Resolver o Simulado Nível Superior

0 / 30

Redação Oficial

1

No que tange à linguagem dos atos normativos, com base no que orienta o Manual de redação da Presidência da República, é correto afirmar que

  • A as comunicações que partem dos órgãos públicos federais devem ser compreendidas por todo e qualquer cidadão brasileiro. Para atingir esse objetivo, há que evitar o uso de uma linguagem restrita a determinados grupos. Não há dúvida de que um texto marcado por expressões de circulação restrita, como a gíria, os regionalismos vocabulares, tem sua compreensão dificultada. Entretanto, abre-se exceção para os jargões técnicos, inerentes ao assunto abordado.
  • B o padrão culto nada tem contra a simplicidade de expressão, desde que não seja confundida com pobreza de expressão. Caso se considere um caminho para a pobreza de linguagem, o uso do padrão culto possibilita, com reservas, o emprego de linguagem rebuscada, mas não de contorcionismos sintáticos e figuras de linguagem próprios da língua literária.
  • C se deve buscar, em nome da uniformidade, um “padrão oficial de linguagem”, com uso do padrão culto nos atos e comunicações oficiais. É claro que haverá preferência pelo uso de determinadas expressões, ou será obedecida certa tradição no emprego das formas sintáticas, e isso implica, necessariamente, que se consagre a utilização de uma forma de linguagem burocrática.
  • D a linguagem técnica deve ser empregada apenas em situações que a exijam, sendo de evitar o seu uso indiscriminado. Certos rebuscamentos acadêmicos, e mesmo o vocabulário próprio a determinada área, são de difícil entendimento por quem não esteja com eles familiarizado. Deve-se ter o cuidado, portanto, de explicitá-los em comunicações encaminhadas a outros órgãos da administração e em expedientes dirigidos aos cidadãos.
  • E a necessidade de empregar determinado nível de linguagem nos atos e expedientes oficiais decorre do próprio caráter público desses atos e comunicações. Em relação à sua finalidade, os atos oficiais estabelecem regras para a conduta dos cidadãos e regulam o funcionamento dos órgãos públicos, o que só é alcançado se for empregada a linguagem técnica adequada própria do órgão regulador.

Português

2

                                        Esportes, negócios


      Comecinho dos anos 60, nosso professor de educação física, um homem já encanecido (por isso, considerado um velho bem velho, na nossa perspectiva de adolescentes), não tinha dúvida em nos dizer: “Não briguem por causa de futebol. Futebol como esporte não existe mais, desde que se profissionalizou. Só fazia sentido quando todos eram amadores e jogavam só pelo prazer do jogo e pelo amor à camisa”. Era uma opinião radical, mas que nos fazia pensar em sua consistência.

      Por certo o professor estava se referindo a experiências de sua meninice e adolescência, nos anos 30 e 40, quando o futebol ainda era uma espécie de arte pela arte, sem a intromissão decisiva dos chamados “interesses do mercado”. Às vezes acho que a nostalgia de meu professor tinha toda a razão de ser: era possível e desejável gostar de um esporte apenas pelas qualidades intrínsecas desse esporte.

      Altos negócios no mundo das atrações de massa supõem muito dinheiro, plena visibilidade e excesso de celebração. Nada disso falta, hoje, aos esportes de alto rendimento que sejam também negociáveis, isto é, que constituam matéria de interesse para milhões de consumidores. Com isso, perde-se aquela dimensão de gratuidade que havia nos esportistas empenhados numa tarefa em que a competitividade não eliminava o prazer, que por sua vez não se rendia a poderosos empresários. “O que passou passou. / Jamais acenderás de novo / o lume / do tempo que passou”- já desabafou o poeta Ferreira Gullar, num momento de versos céticos. O que é uma pena, diria nosso velho professor de educação física.

