Resolver o Simulado Professor - Planejar - Nível Superior

0 / 60

Biologia

1
O parasito Trichinella spiralis, causador da triquinose, é um organismo pertencente ao grupo
  • A das bactérias.
  • B dos vírus.
  • C dos protozoários.
  • D dos cestoides.
  • E dos nematoides.
2
Em uma reação de PCR polymerase chain reaction, na etapa de anelamento, ocorre
  • A o aumento de temperatura em relação à etapa de desnaturação.
  • B a perda da estrutura dupla hélice do DNA, transformando-se em fita simples.
  • C o pareamento dos primers na região alvo de amplificação.
  • D a formação de novas fitas de DNA dupla hélice.
  • E a utilização dos dNTP’s para a síntese de novas fitas de DNA.
3
A respeito dos mecanismos de transporte através das membranas celulares, assinale a alternativa correta.
  • A A maioria dos canais presentes na membrana plasmática permite somente a passagem de íons inorgânicos, por isso são chamados de canais iônicos.
  • B Moléculas polares, como a glicose, são capazes de atravessar a bicamada lipídica sem o auxílio de proteínas transportadoras de membrana.
  • C O2 , CO2 , N2 e H+ são moléculas apolares pequenas e seu transporte através da bicamada lipídica envolve gasto energético.
  • D A velocidade do processo de difusão não é influenciada por características como tamanho e solubilidade das moléculas.
  • E O transporte passivo permite que moléculas se movam contra um gradiente de concentração.
4
Sobre a teoria de Biogeografia de ilhas MacArthur e Wilson (1963, 1967) e suas aplicações ecológicas, assinale a alternativa correta.
  • A É aplicável em ambientes aquáticos, mas não em terrestres.
  • B Pode ser aplicada na construção de reservas naturais. Assim, várias manchas pequenas de vegetação são melhores que um fragmento de área maior.
  • C A distância entre as ilhas e as taxas de extinção não interferem no equilíbrio das populações.
  • D O número de espécies presente em uma ilha representa o equilíbrio entre a taxa de imigração de espécies colonizadoras e a taxa de natalidade.
  • E O conceito de Biogeografia de ilhas fornece base para o planejamento de Unidades de Conservação (UC´s).
5
A extração do DNA é uma etapa importante dos processos que utilizam essa molécula como prova. Atualmente, de acordo com o material a ser extraído, podem ser utilizados kits comerciais e também a combinação de reagentes em protocolos manuais. Considerando a extração que emprega o Fenol/ Clorofórmio, referente às características desse método, assinale a alternativa correta.
  • A Tem níveis baixos de toxicidade dos reagentes e alto custo por reação, comparado a outras técnicas de extração.
  • B Lise celular e remoção de resíduos de proteínas por precipitação são etapas dessa extração.
  • C Utiliza o etanol para promover a lise celular e desnaturação das proteínas.
  • D Utiliza a proteinase K para a precipitação do DNA.
  • E Ocorre obtenção rápida do DNA, mas com baixo grau de pureza.
6
Preencha as lacunas e assinale a alternativa correta. As duas técnicas mais importantes para o sequenciamento de DNA são o método ____________________ desenvolvido por Allan Maxam e Walter Gilbert, em 1977, e o método ____________________ de Fred Sanger e colaboradores, de 1978. Os dois métodos são baseados na produção de um conjunto de fitas simples de DNA que são separadas pelo princípio de eletroforese.
  • A físico de degradação / desoxi ou terminação de cadeia
  • B químico de degradação de bases / didesoxi ou terminação de cadeia
  • C químico de depleção de bases / didesoxi ou terminação de cadeia
  • D físico de depleção de bases / desoxi ou terminação de cadeia
  • E físico de depleção de bases / didesoxi de iniciação de cadeia
7
Quando estuda-se os ácidos nucleicos (RNA e DNA), é necessário conhecer os três processos que ocorrem com eles. Assinale a alternativa que corresponde a esses três processos.
  • A Transfiguração, replicação e transcrição.
  • B Tradução, transcrição e redução.
  • C Redução, tradução e transfiguração.
  • D Transcrição, replicação e tradução.
  • E Transcrição, tradução e duplicação.
8

A ciência forense consiste na aplicação de procedimentos científicos para ajudar a resolver assuntos de cunho legal. Assim como os indivíduos têm características únicas que os difere dos demais, como estatura, cor dos olhos e cabelo, o DNA também possui uma característica única e permite distinguir um indivíduo de outros com muito mais precisão e menores chances de erro. Uma das técnicas que nos permite fazer essa identificação é a Reação em cadeia da polimerase PCR. Sobre esse assunto, informe verdadeiro (V) ou falso (F) para o que se afirma a seguir e assinale a alternativa com a sequência correta.


( ) Na PCR, a reação é repetida ciclicamente através de uma série de alterações de temperatura, o que possibilita a produção de muitas cópias da região de interesse.

( ) Reação em Cadeia da Polimerase é uma técnica utilizada diariamente nos laboratórios e possibilita a amplificação de um dado fragmento da amostra de DNA inicial, de forma exponencial.

( ) O ciclo de PCR consiste em três etapas principais: desnaturação (separação da dupla fita de DNA), emparelhamento (iniciadores determinam a região a ser copiada) e extensão (conhecida como alongamento, em que a enzima taq polimerase complementa a fita, formando novamente uma dupla fita).

  • A F – F – F.
  • B V – F – V.
  • C F – V – F.
  • D V – V – V.
  • E V – V – F.
9
Preencha as lacunas e assinale a alternativa correta. Os alcanos são _________________ caracterizados por possuírem apenas átomos de_____________ e ________________ em suas moléculas e terem cadeia saturada, ou seja, apenas ligações covalentes simples entre carbonos. A principal fonte de alcanos é o petróleo e o gás natural.
  • A hidrocarbonetos / carbono / oxigênio
  • B hidrocarbonetos / carbono / nitrogênio
  • C hidrocarbonetos / carbono / hidrogênio
  • D hidrogênios / carbono / oxigênio
  • E oxigênios / carbono / hidrogênio
10
A contaminação por agentes tóxicos nos alimentos pode ocorrer de forma direta ou indireta. A contaminação indireta decorre dos processos empregados para a obtenção de matéria prima, tais como: promotores de crescimento, quimioterapêuticos veterinários e praguicidas. Além destas, pode também ocorrer a contaminação do alimento devido à absorção de componentes da embalagem. Com relação à contaminação indireta devido à absorção de componentes da embalagem, assinale a alternativa correta.
  • A Ocorre em função de mudanças físicoquímicas ocasionadas pela presença de microrganismos que liberam toxinas específicas com potencial de reagir com o alimento e com a embalagem do produto.
  • B Os alimentos podem apresentar, por exemplo, resíduos de herbicidas, fungicidas, inseticidas ou raticidas. E, a depender dos princípios ativos desses defensivos e a ocasião da aplicação, podem ocorrer níveis residuais que afetem a saúde do consumidor.
  • C Pode ocorrer que em função das características físico-químicas dos alimentos, tais como: pH, presença de óleo, teor alcoólico, teor de lipídios, tempo de estocagem e temperatura, o alimento acondicionado venha a reagir quimicamente com a embalagem, absorvendo alguma substância que atinja grau de toxidade ao ser ingerido.
  • D Pode ocorrer que em função das características biológicas e estruturais dos alimentos, tais como: estrutura da parede celular, presença de organelas e alterações nucleares, o alimento acondicionado venha a reagir quimicamente com a embalagem, absorvendo alguma substância que atinja grau de toxidade ao ser ingerida.
  • E É passível de ocorrer nos casos em que os alimentos liberarem substâncias químicas utilizadas no seu processamentos em decorrência da interação farmacológica dessas substâncias com a embalagem.
11
Sobre a estrutura e propriedades físicoquímicas do DNA, assinale a alternativa correta.
  • A O DNA é um longo polímero formado por unidades repetidas chamadas nucleotídeos. A dupla hélice do DNA é estabilizada por pontes de hidrogênio entre as bases presas às duas cadeias. As quatro bases encontradas no DNA são: adenina, citosina, guanina e timina.
  • B O DNA é um longo polímero formado por unidades repetidas chamadas nucleotídeos. A dupla hélice do DNA é estabilizada por pontes de hidrogênio entre as bases presas às duas cadeias. As quatro bases encontradas no DNA são: adenina, citosina, guanina e tiamina.
  • C O DNA é um longo polímero formado por unidades repetidas chamadas nucleotídeos. A dupla hélice do DNA é estabilizada por pontes de hidrogênio entre as bases presas às duas cadeias. As quatro bases encontradas no DNA são: alanina, citosina, guanina e timina.
  • D O DNA é um longo polímero formado por unidades repetidas chamadas nucleotídeos. A dupla hélice do DNA é estabilizada por pontes de hidrogênio entre as bases presas às duas cadeias. As quatro bases encontradas no DNA são: alanina, citosina, guanina e tiamina.
  • E O DNA é um longo polímero formado por unidades repetidas chamadas nucleotídeos. A dupla hélice do DNA é estabilizada por pontes de hidrogênio entre as bases presas às duas cadeias. As quatro bases encontradas no DNA são: adesina, citosina, guanina e timina.
12

Com relação à tipagem sanguínea, informe se é verdadeiro (V) ou falso (F) o que se afirma a seguir e assinale a alternativa com a sequência correta.

