Resolver o Simulado Assistente em Administração - UFRN - FCC - Nível Médio

0 / 66

Administração Geral

1

No que concerne aos níveis fundamentais da cultura organizacional, ordinariamente apontados pela doutrina, tem-se que os valores representam

  • A os aspectos mais visíveis da cultura, sendo também denominados artefatos observáveis.
  • B a camada intermediária da cultura, nem sempre sendo possível visualizá-los com facilidade.
  • C os pressupostos básicos da cultura, situados em seu nível mais profundo.
  • D os aspectos exógenos da cultura, apenas vislumbrados por agentes externos.
  • E a forma de consolidação da cultura, também denominados ritos de confirmação.
2

Uma das teorias difundidas que busca explicar o fenômeno da motivação no ambiente organizacional é a Teoria da Hierarquia das Necessidades Humanas, apresentada por Maslow, segundo a qual

  • A o indivíduo médio não possui motivação para o trabalho, razão pela qual necessita ser compelido à realização de tarefas a partir de uma sequência de incentivos e desincentivos, na forma de reforço positivo e negativo.
  • B cada indivíduo possui uma escala própria de necessidades a serem supridas, alguns deles priorizando aspectos de valorização e estima em detrimento de necessidades básicas, de forma que descabe uma hierarquização padronizada das necessidades humanas.
  • C a motivação é um fenômeno complexo, que envolve a combinação de diferentes variáveis, algumas objetivas e outras subjetivas, as quais podem ser agrupadas na forma de uma pirâmide em cujo topo estão as necessidades de subsistência.
  • D determinadas necessidades básicas, como as fisiológicas e de segurança, precedem outras como as sociais e de autorrealização, de forma que o indivíduo somente se sentirá estimulado a buscar estas últimas se as primeiras já estiverem satisfeitas.
  • E a forma mais eficiente de motivar os indivíduos para a realização de tarefas e persecução dos objetivos da organização é mediante o estabelecimento de uma pirâmide organizacional, individualizando as condutas e sua relação com as metas estabelecidas.
3

Os estilos clássicos de liderança desenvolvidos a partir dos estudos de Kurt Lewin nos anos de 1930, que passaram a ser conhecidos como os Três de White e Lippitt, são:

  • A carismático, legitimado e impositivo.
  • B consultivo, participativo e diretivo.
  • C autocrático, democrático e liberal.
  • D burocrático, gerencial e consensual.
  • E autocrático, burocrático e gerencial.
4

O Balanced Scorecard (BSC) é uma metodologia comumente utilizada pelas organizações para a implementação de seu planejamento estratégico e possui, como uma de suas principais características,

  • A a prevalência da perspectiva financeira, que se sobrepõe às demais.
  • B o equilíbrio entre diferentes perspectivas, incluindo a dos clientes.
  • C a desconsideração de aspectos financeiros, com prevalência da perspectiva do aprendizado.
  • D a fixação de indicadores apenas para a perspectiva dos processos internos.
  • E a adoção de metas atreladas à perspectiva do crescimento, que engloba as demais.
5

Uma das etapas envolvidas no desenvolvimento e implementação do planejamento estratégico das organizações é a identificação da sua razão de ser, expressando com clareza porque ela existe e o que faz, o que corresponde

  • A aos indicadores utilizados para medir o desempenho da organização.
  • B ao cenário referencial, que orienta o futuro da organização.
  • C ao benchmarking ou entidade modelo considerada na construção das metas.
  • D ao paradigma de qualidade a ser considerado na avaliação dos seus integrantes.
  • E à sua missão, que reflete a essência da organização.
6

A respeito do clima organizacional, tem-se que

  • A denota o grau de satisfação dos indivíduos em relação ao ambiente organizacional e exerce influência na motivação dos integrantes da organização.
  • B não é passível de aferição mediante pesquisas, dado seu caráter prescritivo e precário.
  • C é um fenômeno estritamente individual, de natureza psicológica e restrito ao foro íntimo de cada integrante da organização.
  • D é determinado por fatores exógenos à organização, não sendo influenciado por fatores internos.
  • E constitui um fenômeno transitório, que não exerce influência sobre a produtividade dos integrantes da organização.
7

O fenômeno da cultura organizacional comporta aspectos

  • A de diferentes naturezas, porém todos extremamente fechados e de difícil percepção e identificação por aqueles que não integram a organização.
  • B tanto formais e abertos, denominados por alguns estudiosos como artefatos observáveis, quanto fechados, estes denominados pressupostos básicos.
  • C de fácil assimilação pelos integrantes da organização e passíveis de rápida modificação a partir de influências externas.
  • D que não comportam alteração, salvo a partir dos denominados ritos de degradação que surgem a partir da desconstrução dos valores predicados pela organização.
  • E extrínsecos à organização, como fatores ambientais e sociais, que, quando isolados, redundam no fenômeno da contracultura.
8

Considere que tenha sido contratada uma consultoria especializada em recursos humanos para aprimoramento da liderança dos gestores da Agência de Fomento do Amapá. Referida consultoria utilizou, como embasamento teórico, a Teoria caminho-meta ou caminho-objetivo, desenvolvida por Robert House com base nos estudos da Universidade de Ohio, o que significa, entre outros aspectos,

  • A considerar fatores contingenciais ambientais e fatores contingenciais dos subordinados para apontar o estilo de liderança mais adequado à situação identificada.
  • B escolher o líder diretivo como o mais eficaz em quaisquer situações, salvo quando as tarefas são ambíguas e estressantes, quando cabe então adotar a liderança participativa.
  • C optar pela liderança apoiadora, em contraposição à liderança diretiva, esta que foi o modelo clássico adotado pela anterior estrutura de iniciação preconizada pela escola de Michigan.
  • D optar pelo fortalecimento da eficácia gerencial, somente obtida a partir da liderança autocrática, fundada nas habilidades do líder e desvinculada de fatores ambientais ou contingenciais.
  • E apostar em uma liderança carismática, fundada no reconhecimento da superioridade do líder por seus subordinados.
9

