Resolver o Simulado VUNESP

0 / 40

Psicologia

1

Jovem deficiente, em situação de curatela, que tem um impedimento de longo prazo de natureza intelectual e sensorial, é trazido para atendimento em um serviço de atenção básica em saúde. Ele precisa submeter-se a um tratamento prolongado, em função de um comprometimento de sua saúde física. Nesse caso, o consentimento prévio, livre e esclarecido para a realização desse tratamento

  • A é desnecessário, porque o jovem é uma pessoa com deficiência.
  • B só precisa ser solicitado ao representante legal desse jovem com deficiência.
  • C precisa ser obtido junto a uma autoridade judicial.
  • D é dispensável, pois a limitação descrita compromete o entendimento da situação.
  • E é indispensável, e a participação do jovem deve ser assegurada no maior grau possível.
2

Um idoso deu entrada em um pronto-atendimento de um hospital geral, inconsciente, trazido por uma ambulância. Ele não estava acompanhado no momento em que chegou ao hospital, porque o atendimento emergencial foi solicitado por desconhecidos. Os exames iniciais identificaram risco de morte e a necessidade de uma intervenção cirúrgica imediata. Nesse caso,

  • A o procedimento pode ser autorizado pelo médico que o atendeu.
  • B a intervenção deverá aguardar a presença e autorização de um familiar do idoso.
  • C o atendimento deverá ser adiado até que o idoso possa autorizar conscientemente a intervenção.
  • D a cirurgia deverá ser autorizada por um curador, porque o idoso está interditado.
  • E a operação pode ser realizada sem autorização, porque envolve risco imediato.
3

De acordo com os princípios do Sistema Único de Saúde (SUS), a integralidade

  • A garante à população o acesso imediato às ações e aos serviços públicos em todos os níveis de atenção em saúde.
  • B reafirma a necessidade de se reduzir as disparidades sociais e regionais no que se refere à atenção e recuperação da saúde das comunidades.
  • C preconiza que a atenção em saúde deve levar em consideração as necessidades específicas de grupos de pessoas, ainda que minoritários em relação à população.
  • D gerencia as atribuições dos gestores municipais e estaduais para garantir a eficiência e efetividade das ações de saúde para a população.
  • E reassegura a formação e o funcionamento dos Conselhos de Saúde, impulsionando a participação da população na elaboração de políticas públicas.
4

As oficinas terapêuticas são uma das principais formas de tratamento oferecidas pelos Centros de Atenção Psicossocial – CAPS. As oficinais terapêuticas propõem uma série de atividades que

  • A devem atender, fundamentalmente, aos interesses determinados pelos técnicos encarregados do serviço para a reabilitação dos usuários.
  • B podem ser definidas de acordo com os interesses dos usuários, das possibilidades dos técnicos ou das necessidades do serviço de saúde.
  • C visam, prioritariamente, a recuperação da capacidade produtiva e a recomposição da renda dos portadores de transtornos mentais.
  • D possibilitam aos portadores de transtornos mentais um contato mais profundo com a sua dinâmica psíquica e com as suas limitações afetivas.
  • E eliminam as angústias dos usuários do serviço, favorecendo sua aderência ao tratamento e às estratégias adotadas para sua recuperação.
5

Os Centros de Convivência e Cooperativa foram criados, em 1989, na cidade de São Paulo, como um

  • A meio para atuar nas lacunas identificadas em outras instituições de saúde, com o objetivo de recuperar a cidadania dos portadores de transtornos mentais.
  • B ambiente para conectar as pessoas pelas suas patologias, favorecendo o encontro entre os iguais para o compartilhamento de experiências.
  • C modo para oferecer assistência psiquiátrica e psicológica com caráter mais individualizado aos portadores de transtornos psíquicos.
  • D serviço que tinha como função prioritária na rede de saúde a inclusão dos usuários das unidades em saúde mental no tecido social.
  • E dispositivo para garantir a renda de portadores de transtornos mentais que, devido à sua condição, não conseguem inserção no mercado de trabalho.
6

Pesquisas recentes na área da neurobiologia comprovam que tanto a psicoterapia quanto o tratamento em farmacoterapia afetam o cérebro. Essas pesquisas permitem afirmar que

  • A ambos podem ser considerados tratamentos biológicos, em um sentido extremamente real.
  • B a psicoterapia modifica as mesmas estruturas cerebrais alteradas pelo uso da medicação.
  • C a farmacoterapia tem a mesma eficácia da psicoterapia no tratamento dos transtornos mentais.
  • D a psicoterapia pode substituir com sucesso a utilização da medicação no tratamento dos transtornos psíquicos.
  • E tanto a psicoterapia quanto a farmacoterapia são incapazes de atuar no nível simbólico do sofrimento psíquico.
7

Os pacientes borderline, na visão de Otto Kernberg, um dos principais teóricos que abordou esse tipo de organização da personalidade,

  • A perseveram em uma modalidade de pensamento psicótico, independentemente das condições com as quais se deparam no ambiente externo.
  • B utilizam como principal estratégia defensiva a racionalização, o que impede o contato com os afetos reprimidos e com o seu temor de entrar em conflito nos relacionamentos.
  • C exibem capacidade para sublimação somente quando se deparam com situações de pressão no ambiente externo que podem provocar um colapso.
  • D demonstram desconforto em situações de proximidade física e não gostam de se envolver em relacionamentos íntimos, por medo da dependência.
  • E são incapazes de reunir forças do ego para retardar a descarga de impulsos, para modular manifestações afetivas e orientar o comportamento.
8

