Resolver o Simulado Prefeitura Municipal de Caxias do Sul - Enfermeiro - Saúde - Nível Superior

0 / 39

Matemática

1
Júlio quer comprar um celular, para isso irá fazer uma cesta de páscoa para sortear. Assim, Júlio preparou algumas rifas e está vendendo a R$ 2,00 cada. Para incentivar as pessoas a comprarem mais rifas, ele fará um desconto por rifa, proporcional à quantidade de rifas compradas. Se uma pessoa quiser comprar 15 rifas, pagará apenas R$ 29,25, se quiser comprar 30 rifas, irá pagar apenas R$ 57,00, e assim por diante. Seu tio, decidiu comprar 60 rifas, mas ao invés de fazer o cálculo do desconto utilizando a proporcionalidade direta à quantidade de rifas compradas, fez o cálculo utilizando a proporcionalidade inversa. Sendo assim, qual o valor aproximado, a mais, que seu tio pagou, pelas 60 rifas, referente ao valor que deveria ter pago com o desconto?
  • A R$ 0,30.
  • B R$ 110,69.
  • C R$ 11,93.
  • D R$ 90,00.
2

O Edifício Residência tem 10 andares com 2,5 metros de altura cada, mais o térreo com 4 metros de altura e o Edifício Lar, que fica ao seu lado, tem 11 andares mais o térreo como 3,5 metros de altura cada. Qual a diferença entre as alturas dos dois prédios? (despreze a medida das lajes entre os andares)

  • A A diferença é de 54 metros.
  • B A diferença é de 13 metros.
  • C A diferença é de 1 metro.
  • D A diferença é de 10 metros.
3
Uma torneira despeja 15 litros de água por minuto em um reservatório de 2.000 litros que tem um vazamento, perdendo 5 litros por minuto. Em quanto tempo o reservatório ficará cheio?
  • A 3 horas.
  • B 2 horas e 30 minutos.
  • C 3 horas e 20 minutos.
  • D 4 horas.
  • E 2 horas e 50 minutos.
4
A unidade de medida Grandeza pode ser classificada em mensuráveis e não mensuráveis, assinale a alternativa que representa uma grandeza NÂO mensurável:
  • A Comprimento
  • B Superfície
  • C Temperatura
  • D Volume
  • E Massa
5

Um rei determinou a um sábio que estipulasse uma recompensa por tê-lo vencido em uma partida de xadrez. O sábio, então, respondeu: — Majestade, eu desejo como recompensa a quantidade de grãos de arroz que se obtém adotando-se o seguinte procedimento: percorrendo o tabuleiro de xadrez de cima para baixo e da direita para a esquerda, na primeira casa do tabuleiro, coloque 1 grão de arroz; na segunda casa, 2 grãos de arroz; na terceira, 4 grãos de arroz e assim por diante, de modo que, na n-ésima casa do tabuleiro, devam ser colocados 2n-1 grãos de arroz.
Considerando-se que o tabuleiro de xadrez tenha 64 casas e que 1 kg de arroz tenha 50.000 grãos de arroz — de modo que uma tonelada de arroz tenha 50 milhões de grãos de arroz —, é correto concluir que apenas para a 31.ª casa do tabuleiro de xadrez ele deverá colocar

  • A mais de 40 toneladas de arroz.
  • B menos de 1 tonelada de arroz.
  • C menos de 10 toneladas de arroz.
  • D mais de 20 toneladas de arroz.
  • E mais de 30 toneladas de arroz.
6

Marisa recebeu como salário R$ 1.485,00. Ela depositou em caderneta de poupança de 2 vezes o valor gasto com suas despesas habituais e ainda sobrou R$110,00. Quais os valores de suas despesas e do deposito na caderneta de poupança, respectivamente?

  • A R$458,33 e R$916,33
  • B R$450,00 e R$900,00
  • C R$900,00 e R$450,00
  • D R$470,00 e R$940,00
7

Um grupo de alunos de enfermagem resolveu comprar garrote por metro. Em uma loja o metro do garrote é vendido por R$ 4,00, e o rolo com 120metros de garrote é vendido 132,00. Eles reuniram todos os alunos (240) e compraram o rolo. Sabendo que cada aluno ficou com 0,50cm. Quanto cada aluno gastou?

  • A R$0,55
  • B R$0,50
  • C R$1,00
  • D R$2,50
8

Uma empresa contratou um instituto de pesquisa para colher a opinião sobre seu novo produto, o instituto distribuiu 100.000 unidades de questionários em várias cidades do Brasil. Ao fazer a análise dos questionários, observou-se que 10% dos questionários foram inválidos por apresentarem rasuras e duplicidade de resposta e 5% não foram devolvidos. A quantidade de questionários válidos para a pesquisa foi:

  • A Maior que 90.000 questionários
  • B Maior que 95.000 questionários
  • C 85.000 questionários
  • D 95.000questionários
9

Em um bairro com 149 idosos, contatou-se que 101 receberam a vacina antitetânica, 84 receberam vacina contra a gripe e 31 não foram vacinados. Quantos desses idosos receberam as duas vacinas?