Considere que duas áreas da Agência de Fomento do Amapá (AFAP) estejam disputando uma fatia maior do orçamento da entidade, cada qual sustentando que os projetos por elas desenvolvidos seriam mais relevantes. O gestor responsável pelo gerenciamento do conflito que se instalou nesse cenário adotou uma negociação distributiva, o que nos permite concluir que

  • A será adotada uma solução ganha-ganha, com distribuição equilibrada dos recursos disponíveis.
  • B haverá um lado vencedor e um lado perdedor, em face da impossibilidade de expansão dos recursos disputados.
  • C haverá, necessariamente, o envolvimento de um mediador para a solução do conflito em face do impasse identificado.
  • D os ganhos e as perdas serão proporcionalmente alocados a cada uma das partes conflitadas, afastando o efeito perde-ganha.
  • E ocorrerá a opção pela desativação ou desescalonização do conflito, dada a impossibilidade material de sua resolução.
10

Considere que uma auditoria realizada pela área responsável pelo controle interno das entidades da Administração indireta do Estado do Amapá, ao avaliar determinados programas implementados pela Agência X, tenha considerado que a atuação da Agência X em tais programas, embora eficaz, careceu de eficiência. Tal conclusão

  • A carece de lógica, eis que a eficiência constitui premissa para o reconhecimento da eficácia de uma ação governamental, afastando seus aspectos financeiros.
  • B aponta para a não consecução dos objetivos almejados pela Agência X, não obstante a adequada aplicação dos seus recursos humanos e financeiros.
  • C indica uma avaliação negativa dos destinatários das ações a cargo da Agência X, mesmo tendo sido atingidas as metas formais estabelecidas.
  • D indica que, não obstante atingidos os objetivos propostos, não foi dado o melhor uso aos insumos aplicados na execução dos referidos programas.
  • E revela que a atuação da Agência X restou comprometida, pois a ausência de eficiência anula a eficácia de tal atuação, ainda que mantida sua efetividade.
11

Entre os diferentes tipos de estrutura organizacional, aquela inspirada em Alfred Sloan e cujo exemplo mais emblemático é a aplicação, nos anos 1950, na General Motors, corresponde à estrutura

  • A Matricial, caracterizada pela segregação de atividades administrativas das operacionais, ligadas a partir dos denominados centros de comando.
  • B Divisional, caracterizada pela criação de órgãos que operam com relativa autonomia, denominados centro de resultados.
  • C Sistêmica, com a conjugação de diferentes atribuições, técnicas e administrativas, em órgãos de competência geral e ampla.
  • D Funcional, com órgãos permanentes e temporários, estes últimos vinculados à duração de projetos estratégicos.
  • E Estrutural, pautada pela divisão racional do trabalho, com unidades que atuam de forma sequencial e interdependente, sem qualquer grau de autonomia.
12

A busca da qualidade e excelência nos serviços públicos envolve a utilização, com as devidas adaptações, de conceitos e teorias consagradas no âmbito privado. Nesse sentido, uma das premissas sustentadas por W. Edwards Deming, estudioso que difundiu o Ciclo de Melhoria Contínua, também denominado PDCA, é

  • A que a diversificação de fornecedores aumenta a economicidade e favorece a produtividade.
  • B que os orçamentos devem ser aprovados exclusivamente com base na redução de custos.
  • C que a melhor qualidade proporciona, no conjunto, custos menores.
  • D a importância de slogans e exortações à falha zero na produção de bens e serviços.
  • E a necessidade de quotas na linha de produção, com administração por cifras e metas numéricas.
13

O fenômeno do clima organizacional tem sido bastante estudado em face do seu impacto no âmbito das organizações públicas e privadas e, nesse contexto, tem-se que o mesmo

  • A liga-se a aspectos cognitivos, descrevendo percepções compartilhadas entre os membros da organização sobre diferentes aspectos do ambiente corporativo.
  • B é de natureza estritamente afetiva, representando a visão de cada indivíduo sobre a razão de ser e os objetivos da entidade.
  • C não é passível de aferição mediante pesquisas, dada sua natureza subjetiva, de foro íntimo, variável de acordo com a percepção de cada indivíduo.
  • D possui apenas aspectos formais e fechados, ligados aos valores praticados pela organização, situando-se em suas camadas mais profundas e de difícil aferição.
  • E é de difícil modificação, eis que somente pode ser afetado por fatores exógenos à organização, como as ameaças e oportunidades apresentadas.
14

Entre as abordagens correntes sobre o fenômeno da liderança emerge o conceito de “liderança transacional”, no qual a atuação do líder

  • A não é determinante, eis que o envolvimento dos liderados no atingimento dos objetivos estratégicos decorre do denominado ajuste espontâneo.
  • B inspira os trabalhadores a aceitar mudanças, promovendo a cultura da responsabilidade, propriedade e autonomia no local de trabalho.
  • C é fundada no carisma e em suas habilidades inatas para conduzir os liderados, promovendo o engajamento aos objetivos propostos.
  • D é pautada principalmente pela obediência às regras e cumprimento das metas estabelecidas, além de seguir a ideia de recompensa proporcional ao desempenho.
  • E depende da conjugação adequada do estilo adotado - diretivo ou apoiador - ao grau de maturidade dos liderados para se mostrar eficaz.
15

Considere que o novo dirigente de uma entidade integrante da Administração indireta do Município tenha estabelecido como principal foco de sua atuação fomentar a motivação dos servidores no ambiente de trabalho. Como embasamento teórico, referido dirigente valeu-se dos preceitos da Teoria ERC (ou ERG, como é conhecida internacionalmente), desenvolvida por Clayton Alderfer, o que significa pressupor que

