Resolver o Simulado Assistente Social - AOCP - Nível Superior

0 / 40

Serviço Social

1
Considerando o caso hipotético da questão anterior, n° 33, o que acontece caso o diretor da unidade determine à estagiária de Serviço Social que substitua Mariele até a contratação de uma nova assistente social?
  • A Até ocorrer a substituição, a estagiária poderá assumir o lugar de Mariele e receberá supervisão direta do diretor da comunidade terapêutica, uma vez que a comunidade terapêutica não pode funcionar sem o Serviço Social.
  • B A estagiária poderá assumir o lugar de Mariele, desde que receba supervisão de um profissional técnico de nível superior, em caráter excepcional.
  • C A estagiária não poderá assumir o lugar de Mariele essencialmente, porque o motivo da dispensa foi devido à defesa de princípios éticos da profissão.
  • D A estagiária não poderá substituir Mariele, mas continuará como estagiária se lhe estiver garantida a supervisão acadêmica, porque o estágio também se estabelece pela relação com a unidade acadêmica.
  • E A estagiária não poderá assumir o lugar de Mariele, porque não é assistente social e não pode continuar no estágio, já que não terá supervisão direta.
2

Referente aos princípios fundamentais do Código de Ética Profissional do Assistente Social, analise as assertivas e assinale a alternativa que aponta as corretas.


I. Reconhecimento da liberdade como valor ético central e das demandas políticas a ela inerentes, autonomia, emancipação e plena expansão dos indivíduos sociais.

II. Ampliação e consolidação da cidadania, considerada tarefa primordial de toda sociedade, com vistas à garantia dos direitos civis sociais e políticos das classes trabalhadoras.

III. Posicionamento em favor da igualdade e justiça social, que assegure universalidade de acesso aos bens e serviços relativos aos programas e políticas sociais, bem como sua gestão democrática.

IV. Garantia da hegemonia, através do respeito às correntes profissionais democráticas existentes e suas expressões teóricas, e compromisso com o constante aprimoramento intelectual.

  • A Apenas I, II e III.
  • B Apenas I, II e IV.
  • C Apenas II e IV.
  • D Apenas II, III e IV.
  • E Apenas I e II.
3

Analise as assertivas e assinale a alternativa que aponta a(s) correta(s). Eliane é servidora pública, com cargo e função de assistente social, lotada na Unidade Básica de Saúde Flores. Foi requisitado a ela que realizasse intervenção com as gestantes que estão em pré-natal naquela unidade para tratar de temas como planejamento familiar, aleitamento materno, alimentação na gravidez e práticas de primeiros socorros. Observando essa requisição e respeitando as competências e atribuições da profissão de serviço social, Eliane poderá:


I. planejar ação socioeducativa em grupo com as gestantes e suas famílias, contando com o apoio da equipe multiprofissional para conduzir os assuntos que não forem de competência do Serviço Social.

II. intervir, necessariamente, por meio de atividade coletiva, observando-se as condições da instalação física da sala disponibilizada para grupos, como capacidade máxima, ventilação e iluminação adequada.

III. realizar o diagnóstico para antever se é mais adequado que ela execute suas funções de terapias individuais, de grupo, de família ou comunitárias.

IV. escolher trabalhar com a temática planejamento familiar, intervindo por meio de ação socioeducativa com abordagens individuais ou coletivas, para reforçar a subalternização das famílias.

