Resolver o Simulado Psicólogo - FCC - Nível Superior

0 / 30

Psicologia

1

Em concordância ao instituído no Estatuto do Idoso, destinado a regular os direitos assegurados às pessoas com idade igual ou superior a 60 anos, especialistas afirmam que

  • A o desenvolvimento da afetividade é elemento primordial para o prolongamento da vida das pessoas com idade avançada, pois permite um equilíbrio entre os aspectos físicos e psicológicos do idoso.
  • B o envelhecimento saudável depende fundamentalmente da interação entre os fatores biológicos e ambientais, pois deles surgem o maior número de doenças degenerativas.
  • C para um melhor desenvolvimento de pessoas com idades mais avançadas, é necessário a disponibilidade de recursos médicos e psicológicos que forneçam atividades biopsicomotoras.
  • D o desenvolvimento e a manutenção de padrões efetivos de envelhecimento não somente dependem de determinantes de natureza genético-biológica, mas também são influenciados por fatores socioculturais.
  • E as habilidades intelectuais, como a capacidade de articular o pensamento lógico, dependem essencialmente de exercícios que estimulem a memória, prevenindo o declínio das capacidades adaptativas
2

O uso de taxionomias de objetivos educacionais facilita também

  • A a elaboração de currículos profissionais em programas de educação continuada.
  • B o desenvolvimento de análises de cargos mais completas.
  • C a definição da carreira que o colaborador deve seguir dentro da organização.
  • D a orientação dos programas de diversidade aplicados pela empresa.
  • E a criação de estratégias de recrutamento de pessoal para a organização.
3

De acordo com o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome e a Tipificação Nacional de Serviços Socioassistenciais, a Proteção Social Básica e a Especial devem ser ofertadas de modo a atender a diversidade de demandas da matricialidade familiar. Nesse sentido é correto afirmar que

  • A os Centros-Dia são unidades referenciadas no atendimento à proteção social especial de pessoas idosas que sofreram negligência, abandono familiar ou isolamento social.
  • B o Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família contempla as necessidades de proteção social especial por focar no cuidado e fortalecimento dos vínculos sociais e familiares.
  • C o Serviço de Proteção a Adolescentes que cometeram infrações e prestam serviço à comunidade visa contemplar a proteção social básica com base na vulnerabilidade social e demandas dos jovens e suas famílias.
  • D o Serviço de Acolhimento em Família Acolhedora é destinado a crianças e jovens em medida protetiva, orientado pelos princípios do ECA, priorizando-se a temporalidade e a reintegração familiar.
  • E o Bolsa Família foi criado para atender família em situação de vulnerabilidade econômica com filhos em idade escolar e risco social.
4

Com a Quarta Revolução Industrial, surgiu a necessidade de revisão do papel do profissional de recursos humanos na organização. Esse novo papel é denominado

  • A analista estratégico.
  • B agente de transformação.
  • C consultor de transformação.
  • D designer organizacional.
  • E consultor institucional.
5

Para Freud, a associação livre é um método que

  • A consiste em reprimir conteúdo do inconsciente, favorecendo uma sensação de bem-estar ao cliente, que sofre traumas advindos de um Complexo de Édipo não constelado.
  • B reproduz de forma linear os pensamentos do cliente codificando os estímulos que provocaram dor e hoje são vivenciados pelo cliente como fobias.
  • C evidencia respostas negativas a estímulos sensoriais que se expressam diante de eventos positivos que mereciam ser vivenciados sem dor.
  • D leva à cura do paciente que apresenta um comprometimento do sistema nervoso central.
  • E consiste em o paciente exprimir indiscriminadamente todos os pensamentos que vem à sua mente, quer a partir de um elemento dado (palavra, número, imagem de um sonho, qualquer representação), quer de forma espontânea.
6

O desenvolvimento da educação especial de qualidade nas escolas é um grande desafio para atuação dos professores. Quando nos referimos a alunos residentes em Quilombolas, observa-se uma situação de maior isolamento e invisibilidade, por falta de acesso aos recursos disponíveis.


Dentre as afirmativas abaixo, as temáticas relacionadas à interface entre a educação especial e educação escolar quilombola são:


I. Os direitos assegurados na Resolução n° 8, de 20 de novembro de 2012, definem as Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Escolar Quilombola na Educação Básica.

II. As Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Escolar garantem apoio técnico pedagógico aos estudantes, recursos didáticos e tecnológicos em âmbito geral.

