Resolver o Simulado Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP) - Escrevente Técnico Judiciário - VUNESP - Nível Médio

0 / 100

Português

1

Sob ordens da chefia

Ah, os chefes! Chefões, chefinhos, mestres, gerentes, diretores, quantos ao longo da vida, não? Muitos passam em brancas nuvens, perdem-se em suas próprias e pequenas histórias. Mas há outros cujas marcas acabam ficando bem nítidas na memória: são aqueles donos de qualidades incomuns.

Por exemplo, o meu primeiro chefe, lá no finalzinho dos anos 50: cinco para as oito da noite, e eu começava a ficar aflito, pois o locutor do horário ainda não havia aparecido. A rádio da pequena cidade do interior, que funcionava em três horários, precisava abrir às oito e como fazer? Bem, o fato é que eu era o técnico de som do horário, precisava “passar” a transmissão lá para a câmara, e o locutor não chegava para os textos de abertura, publicidade, chamadas. Meu chefe, de lá, tomou a iniciativa: – Ei rapaz, deixe ligado o microfone, largue isso aí, vá pro estúdio e ponha a rádio no ar. Vamos lá, firme, coragem! – foi a minha primeira experiência: fiz tudo como mandava e ele pôde, assim, transmitir tudo sem problemas.

No dia seguinte, muita apreensão logo de manhã, aguardando o homem. Será que tinha alguma crítica? Mas eis que ele chega, simpático e sorridente como sempre, e me abraça.

– Muito bem! Você está aprovado. Quer começar amanhã na locução?

Alguns meses antes do seu falecimento, reencontrei-o num lançamento de livro: era o mesmo de cinquenta e tantos anos atrás: magrinho, calva luzidia, falante, sempre cheio de planos para o futuro.

E o chefe das pestanas brancas, anos depois: estremecíamos quando ele nos chamava para qualquer coisa, fazendo-nos entrar na sua sala imensa, já suando frio e atentos às suas finas e cortantes palavras. Olhar frio, imperturbável, postura ereta, ágil, sempre trajando ternos impecáveis. Suas atitudes? Dinâmicas, surpreendentes.

Uma vez, precisando de algumas instruções, perguntei a sua secretária se poderia “entrar”.

– Não vai dar. – Respondeu-me ela. – Está ocupadíssimo, em reunião. Mas volte aqui um pouco mais tarde. Vamos ver!

Voltei uns cinquenta minutos depois, cauteloso, e quase não acreditei no que ouvi: – Sinto muito, o chefe está viajando para a Alemanha.

Era bem diferente daquele outro da mesma empresa, descontraído, amigão de todos: não era somente um chefe, era um líder, bem conhecido entre os revendedores. Todos sentíamos prazer em trabalhar com ele, e para ele. Até quando o serviço resultava numa sonora bronca – sempre justificada, é claro. Jeitão simples, de fino humor, tratava tudo com o tempero da sua criatividade nata. “Punha para frente” até quem precisava demitir: intercedia lá fora em seu favor, o que víamos com nossos próprios olhos.

Não chamava ninguém do seu pessoal a toda hora, a não ser que o assunto fosse sério mesmo: se tinha algo a tratar no dia a dia, chegava pessoalmente, numa boa, às vezes até sentava numa de nossas mesas para expor o assunto. Aliás, era o único chefe que se lembrava de me dar um abraço e dizer “parabéns” no dia do meu aniversário.

Segundo o autor, o primeiro chefe era um homem que:

  • A era comedido para falar.
  • B era circunspecto e cauteloso.
  • C não gostava de correr riscos
  • D parecia sempre melancólico.
  • E tinha muitos projetos.
2

O trânsito brasileiro, há muito tempo, tem sido responsável por verdadeira carnificina. São cerca de 40 mil mortes a cada ano; quase metade delas, segundo especialistas, está associada ao consumo de bebidas alcoólicas.

Não é preciso mais do que esses dados para justificar a necessidade de combater a embriaguez ao volante. Promulgada em 2008, a chamada lei seca buscava alcançar precisamente esse objetivo. Sua aplicação, porém, vinha sendo limitada pelos tribunais brasileiros.

O problema estava na própria legislação, segundo a qual era preciso comprovar “concentração de álcool por litro de sangue igual ou superior a seis decigramas” a fim de punir o motorista bêbado.

Tal índice, contudo, só pode ser aferido com testes como bafômetro ou exame de sangue. Como ninguém é obrigado a produzir provas contra si mesmo, o condutor que recusasse os procedimentos dificilmente seria condenado.

Desde dezembro de 2012, isso mudou. Com nova redação, a lei seca passou a aceitar diversos outros meios de prova - como testes clínicos, vídeos e depoimentos. Além disso, a multa para motoristas embriagados passou de R$ 957,70 para R$ 1.915,40.

De acordo com o texto, a nova redação dada à lei seca

  • A busca coibir a embriaguez ao volante independentemente das decisões dos tribunais que, em geral, aplicam pesadas multas aos infratores.
  • B torna-a mais rígida, o que é positivo, já que as estatísticas confirmam a necessidade de se combater a embriaguez ao volante.
  • C aceita novos tipos de prova e implica multa menos onerosa aos motoristas embriagados, atendendo melhor às necessidades do trânsito brasileiro.
  • D endurece as ações contra os motoristas embriagados, o que é um contrassenso, levando em consideração o perfil do motorista brasileiro.
  • E faz com que ela tenha menos probabilidade de ser posta em prática, pois dificilmente um condutor vai produzir prova contra si mesmo.
3
Como evitar que motoristas bêbados fiquem impunes e continuem a matar no trânsito

Rodrigo Cardoso, Paula Rocha, Michel Alecrim e Luciani Gomes

O Brasil possui uma legislação que dificulta a redução do número de mortes em acidentes de trânsito.Nem mesmo a Lei n.º 11.705,a chamada Lei Seca, que entrou em vigor em meados de 2008 para frear o ímpeto de brasileiros que insistem em guiar sob o efeito do álcool, tem conseguido conter o avanço desse tipo de tragédia.É fácil identificar o porquê.Está disseminado no país o sentimento de que é possível combinar a bebida com a direção sem que haja punição.
As garras do Judiciário, na maioria dos casos, não têm alcançado esses motoristas porque a lei é falha. O exame do bafômetro, necessário para que se detecte a quantidade de álcool ingerida passível de penalidade, pode ser recusado pelo infrator.Sem o teste, não há como se punir com rigor. Há pelo menos 170 projetos de lei propondo alterações na Lei Seca na Câmara dos Deputados. “Do jeito que está, não existe Lei Seca no País”, diz o advogado Maurício Januzzi.
Os números mostram a ineficácia do atual Código de Trânsito.No ano seguinte à implantação da Lei Seca, quando a fiscalização marcava presença nas ruas e os veículos de comunicação a divulgavam, houve uma redução de 1,8% nas mortes de trânsito.
Nos últimos meses,uma sequência de acidentes com vítimas fatais em ruas e avenidas tem chocado a opinião pública.
Na última década, enquanto nos países da Europa as mortes no trânsito decresceram em 41%, no Brasil verificou-se um crescimento de 40%.
Aumentar a punição de quem dirige embriagado é um dos caminhos para inibir as pessoas de dirigir depois de beber.
Um dos maiores problemas da eficácia da Lei Seca é a fiscalização.O jurista Luiz Flávio Gomes acredita que o controle tem que ser implacável. “A fiscalização não pode ser flexibilizada, afrouxada”, afirma.
Mostrar o caminho e reger o comportamento. É assim que campanhas de segurança no trânsito mundo afora tiveram sucesso.Se educar deve vir primeiro do que a repressão, rever socialmente o conceito que temos sobre o álcool, porém, não é fácil. O uso da bebida alcoólica está culturalmente presente na vida do brasileiro. É uma das poucas drogas consumidas – por ser lícita – com a família reunida. O álcool ganha poder de sedução por meio de propagandas direcionadas ao público jovem que o associa a situações de poder, conquista, de belas companhias, velocidade.
Para dirigir, porém, não se deve beber.
(ISTO É, nov. 2011. Adaptado)

No título do texto – Como evitar que motoristas bêbados fiquem impunes... – a palavra motoristas é um substantivo.

O mesmo emprego se dá com a palavra em destaque na alternativa:

  • A O Brasil possui uma legislação que dificulta. . . (1.º parágrafo)
  • B … a lei é falha. (2.º parágrafo)
  • C Sem o teste, não há como se punir com rigor. (2.º parágrafo)
  • D “Do jeito que está, não existe Lei Seca no País”… (2.º parágrafo)
  • E Os números mostram a ineficácia do atual Código de Trânsito. (3.º parágrafo)
4

Matusalém*
Não sei como, não sei quando, não sei por quê, fui incluída, à minha revelia, em um site de relacionamentos. Faz dias que meu e-mail é invadido por desconhecidos interessados em estabelecer contato comigo.
Na primeira vez que dei com a mensagem na tela, corri para as letras miúdas, a fim de cancelar a inscrição. Procedi como indicado, mas apareceu uma mensagem exigindo a senha. Eu não tinha a menor ideia do número da senha, eu não me lembro de ter cadastrado uma senha. Jamais, em hipótese alguma, eu me engajaria em um site de relacionamentos. Sou sociofóbica, nasci em meados do século passado e suspeito da massa de anônimos que povoam o ciberespaço.
Cliquei em “Esqueceu sua senha?”, e esperei pela nova, a ser enviada. Demorou, demorou, e nunca chegou. Escrevi para a entidade fantasma – cuja central de atendimento deve ser no México,na Rússia ou em Porto Rico –, exigindo a retirada do meu nome de
circulação. Não há números de telefones disponíveis, nem qualquer ser humano que dê atenção ao meu trauma. A cada contato, o cérebro eletrônico me lê como usuária assídua e redobra a seleção de contatos. Quem controla esse abuso? É o Procon?
Parei no e-mail. Eu amo e-mail. Você escreve quando pode e recebe quando é conveniente. É uma troca pessoal e intransferível, serve de documento e ainda obriga o cidadão a escrever alguma língua direito, com sujeito, verbo e predicado.
Usei o Twitter uma vez e saí batido, impressionada com o número de estranhos que passaram a me tratar como íntima. Não achei prudente a exposição.
A internet foi, e é, o estopim das manifestações de massa que explodiram mundo afora. Como sou antiga e uso meu computador como máquina de escrever e correio, só soube do acontecido depois que aconteceu. Meu filho de 13, não, esse estava informado sobre tudo.
Peco pelo conservadorismo, leio jornal impresso e me informo pela televisão. Ainda assim, ignorante, solitária e ultrapassada, troco toda a consciência pela glória da minha privacidade. Não nasci para o Facebook, o Instagram e o LinkedIn. Estacionei no caráter enciclopédico, epistolar*, matusalênico* das novas tecnologias.
(Fernanda Torres, Veja Rio, 15.07.2013, http://zip.net/bjlQrh, 17.12.2013. Adaptado)

