Resolver o Simulado Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP) - Escrevente Técnico Judiciário - VUNESP - Nível Médio

0 / 100

Português

1

Leia o texto para responder à questão.

Esqueça os livros de autoajuda. A grande sensação do mercado editorial no momento é O jardim secreto: livro de colorir e caça ao tesouro antiestresse, da britânica Johanna Basford. O sucesso por aqui acompanha os números registrados em outros países: na Amazon, O jardim secreto é o mais vendido na categoria livros.
Diferentemente dos livros infantis, os de adultos têm padrões mais complexos, com temas que variam de jardins a mandalas. Para explicar o sucesso que eles fazem, há uma tese que, por enquanto, parece ser a mais aceita: a de que eles funcionam como uma espécie de “detox", uma válvula de escape para rotinas estressantes. Ao se concentrarem em colorir direito e em escolher as cores, as pessoas, de fato, parecem esquecer os problemas do dia. Além disso, o sentimento de orgulho ou satisfação por completar a pintura e observar como ficou bonita é também outra explicação possível, já que os livros ativam o circuito de recompensa do cérebro, o sistema responsável pela sensação de prazer. Se estimulado, ele libera dopamina, um neurotransmissor que provoca o sentimento de bem-estar. Quando se trabalha com cores, o resultado é ainda melhor, porque elas podem provocar diversas sensações, como calor, frio e tranquilidade.
Embora causem uma sensação de prazer e bem-estar, os livros não podem ser encarados como terapia, conforme explicam os arteterapeutas Ana Carmen Nogueira e Alexandre Almeida. “Na arteterapia, há um assunto específico a ser trabalhado e usamos diferentes linguagens, como pintura ou desenho, para que a pessoa possa se expressar. Os livros de colorir não são terapia, mas são relaxantes porque ajudam a proporcionar um momento de pura concentração", afirmam. Ou seja, os livros podem até funcionar como um analgésico para situações de estresse, mas não têm nenhum poder milagroso para curar problemas como depressão e ansiedade.
(Galileu, maio de 2015. Adaptado)
Os termos em destaque estão corretos, quanto ao emprego do modo verbal e da regência nominal, respectivamente, em:
  • A Ainda que atuam como analgésicos em situações de estresse, os livros não estão aptos a cura de depressão e ansiedade.
  • B Ainda que atuem como analgésicos em situações de estresse, os livros não estão aptos na cura de depressão e ansiedade.
  • C Ainda que atuem como analgésicos em situações de estresse, os livros não estão aptos da cura de depressão e ansiedade.
  • D Ainda que atuam como analgésicos em situações de estresse, os livros não estão aptos em cura de depressão e ansiedade.
  • E Ainda que atuem como analgésicos em situações de estresse, os livros não estão aptos à cura de depressão e ansiedade.
2

Afinal, quem é louco?

Existem dois tipos de loucos. O louco propriamente dito e o que cuida do louco: o analista, o terapeuta, o psicólogo e o psiquiatra. Sim, somente um louco pode se dispor a ouvir a loucura de seis ou oito outros loucos todos os dias, meses, anos. Se não era louco, ficou.
Durante mais de 40 anos passei longe deles. Mas o mundo gira, a lusitana roda e Portugal me entortou um bocado a cabeça. Pronto, acabei diante de um louco, contando as minhas loucuras acumuladas. Confesso, como louco confesso, que estou adorando esta loucura semanal.
O melhor na terapia é chegar antes, alguns minutos, e ficar observando os meus colegas loucos na sala de espera.Onde faço a minha terapia é uma casa grande com oito loucos analistas. Portanto, a sala de espera sempre tem três ou quatro, ali, ansiosos, pensando na loucura que vão dizer daqui a pouco. Ninguém olha para ninguém. O silêncio é uma loucura.
E eu, como escritor, adoro observar as pessoas, imaginar os nomes, a profissão, quantos filhos têm, se são rotarianos ou leoninos, corintianos ou palmeirenses. Acho que todo escritor gosta deste brinquedo, no mínimo, criativo.
E a sala de espera de um consultório médico, como diz a atendente absolutamente normal (apenas uma pessoa normal lê tanto Herman Hesse como ela), é um prato cheio para um louco escritor como eu. Senão, vejamos:
Na última quarta‐feira, estávamos eu, um crioulinho muito bem vestido, um senhor de uns cinquenta anos e uma velha gorda. Comecei, é claro, imediatamente a imaginar qual era a loucura de cada um deles. Que motivos os teriam trazido até ali? Qual seria o problema de cada um deles? Não foi difícil, porque eu já partia do princípio que todos eram loucos, como eu. Senão não estariam ali, tão cabisbaixos e ensimesmados. Em si mesmos.
O pretinho, por exemplo. Claro que a cor, num país racista como o nosso, deve ter contribuído muito para levá‐lo até aquela poltrona de vime. Deve gostar de uma branca, e os pais dela não aprovam o casamento, pensei. (...) Notei que o tênis dele estava um pouco velho. Problema de ascensão social, com certeza. O olhar dele era triste, cansado. Comecei a ficar com pena dele. Depois notei que ele trazia uma mala. Podia ser o corpo da namorada esquartejada lá dentro. Talvez apenas a cabeça. Devia ser um assassino, ou suicida, no mínimo. Podia ter também uma arma lá dentro.Podia ser perigoso. Afastei‐me um pouco dele no sofá. Ele dava olhadas furtivas para dentro da sua mala assassina.
E o senhor de terno preto, gravata, meia e sapatos também pretos? Como ele estava sofrendo, coitado. Ele disfarçava, mas notei que tinha um pequeno tique no olho esquerdo. (...) Observo as mãos. Roía as unhas. Insegurança total, medo de viver. Filho drogado? Bem provável. Como era infeliz este meu personagem. Uma hora tirou o lenço, e eu já estava esperando as lágrimas quando ele assoou o nariz violentamente, interrompendo o Herman Hesse da outra. Faltava um botão na camisa. Claro, abandonado pela esposa. Devia morar num flat, pagar caro, devia ter dívidas astronômicas. (...)
Mas a melhor, a mais doida, era a louca gorda e baixinha. Que bunda imensa! Como sofria, meu Deus. Bastava olhar no rosto dela. (...) Tirou um terço da bolsa e começou a rezar. Meu Deus, o caso é mais grave do que eu pensava. Estava no quinto cigarro em dez minutos. Tensa. Coitada. O que deve ser dos filhos dela? Acho que os filhos não comem a macarronada dela há dezenas e dezenas de domingos. Tinha cara também de quem tinha uma prisão de ventre crônica. Tinha cara, também, de quem mentia para o analista. Minha mãe rezaria uma Salve‐Rainha por ela, se a conhecesse.
Acabou o meu tempo. Tenho que ir conversar com o meu terapeuta. Conto para ele a minha viagem na sala de espera. Ele ri, ri muito, o meu terapeuta:
– O Ditinho é o nosso office‐boy. O de terno preto é representante de um laboratório multinacional de remédios lá do Ipiranga, e passa por aqui uma vez por mês com as novidades. E a gordinha é a dona Dirce, a minha mãe. E você não vai ter alta tão cedo.

(Disponível em: http://marioprata.net/cronicas/afinal_quem‐e‐louco. Adaptado.)
“Uma hora tirou o lenço, e eu já estava esperando as lágrimas quando ele assoou o nariz violentamente, interrompendo o Herman Hesse da outra. ( 8º§). Por um recurso anafórico, o termo destacado refere‐se à:
  • A namorada branca do pretinho.
  • B mulher do senhor de terno preto.
  • C atendente do consultório médico.
  • D consequência.
3

Analise a charge.

  • A aos especialistas da área e informa sobre os procedimentos governamentais para promover modificações na infraestrutura econômica do país.
  • B às pessoas que desconhecem economia e evidencia a importância de infraestrutura sólida para se garantir competitividade financeira em qualquer setor.
  • C ao público em geral e mostra o ambiente igualitário em que se processa a competitividade financeira entre as nações.
  • D aos economistas ortodoxos e apresenta um painel que revela a discrepância existente, em diversas áreas, no âmbito da competitividade financeira.
  • E aos indivíduos que buscam informações sobre o setor econômico e dá orientações precisas para a organização da infraestrutura de um empreendimento.
4

Leia o texto para responder às questões de números 01 a 07.

A bruxa nos relógios

Vou me concentrar no possível: os afetos, o trabalho, a vida. Então falo aqui de um tema que me fascina, sobre o qual já tenho refletido muito.
Quando criança, eu achava que no relógio de parede do sobrado de uma de minhas avós, aquele que soava horas, meias horas e quartos de hora que me assustavam nas madrugadas insones em que eu eventualmente dormia lá, morava uma feiticeira que tricotava freneticamente, com agulhas de metal, tique-taque, tique-taque, tecendo em longas mantas o tempo de nossa vida.
Nessas reflexões mais uma vez constatei o que todo mundo sabe: vivemos a idolatria da juventude – e do poder, do dinheiro, da beleza física e do prazer. Muitos gostariam de ficar para sempre embalsamados em seus 20 ou 30 anos. Ou ter, aos 60, “alma jovem”, o que acho discutível, pois deve ser melhor ter na maturidade ou na velhice uma alma adequada, o que não significa mofada e áspera.
A maturidade pode ter uma energia muito boa, pensamento e capacidade de trabalho estão no auge, os afetos mais sólidos, a capacidade de enfrentar problemas e compadecer-se dos outros mais refinada. Passada (ou abrandada) a insegurança juvenil, é possível desafiar conceitos que imperam, limpar o pó desse uniforme de prisioneiros, deixar de lado as falas decoradas, a tirania do que temos de ser ou fazer. Pronunciar a nossa própria alforria: vai ser livre, vai ser você mesmo, vai tentar ser feliz.
Portas continuam se abrindo: não apenas sobre salas de papelão pintado, porém sobre caminhos reais. Correndo pela floresta das fatalidades, encontramos clareiras de construir. De se renovar, não importa a cifra indicando a nossa idade. E sempre que alguém resolver não pagar mais o altíssimo tributo da acomodação, mas dar sentido à sua vida, verá que a bruxa dos relógios não é inteiramente má. E vai entender que o tempo não só nega e rouba com uma das mãos, mas também, com a outra, oferece – até mesmo a possibilidade de, ao envelhecer, alargar ainda mais as varandas da alma.

(Lya Luft. Revista Veja, edição 2344, 23.10.2013. Adaptado)

Assinale a alternativa correta, segundo a norma-padrão da língua portuguesa.

  • A Em – ... até mesmo a possibilidade de, ao envelhecer, alargar ainda mais as varandas da alma. (5.º parágrafo) –, a palavra destacada está empregada com sentido figurado.
  • B Em – Então falo aqui de um tema que me fascina... (1.º parágrafo) –, a preposição destacada expressa, neste contexto, sentido de “posse”.
  • C Em – Pronunciar a nossa própria alforria... (4.º parágrafo) –, a palavra destacada tem o sentido de “em pessoa”.
  • D Em – ... mais uma vez constatei o que todo mundo sabe: vivemos a idolatria da juventude – e do poder, do dinheiro, da beleza física e do prazer. (3.º parágrafo) –, os dois pontos introduzem uma citação.
  • E Em – Quando criança, eu achava que no relógio de parede do sobrado de uma de minhas avós, aquele que soava horas, meias horas que me assustavam... (2.º parágrafo) –, a palavra destacada retoma o termo “sobrado”.
5
Leia o texto para responder a questão.

O uso da bicicleta no Brasil

A utilização da bicicleta como meio de locomoção no Brasil ainda conta com poucos adeptos, em comparação com países como Holanda e Inglaterra, por exemplo, nos quais a bicicleta é um dos principais veículos nas ruas. Apesar disso, cada vez mais pessoas começam a acreditar que a bicicleta é, numa comparação entre todos os meios de transporte, um dos que oferecem mais vantagens.

