Resolver o Simulado Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ) - FDC

0 / 32

Administração de Recursos Materiais

1

A análise do comportamento do consumo de insumos é de fundamental importância para o acompanhamento da evolução de estoques de materiais de uma empresa.
Algumas causas determinam a existência de materiais integrantes do grupo utilizar até esgotar.

Assinale a alternativa que melhor representa uma dessas causas:

  • A perfeito conhecimento da vida útil do material;
  • B compra para aplicação futura e planejada;
  • C compra em quantidade abaixo da necessária;
  • D perfeito conhecimento dos estoques;
  • E materiais importados em vias de nacionalização.
2

O sistema de controle de estoques utilizado por uma empresa é o de revisão periódica ou sistema “P”. É correto afirmar que é uma vantagem apresentada por esse sistema:

  • A individualizar a frequência de revisão dos estoques.
  • B permitir estoques de segurança menores, com a consequente redução de custos.
  • C concentrar de forma regular as entregas e os recebimentos dos materiais com economias operacionais importantes.
  • D facilitar o planejamento do transporte e agilizar outras funções operacionais uma vez que as limitações de áreas para armazenamento, por exemplo, produzem a necessidade de quantidades fixas nos lotes de reposição
3

A técnica que determina as necessidades de compras de materiais que serão utilizados na fabricação de um certo produto, através da lista de materiais obtida da estrutura analítica do produto, é a denominada:

  • A EDI
  • B MRP
  • C Just-in-time
  • D Ponto de pedido

Gestão de Pessoas

4

“O administrador precisa conhecer as necessidades humanas e utilizar a motivação humana como poderoso meio para melhorar a qualidade de vida dentro das organizações”.
A afirmação acima melhor se relaciona com o que a Teoria da Administração denomina de abordagem:

  • A neoclássica
  • B humanística
  • C comportamental
  • D clássica
  • E estruturalista
5

Uma empresa pretende redesenhar seus cargos utilizando o conceito de modelo contingencial. Dessa forma, passa a ser uma orientação central para esse redesenho de cargos a:

  • A dinâmica do desenvolvimento pessoal do ocupante e do desenvolvimento tecnológico da tarefa;
  • B busca pela cadência e medição por estudos de tempo e movimento;
  • C estabilidade e permanência no processo criativo de longo prazo;
  • D relevância do contexto do cargo, das pessoas, grupos sociais;
  • E padronização das atividades humanas dentro do processo de produção.

Administração Geral

6

Liderança é capacidade de influenciar o comportamento humano para um objetivo comum. Existem teorias de liderança com ênfases diferenciadas. O estilo de liderança que possui ênfase no subordinado é o:

  • A laissez-faire
  • B democrático
  • C autocrático
  • D situacional
7

Considere que o gerente de um departamento adota a denominada teoria Y de McGregor. Nesse caso, é natural que ele perceba seus subordinados como funcionários que:

  • A têm desprazer em trabalhar e procuram evitá-lo sempre que possível
  • B precisam ser coagidos e controlados para trabalhar
  • C preferem ser dirigidos e evitam responsabilidades
  • D gostam de exercitar a autodireção e autocontrole

Português

8

TEXTO - A JUSTIÇA
José Pacheco, Dicionário de valores

Bento XVI diz que os cristãos não deverão respeitar leis injustas. Mas, num país que conta mais de um milhão de leis, a única lei que se cumpre sem exceção parece ser a da gravidade... Pois que se aja e se assuma resiliência, porque ainda há gente que se importa. Numa época de injustiças como a nossa, façamos a nossa parte, façamos luz sobre os males de que o mundo padece, para que sejam abertos rasgões de luz na cortina de escuridão que sobre ele caiu, e sob a qual prosperam ladrões e tiranos. Urge debelar o medo, esse disfarce usado quando se faz o que sempre se fez, como se nada de indigno tivesse acontecido.

