Resolver o Simulado VUNESP

0 / 80

Legislação Federal

1

Nos termos do que dispõe a Lei Federal n.º 12.527/2011 (Lei de Acesso à Informação), quando se tratar de acesso à informação contida em documento cuja manipulação possa prejudicar sua integridade,

  • A o interessado deverá obter decisão judicial que lhe autorize o acesso.
  • B o próprio interessado poderá extrair cópia do documento, as suas próprias expensas e sob sua responsabilidade, devendo assinar declaração de que restituirá o documento em perfeitas condições.
  • C deverá ser negado o acesso ao interessado.
  • D deverá ser oferecida a consulta de cópia, com certificação de que esta confere com o original.
  • E o interessado poderá ter acesso direto ao documento que contém a informação, sem qualquer restrição, mas não poderá obter cópia.
2

É dever dos órgãos e entidades públicas promover a divulgação em local de fácil acesso, no âmbito de suas competências, de informações de interesse coletivo ou geral por eles produzidas ou custodiadas. Para esse fim, os órgãos e entidades públicas deverão utilizar todos os meios e instrumentos legítimos de que dispuserem, sendo obrigatória a divulgação em sítios oficiais da rede mundial de computadores (internet).

No entanto, ficam dispensados da divulgação obrigatória na internet

  • A as autarquias.
  • B as empresas públicas.
  • C os órgãos integrantes da Polícia Civil.
  • D as sociedades de economia mista.
  • E os Municípios com população de até dez mil habitantes.
3

Baseada na Lei de Acesso à Informação, Andrômeda Silva requereu formalmente determinada informação a órgão público. No entanto, a informação por ela solicitada, embora não sigilosa, encontra-se em documento no qual há outros dados considerados sigilosos. Nesse caso, a referida lei estabelece que

  • A Andrômeda poderá ter acesso ao documento integralmente, uma vez que o direito de acesso à informação do cidadão prevalece sobre o sigilo documental.
  • B Andrômeda terá, obrigatoriamente, que recorrer ao Poder Judiciário para obter a informação solicitada, pois a Administração Pública não poderá fornecer-lhe diretamente a informação.
  • C é assegurado à Andrômeda o acesso à parte não sigilosa do documento por meio de certidão, extrato ou cópia com ocultação da parte sob sigilo
  • D Andrômeda terá que aguardar por até um ano para obter o acesso à informação solicitada, até que o sigilo documental possa ser analisado e, eventualmente, afastado pela Administraçao pública
  • E nenhuma informação poderá ser fornecida à Andrômeda em razão do sigilo que incide sobre o respectivo documento
4

Cidadão procura a Câmara Municipal de Sertãozinho e elabora pedido de acesso à informação nos termos da Lei Federal n.º 12.527/11. O documento que conteria a resposta à solicitação do cidadão, no entanto, contém algumas informações sigilosas. Nesse caso, deverá a Câmara Municipal

  • A negar ao cidadão o acesso ao documento, a fim de preservar o sigilo que reveste as informações protegidas
  • B assegurar ao cidadão o acesso à parte não sigilosa do documento, por meio de certidão, extrato ou cópia com ocultação da parte sob sigilo.
  • C divulgar o conteúdo integral do documento ao cidadão, ficando este responsável por não reproduzir as informações sigilosas a que teve acesso.
  • D solicitar àqueles sobre quem o sigilo verse autorização para o acesso do cidadão ao documento.
  • E divulgar o conteúdo integral do documento ao cidadão, sem nenhuma restrição, em razão da prevalência do princípio da transparência.
5

Os procedimentos previstos na Lei n.º 12.527/2011 destinam-se a assegurar o direito fundamental de acesso à informação e devem ser executados em conformidade com os princípios básicos da administração pública e, dentre outras, com a seguinte diretriz:

  • A observância do sigilo da informação como preceito geral.
  • B utilização de meios de comunicação viabilizados pela tecnologia da informação.
  • C divulgação de informações de interesse privado, independentemente de solicitação.
  • D observância da publicidade das informações de interesse público, como exceção.
  • E desenvolvimento do controle privado da administração pública.
6

A Lei Federal n.º 12.527/11 considera imprescindíveis à segurança da sociedade ou do Estado e, portanto, passíveis de classificação, as informações

  • A que possam ser utilizadas para produção e transmissão de conhecimento, contidas em qualquer meio, suporte ou formato.
  • B coletadas na fonte, com o máximo de detalhamento possível, sem modificações.
  • C em registros ou documentos, produzidos ou acumulados por seus órgãos ou entidades, em arquivo público.
  • D produzidas, expedidas, recebidas ou modificadas por determinado indivíduo, equipamento ou sistema.
  • E cuja divulgação ou acesso irrestrito possam pôr em risco a vida, a segurança ou a saúde da população.
7

Com relação à Lei n.º 12.527/2011, que regula o acesso a informações previsto no inciso XXXIII do art. 5.º, no inciso II do § 3.º do art. 37 e no § 2.º do art. 216 da Constituição Federal, é correto afirmar que:

  • A poderá ser negado acesso à informação necessária à tutela judicial de direitos fundamentais.
  • B não é direito do requerente obter o inteiro teor de decisão de negativa de acesso, por certidão ou cópia
  • C poderá ser negado acesso à informação necessária à tutela administrativa de direitos fundamentais.
  • D o órgão ou entidade pública deverá autorizar ou conceder o acesso imediato à informação disponível.
  • E a classificação do sigilo de informações no grau de ultrassecreto é de competência de todas as autoridades que exerçam funções de direção, comando ou chefia.
8