A bicicleta já pode ser comparada a carros, motocicletas e a outros veículos que, por lei, devem andar na via e jamais na calçada. Bicicletas, triciclos e outras variações são todos considerados veículos, com direito de circulação pelas ruas e prioridade sobre os automotores.

Alguns dos motivos pelos quais as pessoas aderem à bicicleta no dia a dia são: a valorização da sustentabilidade, pois as bikes não emitem gases nocivos ao ambiente, não consomem petróleo e produzem muito menos sucata de metais, plásticos e borracha; a diminuição dos congestionamentos por excesso de veículos motorizados, que atingem principalmente as grandes cidades; o favorecimento da saúde, pois pedalar é um exercício físico muito bom; e a economia no combustível, na manutenção, no seguro e, claro, nos impostos.

No Brasil, está sendo implantado o sistema de compartilhamento de bicicletas. Em Porto Alegre, por exemplo, o BikePOA é um projeto de sustentabilidade da Prefeitura, em parceria com o sistema de Bicicletas SAMBA, com quase um ano de operação. Depois de Rio de Janeiro, São Paulo, Santos, Sorocaba e outras cidades espalhadas pelo país aderirem a esse sistema, mais duas capitais já estão com o projeto pronto em 2013: Recife e Goiânia. A ideia do compartilhamento é semelhante em todas as cidades. Em Porto Alegre, os usuários devem fazer um cadastro pelo site. O valor do passe mensal é R$ 10 e o do passe diário, R$ 5, podendo-se utilizar o sistema durante todo o dia, das 6h às 22h, nas duas modalidades. Em todas as cidades que já aderiram ao projeto, as bicicletas estão espalhadas em pontos estratégicos.

A cultura do uso da bicicleta como meio de locomoção não está consolidada em nossa sociedade. Muitos ainda não sabem que a bicicleta já é considerada um meio de transporte, ou desconhecem as leis que abrangem a bike. Na confusão de um trânsito caótico numa cidade grande, carros, motocicletas, ônibus e, agora, bicicletas, misturam-se, causando, muitas vezes, discussões e acidentes que poderiam ser evitados.

Ainda são comuns os acidentes que atingem ciclistas. A verdade é que, quando expostos nas vias públicas, eles estão totalmente vulneráveis em cima de suas bicicletas. Por isso é tão importante usar capacete e outros itens de segurança.

A maior parte dos motoristas de carros, ônibus, motocicletas e caminhões desconhece as leis que abrangem os direitos dos ciclistas. Mas muitos ciclistas também ignoram seus direitos e deveres.

Alguém que resolve integrar a bike ao seu estilo de vida e usá-la como meio de locomoção precisa compreender que deverá gastar com alguns apetrechos necessários para poder trafegar. De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro, as bicicletas devem, obrigatoriamente, ser equipadas com campainha, sinalização noturna dianteira, traseira, lateral e nos pedais, além de espelho retrovisor do lado esquerdo.

(Bárbara Moreira, http://www.eusoufamecos.net. Adaptado)

Assinale a alternativa em que a frase – A verdade é que, quando expostos nas vias públicas, eles estão totalmente vulneráveis em cima de suas bicicletas. – permanece pontuada corretamente, após o deslocamento das expressões destacadas.

  • A A verdade é que, em cima de suas bicicletas eles estão totalmente vulneráveis, quando expostos nas vias públicas.
  • B A verdade é que, em cima de suas bicicletas eles estão totalmente vulneráveis quando expostos nas vias públicas.
  • C A verdade é que, em cima de suas bicicletas, eles estão totalmente vulneráveis, quando expostos nas vias públicas.
  • D A verdade é que em cima de suas bicicletas, eles estão totalmente vulneráveis, quando expostos nas vias públicas.
  • E A verdade é que em cima de suas bicicletas, eles estão totalmente vulneráveis quando expostos nas vias públicas.
6

Assinale a alternativa em que a frase – O Alaga SP mostra os alagamentos ativos a partir de informações da prefeitura. – está corretamente reescrita, no que se refere às regras de pontuação do português padrão.

  • A O Alaga SP mostra a partir de informações da prefeitura, os alagamentos ativos.
  • B O Alaga SP mostra, a partir de informações da prefeitura os alagamentos ativos
  • C O Alaga SP a partir de informações da prefeitura, mostra os alagamentos ativos.
  • D O Alaga SP, a partir de informações da prefeitura mostra os alagamentos ativos
  • E A partir de informações da prefeitura, o Alaga SP mostra os alagamentos ativos.
7
Questão de isonomia

Meu último artigo levou alguns leitores a me perguntarem o que acho da isonomia salarial. Como sempre, a resposta depende de como definimos os termos da pergunta.
Se entendemos por isonomia apenas o tratamento jurídico dispensado ao trabalhador, sou totalmente a favor. Mas, se tentarmos, numa interpretação mais forte, aplicar o conceito no nível dos resultados, isto é, ao salário final de cada empregado, sou contra.
Colocando de outra forma, devemos nos opor a toda e qualquer discriminação salarial que não tenha por base o desempenho individual do trabalhador, e defendê-la quando tem essa origem. É injusto pagar menos uma mulher apenas pelo fato de ela ser mulher, mas, se a diferença no vencimento se deve ao fato de um profissional ter produzido mais que o outro, ela é bem-vinda, por mais difícil que seja, em muitas atividades, definir e mensurar o que é “produzir mais”.
Um bom exemplo é o dos jogadores de futebol. Em princípio, todos eles exercem a mesma função, que é jogar futebol e, pela regra da isonomia forte, deveriam receber o mesmo, mas, se você quiser acabar com os campeonatos e dificultar o surgimento de craques, é só baixar uma lei que iguale o salário dos Neymares aos de qualquer cabeça de bagre.
No setor privado, a coisa até funciona, pois se permite ao empresário avaliar seus funcionários como quiser e fixar seus vencimentos dentro de parâmetros elásticos. A complicação surge no serviço público, onde a isonomia forte é levada a ferro e fogo. Reconheça-se que é muito difícil criar um sistema de avaliação impessoal, como se exige do poder público. Mas fazê-lo é imperativo. A razão principal do fracasso dos países socialistas é que, numa caricatura da isonomia, desenvolveram um regime em que valia mais a pena esconder- se na ineficiência do que buscar a inovação e a excelência.

(Hélio Schwartsman. Disponível em http://www1.folha.uol.com.br. Acesso em 25.05.14. Adaptado)


Assinale a alternativa em que o termo destacado é empregado, no contexto, em sentido figurado.

  • A … a resposta depende de como definimos os termos da pergunta.
  • B É injusto pagar menos uma mulher apenas pelo fato de ela ser mulher…
  • C Em princípio, todos eles exercem a mesma função
  • D … fixar seus vencimentos dentro de parâmetros elásticos.
  • E A razão principal do fracasso dos países socialistas…
8
Claudius tirou do bolso um papel amarelado e amarrotado: atirou­o na mesa. Johann leu:

Não me odeies, mulher, se no passado Nódoa sombria desbotou­me a vida: No vício ardente requeimando os lábios E de tudo descri com fronte erguida.

A máscara de Don Juan queimou­me o rosto Na fria palidez do libertino: Desbotou­me esse olhar - e os lábios frios Ousam de maldizer do meu destino. Sim! longas noites no fervor do jogo Esperdicei febril e macilento: E votei o porvir ao Deus do acaso E o amor profanei no esquecimento!

Murchei no escárnio as coroas do poeta Na ironia da glória e dos amores: Aos vapores do vinho, à noite insano Debrucei­me do jogo nos fervores!

A flor da mocidade profanei­a Entre as águas lodosas do passado No crânio a febre, a palidez nas faces Só cria no sepulcro sossegado!

Os versos – Aos vapores do vinho, à noite insano / Debrucei­me do jogo nos fervores! – redigidos em ordem direta, assumem a seguinte estrutura:

  • A À noite, debrucei-me aos vapores do vinho insano do jogo nos fervores!
  • B Nos fervores do jogo, à noite, debrucei-me insano aos vapores do vinho!
  • C Aos vapores do vinho debrucei-me insano nos fervores do jogo à noite!
  • D Insano, debrucei-me nos fervores do jogo, à noite, aos vapores do vinho!
  • E Debrucei-me insano aos vapores do vinho nos fervores do jogo, à noite!
9

Leia o texto para responder à questão.

Férias na Ilha do Nanja

Meus amigos estão fazendo as malas, arrumando as malas nos seus carros, olhando o céu para verem que tempo faz, pensando nas suas estradas – barreiras, pedras soltas, fissuras* – sem falar em bandidos, milhões de bandidos entre as fissuras, as pedras soltas e as barreiras...

Meus amigos partem para as suas férias, cansados de tanto trabalho; de tanta luta com os motoristas da contramão; enfim, cansados, cansados de serem obrigados a viver numa grande cidade, isto que já está sendo a negação da própria vida.

E eu vou para a Ilha do Nanja.

Eu vou para a Ilha do Nanja para sair daqui. Passarei as fé- rias lá, onde, à beira das lagoas verdes e azuis, o silêncio cresce como um bosque. Nem preciso fechar os olhos: já estou vendo os pescadores com suas barcas de sardinha, e a moça à janela a namorar um moço na outra janela de outra ilha.

(Cecília Meireles, O que se diz e o que se entende. Adaptado)

*fissuras: fendas, rachaduras

Ao descrever a Ilha do Nanja como um lugar onde, “à beira das lagoas verdes e azuis, o silêncio cresce como um bosque” (último parágrafo), a autora sugere que viajará para um lugar

  • A repulsivo e populoso.
  • B sombrio e desabitado.
  • C comercial e movimentado.
  • D bucólico e sossegado.
  • E opressivo e agitado.
10

      Poucas coisas na vida são mais inúteis do que torcer por um time de futebol. Veja bem, gostar de futebol é uma coisa, mas torcer por um clube é completamente outra. Não serve pra absolutamente nada, com frequência te deixa mais triste do que feliz, não modifica sua vida em absoluto, só atrapalha os seus afazeres, mas, mesmo assim, quando o Vasco joga, eu fico nervoso, quero saber do resultado minuto a minuto, fico irritado com o time.

      Se perde, eu fico chateado, estraga uma boa parte do meu dia e do meu dia seguinte, e, se ganha, quinze minutos depois a minha felicidade se esvaiu e eu já voltei à minha rotina normal. Não tem lógica nenhuma torcer que nem um imbecil por um time de futebol.

      Isso me dói, porque eu não consigo controlar o que eu sinto. É uma perda de tempo na minha vida que não se explica. Eu sou uma espécie de obeso mórbido que não consegue parar de comer bacon. É de uma irracionalidade completa. E o pior é que a gente nasce sem time nenhum. A gente é que escolhe ser idiota.

      Eu tive a opção de ser livre, mas eu me prendi a um sentimento que não me deixa descansar. Porque não acaba nunca. Todo ano é um sofrimento. Porque só um time pode ser campeão. Um! Ou seja, por ano, dezenove times da série A do Brasileirão têm seus torcedores deprimidos. E no ano seguinte, é a mesma coisa!

      Se alguém souber de um jeito de me fazer parar, por favor, aceito sugestões.

                    (Fábio Porchat, Futebol. O Estado de S.Paulo, 08.12.2015. Adaptado)

É correto afirmar que, do ponto de vista do autor,

  • A não é razoável entregar-se à torcida por um time de futebol.
  • B não há coisa mais inútil do que torcer para um time de futebol.
  • C gostar de futebol é injustificável, pois torcer é pura perda de tempo.
  • D felizmente, quando acaba o campeonato, não há torcedores infelizes.
  • E deixar de apreciar futebol é a coisa mais sensata a fazer.
11

“FATOS - Cinema Brasileiro: “O PETRÓLEO É NOSSO” - “O FEIJÃO É NOSSO”


Lá pela metade da década de 40 foi desencadeada em todo o pais uma intensa campanha objetivando a defesa de nossas reservas de petróleo (vários campos petrolífero já haviam sido descobertos em anos anteriores). O sempre lembrado slogan era “O PETRÓLEO É NOSSO”. Esse movimento nacionalista foi o embrião da criação da Petrobrás, pelo Presidente Vargas, bons anos depois (em 1953). E o cinema brasileiro não deixaria passar em branco esse histórico acontecimento. Em 1954 foi feito um filme denominado “O Petróleo é Nosso” que, ao contrário do que possa parecer, não se tratava de nenhum trabalho ou documentário a respeito dessa mobilização nacional e a criação da importante estatal. Não satisfeitos, nossos cineastas ainda fizeram uma outra comédia (em 1956) com o título bem sugestivo de “O FEIJÃO É NOSSO”, apenas uma mera alusão à frase famosa sem nenhuma outra relação, é óbvio!”

