Resolver o Simulado Agente Comunitário de Saúde - Nível Médio

0 / 40

Noções de Informática

1
Para responder à questão, considere que: todos os programas estão instalados em sua configuração padrão, o idioma dos softwares é o Português do Brasil, o mouse está configurado para destros, os programas possuem licença para o uso e expressões com Negrito, Itálico, Sublinhado, ou ainda, “ ” (aspas) servem somente para chamar a atenção do(a) candidato(a). 

Com base no programa Google Chrome versão 73.0.3683.86, utilizado para navegar em páginas da Internet, qual a tecla de atalho do teclado, também conhecida como tecla de função, utilizada para Recarregar a página?

  • A Ctrl+C.
  • B Ctrl+V.
  • C Ctrl+X.
  • D F5.
  • E Ctrl+Ç.
2
Para responder à questão, considere que: todos os programas estão instalados em sua configuração padrão, o idioma dos softwares é o Português do Brasil, o mouse está configurado para destros, os programas possuem licença para o uso e expressões com Negrito, Itálico, Sublinhado, ou ainda, “ ” (aspas) servem somente para chamar a atenção do(a) candidato(a). 

Com base na Figura 1 abaixo, considere que o usuário digitou o seguinte no endereço de célula D1: =B2+A3-C4 e, logo após, pressionou a tecla Enter (teclado). Que valor conterá em D1?


Figura 1 – Visão parcial de uma planilha do programa Microsoft Excel 2016

  • A 10
  • B 13
  • C 32
  • D 40
  • E 41
3
Para responder à questão, considere que: todos os programas estão instalados em sua configuração padrão, o idioma dos softwares é o Português do Brasil, o mouse está configurado para destros, os programas possuem licença para o uso e expressões com Negrito, Itálico, Sublinhado, ou ainda, “ ” (aspas) servem somente para chamar a atenção do(a) candidato(a). 

Tendo como base o programa Microsoft Word 2016, “Layout de Impressão” se refere a:

  • A Macros.
  • B Mapa do documento.
  • C Gerenciar fontes bibliográficas.
  • D Contar palavras.
  • E Um dos modos de exibição de documento.
4
Para responder à questão, considere que: todos os programas estão instalados em sua configuração padrão, o idioma dos softwares é o Português do Brasil, o mouse está configurado para destros, os programas possuem licença para o uso e expressões com Negrito, Itálico, Sublinhado, ou ainda, “ ” (aspas) servem somente para chamar a atenção do(a) candidato(a). 

Com base na Figura 2 abaixo, considere que o usuário digitou o seguinte no endereço de célula A2: =A1-B1-C1-D1+8 e, logo após, pressionou a tecla Enter (teclado). Que valor conterá em A2?

  • A 12
  • B 14
  • C 15
  • D 18
  • E 22
5
Para responder à questão, considere que: todos os programas estão instalados em sua configuração padrão, o idioma dos softwares é o Português do Brasil, o mouse está configurado para destros, os programas possuem licença para o uso e expressões com Negrito, Itálico, Sublinhado, ou ainda, “ ” (aspas) servem somente para chamar a atenção do(a) candidato(a). 

A função F1 do teclado, também conhecida como tecla de atalho por alguns usuários do programa Microsoft Word 2016, serve para:

  • A Abrir a janela Visualizador da Ajuda.
  • B Colocar o computador no modo hibernar.
  • C Reiniciar o computador.
  • D Desligar o computador.
  • E Ligar o computador.

Português

6
Quanto ao uso, ou não, do sinal de crase, assinale a alternativa incorreta.
  • A O porteiro sempre chega às nove horas e vai embora à meia-noite.
  • B No jogo de ontem, o jovem atacante fez um gol à Pelé.
  • C Os alpinistas retornaram à base da montanha depois de dois dias de escalada.
  • D Os nadadores demoram para retornar à terra.
7
Em “Ainda ficam intrigados com os mistérios do cérebro os neurologistas modernos”, o termo grifado é:
  • A Predicativo do objeto.
  • B Objeto direto.
  • C Predicativo do sujeito.
  • D Objeto indireto.
8
Assinale a alternativa em que a concordância verbal obedece à norma culta:
  • A O ruído dos caminhões e das máquinas perturbam a comunidade local.
  • B Haviam muitos empresários interessados naqueles terrenos.
  • C Somos nós quem paga a conta pelo desleixo das obras públicas.
  • D Nenhuma das alternativas.
9

Assinale a alternativa na qual as palavras estão grafadas corretamente de acordo com a série: feixe, azedo, admissão.

  • A Graxeiro, catequeze- transgressão.
  • B Xavante - profetizar- progresso.
  • C Enxarcar - pesquizar – sucesso.
  • D Nenhuma das alternativas.
10

Traduzir-se. (Ferreira Gullar)


Uma parte de mim

é todo mundo;

outra parte é ninguém:

fundo sem fundo.


Uma parte de mim

é multidão:

outra parte estranheza

e solidão.


Uma parte de mim

pesa, pondera;

outra parte

delira.


Uma parte de mim

almoça e janta;

outra parte

se espanta.


Uma parte de mim

é permanente;

outra parte

se sabe de repente.


Uma parte de mim

é só vertigem;

outra parte,

linguagem.