O atendimento domiciliar em psicologia é uma modalidade de atuação que tem levantado algumas questões relativas à sua natureza e aos problemas éticos que pode envolver. Em um atendimento domiciliar, o psicólogo

  • A pode se envolver nas questões familiares de seus pacientes, que constituem impedimentos para a recuperação do doente.
  • B deve abordar, durante os atendimentos, somente o conteúdo que o paciente trouxer ou as situações que tenha presenciado.
  • C evita qualquer tipo de contato com os familiares do paciente, para garantir a confidencialidade dos dados por ele fornecidos.
  • D comparece à casa do paciente sem a necessidade de estabelecer nenhum horário ou dia fixo, em respeito às limitações do paciente.
  • E estabelece as condições do setting de maneira rígida, uma vez que as condições nas quais o atendimento ocorre são geralmente muito precárias.
9

A conduta adotada para encaminhamento de pacientes com transtorno de pânico geralmente associa o uso de medicamentos e a psicoterapia psicodinâmica. Essa conduta é

  • A desaconselhável, porque a medicação impede a mentalização e compromete o entendimento das fantasias agressivas características desse tipo de paciente.
  • B acertada, pois permite que a ansiedade antecipatória desses pacientes seja eliminada, o que favorece a compreensão da angústia de castração característica desse transtorno.
  • C inadequada, uma vez que, eliminados os temores por meio da medicação, é impossível acessar os conteúdos inconscientes que produzem e sustentam as crises de pânico.
  • D adequada, uma vez que os ataques de pânico e a agorafobia podem ser controlados farmacologicamente e a terapia ajuda os pacientes a superarem seus temores.
  • E questionável, pois o controle das crises de pânico e da ansiedade antecipatória desses pacientes torna inócua a interpretação dos conteúdos que provocam a crise.
10

A observação lúdica é um recurso utilizado pelo psicólogo, durante a realização de um processo psicodiagnóstico, para conhecer a realidade da criança que foi trazida para o atendimento. É correto afirmar que, durante a observação lúdica, a criança

  • A tem a possibilidade de brincar, em um contexto particular, sem um enquadramento específico e sem explicitação de papéis, o que lhe permite total liberdade expressiva.
  • B ainda não estabeleceu um vínculo transferencial com o terapeuta, por isso, o campo da entrevista organiza-se, basicamente, pelas variáveis da personalidade da criança.
  • C expressa somente um segmento de seu repertório, reatualizando no presente um conjunto de fantasias que irão se sobrepor ao campo de estímulo.
  • D comunica suas fantasias sem a interferência do processo primário, o que facilita a compreensão dos conflitos responsáveis pela sua sintomatologia.
  • E expressa, por meio da linguagem e do uso apropriado dos verbos e das leis de pensamento, a natureza das fantasias que dominam seu mundo interno.
11

O psicodiagnóstico é um processo científico que parte de perguntas específicas, cujas respostas prováveis estruturam-se na forma de hipóteses que serão confirmadas ou não ao longo de cada uma de suas etapas. Durante

  • A o contrato, o psicólogo define, com o paciente ou responsáveis, os tipos de informes necessários, e quem terá acesso aos dados do exame realizado.
  • B o planejamento da bateria de testes, o paciente decide, juntamente com o psicólogo, os recursos e testes mais apropriados para investigar os seus sintomas.
  • C a aplicação de testes psicológicos, o psicólogo precisa eliminar qualquer traço de ansiedade da pessoa avaliada, para obter resultados confiáveis.
  • D a anamnese, o psicólogo deve registrar somente as informações que forem trazidas espontaneamente pela pessoa, que é alvo da avaliação.
  • E a entrevista devolutiva, o psicólogo deve oferecer à pessoa avaliada o seu diagnóstico, seu prognóstico e a classificação nosológica de seu transtorno.
12

Quando um terapeuta enfatiza a importância de um clima emocional de apoio no ambiente terapêutico e trabalha para clarificar, ao invés de interpretar, os sentimentos expressados por seus pacientes, ele adota estratégias da

  • A abordagem analítica.
  • B abordagem psicossomática.
  • C abordagem psicodramática.
  • D terapia centrada no cliente.
  • E terapia comportamental.
13

O modelo cognitivo para compreensão e intervenção junto aos pacientes com depressão postula três princípios para explicar o substrato psicológico desse transtorno. Esses princípios são:

  • A o evento similar, a alexitimia e a dissonância cognitiva.
  • B a tríade cognitiva, os esquemas e as distorções cognitivas.
  • C a expectativa de fracasso, a instabilidade e o pensamento mágico.
  • D a fobia social, o pensamento negativo e a falta de resiliência.
  • E o deslize mental, a incongruência e o sentimento de inadequação.
14

Historicamente, o insight e a compreensão foram sempre considerados os objetivos finais da psicoterapia apoiada nos princípios psicanalíticos. De acordo com a perspectiva de Donald D. Winnicott, o foco do trabalho terapêutico é

  • A o desenvolvimento da autenticidade ou do “verdadeiro self”.
  • B a ampliação da capacidade de mentalização e controle.
  • C a melhoria na qualidade das relações da pessoa com o ambiente.
  • D a reintegração dos objetos perdidos por meio da identificação projetiva.
  • E a supressão do conflito inconsciente e o fortalecimento das defesas.
15