  • A Apenas I.
  • B Apenas I e II.
  • C Apenas II e IV.
  • D Apenas III e IV.
  • E Apenas I, II e III.
4
A função pedagógica do assistente social na contemporaneidade incide
  • A em práticas educativas à luta para a manutenção da ordem social, como elemento estratégico na base dos processos formadores da disciplina.
  • B em estratégias educativas subalternizantes, vinculadas à necessidade de reprodução das relações de dominação e exploração do capital sobre o trabalho e o conjunto da sociedade.
  • C em estratégias educativas emancipatórias, vinculadas à necessidade histórica de construção de uma alternativa societária à ordem socialista.
  • D na maneira de pensar e agir dos sujeitos envolvidos na referida ação, interferindo na formação de subjetividades e normas de conduta, elementos moleculares de uma cultura, entendida como sociabilidade.
  • E na ajuda psicossocial individualizada como modalidade interventiva do Serviço Social.
5
Considerando a situação apresentada na questão anterior, nº 35, suponha-se que Eliane planejou e executou um grupo com gestantes para discutir o tema planejamento familiar. No dia do encontro, Eliane iniciou propondo às gestantes que fizessem uma dinâmica de apresentação. Após isso, apresentou o objetivo do encontro e comunicou que seria realizado em forma de diálogo, autorizando e incentivando que as gestantes interrompessem sua fala se sentissem necessidade de compartilhar dúvidas ou experiências. No decorrer do encontro, surgiram perguntas, como: “Quantos filhos um casal deve ter?”, “Se os pais não quiserem a criança por ser uma gravidez indesejada, o que pode ser feito?” e “Pode ter acompanhante no parto e quem deverá ser?”. A respeito do encontro, assinale a alternativa correta.
  • A Sobre a quantidade de filhos para um casal, Eliane deve responder corretamente que um casal deve ter, no máximo, dois, pois corresponde à média atual das famílias brasileiras.
  • B Sobre a segunda questão, Eliane responderá corretamente se disser que, no Brasil, o aborto é autorizado em casos excepcionais, como nos casos de gravidez indesejada, sendo garantido o atendimento pelo Sistema Único de Saúde, nos termos da Lei n° 8.080/1990.
  • C Sobre a pergunta do acompanhante no parto, Eliane responderá corretamente que é direito da gestante e parturiente ter um acompanhante de sua preferência, ou seja, não precisa necessariamente ser o pai do bebê.
  • D Eliane utilizou a metodologia participativa para grupos ao aplicar a dinâmica de apresentação em que todos os participantes são obrigados a falar sobre si, como uma forma de “quebra-gelo” que propicia o envolvimento do grupo e facilita na condução do encontro.
  • E Sobre a segunda pergunta, Eliane responderá corretamente se disser que não há constrangimento para a gestante se ela declarar que é um caso de gravidez indesejada, motivo pelo qual a criança será compulsoriamente encaminhada para a Justiça da Infância e da Juventude, visando à adoção.
6
Na unidade de saúde, o assistente social foi requisitado para realizar avaliação socioeconômica, visitas domiciliares e emitir parecer para usuários que necessitam de órteses e próteses. Sobre esse tema, é correto afirmar que
  • A a avaliação socioeconômica dos usuários tem por objetivo ser um instrumento que funcione como critério de elegibilidade para acesso a serviços de saúde, como órteses e próteses.
  • B as visitas domiciliares são importantes instrumentos a serem utilizados por assistentes sociais porque favorecem a verificação de dados fornecidos pelo usuário.
  • C a construção do perfil socioeconômico dos usuários busca evidenciar as condições determinantes e condicionantes de saúde, com vistas a possibilitar a formulação de estratégias de intervenção por meio da análise da situação socioeconômica (habitacional, trabalhista e previdenciária) e familiar dos usuários, bem como subsidiar a prática dos demais profissionais de saúde.
  • D a avaliação socioeconômica e a visita domiciliar permitem ao assistente social montar o processo e o preenchimento de formulários para o fornecimento de equipamentos, órteses, próteses e meios auxiliares de locomoção, bem como a dispensação destes.
  • E a avaliação socioeconômica e a visita domiciliar são imprescindíveis para garantir que o acesso aos serviços de saúde, como órteses e próteses, atenda às suas reais necessidades e evite despesas extras injustificadas.
7
Em 2019, ocorreram alterações na Lei nº 11.343/2006 (popularmente conhecida como Lei de Drogas) e a aprovação da Política Nacional sobre Drogas por meio do Decreto nº 9.761/2019. Considerando o referido Decreto quanto à Política Nacional sobre Drogas, assinale a alternativa que apresenta um de seus pressupostos.
  • A Garantir o direito à assistência intersetorial, interdisciplinar e transversal, a partir da visão holística do ser humano, com tratamento, acolhimento, acompanhamento e outros serviços, às pessoas com problemas decorrentes do uso, do uso indevido ou da dependência do álcool e de outras drogas.
  • B Incentivar pesquisas científicas para conhecer os possíveis benefícios de algumas drogas e torná-las lícitas.
  • C Tratar de modo indiferenciado o usuário, o dependente e o traficante de drogas, como forma de buscar o ideal de construção de uma sociedade protegida do uso de drogas lícitas e ilícitas e da dependência de tais drogas.
  • D O plantio e o cultivo particular, ainda que não autorizados pela União, de plantas e drogas ilícitas, tais como a cannabis, serão admitidos no território nacional para uso de fins de tratamentos médicos, nos termos do Decreto nº 9.761/2019.
  • E As ações, os programas, os projetos, as atividades de atenção, o cuidado, a assistência, a prevenção, o tratamento, o acolhimento, o apoio, a mútua ajuda, a reinserção social, os estudos, a pesquisa, a avaliação, as formações e as capacitações objetivarão que as pessoas usuárias e dependentes realizem a redução de danos, substituindo uma outra droga menos danosa, ainda que ilícita.
8
Durante a realização da reunião de grupo com gestantes na unidade de saúde, as mulheres começaram a relatar ao assistente social as angústias que sofrem durante a gestação com medo de não se adaptar à criança que irá nascer. Diante dos relatos, o assistente deve
  • A atender às gestantes individualmente e tranquilizá-las, pois é uma fase que vai passar.
  • B orientar em grupo que esses problemas serão comuns e que juntas poderão resolvê-los.
  • C orientar sobre a realização de atendimento social terapêutico para solucionar o problema.
  • D informar os familiares e amigos sobre as angústias das gestantes a fim de ajudá-las a resolver esse problema.
  • E orientar as gestantes que esses problemas serão discutidos com a equipe interdisciplinar e, identificadas as causas, o profissional competente irá atender às gestantes.
9
A respeito da curatela conforme o disposto na Lei nº 13.146/2015, conhecida como Estatuto da Pessoa com Deficiência, assinale a alternativa correta.
  • A A curatela afetará os atos relacionados aos direitos de naturezas patrimonial, negocial e personalíssimos.
  • B Nos casos de deficiência mental, a curatela é uma medida padrão e prioritária, realizada para resguardar os interesses do curatelado.
  • C A curatela afetará o direito ao matrimônio, à privacidade e à saúde do curatelado.
  • D O curador para pessoa com deficiência em situação de institucionalização será necessariamente o diretor ou representante legal da instituição vinculada.
  • E A definição da curatela não alcança o direito ao próprio corpo, à sexualidade e ao matrimônio.
10
Para sensibilizar os usuários acerca dos direitos sociais, princípios e diretrizes do SUS, rotinas institucionais, promoção da saúde e prevenção de doenças, o assistente social, junto com a equipe, pode propor o planejamento de planos, programas e projetos. Sobre essa questão, assinale a alternativa correta.
  • A O programa vai envolver estudos, análises situacionais e diagnósticos sobre as condições de saúde da população usuária, acesso à informação e direitos de saúde básicos para propor objetivos, estratégias e metas a serem alcançados.
  • B O plano vai indicar um conjunto de projetos cujos resultados permitem alcançar o objetivo que é sensibilizar os usuários acerca dos direitos, princípios e diretrizes do Sistema Único de Saúde.
  • C O projeto vai consistir em um instrumento técnico-operativo de execução de ações especificas, direcionado para intervir em determinado período, apresentando o detalhamento das operações a serem executadas.
  • D A abrangência do plano é reduzida, detalhando as ações a serem executadas, os indicadores de avaliação, os instrumentos de verificação e os meios de aferição em determinado período de tempo.
  • E A execução do plano depende do planejamento do projeto e possui menor nível de agregação de decisões que o programa.
11
O Conselho Federal de Serviço Social – CFESS –, manifestando-se frente aos desmontes no âmbito da Seguridade Social, lançou, em janeiro de 2020, uma nota de repúdio que diz respeito
  • A à retirada da participação popular do Conselho de Políticas sobre Drogas.
  • B à retirada da 16ª Conferência Nacional de Saúde.
  • C à autorização da internação compulsória de pessoas em uso ou abuso de álcool e outras drogas, sem a necessidade de autorização judicial.
  • D ao recrutamento de militares da reserva para atendimento à população no INSS.
  • E às alterações do Benefício de Prestação Continuada em que os idosos teriam de esperar até os 70 anos para receber integralmente o valor de um salário mínimo.
12
Durante a realização da entrevista, o assistente social identificou que os determinantes sociais que interferiram nos problemas de saúde/doença do usuário precisam ser levantados através da realização de coleta de dados através de outros instrumentos técnico-operativos e interpretados a partir de referencial teórico para que se estabeleça um parecer sobre a situação. Essa ação implica em
  • A um Relatório Social.
  • B um Estudo Social.
  • C uma Perícia Social.
  • D um Laudo Social.
  • E um Relatório Técnico Social.
13

Sobre a Reforma Sanitária, informe se é verdadeiro (V) ou falso (F) o que se afirma a seguir e assinale a alternativa com a sequência correta.