( ) A fenotipagem para o sistema ABO/ Rh, realizada por prova direta, visa pesquisar os antígenos na membrana das hemácias.

( ) Nos casos em que o tubo D (Rh) se mostrar negativo, deve-se prosseguir realizando o teste do Du ou D fraco antes de afirmar ser um Rh negativo.

( ) A prova reversa realizada por pesquisa de anticorpos naturais e regulares do sistema ABO é utilizada para a confirmação da prova direta.

( ) O teste de anticorpo D fraco é realizado para confirmação de testes Rh positivo, sendo assim, em todos os testes Rh positivo, deve-se realizar o teste.

  • A F – F – F – V.
  • B V – F – V – F.
  • C F – V – V – F.
  • D V – F – F – V.
  • E V – V – V – F.
13

No Brasil, a cobertura de saneamento básico ainda não é completa, o que leva um grande número de pessoas a adquirirem doenças transmitidas pela água contaminada. Além disso, uma parte da população, principalmente as crianças e jovens, não tem total conhecimento dos problemas que podem ser causados pelo consumo de águas não apropriadas. As doenças causadas pela contaminação da água são:

  • A diarreia, febre tifoide, hanseníase.
  • B tuberculose, rotavírus, hepatite A.
  • C febre tifoide, febre amarela, rotavírus.
  • D dengue, hepatite A, diarreia.
  • E hepatite A, rotavírus, febre tifoide.
14

A aplicação de conhecimentos aprendidos para buscar o equilíbrio dos ecossistemas regionais e locais é uma habilidade importante no ensino de Ciências em todos os níveis. Um ecossistema é constituído por uma rede de relações entre fatores bióticos e abióticos do meio. São fatores abióticos:

  • A onça, mico-leão, cobra.
  • B macaco, ipê, bactéria.
  • C água, solo, luminosidade.
  • D temperatura, radiação solar, bactérias.
  • E ventos, umidade, plantas.
15

Segundo reportagem da revista FAPESP (edição 62), denominada Sem bichos, a floresta morre, o desaparecimento de animais que dispersam sementes põe em risco a sobrevivência de remanescentes da Mata Atlântica. Um exemplo é a dispersão de sementes do jatobá pela cutia. A cutia come algumas sementes e enterra as restantes, para ter alimento em outra estação. Quando ela muda de território, esquece alguma semente ou é predada por onças, a semente abandonada germina e dá origem a nova planta. Este fragmento de texto apresenta um exemplo do conceito ecológico de

  • A sucessão ecológica, mostrando as relações entre o jatobá, a cutia e onça.
  • B ciclo biogeoquímico, mostrando as relações entre o jatobá, a cutia e onça.
  • C cadeia alimentar, mostrando as relações entre o jatobá, a cutia e onça.
  • D parasitismo, uma vez que a cutia come as sementes de jatobá.
  • E espécie invasora, uma vez que a cutia come as sementes de jatobá.
16

Atente para o seguinte excerto: “Importância do Brasil na biodiversidade mundial é maior do que se pensava, dizem cientistas. Quase um quarto de todos os peixes de água doce do mundo ‒ mais precisamente 23% ‒ estão nos rios brasileiros. Assim como 16% das aves do planeta, 12% dos mamíferos e 15% de todas as espécies de animais e plantas”.

Fonte: https://g1.globo.com/natureza/noticia/2018/08/19/importa ncia-do-brasil-na-biodiversidademundial-e-maior-do-que-se-pensava-dizemcientistas.ghtml?utm_source=whatsapp&utm_medium=shar e-bar-smart&utm_campaign=share-bar


Com base nessas informações, analise as seguintes proposições acerca dos ecossistemas brasileiros:

I. A Mata Atlântica e a Floresta Amazônica são tipos de vegetação que apresentam fisionomia florestal, possuem até cinco estratos: árvores emergentes, dossel, lianas, epífitas, sub-bosque, e têm a distribuição vertical e horizontal de luz como um fator limitante.

II. O Cerrado é um dos hotspots de biodiversidade do planeta por ser extremamente diverso e altamente ameaçado, congrega um conjunto diverso de fitofisionomias características do Brasil central: campo limpo, campo sujo, cerrado sensu stricto, cerradão, florestas de galeria e outros.

III. A Caatinga é uma vegetação decídua espinhosa exclusivamente brasileira, que possui uma pobre biodiversidade quando comparada a outras regiões de clima semiárido, tendo sido contabilizado somente na caatinga sensu stricto cerca de 1.700 espécies de plantas, das quais 318 são endêmicas.

IV. Os Pampas estão sob influência de estações alternadas chuvosas e secas, solos pobres em nutrientes, altas concentrações de alumínio e fogo. As adaptações das plantas incluem sistema radicular profundo, xilopódio, estruturas lignificadas, folhas espessas e cutícula proeminente.


É correto o que se afirma em

  • A I, III e IV apenas.
  • B I e II apenas.
  • C II, III e IV apenas.
  • D I, II, III, IV.
17

Chove pouco em quase toda a região fitogeográfica da Caatinga, geralmente de 3 a 5 meses por ano, com totais anuais entre 350 e 800 mm/ano em média. Assinale a opção que corresponde a causa(s) da escassez de chuva na maior parte do Nordeste brasileiro.

  • A A Zona de Convergência Intertropical ZCTI não circunda o Nordeste brasileiro e não existem reservatórios para estocagem da água das chuvas.
  • B Apesar de existirem muitos lagos e rios perenes e volumosos, a Zona de Convergência Intertropical ZCTI é muito passageira.
  • C Na região Nordeste do Brasil não ocorre a formação de nuvens de chuva e os ventos são pouco frequentes.
  • D Os ventos que refrescam o sertão não conseguem trazer a umidade que causa chuvas nas áreas vizinhas e existem poucos rios e lagos perenes e volumosos.
18

Considerando que os fatores ecológicos limitadores do crescimento populacional são classificados em dependentes e independentes de densidade, analise as seguintes afirmações:

I. Na regulação dependente de densidade a ação de fatores ambientais sobre a população é variável, de acordo com seu tamanho.

II. Na regulação independente de densidade não há relação entre intensidade da ação de fatores ambientais e o tamanho da população.

III. São exemplos de fatores bióticos que regulam a população por dependência de densidade: competição, predação, herbivoria e parasitismo.

IV. São exemplos de fatores abióticos independentes de densidade: temperatura, precipitação, variações climáticas extremas e competição por espaço.

É correto o que se afirma em

  • A I, II e III apenas
  • B II e IV apenas.
  • C I, II, III e IV.
  • D I, III e IV apenas.
19

O sangue pode ser dividido em uma porção plasmática composta de água, sais e proteínas e uma porção celular, composta de glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas. É função dos glóbulos vermelhos

  • A participar das reações de coagulação.
  • B transportar gases respiratórios.
  • C atuar nas defesas do organismo.
  • D liberar tromboplastina.
20

Suponha que do cruzamento de um pato e uma pata, ambos de pelo branco, nasça um pato de pelo preto, que é a característica recessiva. Sobre essa situação, é correto afirmar que afirmar que

  • A os pais do pato preto são homozigotos.
  • B o pato preto é heterozigoto.
  • C os pais do pato preto são heterozigotos.
  • D o pato preto tem o mesmo genótipo dos pais.

Noções de Informática

21

Considerando uma apresentação com 10 slides no Microsoft PowerPoint 201 0, em sua configuração padrão, sendo que o slide ativo é o slide 10 e ele está oculto, assim como o slide 1 também está oculto, assinale a alternativa correta.

  • A Ao pressionar as teclas SHIFT+F5 para iniciar o modo de apresentação, a apresentação inicia-se pelo slide 11.

  • B Ao pressionar as teclas SHIFT+F5 para iniciar o modo de apresentação, a apresentação inicia-se pelo slide 1.

  • C Ao pressionar a tecla F5 para iniciar o modo de apresentação, a apresentação inicia-se pelo slide 1.
  • D Ao pressionar a tecla F5 para iniciar o modo de apresentação, a apresentação inicia-se pelo slide 10.
  • E Ao pressionar a tecla F5 para iniciar o modo de apresentação, a apresentação inicia-se pelo slide 2.

22

Têm-se os seguintes recursos para aplicar na edição de um texto.


I - Formatação em negrito

II - Localizar e substituir

III - Alterar a fonte de letra


Considerando os aplicativos Bloco de Notas e WordPad, em um computador com Microsoft Windows 7, em sua configuração original, assinale a alternativa que indica corretamente onde cada recurso, de I a III, pode ser aplicado.

  • A I - Ambos; II - ambos; III - ambos.
  • B I - Wordpad, apenas; II - ambos; III - ambos.
  • C I - Ambos; II - ambos; III - Bloco de Notas, apenas.
  • D I - Bloco de Notas, apenas; II - WordPad, apenas; III - ambos.
  • E I - Wordpad, apenas; II - Wordpad, apenas; III - Wordpad, apenas.
23

Analise as seguintes afirmativas abaixo sobre as formas de salvar um documento no Writer pertencente ao pacote LibreOffice.