                                                                                     (Jayme de Souto Albuquerque, inédito)

As normas de concordância verbal estão adequada e plenamente atendidas na frase:

  • A Remontam aos anos 60, às minhas aulas de educação física, a convicção das ideias de meu professor quanto aos ônus que acarretaram a profissionalização do futebol.
  • B Ao nosso professor de educação física não impressionavam as supostas condições vantajosas a que veio se submeter a prática do futebol profissional.
  • C Quem viveu nos anos 30 certamente se deparou com uma realidade do esporte que não podiam imaginar susceptíveis às rupturas que implicariam a profissionalização.
  • D Sensível à fatalidade dos anos que inapelavelmente transcorre, o poeta Ferreira Gullar deixou que em seus versos se expressasse, mais que uma nostalgia, as impossibilidades da memória.
  • E O prazer de jogar e o amor à camisa, na época do amadorismo, não podia faltar ao praticante de um esporte cujos prazeres tornava dispensável qualquer outra retribuição.
3

O uso adequado da pontuação é fundamental para o bom entendimento do texto. Nos casos abaixo, a vírgula está usada de forma inadequada em:

  • A Todos os cidadãos brasileiros, são iguais perante a lei, conforme a Constituição Federal.
  • B Além disso, à noite, fazer caminhada até a minha casa é inseguro.
  • C Agora, em relação à tecnologia, os jovens dispõem de uma série de comodidades, salientou o pesquisador.
  • D "Eu sei, mas não devia" (Marina Colasanti).
  • E Ainda havia muito a se deliberar, todavia, considerando o horário avançado, a reunião foi encerrada.
4
Marque a opção em que a palavra NÃO apresenta dígrafo.
  • A Campo.
  • B Cachorro.
  • C Quero.
  • D Quase.
  • E Nascer.
5
Analise as afirmativas a seguir e marque em qual das opções a palavra melhor funciona como advérbio.
  • A Conheço isso melhor que você.
  • B Ela é muito melhor que vocês.
  • C Não há nada melhor que um dia após o outro.
  • D Viva em paz que você terá vida melhor.
  • E Esse auditório é melhor que o outro.
6
Leia as afirmativas a seguir e marque a opção CORRETA em que o verbo é pronominal.
  • A Eu me cortei.
  • B Ele se dá ares de importância.
  • C Banhou-se nas águas do rio.
  • D Marília vestiu-se com capricho.
  • E Eu me arrependi do que fiz.
7
Em qual das opções a seguir temos um sujeito oracional?
  • A Havia poucos ingressos à venda.
  • B Era primavera.
  • C Roubaram minha carteira.
  • D Cumpre trabalharmos bastante.
  • E Mande-as entrar.
8
Leia as afirmativas a seguir quanto à regência verbal e marque a opção CORRETA.
  • A Esqueceram de mim.
  • B Esqueceram-me todos os documentos.
  • C Não lembro do seu nome.
  • D Todos obedecem o regulamento.
  • E Nunca revide nenhuma agressão.
9

                              Conversa sobre o liberalismo


      O liberalismo promoveu uma ideia curiosa: para fazer a felicidade de todos (ou, ao menos, da maioria), não seria necessário decidir qual é o bem comum e, logo, impor aos cidadãos que se esforçassem para realizá-lo. Seria suficiente que cada um se preocupasse com seus interesses e seu bem-estar. Essa atitude espontânea garantiria o melhor mundo possível para todos. Afinal, nenhum malandro seria tolo a ponto de perseguir seu interesse particular de maneira excessiva, pois isso comprometeria o bem-estar dos outros e produziria conflitos que reverteriam contra o suposto malandro.

      Ora, o liberalismo, aparentemente, pegou pra valer. Não paro de encontrar pessoas convencidas de que, cuidando só de seus interesses, elas, no mínimo, não fazem mal a ninguém. O caso seguinte ilustra o que digo.

      Converso com o moço que dirige o táxi. Falamos de perspectivas políticas. Ele está indignado com a corrupção das altas e das baixas esferas da política, convencido de que, não fossem os ladrões, o país avançaria e resolveríamos todos os nossos problemas. Concordo, mas aponto que, mesmo calculando generosamente, o dinheiro que some na corrupção não seria suficiente para mudar o Brasil. Sem dúvida, deve ser bem inferior ao dinheiro que o governo deixa de arrecadar por causa da sonegação banal: rendas não declaradas, notas fiscais que só aparecem sob pedido e por aí vai. Pergunto-lhe então quanto ele paga de Imposto de Renda. Ganho a famosa resposta: “Não adianta pagar, porque nada volta para a gente.” Alego que não adianta esperar que algo volte se a gente não paga.