Em suas primeiras publicações sobre o desenvolvimento, Jean Piaget apresentou os resultados de suas pesquisas sobre o comportamento linguístico e a lógica que caracteriza a mentalidade particular das crianças. Em um de seus experimentos, ele identificou que crianças entre cinco e seis anos, que têm um irmão ou uma irmã, não conseguem entender que elas próprias também possuem relações fraternas com esse irmão ou essa irmã. Piaget designou tal atitude como

  • A antropomorfismo.
  • B narcisismo.
  • C egocentrismo.
  • D perseveração.
  • E reversibilidade.
16

Segundo as concepções de René Spitz, o recém-nascido

  • A conta com uma percepção e uma atividade suficientemente organizadas.
  • B consegue distinguir o ambiente externo do ambiente interno.
  • C exibe a primeira manifestação de ansiedade após o trauma do nascimento.
  • D apresenta atividade mental nas primeiras semanas subsequentes ao parto.
  • E pode expressar reações de quietude e desprazer assim que nasce.
17

Segundo o filósofo Karl Popper, tanto a teoria de Karl Marx quanto a teoria de Sigmund Freud são consideradas

  • A científicas, porque se baseiam nos princípios da indução.
  • B pseudociência, porque não são falsificáveis.
  • C positivistas, pois estabelecem relações causais entre fenômenos.
  • D metafísicas, uma vez que respondem às questões basais da natureza humana.
  • E dualistas, porque concebem a mente a partir da interação entre forças antagônicas.
18

Em estatística, uma maneira conveniente de descrever um grupo como um todo é achar um número único que represente o que é mais frequente naquele grupo de dados. Em pesquisa social, esse valor é chamado de tendência central. A tendência central que identifica o valor mais frequente, mais típico ou mais comum em uma distribuição é denominada

  • A média harmônica.
  • B mediana.
  • C média ponderada.
  • D moda.
  • E média aritmética.
19

Um psicólogo atua no departamento de recursos humanos em uma organização de trabalho. Um dos funcionários dessa organização solicita que ele atenda sua filha adolescente, que já tentou suicídio uma vez. Nesse caso, o psicólogo deve

  • A atender o funcionário em relação ao seu sofrimento, que caracteriza uma situação emergencial e, por isso, demanda atenção diferenciada e terapêutica do psicólogo.
  • B esclarecer ao profissional que as informações por ele prestadas devem ser compartilhadas com os responsáveis pela organização, em função do risco que envolvem.
  • C assumir o atendimento da filha do funcionário, desde que seja em um ambiente com condições apropriadas à natureza do serviço que deverá ser prestado.
  • D esclarecer que não poderá se envolver com a situação, pois a relação que o funcionário quer estabelecer com ele pode interferir negativamente nos objetivos da organização.
  • E oferecer ao funcionário as informações necessárias para o encaminhamento apropriado do caso e assegurar a ele o sigilo sobre as informações reveladas.
20

O elemento mais importante para a identificação de um delineamento de pesquisa é o procedimento adotado para a coleta de dados. Se um pesquisador determinou um objeto de estudo, selecionou as variáveis que seriam capazes de influenciá-lo, definindo as formas de controle e de observação dos efeitos que a variável produz no objeto, ele está realizando

  • A um levantamento.
  • B uma pesquisa experimental.
  • C um estudo de caso.
  • D um estudo de campo.
  • E uma pesquisa de ação.

Português

21

                                      Vacina na marra


      Uma das piores coisas que pais podem fazer a seus filhos é privá-los de vacinas. Ainda assim, devo dizer que fiquei chocado com o artigo de uma promotora do Ministério Público, no qual ela defende não só multa para genitores que deixem de imunizar seus rebentos, mas também a busca e apreensão das crianças para vaciná-las.

      Imagino até que a adoção de medidas extremas como propõe a promotora possa fazer sentido em determinados contextos, como o de uma epidemia fatal que avança rapidamente e pais que, induzidos por vilões internacionais, se recusam a imunizar seus filhos.

      Há motivos para acreditar que as sucessivas quedas na cobertura vacinal registradas por aqui se devam mais a uma combinação de desleixo paterno com inadequações da rede do que a uma maciça militância antivacinal. Há até quem afirme que a queda é menor do que a anunciada pelo Ministério da Saúde, que, por problemas técnicos, não estaria recebendo informações atualizadas de alguns municípios.

      Seja como for, tenho a convicção de que, se a fórmula mais draconiana propugnada por ela fosse adotada, acabaríamos produzindo mais mal do que bem.

      O ponto central é que o sistema de saúde precisa ser visto pelo cidadão como um aliado e não como um adversário. Se a percepção que as pessoas têm do posto de saúde for a de que ele é uma entidade que pode colocar a polícia atrás de famílias para subtrair-lhes os filhos, elas terão bons motivos para nunca mais pôr os pés numa unidade.

      A ideia de que o sistema de saúde precisa ser protegido de ações que possam minar a confiança que o público lhe deposita não é estranha ao mundo do direito. Não é por outra razão que a legislação penal e códigos de ética proíbem o profissional de saúde de divulgar segredos de pacientes e até de denunciar crimes que tenham cometido.