Diz-nos o dicionário que valor (do latim valore) é qualidade de quem pratica atos extraordinários e, eticamente, um princípio passível de orientar a ação humana. Se assim for, convirá seguir o preceito do Dalai Lama: “Precisamos ensinar, do jardim de infância até a Faculdade, que a moralidade é o caminho da felicidade. O sistema educacional moderno presta somente atenção ao desenvolvimento do cérebro e não o desenvolvimento moral”. Porque, se a escola não é o primeiro lugar para se educar o indivíduo, também não deverá ser o primeiro lugar para deseducá-lo; mas um lugar e tempo de aprendizagem de valores. Quando, no quadro de uma reorganização curricular, instituiu-se “uma hora semanal de Educação para a cidadania”, eu questionei os autores da proposta: por que razão não deveriam ser as restantes horas de “Educação na cidadania”? Quem nunca viu uma criança furando a fila de merenda? Quem nunca viu a família dessa criança jogando lixo na rua e entupindo os bueiros? Até que ponto a escola pode promover uma inútil acumulação cognitiva e se demitir da função de educar?

Clamemos por justiça, onde quer que os nossos atos possam promovê-la, atenuando a crise da sua ausência. Leonardo Boff nos diz que a crise que nos afeta não é uma crise cíclica e que uma nova ordem mundial é necessária, um novo modo de habitar a Terra. E Alain Touraine lança um alerta: “ou a crise acelera a formação de uma nova sociedade, ou virá um tsunami que poderá arrasar tudo pela frente, pondo em perigo mortal a nossa própria existência no planeta”



Na frase “a única lei que se cumpre sem exceção parece ser a da gravidade”, há um certo tom humorístico; esse humor é produzido basicamente pelo seguinte fato:

  • A pela crítica ao não cumprimento de leis no Brasil.
  • B pela polissemia da palavra lei, tomada em sentido diverso.
  • C pela denúncia contra a desigualdade dos cidadãos diante das leis.
  • D pela incoerência entre termos, já que a lei da gravidade não pode deixar de ser cumprida.
9

Um homem leal (fragmento)

Apaguemos a lanterna de Diógenes: achei um homem. Não é príncipe, nem eclesiástico, nem filósofo, não pintou uma grande tela, não escreveu um belo livro, não descobriu nenhuma lei científica. (...)

Não, o homem que achei não é nada disso. É um barbeiro, mas tal barbeiro que, sendo barbeiro, não é exatamente barbeiro. Perdoai a logomaquia; o estilo ressente-se da exaltação da minha alma. Achei um homem. Se aquele cínico Diógenes pode ouvir, do lugar onde está, as vozes cá de cima, deve cobrir-se de vergonha e tristeza; achei um homem. E importa notar que não andei atrás dele. Estava em casa muito sossegado, com os olhos nos jornais e o pensamento nas estrelas, quando um pequenino anúncio me deu rebate ao pensamento, e este desceu mais rápido que o raio até o papel. Então li isto: “Vende-se uma casa de barbeiro fora da cidade, o ponto é bom e o capital diminuto; o dono vende por não entender...”

Eis aí o homem. Não lhe ponho o nome, por não vir no anúncio, mas a própria falta dele faz crescer a pessoa. O ato sobra. Essa nobre confissão de ignorância é um modelo único de lealdade, de veracidade, de humanidade. (...)

O autor admira e elogia no homem do anúncio o fato de ele

  • A vender a barbearia a outra pessoa mais necessitada.
  • B exercer honestamente a profissão de barbeiro.
  • C vender a barbearia por não gostar do ofício.
  • D confessar que não entendia do ofício.
  • E não querer mais trabalhar em nenhum ofício.
10

Um homem leal (fragmento)

Apaguemos a lanterna de Diógenes: achei um homem. Não é príncipe, nem eclesiástico, nem filósofo, não pintou uma grande tela, não escreveu um belo livro, não descobriu nenhuma lei científica. (...)

Não, o homem que achei não é nada disso. É um barbeiro, mas tal barbeiro que, sendo barbeiro, não é exatamente barbeiro. Perdoai a logomaquia; o estilo ressente-se da exaltação da minha alma. Achei um homem. Se aquele cínico Diógenes pode ouvir, do lugar onde está, as vozes cá de cima, deve cobrir-se de vergonha e tristeza; achei um homem. E importa notar que não andei atrás dele. Estava em casa muito sossegado, com os olhos nos jornais e o pensamento nas estrelas, quando um pequenino anúncio me deu rebate ao pensamento, e este desceu mais rápido que o raio até o papel. Então li isto: “Vende-se uma casa de barbeiro fora da cidade, o ponto é bom e o capital diminuto; o dono vende por não entender...”