Entre as alternativas adiante, assinale aquela que corrige os erros e imperfeições do trecho destacado no TEXTO 4:

  • A Em meados da década de 1940, foi desencadeada em todo o país uma intensa campanha que objetivava a defesa de nossas reservas de petróleo (vários campos petrolíferos haviam sido descobertos em anos anteriores).
  • B Lá pela metade da década de 40 foi desencadeada em todo o pais uma intensa campanha objetivando à defesa de nossas reservas de petróleo (vários campos petrolíferos já havia sido descobertos em anos anteriores).
  • C Lá pela metade da década de 1940 foi desencadeada em todo o pais, uma intensa campanha objetivando à defesa de nossas reservas de petróleo (vários campos petrolíferos já haveriam sido descobertos em anos anteriores).
  • D Em meio aos anos de 1940, foi desencadeada em todo o pais, uma intensa campanha, objetivando a defesa de nossas reservas de petróleo, (vários campos petrolíferos já haveriam sidos descobertos em anos anteriores)
  • E Lá pelo meio dos anos 40 em todo o pais, foi desencadeada, uma intensa campanha, que objetivara à defesa de nossas reservas de petróleo, (vários campos petrolíferos teriam haveriam sido descobertos em anos anteriores).
12
Leia o texto para responder a questão.

Herança maldita

SÃO PAULO – O roteiro é manjado. O protesto, seja lá contra o que for, começa pacífico até que um grupo mascarado, como se atendesse a um comando único, toma a frente da marcha e começa a quebrar tudo o que surge pela frente.
“Chegaram os black blocs’”, costuma-se ouvir entre os manifestantes, num tom que mistura medo e um certo glamour da violência.
O “black bloc”, na verdade, não é um movimento, e sim uma estratégia de protesto anarquista. Seus adeptos cobrem o rosto e se vestem de preto para dificultar a identificação e a fim de parecer uma massa única, criando uma aura revolucionária.
Esse método apareceu nos protestos antiglobalização no fim da década de 1990. Símbolos capitalistas são os alvos preferidos, mas a versão tupiniquim tem especial atração por semáforos, radares, cabines da PM e outros equipamentos públicos.
Por aqui, seus adeptos deram as caras nos primeiros atos pela redução da tarifa de ônibus, em São Paulo. De lá para cá, entretanto, muita coisa mudou. Os “black blocs”, especialmente paulistas e cariocas, crescem em progressão geométrica, estão sempre preparados para a guerra e já organizam as suas próprias
manifestações.
Em “assembleia” assistida pela Folha, discutiram táticas para escapar da polícia, entre elas hospedar sites em servidores da Rússia ou de Taiwan, “impossíveis de derrubar”.
As “vozes das ruas” produziram conquistas inegáveis. A principal delas foi dar à classe política a sensação de estar sendo constantemente vigiada. Nesse balanço, porém, pode-se dizer que os “black blocs” são a herança maldita dos protestos.
(Alan Gripp, Herança maldita. Folha de S.Paulo, 01.08.2013. Adaptado)

Na frase – A principal delas foi dar à classe política a sensação de estar sendo constantemente vigiada. –, o advérbio em destaque expressa circunstância de

  • A intensidade e, nesse contexto, é antônimo de eventualmente.
  • B intensidade e, nesse contexto, é sinônimo de plenamente.
  • C tempo e, nesse contexto, é antônimo de raramente.
  • D tempo e, nesse contexto, é sinônimo de obviamente.
  • E modo e, nesse contexto, é sinônimo de diuturnamente.
13

Quer ganhar mais dinheiro? A ciência tem uma dica

Você acredita que muitas pessoas mentem para se dar bem? Ou que agem de forma injusta para levar a melhor? Portanto, melhor não confiar em ninguém, certo? Bem, se você concorda com tudo isso, a ciência tem um conselho: pare.

É que pesquisadores alemães descobriram uma relação entre desconfiança e salários. Eles analisaram questionários respondidos por 1,5 mil pessoas, os quais mostravam o grau de ceticismo delas, e a renda mensal relatada por elas anos depois. E quanto mais céticos os participantes, menos dinheiro eles ganhavam.

Numa segunda etapa, compararam a renda de 16 mil alemães. Todos completaram um questionário semelhante ao anterior. Mais uma vez, as pessoas menos desconfiadas levavam a melhor: ganhavam, em média, 300 dólares por mês a mais que os outros.

Isso porque os céticos, cheios de medo de serem passados para trás, acabam cooperando menos – e pedindo menos ajuda aos outros. Aí, além de se queimarem com os colegas, os resultados do trabalho podem sair piores.

(Carol Castro. http://super.abril.com.br, 08.07.2015. Adaptado)

Considere o segundo parágrafo para responder à questão.

É que pesquisadores alemães descobriram uma relação entre desconfiança e salários. Eles analisaram questionários respondidos por 1,5 mil pessoas, os quais mostravam o grau de ceticismo delas, e a renda mensal relatada por elas anos depois. E quanto mais céticos os participantes, menos dinheiro eles ganhavam.

A expressão os quais, em destaque, refere-se a

  • A pesquisadores.
  • B salários.
  • C questionários.
  • D pessoas.
  • E participantes.
14

Um homem de consciência

Chamava-se João Teodoro, só. O mais pacato e modesto dos homens. Honestíssimo e lealíssimo, com um defeito apenas: não dar o mínimo valor a si próprio. Para João Teodoro, a coisa de menos importância no mundo era João Teodoro.
Nunca fora nada na vida, nem admitia a hipótese de vir a ser alguma coisa. E, por muito tempo, não quis nem sequer o que todos ali queriam: mudar-se para terra melhor.
Mas João Teodoro acompanhava com aperto no coração o desaparecimento visível de sua Itaoca.
“Isto já foi muito melhor”, dizia consigo. “Já teve três médicos bem bons - agora um e bem ruinzote. Já teve seis advogados e hoje mal dá serviço para um rábula ordinário como o Tenório. Nem circo de cavalinhos bate mais por aqui. A gente que presta se muda. Fica o restolho. Decididamente, a minha Itaoca está se acabando ...”
João Teodoro entrou a incubar a ideia de também mudar- -se, mas para isso necessitava de um fato qualquer que o convencesse de maneira absoluta de que Itaoca não tinha mesmo conserto ou arranjo possível.
“É isso”, deliberou lá por dentro. “Quando eu verificar que tudo está perdido, que Itaoca não vale mais nada de nada, então arrumo a trouxa e boto-me fora daqui.”
Um dia aconteceu a grande novidade: a nomeação de João Teodoro para delegado. Nosso homem recebeu a notícia como se fosse uma porretada no crânio. Delegado ele! Ele que não era nada, nunca fora nada, não queria ser nada, se julgava capaz de nada ...
Ser delegado numa cidadezinha daquelas é coisa seríssima. Não há cargo mais importante. É o homem que prende os outros, que solta, que manda dar sovas, que vai à capital falar com o governo. Uma coisa colossal ser delegado - e estava ele, João Teodoro, de-le-ga-do de Itaoca! ...
João Teodoro caiu em meditação profunda. Passou a noite em claro, pensando e arrumando as malas. Pela madrugada botou-as num burro, montou seu cavalo magro e partiu.
- Que é isso, João? Para onde se atira tão cedo, assim de armas e bagagens?
- Vou-me embora - respondeu o retirante. - Verifiquei que Itaoca chegou mesmo ao fim.
- Mas, como? Agora que você está delegado?
- Justamente por isso. Terra em que João Teodoro chega a delegado eu não moro. Adeus.
E sumiu.

(Monteiro Lobato. Cidades Mortas. São Paulo: Globo, 2009)

rábula: advogado sem diploma

Leia e analise o trecho a seguir:

Uma coisa colossal ser delegado – e estava ele, João Teodoro, de-le-ga-do de Itaoca! ...
A forma verbal em destaque – estava – referindo-se à nomeação de João Teodoro para o cargo de delegado, expressa

  • A um estado momentâneo.
  • B um estado duradouro.
  • C um fato habitual.
  • D uma ação no futuro.
  • E uma ação hipotética.
15

Leia o texto para responder as questões de 5 a 12.

As impressões digitais são realmente únicas? (...) “não há, no mundo, duas pessoas com relevos idênticos, nem mesmo gêmeos. Por isso as impressões digitais são um sinal infalível de identidade.”
(...) como se pode afirmar isso se não há um banco de dados com digitais de todas as pessoas do mundo?

Não há duas impressões digitais iguais porque a estatística e a biologia nos garantem isso. Como não há duas pessoas absolutamente iguais, não há como ter uma com a mesma impressão digital da outra. Quando há casos de digitais muito parecidas, os papilocopistas - possivelmente o nome de profissão mais legal que existe - analisam mais linhas das mãos até encontrar as diferenças, por menores que elas sejam.
A impressão digital é composta de inúmeras particularidades. Cada pessoa possui um desenho específico, composto pelas elevações da pele. A formação da digital é resultado da influência genética e também dos movimentos do feto na barriga da mãe. Isso aí, os primeiros rolezinhos do bebê produzem marcas características nos dedos.
Além dos movimentos na barriga, os sentimentos da mãe e o que ela come interferem na formação das impressões digitais. Nem as digitais de gêmeos univitelinos, que têm o DNA idêntico, são iguais. Elas são muito parecidas, mas os efeitos externos fazem com que apresentem diferenças.
A papiloscopia, ciência que estuda as linhas das mãos e dos pés, separa pontos de referência em cada impressão digital que vão ser usados para a comparação computadorizada entre duas pessoas. Antônio Maciel Aguiar Filho, presidente da Federação Nacional de Papiloscopia, afirma que atualmente as análises são muito precisas.
“Mesmo que a impressão fosse extremamente parecida, eu ainda poderia verificar a posição dos poros, orifícios por onde saem o suor”, explica.
Em todo caso, sinta-se livre para fazer esse banco de dados com as impressões digitais de 7 bilhões de pessoas.

Superinteressante, 08/05/2014

Assinale a alternativa CORRETA quanto ao sujeito da oração: “Cada pessoa possui um desenho específico”.

  • A Sujeito simples: ‘cada pessoa’, cujo núcleo é ‘pessoa’.
  • B Sujeito composto, pois há dois núcleos: cada pessoa.
  • C Sujeito composto: cada pessoa possui, cujos núcleos são ‘cada’ e ‘pessoa’.
  • D Sujeito simples com um único núcleo composto: ‘cada pessoa’.
16

Leia o texto para responder às questões de números 07 a 13.