  • A apenas o atendimento às necessidades mais básicas, ligadas à subsistência do indivíduo, constituem fonte para a motivação no trabalho.
  • B há uma hierarquia entre as necessidades dos indivíduos, cujo atendimento na ordem correta é pressuposto para gerar motivação.
  • C existem três necessidades essenciais a serem satisfeitas para a motivação dos indivíduos: existência; de relacionamento e de crescimento.
  • D o que gera a motivação genuína, capaz de assegurar o envolvimento e comprometimento do indivíduo com os objetivos da entidade, é apenas o atendimento das necessidades de estima e apreciação social.
  • E o homem médio não gosta do trabalho e o evita, sendo que a motivação para a realização das tarefas advém exclusivamente de recompensas financeiras.
16

Suponha que, tendo sido contratada uma consultoria especializada para apoiar a implementação do planejamento estratégico de uma entidade pública, tal consultoria esteja buscando identificar a missão da entidade, o que significa apontar

  • A os objetivos estratégicos da organização e as ações necessárias para alcançá-los.
  • B o futuro almejado pelos integrantes da entidade e como deseja ser reconhecida a longo prazo.
  • C os valores predicados pelos membros da entidade, indicando a forma como se posicionam na sociedade.
  • D os cenários em que a organização se insere e seu papel relativo no conjunto de agentes envolvidos.
  • E a própria razão de ser da entidade, ou seja, por que ela existe e o que ela faz.
17

Considere que uma empresa municipal tenha decidido utilizar, para apoiar seu planejamento estratégico e avaliar resultados, o Balanced Scorecard (BSC). Durante a aplicação de tal metodologia foram utilizados mapas estratégicos, cuja função precípua consiste em

  • A visualizar as estratégias, identificando as relações de causa e efeito entre as perspectivas.
  • B identificar a lacuna existente entre os insumos necessários e aqueles disponíveis na organização.
  • C identificar as forças e fraquezas da organização, com a análise dos cenários internos.
  • D mapear os desafios e oportunidades existentes no ambiente em que se insere a organização.
  • E mapear os principais processos de trabalho que fazem parte da cadeia de valor da organização.
18

O Balanced Scorecard- BSC é uma metodologia que prioriza o equilíbrio organizacional a partir das perspectivas:
I. financeira. II. dos processos internos. III. dos clientes. IV. do aprendizado e crescimento. V. dos fatores exógenos.
Está correto o que se afirma APENAS em

  • A I,II,III e IV.
  • B I,III e V.
  • C I,II, III e V.
  • D I e III.
  • E II e III.
19

Entre as diversas escolas que se sucederam no estudo das estruturas organizacionais, pode-se citar a abordagem sistêmica da administração, baseada nos conceitos desenvolvidos por Ludwig von Bertalanffy, que possui como foco

  • A a função de staff, que centraliza a matriz de responsabilidades no sistema organizacional.
  • B a unidade de comando, buscando isolar a organização de fatores exógenos.
  • C a cadeia escalar, que representa a gradação de responsabilidades internas.
  • D os centros de resultado, que irradiam comandos para toda a organização.
  • E a interação da organização com o ambiente em que se insere, sendo por este influenciada.
20

Suponha que determinada empresa pública, buscando atingir as metas constantes de seu planejamento estratégico, pretenda aplicar conceitos e técnicas para aumentar a motivação de seus empregados. A consultoria especializada contratada para desempenhar tal atribuição afirmou, contudo, que, considerando a natural aversão ao trabalho, os empregados necessitam de direção e controle para a realização das tarefas. A premissa adotada pela consultoria denota os conceitos predicados por teoria motivacional descrita pela doutrina, correspondente à

  • A Teoria da Hierarquia das Necessidades, de Maslow, que sustenta ser a autorrealização o fator motivacional fundamental.
  • B Teoria X, de MacGregor, que apresenta uma concepção negativa da natureza humana, de acordo com a qual o homem médio evita o trabalho.
  • C Teoria Y, de Herzberg, fundada na crença de que o trabalho é um fator insatisfaciente e somente a recompensa financeira gera motivação para a tarefa.
  • D Teoria da Expectativa, de Macclelland, que propõe o reforço negativo, fundado em sanções e supressão de benefícios, como meio de atingir os objetivos postos.
  • E Teoria Bifatorial, de Skinner, de acordo com a qual os fatores exógenos ao indivíduo, como pressão social, são capazes de anular fatores intrínsecos de resistência à realização da tarefa.

Administração Pública

21

Entre as características próprias do modelo de Administração Pública patrimonialista destaca-se

  • A disseminação de práticas como clientelismo e nepotismo.
  • B nítida separação entre patrimônio público e o dos governantes.
  • C departamentalização da Administração e especialização técnica dos funcionários.
  • D ausência de controles formais e ênfase no controle de resultados.
  • E foco na preservação do patrimônio público com ênfase na meritocracia.
22

No processo de evolução da Administração pública, o modelo de administração burocrática representou

  • A um avanço em relação ao precedente modelo patrimonialista, passando a enfatizar a meritocracia e combater o clientelismo.
  • B um retrocesso em relação ao modelo clássico, com o abandono da especialização da Administração e aumento das práticas de nepotismo.
  • C um movimento de horizontalização das estruturas, com redução de níveis hierárquicos e aumento da flexibilização dos controles.
  • D uma etapa antecedente ao modelo gerencial, porém já aplicando diversos conceitos deste, notadamente os controles de resultados.
  • E um período de pouca valorização das competências técnicas, com ausência de separação entre o patrimônio dos governantes e do Estado.
23

No processo de evolução da Administração pública no Brasil, o movimento denominado “publicização” teve lugar