(Hélio Schwartsman. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/colunas/ helioschwartsman/2018/08/ vacina-na-marra.shtml.  Acesso em 11.11.2018. Adaptado)

A forma verbal destacada na frase “Não me parece, entretanto, que tenhamos chegado a uma situação dessas.” – expressa a ideia de possibilidade de que algo possa se realizar, assim como ocorre em:

  • A ... acabaríamos produzindo mais mal do que bem.
  • B A ideia de que o sistema de saúde precisa ser protegido...
  • C Há motivos para acreditar que as sucessivas quedas...
  • D Imagino até que a adoção de medidas extremas...
  • E Uma das piores coisas que pais podem fazer a seus filhos...
22

Assinale a alternativa que preenche, correta e respectivamente, as lacunas do texto a seguir, conforme a norma-padrão da língua portuguesa.


Lavar roupas sintéticas na máquina ______ temperatura normal causa a liberação no esgoto de grandes quantidades de minúsculas fibras de plástico. Essa é a primeira pesquisa ___ identificar os fiapos da roupa lavada como uma fonte de poluição. Estes fiapos se adicionam ___ preocupações quanto a outras variedades maiores e mais visíveis de lixo plástico, que resultaram em medidas como ___ proibição de sacolas de compras feitas desse material.

  • A à ... a ... às ... a
  • B a ... à ... as ... à
  • C à ... à ... as ... à
  • D à ... a ... às ... à
  • E a ... a ... às ... a
23

Assinale a alternativa em que a regência das palavras está de acordo com a norma-padrão da língua portuguesa.

  • A A técnica de fabricação é muito favorável com o meio ambiente exigindo muito menos água do que o cultivo de algodão.
  • B Atividades diárias, como lavar roupas, contribuem significativamente para a poluição que asfixia nossos oceanos.
  • C Os resíduos produzidos se caracterizam pela sua elevada toxicidade, implicando pela elevação dos riscos associados à sua destinação final.
  • D As preocupações em obedecer das exigências legais da qualidade do efluente ou resíduo industrial produzido foram superadas por novas metas de qualidade.
  • E As empresas precisam ser responsáveis com o ciclo de vida completo de seus produtos, incluindo a coleta e a reutilização.
24
Assinale a alternativa em que a redação escrita a partir do texto está correta quanto à concordância das palavras, de acordo com a norma-padrão da língua portuguesa.
  • A Os oceanos podem ser contaminado por determinadas tarefas, como a lavagem de roupas de tecidos sintéticos.
  • B Os membros do Parlamento apresentou pesquisas sobre as fibras de tecidos sintéticas que são expelidas das roupas ao serem lavadas em máquinas de lavar.
  • C Ocorrerão a conservação dos oceanos se as autoridades criarem regulamentações para os fabricantes.
  • D Uma boa desculpa, com todas as indicações propostas pelo autor, é a lavagem de roupas com menos frequência.
  • E Também é necessário a compra de menos roupas sintética para reduzir a poluição por plástico nos ambientes.
25

          Agravamento da poluição por plástico  nos oceanos ao lavar roupa


      Lavar a roupa pode agravar a poluição por plástico no meio ambiente – a depender do tipo de tecido, a tarefa doméstica contribuiria para a contaminação dos oceanos, apontam estudos.

      A questão foi levantada no início deste mês em reunião do Comitê de Auditoria Ambiental do Reino Unido, quando membros do Parlamento discutiram pesquisas que concluem que fibras de tecidos sintéticos que se soltam da roupa
 durante a lavagem acabam chegando aos oceanos e sendo comidas por peixes e outras criaturas aquáticas.

      Os maiores vilões são poliéster, acrílico e náilon. Um casaco de lã de poliéster libera 1 milhão de fibras, enquanto um par de meias de náilon é responsável por 136 mil fibras a cada lavagem, aponta um estudo conduzido por pesquisadores da Universidade de Manchester. Cientistas descobriram que essas fibras estão cobrindo leitos de rios em todo o Reino Unido.

      Há sempre a opção de lavar roupa com menos frequência, o que pode ser uma boa desculpa para quem sempre odiou essa tarefa doméstica. Isso teria um grande impacto positivo, na avaliação de Jeroen Dagevos, integrante de um projeto de conservação dos oceanos. Ele sugere ainda que comprar menos roupas sintéticas também ajuda. Preferir tecidos como lã, algodão, seda e caxemira também ajudam.

      Uma outra opção, recomendada pelo Instituto de Engenheiros Mecânicos, em um novo relatório, seria o uso de sacolas de roupas de malha para reter os fios. Assim, em vez de irem direto para os oceanos, as fibras podem ser colocadas no lixo.

      Jeroen Dagevos diz que a ideia de criar novas regulamentações para os fabricantes poderia ajudar, forçando as empresas a colocar mais recursos na busca por soluções.

(Folha de S.Paulo. https://www1.folha.uol.com.br/ambiente/2018/10/ por-que-podemos-estar-agravan do-poluicao-por-plastico- nos-oceanos-ao-lavar-roupa.shtml. Adaptado)

Na frase “Um casaco de lã de poliéster libera 1 milhão de fibras, enquanto um par de meias de náilon é responsável por 136 mil fibras a cada lavagem...”, o termo em destaque pode ser substituído corretamente, sem alteração de sentido, por

  • A assim que.
  • B tanto como.
  • C de modo que.
  • D a fim de que.
  • E à medida que.
26

Leia trecho da canção Bom Conselho, de Chico Buarque, para responder às questões


                          Ouça um bom conselho

                          Que eu lhe dou de graça

                           Inútil dormir que a dor não passa

                           Espere sentado

                           Ou você se cansa


                           Está provado, quem espera nunca alcança

                           Venha, meu amigo

                           Deixe esse regaço

                           Brinque com meu fogo

                           Venha se queimar

                           Faça como eu digo 

                           Faça como eu faço

                          Aja duas vezes antes de pensar (...)