  • A 17
  • B 31
  • C 36
  • D 67
10

Na prescrição realizada pelo médico consta a administração de um determinado medicamento na dosagem de 75g. Como o frasco padrão desse medicamento tem 75mg, a quantidade de frasco utilizada será de:

  • A 10
  • B 100
  • C 1.000
  • D 10.000
11
A caixa d’água de uma família mede 2 metros de comprimento, 3 metros de altura e 2 metros de largura. Como essa caixa d’água ficava ao lado da casa, com o tempo a família precisou troca-la, e compraram uma caixa d’água com a mesma altura, mas com comprimento e a largura medindo 25 % a mais que a anterior. Quantos litros de água essa família irá gastar para encher esta nova caixa d’água?
  • A 1 875 litros.
  • B 10 875 litros.
  • C 12 000 litros.
  • D 18 750 litros.
12

O retângulo ABCD da figura a seguir tem as dimensões AB = 10 e BC = 6.


O ponto E do lado CD é tal que o segmento AE divide o retângulo em duas partes de forma que a área de uma seja o dobro da área da outra. O segmento DE mede

  • A 13/2
  • B 16/3
  • C 20/3
  • D 21/4
  • E 25/4
13

Complete a lacuna: Os _______________ são aqueles que estão em um mesmo semiespaço para todo plano que contém uma de suas faces.

  • A Poliedros convexos.
  • B Polígonos convexos.
  • C Poliedros côncavos.
  • D Polígonos côncavos.
14

180 soldados serão posicionados no pátio do quartel, arrumados em linhas e colunas, de maneira a formar um retângulo perfeito. Sabe-se que tanto o número de linhas quanto o número de colunas do retângulo não podem ser menores que 5. O maior número de arrumações possíveis para esse retângulo de soldados é

  • A 4.
  • B 5.
  • C 7.
  • D 10.
  • E 12.
15
Um professor de matemática, ao ser perguntado em sala de aula qual a idade de seus filhos, passou o seguinte problema a seus alunos: “Tenho três filhos, as idades deles são os números inteiros tal que x2 - 7x + 6< 0 e a soma seja igual a 11”.
Qual das opções abaixo mostra os valores que podem ser as idades dos filhos desse professor?
  • A 2, 4 e 5.
  • B 2, 3 e 5.
  • C 1, 4 e 6.
  • D 3, 4 e 5.
16

Qual é o resultado da expressão algébrica: (25 + (31 - 15 / 3 - 2)) / 2 ?

  • A 36,5
  • B 33
  • C 24,5
  • D 20,5
17

Em um grupo de N pessoas, há 12 homens a mais do que mulheres. Retirando-se 6 homens desse grupo, a razão entre o número de homens e o número de mulheres passa a ser de 7/5 .
O valor de N é

  • A 36.
  • B 42.
  • C 45.
  • D 48.
  • E 54.
18
Um grupo de amigos, decidiram realizar um acampamento. Para esse acampamento, compraram um kit com 4 rádios comunicadores, que funcionam até uma distância de 15 km um do outro, e decidiram que um dos rádios ficaria sempre no lugar onde estavam acampando e outro em uma torre de comando, onde marcaram a saída para o acampamento. Com isso, decidiram encontrar, em um mapa com escala 1:500 000 (em centímetros), um lugar para acampar, que satisfizesse duas condições: • A distância do acampamento até a torre de controle, devia ser menor que 15 km. • A distância do acampamento até o lugar onde buscariam água, também deveria ser menor que 15 km. Fizeram então um plano cartesiano no mapa, utilizando o centímetro como a unidade de distância, com origem na torre de controle, e marcaram o ponto onde buscariam a água na coordenada (3,4). Para encontrar os possíveis lugares onde poderiam montar o acampamento, fizeram, no mapa, duas circunferências, uma com centro na torre de controle e a outra com centro no ponto onde buscariam a água. As duas circunferências foram desenhadas, de forma que os raios de ambas as circunferências, no terreno onde iriam acampar, equivalem a 15 km. Marque a alternativa que mostra corretamente a equação das duas circunferências no mapa.
  • A x2 + y2 = 9 e x2 + y2 - 6x - 8y - 16 = 0.
  • B x2 + y2 = 9 e x2 + y2 - 6x + 16 = 0.
  • C x2 + y2 = 9 e x2 + y2 - 6x - 8y + 16 = 0.
  • D x2 + y2 = 9 e x2 + y2 - 5x - 8y - 9 = 0.
19

João foi ao supermercado comprar biscoito e leite. Se no local havia 25 pacotes de biscoito, sendo 18 foram fabricados hoje e os demais no dia anterior, e 8 saquinhos de leite com data de validade inelegível, dos quais 2 já estão vencidos, qual a probabilidade de João comprar um pacote de biscoito do dia anterior e um saquinho de leite vencido?

  • A 7%
  • B 8,20%
  • C 4,80%
  • D 3,50%

Português

20

Leia o Texto para responder à questão.