I - Pressione Control + S

II - Clique no botão Salvar na barra de ferramenta principal.

III- Escolha Editar → Salvar


Estão CORRETAS as afirmativas:

  • A I e II apenas.
  • B I e III, apenas.
  • C I apenas.
  • D II e III apenas.
  • E I, II e III.
24

Um spyware é um programa desenvolvido para monitorar as atividades de um sistema e enviar as informações coletadas para terceiros. Com relação a esse assunto, assinale a alternativa correspondente a um programa que pode ser classificado como um spyware.

  • A Rootkit
  • B Backdoor
  • C Adware
  • D Vírus
  • E Worms
25

“É responsável pela configuração dinâmica de endereços IP em uma rede de computadores, ou seja, atribui automaticamente um endereço IP quando um computador é inicializado ou conectado a uma rede de computadores”.


O trecho textual acima se refere ao protocolo:

  • A SMTP.
  • B IMAP.
  • C HTTP.
  • D SNMP.
  • E DHCP.
26

A conexão entre a unidade de disco rígido e o sistema de computação acontece por meio da interface controladora. As primeiras unidades de disco apresentavam problemas com essa conexão, pois quando havia necessidade de aumentar a taxa de transferência, ocorria aumento de ruído na conexão. Para solucionar essa problemática, uma determinada empresa incorporou a interface controladora à própria unidade de disco rígido. Essa tecnologia ficou conhecida como:

  • A Serial Interface Device Control, implantada pela empresa Seagate.
  • B Integrated Drive Electronic, implantada pela empresa Western Digital.
  • C Hard Disk Interface Control, implantada pela empresa Fujitsu.
  • D Serial Drive Control Interface, implantada pela empresa Samsung.
  • E Interface Hard Disk Control, implantada pela empresa Maxtor.
27
Para responder a questão, considere que todos os programas mencionados foram instalados e configurados no modo padrão e podem estar na versão de 32 ou 64 bits. Nenhum recurso extra foi adicionado, tais como plug-ins, complementos, etc. Considere que o teclado, quando mencionado, encontra-se no padrão ABNT2 - PT-BR e também que o mouse está no modo padrão.

Durante a operação de computadores, dados são armazenados e trocados entre diversos componentes de hardware, tais como CPU, memória RAM, disco rígido (HDD) e/ou SSD (Solid-State Drive). Assinale a alternativa correta a respeito desses componentes.

  • A A principal função da CPU é armazenar dados.
  • B O HDD é uma memória não volátil, ou seja, mantém os dados armazenados mesmo após o desligamento do computador.
  • C O SSD é uma memória volátil, ou seja, não mantém os dados armazenados após o desligamento do computador.
  • D A memória RAM é não volátil, ou seja, mantém os dados armazenados mesmo após o desligamento do computador.
  • E O componente de hardware responsável pelo processamento dos dados é a memória RAM.
28

Por padrão, as extensões .ODS e .ODT, respectivamente, pertencem a que programas do Pacote LibreOffice 5.0?

  • A Impress e Writer.
  • B Calc e Writer.
  • C Writer e Impress.
  • D Impress e Calc.
  • E Calc e Impress.
29

Sobre os componentes de um sistema computacional, é INCORRETO afirmar que:

  • A Hardware são componentes físicos que fazem parte da máquina, tais como fios, discos rígidos, teclado, mouse e outros.
  • B Softwares são os programas que fazem a máquina funcionar, incluindo o sistema operacional e os aplicativos.
  • C O hard drive armazena as informações contidas no computador a longo prazo.
  • D A memória RAM é conhecida como memória não volátil.
  • E Uma memória volátil perde o conteúdo armazenado quando a energia de alimentação é retirada.
30

Sobre os dados de uma planilha criada no LibreOffice Calc, foi aplicada a função =SOMASE(A1:A5;”M”;B1:B5). Essa função permitirá:

  • A somar os valores contidos no intervalo B1 a B5, cujo conteúdo da célula da coluna A da linha correspondente seja igual a M.
  • B somar o número de vezes que o valor M aparece no intervalo de células A1 a B5.
  • C somar os valores contidos no intervalo de A1 a A5.
  • D somar os valores contidos no intervalo de A1 a A5, cujo conteúdo da célula da coluna B da linha correspondente seja igual a M.
  • E somar os valores contidos no intervalo B1 a B5.
31

Todo arquivo deveria ter cópias de segurança para evitar perda de informações ou mesmo para evitar ter que refazer atividades. No MS-Windows 10, em sua configuração padrão, entre seus vários aplicativos, um usuário pode fazer cópias de segurança de seus arquivos usando o recurso:

  • A Restauração.
  • B Hardware.
  • C Personalização.
  • D Contas de Usuário.
  • E Histórico de Arquivos.
32

Assinale a alternativa que contém a quantidade máxima de itens que podem ser armazenados na área de transferência do MS-Windows 7 e no MS-Office 2010, ambos em sua configuração original, correta e respectivamente.

  • A 1 e 8.
  • B 1 e 24.
  • C 8 e 24.
  • D 24 e 1.
  • E 24 e 8.
33
Um importante recurso de produtividade disponível em softwares de computer aided design (ou desenho auxiliado por computador), como o AUTOCAD. Especificamente para o AUTOCAD, assinale a alternativa que apresenta a variável de sistema que ajusta a suavidade dos objetos sombreados e objetos renderizados, bem como objetos com linhas ocultas removidas.
  • A SDI
  • B PSLTSCALE
  • C FACETRES
  • D VSINTERSECTIONEDGES
  • E DGNFRAME
34

No Microsoft Excel, versão português do Office 2013, a função =AGORA( ) retorna:

  • A dia da semana.
  • B somente hora.
  • C somente ano.
  • D somente segundos.
  • E data e a hora atuais.
35

Nos computadores está presente uma tecnologia que permite o reconhecimento e configuração automática de dispositivo quando instalado, trata-se do:

  • A link.
  • B plugin.
  • C plug and play.
  • D processador.
  • E browser.
36

As alterativas abaixo estão corretas, EXCETO:

  • A o Teclado é responsável por inserir dados no computador par que sejam processados.
  • B o estabilizador é um equipamento que tem a função de proteger aparelhos eletrônicos das variações de tensão que recebe da rede elétrica.
  • C o equipamento nobreak também é responsável por alimentar os dispositivos, em caso de falta de energia elétrica, através de baterias.
  • D a Fonte de Alimentação é um equipamento que recebem energia da rede elétrica (110 ou 220 Volts) e geram as tensões continuas, necessárias ao funcionamento interno do computador e seus componentes, mesmo com a falta da energia elétrica.
  • E o monitor é um dispositivo responsável por transmitir informações geradas pela placa de vídeo.
37

Acerca de criptografia e segurança da informação na internet, assinale a alternativa correta.

  • A A data correta do computador impede que certificados válidos sejam considerados confiáveis.
  • B A assinatura digital permite comprovar a autenticidade e a integridade de uma informação.
  • C O certificado eletrônico é um registro digital composto por um conjunto de dados que distingue uma entidade e associa a ela uma chave privada.
  • D Chave é o meio adotado para a troca de informações.
  • E Criptografia é utilizada somente para enviar uma mensagem que deve ser lida por um destinatário específico.
38

Leia atentamente as duas assertivas que se seguem que tratam de recursos do software MS Excel 2013.


I- Impede que outros usuários alterem, movam ou excluam dados acidentalmente ou deliberadamente em uma planilha. Bloqueia células na planilha e protege a planilha com uma senha.

II - Exclui linhas duplicadas em uma planilha. Pode-se escolher quais colunas devem ser verificadas em busca de informações duplicadas.


Os recursos apontados nas assertivas I e II acima são encontrados no menu principal do software em questão, respectivamente, nas opções:

  • A Revisão e Formatação.
  • B Exibição e Revisão.
  • C Formatação e Referências.
  • D Revisão e Dados.
  • E Dados e Exibição.
39

Qual alternativa apresenta considerações corretas a respeito dos modelos OSI e TCP/IP?

  • A A camada de apresentação no modelo de referência OSI faz a interface entre o protocolo de comunicação e o aplicativo que pediu ou receberá a informação por meio da rede. Ela é quem determina como ocorrerá um diálogo, identificando nomes e endereços.
  • B No modelo de referência OSI, a camada de sessão é a responsável pelo início da comunicação fim a fim e complementa as funções da camada de transporte. Estabelece um canal de comunicação entre os usuários emissor e receptor.
  • C No modelo TCP/IP, a camada de enlace tem como uma de suas principais funções receber os pacotes de dados da camada de rede e os transforma em quadros. Posteriormente, os transforma em tensões elétricas para a camada física para serem repassados ao meio físico.
  • D A camada de rede, no modelo OSI, é a responsável por pegar os dados enviados da camada de sessão e dividi-los em mensagens que serão transmitidas pela rede, ou seja, as mensagens serão repassadas à camada de transporte que irá roteá-las até o seu destino.
  • E Assim como as camadas de rede e de enlace do modelo de referência OSI correspondem à camada de inter-rede do modelo TCP/IP, as camadas de aplicação e de apresentação do modelo TCP/IP correspondem à camada de apresentação do modelo OSI.
40

A informática evolui a cada dia que passa, e novas tecnologias e aplicações vão surgindo para oferecer mais soluções ou alternativas aos seus usuários. Dentro desse cenário temos a “cloud computing”, que se refere a:

  • A Um mecanismo tecnológico observado em redes Intranets que permite o uso de aplicações de forma remota.
  • B Uma aplicação criada para que servidores remotos possam compartilhar informações de e-business.
  • C Um sistema de informação corporativo que pode ser usado a longa distância por empresas parceiras.
  • D Uma forma de armazenamento de dados oferecido através da Internet a partir de diversos servidores.
  • E Um conceito dado para um tipo de Extranet, onde computadores estão interligados por uma “nuvem”.