Assinale a alternativa com pontuação correta, de acordo com a norma-padrão.

  • A Ouça um bom conselho, amigo, venha se queimar. Está provado: quem espera, nunca alcança.
  • B Ouça, um bom conselho, amigo venha se queimar; Está provado quem espera, nunca alcança.
  • C Ouça um bom conselho amigo, venha se queimar. Está provado quem espera nunca alcança.
  • D Ouça, um bom conselho amigo, venha se queimar está provado: quem, espera nunca alcança.
  • E Ouça um bom conselho, amigo venha se queimar; Está provado quem espera nunca, alcança.
27

                                     Nero e a lira


      O Brasil ficou chocado com o incêndio do Museu Nacional no Rio de Janeiro. Só diante das chamas terríveis e do patrimônio desaparecido para sempre que alguns perceberam que nunca tinham ido ao espaço museológico agora perdido. Eu já tinha escrito o mesmo sobre os riscos da nossa Biblioteca Nacional e do seu acervo inestimável em condições de risco similar. Aqui em São Paulo, é o caso do Museu do Ipiranga, fechado há tanto tempo. Perde o público, perde a cultura e empobrecemos em um campo já abalado da memória. Até quando? O que mais precisaria queimar no Brasil, para que a gente percebesse que patrimônio é algo que se vai para sempre?

      O descaso tem precedentes terríveis. Em 1978, um conjunto inestimável de quadros virou cinzas no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Patrimônio científico foi carbonizado várias vezes: a coleção do Instituto Butantã em São Paulo e do Museu de Ciências Naturais da PUC de Minas Gerais. Coleções insubstituíveis torraram por completo. O Museu da Língua Portuguesa ardeu em chamas, como também a tapeçaria de Tomie Ohtake no Memorial da América Latina: somos o país que usa cultura como material de combustão. Nenhum Nero foi indiciado, ninguém responde, nada se faz com tantos e repetidos avisos trágicos. É uma política de terra arrasada, de resultados eficazes e criminosos.

      Mesmo aquilo que funciona e bem corre o risco do desamparo. A Sala São Paulo enche de orgulho os paulistas e brasileiros. A Osesp é uma joia esculpida com trabalho, talento e muito sacrifício. Manter algo do padrão da Osesp e da Sala São Paulo em um país como o Brasil é quase um milagre. A qualidade material da sala, o esforço de todos e a educação de um público fiel. Por ela passa a fina flor da música brasileira e internacional.

      A cultura brasileira é assim. Muita coisa queimou, projetos sobreviveram em estado precário, e todos aguardam poderes sensíveis ao papel insubstituível da cultura na definição da cidadania. Quando eu vejo o montante do fundo partidário em comparação ao estado precário de orquestras e museus, sou percorrido por uma dor muito forte.

      O que mais terá de silenciar, queimar, desaparecer ou ficar no passado até que acordemos? Quantos artistas deixarão de comunicar seu talento com uma sociedade que necessita desesperadamente de criação e sensibilidade para pensar mais alto e melhor? Alguém aqui acha coincidência que a economia mais forte da Europa, a Alemanha, também seja uma terra de forte investimento privado e público na música e nas artes? O que mais precisa desaparecer para sempre, para que governos e eleitores descubram o valor do nosso patrimônio material e imaterial?

      Para nós, pessoas sem poder, resta prestigiar o que ainda existe, visitar mais nossos museus, cobrar dos políticos que elegemos há pouco e valorizar com alunos e filhos os muitos heróis de uma resistência cultural.

               (Leandro Karnal. O Estado de S.Paulo. 18.11.2018. Adaptado)

As conjunções em destaque nas frases:


Quando eu vejo o montante do fundo partidário, sou percorrido por uma dor muito forte.

• O que mais precisaria queimar no Brasil, para que a gente percebesse que patrimônio é algo que se vai para sempre? - assumem, respectivamente, ideia de

  • A tempo e causa.
  • B causa e consequência.
  • C finalidade e concessão.
  • D tempo e finalidade.
  • E tempo e conformidade.
28

                                     Nero e a lira


      O Brasil ficou chocado com o incêndio do Museu Nacional no Rio de Janeiro. Só diante das chamas terríveis e do patrimônio desaparecido para sempre que alguns perceberam que nunca tinham ido ao espaço museológico agora perdido. Eu já tinha escrito o mesmo sobre os riscos da nossa Biblioteca Nacional e do seu acervo inestimável em condições de risco similar. Aqui em São Paulo, é o caso do Museu do Ipiranga, fechado há tanto tempo. Perde o público, perde a cultura e empobrecemos em um campo já abalado da memória. Até quando? O que mais precisaria queimar no Brasil, para que a gente percebesse que patrimônio é algo que se vai para sempre?

      O descaso tem precedentes terríveis. Em 1978, um conjunto inestimável de quadros virou cinzas no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Patrimônio científico foi carbonizado várias vezes: a coleção do Instituto Butantã em São Paulo e do Museu de Ciências Naturais da PUC de Minas Gerais. Coleções insubstituíveis torraram por completo. O Museu da Língua Portuguesa ardeu em chamas, como também a tapeçaria de Tomie Ohtake no Memorial da América Latina: somos o país que usa cultura como material de combustão. Nenhum Nero foi indiciado, ninguém responde, nada se faz com tantos e repetidos avisos trágicos. É uma política de terra arrasada, de resultados eficazes e criminosos.