Febre amarela pode virar uma endemia em São Paulo: o que fazer

A circulação do vírus no estado deve virar uma constante, o que exige cuidados a mais

com vacinação e controle dos mosquitos nos próximos dias e anos


    É possível que a febre amarela vire uma endemia no estado de São Paulo (SP). Ou seja, o ciclo de transmissão deve se manter ao menos pelos próximos anos. Segundo o coordenador de controle de doenças da Secretaria de Estado da Saúde, Marcos Boulos, o fato de macacos terem sido flagrados com o vírus no inverno sugere que essa doença veio para ficar, exigindo cuidados adicionais com a vacina. 
    Atenção: isso não quer dizer que todo ponto do estado possui um alto risco de infecções, nem que a febre amarela se urbanizou. Por enquanto, ela segue eminentemente restrita a zonas próximas a mata, onde os mosquitos Sabethes e Haemagogus a transmitem para os macacos e os seres humanos das redondezas.
    A diferença é que, ao contrário de anos atrás, o vírus não é mais um visitante. Ele chegou às regiões de mata e, possivelmente, vai virar uma ameaça crônica a quem visita essas regiões ou cidades relativamente próximas a elas. Não há, por ora, risco iminente de a febre amarela ser transmitida pelo Aedes aegypti.
    De qualquer forma, essa possibilidade de endemia em São Paulo reforça a necessidade de pensar na vacinação. No momento, os governos federal, estadual e municipal já estão conduzindo campanhas para bloquear o surto.
    A ideia é, com o auxílio de doses fracionadas, impedir que a febre amarela se alastre para regiões urbanas. Mas a Secretaria do Estado de Saúde de São Paulo já disse que almeja imunizar praticamente toda a população sem contraindicação contra essa doença. 
    Da sua parte, é vital checar se a região em que você mora ou trabalha oferece um risco de contágio para febre amarela. Vai viajar? Então pesquise se o destino teve surtos ou se é uma zona com indicação para a vacina.
Disponível em:
https://saude.abril.com.br/medicina/febre-amarela-endemia-em-sao-paulo-o-que-fazer/. Acesso em: 08 de abril de 2021. Adaptado. 

[...] onde os mosquitos Sabethes e Haemagogus a transmitem para os macacos e os seres humanos das redondezas.
Considerando as regras da norma-padrão, o pronome da estrutura em destaque PODE ocupar a posição de:

  • A proclítica, somente.
  • B proclítica e enclítica.
  • C mesolítica e proclítica.
  • D mesoclítica, somente.
21
Uma Lição de Vida

     Coprodução entre EUA, Quênia e Reino Unido, e dirigido por Justin Chadwick (Mandela: O Caminho para a Liberdade), Uma Lição de Vida promete emocionar com história verídica.
     Num vilarejo do Quênia, Maruge (Oliver Litondo) ouve no rádio o anúncio da educação gratuita para todos. Não tendo tido oportunidade de estudar no passado, o senhor de 84 anos – um veterano da tribo Mau Mau que lutou para libertar o Quênia dos ingleses – bate à porta da escola primária e espera uma chance de poder aprender a ler. Rejeitado de início, Maruge não desiste: já de uniforme escolar e uma pequena bolsa a tiracolo, volta a pedir por uma vaga e insiste até ser aceito pela professora Jane (Naomie Harris). Em meio a lembranças do doloroso passado, Maruge tem de enfrentar a revolta e as ameaças das autoridades, dos moradores da região e dos pais dos alunos, inconformados por um idoso ter sido aceito em uma classe de crianças de seis anos de idade.
     A despeito da péssima escolha do título em português – seria mais interessante um que se aproximasse do original, The First Grader –, o longa nos brinda com uma trama de superação que, para nosso alívio, está bem distante da fórmula “autoajuda para assistir”.
     Muito poderia ser dito acerca das belezas deste filme. Seja com relação à trama ela mesma, tocante sem jamais escorregar no sentimentalismo piegas; ou então sobre os belíssimos planos fechados, capazes de causas sensações as mais diversas e que exprimem mais que palavras. Prefiro, no entanto, dar ênfase à força dos personagens e à entrega dos atores, aspectos capazes de arrepiar o espectador. Os protagonistas – o idoso Maruge e a professora Jane – colocam a determinação como base para se operar mudanças e apontam a educação como a ferramenta principal para isso.
     Através de flashbacks bem situados, adentramos o passado de Maruge e somos confrontados com a chocante realidade da luta pela liberdade da excolônia britânica. A crueldade extrema e as condições mais desumanas foi o que Maruge encontrou nos campos de detenção na década de 50, após ter tido sua esposa e filhos cruelmente assassinados. Veio a liberdade para o Quênia, a vida continuou. O passado, porém, nunca foi de todo extinto e permanece como uma ferida que dói, além de uma dívida histórica. 
     Uma Lição de Vida é a história de uma luta que atravessa gerações. A luta de Maruge para superar seu passado, ir à escola e aprender a ler; a luta de Jane pelo amor à educação; a luta diária das crianças em face das condições precárias da escola, em que cinco alunos dividem uma carteira e tantos outros estudam sentados no chão. Mas também, trata-se de uma inspiradora história de conquista, portadora de uma verdade incontestável: “o aprendizado só termina quando tivermos terra nos ouvidos”.