( ) O projeto de Reforma Sanitária teve como uma de suas estratégias o Sistema Único de Saúde.

( ) A Reforma Sanitária foi fruto de lutas e mobilização dos profissionais de saúde, articuladas ao movimento popular.

( ) A reforma sanitária coloca na cena política a noção de direito social universal, no entanto analisa-se que o processo de universalização tem sido excludente em decorrência dos mecanismos de racionamento, como a queda na qualidade dos serviços e filas.

( ) Como desdobramentos da Reforma sanitária, surgem novos sujeitos coletivos considerados elementos propulsores da sociedade civil que podem permear a estrutura da atividade estatal, os Conselhos Municipais, Estaduais e Nacional de Saúde.

  • A V – V – F – F.
  • B V – V – V – V.
  • C F – F – V – V.
  • D V – F – V – F
  • E F – V – F – V.
14
São pressupostos da Política Nacional Antidrogas, EXCETO
  • A buscar incessantemente atingir o ideal de construção de uma sociedade protegida do uso de drogas lícitas e ilícitas e da dependência de tais drogas.
  • B reconhecimento das diferenças entre o usuário, o dependente e o traficante de drogas, tratando-os de forma diferenciada, considerada a natureza, a quantidade da substância apreendida, o local e as condições em que se desenvolveu a ação de apreensão, as circunstâncias sociais e pessoais e a conduta e os antecedentes do agente, considerados obrigatoriamente em conjunto pelos agentes públicos incumbidos dessa tarefa, de acordo com a legislação.
  • C a não admissão, um território nacional, do plantio, cultivo, importação e exportação, não autorizados pela União, de plantas de drogas ilícitas, tais como a cannabis.
  • D a orientação central da Política Nacional sobre Drogas que considera aspectos legais, culturais e científicos, especialmente, a posição majoritariamente favorável da população brasileira quanto às iniciativas de legalização de drogas.
  • E tratar sem discriminação as pessoas usuárias ou dependentes de drogas lícitas ou ilícitas.
15
O acordo de colaboração entre os entes federativos para a organização da rede interfederativa de atenção à saúde deverá ser firmado por meio de Contrato Organizativo da Ação Pública da Saúde (COAP). Sobre o COAP, assinale a alternativa correta.
  • A O COAP deve resultar da integração dos relatórios de despesas com saúde dos entes federativos na Rede de Atenção à Saúde, tendo como fundamento as pactuações estabelecidas pelos gestores locais de saúde.
  • B Embora o COAP tenha avançado em inúmeras questões relacionadas à gestão do SUS, falha ao deixar de considerar a humanização do atendimento do usuário como fator importante no estabelecimento das metas de saúde.
  • C O controle e a fiscalização do COAP serão feitos por meio de avaliação externa contratada pelos gestores municipais.
  • D Uma das disposições essenciais do COAP é a identificação das necessidades de saúde locais e regionais.
  • E Delimita o conjunto de municípios, entre os quais há um município-sede, habilitado em Gestão Plena do Sistema Municipal ou em Gestão Plena da Atenção Básica Ampliada.
16
A respeito do Controle Social e da Participação em Políticas Públicas, assinale a alternativa INCORRETA.
  • A Os profissionais de saúde, entre eles os assistentes sociais, podem contribuir significativamente em fóruns institucionalizados de participação popular, com respostas intelectuais e técnicas às demandas colocadas, diferenciando-se da militância política.
  • B A Lei que dispõe sobre a participação da comunidade na gestão do Sistema Único de Saúde – SUS – indica que o SUS contará, em cada esfera de governo, com as seguintes instâncias colegiadas: Conferência de Saúde e Conselho de Saúde.
  • C O Conselho de Saúde é um órgão colegiado composto por representantes do governo, prestadores de serviço, profissionais de saúde e usuários.
  • D A representação dos usuários nos Conselhos de Saúde e Conferências será majoritária em relação ao conjunto dos demais segmentos.
  • E Os conselhos representam uma das alternativas da participação popular no controle social e são permeados de disputas de propostas e projetos.
17
São os desafios da reforma sanitária na contemporaneidade, EXCETO
  • A reconstruir uma expressiva base de apoio social e parlamentar de caráter classista em defesa do SUS.
  • B ampliar a intervenção de empresas médicas e organizações sociais de saúde para superar a precarização do sistema de saúde pública.
  • C acumular forças em direção à reforma pública do subsistema privado, para reduzir os gastos das famílias com bens e serviços de saúde, em especial nos estratos inferiores de renda.
  • D inibir o empresariamento e o liberalismo médico, que transgridem a ética da medicina ou se utilizam indevidamente do SUS.
  • E ampliar o financiamento para melhorar a gestão e para fortalecer a participação social do SUS.
18
Sobre o Materialismo Histórico Dialético e a práxis profissional, assinale a alternativa correta.
  • A A interlocução entre marxismo e Serviço Social é datada desde os primórdios da profissão no Brasil, na década de 1930.
  • B O método em Marx não é um conjunto de regras formais que se “aplicam” a um objeto que foi recortado para uma investigação determinada dos assistentes sociais.
  • C A teoria social dá origem ao materialismo histórico dialético e se trata de uma metodologia de intervenção dos assistentes sociais, pois, para Marx, conhecimento é aplicação.
  • D A análise da sociedade burguesa de Marx está contida em uma única obra, O capital, que é fundamental para a práxis profissional do assistente social.
  • E Marx cunhou o termo questão social, objeto do Serviço Social, que tem sua lógica fundada na Lei geral de Acumulação Capitalista.
19
No âmbito dos instrumentos utilizados pelo assistente social, destaca-se um documento específico que se traduz na apresentação descritiva e interpretativa de uma situação ou expressão da questão social, enquanto objeto de intervenção desse profissional no seu cotidiano de trabalho. A sua apresentação se dá com maior ou menor nível de detalhamento, a depender de sua finalidade. O enunciado se refere
  • A ao relatório social.
  • B ao estudo social.
  • C ao parecer social.
  • D à perícia social.
  • E ao estudo socioeconômico.
20
Assinale a alternativa que corresponde a uma atribuição privativa do Assistente Social.
  • A Elaborar, implementar, executar e avaliar políticas sociais junto a órgãos da administração pública, direta ou indireta, empresas, entidades e organizações populares.
  • B Elaborar, coordenar, executar e avaliar planos, programas e projetos que sejam do âmbito de atuação do Serviço Social com participação da sociedade civil.
  • C Encaminhar providências e prestar orientação social a indivíduos, grupos e à população.
  • D Orientar indivíduos e grupos de diferentes segmentos sociais no sentido de identificar recursos e de fazer uso dos mesmos no atendimento e na defesa de seus direitos.
  • E Planejar, organizar e administrar programas e projetos em Unidade de Serviço Social.