  • A a partir do advento do Departamento Administrativo do Serviço Público-DASP, representando a retomada pelo Estado de serviços e atividades precedentemente privatizados.
  • B na reforma do aparelho do Estado, ocorrida em meados dos anos 1990, representando a transferência de serviços públicos não exclusivos, como os de saúde, a entidades sem fins lucrativos.
  • C quando da implementação do modelo burocrático, representando forte intervenção do Estado no domínio econômico, mediante a exploração direta de atividades de relevante interesse público.
  • D no modelo de Administração patrimonialista, em que não havia separação entre o patrimônio público e o dos governantes, com fortes práticas de clientelismo.
  • E no modelo mais contemporâneo de Administração pública, pós-paradigma gerencial, representando a atuação conjugada entre os setores público e privado na forma de parcerias público-privadas.
24

De acordo com os conceitos de excelência predicados pela Fundação Nacional da Qualidade (FNQ), bem como as metodologias e ferramentas por ela disponibilizadas,

  • A o denominado pensamento sistêmico constitui um macroprincípio de excelência sustentado pela FNQ, a partir do qual são construídos os demais fundamentos aplicáveis às entidades patrocinadas pela Fundação.
  • B os fundamentos de excelência sustentados pela FQN são revistos periodicamente, ao menos a cada 2 anos, de forma a manter sua atualidade e aderência ao estágio das organizações patrocinadoras.
  • C a aferição do estágio da organização em termos de excelência e de boas práticas de qualidade em gestão depende de um procedimento de certificação efetuado pela FNQ.
  • D os critérios de excelência da Fundação, divididos em subitens, oferecem uma pontuação que permite que as organizações públicas ou privadas avaliem, elas próprias, seu grau de excelência.
  • E apenas entidades credenciadas pela FNQ possuem autorização para implementar, no âmbito de organizações públicas e privadas, o programa de compliance certificado pela Fundação.
25

Na Administração pública, a aplicação do conceito de Gestão por Resultados tem como foco a busca de excelência no atendimento das necessidades do cidadão. Nesse contexto, pode-se afirmar que a eficiência, como indicador da atuação da Administração, representa

  • A o grau de atingimento, aferido por meio de critérios mensuráveis, das metas não financeiras estabelecidas pela Administração.
  • B o grau de qualidade do resultado obtido e da satisfação dos usuários com as políticas públicas implementadas, independentemente dos custos.
  • C a prestação de contas dos administradores em relação a suas ações e a competente responsabilização.
  • D a capacidade de consecução dos objetivos públicos propostos pelos governantes e gestores.
  • E o melhor uso dos insumos na produção dos bens ou serviços disponibilizados pela Administração à população.
26

Desde a reforma gerencial, que se consolidou nos anos de 1990, a Administração pública passou, cada vez mais, a pautar-se pela busca da excelência e, nesse contexto, um dos conceitos aplicáveis é o de accountability, que, em sua acepção corrente, está relacionado

  • A ao aumento de produtividade no setor público, com redução de custos.
  • B à transparência e prestação de contas pela Administração em relação às suas ações.
  • C à aplicação das regras de contabilidade privada aos orçamentos públicos.
  • D à remuneração dos servidores baseada em resultados e cumprimento de metas.
  • E ao gerenciamento de serviços públicos por entidades privadas sem fins lucrativos.
27

Considere a seguinte situação hipotética: determinada empresa pública, cujo objeto é administrar a malha ferroviária na região metropolitana, estabeleceu como meta, baseada em pesquisas junto à população, a redução do tempo de espera e aumento do conforto dos passageiros. Para tanto, não poupou esforços e investiu na modernização de trens e em um novo sistema de gerenciamento. Conseguiu atingir os níveis de qualidade pactuados, na forma esperada pela população, contudo, em função de falhas nos orçamentos utilizados nos procedimentos licitatórios para aquisição dos trens e sistemas, acabou pagando valores muito superiores aos de mercado. Na situação narrada, a atuação da empresa mostrou-se

I. efetiva, em face do atendimento dos anseios da sociedade.

II. eficaz, pelo cumprimento das metas estabelecidas.

III. eficiente, pelo cumprimento do objetivo, ainda que a custos mais elevados.

Está correto o que se afirma APENAS em

  • A II.
  • B I.
  • C I e II.
  • D I e III.
  • E II e III.
28
Atenção: A questão refere-se ao conteúdo programático de Administração Pública. 

A expectativa da sociedade de que a gestão pública seja eficiente, eficaz e efetiva pode ser atendida, no que concerne à


I. eficiência, pelo uso racional dos recursos disponíveis e sua otimização.

II. eficácia, pela disponibilização à população das ações e serviços nos prazos demandados.

III. efetividade, pelo controle de legalidade da atuação da Administração.


Está correto o que consta APENAS de

  • A II.
  • B I e III.
  • C II e III.
  • D I.
  • E I e II.
29

O modelo de Administração gerencial que se procurou implementar no Brasil a partir do Plano Diretor da Reforma do Aparelho do Estado, nos idos de 1995, apresentou o conceito de publicização, consistente

  • A nos mecanismos de transparência e governança aplicáveis à Administração, com foco no atendimento do cidadão.
  • B no modelo oposto ao de privatização, mantendo sob a prestação direta do Estado todos os serviços públicos.
  • C na atuação do Estado na economia como indutor do crescimento, mediante a encampação de atividades de interesse nacional.
  • D na criação de agências reguladoras e agências executivas, para substituírem os mecanismos de regulação de mercado.
  • E na transferência de serviços públicos não exclusivos para entidades não estatais, qualificadas como organizações sociais.
30

No que concerne aos indicadores de desempenho da atuação da Administração Pública na busca da excelência, tem-se que:


I. A eficiência está atrelada ao uso racional e econômico dos insumos disponíveis para a produção de bens ou serviços.

II. A efetividade é expressão do atingimento dos objetivos fixados e dos resultados almejados pela sociedade com a atuação da Administração.

