Resolver o Simulado CONSULPLAN

0 / 30

Contabilidade Geral

1
Certa empresa, que produz e vende mochilas, possui duas fábricas no Rio de Janeiro. Para cortar custos, colocou uma das fábricas à venda, empenhando-se para encontrar um comprador. Além disso, o preço pedido pela venda da fábrica é razoável em relação ao seu valor justo corrente. A empresa possui algumas encomendas e pretende transferir a fábrica a um comprador assim que sejam cumpridos todos os pedidos de clientes não concluídos. De acordo com o exposto, assinale, a seguir, a correta classificação contábil desta fábrica no balanço patrimonial da empresa de acordo com as normas contábeis brasileiras.
  • A Ativo circulante.
  • B Ativo imobilizado.
  • C Ativo realizável a longo prazo.
  • D Ativo não circulante mantido para a venda.
2
De acordo com Iudícibus, Marion e Faria (2009), no começo do século XX presenciou-se a queda da chamada Escola Europeia (mais especificamente a Italiana) e a ascensão da chamada Escola Norte-Americana no mundo contábil. Em relação às razões que resultaram na ascensão da Escola Norte-Americana, marque V para as afirmativas verdadeiras e F para as falsas.
( ) Ênfase ao Usuário da Informação Contábil: a Contabilidade é apresentada como algo útil para a tomada de decisões, evitando-se endeusar demasiadamente a contabilidade; atender os usuários é o grande objetivo. ( ) Ênfase à Contabilidade Aplicada: como herança dos ingleses e transparência para os investidores das sociedades anônimas (e outros usuários) nos relatórios contábeis, a auditoria é muito enfatizada. ( ) Ênfase a uma Contabilidade Teórica: principalmente à Contabilidade Gerencial. Ao contrário dos europeus, não havia uma preocupação com a teoria das contas, ou querer provar que a Contabilidade é uma ciência. ( ) Universidades em busca de qualidade: grandes quantias para as pesquisas no campo contábil, o professor em dedicação exclusiva e o aluno em período integral valorizavam o ensino nos Estados Unidos.
A sequência está correta em
  • A V, F, F, V.
  • B V, V, V, V.
  • C F, V, V, F.
  • D F, F, F, F.
3
Determinada empresa de mineração explora as jazidas de sua propriedade e anualmente registra uma perda que corresponde ao decréscimo de valor dessas reservas minerais. De acordo com a Lei nº 6404/1976 e suas alterações, essa perda denomina-se:
  • A Exaustão.
  • B Depreciação.
  • C Amortização.
  • D Reserva de reavaliação.
4
A NBC TG 01 trata da redução ao valor recuperável de ativos e assevera que ao avaliar se há alguma indicação de que um ativo possa ter sofrido desvalorização, a entidade deve considerar fontes externas e internas de informação. Nesse contexto, pode-se considerar uma fonte interna de avaliação:
  • A Evidência disponível de obsolescência ou de dano físico de um ativo.
  • B Valor contábil do patrimônio líquido da entidade maior do que o valor de suas ações no mercado.
  • C Mudanças significativas com efeito adverso sobre a entidade que ocorreram durante o período, ou ocorrerão em futuro próximo, no ambiente tecnológico, de mercado, econômico ou legal, no qual a entidade opera ou no mercado para o qual o ativo é utilizado.
  • D Taxas de juros de mercado ou outras taxas de mercado de retorno sobre investimentos que aumentaram durante o período, e esses aumentos provavelmente afetarão a taxa de desconto utilizada no cálculo do valor em uso de um ativo e diminuirão materialmente o valor recuperável do ativo.
5
A Sociedade Empresária Delta trabalha no segmento de material de transporte rodoviário e é líder no segmento de venda de peças para veículos de grande porte (caminhões, ônibus, carretas etc.). A partir de consultas aos relatórios internos dessa sociedade, as seguintes informações foram coletadas sobre o seu patrimônio; analise-as.