Eis aí o homem. Não lhe ponho o nome, por não vir no anúncio, mas a própria falta dele faz crescer a pessoa. O ato sobra. Essa nobre confissão de ignorância é um modelo único de lealdade, de veracidade, de humanidade. (...)

Tendo como fundamento o padrão culto da Língua, a concordância nominal e a verbal estão corretas em:

  • A a sala estava meia escura, mas, com certeza, havia menas pessoas;
  • B a sala estava meio escura, mas, com certeza, haviam menos pessoas;
  • C a sala estava meio escura, mas, com certeza, havia menos pessoas;
  • D a sala estava meia escura, mas, com certeza, haviam menos pessoas;
  • E a sala estava meio escura, mas, com certeza, havia menas pessoas.
11

TEXTO - A JUSTIÇA
José Pacheco, Dicionário de valores

Bento XVI diz que os cristãos não deverão respeitar leis injustas. Mas, num país que conta mais de um milhão de leis, a única lei que se cumpre sem exceção parece ser a da gravidade... Pois que se aja e se assuma resiliência, porque ainda há gente que se importa. Numa época de injustiças como a nossa, façamos a nossa parte, façamos luz sobre os males de que o mundo padece, para que sejam abertos rasgões de luz na cortina de escuridão que sobre ele caiu, e sob a qual prosperam ladrões e tiranos. Urge debelar o medo, esse disfarce usado quando se faz o que sempre se fez, como se nada de indigno tivesse acontecido.

Diz-nos o dicionário que valor (do latim valore) é qualidade de quem pratica atos extraordinários e, eticamente, um princípio passível de orientar a ação humana. Se assim for, convirá seguir o preceito do Dalai Lama: “Precisamos ensinar, do jardim de infância até a Faculdade, que a moralidade é o caminho da felicidade. O sistema educacional moderno presta somente atenção ao desenvolvimento do cérebro e não o desenvolvimento moral”. Porque, se a escola não é o primeiro lugar para se educar o indivíduo, também não deverá ser o primeiro lugar para deseducá-lo; mas um lugar e tempo de aprendizagem de valores. Quando, no quadro de uma reorganização curricular, instituiu-se “uma hora semanal de Educação para a cidadania”, eu questionei os autores da proposta: por que razão não deveriam ser as restantes horas de “Educação na cidadania”? Quem nunca viu uma criança furando a fila de merenda? Quem nunca viu a família dessa criança jogando lixo na rua e entupindo os bueiros? Até que ponto a escola pode promover uma inútil acumulação cognitiva e se demitir da função de educar?

Clamemos por justiça, onde quer que os nossos atos possam promovê-la, atenuando a crise da sua ausência. Leonardo Boff nos diz que a crise que nos afeta não é uma crise cíclica e que uma nova ordem mundial é necessária, um novo modo de habitar a Terra. E Alain Touraine lança um alerta: “ou a crise acelera a formação de uma nova sociedade, ou virá um tsunami que poderá arrasar tudo pela frente, pondo em perigo mortal a nossa própria existência no planeta”



O alerta final do texto recorre argumentativamente à seguinte estratégia:

  • A interessar o leitor a fazer algo, destacando os benefícios de sua ação.
  • B seduzir o leitor, apelando para a sua responsabilidade social.
  • C constranger o leitor, indicando nossos maus procedimentos
  • D amedrontar o leitor, mostrando-lhe os perigos próximos.
12

Um homem leal (fragmento)

Apaguemos a lanterna de Diógenes: achei um homem. Não é príncipe, nem eclesiástico, nem filósofo, não pintou uma grande tela, não escreveu um belo livro, não descobriu nenhuma lei científica. (...)

Não, o homem que achei não é nada disso. É um barbeiro, mas tal barbeiro que, sendo barbeiro, não é exatamente barbeiro. Perdoai a logomaquia; o estilo ressente-se da exaltação da minha alma. Achei um homem. Se aquele cínico Diógenes pode ouvir, do lugar onde está, as vozes cá de cima, deve cobrir-se de vergonha e tristeza; achei um homem. E importa notar que não andei atrás dele. Estava em casa muito sossegado, com os olhos nos jornais e o pensamento nas estrelas, quando um pequenino anúncio me deu rebate ao pensamento, e este desceu mais rápido que o raio até o papel. Então li isto: “Vende-se uma casa de barbeiro fora da cidade, o ponto é bom e o capital diminuto; o dono vende por não entender...”