Conama decide sobre resíduos em adubo

O Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) decidirá se aprova uma resolução que regulariza o uso de resíduos industriais como matéria-prima para a produção de adubos. Essa resolução tem causado protestos de ambientalistas e motivou a realização de um abaixo-assinado, contrário à aprovação, na página de petições on-line Avaaz.
A preocupação está no fato de que tais resíduos - como cinzas, lama e escória de processos de produção de ligas de metais - ao mesmo tempo que trazem micronutrientes essenciais para a produção de fertilizantes (cobre, manganês, molibdênio e zinco), carregam metais pesados com potencial cancerígeno.
O assunto está em discussão no Conama há cerca de oito anos e voltou à pauta neste ano, diante da sensação de que, como a prática acontece de qualquer jeito, seria preciso regulamentá-la. Pela proposta, se fosse feito um tratamento desses resíduos, e dentro de determinados limites de contaminantes, seria possível o uso desse material em adubos. Uma série de pareceres anexados ao processo, até mesmo do Ministério da Saúde, aponta, entretanto, que não há limite mínimo seguro para a presença de metais pesados.
O risco é que metais como chumbo, mercúrio, arsênio, cromo e cádmio se acumulem no solo e na água, contaminando as plantas, os animais e os seres humanos.
Segundo o ambientalista Carlos Bocuhy, membro do Conama que liderou o abaixo-assinado, a resolução se insere no que ele chama de “processo de conformação” sobre procedimentos que já ocorrem.
“Só porque acontecem, não significa que devam ser regulamentados. Se isso for aprovado, vai parar na Justiça, é uma questão de constitucionalidade. Passa a ser um problema de saúde pública”, afirma.
Um outro parecer, feito por pesquisadores da USP e da Federal do ABC, também traz conclusão semelhante e ainda acrescenta que o uso desses resíduos pode criar barreiras à exportação de produtos agrícolas.
O Instituto Brasileiro de Proteção Ambiental (Proam) defende uma proposta alternativa de resolução em que o uso desses resíduos industriais só seja admitido em duas possibilidades. Ou se extraem deles os elementos de interesse para os fertilizantes, ou se eliminam totalmente os metais pesados.
O promotor ambiental de São Paulo, Adriano A. de Souza, lembra que a fragilidade da proposta se deve à inexistência de controle eficiente em torno de contaminações do solo.

(O Estado de S.Paulo, 4 set.2013. Adaptado)

Assinale a alternativa em que a palavra se tem o mesmo sentido da destacada em:

Pela proposta, se fosse feito um tratamento desses resíduos, (…), seria possível o uso desse material em adubos. (3.º parágrafo)

  • A … a resolução se insere no que ele chama de “processo de conformação” … (5.º parágrafo)
  • B Se isso for aprovado, vai parar na Justiça, … (6.º parágrafo)
  • C O Conselho Nacional do Meio Ambiente decidirá se aprova uma resolução … (1.º parágrafo)
  • D … lembra que a fragilidade da proposta se deve à inexistência de controle eficiente … (9.º parágrafo)
  • E Ou se extraem deles os elementos para os fertilizantes, … (8.º parágrafo)
17
Como evitar que motoristas bêbados fiquem impunes e continuem a matar no trânsito

Rodrigo Cardoso, Paula Rocha, Michel Alecrim e Luciani Gomes

O Brasil possui uma legislação que dificulta a redução do número de mortes em acidentes de trânsito.Nem mesmo a Lei n.º 11.705,a chamada Lei Seca, que entrou em vigor em meados de 2008 para frear o ímpeto de brasileiros que insistem em guiar sob o efeito do álcool, tem conseguido conter o avanço desse tipo de tragédia.É fácil identificar o porquê.Está disseminado no país o sentimento de que é possível combinar a bebida com a direção sem que haja punição.
As garras do Judiciário, na maioria dos casos, não têm alcançado esses motoristas porque a lei é falha. O exame do bafômetro, necessário para que se detecte a quantidade de álcool ingerida passível de penalidade, pode ser recusado pelo infrator.Sem o teste, não há como se punir com rigor. Há pelo menos 170 projetos de lei propondo alterações na Lei Seca na Câmara dos Deputados. “Do jeito que está, não existe Lei Seca no País”, diz o advogado Maurício Januzzi.
Os números mostram a ineficácia do atual Código de Trânsito.No ano seguinte à implantação da Lei Seca, quando a fiscalização marcava presença nas ruas e os veículos de comunicação a divulgavam, houve uma redução de 1,8% nas mortes de trânsito.
Nos últimos meses,uma sequência de acidentes com vítimas fatais em ruas e avenidas tem chocado a opinião pública.
Na última década, enquanto nos países da Europa as mortes no trânsito decresceram em 41%, no Brasil verificou-se um crescimento de 40%.
Aumentar a punição de quem dirige embriagado é um dos caminhos para inibir as pessoas de dirigir depois de beber.
Um dos maiores problemas da eficácia da Lei Seca é a fiscalização.O jurista Luiz Flávio Gomes acredita que o controle tem que ser implacável. “A fiscalização não pode ser flexibilizada, afrouxada”, afirma.
Mostrar o caminho e reger o comportamento. É assim que campanhas de segurança no trânsito mundo afora tiveram sucesso.Se educar deve vir primeiro do que a repressão, rever socialmente o conceito que temos sobre o álcool, porém, não é fácil. O uso da bebida alcoólica está culturalmente presente na vida do brasileiro. É uma das poucas drogas consumidas – por ser lícita – com a família reunida. O álcool ganha poder de sedução por meio de propagandas direcionadas ao público jovem que o associa a situações de poder, conquista, de belas companhias, velocidade.
Para dirigir, porém, não se deve beber.
(ISTO É, nov. 2011. Adaptado)

O trecho – Está disseminado no país o sentimento de que é possível combinar a bebida com a direção sem que haja punição. – (1.º parágrafo) foi reescrito corretamente, sem alterar o sentido, em:

  • A A bebida combinada com a direção disseminou no país o sentimento de que não há punição possível.
  • B No país, é possível disseminar a ideia de que a punição combina com bebida e direção.
  • C A punição à bebida com a direção disseminou o sentimento de que é possível essa combinação.
  • D O sentimento disseminado no país é de que não há punição para a combinação de bebida com direção.
  • E A ideia de punição disseminada no país combinou bebida com direção.
18
Seu Firmino e o STF

Quando eu era um moleque, meu caminho para a escola passava todos os dias bem na frente da quitanda do Seu Firmino,um português de bigodes e sotaque fartos, que costumava ficar na porta do estabelecimento para acompanhar aquela romaria de muitas mães, avós e tias e poucos pais (eram outros tempos) levando a meninada para a escola.
O velho Firmino ficava na quitanda, entre alfaces e chicórias, batatas e laranjas e aconselhava todo moleque, como eu, que passava com uniforme escolar: “Não esqueças o guarda-chuva.” Podia estar um sol de rachar ou podíamos estar atravessando a maior estiagem, não importava: Seu Firmino não cansava de repetir que a gente tinha de estar pronto para um pé-d’água. Confesso que passei anos escutando e não dando ouvidos para a ladainha. Até o dia em que fui surpreendido por uma tempestade no caminho de volta para casa. Já era grande o suficiente para ir e voltar sozinho, mas não para escutar o conselho. Fui parar, encharcado e despenteado, justamente na quitanda. Lembro que o velho Firmino pegou uma toalha e esfregou primeiro minha cabeça, depois os braços.Logo recuperei a temperatura e fiquei esperando a chuva passar.Assim que a chuva deu um tempo, eu me preparei para sair. Fui detido pelo velho quitandeiro. Ele me deu um guarda-chuva desses antigos, com cabo de madeira, e falou com mais propriedade do que nunca: “Não esqueças mais o guarda-chuva.”
Foi o que aconteceu. Peguei uma certa mania de ter sempre à mão um guarda-chuva.
Lembrei dessa história porque muita gente me chama de chato por ser repetitivo em certas coisas. Reconheço que devo mesmo chatear muita gente com essa minha particularidade. Sou repetitivo, sim. Porque num país como o nosso, só repetindo verdades à exaustão a gente tem chance de ser ouvido! Robert Collier,autor de livros de autoajuda, garantia que a repetição constante leva à convicção.
O fato é que fiquei feliz quando o STF decidiu que dirigir embriagado é crime. E fiquei contente porque foi uma dessas coisas que repeti, repeti e repeti, especialmente no “Brasil Urgente”, programa que apresento na TV.

(Diário de S.Paulo, 06 de novembro de 2011. Adaptado)

Em – … um português de bigodes e sotaque fartos,… (1.º parágrafo) – o adjetivo fartos refere-se

  • A apenas a bigodes e sotaque.
  • B apenas a sotaque.
  • C apenas a bigodes.
  • D apenas a português.
  • E a português, bigodes e sotaque.
19
Direitos humanos: ressocialização de presos e combate à reincidência

O Brasil é signatário de tratados que versam sobre direitos humanos como o Pacto de San José, a Declaração Americana dos Direitos e Deveres do Homem e a Declaração Universal dos Direitos Humanos da ONU. Todos eles proíbem o tratamento degradante do preso.

Iniciativas estão sendo tomadas no sentido de buscar melhores condições de vida para os detentos e os egressos do sistema prisional. Exemplos disso são os programas “Começar de Novo” e o “Mutirão Carcerário”, desenvolvidos pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

O CNJ tem realizado mutirões carcerários para identificar pessoas que já cumpriram pena ou que tenham direito à progressão de regime prisional e ainda continuam encarceradas. Esse trabalho já resultou na liberdade de mais de 2200 presos que puderam exercer o direito à progressão prisional ou já tinham cumprido pena e ainda continuavam presos. Para o presidente do Supremo e do CNJ, não basta somente libertar as pessoas que estavam presas irregularmente. Esse trabalho, para ele, precisa ser acompanhado de “uma séria política de reintegração social”, para evitar a reincidência.

O projeto “Começar de Novo” busca sensibilizar entidades públicas e privadas para promover a ressocialização dos presos, por meio de propostas de trabalho e de cursos de capacitação profissional para presos e egressos do sistema carcerário, de modo a concretizar ações de cidadania e promover a redução da reincidência.

Como prevê a Constituição de 1988, o Pacto de San José da Costa Rica e a Lei de Execução Penal, é preciso dar condições dignas ao preso. “Muito mais do que o valor pecuniário do salário, avulta nessa jornada a importância de resgatar-se inteiramente a dignidade do ser humano que, mesmo havendo ultrapassado os limites da lei, em momento algum deixou de ser cidadão plenamente e respeitado por todos”, defende o presidente do STF e CNJ.

(Disponível em: www.stf.jus.br/portal/cms/verNoticiaDetalhe. asp?idConteudo=116383. Acesso em: 18.08.2012. Adaptado)

De acordo com o texto, é correto afirmar que

  • A pôr em liberdade o preso que já havia cumprido sua pena, para o presidente do Supremo, é medida suficiente para garantir sua ressocialização.
  • B o trabalho de reintegração social envolve exclusivamente a participação de entidades públicas, sendo desnecessárias as entidades privadas.
  • C o ato de ultrapassar os limites da lei, por atentar contra a dignidade do ser humano, impede o indivíduo de ser considerado cidadão plenamente.
  • D os cursos de capacitação profissional devem ser oferecidos aos que ainda estão presos, pois não é de responsabilidade pública cuidar dos egressos
  • E a ressocialização diz respeito a um trabalho a ser feito tanto com presos que ainda cumprem pena quanto com os egressos do sistema carcerário
20
Leia o texto para responder a questão.

O uso da bicicleta no Brasil

A utilização da bicicleta como meio de locomoção no Brasil ainda conta com poucos adeptos, em comparação com países como Holanda e Inglaterra, por exemplo, nos quais a bicicleta é um dos principais veículos nas ruas. Apesar disso, cada vez mais pessoas começam a acreditar que a bicicleta é, numa comparação entre todos os meios de transporte, um dos que oferecem mais vantagens.

A bicicleta já pode ser comparada a carros, motocicletas e a outros veículos que, por lei, devem andar na via e jamais na calçada. Bicicletas, triciclos e outras variações são todos considerados veículos, com direito de circulação pelas ruas e prioridade sobre os automotores.

Alguns dos motivos pelos quais as pessoas aderem à bicicleta no dia a dia são: a valorização da sustentabilidade, pois as bikes não emitem gases nocivos ao ambiente, não consomem petróleo e produzem muito menos sucata de metais, plásticos e borracha; a diminuição dos congestionamentos por excesso de veículos motorizados, que atingem principalmente as grandes cidades; o favorecimento da saúde, pois pedalar é um exercício físico muito bom; e a economia no combustível, na manutenção, no seguro e, claro, nos impostos.