III. Essa interface ainda não ocorre porque as escolas de quilombos ainda são precárias no país.

IV. A Resolução n° 8 garante que o trabalho precisa ser realizado a partir da escuta das famílias e do contexto sociocultural das comunidades.


Está correto o que se afirma APENAS em

  • A III.
  • B I e IV.
  • C I e II.
  • D III e IV.
  • E II e III.
7

Quando é necessário oferecer instruções sobre o trabalho, informações sobre políticas da organização e contrapartidas em relação ao desempenho, a direção da comunicação organizacional a ser adotada é a comunicação

  • A horizontal.
  • B de baixo para cima.
  • C lateral.
  • D de cima para baixo.
  • E informal.
8

Crianças em situação de abrigo devem ter especial atenção no que se refere à constituição psíquica e aos vínculos da primeira infância. São ações que visam essa atenção:


I. Contato físico com a criança acompanhado de falas do cuidador que atribuam sentido ao que está ocorrendo, principalmente nos momentos de cuidados básicos.

II. Realizar um “diário da criança”, uma vez que este pode complementar a sua história.

III. Um bom treinamento com a equipe, para que a rotatividade dos cuidadores não impacte significativamente na qualidade das relações estabelecidas com a criança, fazendo com que não perceba a troca de pessoas.

IV. Um trabalho com os pais, com encontros sistemáticos, no sentido de conversar sobre o desenvolvimento e planejar o retorno da criança para casa.


Está correta o que se afirma APENAS em

  • A I, II e III.
  • B II, III e IV.
  • C I, II e IV.
  • D III e IV.
  • E II e III.
9

Uma das características das Organizações Exponenciais é que elas incluem

  • A uma Vantagem Promissora Específica.
  • B uma Missão para Resultados.
  • C um Propósito Integrador Progressivo.
  • D uma Missão Transformadora Massiva.
  • E um Propósito Transformador Massivo.
10

A psicóloga Beth atendia uma família em terapia familiar sistêmica, em que o par conjugal estava em uma relação distante e semimorta. No intuito de romper a homeostase familiar patológica e oportunizar aos membros da família o aparecimento de sentimentos, pensamentos e padrões novos de conduta e percepção, utilizou-se de uma técnica recomendando a continuidade do sintoma, com a expectativa de que ele viesse a se tornar egodistônico e indesejável. Recomendou que os filhos continuassem a apresentar problemas, o que obrigava os pais a se manterem preocupados com eles, evitando a dor maior de se confrontar com o vazio de sua relação e o risco de separação conjugal. A técnica utilizada foi

  • A diálogo inesperado.
  • B confrontação situacional.
  • C impacto transformador.
  • D prescrição paradoxal.
  • E aconselhamento invertido.
11

Muitas comunidades quilombolas ainda desconhecem os programas e serviços específicos a elas destinadas. A falta de informação aliada à burocratização continuam sendo impedimentos para o exercício da cidadania. O Programa Brasil Quilombola dá visibilidade e relevância às políticas públicas, e a partir de seu desdobramento, a Agenda Social Quilombola (Decreto n° 6261/2007) descreve ações pautadas em quatro eixos:

  • A acesso à terra; qualidade de vida; inclusão produtiva e desenvolvimento local; direitos e cidadania.
  • B habitação; infraestrutura e saneamento; eletrificação e edificação; comunicação e cidadania.
  • C seguridade social; políticas públicas de saúde; previdência social; assistência social.
  • D regularização fundiária das áreas de quilombo; seguridade social; infraestrutura e saneamento; assistência social.
  • E direitos; cidadania; regularização fundiária das áreas de quilombo; regularização de convênios de saúde.
12

A rotatividade é determinada basicamente por dois fatores:

  • A comportamento inadequado e violação do código de ética.
  • B determinação do sindicato e condições do mercado de trabalho.
  • C condições do mercado e estratégias organizacionais.
  • D participação em greves e desempenho fraco.
  • E iniciativa do funcionário e desligamento por iniciativa da empresa.
13

Segundo o DSM-V, o Transtorno da Personalidade Antissocial tem como característica