Eis aí o homem. Não lhe ponho o nome, por não vir no anúncio, mas a própria falta dele faz crescer a pessoa. O ato sobra. Essa nobre confissão de ignorância é um modelo único de lealdade, de veracidade, de humanidade. (...)

A oração em que a conjunção destacada possui valor semântico de oposição é

  • A “Não é príncipe, nem eclesiástico, nem filósofo, não pintou uma grande tela, não escreveu um belo livro...”
  • B “É um barbeiro, mas tal barbeiro que, sendo barbeiro, não é exatamente barbeiro.”
  • CSe aquele cínico Diógenes pode ouvir, do lugar onde está, as vozes de cá de cima...”
  • D “deve cobrir-se de vergonha e de tristeza: achei um homem.”
  • E “Não, o homem que achei não é nada disso.”
13
A COPA DO MUNDO PERDIDA
Chico Alencar, O Globo, 14/02/2014
“O conhecimento do Brasil passa pelo Futebol” (José Lins do Rego)
A seleção brasileira de futebol tem boas chances de ganhar a Copa do Mundo. Mas os titulares da política, em termos de conquistas permanentes para a sociedade, o propalado “legado social”, já desperdiçaram uma grande oportunidade.
Fico só no estritamente prometido pelos promotores do evento esportivo, já que iniciativas em educação e saúde, por exemplo, nem no banco de reservas ficaram. Recursos não faltaram, especialmente os públicos. As suntuosas “arenas” reformadas ou erguidas consumiram R$8,9 bilhões, dos quais só R$133 milhões da iniciativa privada. É a prova, em concreto e aço, de que, no Brasil, quando se quer, se faz. Mesmo os atrasos de praxe são resolvidos rapidamente, com aditivos contratuais. A junção de trabalho operoso, tecnologia de ponta e vontade política tudo realiza. E no padrão que a “mestra Fifa” mandou... O que fazer com os “elefantes brancos” fica para depois.
Não faltaram recursos também para os Centros de Treinamento ofertados às 31 seleções que chegarão aqui até junho. Foram preparados nada menos que 74 estádios e instalações, em várias cidades. (....) Gol contra mesmo são as obras de mobilidade urbana. As 56 intervenções viárias e de transporte de massa previstas nas 12 cidades-sede caíram para 39 - das quais apenas meia dúzia está concluída. Seu impacto no dia a dia da população será pequeno. Entre o prometido e o que está sendo entregue há um abismo. É que, ao contrário do destinado aos equipamentos esportivos, os cortes foram de R$8,34 bilhões, quase 50% do investimento previsto em 2010. Assim, essas iniciativas resumem-se a acessos aos estádios e melhorias das vias nos seus entornos. Em Manaus, o placar das obras viárias não sai do zero, Brasília e Rio só terão uma e Cuiabá, Salvador e Porto Alegre, duas. Resultados frustrantes para quem anunciava verdadeiras “goleadas” na locomoção da população das regiões metropolitanas, de 2014 em diante.
O Brasil fora das quatro linhas não é uma “caixinha de surpresas”: como é de nossa má tradição, faltou o jogo coletivo, o respeito ao público. E, como um time com setores desarticulados, sobrou distância entre o planejado e o realizado, entre o social de longo prazo e o ganho particular imediato. A Copa da Fifa será um evento ruidoso, agitado e ... passageiro. Em matéria de legado, já fomos desclassificados.