Português

41

                             [Vocação de professor]


      Escritor nas horas vagas, sou professor por vocação e destino. “A quem os deuses odeiam, fazem-no pedagogo”, diz o antigo provérbio; assim, pois, dando minhas aulas há tantos anos, talvez esteja expiando algum crime que ignoro, cometido porventura nalguma existência anterior. Apesar disso, não tenho maiores queixas de um ofício que, mantendo-me sempre no meio dos moços, me dá a ilusão de envelhecer menos rapidamente do que aqueles que passam a vida inteira entre adultos solenes e estereotipados.

      Outra vantagem da minha profissão principal é fornecer material copioso para a profissão acessória. Se fosse ficcionista, que mina não teria à mão no mundo da adolescência, mina ainda insuficientemente explorada e cheia de tesouros! Mas, como não sou ficcionista, utilizo-me desse cabedal apenas para observação e reflexão; às vezes o aproveito nalgum monólogo inócuo, como este.

(Adaptado de: RÓNAI, Paulo. Como aprendi o Português e outras aventuras. Rio de Janeiro: Edições de Janeiro, 2014, p. 109)

Para integrar adequadamente a frase dada, o verbo indicado entre parênteses deverá flexionar-se numa forma

  • A do plural em Bem (poder) caber ao professor o exercício dos dotes de um talentoso escritor.
  • B do plural em Não (chegar) aos seus ouvidos de professor qualquer recriminação por parte dos jovens alunos.
  • C do singular em De todos os castigos que lhe (ocorrer) nenhum poderia ser o da carreira de pedagogo.
  • D do singular em Dos talentos que lhe (caber) desenvolver, o de professor foi o mais bem-sucedido.
  • E do singular ou do plural, indiferentemente, em O fato de (haver) tantas profissões permite boas escolhas.
42

Surdos: os bilíngues bimodais


Em 26 de setembro foi comemorado o Dia Nacional do Surdo (Lei nº 11.796/2008). Esse dia foi escolhido como homenagem à data de criação, no Rio de Janeiro, da primeira Escola de Surdos do Brasil, hoje conhecida como Instituto Nacional de Educação de Surdos (Ines).

A história de criação do INES se confunde com a história de criação da Língua Brasileira de Sinais (Libras). Aliás aproveitamos para explicar que Libras é uma língua e não uma linguagem. Porque é um idioma oficial, reconhecido por lei federal (Lei nº 10.436/2002) e contém estrutura e regras próprias - tendo sido regulamentada desde 2010 a profissão de tradutor e intérprete de Libras.

As crianças surdas adquirem a língua de sinais de forma natural e espontânea. Enquanto o acesso à língua portuguesa acontece formalmente. Esses fatos tornam a língua de sinais imprescindível ao desenvolvimento de uma linguagem para a criança surda. Porque línguas de sinais e línguas faladas são línguas em modalidades diferentes, assim, pode-se dizer que os surdos são bilíngues bimodais.

O termo 'bilíngue bimodal' foi usado mais recentemente por pesquisadores que lidaram com crianças e adultos ouvintes com uma língua de sinais e uma língua falada. Não obstante o reconhecimento da condição bilíngue dos surdos ter existido na educação das pessoas com perdas auditivas há muito mais tempo.

É importante que as crianças surdas, além do aprendizado da língua de sinais, sejam também alfabetizadas na língua portuguesa, pois que é justamente essa última, sua segunda língua, que vai ser usada com função social interativa, como elemento de comunicação escrita através das redes sociais por exemplo.

A língua portuguesa será usada ainda para ler notícias, fazer consultas, escrever para alguém ou ler as mensagens que receber, ao mesmo tempo em que usam a língua de sinais para conversar e, em algumas situações, até ler textos em sinais. Assim, os surdos podem ser considerados bilíngues bimodais, pois a modalidade da escrita, apesar de também ser visual, é gráfica, o que a diferencia da modalidade gestualvisual.

Ser bilíngue bimodal apresenta uma série de vantagens, pois além das pessoas estarem diante de duas identidades linguísticas diferentes que propicia vantagens de ordem sociocultural, tem-se ainda vantagens como: você pode falar à distância; enquanto mastiga; através de portas de vidro; em ambientes com muito barulho, como em discotecas e pode falar até debaixo d'água, além de valorizar o seu currículo e tornar a sociedade mais inclusiva, ou seja, vale a pena ser bilíngue bimodal.

Geraldo Nogueira. Subsecretário da Pessoa com Deficiência do Município do Rio de Janeiro Agência O Dia. Texto disponível em: https://odia.ig.com.br/opiniao/2018/11/5589537- surdos-os-bilingues-bimodais.html. Acesso em: 01 de novembro de 2018.


Considerando a sintaxe de concordância e regência, qual dos períodos abaixo NÃO está de acordo com a norma culta da Língua Portuguesa.

  • A Em 26 de setembro foi comemorado o Dia Nacional do Surdo (Lei nº11.796/2008). Esse dia foi escolhido como homenagem à data de criação, no Rio de Janeiro, da primeira Escola de Surdos do Brasil, hoje conhecida como Instituto Nacional de Educação de Surdos (Ines).
  • B A história de criação do INES se confunde com a história de criação da Língua Brasileira de Sinais (Libras). Aliás aproveitamos para explicar que Libras é uma língua e não uma linguagem. Porque é um idioma oficial, reconhecido por lei federal (Lei nº 10.436/2002) e contém estrutura e regras próprias - tendo sido regulamentada desde 2010 a profissão de tradutor e intérprete de Libras.
  • C Ser bilíngue bimodal apresenta uma série de vantagens, pois além das pessoas estarem diante de duas identidades linguísticas diferentes que propicia vantagens de ordem sociocultural, tem-se ainda vantagens como: você pode falar à distância; enquanto mastiga; através de portas de vidro; em ambientes com muito barulho, como em discotecas e pode falar até debaixo d'água, além de valorizar o seu currículo e tornar a sociedade mais inclusiva, ou seja, vale a pena ser bilíngue bimodal.
  • D As crianças surdas adquirem a língua de sinais de forma natural e espontânea. Enquanto o acesso à língua portuguesa acontece formalmente. Esses fatos tornam a língua de sinais imprescindível ao desenvolvimento de uma linguagem para a criança surda. Porque línguas de sinais e línguas faladas são línguas em modalidades diferentes, assim, pode-se dizer que os surdos são bilíngues bimodais.
  • E Assim, os surdos podem ser considerados bilíngues bimodais, pois a modalidade da escrita, apesar de também ser visual, é gráfica, o que a diferencia da modalidade gestual-visual.
43

        Um estudo realizado por pesquisadores do Porto concluiu que a intervenção de enfermeiros especialistas em saúde mental, aliada _____ medicação, é significativamente mais eficaz _____ reduzir os níveis de ansiedade quando comparada com o tratamento apenas com medicamentos.

        A pesquisa, _____ que o jornal teve acesso, foi realizada por um grupo de pesquisadores do CINTESIS – Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde e da Escola Superior de Enfermagem do Porto e publicada no Journal of Advanced Nursing.

        Os resultados indicam um “efeito positivo da intervenção psicoterapêutica da enfermagem”, realizada por um enfermeiro especialista em saúde mental, registrando-se uma clara diminuição dos níveis de ansiedade e um aumento do autocontrole da ansiedade no final das cinco sessões (45 a 60 minutos/semana) realizadas em cinco semanas consecutivas.

(Expresso. https://expresso.sapo.pt. Adaptado)

A exemplo de “intervenção” – grafada com “ç” – e de “autocontrole” – grafado sem hífen –, estão correta e respectivamente grafados, em conformidade com a ortografia oficial, os termos:

  • A pretenção e autohemoterapia.
  • B intenção e autoobservação.
  • C compreenção e autoterapia.
  • D propenção e autofecundação.
  • E isenção e autodefesa.
44

Após avanços tecnológicos, medicina deve mirar empatia


Médicos sempre ocuparam uma posição de prestígio na sociedade. Afinal, cuidar do maior bem do indivíduo – a vida – não é algo trivial. Embora a finalidade do ofício seja a mesma, o modus operandi mudou drasticamente com o tempo.

O que se pode afirmar é que o foco da atuação médica deve ser cada vez menos o controle sobre o destino do paciente e mais a mediação e a interpretação de tecnologias, incluindo a famigerada inteligência artificial. Já o lado humanístico, que perdeu espaço para os exames e as máquinas, tende a recuperar cada vez mais sua importância.