I. A Sociedade Empresária Delta é proprietária de um terreno mantido para valorização de capital a longo prazo e não pretende vendê-lo a curto prazo no curso ordinário dos negócios. II. A Sociedade Empresária Delta é proprietária de um imóvel mantido para uso na produção de peças para ambos os seus segmentos operacionais. Uma parte insignificante desse imóvel se encontra sem uso e outra entidade tentou adquiri-la, mas a Sociedade Empresária Delta não poderia aliená-la separadamente. III. A Sociedade Empresária Delta é proprietária de um imóvel que se encontra ocupado por seus empregados. Futuramente a empresa pretende ocupar o imóvel para alocar parte de seu setor administrativo.
Considerando-se apenas as informações apresentadas e a NBC TG 28 (R4) – Propriedade para investimento, pode(m) ser classificada(s) como propriedade(s) para investimento(s) apenas a(s) propriedade(s) descrita(s) em
  • A I.
  • B II.
  • C III.
  • D I e III.
6
O Balanço Patrimonial da Sociedade Empresária Alfa, encerrado em 31/12/2016, apresentava um ativo imobilizado reconhecido ao valor contábil de R$ 80.000,00. Em 31/12/2017, a Sociedade Empresária Alfa encontrou indicações observáveis de que o valor desse ativo imobilizado diminuiu significativamente ao longo do ano de 2017, mais do que seria de se esperar como resultado da passagem do tempo ou do seu uso normal. Ademais, a Sociedade Empresária Alfa tinha evidências disponíveis, provenientes de seus relatórios internos, indicando que o desempenho econômico desse ativo imobilizado seria pior que o esperado. Sabendo disso, a Sociedade Empresária Alfa, em 31/12/2017, reconheceu a perda por desvalorização desse ativo imobilizado, assegurando que ele estivesse registrado contabilmente por valor que não excedesse seu valor de recuperação.
Informações complementares levantadas sobre esse ativo imobilizado:
• Em 31/12/2007, as expectativas de mercado para o valor justo desse ativo foram dadas pelos fluxos de caixa futuros líquidos de despesas de alienação, sendo: Ano 2018 R$ 30.000,00; Ano 2019 R$ 20.000,00; Ano 2020 R$ 30.000,00. • Os fluxos de caixa futuros líquidos de despesas de alienação foram determinados com base no valor indicado pelas expectativas de mercado, em 31/12/2017, em relação à vida útil remanescente de 3 anos para esse ativo. • Em 31/12/2017, a taxa de desconto que refletia avaliações de mercado sobre o valor do dinheiro no tempo e dos riscos específicos desse ativo imobilizado era de 12% ao ano. • Em 31/12/2017, a expetativa era que, ao final de sua vida útil remanescente, o ativo teria valor residual igual a zero.
Considerando-se somente as informações apresentadas e a NBC TG 01 (R4) – Redução ao valor recuperável de ativos e NBC TG 46 (R2) – Mensuração do valor justo, assinale, entre as alternativas a seguir, aquela com o valor que mais se aproxima da perda por desvalorização do ativo imobilizado que a Sociedade Empresária Alfa reconheceu contabilmente em 31/12/2017. Considere ainda que se tratou de um ativo individual e que ele não havia sofrido nenhum tipo de reavaliação.
  • A R$ 95.017,00.
  • B R$ 80.000,00.
  • C R$ 64.083,00.
  • D R$ 15.917,00.
7
As Sociedades de Grande Porte definidas pela Lei nº 11.638/07 devem ter as suas demonstrações contábeis auditadas por auditor independente registrado na Comissão de Valores Mobiliários. O interessado em obter o registro junto a esta autarquia deverá atender aos requisitos da Instrução CVM nº 308/99 e às alterações subsequentes. Com base no exposto, análise as afirmativas, marque V para as verdadeiras e F para as falsas em relação às formas de comprovação do exercício da atividade de auditoria admissíveis pela CVM para fins de concessão do registro.