O título dado ao texto - Copa do Mundo perdida - se justifica porque se refere:

  • A à provável derrota do Brasil na Copa do Mundo.
  • B ao fracasso do Brasil, no Maracanã, na Copa de 1950.
  • C à possibilidade de o Brasil não ter seus preparativos concluídos.
  • D ao fato de o Brasil não ter aproveitado a ocasião para criar progresso.
  • E à circunstância de nosso país não ter cumprido seus compromissos internacionais com a Fifa.
14

TEXTO - A JUSTIÇA
José Pacheco, Dicionário de valores

Bento XVI diz que os cristãos não deverão respeitar leis injustas. Mas, num país que conta mais de um milhão de leis, a única lei que se cumpre sem exceção parece ser a da gravidade... Pois que se aja e se assuma resiliência, porque ainda há gente que se importa. Numa época de injustiças como a nossa, façamos a nossa parte, façamos luz sobre os males de que o mundo padece, para que sejam abertos rasgões de luz na cortina de escuridão que sobre ele caiu, e sob a qual prosperam ladrões e tiranos. Urge debelar o medo, esse disfarce usado quando se faz o que sempre se fez, como se nada de indigno tivesse acontecido.

Diz-nos o dicionário que valor (do latim valore) é qualidade de quem pratica atos extraordinários e, eticamente, um princípio passível de orientar a ação humana. Se assim for, convirá seguir o preceito do Dalai Lama: “Precisamos ensinar, do jardim de infância até a Faculdade, que a moralidade é o caminho da felicidade. O sistema educacional moderno presta somente atenção ao desenvolvimento do cérebro e não o desenvolvimento moral”. Porque, se a escola não é o primeiro lugar para se educar o indivíduo, também não deverá ser o primeiro lugar para deseducá-lo; mas um lugar e tempo de aprendizagem de valores. Quando, no quadro de uma reorganização curricular, instituiu-se “uma hora semanal de Educação para a cidadania”, eu questionei os autores da proposta: por que razão não deveriam ser as restantes horas de “Educação na cidadania”? Quem nunca viu uma criança furando a fila de merenda? Quem nunca viu a família dessa criança jogando lixo na rua e entupindo os bueiros? Até que ponto a escola pode promover uma inútil acumulação cognitiva e se demitir da função de educar?

Clamemos por justiça, onde quer que os nossos atos possam promovê-la, atenuando a crise da sua ausência. Leonardo Boff nos diz que a crise que nos afeta não é uma crise cíclica e que uma nova ordem mundial é necessária, um novo modo de habitar a Terra. E Alain Touraine lança um alerta: “ou a crise acelera a formação de uma nova sociedade, ou virá um tsunami que poderá arrasar tudo pela frente, pondo em perigo mortal a nossa própria existência no planeta”



Em todas as alternativas abaixo está presente o conectivo E; o segmento em que esse conectivo apresenta um valor não aditivo, como nos demais, é:

  • A “Pois que se aja e se assuma resiliência...”.
  • B “...mas um lugar e tempo de aprendizagem de valores”
  • C “...a escola pode apenas promover uma inútil acumulação cognitiva e se demitir da função de educar?”.
  • D “...é qualidade de quem pratica atos extraordinários e, eticamente, um princípio passível de orientar a ação humana”.
15

TEXTO - A JUSTIÇA
José Pacheco, Dicionário de valores

Bento XVI diz que os cristãos não deverão respeitar leis injustas. Mas, num país que conta mais de um milhão de leis, a única lei que se cumpre sem exceção parece ser a da gravidade... Pois que se aja e se assuma resiliência, porque ainda há gente que se importa. Numa época de injustiças como a nossa, façamos a nossa parte, façamos luz sobre os males de que o mundo padece, para que sejam abertos rasgões de luz na cortina de escuridão que sobre ele caiu, e sob a qual prosperam ladrões e tiranos. Urge debelar o medo, esse disfarce usado quando se faz o que sempre se fez, como se nada de indigno tivesse acontecido.

Diz-nos o dicionário que valor (do latim valore) é qualidade de quem pratica atos extraordinários e, eticamente, um princípio passível de orientar a ação humana. Se assim for, convirá seguir o preceito do Dalai Lama: “Precisamos ensinar, do jardim de infância até a Faculdade, que a moralidade é o caminho da felicidade. O sistema educacional moderno presta somente atenção ao desenvolvimento do cérebro e não o desenvolvimento moral”. Porque, se a escola não é o primeiro lugar para se educar o indivíduo, também não deverá ser o primeiro lugar para deseducá-lo; mas um lugar e tempo de aprendizagem de valores. Quando, no quadro de uma reorganização curricular, instituiu-se “uma hora semanal de Educação para a cidadania”, eu questionei os autores da proposta: por que razão não deveriam ser as restantes horas de “Educação na cidadania”? Quem nunca viu uma criança furando a fila de merenda? Quem nunca viu a família dessa criança jogando lixo na rua e entupindo os bueiros? Até que ponto a escola pode promover uma inútil acumulação cognitiva e se demitir da função de educar?