Traduzir-se uma parte

na outra parte

— que é uma questão

de vida ou morte —

será arte?

A terceira estrofe do poema, “Uma parte de mim pesa, pondera; outra parte delira”, apresenta orações:
  • A Subordinadas adverbiais.
  • B Subordinadas substantivas.
  • C Coordenadas.
  • D Subordinadas adjetivas.
11


Avalie as seguintes propostas de supressão de vocábulos do texto:


I. ‘quase’ na linha 01.

II. ‘certos’ na linha 27.

III. ‘pelo menos’ na linha 39.


Quais provocam alteração de sentido nos respectivos contextos de ocorrência?

  • A Apenas I.
  • B Apenas II.
  • C Apenas I e II.
  • D Apenas II e III.
  • E I, II e III.
12
As palavras “cancelamento”, “enriquecer”, “desapego” são respectivamente formadas pelos processos de:
  • A Derivação prefixal e sufixal, prefixação, sufixação.
  • B Derivação sufixal, parassíntese, sufixação.
  • C Derivação sufixal, parassíntese, prefixação.
  • D Nenhuma das alternativas.
13
Marque a alternativa onde temos apenas palavras paroxítonas.
  • A Ruim / condor / sucuri.
  • B Gratuito / rubrica / juniores.
  • C Nobel / caracteres / módulo.
  • D Lêvedo / beleza / vencerá.
14

Texto 1

Universidades públicas respondem por mais de 95% da produção científica do Brasil

Quem minimamente acompanha a questão da produção científica no Brasil e do financiamento da pesquisa em ciência, tecnologia e inovação sabe que, ao lado da meta tão longamente sonhada da aplicação de 2% do PIB no setor, um bom equilíbrio entre investimentos públicos e privados nessas atividades constitui o segundo grande objeto de desejo de boa parte dos estrategistas e gestores da área – além, é claro, da parcela da comunidade científica nacional bem antenada com as políticas de CT&I (Ciência, Tecnologia e Inovação).Isso se apresentou desde a redemocratização do país, na segunda metade dos anos 1980.

O espelho em que todos miravam era obviamente o das nações mais desenvolvidas. O pensamento que então se espraiava, muito distante de recentíssimas tentações obscurantistas, era o de que o desenvolvimento científico e tecnológico constituía condição sine qua non para um verdadeiro desenvolvimento socioeconômico e para a implantação de uma sociedade mais justa.

Na época, o Brasil andava ali pela casa de pouco mais de 0,7% do PIB em investimentos totais em ciência e tecnologia e a participação do setor privado, nesse bolo, mal ultrapassava a marca de 20%. De lá para cá, o país fez uma reviravolta nesses números, avançou muito, e pode-se mesmo dizer que cresceu espetacularmente, quando a métrica é o volume de artigos científicos indexados em bases de dados internacionais, um indicador mundialmente consagrado. Essa produção científica praticamente dobrou do começo para o fim da primeira década do século XXI. E continuou sua ascensão consistente. A expansão notável de produção científica foi baseada na capacidade das universidades públicas brasileiras de produzir ciência. Mais de 95% dessa produção científica do Brasil nas bases internacionais deve-se à capacidade de pesquisa de suas universidades públicas.

O presidente da Academia Brasileira de Ciências, Luiz Davidovich, físico, professor da UFRJ, pesquisador dos mais respeitados por seus brilhantes trabalhos em emaranhamento quântico, relata que, “de acordo com recente publicação feita por Clarivate Analytics a pedido da CAPES, o Brasil, no período de 2011-2016, publicou mais de 250.000 artigos na base de dados Web of Science em todas as áreas do conhecimento, correspondendo à 13ª posição na produção científica global (mais de 190 países)”. As áreas de maior impacto, prossegue, “correspondem a agricultura, medicina e saúde, física e ciência espacial, psiquiatria, e odontologia, entre outras”.

Davidovich ressalta que “todos os estados brasileiros estão representados” nessa produção, “o que mostra uma evolução em relação a períodos anteriores e o papel preponderante desempenhado pelas universidades públicas que estão presentes em todos os estados”.Outro ponto fundamental de sua fala: “Mais de 95% das publicações referem-se às universidades públicas, federais e estaduais. O artigo lista as 20 universidades que mais publicam (5 estaduais e 15 federais), das quais 5 estão na região Sul, 11, na região Sudeste, 2, na região Nordeste e 2, na Centro-Oeste”.

Essas publicações, destaca o presidente da ABC, “estão associadas a pesquisas que beneficiam a população brasileira e contribuem para a riqueza nacional. Graças a essas pesquisas, o petróleo do pré-sal representa atualmente mais de 50% do petróleo produzido no país, a agricultura brasileira sofisticou-se e aumentou sua produtividade, epidemias, como a do vírus da zika, são enfrentadas por grupos científicos de grande qualidade, novos fármacos são produzidos, alternativas energéticas são propostas, novos materiais são desenvolvidos e empresas brasileiras obtêm protagonismo internacional em diversas áreas de alto conteúdo tecnológico, como cosméticos, compressores e equipamentos elétricos”.

