Resolver o Simulado IBADE

0 / 55

Administração Geral

1

Uma das ferramentas para análise de cenários utilizada no desenvolvimento do planejamento estratégico e como referência na gestão, chama-se matriz SWOT. Na matriz SWOT o que representa Oportunidade para as organizações é(são):

  • A estratégias internas como ponto forte em relação aos concorrentes de mercado.
  • B deficiências internas à organização em comparação às concorrentes no mercado.
  • C possibilidades externas de crescimento e agregação de valores à organização.
  • D aplicação de preços abaixo do mercado.
  • E riscos externos, com possibilidade potencial de prejuízo à organização.
2

Um dos mais influentes behavioristas na teoria das organizações, Douglas McGregor, após estudos e pesquisas tabulou duas concepções opostas de administração diante das pressuposições acerca da natureza humana. A tradicional, denominada de Teoria X e a moderna que chamou de Teoria Y. São características da Teoria Y:

  • A as pessoas preferem ser dirigidas a dirigir e o trabalho pode ser uma fonte de satisfação ou sofrimento, dependendo de certas condições.
  • B as pessoas podem aprender a aceitar e assumir responsabilidades e as recompensas do trabalho estão em ligação direta com os compromissos assumidos. A satisfação do ego e da necessidade de autorrealização pode ser recompensa de esforços dirigidos no sentido dos objetivos da organização.
  • C a imaginação, a criatividade e a engenhosidade podem ser largamente encontradas na população e as pessoas médias têm pouca ambição.
  • D as pessoas preocupam-se com a própria segurança e a potencialidade intelectual do ser humano médio está longe de ser totalmente utilizada. Uma utilização muito maior pode ser conseguida.
  • E as pessoas não gostam do trabalho e o evitarão, sempre que isso esteja ao seu alcance e as pessoas podem aprender a aceitar e assumir responsabilidades.
3

Uma ferramenta da qualidade utilizada para mapeamento, controle e estabelecimento de ações corretivas foi criada por Ishikawa. Chamada de “diagrama de causa e efeito”, “diagrama espinha de peixe” ou “diagrama de Ishikawa”, foi dividida em 06 famílias de possíveis causas. São elas:

  • A matéria prima, manutenção, meio ambiente, medida, mão de obra e método.
  • B matéria prima, máquina, meio ambiente, melhoria contínua, mão de obra e método.
  • C matriz de desempenho, máquina, meio ambiente, melhoria contínua, mão de obra e método.
  • D matéria prima, máquina, meio ambiente, medida, mão de obra e método.
  • E mitigação, máquina, meio ambiente, melhoria contínua, mão de obra e método.
4

Uma ferramenta muito utilizada na gestão da qualidade é o FMEA que analisa os modos de falha e seus efeitos no resultado e qualidade do produto. Um de seus objetivos é apurar NPR (Número de Prioridade de Risco). O NPR é calculado através dos seguintes índices:

  • A NPR = Ocorrência x Probabilidade x Pontos Críticos
  • B NPR = Ocorrência x Severidade x Detecção
  • C NPR = Severidade x Probabilidade x Risco
  • D NPR = Causa x Detecção x Probabilidade
  • E NPR = Ocorrência x Efeito x Ações
5

A Fundação Nacional da Qualidade lançou em outubro de 2016 o Modelo de Excelência de Gestão. O gestor pode adaptar o modelo de acordo com a necessidade de sua organização. Este modelo possui oito fundamentos de excelência, EXCETO:

  • A pensamento sistêmico aprendizado organizacional e inovação.
  • B liderança transformadora compromisso com as partes interessadas.
  • C orientação por projetos pensamento holístico.
  • D adaptabilidade desenvolvimento sustentável.
  • E orientação por processos geração de valor.
6

Uma das funções do gestor caracteriza-se por definir o modelo de departamentalização que a organização seguirá. Agrupar atividades variadas em áreas específicas. Cada organização segue critérios específicos para a escolha do modelo que será adotado. São modelos de departamentalização, EXCETO:

  • A departamentalização por função ou funcional e departamentalização por produto ou serviço.
  • B departamentalização por ambiente e departamentalização amplitude.
  • C departamentalização por cliente departamentalização por processo.
  • D departamentalização por quantidade e departamentalização por local ou locacional, territorial ou por função geográfica.
  • E departamentalização por projetos e departamentalização matricial.
7

Maslow desenvolveu sua teoria para a motivação humana com base em conceito de hierarquia e que os seres humanos à medida que satisfazem suas necessidades básicas, buscam outras mais importantes.


Ele definiu que os seres humanos possuem necessidades primárias e secundárias. De acordo com o estudo de Maslow, as necessidades secundárias são:

  • A necessidades fisiológicas, necessidades sociais e necessidades de estima.
  • B necessidades de segurança, necessidades de autorrealização e necessidades fisiológicas.
  • C necessidade de estima, necessidades sociais e necessidades de segurança.
  • D necessidades de autorrealização, necessidades de estima e necessidades sociais.
  • E necessidades de autorrealização, necessidades de segurança e necessidades fisiológicas.
8

Este fluxograma é um exemplo de um projeto e que pode ser adaptado em qualquer outro projeto. A estrutura abaixo é utilizada na gestão de projetos como:


Fonte: Escritório de Projetos

  • A Fluxograma de Informações.
  • B Matriz de Responsabilidades.
  • C Estrutura Analítica de Recursos.
  • D Estrutura de Departamentalização.
  • E Matriz de Comunicação do Projeto..
9

O organograma é a representação gráfica da estrutura organizacional. A estrutura organizacional é:

  • A modelo de gestão.
  • B gráfico de controle.
  • C a forma de mostrar como as atividades são divididas, coordenadas e organizadas.
  • D fluxo de informação.
  • E a forma de mostrar o grau de autoridade.
10

Na administração as funções básicas estão divididas em 04(quatro) etapas e cada uma delas servirá de base para as decisões dos gestores. Administrar é chegar antes, poder muita das vezes antecipar-se aos problemas. São funções básicas na administração, EXCETO:

  • A planejamento
  • B contratação
  • C organização
  • D direção
  • E controle
11

O BSC (Balanced Scorecard) é conhecido como ferramenta gerencial importante para desenvolvimento de vários processos. A fase de construção (design) do Balanced Scorecard possui quatro componentes. São eles:

  • A capital social, balanço patrimonial, indicadores e metas.
  • B mapa estratégico, indicadores, investimento e fluxo de caixa.
  • C capital social, mapa estratégico, fluxo de caixa e indicadores.
  • D mapa estratégico, indicadores, metas e projetos.
  • E mapa estratégico, fluxo de caixa, metas e projetos.
12

No momento de definir as ações que serão necessárias para atingir as metas da organização o administrador precisa de robustez e clareza na montagem do(s):

  • A capital de giro.
  • B recursos humanos.
  • C fluxo de caixa.
  • D planejamento.
  • E preço
13

O ciclo PDCA é aplicado na melhoria de processos de gestão, ferramenta de apoio para implementação do planejamento estratégico da organização e para gestão da qualidade. É formado por 04 etapas.


Plan – Planejar

Do - Fazer

Check - Checar

Act - Agir

A etapa Fazer(DO) é caracterizada por:

  • A verificar atingimento de meta, acompanhar indicadores.
  • B mapeamento de problemas, estabelecer metas com planos de ação.
  • C ação corretiva no insucesso, padronizar e treinar no sucesso.
  • D mapeamento de problemas, execução do plano.
  • E execução do plano e colocar plano em prática.
14

O administrador no momento de planejar, define onde almeja que sua organização deseja chegar, as ações que serão essenciais para cumprimento dos objetivos. Existem 03(três) tipos de planejamento: estratégico, tático e operacional. No planejamento estratégico define-se:

  • A o ambiente interno da empresa, verifica as tendências do mercado para fazer seus investimentos e são definidos os objetivos e políticas da empresa.
  • B as tarefas diárias, com a elaboração de cronogramas para cada área, criando métodos específicos de cada atividade.
  • C a quantidade de capital humano disponível para o atingimento das metas.
  • D as condições para que o que foi definido pelo planejamento estratégico seja realizado. É um planejamento de médio prazo e atinge somente uma parte da organização (departamento).
  • E a gestão de suprimentos e qualidade e o ambiente interno da empresa.
15

Um líder deve ser claro e objetivo em suas comunicações, aprimorando constantemente sua forma de motivar e delegar. Com relação ao canal de comunicação, o líder deve utilizar:

  • A sempre a comunicação simbólica.
  • B somente utilizar o e-mail.
  • C um canal de comunicação único.
  • D diferentes canais de comunicação.
  • E comunicação verbal escrita.
16

Aplicar lógica aos elementos funcionais para reduzir o nível de desperdícios de tempo, energia, material, mão de obra e oportunidades. O estudo de tempo e movimento desenvolvido por Taylor demonstrou que o melhor caminho para a utilização eficaz dos recursos é:

  • A compra de materiais mais baratos.
  • B mais funcionários e menos máquinas
  • C radicalização do trabalho.
  • D ampliação do horário de trabalho.
  • E racionalização do trabalho.
17

CERTO, Samuel C.; PETER, J. Paul, definem que a Administração Estratégica pode ser entendida como um processo contínuo e interativo que visa manter uma organização como um conjunto apropriadamente integrado a seu ambiente. Dentre as formulações, o gestor deve desenhar a estratégia competitiva da organização que determina:

  • A as áreas de negócio da empresa, que devem conduzi-la a ingressar ou a sair de um setor, a fim de que tenha um leque de negócios equilibrados.
  • B determina as atividades, projetos e planos de ação necessários para a execução operacional das estratégias corporativa e competitiva definida.
  • C se integrar os objetivos, políticas e sequências de ação (táticas) num todo coerente da organização, visando a busca de vantagens competitivas para seu crescimento.
  • D quais movimentos de mercado a empresa deve realizar para posicionar-se favoravelmente diante de seus concorrentes, em um dado setor.
  • E concorrência direta com o produto dominante do mercado e para isso deve se ter os diferenciais.
18

Na gestão centralizada as ações e decisões são tomadas pela alta cúpula da organização. Como vantagens na centralização da gestão estão:

  • A decisões tomadas longe da área do problema.
  • B uniformidade nos procedimentos, decisões e responsabilização maior.
  • C demora na tomada de decisões e alta dependência da cúpula.
  • D facilidade no controle e avaliação e exercício da criatividade entre as unidades.
  • E boa comunicação vertical e ineficiência no uso dos recursos.
19

Definir a missão da organização é essencial e deve servir para delimitar o campo de atuação, além de indicar as possibilidades de expansões no mercado. O objetivo da Missão Organizacional deve ser:

  • A baseada na obtenção de lucro e ampliação de mercado.
  • B otimista e com metas para cada funcionário.
  • C realista e específico traduzindo uma mensagem clara onde todos tenham consciência que, de fato, é a razão de ser da organização.
  • D a organização não deve possuir Missão.
  • E elaborada de acordo com o produto que será comercializado.
20

A Teoria das Relações Humanas surgiu na década de 1930, no estado de Illinois, nos Estados Unidos. O papel principal do líder na criação e motivação dos colaboradores para manter as boas relações de trabalho e envolver a equipe nos desafios da organização. É papel do líder manter boas relações do trabalho, EXCETO:

  • A engajar a equipe.
  • B dividir a equipe sem critérios.
  • C delegar tarefas.
  • D colaborar na superação dos desafios.
  • E avaliação das relações humanas.

Administração Pública

21

A alternativa correta quanto aos três modelos de administração pública no Brasil é a seguinte:

  • A patrimonialista, burocrático e assistencial.
  • B patrimonialista, democrático e gerencial.
  • C patrimonialista, burocrático e gerencial.
  • D burocrático, gerencial e assistencial.
  • E gerencial, patrimonialista e assistencial.
22

O modelo de administração pública brasileiro que tem como base a utilização de ferramentas de gestão provenientes da administração privada e pensamentos neoliberais, que defende o estado mínimo e o preceito de que o mercado e economia possui regras próprias, é o:

  • A Patrimonialista.
  • B Burocrático.
  • C Democrático.
  • D Gerencial.
  • E Assistencial.
23

Segundo Max Weber, as organizações apresentam características que as distinguem dos grupos informais. A característica que significa que as organizações burocráticas são constituídas com bases em regulamentos ou leis que estabelecem os direitos e deveres dos participantes, se chama:

  • A formalidade.
  • B mecanismo.
  • C impessoalidade.
  • D profissionalismo.
  • E informalidade.
24

O princípio constitucional expresso da Administração Pública que mais se aproxima das questões éticas e de conduta íntegra do servidor público é o princípio da:

  • A eficácia.
  • B moralidade.
  • C publicidade.
  • D legalidade.
  • E proporcionalidade.
25

Dentre os modelos de Administração Pública no Brasil, aquele que tem como uma característica ser orientado para obtenção de resultados, é conhecido como administração:

  • A gerencial.
  • B patrimomalista.
  • C burocrática.
  • D republicana.
  • E democrática.
26

A Lei n° 12.527/2011 regula o acesso à informação previsto no inciso XXXIII do art. 5º, no inciso II do § 3° do art. 37 e no § 2° do art. 216 da Constituição Federal. Assinale a assertiva correta sobre o procedimento adotado pela respectiva lei para assegurar o direito fundamental de acesso à informação.

  • A A observância da publicidade como preceito de exceção e do sigilo como geral.
  • B O não desenvolvimento do controle social da administração pública.
  • C A divulgação de informações de interesse público, independentemente de solicitações.
  • D O fomento ao não desenvolvimento da cultura de transparência na administração pública.
  • E A não utilização de meios de comunicação viabilizados pela tecnologia da informação.
27

O conjunto de ações referentes à produção, recepção, classificação, utilização, acesso, reprodução, transporte, transmissão, distribuição, arquivamento, armazenamento, eliminação, avaliação, destinação ou controle da informação, nos termos da Lei de acesso à informação (Lei Federal n° 12.527/2011), é denominado:

  • A informação.
  • B disponibilidade.
  • C tratamento da informação.
  • D documento
  • E autenticidade
28

Quanto aos temas órgão público, Estado, Governo e Administração Pública, assinale a alternativa correta.

  • A O denominado "Estado em Rede" tem como uma de suas características marcantes a viabilização da participação do cidadão na atuação administrativa do Estado. Neste contexto, as audiências públicas e as consultas públicas podem ser apontadas como exemplos deste modelo.
  • B A noção de órgão público é aplicada apenas ao Poder Executivo, inexistindo órgãos públicos no Poder Judiciário e no Poder Legislativo.
  • C Fala-se em Administração Pública Introversa para frisar a relação existente entre Administração Pública e administrados.
  • D Governo é pessoa jurídica de direito público que possui aptidão para titularizar direitos e contrair obrigações.
  • E A Administração Pública Gerencial, também denominada de racional, tem como uma de suas características marcantes o acentuado controle sobre processos, tendo o concurso público, a licitação, a desapropriação e o processo administrativo disciplinar como alguns de seus institutos ícones.
29

O objetivo principal da Governança Corporativa consiste em garantir que os interesses dos gerentes e executivos de alto nível estejam alinhados com o dos acionistas. Analise as afirmativas a seguir, relativas à Governança Corporativa.

I. Os agentes da Governança Corporativa são o conselho de administração, o principal executivo e a diretoria, a auditoria interna da empresa e o conselho fiscal.

II. A missão do conselho de administração consiste em proteger o patrimônio e gerenciar os conflitos entre os proprietários e os colaboradores da empresa.

III. A boa governança deve promover a igualdade entre os sócios, com base no princípio de que uma ação equivale a um voto.

Está correto o que se afirma em:

  • A I e III. apenas.
  • B I, II e III
  • C III, apenas.
  • D I e II, apenas
  • E II e III, apenas
30
A instituição administrativa do Estado, que usa como método de combate à corrupção e ao nepotismo a adoção de princípios de um serviço público profissional e de um sistema administrativo, formal e racional, é denominado(a):
  • A burocracia.
  • B persecução jurisdicional.
  • C constitucionalismo.
  • D arcabouço jurídico.
  • E democracia.
31
O modelo de Administração Pública que é orientada para o cidadão e para a obtenção de resultados, pressupondo que os políticos e funcionários públicos são merecedores de graus limitados de confiança e servindo-se da estratégia de servir-se da descentralização e do incentivo à criatividade e à inovação. As informações referem-se ao conceito de:
  • A gestão contingente.
  • B administração pública gerencial
  • C gestão de auditoria.
  • D controladoria administrativa.
  • E parceria público privada.
32
Atualmente, em razão do fortalecimento da democracia e do aperfeiçoamento institucional do Estado, há uma tendência no fortalecimento do papel dos cidadãos enquanto controladores dos governos, ainda que de forma retrospectiva, de forma a obrigar os governantes a se responsabilizarem pelos resultados de suas ações, bem como estabelecendo canais para a prestação de contas das mesmas. Estes aspectos referem-se ao conceito de governança pública conhecido por:
  • A legitimidade governamental .
  • B integração sistêmica.
  • C accountability.
  • D legalidade instrumental.
  • E fairness.
33
O planejamento é um poderoso instrumento, mas não resolve todos os problemas e não é capaz de sanar todos os males da administração, estando sujeito a várias limitações de ordem prática. Há um tipo de planejamento que se constitui em verdadeiro processo político, um contínuo propósito coletivo, uma deliberada construção do futuro de uma comunidade, na qual participa o maior número possível de membros de todas as categorias que a constituem. Esses aspectos referem-se ao tipo de planejamento:
  • A coletivo.
  • B integrador.
  • C de cidadania estratégica.
  • D populista.
  • E participativo.
34

Nem sempre o poder é utilizado de forma adequada pelos administradores públicos. Quando o agente público atua, embora dentro da sua competência, de forma afastada do interesse público, evidencia-se a seguinte situação:

  • A ilegalidade de poder do tipo excesso de poder.
  • B ilegalidade de poder do tipo desvio de finalidade
  • C abuso de poder do tipo arbitrário.
  • D abuso de poder do tipo excesso de poder.
  • E abuso de poder do tipo desvio de poder.
35
A característica que definia o governo e a Administração Pública nas sociedades pré-capitalistas era a privatização do Estado. Esta característica caracteriza um modelo de Administração Pública denominado:
  • A liberalismo clássico.
  • B imperialista.
  • C burocrático.
  • D patrimonialismo.
  • E neoliberalismo.