Clamemos por justiça, onde quer que os nossos atos possam promovê-la, atenuando a crise da sua ausência. Leonardo Boff nos diz que a crise que nos afeta não é uma crise cíclica e que uma nova ordem mundial é necessária, um novo modo de habitar a Terra. E Alain Touraine lança um alerta: “ou a crise acelera a formação de uma nova sociedade, ou virá um tsunami que poderá arrasar tudo pela frente, pondo em perigo mortal a nossa própria existência no planeta”



“Precisamos ensinar, do jardim de infância até a Faculdade, que a moralidade é o caminho da felicidade. O sistema educacional moderno presta somente atenção ao desenvolvimento do cérebro e não o desenvolvimento moral”.

Esse pensamento do Dalai Lama é composto de dois períodos; o conectivo que estaria bem colocado entre esses dois períodos é:

  • A pois
  • B porém
  • C porque
  • D embora
16

Um homem leal (fragmento)

Apaguemos a lanterna de Diógenes: achei um homem. Não é príncipe, nem eclesiástico, nem filósofo, não pintou uma grande tela, não escreveu um belo livro, não descobriu nenhuma lei científica. (...)

Não, o homem que achei não é nada disso. É um barbeiro, mas tal barbeiro que, sendo barbeiro, não é exatamente barbeiro. Perdoai a logomaquia; o estilo ressente-se da exaltação da minha alma. Achei um homem. Se aquele cínico Diógenes pode ouvir, do lugar onde está, as vozes cá de cima, deve cobrir-se de vergonha e tristeza; achei um homem. E importa notar que não andei atrás dele. Estava em casa muito sossegado, com os olhos nos jornais e o pensamento nas estrelas, quando um pequenino anúncio me deu rebate ao pensamento, e este desceu mais rápido que o raio até o papel. Então li isto: “Vende-se uma casa de barbeiro fora da cidade, o ponto é bom e o capital diminuto; o dono vende por não entender...”

Eis aí o homem. Não lhe ponho o nome, por não vir no anúncio, mas a própria falta dele faz crescer a pessoa. O ato sobra. Essa nobre confissão de ignorância é um modelo único de lealdade, de veracidade, de humanidade. (...)

Baseando-se no sistema ortográfico em vigor, as palavras troféus e heróis são acentuadas pela mesma regra ortográfica que:

  • A histórias;
  • B após;
  • C árduo;
  • D álbum;
  • E papéis.
17

TEXTO - A JUSTIÇA
José Pacheco, Dicionário de valores

Bento XVI diz que os cristãos não deverão respeitar leis injustas. Mas, num país que conta mais de um milhão de leis, a única lei que se cumpre sem exceção parece ser a da gravidade... Pois que se aja e se assuma resiliência, porque ainda há gente que se importa. Numa época de injustiças como a nossa, façamos a nossa parte, façamos luz sobre os males de que o mundo padece, para que sejam abertos rasgões de luz na cortina de escuridão que sobre ele caiu, e sob a qual prosperam ladrões e tiranos. Urge debelar o medo, esse disfarce usado quando se faz o que sempre se fez, como se nada de indigno tivesse acontecido.

Diz-nos o dicionário que valor (do latim valore) é qualidade de quem pratica atos extraordinários e, eticamente, um princípio passível de orientar a ação humana. Se assim for, convirá seguir o preceito do Dalai Lama: “Precisamos ensinar, do jardim de infância até a Faculdade, que a moralidade é o caminho da felicidade. O sistema educacional moderno presta somente atenção ao desenvolvimento do cérebro e não o desenvolvimento moral”. Porque, se a escola não é o primeiro lugar para se educar o indivíduo, também não deverá ser o primeiro lugar para deseducá-lo; mas um lugar e tempo de aprendizagem de valores. Quando, no quadro de uma reorganização curricular, instituiu-se “uma hora semanal de Educação para a cidadania”, eu questionei os autores da proposta: por que razão não deveriam ser as restantes horas de “Educação na cidadania”? Quem nunca viu uma criança furando a fila de merenda? Quem nunca viu a família dessa criança jogando lixo na rua e entupindo os bueiros? Até que ponto a escola pode promover uma inútil acumulação cognitiva e se demitir da função de educar?

