerem-suicidio.htm. Acesso em: 04 jan. 2021. 
Considerando o trecho que segue, a respeito dos elementos de coesão e suas respectivas relações lógico-semânticas, analise as assertivas e assinale a alternativa que aponta a(s) correta(s).
“A personalidade envolve não só aspectos herdados, mas também aprendidos, por isso a melhora é possível, ainda que seja difícil de acreditar no início. Se a psicoterapia é importante para ajudar o bipolar a identificar uma virada e evitar perdas, no transtorno de personalidade ela é o carro-chefe do tratamento. [...]”.
I. Não haveria prejuízo de sintaxe nem de efeito de sentido caso a expressão correlativa “não só/mas também” fosse, nesse contexto, substituída pela conjunção, igualmente aditiva, “e”.
II. Em vez de “não só/mas também”, poder-se-ia usar, nessa situação, a locução também correlativa “tanto/quanto”, embora esta expresse valor de comparação e não de adição.
III. A expressão “ainda que” tem valor de concessão e poderia ser substituída, nesse caso, por “embora”.
  • A Apenas I.
  • B Apenas II.
  • C Apenas I e II.
  • D Apenas II e III.
  • E I, II e III.
15

Borderline: o transtorno que faz pessoas irem

do "céu ao inferno" em horas

Tatiana Pronin

Uma alegria contagiante pode se transformar em tristeza profunda em um piscar de olhos porque alguém "pisou na bola". O amor intenso vira ódio profundo, porque a atitude foi interpretada como traição; o sentimento sai de controle e se traduz em gritos, palavrões e até socos. E, então, bate uma culpa enorme e o medo de ser abandonado, como sempre. Dá vontade de se cortar, de beber e até de morrer, porque a dor, o vazio e a raiva de si mesmo são insuportáveis. As emoções e comportamentos exaltados podem dar uma ideia do que vive alguém com transtorno de personalidade borderline (ou "limítrofe"). 

Reconhecido como um dos transtornos mais lesivos, leva a episódios de automutilação, abuso de substâncias e agressões físicas. Além disso, cerca de 10% dos pacientes cometem suicídio. Além da montanha-russa emocional e da dificuldade em controlar os impulsos, o borderline tende a enxergar a si mesmo e aos outros na base do "tudo ou nada", o que torna as relações familiares, amorosas, de amizade e até mesmo a com o médico ou terapeuta extremamente desgastantes.

Muitos comportamentos do "border" (apelido usado pelos especialistas) lembram os de um jovem rebelde sem tolerância à frustração. Mas, enquanto um adolescente problemático pode melhorar com o tempo ou depois de uma boa terapia, o adulto com o transtorno parece alguém cujo lado afetivo não amadurece nunca.

Ainda que seja inteligente, talentoso e brilhante no que faz, reage como uma criança ao se relacionar com os outros e com as próprias emoções — o que os psicanalistas chamam de "ego imaturo". Em muitos casos, o transtorno fica camuflado entre outros, como o bipolar, a depressão e o uso abusivo de álcool, remédios e drogas ilícitas.

De forma resumida, um transtorno de personalidade pode ser descrito como um jeito de ser, de sentir, se perceber e se relacionar com os outros que foge do padrão considerado "normal" ou saudável. Ou seja, causa sofrimento para a própria pessoa e/ou para os outros. Enquadrar um indivíduo em uma categoria não é fácil — cada pessoa é um universo, com características próprias. [...]

O diagnóstico é bem mais frequente entre as mulheres, mas estudos sugerem que a incidência seja igual em ambos os sexos. O que acontece é que elas tendem a pedir mais socorro, enquanto os homens são mais propensos a se meter em encrencas, ir para a cadeira ou até morrer mais precocemente por causa de comportamentos de risco. Quase sempre o transtorno é identificado em adultos jovens e os sintomas tendem a se tornar atenuados com o passar da idade.

Transtornos de personalidade são diferentes de transtornos mentais (como depressão, ansiedade, transtorno bipolar, psicose etc.), embora seja difícil para leigos e desafiante até para especialistas fazer essa distinção, já que sobreposições ou comorbidades (existência de duas ou mais condições ao mesmo tempo) são muito frequentes. Não é raro que o borderline desenvolva transtorno bipolar, depressão, transtornos alimentares (em especial a bulimia), estresse pós-traumático, déficit de atenção/hiperatividade e transtorno por abuso de substâncias, entre outros. [...]