* Matusalém: patriarca da Bíblia que teria morrido com 969 anos
* epistolar: relativo a cartas
* matusalênico: velho, antigo

Ao concluir o texto com a frase – Estacionei no caráter enciclopédico, epistolar, matusalênico das novas tecnologias. – a autora reforça

  • A sua admiração pela interatividade promovida pelas novas tecnologias.
  • B sua satisfação em obter as informações de maneira rápida por meio da internet.
  • C seu comportamento conservador ao fazer uso das novas tecnologias.
  • D seu fascínio diante do fato de que a internet tornou as pessoas mais conscientes.
  • E sua frustração por não saber usar as novas tecnologias para informar-se e comunicar-se.
5

No Brasil, as discussões sobre drogas parecem limitar­se ...................... aspectos jurídicos ou policiais. É como se suas únicas consequências estivessem em legalismos, tecnicalidades e estatísticas criminais. Raro ler................. respeito envolvendo questões de saúde pública como programas de esclarecimento e prevenção, de tratamento para depen­dentes e de reintegração desses ..................... vida. Quantos de nós sabemos o nome de um médico ou clínica ............................ quem tentar encaminhar um drogado da nossa própria família?
(Ruy Castro, Da nossa própria família. Folha de S.Paulo, 17.09.2012. Adaptado)


As lacunas do texto devem ser preenchidas, correta e res­ pectivamente, com:


  • A aos … à … a … a
  • B aos … a … à … a
  • C a … a … a … a
  • D a … a … à … à
  • E à … à … à … à
6

Os produtos ecológicos estão dominando as prateleiras do comércio. Mesmo com tantas opções, ainda há resistência na hora da compra. Isso acontece porque o custo de tais itens é sempre mais elevado, em comparação com o das mercadorias tradicionais.

Com os temas ambientais cada vez mais em pauta, é normal que a consciência ecológica tenha aumentado entre os brasileiros. Se por um lado o consumidor deseja investir em produtos menos agressivos ao meio ambiente, por outro ele não está disposto a pagar mais de cinco por cento acima do valor normal. É o que mostra uma pesquisa realizada pela Proteste – Associação de Consumidores.

A análise foi feita a partir de um levantamento realizado em 2012. De acordo com a Proteste, quase metade dos entrevistados afirmaram que deixaram de comprar produtos devido às más condutas ambientais da companhia.

Dos entrevistados, 72% disseram que, na última compra, levaram em consideração o comportamento da empresa, em especial, sua atitude em relação ao meio ambiente. Ainda assim, 60% afirmam que raramente ou nunca têm informações sobre o impacto ambiental do produto ou do comportamento da empresa. Já 81% das pessoas acreditam que o rótulo de sustentabilidade e responsabilidade social é apenas uma estratégia de marketing das empresas.

Conforme as informações do texto, 81% dos entrevistados pela Proteste consideram que o rótulo de sustentabilidade e responsabilidade social da empresa seja

  • A um fator que torna patente o engajamento genuíno em causas ecológicas.
  • B um recurso usado para tornar o produto mais atraente ao consumidor.
  • C um mecanismo usado para escamotear más condutas ambientais.
  • D um estratagema para reduzir os custos envolvidos na fabricação do produto
  • E uma manobra que revela o propósito de burlar o pagamento de impostos.
7
Mulher ao volante

“Quando não venho de blusa rosa, os passageiros notam e reclamam”, disse orgulhosa Marta Ribeiro dos Passos, 34, exibindo as unhas da mesma cor, às 5h41, no terminal Vila Mariana.

Quarenta minutos antes, ela afivelou o cinto de segurança, também rosa, engatou a primeira marcha no câmbio decorado e seguiu viagem ao volante do ônibus que sai da Lapa. Uma cortina de borboleta deixava a cabine ainda mais personalizada.

A cor rosa é sua “marca registrada”, como define, e o percurso, seu favorito. “Amo meus passageiros. São sempre as mesmas pessoas, nos mesmos pontos”, diz ela, que troca cumprimentos com os mais chegados.

Motorista de ônibus há sete anos, Marta concluiu que as mulheres na direção são uma segurança para a população. Por dois motivos: dirigem com uma “perfeição maior” e pilotam por gosto, não por obrigação. “Não me vejo fazendo outra coisa”, diz.

Quando não está no trabalho, Marta acelera na sua moto 125 cilindradas, uma potência módica que ela pretende em breve dobrar. “Descarrego toda a minha adrenalina nela.”

Ao cruzar a avenida Paulista, ela comenta: “Aqui a gente vê de tudo. Sou toda rosa, mas adoro esse pessoal que anda de preto. Acho interessantes essas várias tribos. Não quero ser a melhor. Só quero fazer a diferença”, completa.

(André Lobato. Revista São Paulo, 15 a 20/05/2011. Adaptado)

Observando as atitudes de Marta, pode-se afirmar que ela é uma pessoa

  • A vaidosa e machista.
  • B simpática e indecisa
  • C tímida e preconceituosa.
  • D inexperiente e confiável
  • E caprichosa e determinada.
8

Eles são uma gracinha, alegram a casa e, para muita gente, são companhia  indispensável. Mas há também quem não tem paciência, parte para a agressão e até enfrenta a lei por causa disso – quem não lembra do caso da enfermeira que  agrediu  até  a morte  um pequeno  cão de  raça  yorkshire? A diferença  é  que,  se  antigamente  as pessoas  ficavam indiferentes, hoje elas exercem sua cidadania e denunciam.  
Mas ao contrário do que muita gente pensa, não existem direitos específicos para os animais de estimação. Como parte do meio ambiente eles  têm proteção garantida contra práticas que os submetem à crueldade. Entretanto esses direitos  nem  sempre  são  respeitados  e,  ainda,  cabe  a  sua regulamentação.  E  no  direito  brasileiro  um  animal  é considerado uma coisa, difícil de entender pois “coisa” dá uma ideia de algo inanimado, mas talvez seja pelo fato de um animal não possuir personalidade  jurídica, não respondendo assim pelos seus atos. Então,  juridicamente falando, para que o animal tenha o seu direito exercido, é necessário que alguém responda por ele, por isso cabe ao dono o dever de guarda  ou  controle.  Em  outras  palavras  se  queremos  que  os  animais  de  estimação  sejam  respeitados,  nós  é  que devemos fazer nossa parte.  
(Dinheiro & Direitos. Nº 48. Fev. 2014. p. 8-9 . Adaptado.) 


No  trecho  “Eles  são  uma  gracinha,  alegram  a  casa  e,  para muita  gente,  são  companhia  indispensável”  (1º§),  o  pronome refere-se a  
  • A cães.
  • B yorkshires.
  • C animais de estimação.
  • D companhia indispensável.
9
“Xadrez que liberta”: estratégia, concentração e reeducação

João Carlos de Souza Luiz cumpre pena há três anos e dois meses por assalto. Fransley Lapavani Silva está há sete anos preso por homicídio. Os dois têm 30 anos. Além dos muros, grades, cadeados e detectores de metal, eles têm outros pontos em comum: tabuleiros e peças de xadrez.

O jogo, que eles aprenderam na cadeia, além de uma válvula de escape para as horas de tédio, tornou-se uma metáfora para o que pretendem fazer quando estiverem em liberdade.

“Quando você vai jogar uma partida de xadrez, tem que pensar duas, três vezes antes. Se você movimenta uma peça errada, pode perder uma peça de muito valor ou tomar um xeque-mate, instantaneamente. Se eu for para a rua e movimentar a peça errada, eu posso perder uma peça muito importante na minha vida, como eu perdi três anos na cadeia. Mas, na rua, o problema maior é tomar o xeque-mate”, afirma João Carlos.

O xadrez faz parte da rotina de cerca de dois mil internos em 22 unidades prisionais do Espírito Santo. É o projeto “Xadrez que liberta”. Duas vezes por semana, os presos podem praticar a atividade sob a orientação de servidores da Secretaria de Estado da Justiça (Sejus). Na próxima sexta-feira, será realizado o primeiro torneio fora dos presídios desde que o projeto foi implantado. Vinte e oito internos de 14 unidades participam da disputa, inclusive João Carlos e Fransley, que diz que a vitória não é o mais importante.

“Só de chegar até aqui já estou muito feliz, porque eu não esperava. A vitória não é tudo. Eu espero alcançar outras coisas devido ao xadrez, como ser olhado com outros olhos, como estou sendo olhado de forma diferente aqui no presídio devido ao bom comportamento”.

Segundo a coordenadora do projeto, Francyany Cândido Venturin, o “Xadrez que liberta” tem provocado boas mudanças no comportamento dos presos. “Tem surtido um efeito positivo por eles se tornarem uma referência positiva dentro da unidade, já que cumprem melhor as regras, respeitam o próximo e pensam melhor nas suas ações, refletem antes de tomar uma atitude”.

Embora a Sejus não monitore os egressos que ganham a liberdade, para saber se mantêm o hábito do xadrez, João Carlos já faz planos. “Eu incentivo não só os colegas, mas também minha família. Sou casado e tenho três filhos. Já passei para a minha família: xadrez, quando eu sair para a rua, todo mundo vai ter que aprender porque vai rolar até o torneio familiar”.

“Medidas de promoção de educação e que possibilitem que o egresso saia melhor do que entrou são muito importantes. Nós não temos pena de morte ou prisão perpétua no Brasil. O preso tem data para entrar e data para sair, então ele tem que sair sem retornar para o crime”, analisa o presidente do Conselho Estadual de Direitos Humanos, Bruno Alves de Souza Toledo.

(Disponível em: www.inapbrasil.com.br/en/noticias/xadrez-que-liberta-estrategia- -concentracao-e-reeducacao/6/noticias. Acesso em: 18.08.2012. Adaptado)

Considerando o contexto em que as seguintes frases foram produzidas, assinale a alternativa em que há emprego figurado das palavras.