Português

36
Empresa alfabetiza auxiliares de limpeza em vez de demiti-los por não saberem ler

Nátaly Bonato é community manager da WeWork Paulista, um espaço de trabalho compartilhado, na Avenida Paulista, em São Paulo. Para resolver problemas de limpeza da unidade, Nátaly imaginou que um relatório seria o suficiente.
O relatório deveria ser preenchido pelos funcionários da limpeza todos os dias dizendo se a sala do cronograma tinha sido limpa e, caso não, colocar um comentário explicando o porquê.
“O relatório demorou uma semana para chegar e, quando veio, o banheiro virou um caos. Não entendi nada, nos reunimos e a descoberta foi que 50% do time (terceirizado) era iletrado”, escreveu Nátaly no Facebook.
Em vez de trocar a equipe [o que infelizmente é uma prática bastante recorrente], Nátaly teve uma ideia muito melhor: procurar nas escolas que fazem parte da WeWork alguém que pudesse alfabetizar os auxiliares de limpeza. Foi assim que ela conheceu a pedagoga Dani Araujo, da MasterTech, que topou o desafio.
“As pessoas não são descartáveis. Eu não queria que alguém passasse pela minha vida sem ter o meu melhor, sem que eu pudesse tentar. Então, eu não queria que eles saíssem daqui um dia e continuassem tendo aquelas profissões porque eles não tinham escolha”, disse Nátaly em entrevista ao Razões para Acreditar.
As aulas aconteciam às terças e quintas-feiras, no horário de almoço, e duravam 1 hora e meia. “Foi ousado participar desse projeto. Não tinha experiência com letramento para adultos. Vibrei e chorei com cada conquista que fazíamos juntos, me sinto privilegiada pelo aprendizado que eles me proporcionaram”, afirmou a pedagoga, que continuou dando as aulas mesmo depois de se desligar da MasterTech.
Cinco meses depois, Irene, Neuraci e ‘Madruga’ já conseguiam escrever uma carta. Para celebrar essa conquista, Nátaly e seu time organizaram uma formatura surpresa. “Na hora que eu vi eles vindo de beca, eu comecei a desfalecer de chorar e não só eu! Todo mundo. A gente fez na área comum da WeWork”, lembra Nátaly. “Foi muito incrível mesmo. Acho que é a melhor experiência da minha vida”.
E eles tiveram inclusive “formatura” com direito à beca e tudo!
Por Redação. Disponível em:
https://razoesparaacreditar.com.08/01/2018. Acesso em 05/07/2019


No título do texto, as palavras EMPRESA e LIMPEZA foram corretamente grafadas. Assinale a opção em que a palavra destacada também está escrita de acordo com a ortografia oficial.

  • A Eles ENFATISARAM o problema.
  • B O resultado da PESQUIZA não agradou.
  • C Tudo foi feito com muita DELICADESA.
  • D A gerente ANALISOU o relatório.
  • E Eles conseguiram FINALISAR o projeto.
37
Empresa alfabetiza auxiliares de limpeza em vez de demiti-los por não saberem ler

Nátaly Bonato é community manager da WeWork Paulista, um espaço de trabalho compartilhado, na Avenida Paulista, em São Paulo. Para resolver problemas de limpeza da unidade, Nátaly imaginou que um relatório seria o suficiente.
O relatório deveria ser preenchido pelos funcionários da limpeza todos os dias dizendo se a sala do cronograma tinha sido limpa e, caso não, colocar um comentário explicando o porquê.
“O relatório demorou uma semana para chegar e, quando veio, o banheiro virou um caos. Não entendi nada, nos reunimos e a descoberta foi que 50% do time (terceirizado) era iletrado”, escreveu Nátaly no Facebook.
Em vez de trocar a equipe [o que infelizmente é uma prática bastante recorrente], Nátaly teve uma ideia muito melhor: procurar nas escolas que fazem parte da WeWork alguém que pudesse alfabetizar os auxiliares de limpeza. Foi assim que ela conheceu a pedagoga Dani Araujo, da MasterTech, que topou o desafio.
“As pessoas não são descartáveis. Eu não queria que alguém passasse pela minha vida sem ter o meu melhor, sem que eu pudesse tentar. Então, eu não queria que eles saíssem daqui um dia e continuassem tendo aquelas profissões porque eles não tinham escolha”, disse Nátaly em entrevista ao Razões para Acreditar.
As aulas aconteciam às terças e quintas-feiras, no horário de almoço, e duravam 1 hora e meia. “Foi ousado participar desse projeto. Não tinha experiência com letramento para adultos. Vibrei e chorei com cada conquista que fazíamos juntos, me sinto privilegiada pelo aprendizado que eles me proporcionaram”, afirmou a pedagoga, que continuou dando as aulas mesmo depois de se desligar da MasterTech.
Cinco meses depois, Irene, Neuraci e ‘Madruga’ já conseguiam escrever uma carta. Para celebrar essa conquista, Nátaly e seu time organizaram uma formatura surpresa. “Na hora que eu vi eles vindo de beca, eu comecei a desfalecer de chorar e não só eu! Todo mundo. A gente fez na área comum da WeWork”, lembra Nátaly. “Foi muito incrível mesmo. Acho que é a melhor experiência da minha vida”.
E eles tiveram inclusive “formatura” com direito à beca e tudo!
Por Redação. Disponível em:
https://razoesparaacreditar.com.08/01/2018. Acesso em 05/07/2019


Assinale a opção em que a o acento indicativo de crase foi corretamente empregado, como em COM DIREITO À BECA E TUDO.

  • A Eles vinham à pé para o trabalho.
  • B Vocês assistiram à que reunião?
  • C Todos estavam dispostos à colaborar.
  • D Entregamos o relatório diretamente à ela.
  • E Era importante obediência às orientações.
38
Empresa alfabetiza auxiliares de limpeza em vez de demiti-los por não saberem ler

Nátaly Bonato é community manager da WeWork Paulista, um espaço de trabalho compartilhado, na Avenida Paulista, em São Paulo. Para resolver problemas de limpeza da unidade, Nátaly imaginou que um relatório seria o suficiente.
O relatório deveria ser preenchido pelos funcionários da limpeza todos os dias dizendo se a sala do cronograma tinha sido limpa e, caso não, colocar um comentário explicando o porquê.
“O relatório demorou uma semana para chegar e, quando veio, o banheiro virou um caos. Não entendi nada, nos reunimos e a descoberta foi que 50% do time (terceirizado) era iletrado”, escreveu Nátaly no Facebook.
Em vez de trocar a equipe [o que infelizmente é uma prática bastante recorrente], Nátaly teve uma ideia muito melhor: procurar nas escolas que fazem parte da WeWork alguém que pudesse alfabetizar os auxiliares de limpeza. Foi assim que ela conheceu a pedagoga Dani Araujo, da MasterTech, que topou o desafio.
“As pessoas não são descartáveis. Eu não queria que alguém passasse pela minha vida sem ter o meu melhor, sem que eu pudesse tentar. Então, eu não queria que eles saíssem daqui um dia e continuassem tendo aquelas profissões porque eles não tinham escolha”, disse Nátaly em entrevista ao Razões para Acreditar.
As aulas aconteciam às terças e quintas-feiras, no horário de almoço, e duravam 1 hora e meia. “Foi ousado participar desse projeto. Não tinha experiência com letramento para adultos. Vibrei e chorei com cada conquista que fazíamos juntos, me sinto privilegiada pelo aprendizado que eles me proporcionaram”, afirmou a pedagoga, que continuou dando as aulas mesmo depois de se desligar da MasterTech.
Cinco meses depois, Irene, Neuraci e ‘Madruga’ já conseguiam escrever uma carta. Para celebrar essa conquista, Nátaly e seu time organizaram uma formatura surpresa. “Na hora que eu vi eles vindo de beca, eu comecei a desfalecer de chorar e não só eu! Todo mundo. A gente fez na área comum da WeWork”, lembra Nátaly. “Foi muito incrível mesmo. Acho que é a melhor experiência da minha vida”.
E eles tiveram inclusive “formatura” com direito à beca e tudo!
Por Redação. Disponível em:
https://razoesparaacreditar.com.08/01/2018. Acesso em 05/07/2019


No título do texto, o trecho POR NÃO SABEREM LER pode ser substituído, sem alteração de sentido, por:

  • A contanto que não saibam ler
  • B ao saberem ler
  • C embora não soubessem ler
  • D porque não sabiam ler
  • E ao mesmo tempo que não sabiam ler
39

Em uma das opções abaixo, o termo destacado foi corretamente substituído pelo pronome oblíquo. Assinale-a.