Por Aline T.K.M. do Cen Brasil

Assinale a alternativa CORRETA que corresponde a mesma regra a respeito de crase que o trecho a seguir: “...a luta de Jane pelo amor à educação;...”

  • A “...– bate à porta da escola primária e espera uma chance de poder aprender a ler.”
  • B “dar ênfase à força dos personagens...”
  • C “... ir à escola e aprender a ler;...”
  • D Nenhuma das alternativas.
22
Em um país onde, de acordo com dados do Censo da Educação Superior de 2018, apenas 0,5% dos 8,45 milhões de estudantes possuem alguma deficiência, o assunto da inclusão social dessas pessoas no ambiente acadêmico ainda _____ muito o que avançar. Na Universidade Regional de Blumenau, a professora do Programa de PósGraduação em Educação, Andrea Soares Wuo, coordena pesquisas _____ a educação inclusiva dos estudantes, mas _____ a perspectiva das próprias pessoas com deficiência, e não apenas a partir da visão de professores ou da família dos estudantes. [...]

Na FURB, todos os estudantes com algum tipo de deficiência, seja ela física, auditiva, visual, intelectual ou múltipla _____ o direito de solicitar assistência dentro da Universidade. Para isso, basta sinalizar a condição no momento da matrícula e procurar a Coordenadoria de Assuntos Estudantis (CAE) da FURB.

Segundo a coordenadora da CAE, Lucymara Valentini Borges, entre os projetos e programas da coordenadoria, está o serviço de Atendimento Educacional Especializado (AEE), que proporciona aos estudantes com deficiência professores especializados, intérpretes de libras e profissionais de apoio. A FURB, através desse atendimento, analisa as demandas de cada aluno e faz adaptações, de materiais até o mobiliário.

Disponível em: http://www.furb.br/web/1704/noticias/ pesquisas-sobre-educacao-inclusiva-revelam-barreiras/8537. Acesso em: 04/fev/2021. [adaptado]

Assinale a alternativa cujas palavras são acentuadas pela mesma razão:

  • A país – matrícula
  • B até – através
  • C está – deficiência
  • D pós – país
  • E através – intérpretes
23
Em um país onde, de acordo com dados do Censo da Educação Superior de 2018, apenas 0,5% dos 8,45 milhões de estudantes possuem alguma deficiência, o assunto da inclusão social dessas pessoas no ambiente acadêmico ainda _____ muito o que avançar. Na Universidade Regional de Blumenau, a professora do Programa de PósGraduação em Educação, Andrea Soares Wuo, coordena pesquisas _____ a educação inclusiva dos estudantes, mas _____ a perspectiva das próprias pessoas com deficiência, e não apenas a partir da visão de professores ou da família dos estudantes. [...]

Na FURB, todos os estudantes com algum tipo de deficiência, seja ela física, auditiva, visual, intelectual ou múltipla _____ o direito de solicitar assistência dentro da Universidade. Para isso, basta sinalizar a condição no momento da matrícula e procurar a Coordenadoria de Assuntos Estudantis (CAE) da FURB.

Segundo a coordenadora da CAE, Lucymara Valentini Borges, entre os projetos e programas da coordenadoria, está o serviço de Atendimento Educacional Especializado (AEE), que proporciona aos estudantes com deficiência professores especializados, intérpretes de libras e profissionais de apoio. A FURB, através desse atendimento, analisa as demandas de cada aluno e faz adaptações, de materiais até o mobiliário.

Disponível em: http://www.furb.br/web/1704/noticias/ pesquisas-sobre-educacao-inclusiva-revelam-barreiras/8537. Acesso em: 04/fev/2021. [adaptado]

A exemplo de “Pós-Graduação”, cujo prefixo sempre exige hífen, assinale a alternativa com outro prefixo ou falso prefixo que sempre exige hífen:

  • A co
  • B ex
  • C bio
  • D geo
  • E hidro
24
TEXTO 

Você reconhece quando chega a felicidade?
Ana Paula Padrão

    Tenho uma forte antipatia pela obrigação de ser feliz que acompanha o Carnaval. Quem foge da folia ganha o rótulo de antissocial, depressivo ou chato. Nada contra o Carnaval. Apenas contra essa confusão de conceitos. Uma festa alegre não significa que você esteja plenamente feliz. E forçar uma situação de felicidade tem tudo para terminar em arrependimento e frustração. Aliás, você reconhece a felicidade quando ela chega? Sabe que está sendo feliz naquele momento? Espere um pouco antes de responder. Pense de novo.
     Estamos falando de felicidade! Não de uma alegria qualquer. E qual é a diferença? Bem, descrever a felicidade não é fácil. Ela é muito recatada. Não fica ali, posando para foto, sabe? Mas um Manual de Reconhecimento da Felicidade diria mais ou menos o seguinte: Ela é mansa. Não faz barulho. Ao mesmo tempo é farta. Quando chega, ocupa um espaço danado. Apesar disso, você quase não repara que ela está ali. Se chamar a atenção, não é ela. É euforia. Alegria. A licenciosidade de uma noite de Carnaval. Ou um reles frenesi qualquer, disfarçado de felicidade.
    A dita cuja é discreta. Discretíssima. E muito tranquila. Ela te faz dormir melhor. E olha, vou te contar uma coisa: a felicidade é inimiga da ansiedade. As duas não podem nem se ver. Essa é a melhor pista para o seu Manual de Reconhecimento da Felicidade. Se você se apaixonou e está naquela fase de pura ansiedade, mesmo que esteja superfeliz, não é felicidade. É excitação. Paixonite. Quando a ansiedade for embora, pode ser que a felicidade chegue. Mas ninguém garante.
    É temperamental, a felicidade. Não vem por qualquer coisa. E para ficar então… hi, não conheço nenhum caso de alguém que a tenha tido por perto a vida inteira. Por isso é tão importante reconhecê-la quando ela chega. Entendeu agora por que a minha pergunta? Será que você sabe mesmo quando está feliz? Ou será que você só consegue saber que foi feliz quando a felicidade já passou?
    Eu estudo muito a felicidade. Mas não consigo reconhecê-la. Talvez porque eu seja péssima fisionomista. Ou porque ela seja muito mais esperta do que eu. Mais sábia. Fato é que eu só sei que fui feliz depois. No futuro. Olho para o passado e reconheço: “Nossa, como eu fui feliz naquela época!” Mas no presente ela sempre me dá uma rasteira. Ando por aí, feliz da vida e nem sei que estou nesse estado. Por isso aproveito menos do que poderia a graça que é ter assim, tão pertinho, a tal da felicidade.
    Nos últimos tempos, dei para fazer uma lista de momentos felizes. E aqui é importante deixar claro que esses momentos devem durar um certo período de tempo. Um episódio isolado feliz – como quatro dias de Carnaval, por exemplo – não significa felicidade. A felicidade, quando vem, não vem de passagem. Não dura para sempre, mas dura um tempinho. Gosta de uma certa estabilidade, a danada! O problema é saber que ela está ali na hora em que ela está ali. Mas, voltando à lista, até que ela é longa.
    Já fui bastante feliz. Talvez não na maior parte do tempo. Mas acho que ninguém é. A lista é um grande exercício. Sabendo quando você foi feliz, é mais fácil descobrir por que você foi feliz. Para ser ainda mais funcional, é bom que a lista seja cronológica. Lendo a minha, constato que fico cada vez mais feliz e por mais tempo. Será que ela está aqui agora? Não sei dizer. Mas a paz de que desfruto agora é um sintoma dela.
     E isso não tem nada a ver com a tal obrigação de ser feliz desfilando no Sambódromo. Continuo meus estudos. Já tenho certeza de que hoje sou mais amiga da felicidade do que jamais fui em qualquer tempo. 

Disponível em: https://istoe.com.br/190975_VOCE+RECONHECE+Q UANDO+CHEGA+A+FELICIDADE+/

Em todas as ocorrências abaixo, o vocábulo “que” assume um papel de conjunção, MENOS na alternativa:

  • A “Uma festa alegre não significa que você esteja plenamente feliz.” (1º parágrafo)
  • B “(...) mesmo que esteja superfeliz, não é felicidade.” (3º parágrafo)
  • C “(...) não conheço nenhum caso de alguém que a tenha tido por perto a vida inteira.” (4º parágrafo)
  • D “Ou porque ela seja muito mais esperta do que eu.” (5º parágrafo)
  • E “(...) é bom que a lista seja cronológica.” (7º parágrafo)
25
TEXTO 

Brasileiros estão menos felizes em 2019, diz pesquisa da Ipsos
Os brasileiros estão menos felizes neste ano em comparação com o ano passado, segundo uma pesquisa do instituto Ipsos que avaliou a felicidade da população de 28 países.

   No Brasil, 61% dos entrevistados consideram-se muito felizes ou felizes – uma queda de 12 pontos percentuais em relação à última edição, feita em 2018, quando o resultado foi de 73%. No mundo, o índice de felicidade também caiu de 70% para 64%.
   "Toda vez que há uma eleição presidencial, vemos uma renovação dos ânimos, então 2019 começou com expectativas e depois houve uma frustração.", explica Sandra Pessini, diretora da Ipsos. "Existe uma correlação bem forte entre a confiança na economia e a percepção de felicidade. E a demora na retomada econômica impacta muito a vida e o dia a dia das pessoas."
   "Mas há frustração não só com o governo e com a economia em si. Sabemos que tragédias e a polarização política também impactam essa percepção."
    A pesquisa, chamada Global Happiness Study ou Estudo Global da Felicidade, foi divulgada nesta quarta. Foi feita online com 20,3 mil entrevistados em 28 países, entre 24 de maio e 7 de junho de 2019. Foram mais de 1.000 entrevistados no Brasil e a margem de erro no país é de 3,5 pontos para mais ou para menos.

Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/geral49666519

A concordância do verbo está correta na passagem “No Brasil, 61% dos entrevistados consideram-se muito felizes ou felizes (...)” (1º parágrafo); o mesmo ocorre no item:

  • A Dois metros de seda são suficientes para fazer o figurino.
  • B Cada um de nós teremos a chance de sermos selecionados na entrevista.
  • C Mais de um professor, mais de um coordenador foi homenageado na festa de formatura.
  • D Constatou-se que votaram nulo 1% dos eleitores.
  • E Os candidatos se houveram bem na prova.
26
Lições de vida

    Em 2009, um avião pousou de emergência no rio Hudson. O piloto era Sully Sullenberger e as 155 pessoas a bordo foram salvas por uma manobra impossível, perigosa, milagrosa. Sully virou herói e a lenda estava criada.
    Em 2016, no filme “Sully, o herói do rio Hudson”, Clint Eastwood revisitou a lenda para contar o que aconteceu depois do milagre: uma séria investigação às competências do capitão Sully Sullenberger. Ele salvara 155 pessoas, ninguém contestava. Mas foi mesmo necessário pousar no Hudson? Ou o gesto revelou uma imprudência criminosa, sobretudo quando existiam opções mais sensatas?
    Foram feitas simulações de computador. E a máquina deu o seu veredicto: era possível ter evitado as águas do rio e pousar em LaGuardia ou Teterboro. O próprio Sully come- çou a duvidar das suas competências. Todos falhamos. Será que ele falhou?
    Por causa desse filme, reli um dos ensaios de Michael Oakeshott, cujo título é “Rationalism in Politics”. Argumenta o autor que, a partir do Renascimento, o “racionalismo” tornou- -se a mais influente moda intelectual da Europa. Por “racionalismo”, entenda-se: uma crença na razão dos homens como guia único, supremo, da conduta humana.
     Para o racionalista, o conhecimento que importa não vem da tradição, da experiência, da vida vivida. O conhecimento é sempre um conhecimento técnico, ou de uma técnica, que pode ser resumido ou aprendido em livros ou doutrinas.
    Oakeshott argumentava que o conhecimento humano depende sempre de um conhecimento técnico e prático, mes- mo que os ensinamentos da prática não possam ser apresentados com rigor cartesiano.
    Clint Eastwood revisita a mesma dicotomia de Oakeshott para contar a história de Sullenberger. O avião perde os seus motores na colisão com aves; o copiloto, sintomaticamente, procura a resposta no manual de instruções; mas é Sully quem, conhecendo o manual, entende que ele não basta para salvar o dia.
    E, se os computadores dizem que ele está errado, ele sabe que não está – uma sabedoria que não se encontra em nenhum livro já que a experiência humana não é uma equa- ção matemática.
    As máquinas são ideais para lidar com situações ideais. Infelizmente, o mundo comum é perpetuamente devassado por contingências, ambiguidades, angústias, mas também súbitas iluminações que só os seres humanos, e não as má- quinas, são capazes de entender.
    Quando li Oakeshott, encontrei um filósofo que, contra toda a arrogância da modernidade, mostrava como a nossa imperfeição pode ser, às vezes, uma forma de salvação. O ensaio era, paradoxalmente, uma lição de humildade e uma apologia da grandeza humana. Eastwood, aos 86 anos, traduziu essas imagens.

(João Pereira Coutinho. Folha de S.Paulo, 29.11.2016. Adaptado)

Assinale a alternativa redigida em conformidade com a regência verbal e nominal determinada pela norma- -padrão

  • A Em 2009, Sully, em que era um piloto até então desconhecido, tornou-se lenda nacional.
  • B Clint Eastwood propôs-se para recontar em seu filme a façanha realizada por Sullenberger.
  • C Confiante na experiência de que era dotado por ser piloto há tempos, Sully optou por pousar no rio Hudson
  • D Os responsáveis pela investigação deram ênfase pela possiblidade de o piloto pousar em outros aeroportos.
  • E Ninguém contestava com a coragem mostrada por Sully para salvar os passageiros.
27

Assinale a alternativa em que ocorre metafonia entre os pares:

  • A caderno – cadernos.
  • B imposto – impostos.
  • C poste – postes.
  • D copo – copos.
28
Lições de vida