  • A O xadrez faz parte da rotina de cerca de dois mil internos em 22 unidades prisionais do Espírito Santo
  • B Além dos muros, grades, cadeados e detectores de metal, eles têm outros pontos em comum...
  • C Nós não temos pena de morte ou prisão perpétua no Brasil.
  • D “Mas, na rua, o problema maior é tomar o xeque-mate”, afirma João Carlos.
  • E Já passei para a minha família: xadrez, quando eu sair para a rua, todo mundo vai ter que aprender...
10
História de pescador

Gosto muito de pescar. Não que eu saiba a isca adequada para cada tipo de peixe ou tenha conhecimento de luas, marés, cardumes e anzóis. Meu negócio é jogar a linha na corrente e esperar que algo aconteça. Enquanto isso, os ruídos da natureza me acalmam. O rio Tijuco testemunhou muitos desses meus pensamentos e de seu leito tirei muito piau e cascudo.
Além de pescador, sou mineiro. E mineiro é bicho contador de história. O ouvinte escolhe o tema: basta alguém prestando atenção para que a noite seja curta para tanto caus o. Estou quase certo de que o relato a seguir já foi narrado em algum outro momento. O jeito é tentar contá-lo de uma maneira diferente. Vou tentar. Cabe a você acreditar ou não em minha história.
Uma vez, voltávamos do rancho, eu, meu cunhado e mais dois ou três amigos. Todos sabem que mineiro tem dois carros: um para a pescaria e outro para ficar na garagem. O primeiro é, normalmente, um veículo bem antigo e o segundo nem tanto. Vínhamos, portanto, em um Chevette 1976, o que significava, na época, 150 mil quilômetros rodados e vinte e poucos anos de uso. Havia um trecho muito curto de rodovia estadual a percorrer, de modo que a lei e a ordem não pareciam grandes problemas para nós.
Mas, mal entramos na rodovia, vimos um policial muito jovem, e com um uniforme muito esquisito, vir em nossa direção, fazendo sinal para que parássemos. Descemos, para que ele pudesse inspecionar o veículo. É claro que faltava desde o extintor de incêndio até o farol traseiro. Nós nem deixamos o guarda abrir a boca e desatamos a falar, pedindo que não apreendesse nosso carro. Prometemos ir a sessenta quilômetros por hora e juramos que faríamos uma revisão no Chevrolet no dia seguinte. O jovem guarda manteve-se imóvel e encarando-nos com um olhar assustado. Como não dissesse nada, concluímos que estávamos liberados
O problema foi na hora em que meu cunhado tentou virar a chave. Nada. Nem um barulhinho sequer. A bateria entregava os pontos. Chamamos o guarda e comentamos que, se deixássemos o automóvel ali, dificilmente retornaríamos para resgatá-lo. Pedimos, com educação, que nos ajudasse a empurrar a máquina. Solícito, o rapaz veio em nosso auxílio mas, antes, revelou: “Olha, eu vou ajudar vocês, mas eu não sou policial não, eu só estava pedindo uma carona!”

(Whisner Fraga, www.cronicadodia.com.br, 14.04.2013. Adaptado)


Conforme o segundo parágrafo, a história narrada pode ser:

  • A comprovada pelo narrador.
  • B ratificada pela polícia.
  • C confirmada pelo rapaz que pedia carona.
  • D validada pelos pescadores.
  • E questionada pelo leitor.
11
Leia trechos da letra da música dos compositores José Carlos Figueiredo, Antônio Carlos Marques Pinto e José Ubaldo Avila.
Você abusou
Me magoa, maltrata e quer desculpa
Me retruca, me trai e quer perdão
Me ofende, me fere e não tem culpa
Jesus Cristo, eu não sei quem tem razão.

Esse fogo, essa farsa, essa desgraça
Me corrompe e corrói meu coração
Há momentos que eu paro e acho graça
Procuro, e não acho a solução.

Você abusou,
Tirou partido de mim, abusou

Mas não faz mal
É tão normal ter desamor
É tão cafona sofrer dor
Que eu já não sei
Se é meninice ou cafonice o meu amor.

Que me perdoem, se eu insisto neste tema

Se o quadradismo dos meus versos,
Vai de encontro aos intelectos,
Que não usam o coração,
Como expressão...

Releia os versos a seguir.
É tão normal ter desamor É tão cafona sofrer dor Que eu já não sei Se é meninice ou cafonice o meu amor.
As palavras em destaque estabelecem, entre as orações, relação de

  • A conclusão.
  • B consequência.
  • C oposição.
  • D condição.
  • E explicação.
12


Os termos (segundo quadrinho) e ainda (quarto quadrinho) exprimem circunstâncias de
  • A modo.
  • B tempo.
  • C dúvida.
  • D causa.
  • E intensidade.
13
Texto

1º/4/1964 – Cena de rua

Minha filha chega da escola dizendo que há revolução na rua. Em companhia de Carlos Drummond de Andrade,
meu vizinho no Posto 6, fui ver o que estava se passando.
Vejo um general comandar alguns rapazes naquilo que mais tarde um repórter chamou de “gloriosa barricada”. Os
rapazes arrancam bancos e árvores impedem o cruzamento da av. Atlântica com a rua Joaquim Nabuco. O general
destina-se a missão mais importante: apanha dois paralelepípedos e concentra-se na façanha de colocar um em cima do
outro. Vendo-o em tarefa tão insignificante, pergunto-lhe para que aqueles paralelepípedos tão sabiamente colocados
um sobre o outro. “Isso é para impedir os tanques do 1º Exército!”
Acreditava, até então, que dificilmente se deteria um exército com dois paralelepípedos ali na esquina da rua onde
moro. Ouço no rádio que a medida do general foi eficaz: o 1º Exército, em sabendo que havia tão sólida resistência,
desistiu do vexame: aderiu aos que se chamavam de rebeldes.
Nessa altura, há confusão na av. N. S. de Copacabana, pois ninguém sabe o que significa “aderir aos rebeldes”. A
confusão é rápida. Não há rebeldes e todos, rebeldes ou não, aderem, que a natural tendência da humana espécie é
aderir. Erguem o general em triunfo. Vejo o bravo general passar em glória sobre minha cabeça.
Olho o chão, os dois paralelepípedos lá estão, intactos, invencidos, um em cima do outro. Vou lá, com a ponta do
sapato tento derrubá-los. É coisa fácil. Das janelas, cai papel picado. Senhoras pias exibem seus pios lençóis e surge uma
bandeira nacional. Cantam o hino e declaram todos que a pátria está salva.
Minha filha, ao meu lado, pede uma explicação para aquilo tudo. “É carnaval, papai?” “Não.” “É Copa do Mundo?”
“Também não.”
Ela fica sem saber o que é. Eu também. Recolho-me ao sossego e sinto na boca um gosto azedo de covardia.

(Carlos Heitor Cony. Cena de rua. Folha de São Paulo. 01/04/2014.
Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/colunas/carlosheitorcony/2014/04/1433846-141964---cena-de-rua.shtml.)



O trecho “[...] declaram todos que a pátria está salva.” (5º§) está, sintaticamente, estruturado na ordem inversa, ou indireta. Assinale a alternativa em que ele foi devidamente reorganizado na ordem canônica, ou direta.
  • A Todos declaram que a pátria está salva.
  • B A pátria todos declaram que está salva.
  • C Que a pátria está salva declaram todos.
  • D Que a pátria está salva todos declaram.
14

Fora do jogo

Quando a economia muda de direção, há variáveis que logo se alteram, como o tamanho das jornadas de trabalho e o pagamento de horas extras, e outras que respondem de forma mais lenta, como o emprego e o mercado de crédito. Tendências negativas nesses últimos indicadores, por isso mesmo, costumam ser duradouras.
Daí por que são preocupantes os dados mais recentes da Associação Nacional dos Birôs de Crédito, que congrega empresas do setor de crédito e financiamento.
Segundo a entidade, havia, em outubro, 59 milhões de consumidores impedidos de obter novos créditos por não estarem em dia com suas obrigações. Trata-se de alta de 1,8 milhão em dois meses.
Causa consternação conhecer a principal razão citada pelos consumidores para deixar de pagar as dívidas: a perda de emprego, que tem forte correlação com a capacidade de pagamento das famílias.
Até há pouco, as empresas evitavam demitir, pois tendem a perder investimentos em treinamento e incorrer em custos trabalhistas. Dado o colapso da atividade econômica, porém, jogaram a toalha.
O impacto negativo da disponibilidade de crédito é imediato. O indivíduo não só perde a capacidade de pagamento mas também enfrenta grande dificuldade para obter novos recursos, pois não possui carteira de trabalho assinada.
Tem-se aí outro aspecto perverso da recessão, que se soma às muitas evidências de reversão de padrões positivos da última década – o aumento da informalidade, o retorno de jovens ao mercado de trabalho e a alta do desemprego.

(Folha de S.Paulo, 08.12.2015. Adaptado)
Na conclusão no texto, “o aumento da informalidade, o retorno de jovens ao mercado de trabalho e a alta do desemprego" são apontados como características
  • A positivas e vivenciadas na economia da última década.
  • B negativas e distantes do cenário econômico atual.
  • C negativas e típicas do atual período de retração econômica.
  • D negativas e improváveis na situação econômica presente.
  • E positivas e marcantes da economia no presente do país.
15

Japão irá auxiliar Minas Gerais com a experiência no
enfrentamento de tragédias

Acostumados a lidar com tragédias naturais, os japoneses costumam
se reerguer em tempo recorde depois de catástrofes. Minas irá buscar
experiência e tecnologias para superar a tragédia em Mariana

      A partir de janeiro, Minas Gerais irá se espelhar na experiência de enfrentamento de catástrofes e tragédias do Japão, para tentar superar Mariana e recuperar os danos ambientais e sociais. Bombeiros mineiros deverão receber treinamento por meio da Agência de Cooperação Internacional do Japão (Jica), a exemplo da troca de experiências que já acontece no Estado com a polícia comunitária, espelhada no modelo japonês Koban.
     O terremoto seguido de um tsunami que devastou a costa nordeste do Japão em 2011 deixando milhares de mortos e desaparecidos, e prejuízos que quase chegaram a US$ 200 bilhões, foi uma das muitas tragédias naturais que o país enfrentou nos últimos anos. Menos de um ano depois da catástrofe, no entanto, o Japão já voltava à rotina. É esse tipo de experiência que o Brasil vai buscar para lidar com a tragédia ocorrida em Mariana.
(Juliana Baeta, http://www.otempo.com.br, 10.12.2015. Adaptado)
No trecho – Bombeiros mineiros deverão receber treinamento... – (1o parágrafo), a expressão em destaque é formada por substantivo + adjetivo, nessa ordem. Essa relação também se verifica na expressão destacada em:
  • A A imprudente atitude do advogado trouxe-me danos.
  • B Entrou silenciosamente, com um espanto indisfarçável.
  • C Alguma pessoa teve acesso aos documentos da reunião?
  • D Trata-se de um lutador bastante forte e preparado.
  • E Estiveram presentes à festa meus estimados padrinhos.
16

Assinale a alternativa que completa, correta e respectivamente, as lacunas da frase, de acordo com a norma-padrão da língua.

Os pescadores quiseram persuadir o suposto guarda_____ liberar o Chevrolet, assegurando-lhe ________ iriam a sessenta quilômetros por hora.