No Brasil, está sendo implantado o sistema de compartilhamento de bicicletas. Em Porto Alegre, por exemplo, o BikePOA é um projeto de sustentabilidade da Prefeitura, em parceria com o sistema de Bicicletas SAMBA, com quase um ano de operação. Depois de Rio de Janeiro, São Paulo, Santos, Sorocaba e outras cidades espalhadas pelo país aderirem a esse sistema, mais duas capitais já estão com o projeto pronto em 2013: Recife e Goiânia. A ideia do compartilhamento é semelhante em todas as cidades. Em Porto Alegre, os usuários devem fazer um cadastro pelo site. O valor do passe mensal é R$ 10 e o do passe diário, R$ 5, podendo-se utilizar o sistema durante todo o dia, das 6h às 22h, nas duas modalidades. Em todas as cidades que já aderiram ao projeto, as bicicletas estão espalhadas em pontos estratégicos.

A cultura do uso da bicicleta como meio de locomoção não está consolidada em nossa sociedade. Muitos ainda não sabem que a bicicleta já é considerada um meio de transporte, ou desconhecem as leis que abrangem a bike. Na confusão de um trânsito caótico numa cidade grande, carros, motocicletas, ônibus e, agora, bicicletas, misturam-se, causando, muitas vezes, discussões e acidentes que poderiam ser evitados.

Ainda são comuns os acidentes que atingem ciclistas. A verdade é que, quando expostos nas vias públicas, eles estão totalmente vulneráveis em cima de suas bicicletas. Por isso é tão importante usar capacete e outros itens de segurança.

A maior parte dos motoristas de carros, ônibus, motocicletas e caminhões desconhece as leis que abrangem os direitos dos ciclistas. Mas muitos ciclistas também ignoram seus direitos e deveres.

Alguém que resolve integrar a bike ao seu estilo de vida e usá-la como meio de locomoção precisa compreender que deverá gastar com alguns apetrechos necessários para poder trafegar. De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro, as bicicletas devem, obrigatoriamente, ser equipadas com campainha, sinalização noturna dianteira, traseira, lateral e nos pedais, além de espelho retrovisor do lado esquerdo.

(Bárbara Moreira, http://www.eusoufamecos.net. Adaptado)

No trecho – Muitos ainda não sabem que a bicicleta já é considerada um meio de transporte, ou desconhecem as leis que abrangem a bike. –, os termos “ainda” e “já” expressam ideias de

  • A tempo.
  • B negação.
  • C lugar.
  • D causa.
  • E modo.

Direito Penal

21
“A”, querendo causar a morte de “B”, descarrega contra este sua arma de fogo, atingindo­-o por seis disparos. “B”, socorrido por populares e levado ao pronto­-socorro, é submetido à cirurgia de emergência e sobrevive.

Diante do exposto, “A” poderá responder pelo crime de:
  • A homicídio culposo tentado, pois “B” somente não morreu por circunstâncias alheias à vontade de “A”.
  • B lesão corporal dolosa, uma vez que “B”, apesar de ser atingido, não morreu.
  • C lesão corporal dolosa e homicídio doloso tentado, pois “B” somente não morreu por circunstâncias alheias à vontade de “A”.
  • D homicídio doloso consumado, pois “B” somente não morreu por circunstâncias alheias à vontade de “A”.
  • E homicídio doloso tentado, pois “B” somente não mor­reu por circunstâncias alheias à vontade de “A”.
22

Quanto ao crime de tortura, é correto afirmar que

  • A a lei brasileira que comina pena para o crime de tortura não se aplica quando o crime foi cometido fora do território nacional, mesmo sendo a vítima brasileira.
  • B o condenado pelo crime de tortura cumprirá todo o tempo da pena em regime fechado.
  • C é afiançável, mas insuscetível de graça ou anistia.
  • D na aplicação da pena pelo crime de tortura, não serão admitidas agravantes ou atenuantes.
  • E a condenação acarretará a perda do cargo, função ou emprego público e a interdição para seu exercício pelo dobro do prazo da pena aplicada.
23

A pena prevista pelo Código Penal para o crime de “re­sistência” (CP, art. 329), por expressa disposição legal, é

  • A de reclusão e de multa.
  • B de reclusão, de seis meses a um ano.
  • C maior, se o funcionário público, em razão da violência, fica afastado do cargo.
  • D maior se o ato, em razão da resistência, não se executa.
  • E diminuída de um a dois terços se a resistência não é praticada com violência.
24

O peculato culposo

  • A é fato atípico, pois não está expressamente pre­ visto no CP.
  • B tem a ilicitude excluída se o agente repara o dano a qualquer tempo
  • C tem a punibilidade extinta se o agente repara o dano antes da sentença irrecorrível.
  • D é punido com detenção, de dois a doze anos, e multa.
  • E é punido com a mesma pena do peculato doloso.
25

Assinale a alternativa correta, a respeito do crime de Peculato, previsto no Código Penal.

  • A A reparação do dano, se precede à sentença irrecorrível, reduz pela metade a pena imposta.
  • B Não pratica Peculato, mas sim Furto, o funcionário público que, embora não tendo a posse do bem o subtrai, em proveito próprio ou alheio, valendo-se de facilidade que lhe proporciona a qualidade de funcionário.
  • C O crime de Peculato pode ser praticado por particulares, ainda que sem o concurso de qualquer funcionário público.
  • D A lei não admite a forma culposa.
  • E Pratica Peculato o funcionário público que se apropria de qualquer bem móvel particular de que tem a posse em razão do cargo.
26

O crime de falsificação de documento público, do art. 297 do CP,


I. configura-­se apenas se a falsificação é total, ou seja, a mera alteração de documento público verdadeiro não constitui crime;


II. também se configura se o documento trata-­se de testa­mento particular;


III. também se configura se o documento trata-­se de livro mercantil.


É correto, apenas, o que se afirma em

  • A III.
  • B II e III.
  • C II.
  • D I e II.
  • E I.
27

A conduta do funcionário público que, antes de assumir a função, mas em razão dela, exige para outrem, indireta­mente, vantagem indevida

  • A configura crime de corrupção passiva
  • B não configura crime algum, pois o fato ocorre antes de assumir a função.
  • C configura crime de corrupção ativa.
  • D configura crime de concussão.
  • E não configura crime algum, pois a exigência é indireta e para outrem.
28

O condenado por crime de tortura, em regra, e salvo exceção legal,

  • A cumprirá toda a pena em regime fechado.
  • B iniciará o cumprimento da pena em regime semiaberto
  • C iniciará o cumprimento da pena em regime fechado.
  • D poderá iniciar o cumprimento da pena em regime aberto, atendidos os requisitos legais.
  • E cumprirá toda a pena em regime semiaberto.
29

Nos termos do Código Penal, assinale a alternativa que contenha apenas crimes contra o patrimônio.

  • A Homicídio; estelionato; extorsão
  • B Estelionato; furto; roubo.
  • C Dano; estupro; homicídio
  • D Furto; roubo; lesão corporal.
  • E Extorsão; lesão corporal; dano.
30

“Subtrair coisa móvel alheia, para si ou para outrem, mediante grave ameaça ou violência a pessoa, ou depois de havê-la, por qualquer meio, reduzido à impossibilidade de resistência”. O Código Penal Brasileiro intitula o tipo penal ora transcrito de

  • A extorsão.
  • B furto de coisa comum.
  • C roubo.
  • D furto qualificado.
  • E furto.

Direito Processual Civil

31

Quanto aos prazos processuais, é correto afirmar que

  • A a Defensoria Pública terá prazo em dobro para todas as suas manifestações processuais.
  • B as fundações de direito público terão prazo em quádruplo para contestar as ações.
  • C a União terá prazo quádruplo para contestar e em dobro para recorrer.
  • D os Estados terão prazo em dobro para recorrer e simples para responder a recursos.
  • E o beneficiário da justiça gratuita terá prazo em dobro para contestar e recorrer.
32

Sobre a forma dos atos processuais, é correto afirmar que

  • A o documento em língua estrangeira poderá ser juntado aos autos independentemente de tradução em língua portuguesa firmada por tradutor juramentado.
  • B é possível lançar nos autos físicos cotas marginais e interlineares às quais o juiz mandará riscar quando não tiver autorizado, impondo, inclusive, multa de até um salário-mínimo vigente a quem as fez.
  • C os atos meramente ordinatórios, como a juntada e a vista obrigatória, dependem de despacho e devem ser revistos pelo juiz da causa.
  • D de comum acordo, o juiz e as partes podem fixar calendário para prática dos atos processuais, quando for o caso.
  • E o direito de consultar os autos do processo que tramita em segredo de justiça e de pedir certidões é restrito aos advogados das partes, pois somente esses possuem capacidade postulatória.
33

Numa audiência de instrução e julgamento, o juiz determinou que primeiro se ouvissem as testemunhas das partes, e, após isso, fossem prestados os esclarecimentos dos peritos. Além disso, no momento dos debates orais, numa ação em que havia interesse de menores, concedeu prazo de 40 minutos para o advogado do autor e de 30 minutos para o advogado do réu e para o promotor de justiça se pronunciarem.

Diante dessa situação, é correto afirmar que o juiz

  • A acertou em todos os seus atos, pois a ordem da oitiva é passível de modificação a critério do juiz, bem como os prazos para debates orais devem ser estipulados pelo magistrado.
  • B acertou ao inverter a ordem da colheita de provas em audiência, pois não há uma obrigatoriedade nesse roteiro; mas errou ao fixar limite de tempo de 40 minutos para o pronunciamento em razões finais do advogado do autor, prazo superior ao estabelecido em lei.
  • C somente errou ao inverter a ordem de oitiva do perito, tento em vista que a lei determina que, obrigatoriamente, sejam ouvidos primeiro o perito e depois as testemunhas.
  • D errou na questão da inversão da ordem das provas em audiência, bem como ao conceder prazo maior para uma das partes em detrimento das outras, ferindo o princípio da igualdade processual.
  • E errou unicamente ao conceder prazo para o ministério público, tendo em vista que somente as partes devem participar dos debates orais, cabendo ao promotor apenas manifestar-se por escrito por meio de memoriais.
34

Sobre a gratuidade dos atos processuais, assinale a alternativa correta.

  • A As multas processuais impostas ao beneficiário estão afastadas pela gratuidade concedida.
  • B Vencido o beneficiário na ação, este não será condenado nas obrigações decorrentes da sucumbência.
  • C A assistência de advogado particular impede a concessão do benefício da gratuidade.
  • D O direito à gratuidade se estende ao sucessor do beneficiário em caso de seu falecimento.
  • E A gratuidade poderá ser concedida em relação a algum ou a todos os atos processuais.
35

Luís ingressou com uma ação contra Mirela. Em 09.03 (sexta-feira), na audiência de instrução e julgamento, o juiz julgou a ação improcedente, saindo as partes intimadas de tal decisão nessa data. A parte sucumbente pretende recorrer da decisão do juiz.

Levando em consideração que, durante o prazo do recurso, não há qualquer feriado, é correto afirmar que

  • A Luís deverá interpor recurso de agravo de instrumento, e terá, para isso, prazo fatal até 30.03 (sexta-feira).
  • B Luís deverá interpor recurso de apelação, e terá, para isso, prazo fatal até 30.03 (sexta-feira).
  • C o recurso a ser manejado por Luís é o de agravo de instrumento, e ele terá 15 dias úteis para fazer tal peça processual, contados a partir de 09.03.
  • D Mirela deverá manejar recurso de apelação no prazo de 15 dias corridos, contados a partir de 12.03 (segunda-feira).
  • E tanto Luís quanto Mirela têm interesse de agir no recurso de apelação, e eles terão prazo comum de 15 dias úteis, contados de 12.03 (segunda-feira), para apresentar tal peça processual.
36

Assinale a alternativa correta no que diz respeito à mudança de lei que rege prazos e formas recursais no curso de uma ação.