O paciente borderline sofre os períodos de instabilidade mais intensos no início da vida adulta. Há situações de crise, ou maior descontrole, que podem até resultar em internações porque o paciente coloca sua própria vida ou a dos outros em risco. Por volta dos 40 ou 50 anos, a maioria dos "borders" melhora bastante, probabilidade que aumenta se o paciente se engaja no tratamento. [...]

A personalidade envolve não só aspectos herdados, mas também aprendidos, por isso a melhora é possível, ainda que seja difícil de acreditar no início. Se a psicoterapia é importante para ajudar o bipolar a identificar uma virada e evitar perdas, no transtorno de personalidade ela é o carro-chefe do tratamento. [...]

Medicamentos ajudam a aliviar os sintomas depressivos, a agressividade e o perfeccionismo exagerado, e são ainda mais importantes quando existe um transtorno mental associado. Os fármacos mais utilizados são os antidepressivos (flluoxetina, escitalopram, venlafaxina etc.), os estabilizadores de humor (lítio, lamotrigina, ácido valproico etc.), os antipsicóticos (olanzapina, risperidona, quietiapina etc.) e, em situações pontuais, sedativos ou remédios para dormir (clonazepan, diazepan, alprazolan etc.). Esses últimos costumam ser até solicitados pelos pacientes, mas devem ser evitados ao máximo, porque podem afrouxar o controle dos impulsos, assim como o álcool, além de causarem dependência. [...]

Disponível em:

https://www.uol.com.br/vivabem/noticias/redacao/2018/04/16/borderlinea-doenca-que-faz-10-dos-diagnosticados-cometerem-suicidio.htm. Acesso em: 04 jan. 2021.

Considerando o seguinte excerto, informe se é verdadeiro (V) ou falso (F) o que se afirma a seguir e assinale a alternativa com a sequência correta. “O diagnóstico é bem mais frequente entre as mulheres, mas estudos sugerem que a incidência seja igual em ambos os sexos.”. ( ) Os termos “diagnóstico” e “incidência” são acentuados devido à mesma regra de acentuação em Língua Portuguesa. ( ) No termo “frequente”, há um encontro consonantal em “fr”. ( ) O vocábulo “mulheres” apresenta um dígrafo e um encontro consonantal. ( ) As palavras “frequente”, “mulheres” e “incidência” são todas paroxítonas. ( ) O termo “sexos” apresenta cinco letras e seis fonemas.
  • A F – V – F – V – F.
  • B V – F – V – F – V.
  • C F – V – F – V – V.
  • D V – V – F – F – F.
  • E F – F – V – V – V.
16
Instrução: A questão refere-se ao texto abaixo. Os destaques ao longo do texto estão citados na questão.

(Disponível em: https://epocanegocios.globo.com/ - texto adaptado especialmente para esta prova.)

Assinale a alternativa que indica o correto desenvolvimento, mantendo-se o mesmo sentido, da oração reduzida a seguir: “para se construir um time de sucesso nas empresas” (l. 02).

  • A Como se construísse um time de sucesso nas empresas.
  • B Conforme se construísse um time de sucesso nas empresas.
  • C De modo que se construísse um time de sucesso nas empresas.
  • D A fim de que se construísse um time de sucesso nas empresas.
17
TEXTO 01
O texto abaixo servirá de base para responder a questão.

SERENIDADE E DISCRIÇÃO NA CALMARIA DA ALMA
(1º§) Optei pelo silêncio e me mantenho em silêncio. Parei de falar quando percebi que ninguém estava disposto a me ouvir. Daí, então, passei a me sentir mais tranquilo, não somente pelo silêncio da voz, mas pelo silêncio interior. Juntei os dois para entender os outros na forma incrível de falação.
(2º§) Optei pelo silêncio, pois vejo a importância de recatar o que eu sou no que sinto e naquilo que faço. O falar é a prata das emoções, enquanto o calar representa o ouro no peso do seu quilate, logo, tem maior valor.
(3º§) Parei de me importar quando silenciei, pois percebi que milhares de bobagens são desprezíveis para quem se ocupa com o que há de maior valor para os humanos. Parei de dar meu máximo para quem não me dava nem o mínimo. Parei de verdade!
(4º§) Optei pelo silêncio e me mantenho em silêncio. Simplesmente parei de dar meu melhor para as pessoas que não mereciam nem parte disso. Parei de me importar com aqueles que demonstraram viver bem sem meu carinho. Escolhi parar. Acredite! Saiba que foi a melhor escolha que eu poderia ter feito.
(5º§) Parei de me importar quando silenciei. Não acumulei mágoas nem rancores vis, porque está longe de mim guardar sentimentos amargos, por isso parei. Pare com a ideia de que não pode parar.
(6º§) Ao parar de escolher quem na verdade nunca me escolheu, comecei a refletir mais e a ouvir a voz do meu coração. Pare e reflita! Busque edificar sua sabedoria! (https://www.pensador.com/frase/MTc4NzMzOQ/) -
(Acesso 13.05.2021) (Texto adaptado) -
https://www.pensador.com/frase/MTc4NzMzOQ/

Marque a alternativa com informação INCORRETA.