  • A Para resolver PROBLEMAS DE LIMPEZA DA UNIDADE/ Para resolvê-la
  • B continuassem tendo AQUELAS PROFISSÕES/ continuassem tendo-las
  • C organizaram UMA FORMATURA SURPRESA/ organizaram-na
  • D já conseguiam escrever UMA CARTA/já conseguiram escrever-lhe
  • E não tinham ESCOLHA/ não lhe tinham
40

O substantivo QUINTAS-FEIRAS foi corretamente flexionado no texto. Assinale a opção em que a palavra destacada também está correta no plural.

  • A Os guardas-noturnos não eram funcionários da empresa
  • B Os guardas-roupas dos funcionários ficavam no primeiro andar
  • C Os funcionários assinaram os abaixos-assinados
  • D Aquelas eram verdadeiras obras-prima
  • E Dois beijas-flores apareceram no jardim
41

Em uma das opções, a classe gramatical da palavra destacada foi corretamente identificada entre parênteses. Assinale-a

  • A funcionários da LIMPEZA todos os dias [adjetivo]
  • B o banheiro virou um CAOS. [substantivo]
  • C procurar nas escolas QUE fazem parte [conjunção]
  • D no horário do almoço E duravam 1 hora [preposição]
  • E é uma PRÁTICA bastante recorrente [verbo]
42

Assinale a opção em que o verbo destacado foi corretamente flexionado.

  • A Espero que eles DÊM mais atenção aos clientes
  • B Se eles MANTESSEM a palavra, os funcionários não seriam demitidos
  • C Se você VER o diretor por aí, me avise
  • D Ele PUNHA defeito em tudo
  • E Os funcionários VEM de uniforme ao trabalho
43
Empresa alfabetiza auxiliares de limpeza em vez de demiti-los por não saberem ler

Nátaly Bonato é community manager da WeWork Paulista, um espaço de trabalho compartilhado, na Avenida Paulista, em São Paulo. Para resolver problemas de limpeza da unidade, Nátaly imaginou que um relatório seria o suficiente.
O relatório deveria ser preenchido pelos funcionários da limpeza todos os dias dizendo se a sala do cronograma tinha sido limpa e, caso não, colocar um comentário explicando o porquê.
“O relatório demorou uma semana para chegar e, quando veio, o banheiro virou um caos. Não entendi nada, nos reunimos e a descoberta foi que 50% do time (terceirizado) era iletrado”, escreveu Nátaly no Facebook.
Em vez de trocar a equipe [o que infelizmente é uma prática bastante recorrente], Nátaly teve uma ideia muito melhor: procurar nas escolas que fazem parte da WeWork alguém que pudesse alfabetizar os auxiliares de limpeza. Foi assim que ela conheceu a pedagoga Dani Araujo, da MasterTech, que topou o desafio.
“As pessoas não são descartáveis. Eu não queria que alguém passasse pela minha vida sem ter o meu melhor, sem que eu pudesse tentar. Então, eu não queria que eles saíssem daqui um dia e continuassem tendo aquelas profissões porque eles não tinham escolha”, disse Nátaly em entrevista ao Razões para Acreditar.
As aulas aconteciam às terças e quintas-feiras, no horário de almoço, e duravam 1 hora e meia. “Foi ousado participar desse projeto. Não tinha experiência com letramento para adultos. Vibrei e chorei com cada conquista que fazíamos juntos, me sinto privilegiada pelo aprendizado que eles me proporcionaram”, afirmou a pedagoga, que continuou dando as aulas mesmo depois de se desligar da MasterTech.
Cinco meses depois, Irene, Neuraci e ‘Madruga’ já conseguiam escrever uma carta. Para celebrar essa conquista, Nátaly e seu time organizaram uma formatura surpresa. “Na hora que eu vi eles vindo de beca, eu comecei a desfalecer de chorar e não só eu! Todo mundo. A gente fez na área comum da WeWork”, lembra Nátaly. “Foi muito incrível mesmo. Acho que é a melhor experiência da minha vida”.
E eles tiveram inclusive “formatura” com direito à beca e tudo!
Por Redação. Disponível em:
https://razoesparaacreditar.com.08/01/2018. Acesso em 05/07/2019


Assinale a opção correta de acordo com o texto.

  • A O trabalho de limpeza dos banheiros não pôde ser concluído, porque a gerente não foi clara em suas orientações.
  • B De acordo com o texto, antes de demiti-los, as empresas costumam solucionar problemas inerentes à competência dos funcionários.
  • C A gerente se mostrou sensibilizada com o problema dos funcionários e procurou resolvê-lo em vez de desligálos da empresa.
  • D A gerente Nátaly Bonato se conformou com o fato de sua equipe ser iletrada e se reuniu com outros funcionários para retificar os itens do relatório a ser preenchido.
  • E Não era da competência de Nátaly Bonato gerenciar funcionários tercerizados que apresentavam problemas no cumprimento de suas tarefas.
44
Empresa alfabetiza auxiliares de limpeza em vez de demiti-los por não saberem ler

Nátaly Bonato é community manager da WeWork Paulista, um espaço de trabalho compartilhado, na Avenida Paulista, em São Paulo. Para resolver problemas de limpeza da unidade, Nátaly imaginou que um relatório seria o suficiente.
O relatório deveria ser preenchido pelos funcionários da limpeza todos os dias dizendo se a sala do cronograma tinha sido limpa e, caso não, colocar um comentário explicando o porquê.
“O relatório demorou uma semana para chegar e, quando veio, o banheiro virou um caos. Não entendi nada, nos reunimos e a descoberta foi que 50% do time (terceirizado) era iletrado”, escreveu Nátaly no Facebook.
Em vez de trocar a equipe [o que infelizmente é uma prática bastante recorrente], Nátaly teve uma ideia muito melhor: procurar nas escolas que fazem parte da WeWork alguém que pudesse alfabetizar os auxiliares de limpeza. Foi assim que ela conheceu a pedagoga Dani Araujo, da MasterTech, que topou o desafio.
“As pessoas não são descartáveis. Eu não queria que alguém passasse pela minha vida sem ter o meu melhor, sem que eu pudesse tentar. Então, eu não queria que eles saíssem daqui um dia e continuassem tendo aquelas profissões porque eles não tinham escolha”, disse Nátaly em entrevista ao Razões para Acreditar.
As aulas aconteciam às terças e quintas-feiras, no horário de almoço, e duravam 1 hora e meia. “Foi ousado participar desse projeto. Não tinha experiência com letramento para adultos. Vibrei e chorei com cada conquista que fazíamos juntos, me sinto privilegiada pelo aprendizado que eles me proporcionaram”, afirmou a pedagoga, que continuou dando as aulas mesmo depois de se desligar da MasterTech.
Cinco meses depois, Irene, Neuraci e ‘Madruga’ já conseguiam escrever uma carta. Para celebrar essa conquista, Nátaly e seu time organizaram uma formatura surpresa. “Na hora que eu vi eles vindo de beca, eu comecei a desfalecer de chorar e não só eu! Todo mundo. A gente fez na área comum da WeWork”, lembra Nátaly. “Foi muito incrível mesmo. Acho que é a melhor experiência da minha vida”.
E eles tiveram inclusive “formatura” com direito à beca e tudo!
Por Redação. Disponível em:
https://razoesparaacreditar.com.08/01/2018. Acesso em 05/07/2019


No contexto do primeiro parágrafo, o trecho destacado em: “PARA RESOLVER PROBLEMAS DE LIMPEZA DA UNIDADE, Nátaly imaginou que um relatório seria o suficiente.” expressa a seguinte ideia de:

  • A condição.
  • B objetivo.
  • C proporção.
  • D comparação.
  • E intensidade.
45
Empresa alfabetiza auxiliares de limpeza em vez de demiti-los por não saberem ler