( ) Cópia do registro individual de empregado ou declaração da sociedade de auditoria registrada na CVM, firmada por seu sócio representante, e cópia da carteira de trabalho do profissional. Deverá ser comprovado o exercício, pelo prazo de cinco anos, em cargo de direção, gerência ou supervisão na área de auditoria de demonstrações contábeis, a partir da data do registro na categoria de contador. A comprovação do prazo poderá ser feita por períodos parciais, consecutivos ou não, desde que o somatório do período de exercício de atividade não seja inferior a cinco anos. ( ) Cópia autenticada do contrato de prestação de serviço firmado entre o auditor e a empresa de auditoria independente registrada na CVM. A Lei nº 13.429/17 permite a terceirização da atividade-fim e, assim, não há incompatibilidade entre a lei e a norma de registro. O interessado deverá comprovar que atuou por cinco anos na área de auditoria de demonstrações contábeis, consecutivos ou não, a partir da data do registro na categoria de contador, ainda que a relação tenha se perfazido na forma de prestação de serviço. ( ) Contador com titulação de Mestre ou Doutor em Contabilidade ou área afim, uma vez que a auditoria independente é considerada uma atividade intelectual. Além disso, a auditoria é prerrogativa do contador legalmente habilitado e registrado em Conselho Regional de Contabilidade. Assim como nas demais áreas do saber, o conhecimento é considerado pela CVM um fator importante para a realização de auditoria independente por envolver julgamentos e riscos. ( ) Declaração de entidade governamental, companhia aberta ou empresa reconhecida de grande porte, firmada por seu representante legal, na qual deverão constar todas as informações pertinentes ao vínculo de emprego, atestando haver o mesmo exercido cargo ou função de auditoria de demonstrações contábeis.
A sequência está correta em
  • A V, F, F, F.
  • B V, V, F, F.
  • C V, V, V, F.
  • D V, V, V, V.
8
Nos termos do Código de ética profissional vigente, no desempenho de suas funções, é VEDADO ao contabilista:
  • A Publicar ou distribuir trabalho científico ou técnico do qual tenha participado como coautor.
  • B Reter, em qualquer circunstância, livros, papéis ou documentos, comprovadamente confiados a sua guarda.
  • C Guardar sigilo sobre o que souber em razão do exercício profissional lícito, inclusive no âmbito do serviço público.
  • D Assinar documentos ou peças contábeis elaboradas por outrem, alheio a sua orientação, supervisão e fiscalização.
9
A empresa Exemplo Ltda. obtém um empréstimo bancário em uma instituição financeira, no valor de R$ 120.000,00, a ser pago em 120 parcelas de R$ 1.000,00. O primeiro pagamento será efetuado no prazo de 30 dias, e os demais seguirão nos meses seguintes. A empresa efetua o registro contábil da operação de empréstimo na data da operação. Qual o efeito do registro contábil na data da operação?
  • A Diminui o Ativo.
  • B Mantém inalterado o Ativo.
  • C Altera o resultado do Exercício.
  • D Mantém inalterado o Patrimônio Líquido da empresa.
10
Uma academia de ginástica incorreu em gastos internos para o funcionamento de seu website, criado, somente e basicamente, para promoção e publicidade dos serviços que ela tem a oferecer. Estes gastos englobaram:
Pagamento de profissionais para fazerem toda a atualização de gráficos e revisão do conteúdo do website R$ 10.000,00 que saíram do caixa.
Considerando-se apenas as informações apresentadas e a NBC TG 04 (R4) – ATIVO INTANGÍVEL, assinale o lançamento contábil a ser feito pela academia de ginástica para registrar o fato ocorrido.
  • A Débito: INTANGÍVEL WEBSITE (ATIVO NÃO CIRCULANTE) - R$ 10.000,00Crédito: CAIXA (ATIVO CIRCULANTE) - R$ 10.000,00
  • B Débito: INTANGÍVEL WEBSITE EM DESENVOLVIMENTO (ATIVO NÃO CIRCULANTE) - R$ 10.000,00Crédito: CAIXA (ATIVO CIRCULANTE) - R$ 10.000,00
  • C Débito: INVESTIMENTO WEBSITE (ATIVO NÃO CIRCULANTE) - R$ 10.000,00Crédito: CAIXA (ATIVO CIRCULANTE) - R$ 10.000,00
  • D Débito: PROPAGANDA E PUBLICIDADE (OUTRAS DESPESAS COMERCIAIS) - R$ 10.000,00Crédito: CAIXA (ATIVO CIRCULANTE) - R$ 10.000,00
11