(Adaptado de: CALLIGARIS, Contardo. Terra de ninguém. São Paulo: Publifolha, 2004, p. 252-253)

Há ocorrência de forma verbal na voz passiva e pleno atendimento às normas de concordância na frase:

  • A Costuma ocorrer com frequência, conforme a argumentação do autor do texto, distorções graves quanto ao que se entende por liberalismo.
  • B Não é dado a ninguém presumir que seus interesses pessoais, em todos os casos, haja de coincidir com os de seus semelhantes.
  • C Por que razão esperar que sejamos aquinhoados de um conjunto de benefícios que nada fizemos por merecer?
  • D Os impostos de renda dos sonegadores não poderão reverter em investimentos capazes de gerar benefícios públicos.
  • E O motorista de táxi acabou por fornecer ao autor argumentos que o deixou convencido da justeza de sua teoria sobre os liberais de ocasião.
10

Atenção: Para responder à questão, baseie-se no texto abaixo, do escritor e crítico profissional de literatura e teatro Décio de Almeida Prado.


                                         Vocação de escritor


      Os escritores, como os oficiais das forças armadas, são promovidos, seja por merecimento, seja por antiguidade. Alguns impõem-se ao público e aos seus pares em poucos golpes de audácia e talento. São os escritores natos, de vocação imperiosa e irresistível. Outros - e talvez seja este o meu caso - crescem na estima da classe intelectual graças à continuidade de um trabalho de muitos e muitos anos. Escrevem por força do ofício, mas é possível que preferissem permanecer como leitores inveterados.

      Quando vejo e revejo a minha vida, que já vai longa, passam-me pela memória várias imagens, as mais antigas às vezes, mais nítidas que as recentes. Verifico então, não sem surpresa, que fiz muitas coisas com as quais não contava e deixei de fazer outras tantas que planejara, é verdade que no plano superficial da vontade, não das forças mais profundas da personalidade.

      Na minha meninice, sonhei muito em ser poeta. Depois, já na adolescência, na hora difícil de optar por uma profissão, desejei ser médico, como meu pai, casando, de certo modo, clínica e literatura. Já no fim dos estudos superiores, na falta de melhor, tentei ser professor de filosofia, matéria que, apesar de não ter “a cabeça metafísica”, ensinei por bastante tempo em colégios estaduais, sem qualquer proveito para Aristóteles e Kant, mas com imenso prazer pessoal e alguma aquiescência dos alunos. Não podia imaginar que, levado, certa vez, a escrever uma crítica de teatro, estava definindo, para sempre, o meu futuro. Confesso que tenho orgulho em haver contribuído, na medida das minhas forças, para que o teatro saísse da posição humilhante de primo pobre que ocupava entre as artes literárias brasileiras.

(Adaptado de: PRADO, Décio de Almeida. Seres, coisas, lugares. São Paulo: Companhia das Letras, 1997, 181-182)

O verbo indicado entre parênteses deverá flexionar-se de modo a concordar com o elemento sublinhado em:

  • A Não (faltar) ao autor, a despeito de suas vocações aparentes, bastante ânimo para reerguer o prestígio do teatro nacional.
  • B Quando a alguém não (ocorrer) atender seus impulsos primeiros, é possível que venha a atender sua vocação essencial.
  • C Diante das condições que (atravessar), naqueles anos, o teatro nacional, não hesitou o autor em buscar redimi-lo.
  • D Seria preciso que o (recomendar) amigos para a função de crítico teatral para que o autor efetivamente se consagrasse nesse trabalho.
  • E Aos alunos de colégio (brindar) o professor com suas aulas sobre Kant e Aristóteles, de modo modesto, segundo ele mesmo confessa.

Conhecimentos Gerais

11

Em julho do corrente ano, no México, ocorreu o encontro entre os chefes de estados dos dois principais blocos econômicos da América Latina. Esses blocos são:

  • A Nafta e Alca.
  • B Mercosul e Alca.
  • C Aliança do Pacífico e Nafta.
  • D Nafta e Mercosul.
  • E Mercosul e Aliança do Pacífico.
12

“____________ é a primeira metrópole brasileira a adotar uma medida prática de combate a um pesadelo ambiental. A Vigilância Sanitária começou nesta quinta-feira (19/7) a verificar quem está seguindo a nova lei que proibiu o uso de canudos plásticos na cidade. A luta contra os canudos plásticos inspirou várias campanhas na internet. "Estima-se que cerca de um bilhão de canudos são descartados todos os dias no mundo", diz Mateus Solano em uma delas. "Quando descartados no meio ambiente levam 450 anos para se decompor", fala Fabiana Karla. "E eles ficam, em média, cinco minutos na nossa boca", completa Nathalia Dill.” (Fonte: www.g1.globo.com – 19/7/18).