  • A em … de que
  • B a … que
  • C de … a que
  • D por … de que
  • E para … em que
17
Alunos de colégio fazem robôs com sucata eletrônica

Você comprou um smartphone e acha que aquele seu celular antigo é imprestável? Não se engane: o que é lixo para alguns pode ser matéria-prima para outros. O CMID - Centro Marista de Inclusão Digital -, que funciona junto ao Colégio Marista de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, ensina os alunos do colégio a fazer robôs a partir de lixo eletrônico.
Os alunos da turma avançada de robótica, por exemplo, constroem carros com sensores de movimento que respondem à aproximação das pessoas. A fonte de energia vem de baterias de celular. “Tirando alguns sensores, que precisamos comprar, é tudo reciclagem”, comentou o instrutor de robótica do CMID, Leandro Schneider. Esses alunos também aprendem a consertar computadores antigos. “O nosso projeto só funciona por causa do lixo eletrônico. Se tivéssemos que comprar tudo, não seria viável”, completou.
Em uma época em que celebridades do mundo digital fazem campanha a favor do ensino de programação nas escolas, é inspirador o relato de Dionatan Gabriel, aluno da turma avançada de robótica do CMID que, aos 16 anos, já sabe qual será sua profissão. “Quero ser programador. No início das aulas, eu achava meio chato, mas depois fui me interessando”, disse.

(Giordano Tronco, www.techtudo.com.br, 07.07.2013. Adaptado)

A forma verbal que expressa ideia de futuro está destacada em:

  • A Não se engane: o que é lixo para alguns pode ser matéria-prima para outros.
  • B Esses alunos também aprendem a consertar computadores antigos.
  • C …“Se tivéssemos que comprar tudo, não seria viável”, completou.
  • D … é inspirador o relato de Dionatan Gabriel, aluno da turma avançada de robótica do CMID que, aos 16 anos, já sabe qual será sua profissão.
  • EQuero ser programador…”…
18
Desmantelo só quer começo

Onze controles remotos, eis o surpreendente saldo da minha faxina: 11 controles remotos que há muito já não controlavam, mesmo que remotamente, coisa alguma.
Ao longo dos anos, as TVs, aparelhos de som, DVDs e videocassetes a que serviram foram partindo e deixando-os para trás: órfãos, sem ocupação ou residência fixa, vagavam pela casa ao sabor do acaso. Terminada a arrumação, meti todos eles numa sacolinha plástica e joguei na lixeira.
Imagino que jogar controles remotos no lixo fira gravemente alguma regra ecológica, mas a visão daqueles defuntos eletrônicos me trouxe um sentimento de urgência: eram eles ou eu.
Meu finado tio-avô costumava dizer que “Desmantelo só quer começo". O cronista Humberto Werneck, atento à grandeza que o miúdo esconde, escreveu uma vez sobre a traiçoeira contribuição dos copos de requeijão para o fim de um casamento.
Aos poucos, esses intrusos vão cavando espaço no armário da cozinha, empurrando lá pro fundo as taças que, no início do namoro, assistiam da primeira fila aos beijos e abraços - é a vulgaridade galgando o terreno da paixão.
Até que um belo dia você acorda e descobre que o vinho do amor virou água da bica num copo da Itambé - “Desmantelo só quer começo".
Tenho medo: numa casa em que 11 finados controles remotos permanecem insepultos por anos a fio, o desmantelo já começou faz tempo, já criou raízes, frutos, lançou esporos. Minha cozinha é cheia de copos de requeijão.
Digo a mim mesmo, enquanto vejo o caminhão de lixo deglutir os expurgos da minha faxina: este é o início de uma nova fase, a partir de agora serei um exemplo de organização.
Entro em casa de queixo erguido, peito estufado e meu ânimo dura quatro segundos: só até ver minha mulher com as mãos enfiadas entre as almofadas do sofá, perguntando se por acaso eu não vi, em algum lugar, o controle da televisão.

(Antonio Prata, Folha de S.Paulo, 04.05.2014. Adaptado)

Terminada a arrumação, meti todos eles numa sacolinha plástica e joguei na lixeira.

O trecho em destaque está corretamente substituído, com as relações de sentido originais preservadas e em conformidade com a norma-padrão da língua portuguesa, por:
  • A Até terminar a arrumação
  • B Enquanto ia terminando a arrumação.
  • C Quando terminei a arrumação.
  • D Embora terminava a arrumação.
  • E Se terminasse a arrumação.
19
Brinquedos de meninos

Existem fortes evidências a sugerir que as preferências de meninos e meninas por brinquedos específicos para cada gênero envolvem mais do que preconceitos, estereótipos e a irresponsabilidade social de fabricantes. Ao que tudo indica, existe uma base biológica para as distintas predileções.

Para começar, brincadeiras típicas de machos e fêmeas não são uma exclusividade humana. Em 2010, o primatologista Richard Wrangham, de Harvard, ganhou manchetes ao publicar um estudo descrevendo como fêmeas jovens de chimpanzés brincavam com pedaços de pau como se fossem bonecas. Elas chegavam a construir ninhos na floresta para acomodar os gravetos à noite. Machos da mesma idade por vezes topavam brincar de casinha com elas, mas o uso preferencial que davam aos galhos era o de armas simuladas.

Aparentemente, os níveis de exposição do feto a hormônios respondem ao menos em parte pela predisposição. Em 2009, Bonnie Auyeung e colaboradores mostraram que meninas que estiveram expostas a mais testosterona durante a gravidez tendiam na infância a engajar-se mais em brincadeiras típicas de garotos. No caso de animais não humanos, cientistas foram capazes de mudar o comportamento de jovens manipulando os hormônios fetais.

Estudos com mamíferos revelam que fêmeas preferem cores mais quentes como vermelho e rosa. Em machos não há uma predileção clara. No caso de humanos, esse padrão aparece mesmo quando lidamos com culturas bem distintas, como norte-americanos e chineses.

A biologia talvez não explique todas as diferenças, mas revela que não somos uma tábula rasa de gênero.

(Disponível em: www1.folha.uol.com.br/colunas/ helioschwartsman/2013/05/1286513-brinquedos-de-meninos.shtml. Acesso em: 29.05.2013. Adaptado)

Graças ________estudos realizados com mamíferos, pode-se afirmar que as fêmeas preferem cores mais quentes como vermelho e rosa. Esse fato reabre a discussão acerca _______ papel que os hormônios desempenham no comportamento de animais e seres humanos.

Assinale a alternativa que completa, correta e respectivamente, as lacunas do texto, de acordo com a norma-padrão da língua portuguesa.

  • A a ... do
  • B aos ... sobre
  • C à ... do
  • D a ... onde
  • E aos ... que
20

Assinale a alternativa que preenche, correta e respectivamente, as lacunas da frase seguinte, no que se refere à ocorrência do acento indicativo de crase.

O autor chegou ________confessar que alguns de seus hábitos não levavam_________ uma satisfação genuína, e se reportou _________ocasião em que foi acolhido na choupana de um velho caboclo do Acre, _________ quem se referiu com gratidão e nostalgia.

  • A a ... a ... à ... a
  • B à ... a ... à ... a
  • C à ... à ... à ... à
  • D a ... à ... a ... à
  • E à ... à ... a ... à

Direito Penal

21

Funcionário público que estende intencional e desautorizadamente o período de tempo reservado para seu almoço, a fim de durante esse “período de folga” dedicar-se a atividades pessoais não urgentes, deixando de praticar, indevidamente, uma série de atos de ofício, comete

  • A corrupção passiva.
  • B peculato.
  • C concussão.
  • D prevaricação.
  • E corrupção ativa.
22

A conduta de “dar causa à instauração de investigação policial, de processo judicial, instauração de investigação administrativa, inquérito civil ou ação de improbidade administrativa contra alguém, imputando-lhe crime de que o sabe inocente” configura

  • A denunciação caluniosa.
  • B condescendência criminosa.
  • C falso testemunho.
  • D comunicação falsa de crime.
  • E fraude processual.
23

Analise as assertivas a seguir:

I. constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a não fazer o que a lei permite, ou a fazer o que ela não manda;

II. submeter alguém, sob sua guarda, poder ou autoridade, com emprego de violência ou grave ameaça, a intenso sofrimento físico ou mental, como forma de aplicar castigo pessoal ou medida de caráter preventivo;

III. constranger alguém com emprego de grave ameaça, causando-lhe sofrimento mental em razão de discriminação religiosa.

À luz da Lei n.º 9.455/97, constitui crime de tortura o que se afirma em


  • A I e III, apenas.
  • B II, apenas.
  • C I e II, apenas.
  • D I, II e III.
  • E II e III, apenas.
24

O crime denominado “petrechos de falsificação” (CP, art. 294) tem a pena aumentada, de acordo com o art. 295 do CP, se

  • A praticado com intuito de lucro.
  • B cometido em detrimento de órgão público ou da administração indireta.
  • C a vítima for menor de idade, idosa ou incapaz.
  • D causar expressivo prejuízo à fé pública.
  • E o agente for funcionário público e cometer o crime prevalecendo-se do cargo.

Conhecimentos Bancários

25

A SUSEP editou a Circular nº 200, de 9 de setembro de 2002, que dispõe sobre a identificação de clientes e manutenção de registros, a relação de operações e transações que denotem indícios dos crimes previstos na Lei nº 9.613, de 3 de março de 1998, ou que com eles possam relacionar-se, a comunicação das operações financeiras e a responsabilidade administrativa de que trata aquela Lei. NÃO se sujeitam às obrigações previstas na referida Circular

  • A os resseguradores locais.
  • B os corretores de seguros.
  • C as sociedades seguradoras.
  • D as sociedades de capitalização.
  • E as entidades fechadas de previdência complementar.

Direito Penal

26

Quanto ao crime de tortura previsto na Lei n.° 9.455/97, pode-se afirmar que:

  • A incorre na pena prevista para o crime de tortura quem submete pessoa presa ou sujeita a medida de segurança a sofrimento físico ou mental, por intermédio da prática de ato não previsto em lei ou não resultante de medida legal.
  • B o cumprimento da pena deve ocorrer integralmente em regime fechado.
  • C admite fiança nas hipóteses legais.
  • D não incorre na prática do crime de tortura aquele que se omite em face de sua prática, ainda que tenha o dever de evitá-la.
  • E a condenação acarretará a perda do cargo, função ou emprego público e a interdição para seu exercício pelo prazo da pena aplicada.
27
“A”, querendo causar a morte de “B”, descarrega contra este sua arma de fogo, atingindo­-o por seis disparos. “B”, socorrido por populares e levado ao pronto­-socorro, é submetido à cirurgia de emergência e sobrevive.

Diante do exposto, “A” poderá responder pelo crime de:
  • A homicídio culposo tentado, pois “B” somente não morreu por circunstâncias alheias à vontade de “A”.
  • B lesão corporal dolosa, uma vez que “B”, apesar de ser atingido, não morreu.
  • C lesão corporal dolosa e homicídio doloso tentado, pois “B” somente não morreu por circunstâncias alheias à vontade de “A”.
  • D homicídio doloso consumado, pois “B” somente não morreu por circunstâncias alheias à vontade de “A”.
  • E homicídio doloso tentado, pois “B” somente não mor­reu por circunstâncias alheias à vontade de “A”.
28

Nos termos do artigo 28 da Lei n.º 11.343/2006 – Lei de Drogas – aquele que adquirir, guardar, tiver em depósito, transportar ou trouxer consigo, para consumo pessoal, drogas sem autorização ou em desacordo com determinação legal ou regulamentar, poderá.