Português

21

                                                 TEXTO I

                 Janeiro branco: campanha chama atenção para

                            saúde mental dos brasileiros

Projeto de psicólogo pega carona no começo do ano para estimular pessoas a refletirem sobre seu bem-estar emocional

                                                                                                     Marilia Marasciulo


      O Brasil está no 11º lugar do ranking de países mais ansiosos do mundo: são 13,2 milhões de pessoas com algum transtorno de ansiedade por aqui. E nós já fomos os primeiros dessa lista. Dá para entender, portanto, porque o psicólogo mineiro Leonardo Abrahão decidiu criar, em 2014, a campanha Janeiro Branco. O objetivo é chamar atenção para a saúde mental e promover conhecimento e compreensão sobre temas como depressão, ansiedade e fobias.

      Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), uma a cada quatro pessoas vai sofrer com algum transtorno mental durante a vida. Só a depressão afeta mais de 300 milhões de pessoas em todo mundo e é a principal causa de incapacidade. Mesmo assim, ainda de acordo com a OMS, os investimentos dos países no tratamento não correspondem à alta demanda.

      Um dos principais focos da campanha — que conta com palestras, rodas de conversa, distribuição de folhetos informativos, entre outras ações em diferentes estados brasileiros — são os jovens. De acordo com os idealizadores, nos últimos três anos o número de atendimentos no SUS a jovens com depressão aumentou 118%.

      A escolha do mês de janeiro não é por acaso: o período de fim de ano e início de um novo pode causar ou aumentar a ansiedade pela frustração de não ter cumprido metas ou anseio por mudanças. Embora seja liderada por psicólogos e outros profissionais da área, a ideia é que, aos poucos, uma cultura da saúde mental seja fortalecida e disseminada na sociedade brasileira, com desmistificação de crenças populares sobre o assunto.

Disponível em:<https://revistagalileu.globo.com/Ciencia/Saude/noticia/2020/01/ janeiro-branco-campanha-chama-atencao-para-saude-mental-dosbrasileiros. html> . Acesso em: 13 jan. 2020.

Assinale a alternativa em que a relação estabelecida pela preposição no trecho dado esteja analisada corretamente.
  • A “[…] atendimentos no SUS […] – tempo.
  • B “[…] começo do ano [...]” – posse.
  • C “Projeto de psicólogo [...]” – modo.
  • D “[…] campanha chama atenção para saúde mental [...]” - deslocamento.
  • E “Refletir […] sobre seu bem-estar emocional” – assunto.
22

                                                   Texto I

                                                    Culpa

                                                                                                                 Mario Prata


      Por que a culpa? É o que eu tenho perguntado à minha psicanalista.

      No princípio era o verbo e eu achava que só eu me sentia culpado. Com o passar do tempo (e da verba), fui descobrindo que todo criador tem culpa. Não no cartório. Mas na consciência.

      Vou tentar explicar.

      Todo mundo acha que a pessoa que vive de criar, ou seja, um criador, não faz nada o dia inteiro. Fica só pensando. É verdade. O problema é que ninguém considera o trabalho de pensar como ofício. Daí a culpa ensimesmada. Será que só pode ser considerado trabalhador o sujeito que fica o dia inteiro numa mesa de escritório, ouvindo pela janela olha a uva de Atibaia, melancia barata, melancia barata?

      Você vê uma frase num out-door tipo refresca até pensamento. São três palavrinhas mágicas. O sujeito que inventou isso deve ganhar uma fortuna por mês. O que ninguém entende é que ele trabalha há vinte neste ofício. Pode ser que a frase tenha saído de um estalo. Mas um estalo vinte anos depois. Não precisa ser nenhuma brastemp para se ter uma ideia dessas. Ou precisa? Mas o povo pensa: ganhar essa fortuna para escrever uma bobagem dessas?

      Para aliviar meu sofrimento, penso no Romário que trabalha umas dez horas por mês e ganha 100 mil dólares. Será que ele tem culpa? O Chico Buarque, que fica meses sem trabalhar, jogando futebol, será que ele acorda com culpa? E o Erasmo Carlos? Tem uma culpa tremendona?

      Vou almoçar fora e quase emendo com o fim do dia. Bebendo cerveja. Mas pensando. Pensando nessas besteiras que vocês estão a ler agora. Juro que eu trabalho, gente. Penso, invento, crio. E esses funcionários fantasmas, que trabalham em várias repartições e nunca comparecem? Será que eles não têm culpa? Será que só eu me sinto culpado neste país?

      Uma vez perguntei para o Chico Buarque, que acabava de acordar às duas da tarde, se ele não tinha culpa. Já tive. Superei. E o Caetano Veloso que nunca acorda antes das quatro (da tarde)?

      Foram anos e anos de culpa para conseguir escrever esta crônica. Mas saiu. Mas não adiantou nada. Continuo com culpa. Acho que eu nunca deveria ter saído do Banco do Brasil. Não bater ponto desnorteia a minha vida.