Assinale a alternativa que preenche corretamente a lacuna do texto jornalístico acima.

  • A Curitiba
  • B São Paulo
  • C Rio de Janeiro
  • D Salvador
  • E Belo Horizonte
13

A Comissão pela verdade e a reconciliação (Truth and reconciliation commission – TRC) conduzida por Desmond Tutu foi criada com o objetivo de reconstruir, de modo circunstanciado o quadro das causas e a natureza da difusão das graves violações dos direitos humanos entre março de 1960 e dezembro de 1993. Oferecia às vitimas a possibilidade de contar os abusos aos quais foram submetidos, garantir a anistia às pessoas que confessassem seus atos abusivos, além de estabelecer medidas de ressarcimento e reabilitação da dignidade humana e civil. A TRC foi instituída por

  • A Dalai Lama no Tibet.
  • B Aung San Suu Kyi em Buma.
  • C Kofi Annan em Gana.
  • D Nelson Mandela na África do Sul.
14

Tradicionalmente a historiografia proporcionou para a história política um lugar privilegiado, mesmo com a ampliação da análise da história social e as abordagens multidisciplinares, pouco foi feito em relação às diferenças de gênero, às relações de poder e relações entre os sexos. Foi no âmbito do feminismo contemporâneo que se desenvolveu um novo campo de estudos, a história das mulheres, voltado para a questão da

  • A paridade dos direitos civis e políticos das mulheres em todas as áreas da vida social, especialmente no trabalho e na família.
  • B experiência histórica feminina e de sua representação no interior do discurso historiográfico.
  • C reflexão e construção de uma cultura feminina a partir do pensamento de Simone de Beauvoir.
  • D análise da representação masculina sobre as mulheres, especialmente como objeto do desejo e de uma visão subalterna da feminilidade.
15

Considere o seguinte enunciado: “A primeira fase da história dos seres humanos no planeta caracteriza-se por uma relação intensa com o meio ambiente, ao longo do tempo eles conseguiram não apenas interagir com a natureza, mas passaram a ter controle sobre ela por meio da domesticação de plantas e animais”.


Escreva V ou F conforme seja verdadeiro ou falso o que se afirma a seguir sobre o enunciado acima.


( ) A domesticação dos animais tem como efeito o fim da caça e início da agricultura.

( ) O período paleolítico caracteriza o fim do nomadismo e início da caça e da pesca.

( ) A domesticação dos primeiros animais ocorreu no mesolítico.

( ) A revolução neolítica indica o início da agricultura e a fabricação de ferramentas.


Está correta, de cima para baixo, a seguinte sequência:

  • A V, V, F, F.
  • B V, F, V, F.
  • C F, V, F, V.
  • D F, F, V, V.
16

A Lei Nº 10.639, de 09 de janeiro 2003, fez alterações à Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Essa edição legislativa permitiu a inserção do tema da diversidade cultural no ensino de história, o que tornou obrigatório o estudo da

  • A história do período da escravização com ênfase nas desigualdades raciais e de gênero.
  • B história e cultura afro-brasileiras no currículo escolar da educação básica.
  • C história indígena e africana no currículo do ensino básico e fundamental.
  • D história plural e multicultural brasileira rompendo com o modelo eurocêntrico no ensino.
17

Os estudos de gênero buscam compreender como no decorrer da história humana o masculino e o feminino são representados, visto que as sociedades se organizam a partir dessas representações. Trazer estudos de gênero para o ensino significa evidenciar o caráter social, portanto,

  • A uma dimensão importante da sexualidade dos seres humanos.
  • B o desabrochar da consciência histórica no decorrer do século XX.
  • C mítico e simbólico do comportamento de homens e mulheres no tempo
  • D histórico, dos princípios baseados nas percepções das diferenças sexuais.
18