  • A receber advertência sobre os efeitos das drogas.
  • B ser punido com a pena de reclusão.
  • C ser punido com a pena de detenção.
  • D ser punido com a pena de prisão simples.
  • E ter a conduta considerada atípica.
29
O funcionário público que tem conhecimento de infração cometida no exercício do cargo por subordinado e que, por indulgência, não promove sua res­ponsabilização e também não comunica o fato ao superior competente para tanto pratica
  • A corrupção ativa (CP, art. 333).
  • B corrupção passiva (CP, art. 317)
  • C fato atípico, pois não está descrito expressa­mente como crime no CP.
  • D condescendência criminosa (CP, art. 320)
  • E prevaricação (CP, art. 319).
30

Certos crimes têm suas penas estabelecidas em patamares superiores quando presentes circunstâncias que aumentam o desvalor da conduta. São os denominados “tipos qualificados”.

Assinale a alternativa que indica o crime que tem como qualificadoras “resultar prejuízo público” e “ocorrer em lugar compreendido na faixa de fronteira”.

  • A Corrupção passiva.
  • B Exercício arbitrário das próprias razões.
  • C Abuso de poder.
  • D Violência arbitrária.
  • E Abandono de função.

Direito Processual Civil

31

Numa audiência de instrução e julgamento, o juiz determinou que primeiro se ouvissem as testemunhas das partes, e, após isso, fossem prestados os esclarecimentos dos peritos. Além disso, no momento dos debates orais, numa ação em que havia interesse de menores, concedeu prazo de 40 minutos para o advogado do autor e de 30 minutos para o advogado do réu e para o promotor de justiça se pronunciarem.

Diante dessa situação, é correto afirmar que o juiz

  • A acertou em todos os seus atos, pois a ordem da oitiva é passível de modificação a critério do juiz, bem como os prazos para debates orais devem ser estipulados pelo magistrado.
  • B acertou ao inverter a ordem da colheita de provas em audiência, pois não há uma obrigatoriedade nesse roteiro; mas errou ao fixar limite de tempo de 40 minutos para o pronunciamento em razões finais do advogado do autor, prazo superior ao estabelecido em lei.
  • C somente errou ao inverter a ordem de oitiva do perito, tento em vista que a lei determina que, obrigatoriamente, sejam ouvidos primeiro o perito e depois as testemunhas.
  • D errou na questão da inversão da ordem das provas em audiência, bem como ao conceder prazo maior para uma das partes em detrimento das outras, ferindo o princípio da igualdade processual.
  • E errou unicamente ao conceder prazo para o ministério público, tendo em vista que somente as partes devem participar dos debates orais, cabendo ao promotor apenas manifestar-se por escrito por meio de memoriais.
32

Assinale a alternativa correta no que diz respeito à mudança de lei que rege prazos e formas recursais no curso de uma ação.

  • A A lei a regular o recurso é aquela do momento da publicação da decisão recorrível.
  • B Os prazos processuais serão contados de acordo com a lei que regulava o recurso ao tempo da propositura da ação.
  • C Se o recurso foi suprimido por lei nova, valerá o direito adquirido no momento da propositura da ação.
  • D Os prazos serão contados pela lei vigente ao tempo da propositura da ação e a forma nos termos da lei nova.
  • E Se a lei nova diminuir o prazo recursal, ainda não em curso, valerá a contagem nos termos da lei anteriormente vigente.
33

Sobre a gratuidade dos atos processuais, assinale a alternativa correta.

  • A As multas processuais impostas ao beneficiário estão afastadas pela gratuidade concedida.
  • B Vencido o beneficiário na ação, este não será condenado nas obrigações decorrentes da sucumbência.
  • C A assistência de advogado particular impede a concessão do benefício da gratuidade.
  • D O direito à gratuidade se estende ao sucessor do beneficiário em caso de seu falecimento.
  • E A gratuidade poderá ser concedida em relação a algum ou a todos os atos processuais.
34

Quanto aos prazos processuais, é correto afirmar que

  • A a Defensoria Pública terá prazo em dobro para todas as suas manifestações processuais.
  • B as fundações de direito público terão prazo em quádruplo para contestar as ações.
  • C a União terá prazo quádruplo para contestar e em dobro para recorrer.
  • D os Estados terão prazo em dobro para recorrer e simples para responder a recursos.
  • E o beneficiário da justiça gratuita terá prazo em dobro para contestar e recorrer.
35

Lucas Bastos propôs ação contra a empresa Limiar Ltda., pois teve seu nome negativado indevidamente. Requereu liminar, que foi indeferida pelo juiz de primeiro grau. Fez agravo de instrumento contra a decisão do juiz singular e requereu a declaração de efeito ativo ao recurso, pois estava pretendendo comprar uma casa e precisava de seu nome sem restrições. O relator indeferiu monocraticamente esse efeito.

Diante dessa decisão do relator, é correto afirmar que Lucas

  • A poderá manejar outro agravo de instrumento, por se tratar de decisão interlocutória que analisa tutela provisória.
  • B poderá manejar agravo retido, pois, apenas com o julgamento de outro recurso, essa situação poderá ser rediscutida.
  • C por estar diante de uma decisão irrecorrível, não tem meios de rediscutir a decisão do relator.
  • D tem como única forma recursal à sua disposição o pedido de retratação, claramente prescrito na nova sistemática processual.
  • E poderá manejar agravo interno, que é recurso cabível contra as decisões proferidas pelo relator.
36

Sobre o que dispõe a Lei n° 9.099/95, é correto afirmar:

  • A Nas causas de valor de até vinte salários-mínimos, as partes comparecerão pessoalmente, podendo ser assistidas por advogado; nas causas entre 20 e 40 salários-mínimos, a assistência de advogado é obrigatória.
  • B O menor de dezoito anos poderá ser autor, independentemente de assistência, inclusive para fins de conciliação.
  • C Nos procedimentos que tramitam perante os Juizados Especiais Cíveis, o réu, sendo pessoa jurídica ou titular de firma individual, poderá ser representado por preposto credenciado, munido de carta de preposição com poderes para transigir, havendo necessidade de vínculo empregatício.
  • D Dentre os meios de citação possíveis no âmbito dos Juizados Especiais, incluem-se: carta, oficial de justiça, edital e meios eletrônicos.
  • E Registrado o pedido, após distribuição e autuação, a Secretaria do Juizado designará a sessão de conciliação, a realizar-se no prazo de quinze dias.
37

Sobre a forma dos atos processuais, é correto afirmar que

  • A o documento em língua estrangeira poderá ser juntado aos autos independentemente de tradução em língua portuguesa firmada por tradutor juramentado.
  • B é possível lançar nos autos físicos cotas marginais e interlineares às quais o juiz mandará riscar quando não tiver autorizado, impondo, inclusive, multa de até um salário-mínimo vigente a quem as fez.
  • C os atos meramente ordinatórios, como a juntada e a vista obrigatória, dependem de despacho e devem ser revistos pelo juiz da causa.
  • D de comum acordo, o juiz e as partes podem fixar calendário para prática dos atos processuais, quando for o caso.
  • E o direito de consultar os autos do processo que tramita em segredo de justiça e de pedir certidões é restrito aos advogados das partes, pois somente esses possuem capacidade postulatória.
38

Dr. Jonas era advogado da empresa MMC Ltda. Estudioso, preparou-se com afinco para o concurso da magistratura paulista e hoje é juiz da 1ª Vara Cível da Comarca de Santos, local onde atuou como advogado durante anos. Agora, ao analisar um processo, descobriu que está sob seu julgamento um caso no qual a empresa MMC é parte.

Nesse caso, é correto afirmar que Dr. Jonas

  • A é suspeito para atuar na causa, por isso deverá reconhecer tal suspeição e remeter os autos para seu substituto legal.
  • B está apto a julgar a ação, pois o fato de ter advogado para uma das partes antes de ser juiz em nada interfere na sua atuação e imparcialidade.
  • C é impedido, e, se tal impedimento não for reconhecido de ofício, o tribunal fixará o momento a partir do qual ele não poderia ter atuado.
  • D é suspeito, pois demonstra ser interessado em julgar a causa a favor do seu ex-cliente.
  • E é impedido, e poderá alegar que seu afastamento se dará em virtude de motivos de foro íntimo, sem necessidade de declarar suas razões.
39

Determinada lide esbarra numa súmula vinculante que favorece o réu na sua interpretação. Assim, pretende o réu que essa discussão seja imediatamente solucionada, requerendo tutela provisória nesse sentido, pelas vias processuais adequadas.

Nesse caso, é correto afirmar que

  • A para que seja concedida a tutela pretendida, será necessária a presença dos requisitos da verossimilhança, da alegação e do risco de dano.
  • B o réu não tem legitimidade para requerer tutela provisória nesse caso, pois esse pedido deve ser formulado exclusivamente pelo autor dessa demanda.
  • C o réu tem interesse em pleitear a provisória de evidência, independentemente da presença dos requisitos da verossimilhança, da alegação e do risco de dano.
  • D por se tratar de assunto que deve aguardar a cognição exauriente, o pedido de tutela provisória do réu deverá ser indeferido.
  • E só será concedida a tutela caso o réu a tenha pleiteado na forma de urgência antecipada antecedente.
40

Luís ingressou com uma ação contra Mirela. Em 09.03 (sexta-feira), na audiência de instrução e julgamento, o juiz julgou a ação improcedente, saindo as partes intimadas de tal decisão nessa data. A parte sucumbente pretende recorrer da decisão do juiz.

Levando em consideração que, durante o prazo do recurso, não há qualquer feriado, é correto afirmar que

  • A Luís deverá interpor recurso de agravo de instrumento, e terá, para isso, prazo fatal até 30.03 (sexta-feira).
  • B Luís deverá interpor recurso de apelação, e terá, para isso, prazo fatal até 30.03 (sexta-feira).
  • C o recurso a ser manejado por Luís é o de agravo de instrumento, e ele terá 15 dias úteis para fazer tal peça processual, contados a partir de 09.03.
  • D Mirela deverá manejar recurso de apelação no prazo de 15 dias corridos, contados a partir de 12.03 (segunda-feira).
  • E tanto Luís quanto Mirela têm interesse de agir no recurso de apelação, e eles terão prazo comum de 15 dias úteis, contados de 12.03 (segunda-feira), para apresentar tal peça processual.

Direito Penal

41

Constituem deveres do condenado:

  • A constituição de pecúlio e poupança.
  • B obediência ao servidor e respeito a qualquer pessoa com quem deva relacionar-se.
  • C chamamento nominal do cônjuge e amigos em dias determinados
  • D retribuição ao trabalho e sua remuneração
  • E assistência material, à saúde, jurídica e educacional.