  • A A lei a regular o recurso é aquela do momento da publicação da decisão recorrível.
  • B Os prazos processuais serão contados de acordo com a lei que regulava o recurso ao tempo da propositura da ação.
  • C Se o recurso foi suprimido por lei nova, valerá o direito adquirido no momento da propositura da ação.
  • D Os prazos serão contados pela lei vigente ao tempo da propositura da ação e a forma nos termos da lei nova.
  • E Se a lei nova diminuir o prazo recursal, ainda não em curso, valerá a contagem nos termos da lei anteriormente vigente.
37

Dr. Jonas era advogado da empresa MMC Ltda. Estudioso, preparou-se com afinco para o concurso da magistratura paulista e hoje é juiz da 1ª Vara Cível da Comarca de Santos, local onde atuou como advogado durante anos. Agora, ao analisar um processo, descobriu que está sob seu julgamento um caso no qual a empresa MMC é parte.

Nesse caso, é correto afirmar que Dr. Jonas

  • A é suspeito para atuar na causa, por isso deverá reconhecer tal suspeição e remeter os autos para seu substituto legal.
  • B está apto a julgar a ação, pois o fato de ter advogado para uma das partes antes de ser juiz em nada interfere na sua atuação e imparcialidade.
  • C é impedido, e, se tal impedimento não for reconhecido de ofício, o tribunal fixará o momento a partir do qual ele não poderia ter atuado.
  • D é suspeito, pois demonstra ser interessado em julgar a causa a favor do seu ex-cliente.
  • E é impedido, e poderá alegar que seu afastamento se dará em virtude de motivos de foro íntimo, sem necessidade de declarar suas razões.
38

Determinada lide esbarra numa súmula vinculante que favorece o réu na sua interpretação. Assim, pretende o réu que essa discussão seja imediatamente solucionada, requerendo tutela provisória nesse sentido, pelas vias processuais adequadas.

Nesse caso, é correto afirmar que

  • A para que seja concedida a tutela pretendida, será necessária a presença dos requisitos da verossimilhança, da alegação e do risco de dano.
  • B o réu não tem legitimidade para requerer tutela provisória nesse caso, pois esse pedido deve ser formulado exclusivamente pelo autor dessa demanda.
  • C o réu tem interesse em pleitear a provisória de evidência, independentemente da presença dos requisitos da verossimilhança, da alegação e do risco de dano.
  • D por se tratar de assunto que deve aguardar a cognição exauriente, o pedido de tutela provisória do réu deverá ser indeferido.
  • E só será concedida a tutela caso o réu a tenha pleiteado na forma de urgência antecipada antecedente.
39

Sobre o que dispõe a Lei n° 9.099/95, é correto afirmar:

  • A Nas causas de valor de até vinte salários-mínimos, as partes comparecerão pessoalmente, podendo ser assistidas por advogado; nas causas entre 20 e 40 salários-mínimos, a assistência de advogado é obrigatória.
  • B O menor de dezoito anos poderá ser autor, independentemente de assistência, inclusive para fins de conciliação.
  • C Nos procedimentos que tramitam perante os Juizados Especiais Cíveis, o réu, sendo pessoa jurídica ou titular de firma individual, poderá ser representado por preposto credenciado, munido de carta de preposição com poderes para transigir, havendo necessidade de vínculo empregatício.
  • D Dentre os meios de citação possíveis no âmbito dos Juizados Especiais, incluem-se: carta, oficial de justiça, edital e meios eletrônicos.
  • E Registrado o pedido, após distribuição e autuação, a Secretaria do Juizado designará a sessão de conciliação, a realizar-se no prazo de quinze dias.
40

Lucas Bastos propôs ação contra a empresa Limiar Ltda., pois teve seu nome negativado indevidamente. Requereu liminar, que foi indeferida pelo juiz de primeiro grau. Fez agravo de instrumento contra a decisão do juiz singular e requereu a declaração de efeito ativo ao recurso, pois estava pretendendo comprar uma casa e precisava de seu nome sem restrições. O relator indeferiu monocraticamente esse efeito.

Diante dessa decisão do relator, é correto afirmar que Lucas

  • A poderá manejar outro agravo de instrumento, por se tratar de decisão interlocutória que analisa tutela provisória.
  • B poderá manejar agravo retido, pois, apenas com o julgamento de outro recurso, essa situação poderá ser rediscutida.
  • C por estar diante de uma decisão irrecorrível, não tem meios de rediscutir a decisão do relator.
  • D tem como única forma recursal à sua disposição o pedido de retratação, claramente prescrito na nova sistemática processual.
  • E poderá manejar agravo interno, que é recurso cabível contra as decisões proferidas pelo relator.

Direito Processual Penal

41

A estrita disciplina do art. 157 do CPP, no que concerne às provas ilícitas, determina que elas são:

  • A aceitas de acordo com critérios de razoabilidade e proporcionalidade.
  • B inadmissíveis para condenação, mas podem motivar eventual absolvição.
  • C consideradas inadmissíveis se ofenderem disposições constitucionais, e admissíveis se ofenderem meras disposições legais
  • D inadmissíveis, mas devem permanecer no processo para fins de análise e eventual validação pelo segundo grau de jurisdição.
  • E inadmissíveis e devem ser desentranhadas do processo.
42

No tocante aos recursos, assinale a alternativa correta.

  • A O recurso será interposto por petição ou por termo nos autos, assinado pelo recorrente ou por seu representante.
  • B Caberá recurso, no sentido estrito, da decisão que receber a denúncia ou a queixa.
  • C Caberá apelação no prazo de 20 (vinte) dias das sentenças definitivas de condenação ou absolvição proferidas por juiz singular.
  • D O Ministério Público somente poderá desistir do recurso que haja interposto.
  • E Dentro de dez dias, contados da interposição do recurso, no sentido estrito, o recorrente oferecerá as razões e, em seguida, será aberta vista ao recorrido por igual prazo.
43

Assinale a alternativa correta no que diz respeito ao procedimento comum dos processos em espécie, consoante disposições do Código de Processo Penal.

  • A Ordinário, quando tiver por objeto crime cuja sanção máxima cominada for igual ou superior a 2 (dois) anos de pena privativa de liberdade.
  • B Sumário, quando tiver por objeto crime cuja sanção máxima cominada seja inferior a 4 (quatro) anos de pena privativa de liberdade.
  • C Sumário, quando tiver por objeto crime cuja sanção máxima cominada seja inferior a 5 (cinco) anos de pena privativa de liberdade.
  • D Sumaríssimo, quando tiver por objeto crime cuja sanção máxima cominada seja inferior a 3 (três) anos de pena privativa de liberdade.
  • E Ordinário, quando tiver por objeto crime cuja sanção máxima cominada for igual ou superior a 3 (três) anos de pena privativa de liberdade.
44

No tocante à prisão preventiva, é correto afirmar:

  • A poderá ser decretada quando houver dúvida sobre a identidade civil da pessoa ou quando esta não fornecer elementos suficientes para esclarecê-la.
  • B se o crime envolver violência doméstica e familiar contra a mulher, criança, adolescente, idoso, enfermo ou pessoa com deficiência, só poderá ser decretada em substituição das medidas protetivas de urgência.
  • C não poderá ser decretada em caso de descumprimento de qualquer das obrigações impostas por força de outras medidas cautelares.
  • D não pode ser decretada durante o Inquérito Policial, mas apenas durante o processo penal após o oferecimento da denúncia.
  • E poderá ser decretada como garantia da ordem pública, da ordem econômica, por conveniência da instrução criminal, ou para assegurar a aplicação da lei penal, sendo, em tais casos, irrelevante haver prova da existência do crime e indício suficiente de autoria.
45

Lei n.º 9.099/1995, artigo 69: “________que tomar conhecimento da ocorrência lavrará _____ e o encaminhará imediatamente ao Juizado, com o autor do fato e a vítima, providenciando-se as requisições dos exames periciais necessários”.

Assinale a alternativa que preenche, correta e respectivamente, as lacunas do texto

  • A O juiz leigo ... termo de registro criminal
  • B A autoridade policial ... termo circunstanciado
  • C A autoridade administrativa ... sindicância
  • D O promotor de justiça ... inquérito civil
  • E Qualquer policial ... auto de infração penal
46

No que concerne à prisão preventiva e às autoridades encarregadas de funcionar em procedimentos criminais, o Juiz, o Promotor de Justiça (órgão do Ministério Público) e o Delegado de Polícia (autoridade policial) podem, respectivamente, de acordo com os poderes distribuídos pelo art. 311 do CPP

  • A decretar de ofício ou mediante representação; apenas requerer a decretação; apenas representar pela decretação.
  • B decretar de ofício ou mediante representação; decretar mediante representação da vítima ou autoridade policial; decretar mediante representação da vítima.
  • C decretar apenas mediante representação; decretar mediante representação da vítima; apenas representar pela decretação.
  • D decretar apenas mediante representação do Promotor de Justiça; decretar mediante representação da vítima; apenas representar pela decretação com concordância da vítima.
  • E decretar apenas mediante representação; apenas requerer a decretação; apenas representar pela decretação
47

O processo perante o Juizado Especial Criminal objetivará, sempre que possível, a reparação dos danos sofridos pela vítima e a aplicação de pena não privativa de liberdade. Nesse contexto, de acordo com o expresso texto do art. 62 da Lei no 9.099/95, orientar- se ­á pelos critérios de

  • A oralidade, informalidade e economia processual, apenas.
  • B oralidade e economia processual, apenas.
  • C economia processual e celeridade, apenas.
  • D oralidade, informalidade, economia processual e celeridade, apenas.
  • E oralidade, informalidade, economia processual, celeridade e verdade formal.
48

A respeito do exame de corpo de delito e das perícias em geral, prevê o Código de Processo Penal que, quando a infração deixar vestígios, será

  • A elaborado laudo pericial, no prazo máximo de 5 (cinco) dias.
  • B indispensável o exame de corpo de delito, direto ou indireto, não podendo supri-lo a confissão do acusado.
  • C realizada perícia por perito oficial, portador de diploma de nível médio.
  • D inadmissível, em qualquer hipótese, a prova testemunhal.
  • E o juiz vinculado ao laudo, não podendo rejeitá-lo.

Direito Penal

49

Na execução das penas restritivas de direitos, o poder disciplinar será exercido

  • A pela autoridade administrativa a que estiver sujeito o condenado
  • B pelo juiz da condenação criminal.
  • C pela autoridade judicial a que estiver sujeito o egresso.
  • D pelo juiz da execução penal.
  • E pela autoridade judicial a que estiver sujeito o condenado.

Direito Processual Penal

50

Com relação aos processos em espécie, é correto afirmar:

  • A o procedimento comum será ordinário quando tiver, por objeto, crime cuja sanção máxima cominada seja inferior a 4 (quatro) anos de pena privativa de liberdade.
  • B o procedimento comum será sumário, quando tiver, por objeto, crime cuja sanção máxima cominada seja inferior a 4 (quatro) anos de pena privativa de liberdade.
  • C aplica-se a todos os processos o procedimento sumário, salvo disposições em contrário do Código de Processo Penal ou de lei especial.
  • D nos procedimentos ordinário e sumário, no caso de citação por edital, o prazo para a defesa começará a fluir a partir da data da publicação do Edital.
  • E o procedimento comum será sumário para as infrações penais de menor potencial ofensivo, na forma da lei.