  • A o surgimento na infância ou no início da adolescência e o ajustamento às normas sociais na vida adulta.
  • B comportamentos relacionados a falsidade e a manipulação nas relações sociais, além de um padrão difuso de indiferença aos outros.
  • C uma atitude comportamental manipuladora aprendida e aprimorada socialmente, que não sofre influência genética.
  • D fatores de risco para o desenvolvimento de comportamentos antissociais que são os mesmos para crianças e adolescentes de ambos os sexos.
  • E o diagnóstico realizado na infância a partir dos sintomas relacionados ao comportamento antissocial de isolamento.
14

Um dos fatores organizacionais associados a índices elevados da síndrome de Burnout corresponde

  • A ao baixo nível de controle, falta de conhecimento para realizar o trabalho e falta de estímulo para se trabalhar.
  • B à falta de suporte social, falta de estrutura de trabalho e de apoio familiar.
  • C ao tipo de ocupação, suporte familiar e estrutura de trabalho.
  • D à falta de confiança, de respeito e de consideração entre os membros de uma equipe.
  • E ao trabalho por turnos, falta de autoconfiança e falta de equipamentos de segurança.
15

Na Terapia Cognitiva de abuso de substâncias, identifica-se distorções cognitivas. A distorção, que consiste em erros de avaliação da importância ou magnitude de um evento, faz com que o paciente espere e antecipe sempre o pior, e é denominada:

  • A Pensamento Dicotômico, por exemplo, o paciente ora julga que está fazendo “tudo” pela abstinência, ora que não está fazendo “nada”.
  • B Catastrofização, por exemplo, o paciente que decidiu voltar a beber porque “tudo estaria perdido”, uma vez que não atingiu uma meta no trabalho.
  • C Supergeneralização, por exemplo, “se eu escorreguei e dei um trago, não serei capaz de evitar novamente”.
  • D Abstração Seletiva, por exemplo, o paciente que julga que seu consumo de álcool não é prejudicial por não ficar totalmente embriagado, mas que desconsidera os problemas com a esposa.
  • E Abstração Reativa, por exemplo, o paciente que julga que seu consumo de álcool não é prejudicial por não ter consequências físicas intensas, mas que desconsidera os problemas com o diabetes e provas de função hepática alterados.
16

No que se refere a filhos de refugiados, as garantias ao direito ao acesso à documentação e regulamentação dos pais e responsáveis é respaldado

  • A pelo ECA, que discorre sobre os direitos de todas as crianças e adolescentes.
  • B pelo Comitê das Nações Unidas sobre os Direitos da Criança desacompanhadas, principalmente afegãs e sírias.
  • C por múltiplos fatores – socioeconômicos, culturais e políticos, previstos pelo ECA.
  • D pela a nova lei de imigração (Lei n° 13.445, de 24 de maio de 2017).
  • E pelos direitos constitucionais internacionais e Estatuto da Criança e do Estrangeiro.
17

São DESVANTAGENS do recrutamento externo:

  • A exigir que os novos funcionários tenham potencial de desenvolvimento para serem promovidos podendo gerar conflito de interesses, pois, cria uma atitude negativa aos funcionários que não foram envolvidos no processo.
  • B ter o custo mais elevado e geralmente afetar a política salarial da empresa.
  • C levar os colaboradores a um progressivo bitolamento com as políticas e diretrizes da organização, quando praticado continuamente e em termos globais.
  • D levar a um progressivo bitolamento com as políticas e diretrizes da organização e exigir que os novos funcionários tenham potencial de desenvolvimento para serem melhor aproveitados.
  • E levar a situação que Laurence Peter denomina de “Princípio de Peter” e gerar conflitos de interesses, pois, ao oferecer oportunidades de crescimento, cria uma atitude negativa nos colaboradores que não foram envolvidos no processo.
18

Considere as assertivas abaixo no que se refere as políticas de atendimento à infância e adolescência, que visam à integração de objetivos e formas de ação em relação ao público-alvo.


I. O ECA distribui as políticas de atendimento a criança e adolescentes em unicamente 2 linhas de ação: as políticas sociais básicas e as políticas de proteção.

II. Há necessidade de uma complementariedade entre a intervenção do Estado e privada, no atendimento as políticas de direitos da infância e adolescência.

III. Organizações não governamentais entraram em cena no campo do atendimento às políticas sociais à infância e à juventude e estão sempre alinhadas com as políticas públicas.

IV. É importante a avaliação e transparência das ações e a prestação de contas à comunidade, sempre no sentido de atingir mais autonomia no desenvolvimento individual e coletivo.