A presença da História na área de Ciências Humanas e suas Tecnologias na organização curricular do Ensino Médio tem por objetivo a constituição de competências que permitam ao educando

  • A compreender os elementos cognitivos, afetivos, sociais e culturais que constituem a identidade própria e a dos outros.
  • B memorizar os aspectos da sociedade, sua gênese e evolução, destacando os grandes eventos e os personagens que neles intervêm.
  • C compreender o desenvolvimento da sociedade puramente como processo de ocupação de espaços físicos e as relações deterministas da paisagem sobre a vida humana.
  • D apreender o papel histórico das instituições oficiais: políticas e econômicas, associando-as aos personagens históricos, que são os únicos responsáveis pela condução da sociedade.
19

Leia atentamente o seguinte excerto:


“A apreensão das noções de tempo histórico em suas diversidades e complexidades pode favorecer a formação do estudante como cidadão, aprendendo a discernir os limites e possibilidades de sua atuação, na permanência ou na transformação da realidade histórica em que vive”. (Grifo do autor)

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais do Ensino Médio: Ciências Humanas e suas tecnologias. MEC, p.25.


Das competências que se espera de um aluno do Ensino Médio em relação ao componente curricular de História apresentadas a seguir, assinale a opção que corresponde à competência que se refere à formação cidadã.

  • A Construir a identidade pessoal e social na dimensão histórica, a partir do reconhecimento do papel do indivíduo nos processos históricos simultaneamente como sujeito e como produto dos mesmos.
  • B Situar os momentos históricos nos diversos ritmos da duração e nas relações de sucessão e/ou de simultaneidade.
  • C Analisar e interpretar fontes documentais de natureza oficial, reconhecendo o papel das mesmas, dos agentes sociais que as criaram e do seu papel na produção da verdade histórica.
  • D Perceber como absoluta uma concepção de tempo e uma forma de periodização do tempo cronológico, reconhecendo-a como uma construção transcendente.
20
Agrotóxicos são produtos e agentes de processos físicos, químicos e biológicos, destinados ao uso nos setores de produção, nas pastagens, na proteção das florestas, nativas ou implantadas, cuja finalidade é defender a plantação de insetos, fungos, pragas e ervas daninhas, ou qualquer outro ser vivo considerado nocivo. Sobre os recentes embates a respeito do assunto, assinale a opção INCORRETA.
  • A O debate sobre a PL 6299/02 gerou uma divisão entre ruralistas e entidades de saúde e meio ambiente. Tanto que a proposta recebe o nome de Lei do Alimento Mais Seguro entre os defensores, e de Pacote do Veneno entre os críticos.
  • B Segundo o projeto de lei, os usuários de agrotóxicos não estão obrigados a devolver as embalagens e as respectivas tampas dos produtos aos estabelecimentos comerciais em que foram adquiridos.
  • C Uma das propostas é mudar o nome dos agrotóxicos para defensivos agrícolas e/ou produtos fitossanitários.
  • D As alterações propostas sugerem uma série de mudanças para facilitar as regras sobre o uso, o controle, o registro e a fiscalização de agrotóxicos.
  • E As recentes declarações do Presidente eleito, Jair Bolsonaro, sobre a fusão dos Ministérios da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, com o Ministério do Meio Ambiente reabriram as discussões sobre a flexibilização da legislação proposta, alegando-se que poderia trazer mais riscos à saúde humana e ao meio ambiente.

Raciocínio Lógico

21

Luna é uma menina muito esperta e possui 27 colegas meninos e 34 colegas meninas. Todas essas crianças juntas formam uma turma de alunos muito diferente, pois cada aluno ou adora matemática ou adora português. Sabendo que, nessa turma, 21 meninas adoram matemática e um total de 38 alunos adoram português, o número de meninos que adoram matemática é

  • A 1.
  • B 2.
  • C 3.
  • D 4.
  • E 5.
22

Marta começou a trabalhar em um hospital, com a obrigação de fazer plantão noturno a cada três dias. Seu primeiro plantão foi em um domingo, o seguinte foi em uma quarta-feira e, depois, em um sábado. Na semana seguinte deu plantão na terça-feira e na sexta-feira. Mantendo essa regularidade, o centésimo plantão de Marta será

  • A domingo.
  • B quarta-feira.
  • C sábado.
  • D segunda-feira.
  • E quinta-feira.
23

Considere que temos três proposições, identificadas como p, q e r. Objetiva-se construir uma tabela-verdade para avaliar os valores lógicos que a proposição composta p v ~ r → q ᴧ ~ r pode assumir.