De meados do século 20 até agora, concomitantemente às novas especialidades, houve avanço tecnológico e a proliferação de modalidades de exames. Cresceu o catálogo dos laboratórios e também a dependência do médico em relação a exames. A impressão dos pacientes passou a ser a de que o cuidado é ruim, caso o médico não os solicite.

O tema é caro a Jayme Murahovschi, referência em pediatria no país. “Tem que haver progressão tecnológica, claro, mas mais importante que isso é a ligação emocional com o paciente. Hoje médicos pedem muitos exames e os pacientes também.”

Murahovschi está entre os que acreditam que a profissão está sofrendo uma nova reviravolta, quase que voltando às origens clássicas, hipocráticas: “Os médicos do futuro, os que sobrarem, vão ter que conhecer o paciente a fundo, dar toda a atenção que ele precisa, usando muita tecnologia, mas com foco no paciente.”

Alguns profissionais poderão migrar para uma medicina mais técnica, preveem analistas.

Esses doutores teriam uma função diferente, atuando na interface entre o conhecimento biomédico e a tecnologia por trás de plataformas de diagnóstico e reabilitação. Ou ainda atuariam alimentando com dados uma plataforma de inteligência artificial, tornando-a mais esperta.

Outra tecnologia já presente é a telemedicina, que descentraliza a realização de consultas e exames. Clínicas e médicos generalistas podem, rapidamente e pela internet, contar com laudos de especialistas situados em diferentes localidades; uma junta médica pode discutir casos de pacientes e seria possível até a realização, a distância, de consultas propriamente ditas, se não existissem restrições do CFM nesse sentido.

Até cirurgias podem ser feitas a distância, com o advento da robótica. O tema continua fascinando médicos e pacientes, mas, por enquanto, nada de droides médicos à la Star Wars – quem controla o robô ainda é o ser humano.

(Gabriela Alves. Folha de S.Paulo, 19.10.2018. Adaptado)

No trecho do último parágrafo – quem controla o robô ainda é o ser humano –, o termo destacado apresenta circunstância adverbial de

  • A afirmação, como em: “tende a recuperar cada vez mais sua importância”.
  • B tempo, como em: “pode discutir, remotamente, diversos casos”.
  • C tempo, como em: “Hoje médicos pedem muitos exames”.
  • D afirmação, com em: “progressão tecnológica, claro, mas mais importante”.
  • E intensidade, como em: “tornando-a mais esperta”.
45

Após avanços tecnológicos, medicina deve mirar empatia


Médicos sempre ocuparam uma posição de prestígio na sociedade. Afinal, cuidar do maior bem do indivíduo – a vida – não é algo trivial. Embora a finalidade do ofício seja a mesma, o modus operandi mudou drasticamente com o tempo.

O que se pode afirmar é que o foco da atuação médica deve ser cada vez menos o controle sobre o destino do paciente e mais a mediação e a interpretação de tecnologias, incluindo a famigerada inteligência artificial. Já o lado humanístico, que perdeu espaço para os exames e as máquinas, tende a recuperar cada vez mais sua importância.

De meados do século 20 até agora, concomitantemente às novas especialidades, houve avanço tecnológico e a proliferação de modalidades de exames. Cresceu o catálogo dos laboratórios e também a dependência do médico em relação a exames. A impressão dos pacientes passou a ser a de que o cuidado é ruim, caso o médico não os solicite.

O tema é caro a Jayme Murahovschi, referência em pediatria no país. “Tem que haver progressão tecnológica, claro, mas mais importante que isso é a ligação emocional com o paciente. Hoje médicos pedem muitos exames e os pacientes também.”

Murahovschi está entre os que acreditam que a profissão está sofrendo uma nova reviravolta, quase que voltando às origens clássicas, hipocráticas: “Os médicos do futuro, os que sobrarem, vão ter que conhecer o paciente a fundo, dar toda a atenção que ele precisa, usando muita tecnologia, mas com foco no paciente.”

Alguns profissionais poderão migrar para uma medicina mais técnica, preveem analistas.

Esses doutores teriam uma função diferente, atuando na interface entre o conhecimento biomédico e a tecnologia por trás de plataformas de diagnóstico e reabilitação. Ou ainda atuariam alimentando com dados uma plataforma de inteligência artificial, tornando-a mais esperta.

Outra tecnologia já presente é a telemedicina, que descentraliza a realização de consultas e exames. Clínicas e médicos generalistas podem, rapidamente e pela internet, contar com laudos de especialistas situados em diferentes localidades; uma junta médica pode discutir casos de pacientes e seria possível até a realização, a distância, de consultas propriamente ditas, se não existissem restrições do CFM nesse sentido.

Até cirurgias podem ser feitas a distância, com o advento da robótica. O tema continua fascinando médicos e pacientes, mas, por enquanto, nada de droides médicos à la Star Wars – quem controla o robô ainda é o ser humano.

(Gabriela Alves. Folha de S.Paulo, 19.10.2018. Adaptado)

Considere os trechos do texto.


• Médicos sempre ocuparam uma posição de prestígio na sociedade. (1° parágrafo)

• Já o lado humanístico, que perdeu espaço para os exames e as máquinas... (2° parágrafo)

• Esses doutores teriam uma função diferente, atuando na interface... (7° parágrafo)


De acordo com a norma-padrão de emprego e colocação de pronomes, as expressões destacadas podem ser substituídas por:

  • A a ocuparam; o perdeu; a teriam.
  • B ocuparam-na; perdeu-o; teriam-na.
  • C ocuparam-lhe; o perdeu; a teriam.
  • D a ocuparam; o perdeu; teriam-na.
  • E ocuparam-na; perdeu-lhe; a teriam.
46

                                       Mundo arriscado


      O próximo governo não encontrará um ambiente econômico internacional sereno. Dúvidas sobre a continuidade do crescimento do Produto Interno Bruto global, juros em alta nos EUA, riscos de conflitos comerciais e de queda do fluxo de capitais para países emergentes são apenas alguns dos itens de um cardápio de problemas potenciais.

      Tudo indica, assim, que o governo brasileiro terá de lidar de pronto com as fragilidades domésticas, em especial o rombo das contas públicas. Não tardará até que investidores hoje aparentemente otimistas comecem a cobrar resultados concretos.

      As projeções para o avanço do PIB mundial têm sido reduzidas nos últimos meses. O Fundo Monetário Internacional cortou sua previsão para 2018 e 2019 em 0,2 ponto percentual – 3,7% em ambos os anos – e apontou um cenário de menor sincronia entre os principais motores regionais.

      Se até o início deste ano EUA, Europa e China davam sinais de vigor, agora acumulam-se decepções nos dois últimos casos.

      Mesmo com juros ainda perto de zero, a zona do euro não deverá crescer mais que 1,5% neste ano. Há crescente insegurança no âmbito político, neste momento centrada na Itália e seu governo de direita populista, que propõe expansão do déficit de um setor público já endividado em excesso.

      Não é animador que a Comissão Europeia tenha tomado a decisão inédita de rejeitar a proposta orçamentária da administração italiana. Embora o país ainda conserve o selo de bom pagador, os juros cobrados no mercado para financiar sua dívida dispararam.

      Quanto à China, sua economia mostra menos vigor, e as autoridades precisam tomar decisões difíceis entre conter as dívidas já exageradas e estimular o crescimento.

      O risco de escalada nos conflitos comerciais também é concreto, dado que o governo americano ameaça impor uma terceira rodada de tarifas, desta vez sobre os US$ 270 bilhões em vendas anuais chinesas que ainda não foram taxadas.

      Nos EUA, a alta dos juros, num contexto de emprego elevado e inflação perto da meta, já leva parte do mercado a temer uma desaceleração abrupta do PIB em 2019.

      A vantagem do Brasil, hoje, é que há ampla ociosidade nas empresas, baixa inflação e, portanto, espaço para uma retomada mais forte.

                                            (Editorial. Folha de S.Paulo, 01.11.2018. Adaptado)

A exemplo de “sincronia” (sem acento, 3° parágrafo), “decepções” (grafado com “ç”, 4° parágrafo) e “excesso” (grafado com “ex”, 5° parágrafo), estão corretamente escritos, em conformidade com a ortografia oficial, os termos:

  • A insonia; invenções; extemporâneo.
  • B saxonia; erupções; exdrúxulo.
  • C agonia; exceções; extraditar.
  • D eufonia; obceções; exponencial.
  • E amonia; perverções; expetacular.
47

      É muito comum o brasileiro sofrer com o acento grave, sinal que serve para indicar crase, ou seja, a fusão de “a + a”. Ele é apenas um sinalzinho com inclinação à esquerda, tem seus encantos, porém deixa muita gente boa em situação delicada.

      Quando alguém me pergunta como faz para aprender a “crasear”, digo para começar pelo avesso: primeiro aprenda a não colocar o acento em lugar proibido. Há certas construções em que ele não cabe, pois falta metade: um dos “a + a” não comparece. Por exemplo, o artigo definido feminino “a” não pode ser usado em determinadas situações, o que, por exclusão, nos leva ao raciocínio de que o “a” da construção é apenas a preposição “a”.