III. A eficácia é uma medida de natureza estritamente financeira, usada no acompanhamento da execução orçamentária e financeira.


Está correto o que se afirma APENAS em

  • A I.
  • B I e II.
  • C II.
  • D II e III.
  • E I e III.
31

No que concerne aos indicadores de desempenho da atuação da Administração Pública na busca da excelência, tem-se que
I. a eficiência está atrelada ao uso racional e econômico dos insumos disponíveis para a produção de bens ou serviços. II. a efetividade é expressão do atingimento dos objetivos fixados e dos resultados almejados pela sociedade com a atuação da Administração. III. a eficácia é uma medida de natureza estritamente financeira, usada no acompanhamento da execução orçamentária e financeira.
Esta correto o que se afirma APENAS em

  • A I e II.
  • B I.
  • C II.
  • D II e III.
  • E I e III.
32

A reforma do aparelho do Estado, implementada em meados dos anos 1990, buscava um novo paradigma para a atuação da Administração pública. Nesse sentido, entre outras medidas, preconizava a transferência de serviços públicos não exclusivos a entidades privadas sem fins lucrativos, as quais eram qualificadas como organizações sociais, o que correspondeu ao mecanismo denominado

  • A accountability.
  • B desestatização.
  • C governança.
  • D publicização.
  • E privatização.
33

Suponha que determinado órgão da Administração pública do Estado do Maranhão, no afã de implementar uma ação estratégica definida a partir de ampla consulta pública e que, de fato, beneficiou um enorme contingente de cidadãos, tenha extrapolado significativamente os custos adequados à sua consecução. Verificou-se que a ação foi concluída no cronograma previsto, porém, em razão de falhas de gestão, demandou gastos adicionais com pagamento de horas-extras e aditamentos contratuais. Não obstante, ao final, atendeu aos anseios da população, beneficiando um significativo contingente de cidadãos. Diante desse cenário, pode-se concluir que a atuação do referido órgão público mostrou-se

  • A ineficaz, ineficiente e não efetiva, pois estes parâmetros somente podem ser aferidos conjuntamente, a partir do binômio resultado/custo.
  • B eficaz e eficiente, na medida em que atendeu à finalidade pública almejada, sendo despicienda a avaliação de custo.
  • C eficiente, porém não efetiva, sendo esta última uma medida exclusivamente de adequação custo-benefício da ação.
  • D efetiva e eficiente, dado que chegou ao seu termo final no tempo estimado, porém não eficaz em razão da majoração de custos.
  • E dotada de efetividade, porém carecendo de eficiência, eis que não apresentou a melhor aplicação aos insumos aplicados.
34

Entre os fundamentos de excelência considerados pela Fundação Nacional de Qualidade − FNQ se insere:

  • A planejamento estratégico: com o estabelecimento de metas e indicadores para orientarem a atuação da organização.
  • B downsizing: enxugamento, com redução de posições e redundâncias, visando a evitar o retrabalho e aumentar a produtividade.
  • C reengenharia: que corresponde ao conceito de “folha em branco”, a partir do qual novos paradigmas podem ser estabelecidos.
  • D adaptabilidade: flexibilidade e capacidade de mudança em tempo hábil, frente a novas demandas das partes interessadas e alterações no contexto.
  • E accountability: dever de responder por uma responsabilidade outorgada, prestando contas à sociedade.
35

O modelo de administração gerencial difere do modelo burocrático em alguns aspectos essenciais, entre os quais pela introdução do conceito de

  • A patrimonialismo.
  • B meritocracia.
  • C hierarquia.
  • D avaliação a posteriori.
  • E verticalização das estruturas.
36

A partir da década de 1990, se sucederam diversas iniciativas e programas visando implementar o conceito de qualidade na administração. A implantação do GesPública − Programa Nacional de Gestão Pública e Desburocratização, em 2005, consolidou essa trajetória. Entre as ferramentas introduzidas pelo referido programa insere-se a carta de serviço, que diz respeito

  • A ao padrão de governança fixado para a entidade, aplicável somente às empresas públicas e sociedades de economia mista.
  • B ao canal de comunicação disponibilizado ao cidadão para fazer críticas e sugestões em relação ao grau de qualidade dos serviços prestados.
  • C às informações sobre como acessar os serviços prestados, bem como os compromissos e os padrões de atendimento estabelecidos.
  • D à missão institucional e visão de futuro da organização, determinadas a partir do seu planejamento estratégico.
  • E ao critério utilizado para avaliação de satisfação dos usuários com a qualidade dos serviços prestados e remuneração dos servidores.
37

Ao influxo da Reforma do Aparelho do Estado, implementada em meados dos anos 1990, buscava-se um novo paradigma para a atuação da Administração pública, com a aplicação de conceitos como o de accountability, que, em uma de suas acepções correntes,

  • A significa a governança, entendida como o relacionamento entre todos os agentes públicos envolvidos.
  • B é sinônimo de governabilidade, correspondendo às próprias condições de exercício do poder.
  • C corresponde ao denominado orçamento por resultados, vinculado a ações estratégicas.
  • D significa obrigação de prestar contas, respondendo por uma responsabilidade outorgada.
  • E significa a somatória de ações estratégicas, metas e indicadores fixados para melhoria dos serviços públicos.
38

Os conceitos de governança e governabilidade, embora não coincidentes, são indissociáveis e complementares, sendo aplicados, cada qual, em diferentes contextos. Nesse sentido, considere:


I. Governança, em uma de suas acepções, representa o modo como as organizações são administradas e controladas e como interagem com as partes interessadas.

II. Governabilidade refere-se às condições substantivas do exercício do poder e legitimidade do governo, derivada da relação com a sociedade.