(MOURA, Mariluce. Universidades públicas respondem por mais de 95% da produção científica do Brasil. Ciência na Rua, 11 abr. 2019. http://ciencianarua.net/universidades-publicas-respondem-por-mais-de-95-da-producao-cientifica-do-brasil/. Acesso em 09 mai. 2019. Adaptado)

Em relação ao Texto 1, considere as seguintes afirmativas.


I - A meta da aplicação de 2% do PIB no setor na produção científica é sonhada pela comunidade científica nacional;

II - O desenvolvimento científico e tecnológico constituía condição essencial para um verdadeiro desenvolvimento socioeconômico e para a implantação de uma sociedade mais justa;

III - Mais de 95% da produção científica do Brasil listada nas bases internacionais se deve à capacidade de pesquisa de suas universidades públicas.


São CORRETAS as afirmativas

  • A I e II, apenas.
  • B I, II e III.
  • C II e III, apenas.
  • D I e III, apenas.
15

Em se tratando de acentuação gráfica, assinale os itens com (V) verdadeiro ou (F) falso e marque a alternativa correta:


( ) Acentua-se o e das formas verbais têm e vêm, indicativas de plural.

( ) Nos hiatos, o i e o u são acentuados, desde que representem a 2ª vogal do hiato; apareçam sozinhos {ou seguidos de s} na sílaba tônica, não estejam seguidos de nh.

( ) Acentuam-se todas as palavras proparoxítonas.

( ) Acentuam-se as paroxítonas terminadas em l, i(s), n, u(s), r, x, ps, ão(s), ã(s), um/uns, ditongos orais {+s}.

( ) Não se acentuam as palavras monossílabas tônicas terminadas em a(s), e(s), o(s).

  • A V – V – V – V – V.
  • B F – V – V – V – F.
  • C V – F – F – V – V
  • D V – V – V – V – F.
16

Texto 1

Universidades públicas respondem por mais de 95% da produção científica do Brasil

Quem minimamente acompanha a questão da produção científica no Brasil e do financiamento da pesquisa em ciência, tecnologia e inovação sabe que, ao lado da meta tão longamente sonhada da aplicação de 2% do PIB no setor, um bom equilíbrio entre investimentos públicos e privados nessas atividades constitui o segundo grande objeto de desejo de boa parte dos estrategistas e gestores da área – além, é claro, da parcela da comunidade científica nacional bem antenada com as políticas de CT&I (Ciência, Tecnologia e Inovação).Isso se apresentou desde a redemocratização do país, na segunda metade dos anos 1980.

O espelho em que todos miravam era obviamente o das nações mais desenvolvidas. O pensamento que então se espraiava, muito distante de recentíssimas tentações obscurantistas, era o de que o desenvolvimento científico e tecnológico constituía condição sine qua non para um verdadeiro desenvolvimento socioeconômico e para a implantação de uma sociedade mais justa.

Na época, o Brasil andava ali pela casa de pouco mais de 0,7% do PIB em investimentos totais em ciência e tecnologia e a participação do setor privado, nesse bolo, mal ultrapassava a marca de 20%. De lá para cá, o país fez uma reviravolta nesses números, avançou muito, e pode-se mesmo dizer que cresceu espetacularmente, quando a métrica é o volume de artigos científicos indexados em bases de dados internacionais, um indicador mundialmente consagrado. Essa produção científica praticamente dobrou do começo para o fim da primeira década do século XXI. E continuou sua ascensão consistente. A expansão notável de produção científica foi baseada na capacidade das universidades públicas brasileiras de produzir ciência. Mais de 95% dessa produção científica do Brasil nas bases internacionais deve-se à capacidade de pesquisa de suas universidades públicas.

O presidente da Academia Brasileira de Ciências, Luiz Davidovich, físico, professor da UFRJ, pesquisador dos mais respeitados por seus brilhantes trabalhos em emaranhamento quântico, relata que, “de acordo com recente publicação feita por Clarivate Analytics a pedido da CAPES, o Brasil, no período de 2011-2016, publicou mais de 250.000 artigos na base de dados Web of Science em todas as áreas do conhecimento, correspondendo à 13ª posição na produção científica global (mais de 190 países)”. As áreas de maior impacto, prossegue, “correspondem a agricultura, medicina e saúde, física e ciência espacial, psiquiatria, e odontologia, entre outras”.

Davidovich ressalta que “todos os estados brasileiros estão representados” nessa produção, “o que mostra uma evolução em relação a períodos anteriores e o papel preponderante desempenhado pelas universidades públicas que estão presentes em todos os estados”.Outro ponto fundamental de sua fala: “Mais de 95% das publicações referem-se às universidades públicas, federais e estaduais. O artigo lista as 20 universidades que mais publicam (5 estaduais e 15 federais), das quais 5 estão na região Sul, 11, na região Sudeste, 2, na região Nordeste e 2, na Centro-Oeste”.

Essas publicações, destaca o presidente da ABC, “estão associadas a pesquisas que beneficiam a população brasileira e contribuem para a riqueza nacional. Graças a essas pesquisas, o petróleo do pré-sal representa atualmente mais de 50% do petróleo produzido no país, a agricultura brasileira sofisticou-se e aumentou sua produtividade, epidemias, como a do vírus da zika, são enfrentadas por grupos científicos de grande qualidade, novos fármacos são produzidos, alternativas energéticas são propostas, novos materiais são desenvolvidos e empresas brasileiras obtêm protagonismo internacional em diversas áreas de alto conteúdo tecnológico, como cosméticos, compressores e equipamentos elétricos”.