Nátaly Bonato é community manager da WeWork Paulista, um espaço de trabalho compartilhado, na Avenida Paulista, em São Paulo. Para resolver problemas de limpeza da unidade, Nátaly imaginou que um relatório seria o suficiente.
O relatório deveria ser preenchido pelos funcionários da limpeza todos os dias dizendo se a sala do cronograma tinha sido limpa e, caso não, colocar um comentário explicando o porquê.
“O relatório demorou uma semana para chegar e, quando veio, o banheiro virou um caos. Não entendi nada, nos reunimos e a descoberta foi que 50% do time (terceirizado) era iletrado”, escreveu Nátaly no Facebook.
Em vez de trocar a equipe [o que infelizmente é uma prática bastante recorrente], Nátaly teve uma ideia muito melhor: procurar nas escolas que fazem parte da WeWork alguém que pudesse alfabetizar os auxiliares de limpeza. Foi assim que ela conheceu a pedagoga Dani Araujo, da MasterTech, que topou o desafio.
“As pessoas não são descartáveis. Eu não queria que alguém passasse pela minha vida sem ter o meu melhor, sem que eu pudesse tentar. Então, eu não queria que eles saíssem daqui um dia e continuassem tendo aquelas profissões porque eles não tinham escolha”, disse Nátaly em entrevista ao Razões para Acreditar.
As aulas aconteciam às terças e quintas-feiras, no horário de almoço, e duravam 1 hora e meia. “Foi ousado participar desse projeto. Não tinha experiência com letramento para adultos. Vibrei e chorei com cada conquista que fazíamos juntos, me sinto privilegiada pelo aprendizado que eles me proporcionaram”, afirmou a pedagoga, que continuou dando as aulas mesmo depois de se desligar da MasterTech.
Cinco meses depois, Irene, Neuraci e ‘Madruga’ já conseguiam escrever uma carta. Para celebrar essa conquista, Nátaly e seu time organizaram uma formatura surpresa. “Na hora que eu vi eles vindo de beca, eu comecei a desfalecer de chorar e não só eu! Todo mundo. A gente fez na área comum da WeWork”, lembra Nátaly. “Foi muito incrível mesmo. Acho que é a melhor experiência da minha vida”.
E eles tiveram inclusive “formatura” com direito à beca e tudo!
Por Redação. Disponível em:
https://razoesparaacreditar.com.08/01/2018. Acesso em 05/07/2019


A palavra destacada no trecho “colocar um comentário explicando o PORQUÊ” pode assumir grafias diferentes, dependendo do contexto. Assinale a única opção em que a palavra destacada foi corretamente grafada.

  • A Eu não sabia POR QUE eles haviam sido despedidos.
  • B PORQUE eles foram despedidos?
  • C Eles foram despedidos POR QUE?
  • D Foram despedidos, POR QUE eram iletrados.
  • E Continuaram no emprego, PORQUÊ estudaram.
46
Empresa alfabetiza auxiliares de limpeza em vez de demiti-los por não saberem ler

Nátaly Bonato é community manager da WeWork Paulista, um espaço de trabalho compartilhado, na Avenida Paulista, em São Paulo. Para resolver problemas de limpeza da unidade, Nátaly imaginou que um relatório seria o suficiente.
O relatório deveria ser preenchido pelos funcionários da limpeza todos os dias dizendo se a sala do cronograma tinha sido limpa e, caso não, colocar um comentário explicando o porquê.
“O relatório demorou uma semana para chegar e, quando veio, o banheiro virou um caos. Não entendi nada, nos reunimos e a descoberta foi que 50% do time (terceirizado) era iletrado”, escreveu Nátaly no Facebook.
Em vez de trocar a equipe [o que infelizmente é uma prática bastante recorrente], Nátaly teve uma ideia muito melhor: procurar nas escolas que fazem parte da WeWork alguém que pudesse alfabetizar os auxiliares de limpeza. Foi assim que ela conheceu a pedagoga Dani Araujo, da MasterTech, que topou o desafio.
“As pessoas não são descartáveis. Eu não queria que alguém passasse pela minha vida sem ter o meu melhor, sem que eu pudesse tentar. Então, eu não queria que eles saíssem daqui um dia e continuassem tendo aquelas profissões porque eles não tinham escolha”, disse Nátaly em entrevista ao Razões para Acreditar.
As aulas aconteciam às terças e quintas-feiras, no horário de almoço, e duravam 1 hora e meia. “Foi ousado participar desse projeto. Não tinha experiência com letramento para adultos. Vibrei e chorei com cada conquista que fazíamos juntos, me sinto privilegiada pelo aprendizado que eles me proporcionaram”, afirmou a pedagoga, que continuou dando as aulas mesmo depois de se desligar da MasterTech.
Cinco meses depois, Irene, Neuraci e ‘Madruga’ já conseguiam escrever uma carta. Para celebrar essa conquista, Nátaly e seu time organizaram uma formatura surpresa. “Na hora que eu vi eles vindo de beca, eu comecei a desfalecer de chorar e não só eu! Todo mundo. A gente fez na área comum da WeWork”, lembra Nátaly. “Foi muito incrível mesmo. Acho que é a melhor experiência da minha vida”.
E eles tiveram inclusive “formatura” com direito à beca e tudo!
Por Redação. Disponível em:
https://razoesparaacreditar.com.08/01/2018. Acesso em 05/07/2019


Se redigido na voz ativa, o verbo da frase O RELATÓRIO DEVERIA SER PREENCHIDO PELOS FUNCIONÁRIOS DA LIMPEZA deve assumir a seguinte forma:

  • A será preenchido.
  • B seria preenchido.
  • C deveria preencher.
  • D seriam preenchidos.
  • E deveriam preencher.
47
Empresa alfabetiza auxiliares de limpeza em vez de demiti-los por não saberem ler

Nátaly Bonato é community manager da WeWork Paulista, um espaço de trabalho compartilhado, na Avenida Paulista, em São Paulo. Para resolver problemas de limpeza da unidade, Nátaly imaginou que um relatório seria o suficiente.
O relatório deveria ser preenchido pelos funcionários da limpeza todos os dias dizendo se a sala do cronograma tinha sido limpa e, caso não, colocar um comentário explicando o porquê.
“O relatório demorou uma semana para chegar e, quando veio, o banheiro virou um caos. Não entendi nada, nos reunimos e a descoberta foi que 50% do time (terceirizado) era iletrado”, escreveu Nátaly no Facebook.
Em vez de trocar a equipe [o que infelizmente é uma prática bastante recorrente], Nátaly teve uma ideia muito melhor: procurar nas escolas que fazem parte da WeWork alguém que pudesse alfabetizar os auxiliares de limpeza. Foi assim que ela conheceu a pedagoga Dani Araujo, da MasterTech, que topou o desafio.
“As pessoas não são descartáveis. Eu não queria que alguém passasse pela minha vida sem ter o meu melhor, sem que eu pudesse tentar. Então, eu não queria que eles saíssem daqui um dia e continuassem tendo aquelas profissões porque eles não tinham escolha”, disse Nátaly em entrevista ao Razões para Acreditar.
As aulas aconteciam às terças e quintas-feiras, no horário de almoço, e duravam 1 hora e meia. “Foi ousado participar desse projeto. Não tinha experiência com letramento para adultos. Vibrei e chorei com cada conquista que fazíamos juntos, me sinto privilegiada pelo aprendizado que eles me proporcionaram”, afirmou a pedagoga, que continuou dando as aulas mesmo depois de se desligar da MasterTech.
Cinco meses depois, Irene, Neuraci e ‘Madruga’ já conseguiam escrever uma carta. Para celebrar essa conquista, Nátaly e seu time organizaram uma formatura surpresa. “Na hora que eu vi eles vindo de beca, eu comecei a desfalecer de chorar e não só eu! Todo mundo. A gente fez na área comum da WeWork”, lembra Nátaly. “Foi muito incrível mesmo. Acho que é a melhor experiência da minha vida”.
E eles tiveram inclusive “formatura” com direito à beca e tudo!
Por Redação. Disponível em:
https://razoesparaacreditar.com.08/01/2018. Acesso em 05/07/2019


No trecho: ”NÁTALY TEVE UMA IDEIA MUITO MELHOR: PROCURAR NAS ESCOLAS QUE FAZEM PARTE DA WEWORK ALGUÉM QUE PUDESSE ALFABETIZAR OS AUXILIARES DE LIMPEZA,” os dois pontos foram corretamente empregados para:

  • A anunciar um esclarecimento.
  • B separar o aposto.
  • C separar o vocativo.
  • D anunciar uma citação.
  • E Indicar suspensão do pensamento.
48
Empresa alfabetiza auxiliares de limpeza em vez de demiti-los por não saberem ler