(Dica do professor João Bolognesi, texto editado por Talita Abrantes. Em: https://exame.abril.com.br)

Considere o trecho final do texto:


Por exemplo, o artigo definido feminino “a” não pode ser usado em determinadas situações, o que, por exclusão, nos leva ao raciocínio de que o “a” da construção é apenas a preposição “a”.


Assinale a alternativa em que a primeira frase confirma e a segunda frase nega o contido na passagem final do texto.

  • A Quando cheguei à repartição, percebi que ali foram feitas algumas mudanças. / A nova funcionária foi encaminhada à direção do setor.
  • B Durante a reunião do departamento, lemos, com atenção, a ata da anterior. / Emprestei o livro importado a quem não deveria.
  • C Oferecemos a todos os participantes do evento um exemplar do livro. / Na reunião, eles se referiram a essa nova lei.
  • D Analisando a documentação, conclui-se que está tudo em ordem. / Pedimos atenção à nova legislação do condomínio.
  • E Encontrei o autor a cujo livro nos referimos na última bienal. / A foto do acidente à qual tive acesso me deixou chocada.
48

                                 Progresso, enfim


      Em atraso nas grandes reformas da Previdência Social e do sistema de impostos, o Brasil tem obtido avanços em uma agenda que, tomada em seu conjunto, mostra-se igualmente essencial – a da melhora do ambiente de negócios.

      Trata-se de objetivos tão diferentes quanto facilitar a criação de empresas, reduzir o custo de licenças ou ampliar o acesso ao crédito. Grande parte dessas providências não depende de votações no Congresso, mas sim do combate persistente a empecilhos burocráticos e ineficiências do setor público.

      A boa notícia é que o país subiu 16 posições no mais conhecido ranking dessa modalidade, divulgado a cada ano pelo Banco Mundial. A má é que a 109a colocação, num total de 190 nações consideradas, permanece vergonhosa.

      O progresso ocorreu, basicamente, em quatro indicadores – fornecimento de energia elétrica, prazo para abertura de empresa com registro eletrônico, acesso à informação de crédito e certificação eletrônica de origem para importações.

      Pela primeira vez em 16 anos de publicação do relatório, o desempenho brasileiro se destacou na América Latina. Os países mais bem posicionados da região, casos de México (54° lugar), Chile (56° ) e Colômbia (65° ), apresentaram pouca ou nenhuma melhora.

      Numa perspectiva mais ampla, o ambiente de negócios vai se tornando mais amigável na maior parte do mundo. A edição mais recente do ranking catalogou número recorde de 314 reformas realizadas em 128 economias desenvolvidas e emergentes no período 2017/2018.

      Fica claro, no documento, que o maior atraso relativo do Brasil se dá no pagamento de impostos, dados a carga elevada e o emaranhado de regras dos tributos incidentes sobre o consumo. Nesse quesito em particular, o país ocupa um trágico 184° lugar no ranking.

      O caminho óbvio a seguir nesse caso é uma reforma ambiciosa, que racionalize essa modalidade de taxação. Mesmo que não seja possível abrir mão de receitas, a simplificação já traria ganhos substanciais em eficiência ao setor produtivo.

                                    (Editorial, Folha de S.Paulo, 06.11.2018. Adaptado)

Assinale a alternativa correta quanto à colocação pronominal, de acordo com a norma-padrão.

  • A Se vê, pelos dados do ranking do Banco Mundial, que o Brasil destacou-se basicamente em quatro indicadores.
  • B O ambiente de negócios atualmente tem tornado-se mais amigável, o que vê-se pelas reformas realizadas.
  • C Ainda que se tenha destacado o desempenho do Brasil no relatório do Banco Mundial, sabe-se que o país precisa avançar nos negócios.
  • D Deve racionalizar-se quanto aos pagamentos de impostos para que não condenem-se os países a um retrocesso econômico.
  • E Quando analisa-se o ranking do Banco Mundial, se constata que alguns países da América Latina apresentaram pouca ou nenhuma melhora.
49

                                 Progresso, enfim


      Em atraso nas grandes reformas da Previdência Social e do sistema de impostos, o Brasil tem obtido avanços em uma agenda que, tomada em seu conjunto, mostra-se igualmente essencial – a da melhora do ambiente de negócios.

      Trata-se de objetivos tão diferentes quanto facilitar a criação de empresas, reduzir o custo de licenças ou ampliar o acesso ao crédito. Grande parte dessas providências não depende de votações no Congresso, mas sim do combate persistente a empecilhos burocráticos e ineficiências do setor público.

      A boa notícia é que o país subiu 16 posições no mais conhecido ranking dessa modalidade, divulgado a cada ano pelo Banco Mundial. A má é que a 109a colocação, num total de 190 nações consideradas, permanece vergonhosa.

      O progresso ocorreu, basicamente, em quatro indicadores – fornecimento de energia elétrica, prazo para abertura de empresa com registro eletrônico, acesso à informação de crédito e certificação eletrônica de origem para importações.

      Pela primeira vez em 16 anos de publicação do relatório, o desempenho brasileiro se destacou na América Latina. Os países mais bem posicionados da região, casos de México (54° lugar), Chile (56° ) e Colômbia (65° ), apresentaram pouca ou nenhuma melhora.

      Numa perspectiva mais ampla, o ambiente de negócios vai se tornando mais amigável na maior parte do mundo. A edição mais recente do ranking catalogou número recorde de 314 reformas realizadas em 128 economias desenvolvidas e emergentes no período 2017/2018.

      Fica claro, no documento, que o maior atraso relativo do Brasil se dá no pagamento de impostos, dados a carga elevada e o emaranhado de regras dos tributos incidentes sobre o consumo. Nesse quesito em particular, o país ocupa um trágico 184° lugar no ranking.

      O caminho óbvio a seguir nesse caso é uma reforma ambiciosa, que racionalize essa modalidade de taxação. Mesmo que não seja possível abrir mão de receitas, a simplificação já traria ganhos substanciais em eficiência ao setor produtivo.

                                    (Editorial, Folha de S.Paulo, 06.11.2018. Adaptado)

Assinale a alternativa em que a reescrita de passagem do texto está correta quanto à norma-padrão de pontuação.

  • A O Brasil, segundo a boa notícia, subiu 16 posições no ranking do Banco Mundial; se bem que, ainda está na 109ª colocação, num total de 190 nações consideradas.
  • B Quanto ao pagamento de impostos em particular, o Brasil, conforme o documento do Banco Mundial, ocupa o 184° lugar no ranking, que abrange 190 nações.
  • C México, Chile e Colômbia, apresentaram pouca ou nenhuma melhora mas são os países mais bem posicionados da América Latina.
  • D Considerando-se: a carga elevada e o emaranhado de regras dos tributos incidentes sobre o consumo; o ranking do Banco Mundial deixa claro, que o maior atraso relativo do Brasil se dá no pagamento de impostos.
  • E O progresso brasileiro ocorreu, em quatro indicadores; fornecimento de energia elétrica, prazo para abertura de empresa com registro eletrônico, acesso à informação de crédito e certificação eletrônica de origem para importações.
50

Jurar ou planejar


            Num de seus contos provocadores, Machado de Assis põe em cena um casal de apaixonados que faz um juramento de amor, por conta de uma longa separação que devem cumprir. A jura é quebrada pela moça, que se apaixona por outro, e o narrador faz ver que ela está “muito próxima da Natureza”, ou seja, que ela atende aos movimentos mais naturais da vida.

            Jurar é desafiar o tempo, o destino, o futuro; é afirmar que nada pode ser maior que nosso desejo de agir conforme juramos. Um juramento expõe a beleza da vontade humana, como afirmação nossa, mas sua quebra mostra também nossos limites. 

            Dirão os mais racionalistas: não jure, planeje. Diante do futuro, levante hipóteses de trabalho e as analise, não tome nenhuma como definitiva. Mas o homem insiste em sonhar para além do que é planejável, e o que dá certo nos bons planejamentos acaba tornando-o ainda mais convicto de que sua vontade é tudo, sendo mesmo capaz de jurar por isso.


(Joaquim de Assis Villares, inédito)

Está correto o emprego de ambos os elementos sublinhados na frase:

  • A Sempre há alguma provocação nos contos machadianos, em cujos encontramos teses das quais é difícil rebater.
  • B Um juramento faz crer que é no tempo, onde podemos confiar, que daremos vazão a força das nossas vontades.
  • C A força de um juramento, cuja beleza está na disposição da vontade humana, pode reverter em amarga frustração.
  • D Alguns sentem aversão de jurar, por isso mostram preferência com os cuidados de um planejamento.
  • E A natureza guarda em suas leis uma força da qual é inútil nos opormos, ainda quando munidos na máxima vontade.
51

Jurar ou planejar


            Num de seus contos provocadores, Machado de Assis põe em cena um casal de apaixonados que faz um juramento de amor, por conta de uma longa separação que devem cumprir. A jura é quebrada pela moça, que se apaixona por outro, e o narrador faz ver que ela está “muito próxima da Natureza”, ou seja, que ela atende aos movimentos mais naturais da vida.