III. Governança e governabilidade podem ser fundidas em um único metaconceito, correspondente a accountability, própria dos governos democráticos.


Está correto o que consta APENAS em

  • A I e II.
  • B III.
  • C I e III.
  • D II e III.
  • E II.
39

Os serviços de certa autarquia pública podem ser mal avaliados por seus usuários por conta de uma discrepância entre expectativa e entrega. Caso isso ocorra por conta da percepção da qualidade do serviço pelo usuário, sua origem pode ser:


I. Memória seletiva: lembrando apenas o que mais agrada e pretende alcançar como objetivos pessoais.

II. Retenção seletiva: esquecendo apenas o que é relevante para as necessidades e as crenças.

III. Filtragem seletiva: apenas percebendo o que é relevante para as necessidades atuais.

IV. Distorção seletiva: modificando e buscando informações que apoiam as crenças e os preconceitos pessoais.


Está correto o que consta APENAS em

  • A I e II.
  • B I e III.
  • C II e IV.
  • D III e IV.
  • E II e III.
40
A expressão Accountability, que passou a ser muito aplicada no âmbito da Administração pública ao influxo da implementação do modelo gerencial diz respeito a
  • A instrumentos de mensuração da vontade da sociedade.
  • B mecanismos de obtenção da participação popular.
  • C estratégias de redução de custos e melhoria do serviço público.
  • D medidas de controle de gastos e responsabilidade fiscal.
  • E prestação de contas e responsabilização dos agentes públicos.

Controle Externo

41

Sob o aspecto da legalidade, legitimidade e economicidade, são objeto de controle do Tribunal de Contas

  • A os atos do Poder Executivo, que exerce função administrativa, mas não os atos do Poder Judiciário e do Poder Legislativo, pois estes não exercem referida função.
  • B os atos do Poder Executivo, do Poder Legislativo e do Poder Judiciário, estes dois últimos no exercício atípico da função administrativa.
  • C tanto os atos do Poder Executivo como os do Poder Legislativo, excluindo-se desse tipo de controle os do Poder Judiciário, em razão do princípio da unicidade de jurisdição.
  • D tanto os atos do Poder Judiciário como os do Poder Legislativo, excluindo-se desse tipo de controle os do Poder Executivo, em razão do princípio da separação de poderes.
  • E os atos do Poder Executivo, do Poder Legislativo e do Poder Judiciário, no exercício das funções típicas e atípicas de cada um destes poderes.
42
Determinada Autarquia estadual está procedendo a um amplo processo de reestruturação funcional. Nesse contexto, obteve a aprovação legislativa de um novo quadro de pessoal, contendo cargos efetivos e de livre provimento (em comissão) mais aderentes às necessidades identificadas para sua atuação presente. Diante de tal reestruturação, vários servidores, que já contavam com os requisitos legalmente exigidos, ingressaram com pedido de aposentadoria e, por outro lado, foram efetuados desligamentos de muitos ocupantes de cargos em comissão e admitidos outros, com perfil mais adequado ao desempenho das funções de assessoramento correspondentes. Paralelamente, foi realizado concurso público para a admissão dos ocupantes dos novos cargos efetivos criados. Considerando o âmbito de atuação do Tribunal de Contas do Estado no exercício do controle externo da referida Autarquia, os atos que devem ser submetidos à Corte, para fins de registro, são
  • A as aposentadorias e os demais desligamentos, apenas.
  • B os relativos às contratações para cargos em comissão, apenas.
  • C as nomeações/admissões para cargos efetivos, apenas.
  • D as concessões de aposentadorias, apenas.
  • E as concessões de aposentadorias e os atos de admissão, salvo os relativos a cargos em comissão.
43
Insere-se entre as atribuições conferidas constitucionalmente aos Tribunais de Contas:
  • A Fiscalizar renúncia de receitas e aplicação de subvenções.
  • B Fixar e monitorar as metas para avaliação dos programas inseridos no Plano Plurianual.
  • C Aprovar, mediante sabatina, a indicação de dirigentes de agências reguladoras.
  • D Estabelecer limites de endividamento para as entidades integrantes da Administração indireta.
  • E Definir e acompanhar o cumprimento de limites de comprometimento de receita com despesas de pessoal.
44

A Constituição Federal estabelece que o controle externo está a cargo

  • A do Congresso Nacional.
  • B do Poder Executivo.
  • C do Conselho Nacional de Justiça.
  • D do Tribunal de Contas da União.
  • E da Controladoria Geral da União.

Legislação dos Tribunais de Contas (TCU, TCEs e TCMs) e Ministérios Públicos de Contas

45

O Tribunal de Contas do Estado de Sergipe é um órgão

  • A com a incumbência de elaborar o Plano Plurianual do Estado em conjunto com o Poder Executivo.
  • B subordinado ao Poder Legislativo Estadual.
  • C responsável pelo controle interno da execução orçamentária e financeira das unidades administrativas.
  • D cuja principal função é aprovar a programação e o cronograma de desembolso de recursos das unidades orçamentárias.
  • E subordinado ao Poder Judiciário Estadual e tem como função realizar o controle externo das contas públicas.

Controle Externo

46

A decisão pela qual o Tribunal julga as contas regulares, regulares com ressalva ou irregulares denomina-se


  • A definitiva.
  • B conclusiva.
  • C terminativa.
  • D resolutória.
  • E finalística.