Está correto o que se afirma APENAS em

  • A I e IV.
  • B I e II.
  • C II e III.
  • D III e IV.
  • E II e IV.
19

Nos estudos sobre estresse, a Síndrome Geral de Adaptação (Hans Seley) caracteriza-se por fases de

  • A somatização, fadiga e depressão.
  • B alarme, resistência e exaustão.
  • C sensações, distúrbios e doença.
  • D diminuição da libido, desgaste físico e eustress.
  • E distress, eustress e estresse.
20

Para o desenvolvimento do Treinamento de Habilidades Sociais − THS, considera-se como uma primeira etapa

  • A a elaboração de um método de coaching que visa levar o cliente a compreender seus receios e depois introduzir técnicas que o auxiliem a desenvolver emoções positivas.
  • B que o paciente entenda e diferencie entre estímulos e respostas não assertivas.
  • C que o paciente diferencie estímulos positivos de negativos e saiba depois conseguir se autorregular emocionalmente.
  • D a reestruturação cognitiva dos modos de se sentir socialmente e individualmente no mundo.
  • E a construção de um sistema de crenças que mantenha o respeito pelos próprios direitos pessoais e pelos direitos dos demais.

Português

21

[Pai e filho]


No romance Paradiso o grande escritor cubano José Lezama Lima diz que um ser humano só começa a envelhecer depois da morte do pai. Freud atribui a essa morte um dos grandes traumas de um filho.

A amizade e a cumplicidade quase sempre prevalecem sobre as discussões, discórdias e outras asperezas de uma relação às vezes complicada, mas sempre profunda. Às vezes você lamenta não ter conversado mais com o seu pai, não ter convivido mais tempo com ele. Mas há também pais terríveis, opressores e tirânicos.

Exemplo desse caso está na literatura, na Carta ao pai, de Franz Kafka. É esse um dos exemplos notáveis do pai castrador, que interfere nas relações amorosas e na profissão do filho. Um pai que não se conforma com um grão de felicidade do jovem Franz. A Carta é o inventário de uma vida infernal. É difícil saber até que ponto o pai de Kafka na Carta é totalmente verdadeiro. Pode se tratar de uma construção ficcional ou um pai figurado, mais ou menos próximo do verdadeiro. Mas isso atenua o sofrimento do narrador? O leitor acredita na figuração desse pai. Em cada página, o que prevalece é uma alternância de sofrimento e humilhação, imposta por um homem prepotente e autoritário.

(Adaptado de: HATOUM, Milton. Um solitário à espreita. São Paulo: Companhia das Letras, 2013, p. 204-205)

É plenamente adequado o emprego de pronomes e do sinal indicativo de crase em:

  • A Diante da morte do pai, o filho não apenas lhe lamenta como se vê submetido à culpas inconsoláveis e a profundos remorsos.
  • B Kafka escreveu uma Carta ao pai, carregando-lhe de sentimentos duros, que o leitor à muito custo acompanhará.
  • C Ninguém se sentirá alheio às provações que Kafka nos conta em sua carta, a propósito das dores que o pai lhe infligiu.
  • D As emoções que provoca no leitor à leitura da carta de Kafka ao pai devem-se ao poder da ficção que lhe captura.
  • E As palavras da Carta conduzem o leitor, passo à passo, pelas dores e humilhações que o pai de Kafka fez-lhe passar.
22

                                     A era das compras


      A economia capitalista moderna deve aumentar a produção constantemente, se quiser sobreviver, como um tubarão que deve nadar para não morrer por asfixia. Mas a maioria das pessoas, ao longo da história, viveu em condições de escassez. A fragilidade era, portanto, sua palavra de ordem. A ética austera dos puritanos e a dos espartanos são apenas dois exemplos famosos. Uma pessoa boa evitava luxos e nunca desperdiçava comida. Somente reis e nobres se permitiam renunciar publicamente a tais valores e ostentar suas riquezas.

      O consumismo vê o consumo de cada vez mais produtos e serviços como algo positivo. Encoraja as pessoas a cuidarem de si mesmas, a se mimarem e até a se matarem pouco a pouco por meio do consumo exagerado. A frugalidade é uma doença a ser curada. Não é preciso olhar muito longe para ver a ética do consumo em ação – basta ler a parte de trás de uma caixa de cereal: “Para uma refeição saborosa no meio do dia, perfeita para um estilo de vida saudável. Um verdadeiro deleite com o sabor maravilhoso do “quero mais!”.