Direito Processual Penal

42

Ao Ministério Público compete, de acordo com o art. 257 do CPP, fiscalizar a execução da lei e promo­ver, privativamente, a ação penal

  • A pública.
  • B pública incondicionada, e manifestar-­se como custos legis, nas ações penais públicas condi­cionadas.
  • C privada, quando houver representação da vítima
  • D pública condicionada, e manifestar­-se como custos legis, nas ações penais públicas incondicionadas.
  • E pública e, quando houver representação da vítima, promover em seu nome a ação penal privada
43

Com relação às infrações de menor potencial ofensivo, seu processo e julgamento, é correto afirmar que

  • A além das hipóteses do Código Penal e da legislação especial, dependerá de representação a ação penal relativa aos crimes de lesões corporais dolosas de natureza grave.
  • B a citação será pessoal e far-se-á no próprio Juizado, sempre que possível, ou por edital.
  • C a competência do Juizado será determinada pelo lugar de residência do réu.
  • D se consideram infrações penais de menor potencial ofensivo, para os efeitos da Lei n.º 9.099/95, as contravenções penais e os crimes a que a lei comine pena máxima não superior a um ano, excetuados os casos em que a lei preveja procedimento especial.
  • E nos crimes em que a pena mínima cominada for igual ou inferior a um ano, abrangidas ou não pela Lei n.º 9.099/95, o Ministério Público, ao oferecer a denúncia, poderá propor a suspensão do processo, por dois a quatro anos, desde que o acusado não esteja sendo processado ou não tenha sido condenado por outro crime, presentes os demais requisitos que autorizariam a suspensão condicional da pena.
44
Na área médica a questão do sigilo profissional é extremamente sensível e obedece, assim como em outras profissões, ao previsto no Código Penal, que estabelece pena de detenção quando da sua violação. Na situação específica de intimação ou notificação para depor em juízo, o profissional deverá
  • A declarar-se impedido e não comparecer para prestar depoimento.
  • B restar depoimento, revelando apenas fatos que não comprometam suas habilidades profissionais.
  • C responder ao inquérito sem omitir informações em virtude do caráter legal da intimação.
  • D em nenhuma hipótese, revelar segredo de que tem ciência em função da profissão.
  • E comparecer e declarar-se impedido de prestar depoimento em razão de sigilo profissional.
45

O juiz não poderá exercer jurisdição no processo em que

  • A ele próprio ou seu cônjuge ou parente, consanguíneo ou afim, em linha reta ou colateral até o quinto grau, inclusive, for parte ou diretamente interessado no feito.
  • B ele não houver funcionado como defensor ou advogado, órgão do Ministério Público, autoridade policial, auxiliar de justiça, perito ou servido como testemunha.
  • C tiver funcionado seu cônjuge ou parente, consanguíneo ou afim, em linha reta ou colateral até o quinto grau, inclusive, como defensor ou advogado, órgão do Ministério Público, autoridade policial, auxiliar de justiça ou perito.
  • D tiver funcionado como juiz de outra instância, pronunciando-se, de fato ou de direito, sobre a questão.
  • E ele próprio ou seu cônjuge ou parente, consanguíneo ou afim, em linha reta ou colateral até o quarto grau, inclusive, for parte ou diretamente interessado no feito.
46

Estabelece o CPP em seu art. 353 que, quando o réu estiver fora do território da jurisdição do juiz processante, será citado mediante

  • A precatória.
  • B carta com aviso de recebimento, “de mão própria”.
  • C edital.
  • D videoconferência.
  • E qualquer meio que o juiz entenda idôneo.

Direito Penal

47

A execução penal tem por objetivo efetivar as disposições de sentença ou decisão criminal com o fim de

  • A obter a cooperação da comunidade nas atividades de execução da pena e da medida de segurança.
  • B classificar os condenados segundo os seus antecedentes e personalidade para orientar a individualização da execução penal.
  • C aplicar-se unicamente ao preso provisório e ao condenado pela Justiça Eleitoral ou Militar.
  • D proporcionar condições para a harmônica integração social do condenado e do internado.
  • E assegurar ao condenado e ao internado todos os direitos atingidos pela sentença ou pela lei.
48

O trabalho do condenado, como dever social e condição de dignidade humana, terá finalidade

  • A educativa e produtiva.
  • B de apoio para obtenção de alojamento e alimentação.
  • C curativa, apesar de não ser obrigatória
  • D de orientação e apoio para reintegrá-lo à vida em liberdade.
  • E de entretenimento e apoio psicológico.

Direito Processual Penal

49

No tocante aos recursos, assinale a alternativa correta.

  • A O recurso será interposto por petição ou por termo nos autos, assinado pelo recorrente ou por seu representante.
  • B Caberá recurso, no sentido estrito, da decisão que receber a denúncia ou a queixa.
  • C Caberá apelação no prazo de 20 (vinte) dias das sentenças definitivas de condenação ou absolvição proferidas por juiz singular.
  • D O Ministério Público somente poderá desistir do recurso que haja interposto.
  • E Dentro de dez dias, contados da interposição do recurso, no sentido estrito, o recorrente oferecerá as razões e, em seguida, será aberta vista ao recorrido por igual prazo.
50

Nos termos do quanto expressamente prescreve o art. 366 do CPP, se o acusado, citado por edital, não comparecer nem constituir advogado, ficarão suspensos o processo e o curso do prazo prescricional, podendo o juiz determinar a produção antecipada das provas consideradas urgentes. Nessa hipótese, presentes os requisitos atinentes à respectiva modalidade detentiva e com base unicamente no dispositivo de lei citado, está autorizado o juiz a decretar a prisão do acusado?

  • A Sim, desde que o acusado já tenha sido anteriormente condenado por outro crime.
  • B Não, nunca.
  • C Sim, a prisão preventiva.
  • D Sim, a prisão temporária.
  • E Sim, desde que o crime seja inafiançável.

Direito Constitucional

51

Assinale a alternativa que contempla corretamente um di­reito garantido expressamente pela Constituição Federal.

  • A Inviolabilidade do sigilo de correspondência e das co­municações telefônicas, salvo, no primeiro caso, por ordem judicial, para fins de investigação criminal ou instrução processual penal.
  • B Inviolabilidade do domicílio, impedindo que alguém nele possa entrar sem consentimento do morador, sal­vo para prestar socorro, ou, durante o dia ou à noite, por determinação judicial.
  • C Livre exercício dos cultos religiosos e garantia, na forma da lei, da proteção aos locais de culto e a suas liturgias.
  • D Direito de reunião pacífica, sem armas, em locais abertos ao público, desde que obtida prévia auto­rização do poder público e desde que não frustre outra reunião anteriormente convocada para o mesmo local.
  • E Manifestação livre do pensamento, com respectiva garantia do anonimato.
52

Levando-se em conta o que dispõe a Constituição Federal, assinale a alternativa correta.

  • A É inviolável o sigilo da correspondência e das comunicações telegráficas, de dados e das comunicações telefônicas, salvo, no último caso, por ordem judicial, nas hipóteses e na forma que a lei estabelecer para fins de investigação criminal ou instrução processual civil ou penal.
  • B É livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, salvo censura ou licença.
  • C É livre o exercício de qualquer trabalho, ofício ou profissão, sendo vedado à lei condicioná-lo a qualificações profissionais.
  • D As associações poderão ter suas atividades suspensas por decisão judicial, ainda que não transitada em julgado.
  • E É plena a liberdade de associação, inclusive a de caráter paramilitar, desde que para fins lícitos.
53

Considere a seguinte situação hipotética: Cidadão de Barueri pleiteia licença para realizar reforma e construção em imóvel de que é proprietário, mas a Municipalidade rejeita seu pleito. Entendendo o Cidadão que preenche todos os requisitos que o habilitam a reformar e construir em sua propriedade, apresenta recurso do indeferimento. Passam-se mais de 120 (cento e vinte) dias e não há resposta ao recurso. Neste caso, diante da omissão da Municipalidade, o Cidadão pode demandar a análise do caso pelo Poder Judiciário, por meio de

  • A ação popular.
  • B mandado de injunção.
  • C mandado de segurança.
  • D habeas corpus.
  • E habeas data.
54

Determinado Prefeito Municipal pretende criar um Tribunal de Contas no Município para melhor fiscalizar as contas do Executivo e do Legislativo. Conforme reza a Constituição Federal, essa pretensão do Prefeito

  • A não poderá ser concretizada, pois a Constituição veda a criação de Tribunais, Conselhos ou órgãos de Contas Municipais.
  • B é viável e poderá ser concretizada, pois atende aos princípios constitucionais da Administração Pública, em especial o da moralidade.
  • C poderá ser concretizada, desde que por meio de projeto de lei complementar a ser apreciado e aprovado pela Câmara de Vereadores.
  • D não poderá ser aprovada, uma vez que não é admitida a criação de Tribunais de Contas Municipais, mas apenas de Conselho de Contas.
  • E poderá ser viabilizada por meio de projeto de lei ordinária, mas apenas para fiscalizar as contas do Executivo, e não do Legislativo.
55

Sobre os Direitos e Garantias Fundamentais estabelecidos na Constituição Federal, pode-se afirmar corretamente que

  • A a prisão ilegal será imediatamente relaxada pela autoridade administrativa competente.
  • B o Brasil se submete à jurisdição de Tribunal Penal Internacional a cuja criação tenha manifestado adesão.
  • C é livre a criação de mais de uma organização sindical, em qualquer grau, representativa de categoria profissional ou econômica, na mesma base territorial.
  • D nas empresas com menos de duzentos empregados, é assegurada a eleição de três representantes destes com a finalidade exclusiva de promover-lhes o entendimento direto com os empregadores.
  • E são privativos de brasileiros natos ou naturalizados os cargos de Presidente e Vice-Presidente da República, de carreira diplomática e de Ministros do Supremo Tribunal Federal.
56

Sansão Herculano, brasileiro, médico veterinário, maior de idade, foi preso em flagrante delito e levado à Delegacia de Polícia. Segundo o que estabelece a Constituição Federal, Sansão tem os seguintes direitos:

  • A a assistência da família e de um advogado, cela especial por ter curso superior e uma ligação telefônica para pessoa por ele indicada.
  • B ser criminalmente identificado, mesmo se possuir identificação civil, cela especial em razão de ter curso superior e assistência de um advogado.
  • C avistar-se pessoalmente com o promotor de justiça, entrar em contato com uma pessoa da família ou quem ele indicar e assistência de um advogado ou defensor público.
  • D relaxamento imediato de sua prisão se ela foi ilegal, permanecer calado e cela especial privativa.
  • E permanecer calado, identificação dos responsáveis por sua prisão e que o juiz e sua família sejam imediatamente comunicados sobre sua prisão.
57

Nos termos da Constituição Federal, os policiais militares estaduais têm, entre suas funções,

  • A a segurança nacional, se o caso.
  • B a garantia dos poderes constitucionais.
  • C a preservação da ordem pública.
  • D a de polícia judiciária.
  • E a apuração de infrações penais.
58
O Presidente da República possui normas constitucionais específicas que definem a sua responsabilidade política e criminal. No caso da caracterização de cometimentos de crimes comuns pelo ocupante do mais alto cargo do Estado, ele deverá ser julgado pelo:
  • A Senado Federal.
  • B Congresso Nacional.
  • C Tribunal Penal Especial.
  • D Supremo Tribunal Federal.
59

Considerando o disposto na Constituição Federal sobre os direitos e garantias fundamentais, assinale a alternativa correta.