Clamemos por justiça, onde quer que os nossos atos possam promovê-la, atenuando a crise da sua ausência. Leonardo Boff nos diz que a crise que nos afeta não é uma crise cíclica e que uma nova ordem mundial é necessária, um novo modo de habitar a Terra. E Alain Touraine lança um alerta: “ou a crise acelera a formação de uma nova sociedade, ou virá um tsunami que poderá arrasar tudo pela frente, pondo em perigo mortal a nossa própria existência no planeta”



A alternativa em que o elemento negritado tem uma proposta de substituição INADEQUADA é:

  • A “...porque ainda há gente que se importa” / consciente.
  • B “...a única lei que se cumpre sem exceção...” / cumprida
  • C “...para que sejam abertos rasgões de luz na cortina de escuridão...” / luminosos.
  • D “...a única lei que se cumpre sem exceção parece ser a da gravidade” / excepcionalmente.

Direito Administrativo

18

Aplica-se a pena de suspensão ao servidor público que tiver a seguinte conduta:

  • A praticar incontinência pública
  • B revelar segredo apropriado em razão do cargo
  • C retirar, sem autorização, um objeto da repartição
  • D praticar usura sob qualquer de suas formas
19

Será obrigatória a instauração de processo disciplinar sempre que o ilícito praticado pelo servidor ensejar a imposição da seguinte penalidade:

  • A prisão administrativa
  • B advertência por escrito
  • C suspensão por 15 dias
  • D cassação de aposentadoria
20

No ato administrativo:

  • A a finalidade é o efeito jurídico imediato; o objeto, o efeito mediato;
  • B o objeto é o efeito jurídico imediato; a finalidade, o efeito mediato;
  • C o objeto e a finalidade são, ambos, efeitos imediatos;
  • D a finalidade e o objeto são, ambos, efeitos mediatos;
  • E o objeto é, parcialmente, o efeito mediato; a finalidade, facultativamente, o efeito jurídico imediato.
21

A é produtor cultural numa escola municipal e professor num colégio estadual; desse modo, A:

  • A poderá exercer mais um cargo público: o de professor;
  • B não poderá exercer qualquer outro cargo, emprego ou função pública;
  • C poderá exercer mais um emprego público: o de técnico em assuntos culturais;
  • D poderá exercer mais um cargo de professor, desde que seja no âmbito federal;
  • E poderá exercer mais um cargo, o de técnico em assuntos culturais, desde que seja no âmbito federal.
22

Personalidade jurídica de direito privado, derrogação parcial do regime de direito privado por normas de direito público:

  • A ambas são características unicamente das empresas públicas;
  • B aquela é característica da empresa pública; esta, da sociedade de economia mista;
  • C ambas são características comuns às empresas públicas e às sociedades de economia mista;
  • D esta é característica da empresa pública; aquela da sociedade de economia mista;
  • E ambas são características unicamente das sociedades de economia mista.
23

De acordo com a Lei no 11.079/ 2004, o contrato de parceria público-privada:

  • A deve possuir prazo mínimo de 5 e máximo de 35 anos e valor superior a R$ 20.000.000,00 (vinte milhões de reais).
  • B constitui contrato de concessão, na modalidade administrativa ou patrocinada, com prazo máximo de 20 anos, prorrogável uma única vez.
  • C constitui contrato de concessão, na modalidade administrativa ou patrocinada, esta última tendo a Administração pública como usuária direta ou indireta.
  • D constitui contrato de prestação de serviço, precedido de obra pública, com prazo compatível com a amortização dos investimentos.
  • E tem como objeto único o fornecimento de mão de obra ou a construção de obra pública, quando na modalidade concessão administrativa, e a prestação de serviços, quando na modalidade concessão patrocinada.
24

Como medida cautelar e a fim de que não venha a influir na apuração da irregularidade, a autoridade instauradora do processo disciplinar poderá determinar que o servidor seja afastado do exercício do cargo, pelo prazo de até:

  • A 60 dias
  • B 90 dias
  • C 120 dias
  • D 180 dias
25

Um servidor em atividade foi posto em exercício provisório em outro município. Este servidor terá o seguinte prazo mínimo, contado da publicação do ato, para a retomada do efetivo desempenho das atribuições do cargo:

  • A 10 dias
  • B 15 dias
  • C 20 dias
  • D 30 dias
26

De acordo com o Art. 6º da Lei 8666/93, toda atividade destinada a obter determinada utilidade de interesse para a Administração, como demolição, conserto, instalação, montagem, operação, conservação e adaptação, dentre outras, é definida como:

  • A manutenção
  • B reparação
  • C serviço
  • D obra
27

Segundo a Lei 11.079/ 2004, que estabelece as normas gerais para licitação e contratação de parceria público-privada no âmbito da administração pública, há um conjunto de diretrizes que devem ser seguidas para instituição destes arranjos. NÃO consta na Lei como uma das diretrizes estabelecidas:

  • A a eficiência no cumprimento das missões de Estado e no emprego dos recursos da sociedade.
  • B o respeito aos interesses e direitos dos destinatários dos serviços e dos entes privados incumbidos da sua execução.
  • C o controle permanente por parte da sociedade.
  • D a responsabilidade fiscal na celebração e execução das parcerias.
  • E a transparência dos procedimentos e das decisões.

Direito Constitucional

28

Um juiz, órgão monocrático do Poder Judiciário:

  • A pode declarar inconstitucional uma determinada lei, valendo sua declaração erga omnes;
  • B não pode declarar inconstitucional uma determinada lei;
  • C pode declarar inconstitucional uma determinada lei, mas sua decisão só valerá para o caso concreto;
  • D pode declarar inconstitucional uma determinada lei, mas sua decisão não produz qualquer efeito;
  • E poderá declarar a inconstitucionalidade de uma determinada lei, desde que assim autorizado pelo Supremo Tribunal Federal.
29

Projeto de lei de iniciativa do Presidente da República:

  • A tem discussão e votação iniciada na Câmara dos Deputados;
  • B pode ser objeto do chamado regime de urgência, mediante solicitação do Presidente da Mesa de uma das Casas;
  • C não necessita de sanção pelo Presidente, após sua aprovação pelo Congresso Nacional;
  • D não pode ser substituído por medida provisória;
  • E deve ser votado e aprovado em até 45 (quarenta e cinco) dias, sob pena de sobrestamento das demais deliberações no Congresso Nacional.
30

A organização e prestação do serviço público de transporte coletivo é de competência, pela Constituição:

  • A dos Municípios, que podem prestá-lo diretamente ou sob regime de concessão ou permissão;
  • B dos Municípios, Estados e Distrito Federal, que podem prestá-lo diretamente ou sob regime de concessão ou permissão;
  • C dos Estados e do Distrito Federal, que devem prestá-lo diretamente;
  • D da União, Estados e Distrito Federal, que sobre o assunto legislam concorrentemente;
  • E dos Municípios, que devem prestá-lo diretamente.
31

Mandado de segurança; habeas corpus:

  • A aquele é recurso de natureza constitucional; este, ação de natureza constitucional;
  • B ambos são recursos de natureza constitucional;
  • C ambos são ações de natureza constitucional;
  • D este é recurso de natureza constitucional; aquele, ação de natureza constitucional;
  • E ambos podem ser, ou não, recursos de natureza constitucional.
32

Pela prática de crime comum; pela prática de crime de responsabilidade:

  • A nesta hipótese, o Presidente da República é julgado pelo Supremo Tribunal Federal; naquela, pelo Superior Tribunal de Justiça;
  • B naquela hipótese, o Presidente da República é julgado pelo Supremo Tribunal Federal; nesta, pelo Superior Tribunal de Justiça;
  • C em ambas as hipóteses, o Presidente da República é julgado pelo Supremo Tribunal Federal;
  • D em ambas as hipóteses, o Presidente da República é julgado pelo Superior Tribunal de Justiça;
  • E nesta hipótese, o Presidente da República é julgado pelo Senado Federal; naquela, pelo Supremo Tribunal Federal.
Voltar para lista