Em 31/03/2018, uma Sociedade Empresária contratou um seguro para veículos utilizados em atividades administrativas pelo valor total de R$ 12.000,00 para vigência de 12 meses a partir da mesma data. O contrato determinava que 25% do prêmio deveria ser pago à vista e o restante em três parcelas iguais, mensais e consecutivas. Conforme o contrato, a Sociedade Empresária pagou os 25% do prêmio na mesma data de contração.
Considerando-se apenas as informações apresentadas, assinale, entre as opções a seguir, o lançamento contábil a ser feito pela Sociedade Empresária que reflete o registro dos fatos ocorridos em 31/03/2018.

  • A Débito: DESPESAS COM SEGUROS – RESULTADO - R$ 9.000,00Débito: CAIXA – ATIVO CIRCULANTE - R$ 3.000,00Crédito: SEGUROS A PAGAR – PASSIVO CIRCULANTE - R$ 12.000,00
  • B Débito: PRÊMIOS DE SEGURO A APROPRIAR – ATIVO CIRCULANTE - R$ 9.000,00Débito: CAIXA – ATIVO CIRCULANTE - R$ 3.000,00Crédito: SEGUROS A PAGAR – PASSIVO CIRCULANTE - R$ 12.000,00
  • C Débito: PRÊMIOS DE SEGURO A APROPRIAR – ATIVO CIRCULANTE - R$ 12.000,00Crédito: CAIXA – ATIVO CIRCULANTE - R$ 3.000,00Crédito: SEGUROS A PAGAR – PASSIVO CIRCULANTE - R$ 9.000,00
  • D Débito: DESPESAS COM SEGUROS – RESULTADO - R$ 12.000,00Crédito: CAIXA – ATIVO CIRCULANTE - R$ 3.000,00Crédito: SEGUROS A PAGAR – PASSIVO CIRCULANTE - R$ 9.000,00
12
“Regime de escrituração contábil em que as receitas e as despesas são atribuídas aos exercícios de acordo com a real incorrência, isto é, de acordo com a data do fato gerador, e não quando são recebidos ou pagos em dinheiro. Por esse regime toda receita e toda despesa do exercício pertencem ao próprio exercício, embora já empenhadas; uma vez terminada a vigência do orçamento passam para o exercício seguinte, a fim de serem arrecadadas ou pagas, continuando, entretanto, a pertencer ao orçamento que lhes deu origem.” O regime de escrituração contábil, descrito anteriormente, trata-se de:
  • A Caixa.
  • B Misto.
  • C Financeiro.
  • D Competência.
13
Ao final do exercício de 2015, a empresa Cravo S/A apurou, através do seu departamento jurídico, que havia 3 processos trabalhistas contra ela: ficou evidente que no processo 1 era provável que a empresa tivesse um gasto de R$ 20.000,00; no processo 2 era possível que a empresa tivesse um gasto de R$ 30.000,00; e, no processo 3 era remota a possibilidade de um gasto. A empresa deverá realizar a seguinte ação em relação a provisão:
  • A Não reconhecer uma provisão.
  • B Reconhecer uma provisão de R$ 20.000,00.
  • C Reconhecer uma provisão de R$ 30.000,00.
  • D Reconhecer uma provisão de R$ 50.000,00.
14
“Um contador, chamado Júnior, tem um amigo de mais de 30 anos de amizade e sabe-se que este amigo sempre agiu com honestidade. Certo dia, para conseguir um financiamento, o amigo pediu para o contador emitir um parecer sobre a situação financeira de sua empresa. O contador da empresa é outro, e Júnior não tem qualquer conhecimento sobre os documentos contábeis da empresa.” De acordo com o código de ética do contador, ele deve: 
  • A Emitir o parecer, já que sabe que este amigo sempre agiu com honestidade.
  • B Não emitir o parecer, pois não tem em mãos os documentos que comprovem a situação.
  • C Emitir o parecer, desde que ligue antes para o contador da empresa e se informe da situação.
  • D Não emitir o parecer, pois não poderia cobrar do amigo, o que é vedado pelo código de ética do contador.
15
“A empresa Beta S/A possui uma ação de indébitos tramitando na justiça. No entanto, analisando os critérios probabilísticos exigidos para reconhecimento, chegou-se a conclusão que não é possível mensurar com confiabilidade o montante que será recebido.” Neste caso, a empresa deve: 
  • A Reconhecer como ativo.
  • B Reconhecer como receita.
  • C Divulgar nas notas explicativas.
  • D Reconhecer como ativo e divulgar nas notas explicativas.
16
A Resolução CFC nº 1.374/2011 define, entre outros fatores, as bases para mensuração, que pode ser definida como o processo de avaliar monetariamente os elementos das demonstrações contábeis, para que possam ser reconhecidos e apresentados no balanço patrimonial e na demonstração do resultado. A Resolução apresenta um número variado de bases de mensuração que podem ser utilizadas em diferentes graus e em variadas combinações nas demonstrações contábeis. Com relação às bases de mensuração e de acordo com a Resolução CFC nº 1.374/2011, aquela em que os passivos são mantidos pelos seus montantes de liquidação é:
  • A Custo histórico.
  • B Custo corrente.
  • C Valor realizável.
  • D Valor presente.
17
De acordo com a Resolução CFC nº 1.374/2011, “ativo é um recurso controlado pela entidade como resultado de eventos passados e do qual se espera que fluam futuros benefícios econômicos para a entidade”. A Resolução ainda afirma que: “Um ativo deve ser reconhecido no balanço patrimonial quando for provável que benefícios econômicos futuros dele provenientes fluirão para a entidade e seu custo ou valor puder ser mensurado com confiabilidade. Um ativo não deve ser reconhecido no balanço patrimonial quando os gastos incorridos não proporcionarem a expectativa provável de geração de benefícios econômicos para a entidade além do período contábil corrente”. A empresa Brasil Ltda. incorreu em gastos que não proporcionaram expectativa provável de geração de benefícios econômicos futuros para a entidade, apesar da intenção da administração de que tal gasto geraria os benefícios econômicos para a entidade além do período contábil corrente. No caso da empresa Brasil Ltda. e de acordo com a resolução CFC nº 1.374/2011, o gasto deve ser reconhecido
  • A como despesa no balanço.
  • B no passivo, uma vez que é um gasto.
  • C como despesa na demonstração do resultado.
  • D no Ativo pela intenção da administração de que tal gasto geraria os benefícios econômicos para a entidade além do período contábil corrente.
18
A Resolução CFC nº 1.374/2011 apresenta, entre outros, os conceitos das características qualitativas da informação contábil-financeira útil; uma destas características é a relevância. Sobre esta característica, a Resolução afirma que uma informação, para ser relevante, deve ter valor preditivo, valor confirmatório ou ambos. De acordo com a Resolução CFC nº 1.374/2011, a informação contábil-financeira tem valor preditivo se: 
  • A Somente for uma predição ou uma projeção.
  • B For confirmada pela informação confirmatória.
  • C Retroalimentar – servir de feedback – avaliações prévias (confirmá-las ou alterá-las).
  • D Puder ser utilizada como dado de entrada em processos empregados pelos usuários para predizer futuros resultados
19