Matemática Financeira

47

Dois capitais são aplicados, na data de hoje, a juros compostos, a uma taxa de 10% ao ano. O primeiro capital será aplicado durante 1 ano e apresentará um valor de juros igual a R$ 1.100,00 no final do período de aplicação. O segundo capital será aplicado durante 2 anos, e o montante no final do período será igual a R$ 14.520,00. O valor da soma dos dois capitais, na data de hoje, é, em R$, de

  • A 23.000,00.
  • B 25.000,00.
  • C 24.000,00.
  • D 22.000,00.
  • E 26.000,00.
48

Uma taxa de juros nominal, de 15% ao ano, com capitalização bimestral, corresponde a uma taxa de juros efetiva de

  • A [(1 + 0,15 ÷ 12)² -1] ao bimestre.
  • B (¹²√1,15 -1) ao mês.
  • C 6 (6√1,15 -1) ao ano.
  • D [(1 + 0,15 ÷ 6)³ - 1] ao semestre.
  • E [(1 + 0,15 ÷ 12)³ - 1] ao trimestre.
49

A taxa de inflação, em um determinado período, foi igual a 5%. Um capital no valor de R$ 20.000,00 aplicado durante esse período permitiu que fosse resgatado um montante de R$ 21.840,00. No final do período de aplicação, a taxa real de juros r correspondente é tal que

  • A 4,5% < r ≤ 5%.
  • B r ≤ 4%.
  • C r > 5,5%.
  • D 4% < r ≤ 4,5%.
  • E 5% < r ≤ 5,5%.
50

Uma duplicata é descontada em um banco 4 meses antes de seu vencimento, segundo uma operação de desconto comercial simples, com uma taxa de desconto de 24% ao ano. O valor do desconto dessa operação foi de R$ 1.800,00. Caso a taxa de desconto utilizada tivesse sido de 18% ao ano, o valor presente teria sido, em R$, de

  • A 20.680,00.
  • B 22.560,00.
  • C 20.700,00.
  • D 23.500,00.
  • E 21.150,00.
51

Uma empresa obteve um empréstimo no valor de R$ 3.000.000,00. O valor foi liberado para a empresa em 31/10/2014 e será liquidado integralmente em uma única parcela que vencerá em 31/10/2016. A taxa de juros compostos contratada foi 2% ao mês e o saldo do empréstimo é corrigido mensalmente por um índice de preços. Até 31/12/2014 o índice de preços utilizado para a correção do empréstimo apresentou uma variação acumulada de 4%. Considere para a solução da questão que os meses são de 30 dias corridos.

O valor contábil evidenciado para o empréstimo no Balanço Patrimonial de 31/12/2014 foi, em reais,

  • A 3.120.000,00.
  • B 3.244.800,00.
  • C 3.246.048,00.
  • D 3.121.000,00.
  • E 3.245.840,00.
52
Um investidor aplicou 60% de seu capital sob o regime de capitalização simples, durante 10 meses, resgatando o montante correspondente de R$ 23.490,00 no final do período desta aplicação. O restante do capital ele aplicou sob o regime de capitalização composta, durante 1 ano, a uma taxa de juros de 6% ao semestre e obtendo um total de juros de R$ 1.792,20 no final deste período de aplicação de 1 ano. A taxa anual de juros correspondente à aplicação sob o regime de capitalização simples é igual a
  • A 8,4%.
  • B 7,2%.
  • C 9,6%.
  • D 9,0%.
  • E 10,8%.
53
Considere que um título é descontado em um banco 3 meses antes de seu vencimento a uma taxa de desconto de 18% ao ano. Sabe-se que foi utilizada a operação de desconto racional simples e o valor presente do título foi igual a R$ 12.000,00. Um outro título de valor nominal igual ao dobro do valor nominal do primeiro título também é descontado 3 meses antes de seu vencimento a uma taxa de desconto de 18% ao ano. Se para este outro título foi utilizada a operação de desconto comercial simples, então o valor presente deste outro título é de
  • A R$ 24.448,00.
  • B R$ 23.435,70.
  • C R$ 22.920,00.
  • D R$ 23.951,40.
  • E R$ 24.830,00.
54

Um investidor pretende obter R$ 144.000,00 ao final de dois anos, recursos esses que serão utilizados para dar a entrada na aquisição de um imóvel. Para poupar seus recursos dispõe de duas alternativas, sendo ambas com prazo de vencimento de 24 meses, a saber:

1. Aplicação com taxa de juros de 20% a.a. e regime de capitalização composta com periodicidade anual.
2. Aplicação com taxa de juros de 2,5% a.m. e regime de capitalização simples com periodicidade mensal.

O valor de capital que ele precisa aplicar em cada uma das alternativas para que obtenha o resultado esperado é, respectivamente,

  • A R$ 100.000,00 e R$ 90.000,00
  • B R$ 90.000,00 e R$ 100.000,00
  • C R$ 102.857,14 e R$ 79.614,05
  • D R$ 100.000,00 e R$ 79.614,05
  • E R$ 102.857,14 e R$ 90.000,00
55

Um consumidor adquiriu um automóvel no valor de R$ 60.000,00, dando R$ 9.600,00 de entrada e financiando a diferença de R$ 50.400,00 em 24 parcelas mensais, pelo sistema SAC, à taxa de juros de 2% ao mês. Neste caso,

  • A o valor da 20ª e da 23ª prestações serão iguais.
  • B o valor amortizado na 5ª prestação será o dobro do amortizado na 17ª prestação.
  • C o valor da 11ª prestação será R$ 420,00 inferior ao valor da 1ª prestação.
  • D o valor dos juros pagos na 4ª prestação é aproximadamente 30% do valor dos juros pagos na 19ª prestação.
  • E até a 8ª prestação o valor dos juros não excederá 1/3 do valor da amortização.
56

A tabela a seguir apresenta os fluxos de caixa (fluxo de caixa livre) para três projetos de investimentos mutuamente excludentes.