(MOURA, Mariluce. Universidades públicas respondem por mais de 95% da produção científica do Brasil. Ciência na Rua, 11 abr. 2019. http://ciencianarua.net/universidades-publicas-respondem-por-mais-de-95-da-producao-cientifica-do-brasil/. Acesso em 09 mai. 2019. Adaptado)

Assinale o trecho do texto cuja palavra em destaque pode ser substituída pela palavra entre parênteses, sem gerar alteração de sentido no contexto em que se insere.

  • A [...] e pode-se mesmo dizer que cresceu espetacularmente, quando a métrica é o volume de artigos científicos indexados em bases de dados internacionais, um indicador mundialmente consagrado. (MEDIDOS)
  • B As áreas de maior impacto, prossegue, “correspondem a agricultura, medicina e saúde, física e ciência espacial, psiquiatria, e odontologia, entre outras”. (CHOQUE)
  • C Essas publicações, destaca o presidente da ABC, “estão associadas a pesquisas que beneficiam a população brasileira e contribuem para a riqueza nacional. (FAVORECEM)
  • D O pensamento que então se espraiava, muito distante de recentíssimas tentações obscurantistas, era o de que o desenvolvimento científico e tecnológico constituía condição sine qua non para um verdadeiro desenvolvimento socioeconômico [...]. (CONTRAÍA)
17
Quanto à classificação, marque a alternativa onde temos um sujeito indeterminado.
  • A Não havia erros no documento.
  • B Já houve muitas guerras no Brasil.
  • C Nesta época, faz muito frio aqui.
  • D Não se é feliz sem um grande amor.
18

Texto 1

Universidades públicas respondem por mais de 95% da produção científica do Brasil

Quem minimamente acompanha a questão da produção científica no Brasil e do financiamento da pesquisa em ciência, tecnologia e inovação sabe que, ao lado da meta tão longamente sonhada da aplicação de 2% do PIB no setor, um bom equilíbrio entre investimentos públicos e privados nessas atividades constitui o segundo grande objeto de desejo de boa parte dos estrategistas e gestores da área – além, é claro, da parcela da comunidade científica nacional bem antenada com as políticas de CT&I (Ciência, Tecnologia e Inovação).Isso se apresentou desde a redemocratização do país, na segunda metade dos anos 1980.

O espelho em que todos miravam era obviamente o das nações mais desenvolvidas. O pensamento que então se espraiava, muito distante de recentíssimas tentações obscurantistas, era o de que o desenvolvimento científico e tecnológico constituía condição sine qua non para um verdadeiro desenvolvimento socioeconômico e para a implantação de uma sociedade mais justa.

Na época, o Brasil andava ali pela casa de pouco mais de 0,7% do PIB em investimentos totais em ciência e tecnologia e a participação do setor privado, nesse bolo, mal ultrapassava a marca de 20%. De lá para cá, o país fez uma reviravolta nesses números, avançou muito, e pode-se mesmo dizer que cresceu espetacularmente, quando a métrica é o volume de artigos científicos indexados em bases de dados internacionais, um indicador mundialmente consagrado. Essa produção científica praticamente dobrou do começo para o fim da primeira década do século XXI. E continuou sua ascensão consistente. A expansão notável de produção científica foi baseada na capacidade das universidades públicas brasileiras de produzir ciência. Mais de 95% dessa produção científica do Brasil nas bases internacionais deve-se à capacidade de pesquisa de suas universidades públicas.

O presidente da Academia Brasileira de Ciências, Luiz Davidovich, físico, professor da UFRJ, pesquisador dos mais respeitados por seus brilhantes trabalhos em emaranhamento quântico, relata que, “de acordo com recente publicação feita por Clarivate Analytics a pedido da CAPES, o Brasil, no período de 2011-2016, publicou mais de 250.000 artigos na base de dados Web of Science em todas as áreas do conhecimento, correspondendo à 13ª posição na produção científica global (mais de 190 países)”. As áreas de maior impacto, prossegue, “correspondem a agricultura, medicina e saúde, física e ciência espacial, psiquiatria, e odontologia, entre outras”.

Davidovich ressalta que “todos os estados brasileiros estão representados” nessa produção, “o que mostra uma evolução em relação a períodos anteriores e o papel preponderante desempenhado pelas universidades públicas que estão presentes em todos os estados”.Outro ponto fundamental de sua fala: “Mais de 95% das publicações referem-se às universidades públicas, federais e estaduais. O artigo lista as 20 universidades que mais publicam (5 estaduais e 15 federais), das quais 5 estão na região Sul, 11, na região Sudeste, 2, na região Nordeste e 2, na Centro-Oeste”.

Essas publicações, destaca o presidente da ABC, “estão associadas a pesquisas que beneficiam a população brasileira e contribuem para a riqueza nacional. Graças a essas pesquisas, o petróleo do pré-sal representa atualmente mais de 50% do petróleo produzido no país, a agricultura brasileira sofisticou-se e aumentou sua produtividade, epidemias, como a do vírus da zika, são enfrentadas por grupos científicos de grande qualidade, novos fármacos são produzidos, alternativas energéticas são propostas, novos materiais são desenvolvidos e empresas brasileiras obtêm protagonismo internacional em diversas áreas de alto conteúdo tecnológico, como cosméticos, compressores e equipamentos elétricos”.