  • A No trecho: "Parei de falar quando percebi que", temos um exemplo de pronome relativo.
  • B As preposições: "em", "de" e "para" são invariáveis em gênero e em número.
  • C A contração prepositiva da oração: "Optei pelo silêncio" é imposta pela regência verbal.
  • D Em: "Ninguém estava disposto a me ouvir", temos, respectivamente: pronome indefinido com função sintática de núcleo do sujeito simples, adjetivo com função sintática de predicativo do sujeito e pronome oblíquo proclítico.
18
Medo da eternidade


LISPECTOR, Clarice. Medo da eternidade. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, Caderno B, p.2, 6 jun. 1970.


Assim como no trecho “E, ainda perplexa, encaminhávamo-nos para a escola.” (l. 35-36), a colocação do pronome destacado respeita a norma-padrão da língua portuguesa, em:

  • A Pediria-lhes para considerar a possibilidade da eternidade.
  • B A curiosidade não leva-nos a atitudes bobas e despropositadas.
  • C O prazer que experimenta-se com o sabor dos doces é enorme.
  • D Poucos se impressionam com a descoberta da possibilidade da eternidade.
  • E Nos perguntamos até quando vamos sonhar com uma vida eterna de prazer.
19
Medo da eternidade


LISPECTOR, Clarice. Medo da eternidade. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, Caderno B, p.2, 6 jun. 1970.


A frase em que a palavra ou expressão destacada respeita as regras ortográficas e gramaticais da norma padrão é:

  • A As crianças querem estar aonde a fantasia está.
  • B Queremos saber por que a ideia de eternidade nos fascina.
  • C O gosto adocicado do chicle mau acaba e queremos outro.
  • D Nada como balas e chicletes durante uma seção de cinema.
  • E A ideia de viver para sempre persegue o homem a séculos.
20
Medo da eternidade


LISPECTOR, Clarice. Medo da eternidade. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, Caderno B, p.2, 6 jun. 1970.


No texto, foram empregadas as palavras (l. 31) e ótimo (l. 35), ambas acentuadas graficamente.
Duas outras palavras corretamente acentuadas pelos mesmos motivos que e ótimo são, respectivamente,

  • A juíz e ébano
  • B Icaraí e rítmo
  • C caquís e incrédulo
  • D país e sonâmbulo
  • E abacaxí e econômia

Psicologia

21

Assinale a alternativa incorreta:
Ao psicólogo é vedado:

  • A Praticar ou ser conivente com quaisquer atos que caracterizem negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade ou opressão.
  • B Utilizar ou favorecer o uso de conhecimento e a utilização de práticas psicológicas como instrumentos de castigo, tortura ou qualquer forma de violência.
  • C Ser conivente com erros, faltas éticas, violação de direitos, crimes ou contravenções penais praticados por psicólogos na prestação de serviços profissionais.
  • D Prestar serviços ou vincular o título de psicólogo a serviços de atendimento psicológico cujos procedimentos, técnicas e meios não estejam regulamentados ou reconhecidos pela profissão.
  • E Estabelecer com a pessoa atendida, familiar ou terceiro, que não tenha vínculo com o atendido, relação que possa interferir negativamente nos objetivos do serviço prestado.
22
De acordo com o Código de Ética do Profissional. Art. 16 – O psicólogo, na realização de estudos, pesquisas e atividades voltadas para a produção de conhecimento e desenvolvimento de tecnologias: Assinale a alternativa INCORRETA a respeito do artigo citado acima:
  • A Garantirá o caráter voluntário da participação dos envolvidos, mediante consentimento livre e esclarecido, salvo nas situações previstas em legislação específica e respeitando os princípios deste Código.
  • B Garantirá o anonimato das pessoas, grupos ou organizações, salvo interesse manifesto destes.
  • C Garantirá o acesso das pessoas, grupos ou organizações aos resultados das pesquisas ou estudos, após seu encerramento, sempre que assim o desejarem.
  • D Garantirá somente qualificações, atividades e recursos relativos a técnicas e práticas que estejam reconhecidas ou regulamentadas pela profissão
23