Direito Constitucional

51
A Justiça Eleitoral tem uma peculiar organização no texto constitucional federal, sendo uma das ramificações da Justiça da União, embora os Tribunais Regionais Eleitorais tenham coordenação realizada por magistrados que têm origem na Justiça dos Estados e que compõem a presidência e a vice‐presidência desses órgãos. Nos termos da Constituição Federal, são considerados órgãos da Justiça Eleitoral:
  • A Juízes Eleitorais e Juntas Eleitorais
  • B Juízes Eleitorais e Comarcas Eleitorais.
  • C Tribunal Superior do Trabalho e Municípios Eleitorais.
  • D Tribunais Regionais Eleitorais e Circunscrições Eleitorais.
52

A República Federativa do Brasil rege-se nas suas relações internacionais, entre outros, pelo seguinte princípio:

  • A colaboração entre os povos para a evolução religiosa da humanidade.
  • B construção de uma sociedade internacional livre, justa e solidária.
  • C fruição total e absoluta dos direitos humanos.
  • D autodeterminação dos povos.
  • E uso autorizado da força para resposta aos ataques terroristas internacionais.
53

O Legislativo, o Executivo e o Judiciário são

  • A poderes governamentais.
  • B órgãos da Administração Pública.
  • C poderes da União.
  • D órgãos executores das políticas públicas estatais.
  • E órgãos soberanos do Estado.
54
“Mercedes é cidadã da Moldávia e está em trânsito pelo Brasil, tendo ficado retida no aeroporto internacional sediado no município Y, sem data provável de liberação para o seu destino final. Dada a sua condição de estrangeira,o serviço local suscita dúvidas quanto à aplicabilidade dos direitos fundamentais à sua situação." Nos termos da Constituição Federal, os direitos e garantias fundamentais são garantidos quanto à sua inviolabilidade expressamente aos estrangeiros
  • A visitantes do Brasil.
  • B residentes no Brasil.
  • C investidores no Brasil.
  • D em missão eventual no Brasil.
55

Sobre os cargos e funções públicas, é possível afirmar que a Constituição Federal

  • A impõe à administração pública indireta as mesmas regras proibitivas sobre a acumulação remunerada de cargos públicos voltadas à administração pública direta.
  • B veda a definição de critérios de admissão de pessoas portadoras de deficiência a cargos e empregos públicos.
  • C condiciona a nomeação em cargos em comissão à aprovação prévia em concurso público de provas ou de provas e títulos.
  • D restringe o exercício das funções de confiança exclusivamente aos servidores ocupantes de cargo efetivo com atribuições de natureza gerencial, orçamentária e financeira.
  • E permite a acumulação remunerada de dois cargos ou empregos privativos de profissionais de saúde, ainda que a profissão não esteja regulamentada.
56

Segundo a Constituição Federal, para que alguém seja considerado culpado é suficiente.

  • A condenação recorrível do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo
  • B sentença judicial criminal de primeira instância recorrível.
  • C decisão unânime do tribunal do júri da qual ainda caiba recurso.
  • D denúncia do Ministério Público recebida pelo Poder Judiciário
  • E sentença penal condenatória transitada em julgado.
57

O direito de reunião assegurado na Constituição Federal de 1988 contém as seguintes características:

  • A desnecessidade de prévio aviso à autoridade competente; não frustração de outra reunião anteriormente convocada para o mesmo local.
  • B ocorrência em locais abertos ao público; necessidade de autorização prévia.
  • C finalidade pacífica; participantes com ou sem armas.
  • D finalidade pacífica ou não; ocorrência em locais abertos ao público.
  • E ausência de armas pelos participantes; desnecessidade de autorização de autoridades públicas.
58

Estado Democrático de Direito é um sistema institucional

  • A em que o poder político não possui limites previstos em lei.
  • B em que há previsão e proteção aos direitos fundamentais.
  • C em que é necessário que as leis sejam em forma de código.
  • D que independe do respeito à dignidade da pessoa humana.
  • E em que votam somente as pessoas que possuem nível superior.
59

Um princípio do ensino consagrado no artigo 206 da Constituição Federal é aquele que afirma a

  • A primazia das instituições públicas de ensino sobre as particulares para receber matrículas em qualquer região.
  • B gratuidade do ensino em todos os níveis.
  • C gestão democrática nas escolas.
  • D homogeneidade de ideias e concepções pedagógicas praticadas.
  • E garantia de um padrão de qualidade.
60

De acordo com a Constituição da República Federativa do Brasil de 1988, são brasileiros naturalizados

  • A os nascidos no estrangeiro de pai brasileiro ou de mãe brasileira, desde que sejam registrados em repartição brasileira competente.
  • B os nascidos na República Federativa do Brasil, ainda que de pais estrangeiros, desde que estes não estejam a serviço de seu país.
  • C os estrangeiros de qualquer nacionalidade, residentes na República Federativa do Brasil há mais de quinze anos ininterruptos e sem condenação penal.
  • D os que, na forma da lei, adquiram a nacionalidade brasileira, exigidas aos originários de países de língua portuguesa apenas residência por um ano ininterrupto e idoneidade moral.

Direito Administrativo

61

Há diferenciação constitucional entre servidor público e empregado público. Porém, há um requisito fundamental que os iguala. Assinale a alternativa que contém esse requisito.

  • A A estabilidade é rigorosamente igual para ambos.
  • B Ambos devem ser submetidos a concurso público.
  • C Do ponto de vista trabalhista, ambos são estatutários.
  • D A CLT rege a relação trabalhista de ambos.
  • E Não há necessidade de motivação para demissão para ambos.
62

Em uma repartição pública federal, servidor público que tenha o seu cônjuge sob sua chefia imediata, segundo o disposito na Lei n.º 8.112/90, caracterizará uma relação funcional:

  • A proibida por lei
  • B permitida legalmente
  • C permitida legalmente apenas se os cargos de ambos fo- rem cargos em comissão.
  • D proibida por lei apenas se um dos cargos for cargo em comissão.
  • E permitida legalmente apenas se os cargos de ambos fo- rem estatutários.
63

Roberta é servidora da UFRJ investida no cargo de Técnico em Tecnologia da Informação. Recentemente Roberta deu à luz uma criança e dirigiu-se à Seção de Pessoal da UFRJ para solicitar os benefícios garantidos pelo Plano de Seguridade Social do servidor. Os benefícios que Roberta terá direito a receber em virtude do nascimento do seu filho são:

  • A licença à gestante e auxílio-natalidade.
  • B licença à gestante e assistência à saúde.
  • C auxílio-natalidade e assistência à saúde.
  • D auxílio-natalidade e salário-família.
  • E licença à gestante e salário-família.
64
Qualquer ato de autoridade, para ser irrepreensível, deve conformar- se com a lei, com a moral da instituição e com o interesse público. Sobre o uso e abuso do poder, é INCORRETO afirmar que
  • A o uso do poder é lícito; o abuso, sempre ilícito
  • B o ato administrativo imoral ou ilegal expõe-se à nulidade
  • C o gênero abuso de poder ou abuso de autoridade reparte-se em duas espécies: o excesso de poder e o desvio de finalidade.
  • D o abuso do poder se manifesta sempre de forma comissiva, posto que a forma omissiva representa a inércia da autoridade administrativa.
65

A volta do servidor estável ao cargo anteriormente ocupado por ele é chamada de

  • A retorno.
  • B recondução.
  • C integração.
  • D reintegração.
  • E restituição.
66
“Quando da elaboração da Constituição Federal de 1988, o constituinte estabeleceu para todas as entidades estatais e seus desmembramentos administrativos a obrigação de indenizar o dano causado a terceiros por seus servidores, independentemente da prova de culpa no cometimento da lesão, assegurado o direito de regresso contra o responsável nos casos de dolo ou culpa.” Considerando tais informações, é correto afirmar que as pessoas jurídicas de direito público
  • A e as pessoas jurídicas de direito privado prestadoras de serviços públicos são responsáveis por tudo o que acontece com o cidadão. Trata-se do respeito ao Princípio da Eficiência.
  • B e as pessoas jurídicas de direito privado prestadoras de serviços públicos responderão pelos danos que qualquer cidadão causar a terceiros. Trata-se do respeito ao Princípio da Legalidade.
  • C e as de direito privado prestadoras de serviços públicos responderão pelos danos que seus agentes, nessa qualidade, causarem a terceiros, assegurado o direito de regresso contra o responsável nos casos de dolo ou culpa. Trata-se da responsabilidade civil da Administração.
  • D e as de direito privado prestadoras de serviços públicos responderão pelos danos que seus agentes, nessa qualidade, causarem a terceiros, assegurado o direito de regresso contra o responsável nos casos de dolo. Trata-se da responsabilidade administrativa e criminal do Estado.
67

A fiscalização do Município será exercida mediante controle

  • A interno pelo Poder Legislativo Municipal.
  • B externo pelo Poder Legislativo Municipal.
  • C interno pelo Tribunal de Contas Estadual.
  • D externo pela Procuradoria Geral do Município.
  • E interno pelo Órgão de Contas Municipal.
68

Em relação aos tipos de licitação pode-se afirmar que

  • A no tipo “melhor técnica”, o preço não influencia na contratação.
  • B finalizada a classificação das propostas o procedimento a ser seguido nas licitações de melhor técnica e técnica e preço são os mesmos.
  • C o tipo “melhor técnica” pode ser utilizado na seleção para qualquer tipo de contrato.
  • D no tipo melhor técnica e preço não é necessário que a primeira colocada cubra o melhor preço dentre as classificadas; esta exigência aplica-se ao tipo melhor preço.
69
“Genial é administrador público, gerindo bens e valores, devendo apresentar relatórios sobre os seus recebimentos e gastos aos órgãos de controle interno e de controle externo. Em determinado período, Genial não apresenta a necessária prestação de contas." Nos termos da lei que regula a improbidade administrativa tal ato afronta o(s)
  • A erário público.
  • B padrão regulamentar.
  • C enriquecimento sem causa.
  • D princípios da administração pública.
70

Nos termos da Lei nº 9.784/99, que regula o processo administrativo no âmbito da administração pública federal, os atos administrativos deverão ser motivados, com indicação dos fatos e dos fundamentos jurídicos, quando:

I. dispensem ou declarem a inexigibilidade de processo licitatório;

II. decorram de reexame de ofício;

III. importem anulação, revogação, suspensão ou convalidação de ato administrativo.

Estão corretas as alternativas

  • A I, II e III.
  • B I e II, apenas.
  • C I e III, apenas.
  • D II e III, apenas.

Matemática

71

A diferença e o produto entre o número de automóveis nacionais e importados em um estacionamento valem, respectivamente, 15 e 16. O total de automóveis nesse estacionamento é

  • A 17.
  • B 19.
  • C 23.
  • D 29.
  • E 31.
72

A soma dos n primeiros termos de uma progressão aritmética é dada por 3n2 – 2n, onde n é um número natural. Para essa progressão, o primeiro termo e a razão são, respectivamente,

  • A 7 e 1.
  • B 1 e 6.
  • C 6 e 1.
  • D 1 e 7.
  • E 6 e 7.
73

Uma grande loja fez uma promoção, durante certo período, para comemorar 10 anos de existência. Sabe-se que metade do número de pessoas que visitaram a loja nesse período efetuou compras, e que, dentre as pessoas que efetuaram compras, 110 receberam descontos promocionais. Se a cada 50 pessoas que efetuaram compras 4 receberam esse desconto, então é correto afirmar que o número total de pessoas que visitaram a loja no período de vigência, dessa promoção, foi igual a

  • A 2 750.
  • B 2 550
  • C 2 325
  • D 1 850.
  • E 1 375
74

A figura mostra um terreno retangular de 15 m por 25 m. Nesse terreno, há um jardim de forma também retangular que tem dois lados consecutivos contornados por uma calçada.