Adaptado de:<https://marioprata.net/cronicas/culpa/> . Acesso em: 13 Jan. 2020. 

Em “Todo mundo acha que a pessoa que vive de criar, ou seja, um criador, não faz nada o dia inteiro.”, o “que”, em destaque, tem a função de
  • A retomar “a pessoa”.
  • B retomar “todo mundo”.
  • C introduzir uma oração que completa o sentido de “acha”.
  • D introduzir a oração “não faz nada o dia inteiro”.
  • E anunciar “um criador”.
23

                                                 TEXTO II

                                    Como se livrar da culpa


Vivemos numa sociedade que cobra perfeição na vida pessoal e profissional, e as pessoas se sentem cada vez mais exigidas.


Destrinchar as fontes de culpa tem sido um desafio dos especialistas em comportamento. Aprender a lidar com elas seria o próximo passo. Todo método que pretende ajudar a encarar as manifestações do sentimento parte de sua origem. De maneira geral, a semente está no desejo da perfeição – física, profissional, pessoal ou espiritual –, que, por ser inatingível, leva à frustração, mas no processo nos força a ultrapassar nossos limites. São muitos os exemplos que mostram quão distantes estamos de abandonar metas impossíveis. O aumento de casos da chamada síndrome burnout, uma espécie de esgotamento intelectual e físico, é um deles. Embora não haja estatísticas consolidadas sobre o tema, sabe-se que entre 1998 e 2008 o número de trabalhos acadêmicos sobre o assunto subiu de 231 para 390, segundo a TransInsight, entidade que cataloga documentos científicos. E nos consultórios também cresceu a procura por tratamento. “Não é só o diagnóstico que ficou mais fácil, o número de casos também vem aumentando”, explica Duílio Camargo, da Associação Nacional de Medicina do Trabalho (Anamt).

[…] As vítimas do burnout geralmente chegam ao médico submersas em responsabilidades e metas impossíveis. Insônia, dores de cabeça crônicas e distúrbios gastrointestinais são alguns dos sintomas. “Embora o diagnóstico surja à luz do esgotamento profissional, é muito comum identificar o stress generalizado em quem sofre do mal”, afirma Camargo. Faz sentido, visto que os sintomas afetam a vida como um todo. “O mundo moderno exige super-homens e supermulheres”, diz ele. E superespécimes humanos. […]


Disponível em:<https://istoe.com.br/69692_COMO+SE+LIVRAR+DA+ CULPA+ PARTE+1/>  . Acesso em: 15 Jan. 2020. 

Analise as assertivas e assinale a alternativa que aponta a(s) correta(s).


I. A tese de que a culpa decorre da busca pela perfeição exigida na sociedade contemporânea é comprovada por meio de dados numéricos e citações.

II. O exemplo mencionado no texto tem a função de narrar uma experiência particular sobre o tema abordado, tornando a reportagem mais convincente.

III. O discurso de pessoas e instituições da área médica foi utilizado como forma de dar credibilidade ao texto, em razão da tipologia argumentativa predominante do texto e da temática abordada.

  • A I, II e III.
  • B Apenas II e III.
  • C Apenas I e III.
  • D Apenas I.
  • E Apenas III.
24

                                                 TEXTO I

                 Janeiro branco: campanha chama atenção para

                            saúde mental dos brasileiros

Projeto de psicólogo pega carona no começo do ano para estimular pessoas a refletirem sobre seu bem-estar emocional

                                                                                                     Marilia Marasciulo


      O Brasil está no 11º lugar do ranking de países mais ansiosos do mundo: são 13,2 milhões de pessoas com algum transtorno de ansiedade por aqui. E nós já fomos os primeiros dessa lista. Dá para entender, portanto, porque o psicólogo mineiro Leonardo Abrahão decidiu criar, em 2014, a campanha Janeiro Branco. O objetivo é chamar atenção para a saúde mental e promover conhecimento e compreensão sobre temas como depressão, ansiedade e fobias.

      Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), uma a cada quatro pessoas vai sofrer com algum transtorno mental durante a vida. Só a depressão afeta mais de 300 milhões de pessoas em todo mundo e é a principal causa de incapacidade. Mesmo assim, ainda de acordo com a OMS, os investimentos dos países no tratamento não correspondem à alta demanda.

      Um dos principais focos da campanha — que conta com palestras, rodas de conversa, distribuição de folhetos informativos, entre outras ações em diferentes estados brasileiros — são os jovens. De acordo com os idealizadores, nos últimos três anos o número de atendimentos no SUS a jovens com depressão aumentou 118%.

      A escolha do mês de janeiro não é por acaso: o período de fim de ano e início de um novo pode causar ou aumentar a ansiedade pela frustração de não ter cumprido metas ou anseio por mudanças. Embora seja liderada por psicólogos e outros profissionais da área, a ideia é que, aos poucos, uma cultura da saúde mental seja fortalecida e disseminada na sociedade brasileira, com desmistificação de crenças populares sobre o assunto.

Disponível em:<https://revistagalileu.globo.com/Ciencia/Saude/noticia/2020/01/ janeiro-branco-campanha-chama-atencao-para-saude-mental-dosbrasileiros. html> . Acesso em: 13 jan. 2020.

A crase NÃO seria mantida ao se substituir o verbo em destaque no trecho “[…] os investimentos dos países no tratamento não correspondem à alta demanda.” por
  • A nivelam-se.
  • B suprem.
  • C equiparam-se.
  • D adequam-se.
  • E equivalem.
25

                                                   Texto I

                                                    Culpa

                                                                                                                 Mario Prata


      Por que a culpa? É o que eu tenho perguntado à minha psicanalista.

      No princípio era o verbo e eu achava que só eu me sentia culpado. Com o passar do tempo (e da verba), fui descobrindo que todo criador tem culpa. Não no cartório. Mas na consciência.

      Vou tentar explicar.

      Todo mundo acha que a pessoa que vive de criar, ou seja, um criador, não faz nada o dia inteiro. Fica só pensando. É verdade. O problema é que ninguém considera o trabalho de pensar como ofício. Daí a culpa ensimesmada. Será que só pode ser considerado trabalhador o sujeito que fica o dia inteiro numa mesa de escritório, ouvindo pela janela olha a uva de Atibaia, melancia barata, melancia barata?