(MOURA, Mariluce. Universidades públicas respondem por mais de 95% da produção científica do Brasil. Ciência na Rua, 11 abr. 2019. http://ciencianarua.net/universidades-publicas-respondem-por-mais-de-95-da-producao-cientifica-do-brasil/. Acesso em 09 mai. 2019. Adaptado)

De acordo com o texto, o presidente da ABC, Luiz Davidovich, afirma que:


I - As publicações científicas do Brasil estão associadas a pesquisas que beneficiam a população brasileira e contribuem para a riqueza nacional;

II - O Brasil, no período de 2011-2016, publicou mais de 250.000 artigos na base de dados Web of Science em todas as áreas do conhecimento;

III - A participação do setor privado nos investimentos em ciência e tecnologia, desde a redemocratização do país, ultrapassava a marca de 20%.


São CORRETAS as afirmativas

  • A I e II, apenas.
  • B I e III, apenas.
  • C II e III, apenas.
  • D I, II e III.
19
Em “Estudiosos britânicos já consideram o sedentarismo uma epidemia”, os termos grifados são:
  • A Sujeito – objeto direto – predicativo do objeto.
  • B Sujeito – objeto direto – objeto indireto.
  • C Sujeito – objeto direto – predicativo do sujeito.
  • D Objeto direto – sujeito – objeto indireto.
20

Texto 1

Universidades públicas respondem por mais de 95% da produção científica do Brasil

Quem minimamente acompanha a questão da produção científica no Brasil e do financiamento da pesquisa em ciência, tecnologia e inovação sabe que, ao lado da meta tão longamente sonhada da aplicação de 2% do PIB no setor, um bom equilíbrio entre investimentos públicos e privados nessas atividades constitui o segundo grande objeto de desejo de boa parte dos estrategistas e gestores da área – além, é claro, da parcela da comunidade científica nacional bem antenada com as políticas de CT&I (Ciência, Tecnologia e Inovação).Isso se apresentou desde a redemocratização do país, na segunda metade dos anos 1980.

O espelho em que todos miravam era obviamente o das nações mais desenvolvidas. O pensamento que então se espraiava, muito distante de recentíssimas tentações obscurantistas, era o de que o desenvolvimento científico e tecnológico constituía condição sine qua non para um verdadeiro desenvolvimento socioeconômico e para a implantação de uma sociedade mais justa.

Na época, o Brasil andava ali pela casa de pouco mais de 0,7% do PIB em investimentos totais em ciência e tecnologia e a participação do setor privado, nesse bolo, mal ultrapassava a marca de 20%. De lá para cá, o país fez uma reviravolta nesses números, avançou muito, e pode-se mesmo dizer que cresceu espetacularmente, quando a métrica é o volume de artigos científicos indexados em bases de dados internacionais, um indicador mundialmente consagrado. Essa produção científica praticamente dobrou do começo para o fim da primeira década do século XXI. E continuou sua ascensão consistente. A expansão notável de produção científica foi baseada na capacidade das universidades públicas brasileiras de produzir ciência. Mais de 95% dessa produção científica do Brasil nas bases internacionais deve-se à capacidade de pesquisa de suas universidades públicas.

O presidente da Academia Brasileira de Ciências, Luiz Davidovich, físico, professor da UFRJ, pesquisador dos mais respeitados por seus brilhantes trabalhos em emaranhamento quântico, relata que, “de acordo com recente publicação feita por Clarivate Analytics a pedido da CAPES, o Brasil, no período de 2011-2016, publicou mais de 250.000 artigos na base de dados Web of Science em todas as áreas do conhecimento, correspondendo à 13ª posição na produção científica global (mais de 190 países)”. As áreas de maior impacto, prossegue, “correspondem a agricultura, medicina e saúde, física e ciência espacial, psiquiatria, e odontologia, entre outras”.

Davidovich ressalta que “todos os estados brasileiros estão representados” nessa produção, “o que mostra uma evolução em relação a períodos anteriores e o papel preponderante desempenhado pelas universidades públicas que estão presentes em todos os estados”.Outro ponto fundamental de sua fala: “Mais de 95% das publicações referem-se às universidades públicas, federais e estaduais. O artigo lista as 20 universidades que mais publicam (5 estaduais e 15 federais), das quais 5 estão na região Sul, 11, na região Sudeste, 2, na região Nordeste e 2, na Centro-Oeste”.

Essas publicações, destaca o presidente da ABC, “estão associadas a pesquisas que beneficiam a população brasileira e contribuem para a riqueza nacional. Graças a essas pesquisas, o petróleo do pré-sal representa atualmente mais de 50% do petróleo produzido no país, a agricultura brasileira sofisticou-se e aumentou sua produtividade, epidemias, como a do vírus da zika, são enfrentadas por grupos científicos de grande qualidade, novos fármacos são produzidos, alternativas energéticas são propostas, novos materiais são desenvolvidos e empresas brasileiras obtêm protagonismo internacional em diversas áreas de alto conteúdo tecnológico, como cosméticos, compressores e equipamentos elétricos”.