      Mesmo aquilo que funciona e bem corre o risco do desamparo. A Sala São Paulo enche de orgulho os paulistas e brasileiros. A Osesp é uma joia esculpida com trabalho, talento e muito sacrifício. Manter algo do padrão da Osesp e da Sala São Paulo em um país como o Brasil é quase um milagre. A qualidade material da sala, o esforço de todos e a educação de um público fiel. Por ela passa a fina flor da música brasileira e internacional.

      A cultura brasileira é assim. Muita coisa queimou, projetos sobreviveram em estado precário, e todos aguardam poderes sensíveis ao papel insubstituível da cultura na definição da cidadania. Quando eu vejo o montante do fundo partidário em comparação ao estado precário de orquestras e museus, sou percorrido por uma dor muito forte.

      O que mais terá de silenciar, queimar, desaparecer ou ficar no passado até que acordemos? Quantos artistas deixarão de comunicar seu talento com uma sociedade que necessita desesperadamente de criação e sensibilidade para pensar mais alto e melhor? Alguém aqui acha coincidência que a economia mais forte da Europa, a Alemanha, também seja uma terra de forte investimento privado e público na música e nas artes? O que mais precisa desaparecer para sempre, para que governos e eleitores descubram o valor do nosso patrimônio material e imaterial?

      Para nós, pessoas sem poder, resta prestigiar o que ainda existe, visitar mais nossos museus, cobrar dos políticos que elegemos há pouco e valorizar com alunos e filhos os muitos heróis de uma resistência cultural.

               (Leandro Karnal. O Estado de S.Paulo. 18.11.2018. Adaptado)

Assinale a alternativa em que o verbo em destaque apresenta concordância correta, de acordo a norma-padrão.

  • A Um grande número de quadros virou cinzas.
  • B Tratam-se de políticas de terra arrasada.
  • C Nenhum Nero assumem a responsabilidade.
  • D Existirá, ainda hoje, heróis de uma resistência cultural.
  • E Conseguirá os políticos eleitos preocupar-se com a cultura?
29

                      Os benefícios da imigração para um país


      Muitos daqueles que se opõem à imigração ignoram uma verdade inconveniente: os imigrantes costumam ser os melhores cidadãos.

      Historicamente, imigrantes mexicanos e seus filhos resgataram cidades menores com população em declínio nos Estados Unidos, informou Alfredo Corchado ao The New York Times. Cerca de metade das 6 mil pessoas de Kennett Square, perto da Filadélfia, por exemplo, são de ascendência hispânica, e é provável que a cidade teria se extinguido sem elas.

      Kennett Square alega ser a capital mundial dos cogumelos, o centro de uma indústria de US$ 2,7 bilhões no sudeste da Pensilvânia que emprega 10 milhões de trabalhadores.

      Mas, nos últimos dez anos, o número de imigrantes mexicanos nos EUA diminuiu em mais de um milhão. Alguns foram deportados, e outros foram embora espontaneamente por receio das autoridades.

      “Os mexicanos estão indo embora, e isso é má notícia para todos”, disse Chris Alonzo, presidente da Pietro Industries, uma das maiores empresas de cogumelos. “Toda essa negatividade e estímulo ao medo geraram um sentimento anti-imigração que está prejudicando nossa cidadezinha. Temos escassez de mão de obra, o que ameaça a vibração da nossa comunidade”. 

      Os recém-chegados também ajudaram a dar novo ânimo à vida cultural da região.

      “Os mexicanos tiveram um impacto positivo na comunidade ao trazer mais cor e sabor para uma vida sem graça”, explicou Loretta Perna, coordenadora de programas da Escola Kennett High.

(Tom Brady, The New York Times. Publicado em O Estado de S.Paulo. 23.09.2018. Adaptado)

Assinale a alternativa em que, na reescrita da frase do primeiro parágrafo, o emprego do acento indicativo da crase está de acordo com a norma-padrão da língua portuguesa.

  • A Muitos daqueles que refutam à imigração ignoram uma verdade ...
  • B Muitos daqueles que desaprovam à imigração ignoram uma verdade ...
  • C Muitos daqueles que repudiam à imigração ignoram uma verdade ...
  • D Muitos daqueles que condenam à imigração ignoram uma verdade ...
  • E Muitos daqueles que resistem à imigração ignoram uma verdade...
30

                                 Fim do mundo ‘físico’


      Meu amigo Daniel Chomski, dono do sebo Berinjela, no Rio de Janeiro, surpreendeu-se outro dia usando uma expressão que, em anos de trato com livros, nunca lhe ocorrera pronunciar: “livro físico”. E caiu em si no ato: por que livro “físico” se, até então, todos os livros que haviam passado por suas mãos eram apenas livros - objetos físicos - e não havia motivo para aquele apêndice boboca?

      É claro que Daniel sabe a resposta e eu também. De algum tempo para cá, as pessoas têm falado de “livro físico” para diferenciá-lo do livro que, a poder de dois ou três cliques, sai de um lugar não sabido do ciberespaço e desembarca numa tabuleta eletrônica chamada, em português castiço, “tablet” - o e-book, ou livro eletrônico, que se lê mais com os dedos do que com os olhos. Considerando-se que o livro “físico”, de papel, existe há cerca de 1500 anos, deveria ter o direito de continuar sendo apenas e somente livro, não? Mas não é o que acontece.