Sobre o Patrimônio Líquido das entidades, segundo a Lei nº 6.404/76 e alterações posteriores, marque V para as afirmativas verdadeiras e F para as falsas.

( ) A conta do capital social discriminará o montante subscrito e, por dedução, a parcela ainda não realizada.

( ) Devem ser classificadas como reservas de lucros, entre outras, as contas que registrarem a contribuição do subscritor de ações que ultrapassar o valor nominal e a parte do preço de emissão das ações sem valor nominal que ultrapassar a importância destinada à formação do capital social, inclusive nos casos de conversão em ações de debêntures ou partes beneficiárias.

( ) Também será ainda registrado como reserva de capital o resultado da correção monetária do capital realizado, enquanto não capitalizado.

( ) Serão classificadas como reservas de lucros as contas constituídas pela apropriação de lucros da companhia.

( ) As ações em tesouraria deverão ser destacadas no balanço como dedução da conta do patrimônio líquido que registrar a origem dos recursos aplicados na sua aquisição.

A sequência está correta em 

  • A V, V, V, V, V.
  • B V, F, V, V, V.
  • C F, V, V, V, F.
  • D V, F, V, F, V.
20
“A companhia Solda S/A, que atua exclusivamente no ramo de serviços de solda, quando do fechamento de seu balanço patrimonial do ano de 2016, ficou com uma dúvida ao avaliar as aplicações em instrumentos financeiros e contratou uma consultoria para ajudá‐la. A auditoria contratada verificou que estas se tratavam de aplicações destinadas à negociação e disponíveis para venda.” De acordo com a Lei nº 6.404/76 e alterações posteriores, estes ativos devem ser avaliados pelo:
  • A Valor justo.
  • B Custo líquido.
  • C Custo histórico.
  • D Custo de aquisição, deduzido de provisão para perdas prováveis na realização do seu valor.