  • A Todos podem reunir-se pacificamente, sem armas, em locais abertos ao público, desde que obtida prévia autorização do delegado de polícia e não frustrem outra reunião anteriormente convocada para o mesmo local
  • B É reconhecida a instituição do júri, com a organização que lhe der a lei, assegurada a competência para o julgamento dos crimes dolosos e culposos contra a vida.
  • C A lei considerará crimes inafiançáveis e insuscetíveis de graça ou anistia, entre outros, a prática da tortura e o tráfico ilícito de entorpecentes e drogas afins
  • D É inviolável o sigilo da correspondência e das comunicações telegráficas, de dados e das comunicações telefônicas, salvo, no último caso, por ordem do juiz ou do promotor de justiça, na forma da lei.
  • E A casa é asilo inviolável do indivíduo, ninguém nela podendo penetrar sem consentimento do morador, salvo em caso de flagrante delito ou desastre, ou para prestar socorro, ou, durante à noite, por determinação judicial.
60

Considerando o disposto na Carta Magna brasileira a respeito da Ordem Social, assinale a alternativa correta.

  • A As instituições privadas poderão participar de forma complementar do Sistema Único de Saúde, segundo diretrizes deste, mediante contrato de direito privado ou convênio, tendo preferência as entidades que já recebam subsídios governamentais.
  • B A lei disporá sobre as condições e os requisitos que facilitem a remoção de órgãos, tecidos e substâncias humanas para fins de transplante, pesquisa e tratamento, bem como a coleta, processamento e transfusão de sangue e seus derivados, devendo a comercialização ser disciplinada por lei federal, exclusivamente, para fins científicos.
  • C A Floresta Amazônica brasileira, a Mata Atlântica, a Serra do Mar, o Pantanal Mato-Grossense e a Zona Costeira são patrimônio nacional, e sua utilização far- se-á, na forma da lei, dentro de condições que assegurem a preservação do meio ambiente, inclusive quanto ao uso dos recursos naturais.
  • D É obrigatório aos Estados e ao Distrito Federal vincular parcela de sua receita orçamentária a entidades públicas de fomento ao ensino e à pesquisa científica e tecnológica.
  • E São indisponíveis as terras devolutas ou arrecadadas pelos Estados, por ações discriminatórias, necessárias à proteção dos assentamentos de colonos e aquelas
    tradicionalmente ocupadas pelos índios.

Direito Administrativo

61

A propósito da licitação, considerando o disposto na Lei n.º 8.666/93, é correto afirmar que

  • A deve ser utilizada para todas as compras do setor público, exceto quando realizadas pelas fundações e autarquias.
  • B é exigida dos entes públicos para contratação de obras e serviços quando contratados com terceiros, mas pode ser dispensada em algumas hipóteses previstas em lei.
  • C não será exigida, em regra, mas se o administrador entender conveniente e oportuna, deve ser feita pela Administração para as suas compras.
  • D não será exigida, em regra, mas se o administrador entender conveniente e oportuna, deve ser feita pela Administração para contratação de serviços.
  • E quem decide sobre a sua necessidade ou a sua dispensa é a autoridade responsável pelo setor de compras e serviços da respectiva repartição pública.
62

No tocante ao princípio da publicidade previsto na Constituição Federal, é correto afirmar que

  • A a mera notícia veiculada pela imprensa substitui a publicidade no órgão oficial, obrigando a Administração Pública e os interessados.
  • B a publicidade não poderá ser empregada como instrumento de propaganda pessoal de agentes públicos.
  • C veda toda e qualquer declaração de sigilo pela Administração Pública, inclusive pelo Poder Judiciário.
  • D a presunção de conhecimento pelos interessados não é considerada um de seus efeitos.
  • E obriga a publicação de todos os atos e contratos celebrados pela Administração Pública, inclusive os relacionados à atividade de segurança nacional.
63

Assinale a alternativa que contempla somente órgãos da Administração Direta do Estado.

  • A Sociedade de economia mista, secretaria estadual e universidade estadual.
  • B Agência reguladora, Presidência da República e Congresso Nacional.
  • C Secretaria estadual, polícia civil e polícia militar.
  • D Escola pública, universidade estadual e empresa pública.
  • E Autarquia, ministério e fundação.
64

A diferença entre anulabilidade e nulidade nos atos administrativos baseia-se, quase que exclusivamente, na possibilidade de

  • A aplicação do princípio da demanda.
  • B confirmação da iniciativa da parte.
  • C vício da forma.
  • D convalidação.
  • E desvio de finalidade.
65

Suponha que Secretário da Fazenda de um estado qualquer da Federação aceite exercer, nas horas vagas, concomitantemente ao exercício do cargo público, atividades de consultoria a empresas sujeitas ao recolhimento do ICMS, tributo estadual. Nesse caso, à luz do previsto na Lei Federal n° 8.429/92, a conduta descrita pode ser considerada

  • A ato de improbidade administrativa que atenta contra os princípios da Administração Pública.
  • B ato de improbidade administrativa que importa enriquecimento ilícito.
  • C indiferente, pois não caracteriza nenhuma das hipóteses de ato de improbidade administrativa previstas.
  • D ato de improbidade administrativa decorrente de concessão ou aplicação indevida de benefício financeiro ou tributário.
  • E ato de improbidade administrativa que causa prejuízo ao Erário.
66

Paulo é servidor da UFRJ e, nos últimos doze meses, faltou quarenta e sete dias, alternadamente, sem apresentar justificativa. Para efeito de aplicação das regras contidas no regime disciplinar dos servidores públicos federais, considera-se inassiduidade habitual a falta ao serviço, sem causa justificada, por:

  • A cinquenta dias, consecutivamente, durante o período de doze meses.
  • B trinta dias, interpoladamente, durante o período de doze meses.
  • C sessenta dias, consecutivamente, durante o período de doze meses.
  • D sessenta dias, interpoladamente, durante o período de doze meses.
  • E trinta dias, consecutivamente, durante o período de doze meses.
67

Após cada decêndio ininterrupto de efetivo exercício prestado à administração direta, às autarquias e fundações do Estado do Espírito Santo, o servidor público em atividade terá direito a um adicional de assiduidade, em caráter permanente, a um percentual sobre o vencimento básico do cargo, respeitado o limite estabelecido em lei, correspondente a

  • A 2%.
  • B 3%.
  • C 5%.
  • D 7%.
  • E 10%.
68

Assinale a alternativa que contempla os dois tipos de contratos que podem ser firmados pelos entes consorciados, conforme expressamente previsto na Lei n.º 11.107/2005.

  • A De rateio e de convênio.
  • B De programa e de rateio.
  • C De gestão e de gerenciamento.
  • D De parceria e de gestão.
  • E De administração e de gerenciamento.
69

Em uma repartição pública federal, servidor público que tenha o seu cônjuge sob sua chefia imediata, segundo o disposto na Lei n.º 8.112/90, caracterizará uma relação funcional

  • A proibida por lei.
  • B permitida legalmente.
  • C permitida legalmente apenas se os cargos de ambos forem cargos em comissão.
  • D proibida por lei apenas se um dos cargos for cargo em comissão.
  • E permitida legalmente apenas se os cargos de ambos forem estatutários.
70
Assinale a alternativa que menciona, correta e respectivamente, entidades da administração indireta e da administração direta da União.
  • A Autarquias e Ministérios.
  • B Fundações Públicas e Agências Reguladoras.
  • C Casa Civil e Sociedades de Economia Mista.
  • D Secretaria de Relações Institucionais e Autarquias.
  • E Ministérios e Casa Civil.

Matemática

71

Planejando uma operação de policiamento ostensivo, um oficial desenhou em um mapa três círculos concêntricos de centro P, conforme mostrado na figura.



Sabe-se que as medidas dos raios r, r 1 e r 2 estão, nessa ordem, em progressão geométrica. Se r + r 1 + r 2 = 52 cm, e r . r 2 = 144 cm, então r + r 2 é igual, em centímetros, a

  • A 36.
  • B 38.
  • C 39.
  • D 40.
  • E 42.
72
Trabalhando um determinado número de horas por dia, 16 máquinas iguais produzem 600 unidades de um mesmo produto, em 5 dias. Com o mesmo número de horas diárias de trabalho, 4 das mesmas máquinas irão produzir, em 8 dias, um número de unidades desse produto igual a
  • A 180.
  • B 240.
  • C 300.
  • D 420.
  • E 560.
73

Uma professora tinha certa quantidade de provas para corrigir. Reuniu todas em uma pasta e iniciou a correção. Corrigiu inicialmente 16 provas e, num segundo momento, corrigiu 3/4 das restantes. Fez uma pausa e, em seguida, corrigiu as últimas 15 provas, concluindo o serviço. O número total de provas que estavam na pasta e foram corrigidas pela professora é

  • A 80.
  • B 78.
  • C 76.
  • D 72.
  • E 68.
74

Uma academia de ginástica colocou uma faixa horizontal de azulejos azuis (Az) e amarelos (Am), cada um com 4 cm de largura, em uma parede com 6 m de comprimento, conforme mostra a figura.





Sabendo que os azulejos dessa faixa manterão sempre a mesma ordem de cores dos seis primeiros, isto é, iniciando com quatro azulejos azuis, seguidos de dois azulejos amarelos, e desprezando-se o espaço do rejunte entre os azulejos, é correto afirmar que o número de azulejos amarelos colocados nessa parede foi


  • A 55.
  • B 50.
  • C 60.
  • D 65.
  • E 45.
75

Para cavar um túnel, 30 homens demoraram 12 dias. Vinte homens, para cavar dois túneis do mesmo tamanho e nas mesmas condições do primeiro túnel, irão levar

  • A 36 dias.
  • B 38 dias.
  • C 40 dias.
  • D 42 dias.
  • E 44 dias.
76

O preço de um livro é R$ 50,00 à vista, em dinheiro. Pagando com cheque pré-datado, esse preço aumenta em 3% e, se parcelado no cartão de crédito, esse valor aumenta em 10%.