      Você vê uma frase num out-door tipo refresca até pensamento. São três palavrinhas mágicas. O sujeito que inventou isso deve ganhar uma fortuna por mês. O que ninguém entende é que ele trabalha há vinte neste ofício. Pode ser que a frase tenha saído de um estalo. Mas um estalo vinte anos depois. Não precisa ser nenhuma brastemp para se ter uma ideia dessas. Ou precisa? Mas o povo pensa: ganhar essa fortuna para escrever uma bobagem dessas?

      Para aliviar meu sofrimento, penso no Romário que trabalha umas dez horas por mês e ganha 100 mil dólares. Será que ele tem culpa? O Chico Buarque, que fica meses sem trabalhar, jogando futebol, será que ele acorda com culpa? E o Erasmo Carlos? Tem uma culpa tremendona?

      Vou almoçar fora e quase emendo com o fim do dia. Bebendo cerveja. Mas pensando. Pensando nessas besteiras que vocês estão a ler agora. Juro que eu trabalho, gente. Penso, invento, crio. E esses funcionários fantasmas, que trabalham em várias repartições e nunca comparecem? Será que eles não têm culpa? Será que só eu me sinto culpado neste país?

      Uma vez perguntei para o Chico Buarque, que acabava de acordar às duas da tarde, se ele não tinha culpa. Já tive. Superei. E o Caetano Veloso que nunca acorda antes das quatro (da tarde)?

      Foram anos e anos de culpa para conseguir escrever esta crônica. Mas saiu. Mas não adiantou nada. Continuo com culpa. Acho que eu nunca deveria ter saído do Banco do Brasil. Não bater ponto desnorteia a minha vida.

Adaptado de:<https://marioprata.net/cronicas/culpa/> . Acesso em: 13 Jan. 2020. 

Assinale a alternativa em que a união das orações “Já tive. Superei.” é feita com o conectivo adequado, preservando-lhes a relação de sentido.
  • A Já tive, visto que superei.
  • B Já tive, portanto superei.
  • C Já tive, porém superei.
  • D Já tive, ora superei.
  • E Já tive, ademais superei.
26

                                                 TEXTO I

                 Janeiro branco: campanha chama atenção para

                            saúde mental dos brasileiros

Projeto de psicólogo pega carona no começo do ano para estimular pessoas a refletirem sobre seu bem-estar emocional

                                                                                                     Marilia Marasciulo


      O Brasil está no 11º lugar do ranking de países mais ansiosos do mundo: são 13,2 milhões de pessoas com algum transtorno de ansiedade por aqui. E nós já fomos os primeiros dessa lista. Dá para entender, portanto, porque o psicólogo mineiro Leonardo Abrahão decidiu criar, em 2014, a campanha Janeiro Branco. O objetivo é chamar atenção para a saúde mental e promover conhecimento e compreensão sobre temas como depressão, ansiedade e fobias.

      Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), uma a cada quatro pessoas vai sofrer com algum transtorno mental durante a vida. Só a depressão afeta mais de 300 milhões de pessoas em todo mundo e é a principal causa de incapacidade. Mesmo assim, ainda de acordo com a OMS, os investimentos dos países no tratamento não correspondem à alta demanda.

      Um dos principais focos da campanha — que conta com palestras, rodas de conversa, distribuição de folhetos informativos, entre outras ações em diferentes estados brasileiros — são os jovens. De acordo com os idealizadores, nos últimos três anos o número de atendimentos no SUS a jovens com depressão aumentou 118%.

      A escolha do mês de janeiro não é por acaso: o período de fim de ano e início de um novo pode causar ou aumentar a ansiedade pela frustração de não ter cumprido metas ou anseio por mudanças. Embora seja liderada por psicólogos e outros profissionais da área, a ideia é que, aos poucos, uma cultura da saúde mental seja fortalecida e disseminada na sociedade brasileira, com desmistificação de crenças populares sobre o assunto.

Disponível em:<https://revistagalileu.globo.com/Ciencia/Saude/noticia/2020/01/ janeiro-branco-campanha-chama-atencao-para-saude-mental-dosbrasileiros. html> . Acesso em: 13 jan. 2020.

No trecho “O Brasil está no 11º lugar do ranking de países mais ansiosos do mundo: são 13,2 milhões de pessoas com algum transtorno de ansiedade por aqui.”, o conectivo que, anteposto por vírgula, pode estabelecer relação entre as orações, substituindo os dois pontos, é
  • A conquanto.
  • B desde que.
  • C visto que.
  • D para que.
  • E dessa forma.
27

                                                   Texto I

                                                    Culpa

                                                                                                                 Mario Prata


      Por que a culpa? É o que eu tenho perguntado à minha psicanalista.

      No princípio era o verbo e eu achava que só eu me sentia culpado. Com o passar do tempo (e da verba), fui descobrindo que todo criador tem culpa. Não no cartório. Mas na consciência.

      Vou tentar explicar.

      Todo mundo acha que a pessoa que vive de criar, ou seja, um criador, não faz nada o dia inteiro. Fica só pensando. É verdade. O problema é que ninguém considera o trabalho de pensar como ofício. Daí a culpa ensimesmada. Será que só pode ser considerado trabalhador o sujeito que fica o dia inteiro numa mesa de escritório, ouvindo pela janela olha a uva de Atibaia, melancia barata, melancia barata?

      Você vê uma frase num out-door tipo refresca até pensamento. São três palavrinhas mágicas. O sujeito que inventou isso deve ganhar uma fortuna por mês. O que ninguém entende é que ele trabalha há vinte neste ofício. Pode ser que a frase tenha saído de um estalo. Mas um estalo vinte anos depois. Não precisa ser nenhuma brastemp para se ter uma ideia dessas. Ou precisa? Mas o povo pensa: ganhar essa fortuna para escrever uma bobagem dessas?

      Para aliviar meu sofrimento, penso no Romário que trabalha umas dez horas por mês e ganha 100 mil dólares. Será que ele tem culpa? O Chico Buarque, que fica meses sem trabalhar, jogando futebol, será que ele acorda com culpa? E o Erasmo Carlos? Tem uma culpa tremendona?