      Durante a maior parte da história, as pessoas teriam sido repelidas, e não atraídas, por esse texto. Elas o teriam considerado egoísta, indecente e moralmente corrupto. O consumismo trabalhou duro, com a ajuda da psicologia e da vontade popular, para convencer as pessoas de que a indulgência com os excessos é algo bom, ao passo que a frugalidade significa auto-opressão.

(Adaptado de: HARARI, Yuval Noah. Sapiens – uma breve história da humanidade. 38. ed. Porto Alegre: L&PM, 2018, p. 357-358) 

Há adequada correlação entre os tempos e os modos verbais empregados na frase:

  • A Há quem queira que a economia capitalista deva aumentar sua produção para que sobrevivesse de modo mais consistente.
  • B Caso retornássemos às antigas situações de escassez em que viviam os antigos, talvez venhamos a sentir saudade do presente consumismo.
  • C A menos que venha a encorajar as pessoas a um consumismo desenfreado, a propaganda poderia não ver sentido na linguagem de que se vale.
  • D Quem esperasse encontrar informações úteis e objetivas numa caixa de cereal terá se decepcionado com a linguagem apenas persuasiva.
  • E Na hipótese de virem a ser contrariadas em sua inclinação para o consumo, muitas pessoas não hesitariam em maldizer seus críticos.
23

                                     A era das compras


      A economia capitalista moderna deve aumentar a produção constantemente, se quiser sobreviver, como um tubarão que deve nadar para não morrer por asfixia. Mas a maioria das pessoas, ao longo da história, viveu em condições de escassez. A fragilidade era, portanto, sua palavra de ordem. A ética austera dos puritanos e a dos espartanos são apenas dois exemplos famosos. Uma pessoa boa evitava luxos e nunca desperdiçava comida. Somente reis e nobres se permitiam renunciar publicamente a tais valores e ostentar suas riquezas.

      O consumismo vê o consumo de cada vez mais produtos e serviços como algo positivo. Encoraja as pessoas a cuidarem de si mesmas, a se mimarem e até a se matarem pouco a pouco por meio do consumo exagerado. A frugalidade é uma doença a ser curada. Não é preciso olhar muito longe para ver a ética do consumo em ação – basta ler a parte de trás de uma caixa de cereal: “Para uma refeição saborosa no meio do dia, perfeita para um estilo de vida saudável. Um verdadeiro deleite com o sabor maravilhoso do “quero mais!”.

      Durante a maior parte da história, as pessoas teriam sido repelidas, e não atraídas, por esse texto. Elas o teriam considerado egoísta, indecente e moralmente corrupto. O consumismo trabalhou duro, com a ajuda da psicologia e da vontade popular, para convencer as pessoas de que a indulgência com os excessos é algo bom, ao passo que a frugalidade significa auto-opressão.

(Adaptado de: HARARI, Yuval Noah. Sapiens – uma breve história da humanidade. 38. ed. Porto Alegre: L&PM, 2018, p. 357-358) 

Ao analisar os hábitos de consumo, o autor do texto avalia esses hábitos de consumo contrapondo os mesmos aos hábitos de consumo que havia em épocas de maior frugalidade.


Evitam-se as viciosas repetições da frase acima substituindo-se os elementos sublinhados, na ordem dada, por:

  • A os avalia − contrapondo-os − àqueles
  • B avalia-os − contrapondo-lhes − àqueles
  • C avalia-lhes − contrapondo-os − a esses
  • D lhes avalia − lhes contrapondo − a aqueles
  • E avalia a estes − contrapondo-os − a estes
24

        O poeta, quanto mais individual, mais universal, pois o homem, qualquer que seja o meio e a época, só vem a compreender e amar o que é essencialmente humano. Embora, eu que o diga, seja tão difícil ser assim autêntico. Às vezes assalta-me o terror de que todos os meus poemas sejam apócrifos.

       Se estas linhas estão te aborrecendo é porque és poeta mesmo. Modéstia à parte, as digressões sobre poesia sempre me causaram tédio e perplexidade. A culpa é tua, que me pediste conselho e me colocas na insustentável situação em que me vejo quando alunos dos colégios vêm (por inocência ou maldade dos professores) fazer pesquisas com perguntas assim: “O que é poesia? Por que se tornou poeta?”. A poesia é destas coisas que a gente faz mas não diz.