A diferença entre o pagamento parcelado no cartão ou o pagamento em cheque é de

  • A R$ 3,50.
  • B R$ 3,75.
  • C R$ 4,00.
  • D R$ 4,25.
  • E R$ 4,50.
77

Uma pesquisa realizada pelo Instituto de Segurança no Trânsito, com 1 500 pessoas, revelou que um em cada cinco pesquisados já sofreu algum acidente de trânsito. Tendo como universo o número de pessoas pesquisadas, é correto afirmar que a diferença entre o número de pessoas que não sofreram acidente de trânsito e o número de pessoas que sofreram esse tipo de acidente, nessa ordem, é

  • A 700.
  • B 750.
  • C 800.
  • D 850.
  • E 900.
78

Cláudio fez um acordo com sua mãe no qual ele receberia todo mês 50% da quantia que guardasse. Sabendo-se que ele não gastou esse dinheiro e que após 3 meses possuía R$ 405,00, então a quantia que Cláudio tinha inicialmente era

  • A R$ 100,00
  • B R$ 110,00.
  • C R$ 120,00.
  • D R$ 150,00.
79
Em um laboratório, no preparo de certo produto químico, são utilizadas duas substâncias, A e B, na razão de 200 mL de A para 500 mL de B. Sabendo que esse laboratório dispõe de 1,2 litro da substância A e 3,2 litros da substância B, é correto concluir que o número máximo de litros desse produto químico que poderão ser preparados é
  • A 3,4.
  • B 4,0.
  • C 3,6.
  • D 3,8.
  • E 4,2.
80

Em uma empresa há duas salas, A e B, ambas retangulares, cujas dimensões estão indicadas nas figuras.


Sabendo que a área da sala B é 50% maior que a área da sala A, então o perímetro da sala B supera o perímetro da sala A em
  • A 4,4 m.
  • B 4,6 m.
  • C 4,8 m.
  • D 5,0 m.
  • E 5,2 m.

Noções de Informática

81

Um usuário do MS­Excel 2010 (versão para a língua portuguesa), em sua configuração padrão, elaborou uma planilha e protegeu todas suas células para que outros usuários não as alterem. Caso algum usuário deseje remover essa proteção, ele deve

  • A selecionar a aba Proteção do Menu, clicar no íco­ne Desbloquear Planilha do grupo Proteção.
  • B selecionar a aba Proteção do Menu, clicar no íco­ne Senha de Desproteção do grupo Proteção e digitar a senha solicitada.
  • C selecionar a aba Revisão do Menu, clicar no íco­ne Destravar Planilha do grupo Proteção.
  • D selecionar a aba Revisão do Menu, clicar no íco­ne Desproteger Planilha do grupo Alterações e digitar a senha solicitada.
  • E ter privilégios de Administrador quando da aber­tura do arquivo.
82

Observe a figura inserida em um slide do MS-PowerPoint 2010, em sua configuração original:



Assinale a alternativa que mostra a nova disposição da figura logo após o usuário clicar em Inverter horizontalmente no grupo Organizar da guia de opções Formatar.

  • A
  • B
  • C
  • D
  • E
83
Uma senha serve para autenticar uma conta, ou seja, é usada no processo de verificação da sua identidade,assegurando que você é realmente quem diz ser e que possui o direito de acessar o recurso em questão. É um dos principais mecanismos de autenticação usados na internet devido, principalmente, à simplicidade que possui. São consideradas boas práticas de segurança para protegê‐la, EXCETO:
  • A Criar uma senha forte e utilizá-la para assuntos pessoais e profissionais.
  • B Certificar-se de encerrar uma sessão ao acessar sites que requeiram uso de senhas.
  • C Certificar-se do uso de serviços criptografados quando o acesso a um site envolver fornecimento de senha.
  • D Utilizar a verificação em duas etapas, pois adiciona uma segunda camada de proteção no acesso a uma conta.
84

Augusto, no exercício do cargo de Técnico Judiciário, recebeu uma ordem de seu superior imediato solicitando a elaboração de um relatório no Microsoft Word 2007. Segundo as ordens recebidas, o documento elaborado contemplará diversas informações, dentre elas uma planilha construída no Microsoft Office Excel 2007 (idioma Português Brasil). Por fim, Augusto deverá enviar o e-mail à Secretaria do Tribunal, utilizando na mensagem o recurso de confirmação de entrega.

No desenvolvimento do relatório, Augusto se deparou com a necessidade de destacar um trecho do Código de Processo Civil que foi revogado. Usualmente, tal trecho de lei é apresentado conforme o seguinte exemplo: “TRECHO REVOGADO”. O recurso de formatação utilizado no exemplo, que se encontra na guia “Fonte”, foi o

  • A sobrescrito.
  • B tachado.
85

O usuário Mateus recebeu uma mensagem de correio eletrônico com as seguintes características:

De: guilherme@vunesp.com.br

Para: gustavo@vunesp.com.br

C/C: mateus@vunesp.com.br

Assunto: Resolução de Pendências

Anexo: PENDENCIAS.TXT

Assinale a alternativa que apresenta o resultado correto quando Mateus clica em Encaminhar.

  • A O anexo PENDENCIAS.TXT é mantido na nova mensagem.
  • B A nova mensagem já aparece com o campo Para preenchido com guilherme@vunesp.com.br, e o campo C/C fica em branco.
  • C A nova mensagem já aparece com o campo Para preenchido com guilherme@vunesp.com.br, e o campo C/C fica preenchido com gustavo@vunesp.com.br.
  • D A nova mensagem não contém nenhum anexo.
  • E A nova mensagem aparece com o campo assunto em branco.
86

Observe as imagens a seguir, contendo ícones de atalhos do MS­Windows 7, em sua configuração padrão.

Assinale a alternativa que identifica corretamente apenas os aplicativos acessórios exibidos nas imagens.

  • A Windows Media Center e Paint.
  • B Windows Media Player e Windows Media Center
  • C Bloco de Notas e Windows Media Player.
  • D Bloco de Notas e Notas Autoadesivas.
  • E Notas Autoadesivas e Wordpad.
87

A imagem a seguir mostra uma planilha sendo editada por meio do MS-Excel 2010, em sua configuração padrão.



Assinale a alternativa que contém o valor que será exibido na célula C4 após ser preenchida com a fórmula =MÉDIA(A1:C3)


  • A 1
  • B 2
  • C 3
  • D 4
  • E 5
88

Assinale a alternativa que possui três protocolos referentes à camada de aplicação do modelo OSI da ISO.

  • A RTP, HTTP, IP
  • B TCP, UDP, RTP
  • C OSPF, IP, MPLS
  • D HTTP, FTP, DNS
89

Para responder à questão, observe a Biblioteca Imagens a seguir, extraída do MS-Windows 7, em sua configuração padrão, na qual o usuário pode ver a extensão dos arquivos.



Biblioteca Imagens

Amostras de Imagens

Crisântemo.jpg Deserto.jpg

Água-viva.jpg Hortência.jpg

Farol.jpg Coala.jpg

Tulipas.jpg Pinguins.jpg

O modo de exibição utilizado na Biblioteca Imagens apresentada na figura é o

  • A Lado a Lado.
  • B Conteúdo.
  • C Ícones Médios.
  • D Ícones Pequenos.
  • E Detalhes.
90

A partir do Microsoft Excel 2010, em sua configuração original, assinale a alternativa que apresenta o resultado correto da fórmula =2*5+5*2-2

  • A 0
  • B 10
  • C 18
  • D 28
  • E 38

Raciocínio Lógico

91

Três irmãos receberam de seus tios o total de R$ 897,00 e decidiram dividir esse valor entre eles de modo que a razão entre as partes recebidas pelos dois irmãos mais velhos fosse de 9 para 10 e as partes recebidas pelos dois irmãos mais novos fosse de 10 para 11, com o irmão mais velho ficando com a maior parte e o irmão mais novo com a menor.

A diferença entre a maior e menor parte dessa partilha é igual a

  • A R$ 57,00.
  • B R$ 60,00.
  • C R$ 63,00.
  • D R$ 66,00.
  • E R$ 69,00.
92

Considere que, do total de 2 000 autos de apreensão lavrados em um determinado período, 600 tenham sido lavrados na Região Oeste. Dessa forma, o número de autos de apreensão lavrados na Região Oeste, em relação ao número total de autos lavrados no referido período, corresponde a

  • A 45%.
  • B 40%.
  • C 35%.
  • D 30%.
  • E 25%.
93
Em uma construção, 80 trabalhadores demoram 32 minutos para assentar 640 tijolos. O número de trabalhadores necessários para assentar 500 tijolos em 20 minutos é
  • A 80.
  • B 90.
  • C 100.
  • D 120.
94

Em determinado evento, a razão entre o número de homens e o número de mulheres, nessa ordem, pode ser representada por 0,2. Sabendo-se que o número total de pessoas presentes nesse evento é 3 000, pode-se afirmar, corretamente, que o número de mulheres é

  • A 750
  • B 1 175
  • C 1 500.
  • D 2 395.
  • E 2 500.
95

Uma cooperativa de lavradores recebeu uma certa quantia em dinheiro para a realização de um serviço. Foram designados n trabalhadores para o serviço, que dividiram igualmente entre si todo o dinheiro recebido. Caso 3 trabalhadores a mais tivessem sido designados para o serviço, o valor pago por trabalhador teria sido R$ 66,00 a menos. Caso 2 trabalhadores a menos tivessem sido designados, o valor por trabalhador seria R$ 66,00 a mais. O número n de trabalhadores designados para o serviço foi

  • A 9.
  • B 11.
  • C 12.
  • D 14.
  • E 15.
96

Se Cássia é tia, então Alberto não é tio. Se Cláudio é tio, então Wiliam é pai. Verifica-se que Alberto e Cláudio são tios. Conclui-se, de forma correta, que

  • A Wiliam não é pai e Cássia é tia.
  • B se Wiliam é pai, então Cássia é tia.
  • C se Cássia não é tia, então Wiliam não é pai.
  • D Cássia é tia e Wiliam é pai.
  • E Cássia não é tia e Wiliam é pai.
97

Observe as seis primeiras figuras de uma sequência, que é ilimitada, ordenada e seu padrão de formação permanece constante.



A 12a figura dessa sequência é

  • A
  • B
  • C
  • D
  • E
98
Das alternativas a seguir, assinale aquela em que a equação de 2º grau apresenta duas raízes reais e iguais. 
  • A x² – 2x – 1 = 0.
  • B x² – 4x – 4 = 0.
  • C x² – 9x – 7 = 0.
  • D –x² – x – 1 = 0.
99

Se Débora é mãe de Hugo, então Marcelo é baixo. Se Carlos não é filho de Débora, então Neusa não é avó dele. Sabendo-se que Marcelo é alto ou que Neusa é avó de Carlos, conclui-se corretamente que

  • A Hugo e Carlos são irmãos.
  • B Débora não é mãe de Hugo, e Carlos é filho de Débora.
  • C Hugo e Carlos não são irmãos.
  • D Débora não é mãe de Hugo, ou Carlos é filho de Débora.
  • E Neusa é mãe de Débora.
100

O time de Rogério já venceu 12 partidas das 19 que disputou. Até o fim do campeonato, seu time irá jogar mais 13 vezes e para que o total de vitórias seja no mínimo 75%, o número máximo de empates ou derrotas que seu time poderá ter, nos jogos que ainda jogará, é

  • A 1.
  • B 2.
  • C 3.
  • D 4.
  • E 5.
Voltar para lista