            Jurar é desafiar o tempo, o destino, o futuro; é afirmar que nada pode ser maior que nosso desejo de agir conforme juramos. Um juramento expõe a beleza da vontade humana, como afirmação nossa, mas sua quebra mostra também nossos limites. 

            Dirão os mais racionalistas: não jure, planeje. Diante do futuro, levante hipóteses de trabalho e as analise, não tome nenhuma como definitiva. Mas o homem insiste em sonhar para além do que é planejável, e o que dá certo nos bons planejamentos acaba tornando-o ainda mais convicto de que sua vontade é tudo, sendo mesmo capaz de jurar por isso.


(Joaquim de Assis Villares, inédito)

Um juramento expõe a beleza da vontade humana, como afirmação nossa, mas sua quebra mostra também nossos limites.


Numa nova e igualmente correta redação da frase acima, iniciada agora pelo segmento A quebra de um juramento mostra nossos limites, pode-se seguir esta coerente complementação:

  • A embora não deixe de expor a beleza que está em afirmarmos nossa vontade.
  • B uma vez que nossa vontade, com sua beleza, afirma nosso acordo com a Natureza.
  • C à medida em que nossa vontade acaba expondo toda a sua beleza.
  • D até por que também se expõem o que há de belo na afirmação de nossa vontade.
  • E não fosse a beleza que também têm na quebra mesma da nossa vontade.
52

Jurar ou planejar


            Num de seus contos provocadores, Machado de Assis põe em cena um casal de apaixonados que faz um juramento de amor, por conta de uma longa separação que devem cumprir. A jura é quebrada pela moça, que se apaixona por outro, e o narrador faz ver que ela está “muito próxima da Natureza”, ou seja, que ela atende aos movimentos mais naturais da vida.

            Jurar é desafiar o tempo, o destino, o futuro; é afirmar que nada pode ser maior que nosso desejo de agir conforme juramos. Um juramento expõe a beleza da vontade humana, como afirmação nossa, mas sua quebra mostra também nossos limites. 

            Dirão os mais racionalistas: não jure, planeje. Diante do futuro, levante hipóteses de trabalho e as analise, não tome nenhuma como definitiva. Mas o homem insiste em sonhar para além do que é planejável, e o que dá certo nos bons planejamentos acaba tornando-o ainda mais convicto de que sua vontade é tudo, sendo mesmo capaz de jurar por isso.


(Joaquim de Assis Villares, inédito)

Ao se analisar mais de perto a estruturação funcional do texto, pode-se afirmar que o

  • A 1º parágrafo tem como objetivo adiantar-se à tese conclusiva do autor, que é a de mostrar que um planejamento é mais decisivo do que as forças da Natureza.
  • B 2º parágrafo analisa mais intimamente o que se inclui no ato de jurar e o que ele significa, de fato, como uma específica pretensão humana.
  • C 3º parágrafo expõe as razões pelas quais todo juramento acaba correspondendo a uma espécie de planejamento, que se inclui no ato de jurar.
  • D 1º e o 2º parágrafos são contraditórios entre si, ao formularem teses divergentes sobre a função e a força da Natureza no destino dos homens.
  • E 2º e o 3º parágrafos são acordes ao mostrar que os limites humanos, uma vez admitidos num planejamento nosso, são superados pela mesma vontade de quem jura.
53

Jurar ou planejar


            Num de seus contos provocadores, Machado de Assis põe em cena um casal de apaixonados que faz um juramento de amor, por conta de uma longa separação que devem cumprir. A jura é quebrada pela moça, que se apaixona por outro, e o narrador faz ver que ela está “muito próxima da Natureza”, ou seja, que ela atende aos movimentos mais naturais da vida.

            Jurar é desafiar o tempo, o destino, o futuro; é afirmar que nada pode ser maior que nosso desejo de agir conforme juramos. Um juramento expõe a beleza da vontade humana, como afirmação nossa, mas sua quebra mostra também nossos limites. 

            Dirão os mais racionalistas: não jure, planeje. Diante do futuro, levante hipóteses de trabalho e as analise, não tome nenhuma como definitiva. Mas o homem insiste em sonhar para além do que é planejável, e o que dá certo nos bons planejamentos acaba tornando-o ainda mais convicto de que sua vontade é tudo, sendo mesmo capaz de jurar por isso.


(Joaquim de Assis Villares, inédito)

A convicção do narrador de Machado de Assis, na frase citada de um conto seu, supõe como argumento o fato de que

  • A as criaturas têm seus intentos e ambições limitados pela Natureza, cujos desígnios são mais poderosos do que o desejo de conformarmos nosso futuro.
  • B um juramento de amor, se respeitado pelas criaturas que o fizeram, atesta que no reino dos sentimentos a Natureza não tem como prevalecer.
  • C as vontades humanas, quando assumidas com toda a persistência de quem as potencia, revelam-se mais fortes do que os nossos instintos naturais.
  • D a Natureza põe a perder o que há de melhor em nós, pois ela age, sempre metodicamente, na direção contrária à das nossas emoções.
  • E os fatos naturais não costumam sobrepor-se à vontade humana, a menos que as criaturas se mostrem ineficientes em seu desejo de planejar.
54

Envelhecer

            Vá um homem envelhecendo, e caia na tolice de pensar que envelhece por inteiro - famosa tolice. Alguém já notou: envelhecemos nisto, não naquilo; este trecho ainda é verde, aquele outro já quase apodrece; aqui há seiva estuando, além é coisa murcha. 

            A infância não volta, mas não vai - fica recolhida, como se diz de certas doenças. Pode dar um acesso. Outro dia sofri um ataque não de infância, mas de adolescência: precipitei-me célere, árdego*, confuso. Meus olhos estavam úmidos e ardiam; mãos trêmulas; os demônios me apertavam a garganta; eu me sentia inibido, mas agia com estranha velocidade por fora. Exatamente o contrário do que convém a um senhor de minha idade e condição. 

            Pior é o ataque de infância: o respeitável cavalheiro de repente começa a agir como um menino bobo. Será que só eu sou assim, ou os outros disfarçam melhor?

            *árdego: impetuoso. 


(BRAGA, Rubem. Recado de primavera. Rio de Janeiro: Record, 1984, p. 71) 

O emprego da pontuação e a observância do sinal de crase estão adequados na frase:

  • A Quando se está à envelhecer, as nossas sensações boas ou más, parecem confundir-se em nosso espírito.
  • B Não se tribute as nossas experiências desafortunadas, a responsabilidade maior de um penoso envelhecimento.
  • C Em meio aquelas boas horas da infância, sempre havia alguma suspeita, de que tudo logo acabaria.
  • D Quem diria, que a proporção que o tempo passa, mais retornos imaginários experimentamos à outras idades?
  • E Corresse o tempo de modo uniforme, como alguns acreditam, não voltaríamos às mais antigas sensações.
55

Envelhecer

            Vá um homem envelhecendo, e caia na tolice de pensar que envelhece por inteiro - famosa tolice. Alguém já notou: envelhecemos nisto, não naquilo; este trecho ainda é verde, aquele outro já quase apodrece; aqui há seiva estuando, além é coisa murcha. 

            A infância não volta, mas não vai - fica recolhida, como se diz de certas doenças. Pode dar um acesso. Outro dia sofri um ataque não de infância, mas de adolescência: precipitei-me célere, árdego*, confuso. Meus olhos estavam úmidos e ardiam; mãos trêmulas; os demônios me apertavam a garganta; eu me sentia inibido, mas agia com estranha velocidade por fora. Exatamente o contrário do que convém a um senhor de minha idade e condição. 

            Pior é o ataque de infância: o respeitável cavalheiro de repente começa a agir como um menino bobo. Será que só eu sou assim, ou os outros disfarçam melhor?

            *árdego: impetuoso. 


(BRAGA, Rubem. Recado de primavera. Rio de Janeiro: Record, 1984, p. 71) 

O verbo indicado entre parênteses deverá flexionar-se de modo a concordar com o elemento sublinhado na frase:
  • A A quem (preocupar) os óbices da velhice se fosse sempre possível reviver algumas de nossas melhores experiências da infância?
  • B Acredita o autor que (poder) chegar a sucumbir a ataques de infância quem está vivendo muito mal o próprio envelhecimento.
  • C Não se (lamentar) pelos infortúnios dos dias que correm o velho que guarda no tesouro da memória seus momentos de felicidade.
  • D Quando não (parecer) restar ao idoso desencantado senão memórias infelizes, cumpre-lhe tornar felizes os dias que lhe sobram.
  • E Ao envelhecimento feliz (costumar) agregar-se imagens de outra época em que se foi igualmente feliz, em atração recíproca.
56

Envelhecer

            Vá um homem envelhecendo, e caia na tolice de pensar que envelhece por inteiro - famosa tolice. Alguém já notou: envelhecemos nisto, não naquilo; este trecho ainda é verde, aquele outro já quase apodrece; aqui há seiva estuando, além é coisa murcha. 

            A infância não volta, mas não vai - fica recolhida, como se diz de certas doenças. Pode dar um acesso. Outro dia sofri um ataque não de infância, mas de adolescência: precipitei-me célere, árdego*, confuso. Meus olhos estavam úmidos e ardiam; mãos trêmulas; os demônios me apertavam a garganta; eu me sentia inibido, mas agia com estranha velocidade por fora. Exatamente o contrário do que convém a um senhor de minha idade e condição. 