      Não sei como vem um poema. Às vezes uma palavra, uma frase ouvida, uma repentina imagem que me ocorre nas ocasiões mais insólitas. A esta imagem respondem outras (em vez de associações de ideias, associações de imagens; creio ter sido esta a verdadeira conquista da poesia moderna). Não lhes oponho trancas nem barreiras. Vai tudo para o papel. Guardo o papel, até que um dia o releio, já esquecido de tudo. Vem logo o trabalho de corte, pois noto o que estava demais. Coisas que pareciam bonitinhas, mas que eram puro enfeite, coisas que eram puro desenvolvimento lógico (um poema não é um teorema), tudo isso eu deito abaixo, até ficar o essencial, isto é, o poema.

      Um poema tanto mais belo é quanto mais parecido for com um cavalo. Por não ter nada de mais nem nada de menos é que o cavalo é o mais belo ser da criação. Como vês, para isso é preciso uma luta constante. A minha está durando a vida inteira. O desfecho é sempre incerto. Sinto-me capaz de fazer um poema tão bom ou tão ruinzinho como aos dezessete anos.

(Adaptado de: QUINTANA, Mario. “Carta”. Melhores poemas. São Paulo: Global Editora, 2005, edição digital) 

Às vezes assalta-me o terror de que todos os meus poemas sejam apócrifos. (1° parágrafo)

A frase acima está corretamente transposta para o discurso indireto do seguinte modo:

Disse que, às vezes,

  • A assaltou-lhe o terror de que todos os seus poemas me eram apócrifos.
  • B assaltava-lhe o terror de que todos os seus poemas fossem apócrifos.
  • C teria sido assaltado pelo terror de que todos os meus poemas foram apócrifos.
  • D fui assaltado pelo terror de que todos os meus poemas serão apócrifos.
  • E será assaltado pelo terror de que todos os seus poemas lhe eram apócrifos.
25

                                     A era das compras


      A economia capitalista moderna deve aumentar a produção constantemente, se quiser sobreviver, como um tubarão que deve nadar para não morrer por asfixia. Mas a maioria das pessoas, ao longo da história, viveu em condições de escassez. A fragilidade era, portanto, sua palavra de ordem. A ética austera dos puritanos e a dos espartanos são apenas dois exemplos famosos. Uma pessoa boa evitava luxos e nunca desperdiçava comida. Somente reis e nobres se permitiam renunciar publicamente a tais valores e ostentar suas riquezas.

      O consumismo vê o consumo de cada vez mais produtos e serviços como algo positivo. Encoraja as pessoas a cuidarem de si mesmas, a se mimarem e até a se matarem pouco a pouco por meio do consumo exagerado. A frugalidade é uma doença a ser curada. Não é preciso olhar muito longe para ver a ética do consumo em ação – basta ler a parte de trás de uma caixa de cereal: “Para uma refeição saborosa no meio do dia, perfeita para um estilo de vida saudável. Um verdadeiro deleite com o sabor maravilhoso do “quero mais!”.

      Durante a maior parte da história, as pessoas teriam sido repelidas, e não atraídas, por esse texto. Elas o teriam considerado egoísta, indecente e moralmente corrupto. O consumismo trabalhou duro, com a ajuda da psicologia e da vontade popular, para convencer as pessoas de que a indulgência com os excessos é algo bom, ao passo que a frugalidade significa auto-opressão.

(Adaptado de: HARARI, Yuval Noah. Sapiens – uma breve história da humanidade. 38. ed. Porto Alegre: L&PM, 2018, p. 357-358) 

Analisa-se nesse texto, basicamente, a divergência que se estabelece quanto

  • A ao papel econômico que desde sempre o consumismo desenfreado teria assumido como fator de aceleração do progresso social.
  • B aos valores constituídos numa sociedade atenta às demandas essenciais e aos daquela regida pela valorização do máximo consumo.
  • C às reações daqueles que, diante das práticas consumistas, ou louvam a moralidade dos mais pobres ou incriminam a dos mais ricos.
  • D às práticas consumistas que, em nossos dias, vêm provocando, por um lado, melhor distribuição de renda e, por outro, enriquecimento ilícito.
  • E à função dos economistas, que deveriam, segundo uns, criar um modelo austero e, segundo outros, administrar as condições de escassez.

Atualidades

26

Em 2017 quando o movimento #MeToo foi formalmente lançado, as notícias se sucediam a toda velocidade, e carreiras inteiras desmoronavam. Pouco a pouco, 12 meses depois, os detalhes escabrosos foram dando lugar à reflexão. Agora, esse movimento (# MeToo) começa a ser o que sempre desejou. Um diálogo de todos como sociedade. Uma enorme mudança cultural.