Nátaly Bonato é community manager da WeWork Paulista, um espaço de trabalho compartilhado, na Avenida Paulista, em São Paulo. Para resolver problemas de limpeza da unidade, Nátaly imaginou que um relatório seria o suficiente.
O relatório deveria ser preenchido pelos funcionários da limpeza todos os dias dizendo se a sala do cronograma tinha sido limpa e, caso não, colocar um comentário explicando o porquê.
“O relatório demorou uma semana para chegar e, quando veio, o banheiro virou um caos. Não entendi nada, nos reunimos e a descoberta foi que 50% do time (terceirizado) era iletrado”, escreveu Nátaly no Facebook.
Em vez de trocar a equipe [o que infelizmente é uma prática bastante recorrente], Nátaly teve uma ideia muito melhor: procurar nas escolas que fazem parte da WeWork alguém que pudesse alfabetizar os auxiliares de limpeza. Foi assim que ela conheceu a pedagoga Dani Araujo, da MasterTech, que topou o desafio.
“As pessoas não são descartáveis. Eu não queria que alguém passasse pela minha vida sem ter o meu melhor, sem que eu pudesse tentar. Então, eu não queria que eles saíssem daqui um dia e continuassem tendo aquelas profissões porque eles não tinham escolha”, disse Nátaly em entrevista ao Razões para Acreditar.
As aulas aconteciam às terças e quintas-feiras, no horário de almoço, e duravam 1 hora e meia. “Foi ousado participar desse projeto. Não tinha experiência com letramento para adultos. Vibrei e chorei com cada conquista que fazíamos juntos, me sinto privilegiada pelo aprendizado que eles me proporcionaram”, afirmou a pedagoga, que continuou dando as aulas mesmo depois de se desligar da MasterTech.
Cinco meses depois, Irene, Neuraci e ‘Madruga’ já conseguiam escrever uma carta. Para celebrar essa conquista, Nátaly e seu time organizaram uma formatura surpresa. “Na hora que eu vi eles vindo de beca, eu comecei a desfalecer de chorar e não só eu! Todo mundo. A gente fez na área comum da WeWork”, lembra Nátaly. “Foi muito incrível mesmo. Acho que é a melhor experiência da minha vida”.
E eles tiveram inclusive “formatura” com direito à beca e tudo!
Por Redação. Disponível em:
https://razoesparaacreditar.com.08/01/2018. Acesso em 05/07/2019


No sexto parágrafo do texto, encontram-se as frases: “FOI OUSADO PARTICIPAR DESSE PROJETO.” e “NÃO TINHA EXPERIÊNCIA COM LETRAMENTO PARA ADULTOS.”. Assinale a alternativa que poderia ligar as duas frases em sequência lógica, sem alterar o sentido do trecho.

  • A no entanto
  • B a fim de que
  • C porque
  • D conforme
  • E contudo
49
Empresa alfabetiza auxiliares de limpeza em vez de demiti-los por não saberem ler

Nátaly Bonato é community manager da WeWork Paulista, um espaço de trabalho compartilhado, na Avenida Paulista, em São Paulo. Para resolver problemas de limpeza da unidade, Nátaly imaginou que um relatório seria o suficiente.
O relatório deveria ser preenchido pelos funcionários da limpeza todos os dias dizendo se a sala do cronograma tinha sido limpa e, caso não, colocar um comentário explicando o porquê.
“O relatório demorou uma semana para chegar e, quando veio, o banheiro virou um caos. Não entendi nada, nos reunimos e a descoberta foi que 50% do time (terceirizado) era iletrado”, escreveu Nátaly no Facebook.
Em vez de trocar a equipe [o que infelizmente é uma prática bastante recorrente], Nátaly teve uma ideia muito melhor: procurar nas escolas que fazem parte da WeWork alguém que pudesse alfabetizar os auxiliares de limpeza. Foi assim que ela conheceu a pedagoga Dani Araujo, da MasterTech, que topou o desafio.
“As pessoas não são descartáveis. Eu não queria que alguém passasse pela minha vida sem ter o meu melhor, sem que eu pudesse tentar. Então, eu não queria que eles saíssem daqui um dia e continuassem tendo aquelas profissões porque eles não tinham escolha”, disse Nátaly em entrevista ao Razões para Acreditar.
As aulas aconteciam às terças e quintas-feiras, no horário de almoço, e duravam 1 hora e meia. “Foi ousado participar desse projeto. Não tinha experiência com letramento para adultos. Vibrei e chorei com cada conquista que fazíamos juntos, me sinto privilegiada pelo aprendizado que eles me proporcionaram”, afirmou a pedagoga, que continuou dando as aulas mesmo depois de se desligar da MasterTech.
Cinco meses depois, Irene, Neuraci e ‘Madruga’ já conseguiam escrever uma carta. Para celebrar essa conquista, Nátaly e seu time organizaram uma formatura surpresa. “Na hora que eu vi eles vindo de beca, eu comecei a desfalecer de chorar e não só eu! Todo mundo. A gente fez na área comum da WeWork”, lembra Nátaly. “Foi muito incrível mesmo. Acho que é a melhor experiência da minha vida”.
E eles tiveram inclusive “formatura” com direito à beca e tudo!
Por Redação. Disponível em:
https://razoesparaacreditar.com.08/01/2018. Acesso em 05/07/2019


Assinale a opção em que a palavra destacada foi acentuada de acordo com a mesma regra de acentuação do verbo SAIR em: EU NÃO QUERIA QUE ELES SAÍSSEM.

  • A No ÍNTIMO, eles sabiam a verdade
  • B Aqueles funcionários eram INCANSÁVEIS
  • C Todos os trabalhos eram pedidos com URGÊNCIA.
  • D Cerca de um entre TRÊS brasileiros não é capaz de assinar o próprio nome
  • E Depois que se machucou, os pés ficaram DOÍDOS por um bom tempo
50
Empresa alfabetiza auxiliares de limpeza em vez de demiti-los por não saberem ler

Nátaly Bonato é community manager da WeWork Paulista, um espaço de trabalho compartilhado, na Avenida Paulista, em São Paulo. Para resolver problemas de limpeza da unidade, Nátaly imaginou que um relatório seria o suficiente.
O relatório deveria ser preenchido pelos funcionários da limpeza todos os dias dizendo se a sala do cronograma tinha sido limpa e, caso não, colocar um comentário explicando o porquê.
“O relatório demorou uma semana para chegar e, quando veio, o banheiro virou um caos. Não entendi nada, nos reunimos e a descoberta foi que 50% do time (terceirizado) era iletrado”, escreveu Nátaly no Facebook.
Em vez de trocar a equipe [o que infelizmente é uma prática bastante recorrente], Nátaly teve uma ideia muito melhor: procurar nas escolas que fazem parte da WeWork alguém que pudesse alfabetizar os auxiliares de limpeza. Foi assim que ela conheceu a pedagoga Dani Araujo, da MasterTech, que topou o desafio.
“As pessoas não são descartáveis. Eu não queria que alguém passasse pela minha vida sem ter o meu melhor, sem que eu pudesse tentar. Então, eu não queria que eles saíssem daqui um dia e continuassem tendo aquelas profissões porque eles não tinham escolha”, disse Nátaly em entrevista ao Razões para Acreditar.
As aulas aconteciam às terças e quintas-feiras, no horário de almoço, e duravam 1 hora e meia. “Foi ousado participar desse projeto. Não tinha experiência com letramento para adultos. Vibrei e chorei com cada conquista que fazíamos juntos, me sinto privilegiada pelo aprendizado que eles me proporcionaram”, afirmou a pedagoga, que continuou dando as aulas mesmo depois de se desligar da MasterTech.
Cinco meses depois, Irene, Neuraci e ‘Madruga’ já conseguiam escrever uma carta. Para celebrar essa conquista, Nátaly e seu time organizaram uma formatura surpresa. “Na hora que eu vi eles vindo de beca, eu comecei a desfalecer de chorar e não só eu! Todo mundo. A gente fez na área comum da WeWork”, lembra Nátaly. “Foi muito incrível mesmo. Acho que é a melhor experiência da minha vida”.
E eles tiveram inclusive “formatura” com direito à beca e tudo!
Por Redação. Disponível em:
https://razoesparaacreditar.com.08/01/2018. Acesso em 05/07/2019


A concordância está correta em AS AULAS(...)DURAVAM 1 HORA E MEIA, assim como em:

  • A Todos estavam bastantes confiantes no sucesso.
  • B Surgiu vários problemas durante o processo.
  • C Haviam alguns funcionários com problemas financeiros.
  • D Ela ficou meio decepcionada com a situação.
  • E É necessário a sua colaboração na limpeza.
51

                            Queremos a infância para nós


      O mundo anda bem atrapalhado: de um lado, temos crianças que se comportam, se vestem, falam e são tratadas como adultos. Do outro, adultos que se comportam, se vestem, falam e são tratados como crianças. Pelo jeito, infância e vida adulta têm hoje pouco a ver com idade cronológica.

      Não é preciso muito para observar sinais dessa troca: basta olhar as pessoas no espaço público. É corriqueiro vermos meninas vestidas com roupas de adultos, inclusive sensuais: blusas e saias curtas, calças apertadas, meia-calça e sapatos de salto. E pensar que elas precisam é de roupa folgada para deixar o corpo explodir em movimentos que devem ser experimentados... Mas sempre há um traço que trai a idade: um brinquedo pendurado, um exagero de enfeites, um excesso de maquiagem, etc.