      O mesmo está acontecendo com o CD, o “disco físico” - que, ironicamente, passou a se chamar assim em pleno processo de extinção física -, em contraposição à música que também sai de qualquer lugar e nos entra pelas orelhas quase sem depender de intermediário.

      E, idem, com o “filme físico”, o DVD, prestes a se tornar um objeto tão pré-histórico quanto uma mandíbula de pterodáctilo.

      Há pouco, vi pela primeira vez alguém pagando as compras com o celular num supermercado sem caixas. É quase certo que, em breve, as últimas moças que ainda conservarem seus empregos serão chamadas de “caixas físicas”. E o “dinheiro físico” também ameaça deixar de ser impresso, tal o número de pessoas que hoje pagam até uma bala Juquinha com o cartão.

      Imagino que, um dia, as pessoas “físicas”, tipo você e eu, também deixaremos de existir. Mas isso é problema de vocês.

(Ruy Castro. Folha de S.Paulo, 28.12.2018. Adaptado)

Assinale a alternativa em que a redação está em conformidade com a norma-padrão de concordância da língua portuguesa.

  • A Já haviam alguns anos que a venda de livros físicos vinha sendo prejudicada pelo surgimento dos livros eletrônicos.
  • B Atualmente, quase já não se encontram mais filmes no formato DVD ou músicas arquivadas em CD.
  • C Muitos clássicos da literatura mundial estão sendo disponibilizado também em formato de arquivo digital.
  • D Os livros eletrônicos apresentam características muito diferente das encontradas nos livros impressos.
  • E A opção de realizar pagamentos de compras em supermercados usando apenas o celular já são uma realidade.

Atualidades

31

Nesta terça-feira (22.jan.), o presidente Jair Bolsonaro, em encontro com executivos no Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça, afirmou que “nossa missão agora é avançar na compatibilização entre a preservação do meio ambiente e da biodiversidade com o necessário desenvolvimento econômico, lembrando que são interdependentes e indissociáveis”. (Último Segundo – IG - https://bit.ly/2GhajfX. Acesso em 27.01.2019. Adaptado)
Além da afirmação, o presidente esclareceu que o Brasil

  • A deverá criar novas reservas ambientais no Nordeste.
  • B permanecerá no Acordo de Paris sobre o clima.
  • C impedirá o avanço da agricultura na mata atlântica.
  • D protegerá as terras indígenas de desmatamentos.
  • E incentivará a criação de centros de pesquisa climáticas.
32

Em 29 de novembro, foi o quarto governador eleito do estado a ser preso. Este, no entanto, foi o primeiro a ser detido durante o exercício do mandato. Antes dele, foram presos outros três, um dos quais com sete condenações que lhe renderam uma pena de mais de 100 anos de prisão. (Veja. https://abr.ai/2HGeRyQ 30.11.2018. Acesso em 28.01.2019. Adaptado)
A notícia faz referência ao governador do estado

  • A de Minas Gerais.
  • B de Pernambuco.
  • C de Roraima.
  • D do Ceará.
  • E do Rio de Janeiro.
33

Portaria publicada no Diário Oficial da União (DOU) nesta quinta-feira (01.11) informa que o acesso não será mais gratuito no período da manhã. O governo federal vai cobrar o acesso da edição completa na internet, mas vai liberar a leitura integral gratuita entre 12h e 23h59.

Após 155 anos, o documento passa a estar disponível somente na versão on-line. A decisão de encerrar a impressão está entre ações que, segundo o governo, visam a desburocratizar a Administração Pública e reduzir custos.

(Acesso em 02.11.18 - disponível em: https://glo.bo/2yQICGj. Adaptado)


A notícia e a Portaria referem-se

  • A ao Livro Atuarial Nacional.
  • B ao Portal Brasileiro de Notícias.
  • C à Expedição Federal.
  • D ao Diário Oficial da União.
  • E à Revista Brasileira de Estatística (RBE).
34

O recém-empossado presidente da República, Jair Bolsonaro, assinou, nesta terça-feira (02.01), três decretos e uma medida provisória. Dentre as primeiras ações tomadas está a Medida Provisória (MP) que reestrutura a Esplanada dos Ministérios e estabelece a organização básica dos órgãos da presidência da República e dos ministérios. O documento confirma a estrutura de governo já anunciada, com 22 pastas, algumas delas com competências ampliadas. (UOL. https://bit.ly/2Upz5hO. Acesso em 25.jan.2019. Adaptado)
Na nova estrutura ministerial destaca-se o Ministério

  • A da Agricultura, Pecuária e Abastecimento que incorpora as políticas de criação e conservação da infraestrutura.
  • B da Cidadania que incorpora as ações que envolvem o desenvolvimento social, a cultura e os esportes.
  • C das Relações Exteriores que incorpora o comércio internacional e os estudos sobre a balança comercial.
  • D da Justiça que incorpora a regulamentação das políticas dos direitos humanos e a demarcação de terras indígenas.
  • E do Meio Ambiente que incorpora setores da tecnologia e pesquisa de fontes de energia renováveis.
35

Em 05 de dezembro, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou uma pesquisa denominada Síntese de Indicadores Sociais (SIS) que utiliza e compara dados socioeconômicos dos dois últimos anos para retratar a situação atual da população brasileira.
(G1. https://glo.bo/2KX2fRR. Acesso em 29.jan.2019. Adaptado)
A pesquisa mostrou que