(Texto adaptado. Disponível em: https://brasil.elpais.com/brasil/2018/ 10/04/actualidad/1538678547_217451.html)


O movimento # MeToo

  • A desenvolveu-se nos Estados Unidos com o apoio de artistas e intelectuais com o objetivo de descriminalizar alguns tipos de drogas utilizadas com fins medicinais, como a maconha.
  • B foi criado nos antigos países socialistas europeus para denunciar crimes e perseguições étnicas e religiosas promovidas pelo exército soviético, depois russo, contra minorias pobres.
  • C nasceu na Europa ocidental e foi criado para denunciar os grupos de extrema direita que influenciaram governos a assumir políticas de restrição à entrada de imigrantes e refugiados.
  • D surgiu nos Estados Unidos e teve como um dos objetivos iniciais incentivar as mulheres a mostrarem solidariedade umas com as outras, especialmente quando se tratava de casos de assédio sexual.
  • E teve origem simultaneamente nos Estados Unidos e países ricos da Europa para desenvolver políticas de inclusão social destinadas às mulheres chefes de família em países pobres.
27

A partir dos anos de 2015 e 2016, as agências Standard & Poor's, Fitch e Moody's passaram a ser citadas inúmeras vezes pela mídia brasileira, geralmente acompanhada de preocupações do governo federal e da sociedade como um todo.


Em 2018, as agências continuam atuando no Brasil e mantendo as preocupações devido

  • A à retirada do Brasil da lista dos países que são bons pagadores de dívidas e atrativos para investidores.
  • B aos frequentes surtos de doenças transmissíveis decorrentes do déficit no saneamento básico nas áreas urbanas.
  • C à dependência da economia brasileira das exportações de commodities com baixo valor agregado
  • D ao aumento das áreas de desmatamento na Amazônia, promovido pela ausência de políticas ambientais eficazes.
  • E ao crescimento dos níveis de poluição atmosférica em desrespeito aos compromissos climáticos assinados pelo governo.
28

No âmbito das relações internacionais, o Acordo de Paris é

  • A uma Convenção Internacional de proteção aos direitos das minorias étnicas e sexuais, visando à igualdade de direitos de todos os povos independentemente de cor, origem, religião ou condição econômica.
  • B um Tratado Internacional que mantém a integridade da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), pelo qual os países europeus e os Estados Unidos comprometem-se a proteger os países membros de agressões externas.
  • C um Tratado Internacional no âmbito da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre a Mudança do Clima (UNFCCC, sigla em inglês), que rege medidas de redução de emissão de dióxido de carbono a partir de 2020.
  • D um Pacto de Proteção Mútua dos povos ocidentais em ratificação aos direitos humanos e em defesa da democracia pluralista.
  • E um Tratado Internacional celebrado em 2017 para proteção do equilíbrio ecológico do planeta, tendo em vista o avanço do efeito estufa e a extinção de espécimes da fauna e da flora.
29

Considere as seguintes assertivas:


I. Dependem de autorização do Banco Central do Brasil a constituição e o financiamento de agências de fomento sob controle acionário de Unidade da Federação cujo objeto social é financiar capital fixo e de giro associado a projetos na Unidade da Federação onde tenham sede.

II . As agências de fomento devem ser constituídas sob a forma de sociedade anônima de capital aberto, consoante a lei respectiva.

III . As agências de fomento podem ser transformadas em qualquer outro tipo de instituição, desde que autorizadas a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

IV. O Banco Central do Brasil autorizará a constituição de uma única agência de fomento por Unidade da Federação.


Está correto o que se afirma APENAS em

  • A II, III e IV.
  • B II e IV.
  • C I e III .
  • D I e IV.
  • E I , II e III .
30

O Portal da Transparência do Ministério Público de Pernambuco, no cumprimento da Lei de Acesso à Informação, publicou, com base no ano de 2017, o Rol das informações desclassificadas nos últimos 12 meses. O rol assinala que, nesse período,

  • A houve 14 informações desclassificadas.
  • B houve 5 informações desclassificadas.
  • C não houve informações desclassificadas.
  • D houve apenas uma informação desclassificada.
  • E as informações classificadas totalizaram o número de 55.
Voltar para lista