      Se olharmos as adultas, vestidas com o mesmo tipo de roupa das meninas descritas acima, vemos também brinquedos, carregados como enfeites ou amuletos: nos chaveiros, nas bolsas, nos telefones celulares, nos carros. Isso sem falar nas mesas de trabalho, enfeitadas com ícones do mundo infantil.

      Criança pequena adora ter amigo imaginário, mas essa maravilhosa possibilidade tem sido destruída, pouco a pouco, pelo massacre da realidade do mundo adulto, que tem colaborado muito para desfazer a fantasia e o faz-de-conta. Mas os legítimos representantes desse mundo, por sua vez, não hesitam em ter o seu. Ultimamente, ele tem sido comum e ganhou o nome de deus. Não me refiro ao Deus das religiões e alvo da fé. A ideia de deus foi privatizada, e cada um tem o seu, à sua imagem e semelhança, mesmo sem professar religião nenhuma.

      O amigo imaginário dos adultos chamado de deus é aquele com quem eles conversam animadamente, a quem chamam nos momentos de estresse, a quem recorrem sempre que enfrentam dificuldades, precisam tomar uma decisão ou anseiam por algo e, principalmente, para contornar a solidão. Nada como ter um amigo invisível, já que ele não exige lealdade, dedicação nem cobra nada, não é?

      E o que dizer, então, das brincadeiras infantis que muitos adultos são obrigados a enfrentar quando fazem cursos, frequentam seminários ou assistem a aulas? É um tal de assoprar bexigas, abraçar quem está ao lado, acender fósforo para expressar uma ideia, carregar uma pedra para ter a palavra no grupo, escolher um bicho como imagem de identificação, usar canetas coloridas para fazer trabalhos, etc.

      Mas, se existe uma manifestação comum a crianças e adultos para expressar alegria, contentamento, comemoração e afins, ela tem sido o grito. Que as crianças gritem porque ainda não descobriram outras maneiras de expressar emoções, dá para entender. Aliás, é bom lembrar que os educadores não têm colaborado para que elas aprendam a desenvolver outros tipos de expressão. Mas os adultos gritarem desesperada e estridentemente para manifestar emoção é constrangedor. Com tamanha confusão, fica a impressão de que roubamos a infância das crianças porque a queremos para nós, não?

            SAYÃO, Rosely. “As melhores crônicas do Brasil”. In cronicasbrasil.blogspot.com. 

O nome substantivo “criança”, sublinhado no fragmento “Criança pequena adora ter amigo imaginário” (4º §), do ponto de vista do gênero gramatical classifica-se como:

  • A variável em gênero.
  • B comum de dois gêneros.
  • C sobrecomum.
  • D epiceno.
  • E masculino ou feminino.
52

TEXTO 2

- Leia o texto abaixo e responda à questão.


A FUGA


      Olho em volta: onde estão meus companheiros? Eram muitos, mas amigos de fato, três apenas. Onde estão “Espírito” e “Esmagado”? Penso na esquina de rua quieta, o cimento da calçada, sinto, agora, o seu contato na minha perna. A esquina estará vazia a esta hora, nesta tarde. Ou outros meninos talvez comecem ali, sem o saber, a jogar a sua vida.

      Foi uma escova de dentes que me fez, agora, pensar neles. Ah, os objetos: esta escova de dentes, que uso todos os dias, só agora se abre e me fala de mim.

      Vamos fugir? Essa ideia nos fascinava. Várias vezes ela se impôs a nós, misturada com perspectivas fascinantes. Mas nunca com a decisão daquela vez. A ideia acudiu aos três ao mesmo tempo, e era a solução para nossos problemas: tínhamos, cada um, uma bruta surra à nossa espera, em casa. Há três dias, entrávamos para dormir altas horas da noite e saíamos antes de os adultos acordarem. Mas não poderíamos nos manter assim por muito tempo.

      Tínhamos nossas economias. Trabalhávamos à nossa maneira, juntando restos de metal para vender num armazém da Praia Grande (fora alguns expedientes menos honestos). Planejamos tudo: pegaríamos o trem e viajaríamos escondidos até onde pudéssemos; se descobertos, esperaríamos outro, e assim chegaríamos a Caxias, depois a Teresina. E, em Teresina... Em Teresina, que faríamos? Nossas indagações não chegavam até lá.

      Precisávamos de alguns troços: sabonetes, pasta de dentes, escova de dentes. Era só. Não sei por que dávamos tanta importância a tais objetos numa hora de tão grave decisão. Fomos a alguns bazares da cidade e roubamos o necessário. 

      A fuga se daria pela madrugada. Voltaríamos à casa, pegaríamos nossas roupas e iríamos dormir na estação de trem. Tudo acertado, tomamos cada um o rumo de casa. Eram pouco mais de seis horas da tarde.

      Entrei escondido e, no quarto, comecei a embrulhar as roupas. A família jantava: ouvia o rumor de pratos, talheres e vozes. Pronto o embrulho, decidi-me a sair, mas, ao cruzar o corredor, vejo meu pai de cabeça baixa sobre o prato. Ouço a voz de minha irmã mais velha. Estremeci. Que saudade já sentia de todos, daquela mesa pobre, daquela lâmpada avermelhada e fosca. Um soluço rebentou-me da boca, e fui descoberto.

      Em breve, estava feliz, as pazes feitas. Distribuí meus pertences de viagem entre irmãos: a este o sabonete, àquele a pasta, àquela outra a escova de dentes azul. Azul como esta, que uso hoje.

GULLAR, Ferreira. Ferreira Gullar: crônicas para jovens. Seleção, prefácio e notas biobibliográficas Antonieta Cunha. 1ª ed. São Paulo: global, 2011, p. 95-96. 

No período: “ três dias, entrávamos para dormir altas horas da noite e saíamos antes de os adultos acordarem” (3º §), o verbo sublinhado é impessoal, devendo ser empregado na 3ª pessoa do singular. Dos itens abaixo, aquele em que a oração do verbo sublinhado é pessoal, devendo concordar com o sujeito, é:

  • A Fez ontem três anos que os meninos fugiram.
  • B Devia existir meios que impedissem a fuga de crianças.
  • C Sempre houve problemas entre pais e filhos.
  • D Deve sempre haver soluções para os conflitos de família.
  • E Não haverá problemas daqui para a frente.
53

                            Queremos a infância para nós


      O mundo anda bem atrapalhado: de um lado, temos crianças que se comportam, se vestem, falam e são tratadas como adultos. Do outro, adultos que se comportam, se vestem, falam e são tratados como crianças. Pelo jeito, infância e vida adulta têm hoje pouco a ver com idade cronológica.

      Não é preciso muito para observar sinais dessa troca: basta olhar as pessoas no espaço público. É corriqueiro vermos meninas vestidas com roupas de adultos, inclusive sensuais: blusas e saias curtas, calças apertadas, meia-calça e sapatos de salto. E pensar que elas precisam é de roupa folgada para deixar o corpo explodir em movimentos que devem ser experimentados... Mas sempre há um traço que trai a idade: um brinquedo pendurado, um exagero de enfeites, um excesso de maquiagem, etc.

      Se olharmos as adultas, vestidas com o mesmo tipo de roupa das meninas descritas acima, vemos também brinquedos, carregados como enfeites ou amuletos: nos chaveiros, nas bolsas, nos telefones celulares, nos carros. Isso sem falar nas mesas de trabalho, enfeitadas com ícones do mundo infantil.

      Criança pequena adora ter amigo imaginário, mas essa maravilhosa possibilidade tem sido destruída, pouco a pouco, pelo massacre da realidade do mundo adulto, que tem colaborado muito para desfazer a fantasia e o faz-de-conta. Mas os legítimos representantes desse mundo, por sua vez, não hesitam em ter o seu. Ultimamente, ele tem sido comum e ganhou o nome de deus. Não me refiro ao Deus das religiões e alvo da fé. A ideia de deus foi privatizada, e cada um tem o seu, à sua imagem e semelhança, mesmo sem professar religião nenhuma.

      O amigo imaginário dos adultos chamado de deus é aquele com quem eles conversam animadamente, a quem chamam nos momentos de estresse, a quem recorrem sempre que enfrentam dificuldades, precisam tomar uma decisão ou anseiam por algo e, principalmente, para contornar a solidão. Nada como ter um amigo invisível, já que ele não exige lealdade, dedicação nem cobra nada, não é?

      E o que dizer, então, das brincadeiras infantis que muitos adultos são obrigados a enfrentar quando fazem cursos, frequentam seminários ou assistem a aulas? É um tal de assoprar bexigas, abraçar quem está ao lado, acender fósforo para expressar uma ideia, carregar uma pedra para ter a palavra no grupo, escolher um bicho como imagem de identificação, usar canetas coloridas para fazer trabalhos, etc.