  • A o trabalho com carteira assinada cresceu entre os jovens.
  • B a diferença salarial entre homens e mulheres foi reduzida.
  • C o trabalho infantil apresentou expressivo declínio.
  • D a proporção de crianças no conjunto da população aumentou.
  • E a desigualdade social e a pobreza tiveram aumento.
36

“Este é o melhor acordo possível.”
A premiê britânica, Theresa May, tem repetido há semanas essa frase na tentativa de convencer o Parlamento de seu país a aprovar o acordo que ela negociou com a União Europeia, estabelecendo os termos do Brexit - o processo de saída do Reino Unido do bloco.
Mas, na segunda-feira [17.dez], a premiê adiou indefinidamente a votação do acordo no Parlamento, reconhecendo que ele seria rejeitado pela maioria dos parlamentares britânicos (G1. https://glo.bo/2FTOmUF. Acesso em 24.jan.2019. Adaptado)
Tem sido considerado como o ponto mais delicado do acordo para viabilizar o Brexit

  • A o retorno imediato dos cidadãos europeus que vivem no Reino Unido para os seus países de origem, fato que provocaria forte déficit de mão de obra no Reino Unido.
  • B a rápida desvalorização da libra nos mercados europeu e mundial, fato que provocaria forte abalo econômico-financeiro para todo o Reino Unido.
  • C o fechamento da fronteira entre a Irlanda do Norte (parte do Reino Unido) e a Irlanda, fato que retomaria antigas tensões entre norte-irlandeses e irlandeses.
  • D a perda do prestígio político do Reino Unido frente à Europa, o que inviabilizaria a permanência do país na OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte).
  • E a obrigação do governo britânico em continuar recebendo grupos de refugiados do Oriente Médio e África mesmo após a saída do bloco econômico europeu.
37

Em 14 de novembro, a máquina mais cara e sofisticada da ciência brasileira começou a testar suas turbinas. O projeto já consumiu cerca de R$ 1,3 bilhão (de um total previsto de R$ 1,8 bilhão) e, quando ficar pronto, colocará o país na vanguarda das pesquisas que utilizam esse tipo de artefato, como as que envolvem a visualização em altíssima resolução de estruturas de vírus e proteínas (em busca de novas vacinas), de solo (com a ideia de aprimorar fertilizantes) e de rochas e de novos materiais (para melhorar a exploração de gás e petróleo), entre outras. (Folha de S.Paulo. https://bit.ly/2G1oHbX. Acesso em 25.jan.2019. Adaptado)
O texto destaca a inauguração do acelerador de partículas que está sendo construído

  • A em Campinas (SP).
  • B na Base de Alcântara (MA).
  • C no Rio de Janeiro (RJ).
  • D em Curitiba (PR).
  • E em Porto Alegre (RS).
38

Entre 311 concorrentes, o prêmio Nobel da Paz de 2018 foi concedido hoje [05.out] a uma dupla: o congolês Denis Mukwege e a ativista do povo yazidi Nadia Murad.
(Agência Brasil. https://bit.ly/2Nr3oAK. Acesso em 25.jan.2019. Adaptado)
Os ganhadores do prêmio tiveram destaque

  • A na defesa das liberdades individuais e, principalmente, dos imigrantes e refugiados africanos.
  • B no combate à pobreza das populações que habitam os países subdesenvolvidos.
  • C na defesa dos direitos humanos das minorias étnicas em países em conflitos armados.
  • D nos esforços para acabar com o uso da violência sexual como arma de guerra e conflito armado.
  • E nas campanhas de erradicação do analfabetismo entre crianças trabalhadoras.
39

Sem alcançar um acordo no Congresso, a administração Donald Trump enfrenta, a partir deste sábado (22 de dezembro), sua terceira paralisação parcial, que fechará um quarto do governo federal, colocará 380 mil empregados em férias coletivas e fará outros 420 mil trabalharem sem receber. O Congresso tinha até sábado para passar leis ou aprovar uma medida provisória de interesse do governo. Senadores republicanos e democratas se reuniram desde o meio-dia desta sexta (21 de dezembro), mas não chegaram nem sequer a iniciar a votação da lei.

(Folha de S.Paulo, 22 dez.18. Disponível em: <https://goo.gl/yYSyFG>. Adaptado)


O impasse entre o Congresso e Donald Trump está relacionado à polêmica proposta presidencial de

  • A ataque militar dos EUA tendo a Coreia do Norte como alvo.
  • B construção de um muro na fronteira entre os EUA e o México.
  • C retomada das relações diplomáticas entre os EUA e Cuba.
  • D boicote às relações comerciais entre os EUA e a China.
  • E retirada das tropas norte-americanas da Síria e do Iraque.
40

Os manifestantes na França, denominados “coletes amarelos”, reúnem aposentados, artesãos, diaristas, camareiras, desempregados, operários e pequenos empresários. Eles lideraram por três semanas uma onda de protestos no país, protagonizando cenas de violência em Paris.

(Agência Brasil, 5 dez.18. Disponível em: <https://goo.gl/nj2wxW>. Adaptado)


O estopim das manifestações dos “coletes amarelos” na França foi

  • A o encarecimento do preço dos combustíveis.
  • B o aumento do fechamento dos postos de trabalho.
  • C o valor da passagem do transporte público.
  • D a proposta de privatização dos serviços de saúde.
  • E o excessivo gasto militar promovido pelo governo.
Voltar para lista