De acordo com o Professor Dalgalarrondo (2010), para Freud, o inconsciente é bem mais do que um simples estado mental fora da consciência. Ele é, embora obscuro, a estrutura mental mais importante do psiquismo humano. Sobre os princípios que regem o inconsciente, considere a alternativa que discorre sobre a Isenção de Contradição:

  • A No inconsciente, não existe tempo; ele é atemporal.
  • B Os processos inconscientes não são ordenados, temporalmente, não se alteram com a passagem do tempo, não têm qualquer referência ao tempo.
  • C No sistema inconsciente, não há lugar para negação ou dúvida, nem graus diversos de certeza ou incerteza. Tudo é absolutamente certo, afirmativo.
  • D Toda a atividade inconsciente visa a evitar o desprazer e proporcionar o prazer, independentemente de exigências éticas ou realistas.
  • E As cargas energéticas (catexias) acopladas às representações psíquicas, às ideias, são totalmente móveis.
24

Sobre a saúde mental, analise:
(__)A abertura dos ambulatórios de saúde mental tanto possibilitou a reversão de uma rede de assistência curativista e calcada nas internações como contribuiu para a criação de novas demandas para atendimento em consultório. (__)Esses serviços abrigaram duas lógicas de funcionamento contrastantes e, ao mesmo tempo, resultantes da convergência dos movimentos de reforma psiquiátrica e sanitária: o modo asilar e o modo consular. (__)O modo asilar caracteriza-se por pouco levar em consideração a existência do sujeito, além de colocá-lo como centro do problema. A equipe de profissionais trabalha de forma conjunta e com base na medicalização, já o tratamento é baseado no diagnóstico psiquiátrico e considera-se que há sucesso quando há remissão dos sintomas e controle da crise.
Após análise, assinale a sequência CORRETA dos itens acima, de cima para baixo:

  • A V, V, F.
  • B F, V, V.
  • C V, F, F.
  • D V, F, V.
25

Pela teoria do Behaviorismo assinale a alternativa que melhor descreve o Reforço Negativo:

  • A Recompensa pelo comportamento que se deseja condicionar. Como, por exemplo, um cão que recebe um biscoito (reforço mediante recompensa ou prêmio) sempre que atende à ordem de sentar (comportamento).
  • B Para que a conexão entre um estímulo e uma resposta seja efetivamente realizada e a aprendizagem ocorra, é necessário um estado do organismo que a favoreça.
  • C Retirada de uma consequência desagradável quando ocorre o comportamento que se deseja condicionar.
  • D Consiste em provocar uma condição desagradável, na tentativa de eliminar um comportamento não desejado.
26

Assinale a questão que melhor completa a sequencia: "Carl Ranson Rogers (1902-1987), norte-americano, desenvolveu uma teoria de terapia que surgiu como a terceira via (terceira força) entre os campos predominantes na Psicologia na metade do século 20: a Psicanálise e o Behaviorismo. Revolucionário em sua posição antiautoritária e anticonvencional na atuação em terapia, propôs como condições necessárias e suficientes para que uma mudança construtiva de personalidade ocorra..."

  • A Autenticidade ou congruência, compreensão empática e Consideração Positiva Condicional.
  • B Desfuncionalidade, compreensão empática e Consideração Positiva Incondicional.
  • C Autenticidade ou congruência, compreensão dispersa e Consideração Positiva Incondicional.
  • D Autenticidade ou congruência, compreensão empática e Consideração Positiva Incondicional.
27

A Teoria da Gestalt (ou teoria da forma), conhecida pelos estudos da percepção humana e por ter se afirmado como importante escola terapêutica, é considerada uma corrente precursora da Psicologia humanista.
Desta forma assinale a alternativa que informa o conceito insight:

  • A A integração entre duas ou mais áreas do conhecimento, seus conceitos e suas teorias, com a finalidade comum do estudo de um fenômeno.
  • B Tem o formato de "tarefa imposta", meramente intelectual, e a "experiencial".
  • C É uma percepção mental rápida e clara, uma descoberta, uma revelação. Acontece com frequência quando resolvemos problemas, buscamos a solução, nos debruçamos sobre ele até que, de repente, a solução aparece, como se ela estivesse olhando para nós.
  • D Correspondente a todos os fatos que determinam o comportamento de um indivíduo em certo momento.
28

"É processo da aprendizagem é o conhecimento dos próprios produtos cognitivos, isto é, o conhecimento que o sujeito tem sobre seu conhecimento. "trata-se de:

  • A Anacognição.
  • B Cognição.
  • C Disforia.
  • D Metacognição.
29

A Estratégia Saúde da Família (ESF) visa à reorganização da atenção básica no País, de acordo com os preceitos do Sistema Único de Saúde, e é tida pelo Ministério da Saúde e gestores estaduais e municipais como estratégia de expansão, qualificação e consolidação da atenção básica por favorecer uma reorientação do processo de trabalho com maior potencial de aprofundar os princípios, diretrizes e fundamentos da atenção básica, de ampliar a resolutividade e impacto na situação de saúde das pessoas e coletividades, além de propiciar uma importante relação custo-efetividade. Sobre o papel da psicologia na ESF assinale a alternativa incorreta:

  • A O profissional psicólogo é responsável por uma gama bastante ampla de atividades, as quais incluem o estudo e avaliação do desenvolvimento emocional e dos processos mentais e sociais dos indivíduos, grupos e instituições, o diagnóstico e avaliação de distúrbios emocionais e mentais e de adaptação social e, ainda, a coordenação de equipes e atividades da área (CBO, 2002).
  • B Estudos mostram possibilidades de o profissional psicólogo transcender concepções teóricas e metodológicas que orientam para práticas que se limitam à prestação de serviços ao indivíduo com problemas mentais já instalados (Correia, 2007)
  • C A inserção do psicólogo no PSF, modelo assistencial de saúde do SUS, se dá de modo bastante tímido, e sem a especificidade de participante da equipe básica de saúde. Neste aspecto, a recente criação dos Núcleos de Atenção à Saúde Familiar (NASF), pelo Ministério da Saúde (Brasil, 2008c), nos quais está prevista a participação do psicólogo, certamente não contribuirá para ampliar esta inserção e para legitimar as atividades deste profissional no campo da saúde pública.
  • D No campo da formação, as Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de Psicologia (Brasil, 2008d) estabelecem a atenção à saúde como uma das habilidades a ser focalizada durante a formação acadêmica, visando que os psicólogos estejam aptos a atuar com prevenção, promoção, proteção e reabilitação da saúde psicológica, nos níveis individual e coletivo.
30

A terapia de grupo é um modelo psicoterápico introduzido nos anos 40 e que, desde então, passou por diversas adaptações para o uso na prática clínica. Novas teorias psicológicas, conceitos e cenários clínicos foram adaptados no trabalho com os grupos, de modo que atualmente diversas abordagens compõem o quadro dessa modalidade. Em termos conceituais entendemos a psicoterapia de grupo como uma modalidade psicoterápica com foco nas interações interpessoais para a mudança de padrões mal adaptativos. Ou seja, um dos seus pressupostos básicos (que inclusive a diferencia do atendimento individual) é apostar na “força” que a interação grupal tem para produzir mudanças de caráter interpessoal significativas. As propostas de trabalho são diversificadas, de modo que a composição dos grupos pode envolver o trabalho com algum transtorno mental (transtorno do pânico, depressão), questões relativas à saúde física (diabetes, HIV/AIDS, obesidade), modalidades que envolvem grupos rápidos e de grande rotatividade para pacientes hospitalizados, grupos abertos, grupos psicoeducacionais etc. Sobre os 11 fatores de mudança em psicoterapia de grupo , assinale a alternativa correta:

  • A 1. Instilação de esperança; 2. Universalidade; 3. Compartilhamento de informações; 4. Altruísmo; 5. Recapitulação corretiva do grupo familiar primário; 6. Desenvolvimento de técnicas de socialização; 7. Comportamento imitativo; 8. Aprendizagem interpessoal; 9. Coesão grupal; 10. Catarse; e 11. Fatores existenciais.
  • B 1. Instilação de esperança; 2. Universalidade; 3. Compartilhamento de informações; 4. Altruísmo; 5. Recapitulação corretiva do grupo familiar primário; 6. Desenvolvimento de técnicas de socialização; 7. Comportamento imitativo; 8. Aprendizagem interpessoal; 9. Coesão grupal; 10. Catarse; e 11. Fatores Sintéticos.
  • C 1. Instilação de esperança; 2. Universalidade; 3. Compartilhamento de informações; 4. Altruísmo; 5. Recapitulação corretiva do grupo familiar primário; 6. Desenvolvimento de técnicas de socialização; 7. Comportamento imitativo; 8. Aprendizagem interpessoal; 9. Coesão grupal; 10. Emoções; e 11. Fatores existenciais.
  • D 1. Instilação de esperança; 2. Independência; 3. Compartilhamento de informações; 4. Altruísmo; 5. Recapitulação corretiva do grupo familiar primário; 6. Desenvolvimento de técnicas de socialização; 7. Comportamento imitativo; 8. Aprendizagem interpessoal; 9. Coesão grupal; 10. Catarse; e 11. Fatores existenciais.
Voltar para lista