    Em 2009, um avião pousou de emergência no rio Hudson. O piloto era Sully Sullenberger e as 155 pessoas a bordo foram salvas por uma manobra impossível, perigosa, milagrosa. Sully virou herói e a lenda estava criada.
    Em 2016, no filme “Sully, o herói do rio Hudson”, Clint Eastwood revisitou a lenda para contar o que aconteceu depois do milagre: uma séria investigação às competências do capitão Sully Sullenberger. Ele salvara 155 pessoas, ninguém contestava. Mas foi mesmo necessário pousar no Hudson? Ou o gesto revelou uma imprudência criminosa, sobretudo quando existiam opções mais sensatas?
    Foram feitas simulações de computador. E a máquina deu o seu veredicto: era possível ter evitado as águas do rio e pousar em LaGuardia ou Teterboro. O próprio Sully come- çou a duvidar das suas competências. Todos falhamos. Será que ele falhou?
    Por causa desse filme, reli um dos ensaios de Michael Oakeshott, cujo título é “Rationalism in Politics”. Argumenta o autor que, a partir do Renascimento, o “racionalismo” tornou- -se a mais influente moda intelectual da Europa. Por “racionalismo”, entenda-se: uma crença na razão dos homens como guia único, supremo, da conduta humana.
     Para o racionalista, o conhecimento que importa não vem da tradição, da experiência, da vida vivida. O conhecimento é sempre um conhecimento técnico, ou de uma técnica, que pode ser resumido ou aprendido em livros ou doutrinas.
    Oakeshott argumentava que o conhecimento humano depende sempre de um conhecimento técnico e prático, mes- mo que os ensinamentos da prática não possam ser apresentados com rigor cartesiano.
    Clint Eastwood revisita a mesma dicotomia de Oakeshott para contar a história de Sullenberger. O avião perde os seus motores na colisão com aves; o copiloto, sintomaticamente, procura a resposta no manual de instruções; mas é Sully quem, conhecendo o manual, entende que ele não basta para salvar o dia.
    E, se os computadores dizem que ele está errado, ele sabe que não está – uma sabedoria que não se encontra em nenhum livro já que a experiência humana não é uma equa- ção matemática.
    As máquinas são ideais para lidar com situações ideais. Infelizmente, o mundo comum é perpetuamente devassado por contingências, ambiguidades, angústias, mas também súbitas iluminações que só os seres humanos, e não as má- quinas, são capazes de entender.
    Quando li Oakeshott, encontrei um filósofo que, contra toda a arrogância da modernidade, mostrava como a nossa imperfeição pode ser, às vezes, uma forma de salvação. O ensaio era, paradoxalmente, uma lição de humildade e uma apologia da grandeza humana. Eastwood, aos 86 anos, traduziu essas imagens.

(João Pereira Coutinho. Folha de S.Paulo, 29.11.2016. Adaptado)

O sinal indicativo de crase está corretamente empregado na alternativa:

  • A Graças à uma manobra muito arriscada, 155 pessoas foram salvas.
  • B Sully preferiu confiar em sua vivência à seguir o manual de instruções
  • C A investigação do caso levou à várias suposições, entre elas, se Sully havia sido irresponsável.
  • D Clint Eastwood não se manteve insensível à enorme ousadia de Sullenberger.
  • E A princípio, a desconfiança na sua habilidade como piloto foi desfavorável à Sullenberger.
29

Assinale a alternativa correta sobre o uso de crase:

  • A Estou à procura de conhecimento.
  • B Não vendemos à prazo.
  • C Estava à celebrar sua prova.
  • D Requeiro à V.Sa., a minha contratação.
30
Em qual das assertivas a seguir o pronome SE funciona como índice de indeterminação do sujeito:
  • A Se tivéssemos saído mais cedo, poderíamos ter aproveitado melhor o dia.
  • B Leu-se o documento com a resposta do réu.
  • C Deixaram-se brinquedos por todo carpete da sala.
  • D Morre-se um pouco a cada manhã.
  • E Encontraram-se pegadas de lama no chão.
31
Analise as seguintes orações e assinale a alternativa CORRETA:

I- Após, uma calmaria cheia de dúvidas ficou entre eles.
II- O carro foi atingido por uma pedra enorme.
III- Caminhar a pé lhe era adorável.
  • A complemento nominal, agente da passiva, complemento nominal.
  • B objeto indireto, agente da passiva, objeto indireto.
  • C complemento nominal, objeto indireto, complemento nominal.
  • D objeto indireto, complemento nominal, agente da passiva.
32

Assinale a alternativa que apresenta o uso correto da palavra em destaque.

  • A O caminho porque passamos existe há muitos anos.
  • B A situação por quê passou a adolescente foi constrangedora.
  • C O Brasil é rico em biodiversidade. Porquê?
  • D Gostaria de entender o por que de tanta euforia.
  • E Será que ela está incomodada comigo porque eu usei seu carro sem comunicar-lhe?”
33

Camelôs

Abençoado seja o camelô dos brinquedos de tostão:
O que vende balõezinhos de cor
O macaquinho que trepa no coqueiro
O cachorrinho que bate com o rabo
Os homenzinhos que jogam boxe
A perereca verde que de repente dá um pulo, que engraçada!
E as canetas-tinteiro que jamais escreverão coisa alguma!
Alegria das calçadas. Uns falam pelos cotovelos:
– “O cavalheiro chega em casa e diz: Meu Filho, vai buscar um
pedaço de banana para eu acender o charuto.
Naturalmente o menino pensará: Papai está malu...”
Outros, coitados, têm a língua atada.