Contabilidade Pública

21
As características qualitativas da informação contábil-financeira útil traduzem os tipos de informação requeridas e consideradas mais úteis pelos usuários (investidores, credores por empréstimos, governo, funcionários, entre outros), existentes ou em potencial, para tomada de decisões acerca da entidade analisada. Nesse contexto, para ser útil a informação contábil-financeira necessita ser relevante e representar fidedignamente o que se propõe a representar e a utilidade da informação contábil-financeira é melhorada se ela for comparável, verificável, tempestiva e compreensível. De acordo com essa breve contextualização, analise as afirmativas, referentes às características qualitativas da informação contábil útil, marque V para as verdadeiras e F para as falsas.
( ) Para ser representação perfeitamente fidedigna, a realidade contábil-financeira retratada precisa ter três atributos. Ela tem que ser completa, neutra e livre de erro. ( ) Tempestividade é a característica qualitativa que permite que os usuários identifiquem e compreendam similaridades dos itens e diferenças entre eles. ( ) A verificabilidade significa que diferentes observadores, cônscios e independentes, podem chegar a um consenso, embora não cheguem necessariamente a um completo acordo. ( ) Os custos decorrentes da informação devem exceder os benefícios de produzi-la.
A sequência está correta em
  • A V, V, V, F.
  • B V, V, V, V.
  • C V, F, V, F.
  • D V, F, V, V.
22
Um estoque é mantido em uma entidade pública com o objetivo de distribuição gratuita para a população carente. De acordo com a NBC TSP 04 – Estoque, este estoque deve ser mensurado pelo menor valor entre o custo e o
  • A valor justo.
  • B valor realizável líquido.
  • C custo histórico corrigido.
  • D custo corrente de reposição.

Auditoria

23
A NBC TA 580 (R1) – Representações Formais apresenta os objetivos do auditor. NÃO representa um objetivo elucidado pela referida norma:
  • A Responder adequadamente aos fatos que chegaram ao conhecimento do auditor independente após a data de seu relatório, que, se fossem do seu conhecimento naquela data (do relatório), poderiam ter levado o auditor a alterar seu relatório.
  • B Obter representações formais da administração e, quando apropriado, dos responsáveis pela governança, de que eles cumpriram com suas responsabilidades pela elaboração das demonstrações contábeis e pela integridade das informações fornecidas ao auditor.
  • C Reagir apropriadamente às representações formais fornecidas pela administração (quando apropriado dos responsáveis pela governança) ou se a administração (e quando apropriado, os responsáveis pela governança) não fornecer as representações solicitadas pelo auditor.
  • D Dar suporte a outras evidências de auditoria relevantes para as demonstrações contábeis ou para afirmações específicas nas demonstrações contábeis por meio de representações formais, se o auditor determinar que estas são necessárias ou se forem exigidas por outras normas de auditoria.
24

“Os Princípios Fundamentais de Auditoria no Setor Público decorrem, principalmente, da Declaração de Lima e fornecem uma estrutura normativa de referência internacional. Referidos Princípios se traduzem em diretrizes operacionais mais específicas e detalhadas que podem ser usadas diariamente na realização de auditorias e, também, como normas de auditoria, quando normas nacionais de auditoria não tenham sido desenvolvidas. A auditoria é um processo cumulativo e interativo. Os princípios fundamentais podem ser agrupados em Princípios relacionados ao processo de auditoria, Princípios Gerais que o auditor deve considerar antes do início e durante a auditoria e em Princípios relacionados com as etapas específicas do processo de auditoria.”
(Princípios Fundamentais de Auditoria do Setor Público Aprovada em 2013. Disponível em: http://www.intosai.org. Adaptado.)  
São Princípios Gerais de Auditoria no setor público, EXCETO: 
  • A Ética; Independência; e, Comunicação.
  • B Julgamento Profissional; Materialidade; e, Documentação.
  • C Zelo e Ceticismo Profissionais; Hierarquia; Juízo de Valor; e, Meritocracia.
  • D Controle de Qualidade; Gerenciamento de Equipes e Habilidades; e, Risco de Auditoria.
25

Segundo o código de ética do contador, a transgressão de preceito deste Código constitui infração ética, sancionada, segundo a gravidade, com a aplicação de uma das seguintes penalidades: advertência reservada, censura reservada e censura pública. Na aplicação das sanções éticas, podem ser consideradas como atenuantes:

I. Ação desenvolvida sem prerrogativa profissional.

II. Ausência de punição ética anterior.

III. Prestação de relevantes serviços à Contabilidade.

Estão corretas as alternativas 

  • A I, II e III.
  • B I e II, apenas.
  • C I e III, apenas.
  • D II e III, apenas.