(MOURA, Mariluce. Universidades públicas respondem por mais de 95% da produção científica do Brasil. Ciência na Rua, 11 abr. 2019. http://ciencianarua.net/universidades-publicas-respondem-por-mais-de-95-da-producao-cientifica-do-brasil/. Acesso em 09 mai. 2019. Adaptado)

Considerando as relações, procedimentos e recursos responsáveis pela coesão textual, assinale a alternativa em que o recurso apontado NÃO é usado no trecho dado.

  • A O espelho em que todos miravam era obviamente o das nações mais desenvolvidas. - SUBSTITUIÇÃO
  • B O artigo lista as 20 universidades que mais publicam (5 estaduais e 15 federais), das quais 5 estão na região Sul, 11, na região Sudeste, 2, na região Nordeste e 2, na Centro-Oeste”. – PARÁFRASE
  • C Davidovich ressalta que “todos os estados brasileiros estão representados” nessa produção, “o que mostra uma evolução em relação a períodos anteriores e o papel preponderante desempenhado pelas universidades públicas que estão presentes em todos os estados”. – REPETIÇÃO
  • D De lá para cá, o país fez uma reviravolta nesses números, avançou muito, e pode-se mesmo dizer que cresceu espetacularmente, quando a métrica é o volume de artigos científicos indexados em bases de dados internacionais, um indicador mundialmente consagrado. – ELIPSE

História e Geografia de Estados e Municípios

21
Sobre eventos que ocorrem no município de Rio Novo – MG, leia o trecho abaixo e complete a lacuna: Dia da Padroeira Nossa Senhora da Conceição realizada no dia ________, a comemoração incluiu carreata saindo da Capela da Cachoeira Santa em direção à Igreja Matriz, no Centro.
  • A 12 de março
  • B 8 de dezembro
  • C 6 de outubro
  • D Nenhuma das alternativas

Conhecimentos Gerais

22

O Brasil tem uma grande diversidade de cânions para ser explorada. Esses vales profundos levam muitos anos para serem criados e são "esculpidos" por águas de rios com ajuda da força do vento. No Brasil é possível visitar estas formações em diversas regiões e com ajuda do turismo ecológico é possível fazer passeios de barcos e trilhas para conhecer os cânions e a natureza que os cerca.

(Fonte adaptada: https://g1.globo.com/>acesso em 09 de maio de 2019)


São cânions localizados no Brasil, exceto:

  • A Cânion do Xingó.
  • B Cânion Malacara.
  • C Cânion do Cobre.
  • D Cânion do Guartelá.
23

Analise o trecho e assinale a alternativa que completa corretamente a lacuna:


A ___________ é um sistema de medição elaborado por Charles R. e Beno G. utilizado para quantificar a intensidade dos terremotos conforme a sua manifestação na superfície terrestre.

  • A Escala de Braden.
  • B Escala de Apgar.
  • C Escala Ringelmann.
  • D Escala Richter.
24

Até o dia 15 de março deste ano (2019), o ciclone Idai já havia provocado mais 700 mortes em uma das piores catástrofes registradas nos últimos anos na África. Segundo a Unicef, a superlotação nos abrigos poderá propiciar a ocorrência de doenças como cólera, malária e diarreia nos países varridos pelo ciclone, que são os seguintes:

(https://bit.ly/2QdTqpb. Adaptado)

  • A Angola, Zimbábue e Tanzânia.
  • B Angola, Timor Leste e Malaui.
  • C Moçambique, Zimbábue e Timor Leste.
  • D Moçambique, Zimbábue e Malaui.
  • E Timor Leste, Tanzânia e Malaui.
25

São alguns dos principais pontos turísticos e históricos da cidade de Conselheiro Lafaiete:

  • A Praça Bárbara Heliodora; Matriz São Jorge; Estátua de Tiradentes.
  • B Praça Cláudio Manuel da Costa; Matriz Nossa Senhora Aparecida; Estátua do Papa .
  • C Praça Tomás Antônio Gonzaga; Matriz de Sant’Ana; Estátua do índio.
  • D Praça Tiradentes; Matriz São Sebastião; Estátua do Cristo.
  • E Praça do Papa; Matriz de Nossa Senhora do Pilar; Estátua da Liberdade.
26

As reuniões ordinárias da Câmara Municipal de Lafaiete acontecem periodicamente às

  • A terças e quintas-feiras.
  • B segundas e quartas-feiras.
  • C segundas e quintas-feiras.
  • D terças e quartas-feiras.
  • E quartas e quintas-feiras.
27

Bioma é o “conjunto de vida (vegetal e animal) definida pelo agrupamento de tipos de vegetação contíguos e identificáveis em escala regional, com condições geoclimáticas similares e história compartilhada de mudanças, resultando em uma diversidade biológica própria.” (Barreto, 2014)


Sobre o Bioma Pantanal, assinale a alternativa correta:

  • A Constitui a maior superfície inundável interiorana do mundo.
  • B Ocupa sozinho mais de metade do território brasileiro.
  • C Ocupa toda a faixa continental atlântica leste brasileira.
  • D Corresponde à maior reserva de diversidade biológica do mundo.
  • E Não sofre influência de nenhum outro bioma brasileiro.
28
Qual o país fronteiriço ao Brasil que enfrenta uma crise humanitária e cujos cidadãos tem atravessado a fronteira nacional através do Estado de Roraima:
  • A Venezuela.
  • B Haiti.
  • C Peru.
  • D Cuba.
  • E Colômbia.
29

O conflito entre EUA e México continua em torno do muro na fronteira entre os dois países. Dentre as consequências disso para os EUA é correto afirmar:

  • A gerou um dos maiores impasses entre Trump e o congresso americano;
  • B trouxe a maior alta do dólar de todos os tempos;
  • C gerou a maior queda do dólar dos EUA;
  • D desencadeou greve geral de trabalhadores em todas as categorias profissionais;
  • E nenhuma das respostas anteriores.
30

Sobre o Mercosul é correto afirmar:

  • A Trata-se de um bloco econômico com fins apenas comerciais;
  • B É uma aliança comercial que tem por objetivo o livre comércio entre todos os países das Américas.
  • C Constitui-se em um mercado comum sul-americano, caracterizado pela queda das barreiras alfandegárias e livre circulação de pessoas;
  • D Tem como países-membros Brasil, Chile, Venezuela, México, Argentina e Uruguai;
  • E O Mercosul limita a livre circulação de pessoas entre os países do bloco, coibindo a imigração venezuelana.

Legislação Federal

31

No mês de outubro de 2018, foi amplamente noticiado pela imprensa que o Presidente da República sancionou a Lei n. 13.726, de 8.10.18, conhecida como Lei da Desburocratização, que dispensa reconhecimento de firma e autenticação de documento em órgãos públicos. Sobre o tema, assinale a alternativa incorreta:

  • A O objetivo dessa lei é suprimir ou simplificar formalidades e exigências feitas ao cidadão pela Administração Pública e consideradas desnecessárias ou superpostas;
  • B O texto aprovado pelo Congresso afirma que essas burocracias geram custo econômico e social superior ao eventual risco de fraude;
  • C Pela regra, órgãos públicos não poderão exigir que o cidadão reconheça firma para a prestação de algum serviço ou atendimento;
  • D Essa lei gera burocratização do serviço público e mais gastos ao cidadão, já que este, em caso de declaração falsa, ficará sujeito às sanções administrativas, civis e penais;
  • E O objetivo da lei é racionalizar atos e procedimentos administrativos, simplificando formalidades e exigências desnecessárias.

Conhecimentos Gerais

32

“O Pacto Mundial para a Migração da ONU é aprovado em conferência no Marrocos (...) Representantes de quase 160 países aprovaram formalmente o Pacto Mundial para migração das Nações Unidas nesta segunda-feira (10), em Marrakech, no Marrocos”

(disponível em https://g1.globo.com/mundo/noticia/2018/12/10/pacto-mundial-para-a-migracao-da-onu-adotado-oficialmente.ghtml).


Acerca de tal pacto global é incorreto afirmar:

  • A O pacto tem por objetivo reforçar a cooperação internacional para uma migração segura, ordenada e regular.
  • B O pacto proíbe as detenções arbitrárias e apenas autoriza as prisões como medida de último recurso.
  • C O Brasil, ainda representado pelo governo Michel Temer e pelo então ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes, assinou o acordo.
  • D Os Estados Unidos se retiraram da elaboração do texto em dezembro de 2017 por considerá-lo contrário à política migratória do presidente americano, Donald Trump.
  • E O pacto é vinculante e destaca princípios (defesa dos direitos humanos, das crianças, reconhecimento da soberania nacional), mas não enumera propostas para ajudar os países a enfrentar as migrações.

Noções de Informática

33

Associe corretamente o sistema ao seu respectivo componente.


Sistemas

1. Comunicação

2. Informática

3. Segurança


Componentes

( ) Alarme, monitoramento, portas automáticas, fechaduras automáticas.

( ) Centrais telefônicas, secretária eletrônica, identificador de chamadas.

( ) Micros, impressoras, scanners.


A sequência correta dessa associação é

  • A (2); (3); (1).
  • B (3); (1); (2).
  • C (3); (2); (1).
  • D (1); (2); (3).

Conhecimentos Gerais

34

Desde o início de janeiro de 2019, o crime organizado tem promovido uma onda de ataques na capital e em cidades do interior de uma das unidades federativas do Brasil, como represália à adoção de medidas de endurecimento do sistema penitenciário, em especial a transferência de seus chefões para presídios federais de segurança máxima. A unidade da federação em crise é:

  • A Rio de Janeiro;
  • B São Paulo;
  • C Ceará;
  • D Espírito Santo;
  • E Bahia.
35

Fazendo parte dos chamados BRICS, esse país é bastante temido e respeitado pelo seu poder bélico, derivado dos períodos de guerra. Está em desenvolvimento econômico e exporta combustíveis fósseis. O país em questão é?