      Mas, se existe uma manifestação comum a crianças e adultos para expressar alegria, contentamento, comemoração e afins, ela tem sido o grito. Que as crianças gritem porque ainda não descobriram outras maneiras de expressar emoções, dá para entender. Aliás, é bom lembrar que os educadores não têm colaborado para que elas aprendam a desenvolver outros tipos de expressão. Mas os adultos gritarem desesperada e estridentemente para manifestar emoção é constrangedor. Com tamanha confusão, fica a impressão de que roubamos a infância das crianças porque a queremos para nós, não?

            SAYÃO, Rosely. “As melhores crônicas do Brasil”. In cronicasbrasil.blogspot.com. 

Das alterações feitas no fragmento “O amigo imaginário dos adultos chamado de deus é aquele com quem eles conversam animadamente” (5º §), está em desacordo com as normas de regência do emprego do pronome relativo a seguinte:

  • A O amigo imaginário dos adultos chamado de deus é aquele o qual existe uma fé inabalável.
  • B O amigo imaginário dos adultos chamado de deus é aquele em quem se pode perfeitamente confiar.
  • C O amigo imaginário dos adultos chamado de deus é aquele do qual não se pode duvidar.
  • D O amigo imaginário dos adultos chamado de deus é aquele cujo nome é sagrado.
  • E O amigo imaginário dos adultos chamado de deus é aquele sobre cuja existência não se discute.
54

                              Passagem pela adolescência


      "Filho criado, trabalho redobrado." Esse conhecido ditado popular ganha sentido quando chega a adolescência. Nessa fase, o filho já não precisa dos cuidados que os pais dedicam à criança, tão dependente. Mas, por outro lado, o que ele ganha de liberdade para viver a própria vida resulta em diversas e sérias preocupações aos pais. Temos a tendência a considerar a adolescência mais problemática para os pais do que para os filhos. É que, como eles já gozam de liberdade para sair, festejar e comemorar sempre que possível com colegas e amigos de mesma idade e estão sempre prontos a isso, parece que a vida deles é uma eterna festa. Mas vamos com calma porque não é bem assim.

      Se a vida com os filhos adolescentes, que alguns teimam em considerar um fato aborrecedor, é complexa e delicada, a vida deles também o é. Na verdade, o fenômeno da adolescência, principalmente no mundo contemporâneo, é bem mais complicado de ser vivido pelos próprios jovens do que por seus pais. Vejamos dois motivos importantes.

      Em primeiro lugar, deixar de ser criança é se defrontar com inúmeros problemas da vida que, antes, pareciam não existir: eles permaneciam camuflados ou ignorados porque eram da responsabilidade só dos pais. Hoje, esse quadro é mais agudo ainda, já que muitos pais escolheram tutelar integralmente a vida dos filhos por muito mais tempo.

      Quando o filho, ainda na infância, enfrenta dissabores na convivência com colegas ou pena para construir relações na escola, quando se afasta das dificuldades que surgem na vida escolar - sua primeira e exclusiva responsabilidade -, quando se envolve em conflitos, comete erros, não dá conta do recado etc., os pais logo se colocam em cena. Dessa forma, poupam o filho de enfrentar seus problemas no presente, é claro, mas também passam a ideia de que eles não existem por muito mais tempo.

      É bom lembrar que a escola - no ciclo fundamental - deveria ser a primeira grande batalha da vida que o filho teria de enfrentar sozinho, apenas com seus recursos, como experiência de aprender a se conhecer, a viver em comunidade e a usar seu potencial com disciplina para dar conta de dar os passos com suas próprias pernas.

      Em segundo lugar, o contexto sociocultural globalizado atual, com ideais como consumo, felicidade e juventude eterna, por exemplo, compromete de largada o processo de amadurecimento típico da adolescência, que exige certa dose de solidão para a estruturação de tantas vivências e, principalmente, interlocução. E com quem os adolescentes contam para conversar?

      Eles precisam, nessa época de passagem para a vida adulta, de pessoas dispostas a assumir o lugar da maturidade e da experiência com olhar crítico sobre as questões existenciais e da vida em sociedade para estabelecer com eles um diálogo interrogador. Várias pesquisas já mostraram que os jovens dão grande valor aos pais e aos professores em suas vidas. Entretanto, parece que estamos muito mais comprometidos com a juventude do que eles mesmos.

      Quem leva a sério questões importantes para eles em temas como política, sexualidade, drogas, ética, depressão e suicídio, vida em família, vida escolar, violência, relações amorosas e fidelidade, racismo, trabalho etc.? Quando digo levar a sério me refiro a considerar o que eles dizem e dialogar com propriedade, e não com moralismo ou com excesso de jovialidade. E, desse mal, padecem muitos pais e professores que com eles convivem.

      Os adolescentes não conseguem desfrutar da solidão necessária nessa época da vida, mas parece que se encontram sozinhos na aventura de aprender a se tornarem adultos. Bem que merecem nossa companhia, não?

SAYÃO, Rosely. “As melhores crônicas do Brasil”. In cronicasbrasil.blogspot.com/ search/label/Adolescência. 

Os vocábulos sublinhados no trecho “e não com moralismo ou com excesso de jovialidade” (8º §) são derivados sufixais, formados, respectivamente, pelos sufixos “-ismo” e “-idade”. Os dois sufixos são formadores de nomes substantivos e significam, respectivamente:

  • A instrumento e qualidade.
  • B ideologia e estado.
  • C resultado de ação e noção coletiva.
  • D religião e semelhança.
  • E lugar e naturalidade.
55

TEXTO 2

- Leia o texto abaixo e responda à questão.


A FUGA


      Olho em volta: onde estão meus companheiros? Eram muitos, mas amigos de fato, três apenas. Onde estão “Espírito” e “Esmagado”? Penso na esquina de rua quieta, o cimento da calçada, sinto, agora, o seu contato na minha perna. A esquina estará vazia a esta hora, nesta tarde. Ou outros meninos talvez comecem ali, sem o saber, a jogar a sua vida.

      Foi uma escova de dentes que me fez, agora, pensar neles. Ah, os objetos: esta escova de dentes, que uso todos os dias, só agora se abre e me fala de mim.

      Vamos fugir? Essa ideia nos fascinava. Várias vezes ela se impôs a nós, misturada com perspectivas fascinantes. Mas nunca com a decisão daquela vez. A ideia acudiu aos três ao mesmo tempo, e era a solução para nossos problemas: tínhamos, cada um, uma bruta surra à nossa espera, em casa. Há três dias, entrávamos para dormir altas horas da noite e saíamos antes de os adultos acordarem. Mas não poderíamos nos manter assim por muito tempo.

      Tínhamos nossas economias. Trabalhávamos à nossa maneira, juntando restos de metal para vender num armazém da Praia Grande (fora alguns expedientes menos honestos). Planejamos tudo: pegaríamos o trem e viajaríamos escondidos até onde pudéssemos; se descobertos, esperaríamos outro, e assim chegaríamos a Caxias, depois a Teresina. E, em Teresina... Em Teresina, que faríamos? Nossas indagações não chegavam até lá.

      Precisávamos de alguns troços: sabonetes, pasta de dentes, escova de dentes. Era só. Não sei por que dávamos tanta importância a tais objetos numa hora de tão grave decisão. Fomos a alguns bazares da cidade e roubamos o necessário. 

      A fuga se daria pela madrugada. Voltaríamos à casa, pegaríamos nossas roupas e iríamos dormir na estação de trem. Tudo acertado, tomamos cada um o rumo de casa. Eram pouco mais de seis horas da tarde.

      Entrei escondido e, no quarto, comecei a embrulhar as roupas. A família jantava: ouvia o rumor de pratos, talheres e vozes. Pronto o embrulho, decidi-me a sair, mas, ao cruzar o corredor, vejo meu pai de cabeça baixa sobre o prato. Ouço a voz de minha irmã mais velha. Estremeci. Que saudade já sentia de todos, daquela mesa pobre, daquela lâmpada avermelhada e fosca. Um soluço rebentou-me da boca, e fui descoberto.

      Em breve, estava feliz, as pazes feitas. Distribuí meus pertences de viagem entre irmãos: a este o sabonete, àquele a pasta, àquela outra a escova de dentes azul. Azul como esta, que uso hoje.

GULLAR, Ferreira. Ferreira Gullar: crônicas para jovens. Seleção, prefácio e notas biobibliográficas Antonieta Cunha. 1ª ed. São Paulo: global, 2011, p. 95-96. 

Assinale a opção em que os recursos de coesão marcados retomam referentes que estão fora do texto, ou seja, em coesão exofórica:

  • A Foi uma escova de dentes que me fez, agora, pensar neles” (2º §).
  • B “Várias vezes ela se impôs a nós” (3º §)
  • C “Nossas indagações não chegavam até ” (4º §).
  • D “Precisávamos de alguns troços” (5º §).
  • E “Azul como esta, que uso hoje” (8º §).
Voltar para lista