            Pior é o ataque de infância: o respeitável cavalheiro de repente começa a agir como um menino bobo. Será que só eu sou assim, ou os outros disfarçam melhor?

            *árdego: impetuoso. 


(BRAGA, Rubem. Recado de primavera. Rio de Janeiro: Record, 1984, p. 71) 

Está plenamente adequada a correlação entre os tempos e os modos verbais na frase:

  • A Caso envelhecêssemos por inteiro, não haveremos de frequentar sensações já vividas.
  • B Alguém já terá notado que o que vivemos não pudesse retornar senão com o auxílio da nossa imaginação.
  • C Se meus olhos não estivessem úmidos, eu não haverei como me dar conta da força daquela emoção.
  • D À medida que as emoções iam tomando conta de mim, maior a inibição que me impedia a fala.
  • E Pior ataque costumava ser o da infância, quando esta se imporia a mim de modo súbito e intenso.
57

Envelhecer

            Vá um homem envelhecendo, e caia na tolice de pensar que envelhece por inteiro - famosa tolice. Alguém já notou: envelhecemos nisto, não naquilo; este trecho ainda é verde, aquele outro já quase apodrece; aqui há seiva estuando, além é coisa murcha. 

            A infância não volta, mas não vai - fica recolhida, como se diz de certas doenças. Pode dar um acesso. Outro dia sofri um ataque não de infância, mas de adolescência: precipitei-me célere, árdego*, confuso. Meus olhos estavam úmidos e ardiam; mãos trêmulas; os demônios me apertavam a garganta; eu me sentia inibido, mas agia com estranha velocidade por fora. Exatamente o contrário do que convém a um senhor de minha idade e condição. 

            Pior é o ataque de infância: o respeitável cavalheiro de repente começa a agir como um menino bobo. Será que só eu sou assim, ou os outros disfarçam melhor?

            *árdego: impetuoso. 


(BRAGA, Rubem. Recado de primavera. Rio de Janeiro: Record, 1984, p. 71) 

Em relação à passagem do tempo na vida de cada um, o autor acredita que

  • A as experiências vividas se tornam progressivamente mais intensas, trazendo com isso acréscimos à maturidade do sujeito.
  • B o envelhecimento paulatino traz a sensação de que nos tornamos aptos a escolher os momentos que quisermos reviver.
  • C a velhice atinge as pessoas de tal modo que a partir de certo momento elas se creem inteiramente rejuvenescidas, em sua perturbação.
  • D o envelhecimento se dá de modo irregular, de tal sorte que pode haver mesmo alguns recuos para fases já vividas pela pessoa.
  • E um afortunado acúmulo de experiências provoca em nós incontrolável nostalgia, que aciona nossa mais fértil imaginação.
58

Envelhecer

            Vá um homem envelhecendo, e caia na tolice de pensar que envelhece por inteiro - famosa tolice. Alguém já notou: envelhecemos nisto, não naquilo; este trecho ainda é verde, aquele outro já quase apodrece; aqui há seiva estuando, além é coisa murcha. 

            A infância não volta, mas não vai - fica recolhida, como se diz de certas doenças. Pode dar um acesso. Outro dia sofri um ataque não de infância, mas de adolescência: precipitei-me célere, árdego*, confuso. Meus olhos estavam úmidos e ardiam; mãos trêmulas; os demônios me apertavam a garganta; eu me sentia inibido, mas agia com estranha velocidade por fora. Exatamente o contrário do que convém a um senhor de minha idade e condição. 

            Pior é o ataque de infância: o respeitável cavalheiro de repente começa a agir como um menino bobo. Será que só eu sou assim, ou os outros disfarçam melhor?

            *árdego: impetuoso. 


(BRAGA, Rubem. Recado de primavera. Rio de Janeiro: Record, 1984, p. 71) 

O segmento que inicia o texto - Vá um homem envelhecendo, e caia na tolice - deve ser entendido como

  • A aconteça de um homem envelhecer, e cair na tolice.
  • B se um homem envelhecer, cairá na tolice.
  • C ainda que ocorra de envelhecer, um homem cairá na tolice.
  • D mesmo vindo a envelhecer, cairá um homem na tolice.
  • E irá envelhecendo um homem, ao cair na tolice.
59

O futuro de uma desilusão


            A ilusão de que uma metafísica calcada na ciência permitiría banir o mistério do mundo caducou - e agora? O que nos resta fazer? Não se pode esperar da ciência respostas a inquietações que estão constitutivamente além de seu horizonte de possibilidades. A ciência só se coloca problemas que ela é capaz, em princípio, de resolver, ou seja, questões que se prestam a um tratamento empírico-dedutivo e cujas respostas admitem a possibilidade da refutação. 

            Há um equívoco em abordar as extraordinárias conquistas do método científico com o olhar expectante da busca religiosa ou metafísica. Ao mesmo tempo, contudo, parece simplesmente descabida, além de irrealista, a pretensão de se limitar a esfera do que é pertinente inquirir à província da investigação científica, como se a ciência gozasse da prerrogativa de definir ou demarcar o âmbito do que há para ser explicado no mundo. Uma coisa é dizer que o animal humano partilha dos mesmos objetivos básicos - sobreviver e reproduzir - das demais formas de vida; outra, muito distinta, é afirmar que “nenhuma espécie, inclusive a nossa, possui um propósito que vá além dos imperativos criados por sua história genética" e que, portanto, a espécie humana “carece de qualquer objetivo externo à sua própria natureza biológica": pois, ao dar esse passo, saltamos da observação ao decreto e da constatação ao cerceamento da busca. 

            A teima interrogante do saber não admite ser detida e barrada, como contrabando ou imigrante clandestino, pela polícia da fronteira na divisa onde findam os porquês da ciência.

(Adaptado de: GIANETTI, Eduardo. Trópicos utópicos. São Paulo: Companhia das Letras, 2016, p. 37-38)

Um segmento do texto permanecerá correto e manterá seu sentido, caso se substitua o elemento sublinhado pelo que se indica entre parênteses, no seguinte caso:

  • A uma metafísica calcada na ciência permitiria banir o mistério (facultaria difundir-lhe o enigma)
  • B Há um equívoco em abordar as extraordinárias conquistas (engano em efetuar a abordagem das)
  • C Ao mesmo tempo, contudo, parece simplesmente descabida (ainda assim, por conseguinte)
  • D possui um propósito que vá além dos imperativos (se dissuada das obrigações)
  • E carece de qualquer objetivo externo à sua própria natureza (imune de)
60

O futuro de uma desilusão


            A ilusão de que uma metafísica calcada na ciência permitiría banir o mistério do mundo caducou - e agora? O que nos resta fazer? Não se pode esperar da ciência respostas a inquietações que estão constitutivamente além de seu horizonte de possibilidades. A ciência só se coloca problemas que ela é capaz, em princípio, de resolver, ou seja, questões que se prestam a um tratamento empírico-dedutivo e cujas respostas admitem a possibilidade da refutação. 

            Há um equívoco em abordar as extraordinárias conquistas do método científico com o olhar expectante da busca religiosa ou metafísica. Ao mesmo tempo, contudo, parece simplesmente descabida, além de irrealista, a pretensão de se limitar a esfera do que é pertinente inquirir à província da investigação científica, como se a ciência gozasse da prerrogativa de definir ou demarcar o âmbito do que há para ser explicado no mundo. Uma coisa é dizer que o animal humano partilha dos mesmos objetivos básicos - sobreviver e reproduzir - das demais formas de vida; outra, muito distinta, é afirmar que “nenhuma espécie, inclusive a nossa, possui um propósito que vá além dos imperativos criados por sua história genética" e que, portanto, a espécie humana “carece de qualquer objetivo externo à sua própria natureza biológica": pois, ao dar esse passo, saltamos da observação ao decreto e da constatação ao cerceamento da busca. 

            A teima interrogante do saber não admite ser detida e barrada, como contrabando ou imigrante clandestino, pela polícia da fronteira na divisa onde findam os porquês da ciência.

(Adaptado de: GIANETTI, Eduardo. Trópicos utópicos. São Paulo: Companhia das Letras, 2016, p. 37-38)

Está clara e correta a redação deste livre comentário sobre o texto:

  • A Delimitar o âmbito da ciência, julga o autor do texto que é necessário, para que se mantenham em nós todos o direito a cultivar muitos outros âmbitos pensativos.
  • B É uma premissa do autor do texto a convicção de que o próprio método utilizado pela ciência já constitui uma delimitação do campo de conhecimento a ser explorado.
  • C Não houvessem outras razões, a existência mesmo das interrogações metafísicas já seriam motivo para investigarmos as coisas de cujos méritos não cabem à ciência atender.
  • D Não existem fronteiras no caminho do conhecimento no qual os homens se entregam com vistas à responder as questões que lhes assentam no fundo de seu espírito investigativo.
  • E Há cientistas tão assim ciosos de sua competência, que eles não admitem haver conhecimento para além das fronteiras, que já constituíram para nada as ultrapassar.
Voltar para lista