Todos porém sabem mexer nos cordéis com tino ingênuo de
demiurgos de inutilidade.
E ensinam no tumulto das ruas os mitos heroicos da meninice ...
E dão aos homens que passam preocupados ou tristes uma lição de infância.

                                                                                Manuel Bandeira

Com base no texto e em seus conhecimentos adquiridos, responda às questões propostas.

Com a pandemia, o mundo ficou feito louco. O vocábulo assinalado, morfologicamente, classifica-se como
  • A conjunção.
  • B adjetivo.
  • C substantivo.
  • D verbo.
  • E interjeição.
34
Há uns que querem tomar a vacina, outros não. Um dos pontos mais importantes a considerar, em tal polêmica, é o fato de que vivemos no mundo com os outros.
Considerando o texto, a palavra tal é um
  • A pronome indefinido
  • B pronome demonstrativo.
  • C conjunção coordenada.
  • D artigo definido.
  • E partícula integrante.
35

Camelôs

Abençoado seja o camelô dos brinquedos de tostão:
O que vende balõezinhos de cor
O macaquinho que trepa no coqueiro
O cachorrinho que bate com o rabo
Os homenzinhos que jogam boxe
A perereca verde que de repente dá um pulo, que engraçada!
E as canetas-tinteiro que jamais escreverão coisa alguma!
Alegria das calçadas. Uns falam pelos cotovelos:
– “O cavalheiro chega em casa e diz: Meu Filho, vai buscar um
pedaço de banana para eu acender o charuto.
Naturalmente o menino pensará: Papai está malu...”
Outros, coitados, têm a língua atada.

Todos porém sabem mexer nos cordéis com tino ingênuo de
demiurgos de inutilidade.
E ensinam no tumulto das ruas os mitos heroicos da meninice ...
E dão aos homens que passam preocupados ou tristes uma lição de infância.

                                                                                Manuel Bandeira

Com base no texto e em seus conhecimentos adquiridos, responda às questões propostas.

Na sua estrutura mórfica, a forma verbal “desorganizássemos” não possui
  • A desinência modo - temporal.
  • B afixo.
  • C desinência número-pessoal.
  • D vogal de ligação.
  • E tema.
36

As palavras “bem”, “demasiado”, “deveras”, “quiçá" pertencem à classe dos:

  • A verbos
  • B advérbios
  • C adjetivos
  • D substantivos
37

Assinale a alternativa que apresenta verbo de ligação.

  • A Os estudantes andam apressados, ultimamente.
  • B Nos dias atuais, estão os jovens em casa?
  • C A humanidade virou a mesa.
  • D Os humanos permanecem na Terra.
38

Assinale a alternativa que NÃO apresenta erros ortográficos:

  • A Recostou-se a um poste e ficou a observar fascinado, mas com um certo temor, os farois dos automóveis que rodavam sobre o asfalto.
  • B Estacou, perturbado, e voltou a cabeça para tráz, a fim de verificar se estava sendo seguido.
  • C Se pos de pé e saiu a andar sem rumo certo.
  • D Ficou longo tempo parado sobre o meio-fio, esperando a oportunidade de atravessar a rua, atraído por uma vitrina da calçada oposta.
39

Após a leitura do enunciado apresentado a seguir, leia as assertivas:


Mergulhei numa comprida manhã de inverno. O açude apojado, a roça verde, amarela e vermelha, os caminhos estreitos mudados em riachos, ficaram-me na alma. Depois veio a seca. Árvores pelaram-se, bichos morreram, o sol cresceu, bebeu as águas, e ventos mornos espalharam na terra queimada uma poeira cinzenta. Olhando-me por dentro, percebo com desgosto a segunda paisagem. Devastação, calcinação.

Naquele tempo a escuridão se ia dissipando, vagarosa. Acordei, reuni pedaços de pessoas e de coisas, pedaços de mim mesmo que boiavam no passado confuso, articulei tudo, criei o meu pequeno mundo incongruente. Às vezes as peças se descolocavam — e surgiam estranhas mudanças. Os objetos se tornavam irreconhecíveis, e a humanidade, feita de indivíduos que me atormentavam e indivíduos que não me atormentavam, perdia os característicos.

(Guimarães Rosa. “Infância”. 17ª ed. 1981, p.19-20.)


I. Os elementos da narrativa indicam que se trata de um texto autobiográfico, conferindo-lhe um teor memorialístico.

II. O trecho reuni pedaços de pessoas e de coisas, pedaços de mim mesmo que boiavam no passado confuso apresenta vocábulos que expressam sentido conotativo.

III. No primeiro parágrafo, há destaque para a caracterização da natureza do sertão.


A sequência correta é:

  • A Apenas a assertiva II está incorreta.
  • B Apenas as assertivas I e II estão corretas.
  • C As assertivas I, II e III estão corretas.
  • D Apenas as assertivas II e III estão corretas.
Voltar para lista