Contabilidade de Custos

26
“Com o advento da nova forma de se usar Contabilidade de Custos, ocorreu seu maior aproveitamento em outros campos que não o industrial. No caso de instituição não tipicamente daquela natureza, tais como financeiras e prestadores de serviço, onde seu uso para efeito de elaboração das demonstrações contábeis era quase irrelevante (pela ausência de estoques), passou-se a explorar seu potencial para o controle e até para a tomada de decisões.”
(MARTINS, Eliseu. Contabilidade de Custos. São Paulo: Atlas.)

A respeito da estrutura e análise de custos, sistemas de custeio, métodos de rateio, utilização de custos para tomadas de decisões, margem de contribuição e ponto de equilíbrio, assinale a afirmativa INCORRETA.  
  • A O sucesso de um sistema de custos está, principalmente, nas informações e depende do pessoal que o alimenta e o faz funcionar, pois se trata de um conduto que recolhe dados em diversos pontos, processa-os e emite, com base neles, relatórios.
  • B A análise de custos como instrumento auxiliar à tomada de decisão consiste, também, na alimentação de informações sobre valores relevantes que dizem respeito às consequências de curto e longo prazos sobre medidas de corte de produtos/serviços, fixação de preços para aquisição e opções de aquisição de bens/serviços.
  • C Apesar da impossibilidade, inúmeras empresas prestadoras de serviços, na atualidade, utilizam princípios e técnicas da Contabilidade de Custos de maneira não apropriada em função da inexistência de quaisquer similaridades entre estas e as empresas industriais, principalmente nas entidades em que se busca trabalhar por projeto: empresas de engenharia, escritórios de auditoria, de planejamento e órgãos públicos.
  • D Normalmente, o problema mais grave na implantação de qualquer sistema e na análise de custos, reside na qualidade do pessoal envolvido nas fases iniciais do processo. Os primeiros informes nascem de diversos apontamentos efetuados por inúmeros funcionários/servidores que não têm uma visão sistêmica da instituição e desconhecem a importância de um Sistema de Custos, o que se traduz no principal fator de insucesso.
27
“Uma empresa industrial utiliza-se do custeio por absorção para realizar toda a sua apuração de custos.” Considerando um fator importante, a classificação dos custos em diretos e indiretos se dá em relação 
  • A à atividade.
  • B aos produtos.
  • C aos departamentos.
  • D à quantidade produzida.
28
Uma indústria incorreu em custos variáveis no valor de 1.200.000,00 e em custos fixos no montante de 700.000,00, para uma produção de 4.800 unidades, com previsão de uma margem de contribuição de R$ 500,00 por unidade.

Considerando essas informações, o ponto de equilíbrio contábil em unidades e o preço de venda unitária são, respectivamente:
  • A 2.800 unidades e R$ 750,00.
  • B 2.400 unidades e R$ 500,00.
  • C 1.400 unidades e R$ 750,00.
  • D 1.250 unidades e R$ 750,00.
  • E 1.400 unidades e R$ 800,00.
29
Considere as seguintes informações:

• Capital de terceiros – R$ 250.000,00;
• Custo efetivo do capital de terceiros – 12% a.a.;
• Capital próprio – R$ 350.000,00;
• Custo do capital próprio – 15% a.a.

Com base nos dados apresentados, qual é o custo médio ponderado de capital?
  • A 7,27%.
  • B 13,75%.
  • C 41,00%.
  • D 58,33%.
30

A  gestão  de  estoques  é  o  principal  critério  de  avaliação  do  sistema de administração de materiais e abrange uma série de  atividades que vão desde a programação e planejamento das  necessidades  de materiais  em  estoque,  até  ao  controle  das  quantidades  adquiridas  (SEVERO  FILHO,  2006). A  respeito  da  gestão de estoques, assinale a opção correta. 

  • A A análise ABC permite a classificação dos itens de estoque por ordem decrescente de importância, a partir da verificação do consumo dos referidos itens de estoque, em valores monetários ou quantidades, em certo período de tempo.
  • B Os atrasos da entrega de produtos aos clientes, devido à falta de material decorrente da redução repentina da demanda ou de atrasos na entrega pelos fornecedores, não são minimizados com a adoção do estoque de segurança.
  • C O sistema just in time tem como objetivo elevar o custo de armazenagem de estoques, através da utilização intensiva de espaço físico para estocagem de grandes quantidades de matéria-prima ou mercadorias em estoque.
  • D O volume do estoque mínimo deve ultrapassar a somatória da quantidade do estoque de segurança em um valor que seja suficiente para suportar variações normais de estoque e não onere os custos de manutenção do mesmo.
Voltar para lista