A esse respeito, avalie as afirmações a seguir.

I. A tabela-verdade, nesse caso, terá seis linhas.

II. A tabela-verdade, nesse caso, terá oito linhas.

III. Haverá apenas três linhas da tabela-verdade na coluna correspondente à proposição composta p v ~ r → q ᴧ ~ r, que assumirá o valor verdadeiro.

Está correto apenas o que se afirma em

  • A II.
  • B III.
  • C I e III.
  • D II e III.
24
Um grupo de 500 estudantes participa de uma pesquisa. Sabe-se que desses estudantes, 200 estudam Física, 240 estudam Matemática, 80 estudam Matemática e Física. Se um desses estudantes for sorteado, a probabilidade de que ele não estude Matemática e nem Física é:
  • A 14%.
  • B 28%.
  • C 36%.
  • D 45%.
  • E 50%.
25

Se A = {–1, 1, 2, 4, 8, 16} e B = {–2, –1, 0, 1, 2, 3}, então o conjunto das partes de (AUB)U(A∩B) possui

  • A 23 elementos.
  • B 28 elementos.
  • C 29 elementos.
  • D 212 elementos.
  • E 215 elementos.
26

Considere as seguintes proposições:
I – Se Jorge fala, então Mateus fica quieto; II – Mateus fica quieto ou Ana é bonita.
Se I é verdadeira e II é falsa, infere-se que

  • A Ana não é bonita ou Mateus não fica quieto, e Jorge fala.
  • B Ana não é bonita e Mateus não fica quieto e Jorge não fala.
  • C Ana é bonita e Mateus não fala, ou Jorge fala.
  • D Mateus fica quieto e Ana não é bonita e Jorge não fala.
  • E Mateus não fica quieto ou Ana é bonita, e Jorge fala.
27

Considere as proposições a seguir.
P: trabalhar mais de 30 anos; Q: aposentar-se com salário integral; R: ser mulher.
A sentença lógica (P˄R) → Q significa que

  • A aposentar-se com salário integral é necessário para ser mulher e trabalhar mais de 30 anos.
  • B aposentar-se com salário integral é suficiente para ser mulher e trabalhar mais de 30 anos.
  • C ser mulher ou trabalhar mais de 30 anos é necessário para aposentar-se com salário integral.
  • D ser mulher e trabalhar mais de 30 anos é necessário para aposentar-se com salário integral.
  • E ser mulher ou trabalhar mais de 30 anos é suficiente para aposentar-se com salário integral.
28

Considere a sentença: “Se Arlindo é baixo, então Arlindo não é atleta.” Assinale a opção que apresenta a sentença logicamente equivalente à sentença dada.

  • A “Se Arlindo não é atleta, então Arlindo é baixo.”
  • B “Se Arlindo não é baixo, então Arlindo é atleta.”
  • C “Se Arlindo é atleta, então Arlindo não é baixo.”
  • D “Arlindo é baixo e atleta.”
  • E “Arlindo não é baixo e não é atleta.”
29

Com base nas premissas “todos os primos de Rita são médicos”, “alguns primos de Rita são pilotos” e “alguns advogados são primos de Rita”, é correto afirmar que

  • A todo piloto é médico.
  • B todo médico é advogado.
  • C algum advogado é piloto.
  • D algum primo de Rita não é advogado.
  • E alguns advogados são médicos.
30

Uma sentença logicamente equivalente à sentença “Se Pedro é torcedor da Chapecoense, então ele nasceu em Chapecó” é:

  • A Se Pedro não é torcedor da Chapecoense, então ele não nasceu em Chapecó;
  • B Se Pedro nasceu em Chapecó, então ele é torcedor da Chapecoense;
  • C Pedro é torcedor da Chapecoense e não nasceu em Chapecó;
  • D Pedro não é torcedor da Chapecoense ou nasceu em Chapecó;
  • E Pedro é torcedor da Chapecoense ou não nasceu em Chapecó.
Voltar para lista