Ano Projeto A Projeto B Projeto C
1 -1.000.000,00 -1.000.000,00 -1.000.000,00
2 275.000,00 500.000,00 300.000,00
3 302.500,00 400.000,00 360.000,00
4 332.750,00 300.000,00 432.000,00
5 366.025,00 200.000,00 518.400,00

Com base nesses dados, é correto afirmar:

  • A O Projeto A é o que apresenta a maior taxa interna de retorno.
  • B O Projeto B é o de maior payback.
  • C O Projeto A é preferível ao B por apresentar um maior valor presente líquido, dada uma mesma taxa de desconto.
  • D O Projeto C é preferível ao A por apresentar uma maior taxa interna de retorno.
  • E Os Projetos A e C são indiferentes em termos de seus payback.
57

Uma empresa possui as seguintes informações:

1. Suas ações estão sendo negociadas em bolsa ao valor de R$ 100,00 por ação.
2. O mercado espera que no próximo ano ela pague dividendos de R$ 12,00 por ação.
3. Os últimos anos levam o mercado a estimar um crescimento anual constante de 2% para o valor dos dividendos a serem pagos pela empresa.

Considerando essas informações e utilizando o Modelo de Gordon, a empresa pode estimar que seu custo de capital próprio é de

  • A 14%
  • B 12%
  • C 10%
  • D 8%
  • E 6%
58

Uma pessoa deve efetuar dois pagamentos, um daqui a 4 meses no valor de R$ 2.500,00 e outro daqui a 6 meses no valor de R$ 2.844,80. Hoje ela deseja aplicar o capital C, a juro simples, à taxa de 5% ao mês, programando daqui a 4 meses retirar todo o montante e efetuar o primeiro pagamento. Na mesma data, ela irá aplicar o restante a juro simples, à taxa de 6% ao mês pelo prazo restante, com a finalidade de daqui a 6 meses retirar todo o montante da segunda aplicação e com ele efetuar o segundo pagamento, sem falta nem sobras. Para que assim aconteça, C deve ser igual a

  • A R$ 4.350,00
  • B R$ 4.200,00
  • C R$ 4.193,00
  • D R$ 4.100,00
  • E R$ 4.097,30
59

Em certa data, um capital C foi dividido em partes e aplicado a juro simples, conforme o indicado na tabela abaixo.

Capital aplicado Taxa de juros Prazo da aplicação
Um terço de C 8% ao bimestre 3 meses
Dois quintos de C 15% ao quadrimestre 6 meses
O restante de C 5% ao mês n

Se o juro total dessa aplicação correspondeu a 21% de C, então n corresponde a um período de

  • A um ano.
  • B três trimestres.
  • C dois quadrimestres.
  • D um semestre.
  • E um trimestre.
60

Um título de valor nominal R$ 1.430,00 vai ser descontado à taxa de 5% ao mês, 2 meses antes do seu vencimento. Considere:

V1 o valor líquido que seria recebido se fosse utilizado o método do desconto simples racional.
V2 o valor líquido que seria recebido se fosse utilizado o método do desconto simples comercial.
V3 o valor líquido que seria recebido se fosse utilizado o método do desconto composto racional.

Comparando-se V1, V2 e V3, verifica-se que é verdade que

  • A V2 < V3 < V1
  • B V2 < V1 = V3
  • C V3 < V2 < V1
  • D V1 + V3 = R$ 1.587,00
  • E V1 - V2 = R$ 15,00
61

Os capitais M e N têm soma igual a R$ 2.500,00 e foram aplicados por 2 meses a juros compostos, o primeiro à taxa de 5% ao mês e o segundo à taxa de 4% ao mês. Ao final do prazo, o montante acumulado foi de R$ 2.724,90. Nessas condições, é verdade que

  • A M = R$ 1.200,00
  • B N = R$ 1.400,00
  • C N - M = R$ 300,00
  • D o maior dos capitais era de R$ 1.600,00
  • E o menor dos capitais era de R$ 1.000,00
62

Uma pessoa tem R$ 20.000,00 e deseja aplicá-lo a juros compostos por 2 meses. Está em dúvida se deve aplicar todo o capital à taxa de 4% ao mês ou se deve aplicar metade à taxa de 3% ao mês e a outra metade à taxa de 5% ao mês. Se M1 e M2 são, respectivamente, os montantes que seriam obtidos pela primeira e pela segunda opção, é verdade que

  • A M1 = M2
  • B M1 - M2 = R$ 4,00
  • C M2 - M1 = R$ 2,00
  • D M1 > R$ 22.000,00
  • E M2 < R$ 21.500,00
63

O valor nominal de um título descontado 4 meses antes de seu vencimento é igual a R$ 48.600,00. A operação utilizada foi a do desconto racional simples com uma taxa de desconto de 2% ao mês. A porcentagem que o valor do desconto do título representa do valor presente é, em %, igual a

  • A 5,0.
  • B 12,5.
  • C 7,5.
  • D 8,0.
  • E 6,0.
64

Uma taxa efetiva bimestral de 4,04% corresponde a uma taxa nominal anual, com capitalização mensal, de

  • A 24,00%.
  • B 24,24%.
  • C [(1,0202) 12 - 1].
  • D [(1,02) 12 - 1].
  • E [(1,04) 6 - 1].
65

Um capital é aplicado a juros compostos, durante 2 anos, com uma taxa de 8% ao ano. Se, no final do período de aplicação, o valor dos juros foi de R$ 3.744,00, então o montante, em R$, foi igual a

  • A 25.868,00.
  • B 25.284,00.
  • C 25.448,00.
  • D 24.944,00.
  • E 26.244,00.
66

Todo primeiro dia de um ano um investidor deposita em uma instituição financeira a quantia de R$ 10.000,00. Considerando que esta instituição remunera os depósitos a uma taxa de juros compostos de 10% ao ano, quando o investidor realizar o terceiro depósito verificará, imediatamente, que a soma dos juros de todos os depósitos realizados é, em R$, igual a

  • A 4.641,00.
  • B 3.100,00.
  • C 3.210,00.
  • D 3.310,00.
  • E 2.100,00.
Voltar para lista