A calçada ocupa uma área de 168 m2 . Assim, uma equação que permite calcular corretamente o valor de x é:

  • A x2 – 30x + 69 = 0.
  • B 3x2 – 90x + 168 = 0.
  • C 3x2 – 90x + 375 = 0.
  • D 3x2 – 90x – 207 = 0.
  • E x2 – 30x – 125 = 0.
75

Em um número de cinco algarismos, o produto do algarismo das unidades com o algarismo das dezenas de milhar é igual a 3, e o produto do algarismo das dezenas com o algarismo das centenas é igual a 4. Nesse número, o produto de todos os algarismos é zero e existem mais algarismos ímpares do que pares; logo, a soma de seus algarismos é igual a

Considere a tabela das ordens e classes dos números:


  • A 6.
  • B 7.
  • C 8.
  • D 9.
  • E 10.
76

A média aritmética dos salários de 4 funcionários de uma empresa é R$ 2.500,00. A média aritmética dos salários dos dois primeiros é R$ 3.000,00, o quarto ganha R$ 500,00 a mais que o terceiro. Nesse caso, o salário do quarto empregado é igual a

  • A R$ 2.350,00.
  • B R$ 2.750,00.
  • C R$ 2.520,00.
  • D R$ 2.250,00.
  • E R$ 3.250,00.
77

Foram digitados 10 livros de 200 páginas cada um e armazenados em 0,0001 da capacidade de um microcomputador. Utilizando-se a capacidade total desse microcomputador, o número de livros com 200 páginas que é possível armazenar é

  • A 100.
  • B 1 000
  • C 10 000.
  • D 100 000.
  • E 1 000 000.
78

Gabriel gasta 1/3 do seu salário para pagar o aluguel, R$ 720,00 para pagar a faculdade, e 3/4 do restante para pagar as despesas com a casa (água/luz/telefone), que correspondem a R$ 360,00. A fração que representa quanto Gabriel paga de faculdade, em relação ao seu salário, é de:

  • A 3/2
  • B 1/2
  • C 2/5
  • D 1/4
  • E 3/4
79

Moradores de certo município foram ouvidos sobre um projeto para implantar faixas exclusivas para ônibus em uma avenida de tráfego intenso. A tabela, na qual alguns números foram substituídos por letras, mostra os resultados obtidos nesse levantamento.

Se a razão entre o número de mulheres e o número de homens, ambos contrários à implantação da faixa exclusiva para ônibus é de 3/10, então o número total de pessoas ouvidas nesse levantamento, indicado por T na tabela, é

  • A 1 140.
  • B 1 200.
  • C 1 280
  • D 1 300
  • E 1 320.
80

André, Bruno e Caio fizeram uma prova para um determinado concurso e, após conferirem seus gabaritos, perceberam que a soma das questões certas dos três juntos era 150. Sabendo-se que o número de questões que Caio acertou corresponde à metade da soma das questões certas de André e Bruno e que Bruno acertou 10 questões a mais do que André, então o número de questões que Bruno acertou a mais do que Caio foi

  • A 6.
  • B 7.
  • C 5.
  • D 8.
  • E 9.

Noções de Informática

81

Em relação aos termos comuns utilizados no Microsoft Excel 2010, relacione adequadamente as colunas a seguir. 

1.  Conjunto de células, organizadas em linhas e colunas.  
2.  Cada um dos “quadrinhos” que formam uma planilha. São formados pelo encontro de uma linha e uma coluna.   
3.  Sequência vertical de células identificada por uma letra, que fica no topo da planilha.
4.  Sequência horizontal de células, identificada por um número que fica do lado esquerdo da planilha.  
5.  Sequência de texto e símbolos usados para realizar qualquer cálculo no Excel. Deve começar com o sinal de igual.  
6.  Fórmula pré-montada, pronta para o preenchimento de valores. 

(     ) Célula. 
(     ) Função. 
(     ) Planilha. 
(     ) Fórmula. 
(     ) Coluna. 
(     ) Linha. 

A sequência está correta em

  • A 1, 4, 6, 3, 2, 5.
  • B 2, 6, 1, 5, 3, 4.
  • C 3, 5, 6, 2, 4, 1.
  • D 4, 3, 5, 6, 1, 2.
82

Analise a seguir a imagem de uma planilha produzida na ferramenta Microsoft Office Excel 2003 (configuração padrão).


De acordo com a imagem anterior, afirma-se que está selecionada a célula

  • A A1.
  • B B2.
  • C C3.
  • D D4.
83

No MS-Windows 7, na sua configuração padrão, o resultado da operação de recortar (Ctrl + X) um arquivo e colar (Ctrl + V) no mesmo diretório de origem é o seguinte:

  • A Será criada uma cópia do arquivo com o mesmo nome do arquivo original acrescido do número 1.
  • B O arquivo origem será excluído.
  • C Uma mensagem “Os nomes de arquivo de origem e de destino são iguais” é exibida.
  • D O arquivo origem será movido para o drive C:\
  • E Uma mensagem aparecerá solicitando a confirmação da Exclusão do arquivo (Sim ou Não).
84

Com relação ao e-mail, assinale a alternativa que apresenta um endereço eletrônico válido

  • A feliz.da.silva@@hotmail.com
  • B nível-@ gmail.com
  • C www.terra.com.br
  • D verdade.gmail.com
  • E duvida@empresa1.com
85

Observe a figura a seguir, que apresenta parte da área de trabalho do MS­Windows 7, em sua configuração padrão.
Considere que a pasta Geral está vazia.


Assinale a alternativa que descreve o que acontece quand o o usuário seleciona o documento Anotações, pressiona o atalho de teclado Ctrl+X, abre a pasta Geral no Windows Explorer e então, pressiona o atalho de teclado Ctrl+V.

  • A Uma cópia de Anotações é enviada para pasta Geral.
  • B Um atalho para Anotações é criado na área de trabalho.
  • C Anotações é movido para a pasta Geral.
  • D Um atalho para Anotações é criado na pasta Geral.
  • E Uma cópia de Anotações é criada na área de trabalho.
86

No MS­PowerPoint 2010, é possível inserir os chamados SmartArt. Assinale a alternativa que contenha apenas tipos de SmartArt presentes no MS­PowerPoint 2010.

  • A Dimensional e Ciclo.
  • B Integral e Relação.
  • C Parcial e Pirâmide.
  • D Processo e Matriz.
  • E Relacional e Lista.
87

Observe a imagem a seguir, contendo uma página web que está sendo exibida no aplicativo Firefox.



O endereço da página web que será aberta ao clicar no local indicado pelo mouse é:

  • A Próximos
  • B Concursos
  • C www.vunesp.com.br
  • D www.unesp.br
  • E www.vunesp.com.br/cproximos.html
88

O botão Área de Impressão encontrado no menu Layout da Página do MS-Excel 2010, na sua configuração padrão, permite definir a área de impressão de intervalo(s) de células previamente selecionado(s) de

  • A várias planilhas de um grupo adjacente de células.
  • B várias pastas de trabalho de uma planilha.
  • C uma pasta de trabalho da planilha.
  • D uma planiha da pasta de trabalho.
  • E várias planilhas de uma célula.
89

Considere a figura a seguir, retirada do MS-Word 2010, em sua configuração padrão, para responder à questão.



O nome da guia a que pertence o grupo exibido na figura é

  • A Inserir.
  • B Exibição.
  • C Layout da Página.
  • D Página Inicial.
  • E Revisão.
90

No sistema operacional Windows 7, em sua configuração padrão, deseja-se organizar os arquivos de maior interesse, de modo que eles possam ser vistos a partir de um único local. O recurso que pode ser utilizado para essa finalidade é a(o).

  • A Organizador de Arquivos.
  • B Barra de Tarefas.
  • C Biblioteca.
  • D Barra de Arquivos.
  • E Barra de Ferramentas.

Raciocínio Lógico

91

Uma oficina especializada em bicicletas treina seus funcionários para que, por hora, cada um repare 10 pneus furados ou para que, a cada duas horas, faça a revisão completa em 3 bicicletas. Um mesmo funcionário pode, no mesmo dia, fazer revisões completas e reparos em pneus. Se essa oficina estima que, a cada 8 horas, irá reparar 100 pneus e fazer revisões completas em 105 bicicletas, deverá contar com um número de funcionários, no mínimo, igual a

  • A 9.
  • B 10.
  • C 11.
  • D 12.
  • E 13.
92

Renata, Adriana e Virgínia são três gerações de uma mesma família.Uma delas é cantora, a outra é filósofa, e a mais nova, a neta, é professora. Adriana é a mais nova. Renata é a mais velha e não é cantora. Logo,

  • A Renata é professora.
  • B Virgínia é avó.
  • C Renata é cantora
  • D Adriana é mãe
  • E Virgínia é cantora.
93

João, Antônio e Carlos participaram de uma corrida e ficaram nas três primeiras posições, não necessariamente nessa ordem. Considerando que João sempre fala a verdade, Carlos nunca fala a verdade e Antônio às vezes fala a verdade, analise:

o que chegou primeiro disse: “Eu sou Antônio”;
o que chegou em segundo disse: “João é quem chegou em primeiro”;
o que chegou em terceiro disse: “Carlos é quem chegou em primeiro”.

A ordem do 1º ao 3º colocado é, respectivamente,

  • A Antônio, Carlos e João.
  • B Antônio, João e Carlos.
  • C Carlos, Antônio e João.
  • D Carlos, João e Antônio.
94

Considere verdadeira a seguinte afirmação: “Todos os primos de Mirian são escreventes”.

Dessa afirmação, conclui­se corretamente que

  • A se Pâmela não é escrevente, então Pâmela não é prima de Mirian.
  • B se Jair é primo de Mirian, então Jair não é escre­ vente.
  • C Mirian é escrevente
  • D Mirian não é escrevente.
  • E se Arnaldo é escrevente, então Arnaldo é primo de Mirian
95

Uma epidemia de gripe atingiu 20% dos alunos de uma escola. Sabendo-se que 14 meninas contraíram a gripe e que 75% dos alunos que contraíram eram meninos, pode-se calcular corretamente que o total de alunos dessa escola é

  • A 240.
  • B 260.
  • C 280.
  • D 300.
  • E 320.
96

Dez fichas formam um monte. Na face inferior de cada ficha está impresso um número. A sequência ordenada, de baixo para cima, é: 1; 2; 3; 4; 5; 6; 7; 8; 9; 10. A ficha que está em cima do monte é colocada sob a ficha que está mais embaixo do monte; outra vez a ficha que está em cima do monte é colocada sob a ficha que está mais embaixo do monte; a terceira alteração é retirar do monte a ficha que está no topo e colocá-la à parte. Essas três etapas de modificação do monte são repetidas até que reste uma única ficha. A ficha que resta é a aquela em cujo número impresso é

  • A 1
  • B 3
  • C 7
  • D 8
  • E 10
97

Para organizar sua coleção de miniaturas, Erica comprou uma estante com um número fixo de nichos. Após colocar 4 miniaturas por nicho, 7 miniaturas ficaram fora da estante. Ao tentar colocar 5 miniaturas por nicho, 3 nichos ficaram vazios e um nicho ficou com 3 miniaturas.

A diferença entre o número de miniaturas e o número de nichos dessa prateleira é igual a

  • A 51.
  • B 59.
  • C 67.
  • D 71.
  • E 79.
98

Assim que recebe seu salário, Eliana faz a seguinte divisão do dinheiro:

• 1/5 do valor é aplicado na poupança;

• 1/10 do valor é utilizado para pagar uma viagem realizada;

• O restante é destinado às despesas da família ao longo do mês.

A fração do salário que representa a quantia utilizada nas despesas familiares ao longo do mês é

  • A 13/15
  • B 10/15
  • C 7/10
  • D 3/10
  • E 2/5
99

Três pessoas de uma empresa se candidataram para a coordenação de eventos. O funcionário eleito recebeu 45% dos votos, o segundo colocado obteve 2/3 do número de votos do vencedor e o último colocado recebeu 30 votos. Se todos os funcionários votaram, cada um, em apenas um dos três candidatos, a diferença de votos entre os dois menos votados é igual a

  • A 4.
  • B 6.
  • C 8.
  • D 10.
  • E 12.
100

Uma empresa pretende dar um novo benefício aos seus funcionários e, para tanto, fez um levantamento para descobrir a preferência dos funcionários por faixa etária. Os dados do levantamento foram:

Idade/Benefício Vale alimentação Plano de Saúde Total

Menos de 30 anos 513 R 788

De 30 a 50 anos S 206 394

Mais de 50 anos 24 Z Y

Total T 625 X

Sabendo que cada funcionário escolheu apenas uma dentre as duas opções de benefício, pode-se afirmar que, em relação aos funcionários com mais de 50 anos, a fração que representa aqueles que votaram pelo plano de saúde é

  • A 2/3
  • B 3/4
  • C 4/5
  • D 5/6
  • E 6/7
Voltar para lista