  • A Brasil
  • B Venezuela
  • C Índia
  • D África do Sul
  • E Rússia
36

O atual presidente do Supremo Tribunal Federal é:

  • A Dias Toffoli;
  • B Cármen Lúcia;
  • C Raquel Dodge;
  • D Ricardo Lewandowski;
  • E Joaquim Barbosa.
37

A Venezuela passa por uma intensa crise econômica e social desde a morte do presidente Hugo Chávez. Em consequência, surgiu um intenso fluxo migratório de venezuelanos para outros países da América Latina, como Colômbia, Peru, Equador e Brasil. A unidade federativa brasileira mais próxima da Venezuela e que sofre com mais intensidade o fluxo de refugiados venezuelanos é:

  • A Rondônia;
  • B Acre;
  • C Rio Grande do Norte;
  • D Roraima;
  • E Amapá.
38

“BRASIL FAZ HISTÓRIA: Na Olimpíada em casa, o Brasil se inspirou e fez a melhor campanha de sua história nos Jogos, quebrando o recorde de ouros para o país: 7. Além disso, foram 6 pratas e 6 bronzes, garantindo em 13º lugar no quadro de medalhas, com um total de 19 pódios – marca também inédita. Apesar do resultado, o país não bateu a meta estabelecida pelo Comitê Olímpico Brasileiro, de ficar entre os 10 primeiros do ranking. Nas competições, muitas surpresas e algumas decepções.” G1 Publicado em 21/08/2016, Atualizado em 22/08/2016.


Ainda assim, nem tudo foi positivo com as Olimpíadas do Rio de Janeiro de 2016. Marque a alternativa que trata dos problemas nas Olimpíadas de 2016.

  • A Nadadores dos Estados Unidos da América mentiram afirmando que foram roubados; as obras de estrutura para melhoria dos transportes não foram concluídas; venda ilegal de ingressos e alimentos com preços muito elevados;
  • B Todas as obras planejadas foram entregues dentro dos prazos estabelecidos; as Olimpíadas deixaram um legado de estrutura de equipamentos olímpicos que tem sido usado amplamente por todos os cidadãos; Os jogos Olímpicos do Rio de Janeiro foram marcados pela transparência, não tendo nenhum caso de denuncia de corrupção;
  • C O grande apoio de toda a população brasileira foi refletido na falta de protestos contra os gastos com os Jogos Olímpicos;
  • D Em meio à realização dos Jogos ocorreu a chamada “greve dos caminhoneiros” que praticamente paralisou o Brasil;
  • E Os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro de 2016 ocorreram no momento da maior crise na Venezuela, o que resultou em diversos problemas com a imigração de milhares de venezuelanos que atravessaram a fronteira com o Brasil em busca de melhores oportunidades.
39

Leia atentamente o seguinte excerto:


“O rádio cresceu no início dos anos 50, quando houve um aumento da publicidade. As populares radionovelas, por exemplo, tinham como complemento propagandas de produtos de limpeza e toalete. Na televisão, a publicidade não se limitava a vender produtos, e as próprias empresas eram produtoras dos programas que patrocinavam. Houve um aumento da tiragem dos jornais e revistas, e popularizaram-se as fotonovelas, lançadas no início da década. O cinema e o teatro também participaram desse processo, tanto do lado das produções de caráter popular quanto das produções mais sofisticadas.(...) Se o otimismo e a esperança implicaram profundas alterações na vida da população em todo o mundo, permitindo, não a todos, mas a uma parcela – os setores médios dos centros urbanos –, consumir novos e mais produtos, por outro lado, a vontade do novo trazia embutido, em várias áreas da cultura, o desejo de transformar a realidade de um país subdesenvolvido, de retirá-lo do atraso, de construir uma nação realmente independente”.

KORNIS, Mônica Almeida. Sociedade e cultura nos anos 1950. FGV CPDOC – O Governo Juscelino Kubitschek.

Disponível em: https://cpdoc.fgv.br/producao/dossies/JK/artigos/Sociedade/ Anos1950.


Partindo do trecho citado, é correto concluir que

  • A no Brasil, os anos da década de 1950 foram marcados pelo otimismo, sobretudo na era JK, e pelo avanço do socialismo de matriz soviética na vida cotidiana dos setores médios urbanos.
  • B o desenvolvimento de toda uma cultura de massa no Brasil dos anos de 1950 se deu afastado da influência do capitalismo dos EUA que, naquele período, disputava a influência econômica, política e ideológica com a URSS.
  • C as alterações ocorridas no período, em toda a sociedade brasileira, levaram a um sentimento de que o Brasil havia saído da condição de subdesenvolvimento e alcançado o nível de nação desenvolvida.
  • D as mudanças ocorridas na vida das classes médias urbanas, na década de 1950, também proporcionaram, a partir de então, uma conscientização na área da cultura, sobre a realidade do Brasil e a necessidade de mudá-la.
40

Atente para o que se afirma a seguir sobre as guerras e conflitos violentos que ocorrem na África atualmente:


I. No Sudão, Congo e Etiópia predominam os conflitos de natureza étnica ou religiosa.

II. No Burundi e Ruanda os conflitos originam-se da disputa pelo poder político de um grupo sobre o outro.

III. Há grupos que disputam pela autonomia de minorias ou pelo controle de territórios e fronteiras.


É correto o que se afirma em

  • A I e II apenas.
  • B II e III apenas.
  • C I e III apenas.
  • D I, II e III.
Voltar para lista