      Vou almoçar fora e quase emendo com o fim do dia. Bebendo cerveja. Mas pensando. Pensando nessas besteiras que vocês estão a ler agora. Juro que eu trabalho, gente. Penso, invento, crio. E esses funcionários fantasmas, que trabalham em várias repartições e nunca comparecem? Será que eles não têm culpa? Será que só eu me sinto culpado neste país?

      Uma vez perguntei para o Chico Buarque, que acabava de acordar às duas da tarde, se ele não tinha culpa. Já tive. Superei. E o Caetano Veloso que nunca acorda antes das quatro (da tarde)?

      Foram anos e anos de culpa para conseguir escrever esta crônica. Mas saiu. Mas não adiantou nada. Continuo com culpa. Acho que eu nunca deveria ter saído do Banco do Brasil. Não bater ponto desnorteia a minha vida.

Adaptado de:<https://marioprata.net/cronicas/culpa/> . Acesso em: 13 Jan. 2020. 

Em “Não precisa ser nenhuma brastemp para se ter uma ideia dessas.”, o “se” tem função de indicar
  • A possibilidade de ter uma boa ideia.
  • B reciprocidade entre quem é uma brastemp e quem tem uma ideia.
  • C apassivação de quem pratica a ação de ter a ideia.
  • D indeterminação do sujeito que realiza a ação de ter uma ideia.
  • E reflexão por parte do sujeito que realiza e sofre a ação de ter uma ideia.
28

                                              TEXTO II

                                        O Ano Passado

                                                                                Carlos Drummond de Andrade

O ano passado não passou,

continua incessantemente.

Em vão marco novos encontros.

Todos são encontros passados.


As ruas, sempre do ano passado,

e as pessoas, também as mesmas,

com iguais gestos e falas.

O céu tem exatamente

sabidos tons de amanhecer,

de sol pleno, de descambar

como no repetidíssimo ano passado.


Embora sepultos, os mortos do ano passado

sepultam-se todos os dias.

Escuto os medos, conto as libélulas,

mastigo o pão do ano passado.


E será sempre assim daqui por diante.

Não consigo evacuar

o ano passado.

Disponível em:<https://www.escritas.org/pt/t/10938/o-ano-passado> . Acesso em 14 jan. 2020.

Considerando as figuras de linguagem utilizadas nos versos apresentados, relacione as colunas e assinale a alternativa com a sequência correta.


A. Metáfora.

B. Paradoxo.

C. Sinestesia.


( ) “Escuto os medos [...]”.

( ) “O ano passado não passou”.

( ) “Não consigo evacuar / o ano passado.”

  • A A – B – C.
  • B B – C – A.
  • C C – B – A.
  • D B – A – C.
  • E A – C – B.
29

                                                   Texto I

                                                    Culpa

                                                                                                                 Mario Prata


      Por que a culpa? É o que eu tenho perguntado à minha psicanalista.

      No princípio era o verbo e eu achava que só eu me sentia culpado. Com o passar do tempo (e da verba), fui descobrindo que todo criador tem culpa. Não no cartório. Mas na consciência.

      Vou tentar explicar.

      Todo mundo acha que a pessoa que vive de criar, ou seja, um criador, não faz nada o dia inteiro. Fica só pensando. É verdade. O problema é que ninguém considera o trabalho de pensar como ofício. Daí a culpa ensimesmada. Será que só pode ser considerado trabalhador o sujeito que fica o dia inteiro numa mesa de escritório, ouvindo pela janela olha a uva de Atibaia, melancia barata, melancia barata?

      Você vê uma frase num out-door tipo refresca até pensamento. São três palavrinhas mágicas. O sujeito que inventou isso deve ganhar uma fortuna por mês. O que ninguém entende é que ele trabalha há vinte neste ofício. Pode ser que a frase tenha saído de um estalo. Mas um estalo vinte anos depois. Não precisa ser nenhuma brastemp para se ter uma ideia dessas. Ou precisa? Mas o povo pensa: ganhar essa fortuna para escrever uma bobagem dessas?

      Para aliviar meu sofrimento, penso no Romário que trabalha umas dez horas por mês e ganha 100 mil dólares. Será que ele tem culpa? O Chico Buarque, que fica meses sem trabalhar, jogando futebol, será que ele acorda com culpa? E o Erasmo Carlos? Tem uma culpa tremendona?

      Vou almoçar fora e quase emendo com o fim do dia. Bebendo cerveja. Mas pensando. Pensando nessas besteiras que vocês estão a ler agora. Juro que eu trabalho, gente. Penso, invento, crio. E esses funcionários fantasmas, que trabalham em várias repartições e nunca comparecem? Será que eles não têm culpa? Será que só eu me sinto culpado neste país?

      Uma vez perguntei para o Chico Buarque, que acabava de acordar às duas da tarde, se ele não tinha culpa. Já tive. Superei. E o Caetano Veloso que nunca acorda antes das quatro (da tarde)?

      Foram anos e anos de culpa para conseguir escrever esta crônica. Mas saiu. Mas não adiantou nada. Continuo com culpa. Acho que eu nunca deveria ter saído do Banco do Brasil. Não bater ponto desnorteia a minha vida.

Adaptado de:<https://marioprata.net/cronicas/culpa/> . Acesso em: 13 Jan. 2020. 

Assinale o trecho em que o jogo de palavras utilizado pelo cronista cria uma aparente contradição.
  • A “Foram anos e anos de culpa para conseguir escrever esta crônica.”
  • B “Todo mundo acha que a pessoa que vive de criar, ou seja, um criador, não faz nada o dia inteiro.”
  • C “Acho que eu nunca deveria ter saído do Banco do Brasil.”
  • D “Vou almoçar fora e quase emendo com o fim do dia.”
  • E “Uma vez perguntei para o Chico Buarque, que acabava de acordar às duas da tarde, se ele não tinha culpa.”
30

                                                 TEXTO I

                 Janeiro branco: campanha chama atenção para

                            saúde mental dos brasileiros

Projeto de psicólogo pega carona no começo do ano para estimular pessoas a refletirem sobre seu bem-estar emocional

                                                                                                     Marilia Marasciulo


      O Brasil está no 11º lugar do ranking de países mais ansiosos do mundo: são 13,2 milhões de pessoas com algum transtorno de ansiedade por aqui. E nós já fomos os primeiros dessa lista. Dá para entender, portanto, porque o psicólogo mineiro Leonardo Abrahão decidiu criar, em 2014, a campanha Janeiro Branco. O objetivo é chamar atenção para a saúde mental e promover conhecimento e compreensão sobre temas como depressão, ansiedade e fobias.

      Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), uma a cada quatro pessoas vai sofrer com algum transtorno mental durante a vida. Só a depressão afeta mais de 300 milhões de pessoas em todo mundo e é a principal causa de incapacidade. Mesmo assim, ainda de acordo com a OMS, os investimentos dos países no tratamento não correspondem à alta demanda.

      Um dos principais focos da campanha — que conta com palestras, rodas de conversa, distribuição de folhetos informativos, entre outras ações em diferentes estados brasileiros — são os jovens. De acordo com os idealizadores, nos últimos três anos o número de atendimentos no SUS a jovens com depressão aumentou 118%.

      A escolha do mês de janeiro não é por acaso: o período de fim de ano e início de um novo pode causar ou aumentar a ansiedade pela frustração de não ter cumprido metas ou anseio por mudanças. Embora seja liderada por psicólogos e outros profissionais da área, a ideia é que, aos poucos, uma cultura da saúde mental seja fortalecida e disseminada na sociedade brasileira, com desmistificação de crenças populares sobre o assunto.

Disponível em:<https://revistagalileu.globo.com/Ciencia/Saude/noticia/2020/01/ janeiro-branco-campanha-chama-atencao-para-saude-mental-dosbrasileiros. html> . Acesso em: 13 jan. 2020.

De acordo com o texto, assinale a alternativa correta.
  • A O Brasil já teve índices melhores quanto à ansiedade da população.
  • B O nome da campanha sugere que as comemorações de ano novo e as cores das vestimentas utilizadas nessa época são fatores que desencadeiam transtornos emocionais.
  • C Preconceitos criados em torno de doenças mentais são aspectos culturais e, por isso, não são alterados.
  • D Apesar do alto índice de pessoas com ansiedade no Brasil, esse número já foi reduzido.
  • E Pessoas incapacitadas para o trabalho acabam desenvolvendo transtornos emocionais.

Noções de Informática

31
O backup de arquivos é altamente recomendado para prevenir a perda de dados importantes. Dos recursos apresentados a seguir, qual NÃO serve para fazer backup de arquivos?
  • A Flash drive.
  • B Memória RAM.
  • C HD externo.
  • D Nuvem.
  • E Fita magnética.
32
Os periféricos de um computador podem ser classificados como sendo de entrada ou de saída. Qual das alternativas a seguir possui um exemplo de cada?
  • A Mouse e teclado.
  • B Monitor e impressora matricial.
  • C Microfone e caixa de som.
  • D Teclado e leitor de digitais.
  • E Touch pad e teclado.
33
Uma aplicação exportou dados de um banco de dados para um arquivo de extensão '.csv'. Esse arquivo contém algumas centenas de linhas e várias colunas. Será necessário ordenar os dados contidos no arquivo e manipular alguns valores. No seu computador, estão disponíveis as ferramentas do Microsoft Office e LibreOffice. Qual das seguintes alternativas de software é a recomendada para realizar a tarefa necessária?
  • A Bloco de notas.
  • B Impress.
  • C PowerPoint.
  • D Calc.
  • E Thunderbird.
34
Adware é um tipo de malware responsável
  • A pelo roubo de credenciais.
  • B pelo sequestro de clicks e propagandas.
  • C pelo sequestro de dados.
  • D pela varredura de redes.
35
Como são conhecidos os setores defeituosos em um HD?
  • A Trilhas.
  • B Root Sectors.
  • C Bump roads.
  • D Badblocks.
  • E Partições.
36

Considerando o aplicativo de escritório Microsoft Office Excel Versão 2013, instalação padrão em português, dada a tabela com os seguintes valores:



assinale a alternativa que apresenta o resultado da expressão a seguir:


=MÉDIA(C1:C2)-MÉDIA(A1:A2)+MÉDIA(B1:B2)

  • A 0
  • B 7
  • C 6
  • D 12
  • E 14
37

Considerando o aplicativo de escritório LibreOffice Writer Versão 6, instalação padrão em português, assinale a alternativa que apresenta a tecla de atalho utilizada para formatar um texto selecionado como Sublinhado Duplo.

(Obs.: o caractere “+” foi utilizado apenas para interpretação).

  • A Ctrl + D
  • B Ctrl + Shift + U
  • C Ctrl + B
  • D Ctrl + Alt + B
  • E Alt + Shift + seta para baixo
38
Assinale a alternativa que apresenta a mídia de armazenamento gravável que pode armazenar mais de 4Gb de dados.
  • A CD-RW
  • B BluRay
  • C DVD+R
  • D HDCD
  • E Bluetooth
39
Dado o Sistema operacional Microsoft Windows 7, instalação padrão em português, assinale a alternativa que descreve a função da ferramenta de Sistema “Limpeza de Disco”.
  • A Varre a unidade em busca de erros, defeitos ou arquivos corrompidos e, caso o usuário deseje, tenta corrigi-los automaticamente.
  • B Verifica o funcionamento da ventilação interna ao gabinete.
  • C Formata (apaga) um HD inteiro ou uma partição específica.
  • D Permite transferir arquivos do HD para outras unidades de armazenamento.
  • E Permite apagar, da lixeira, arquivos e programas temporários, que são pouco usados, para liberação do espaço no HD.
40
Considerando os malwares conhecidos como Cavalos de troia (Trojan), assinale a alternativa correta.
  • A Os Programas ou arquivos que contêm Cavalos de troia não precisam ser executados para realizar seu ataque.
  • B São programas que executam somente as funções para as quais foram aparentemente projetados.
  • C Existe apenas um tipo de Cavalo de troia com o objetivo de alterar/apagar arquivos e diretórios, formata o disco rígido e pode deixar o computador fora de operação.
  • D Existe apenas um tipo de Cavalo de troia com o objetivo de instalar outros códigos maliciosos obtidos de sites na Internet.
  • E São exemplos de trojans programas que você recebe ou obtém de sites na Internet e que parecem ser apenas cartões virtuais animados, álbuns de fotos, jogos e protetores de tela, entre outros.
Voltar para lista