A Lei n.º 12.037/2009, ao regular a identificação criminal do civilmente identificado, consignou que:

  • A a identificação criminal incluirá o processo datiloscópico e o fotográfico.
  • B apresentado documento de identificação, não poderá ocorrer identificação criminal.
  • C não é vedado mencionar a identificação criminal do indiciado em atestados de antecedentes, mesmo após o trânsito em julgado da sentença condenatória.
  • D apresentado documento de identificação, poderá ocorrer identificação criminal apenas nas hipóteses de rasura ou indícios de falsificação
  • E a identificação civil é atestada somente pela carteira de identidade.
9

Segundo o que estabelece a Lei n.º 8.691/93, a Carreira de Desenvolvimento Tecnológico é destinada a profissionais habilitados a exercer atividades específicas de pesquisa e desenvolvimento tecnológico, e é constituída de três cargos, a saber:

  • A Tecnologista; Técnico; Auxiliar-Técnico
  • B Analista em Ciência e Tecnologia; Assistente; Auxiliar
  • C Engenheiro; Tecnólogo; Assistente
  • D Engenheiro Sênior; Tecnologista; Auxiliar.
  • E Graduado; Trainee; Estagiário.
10

Para efeitos da Lei n.º 12.527/11 – Lei de Acesso à Informação, considera(m)-se como informação(ões) sigilosa(s)

  • A aquela relacionada à pessoa natural identificável.
  • B os dados processados, que só podem ser utilizados para produção de conhecimento e transmissão em qualquer meio, suporte ou formato.
  • C aquela submetida temporariamente à restrição de acesso público em razão de sua imprescindibilidade para a segurança da sociedade e do Estado
  • D aquela de qualidade da informação não modificada, inclusive quanto à origem, trânsito e destino.
  • E aquela pertinente à administração do patrimônio público, utilização de recursos públicos, licitação e contratos administrativos.
11

O Pesquisador Titular, o Pesquisador Associado e o Pesquisador Adjunto, quando possuidores de título de Doutor ou de habilitação equivalente, são servidores de carreira que, nos moldes da Lei n.º 8.691/93, poderão, após cada período de sete anos de efetivo exercício de atividades, requerer até seis meses de licença para aperfeiçoamento profissional. Esse tipo de licença é denominada pela referida lei de:

  • A licença-prêmio.
  • B licença-incentivo.
  • C licença sabática.
  • D licença-pesquisa.
  • E licença informal.
12

Os documentos, dados e informações sigilosas em poder de órgãos e entidades da Administração Pública Estadual, observado o seu teor e em razão de sua imprescindibilidade à segurança da sociedade ou do Estado, poderão ser classificados, nos termos do Decreto n.º 58.052/2012, nos seguintes graus:

  • A ultrassecreto, secreto e reservado.
  • B ostensivo, secreto e reservado.
  • C secreto, reservado e urgente
  • D normal, reservado e ostensivo.
  • E reservado, secreto e normal.
13

Assinale a alternativa que corretamente discorra sobre aspectos da Lei Federal no 12.527/11 (Lei de Acesso à Informação).

  • A A Câmara Municipal de Caieiras não se submete à Lei de Acesso à Informação, pois a Lei Federal n o 12.527/11 somente é aplicável aos órgãos do Poder Executivo de todos os níveis da Federação
  • B Não são passíveis de classificação as informações cuja divulgação ou acesso irrestrito possam oferecer elevado risco à estabilidade financeira, econômica ou monetária do País
  • C A Lei de Acesso à Informação tem como diretrizes, entre outras, a observância da publicidade como preceito geral e do sigilo como exceção, bem como a divulgação de informações de interesse público, independentemente de solicitações.
  • D O acesso a informações públicas será assegurado mediante gestão transparente da informação, não sendo, no entanto, necessária a criação de serviço específico de informações ao cidadão
  • E O órgão ou entidade pública deverá autorizar ou conceder o acesso imediato à informação disponível; não sendo possível conceder o acesso imediato, o órgão ou entidade que receber o pedido deverá atendê-lo no prazo de 30 (trinta) dias
14

A Lei n.º 12.527/2011 regulamenta o direito constitucional de acesso à informação. Nesse sentido, submetem-­se ao regime dessa Lei diferentes órgãos e pessoas jurídicas. No entanto, não se sujeita(m) aos ditames dessa Lei:

  • A Ministério Público.
  • B corretoras de valores.
  • C autarquias.
  • D sociedades de economia mista.
  • E Poder Judiciário.

Legislação Estadual

15

Cidadão solicita, com fundamento na Lei n.º 12.527/11, informação sobre número de peritos da Superintendência da Polícia Técnico-Científica atuando na cidade de Ribeirão Preto. O funcionário responsável pelo Serviço de Informações ao Cidadão – SIC, no âmbito da Polícia Técnico-Científica, considera que a informação solicitada possui caráter pessoal e responde negativamente. O cidadão, considerando que a informação é pública, recorre ao Superintendente da Polícia Técnico-Científica, que mantém a negativa. O cidadão, agora, com fundamento na lei referida e no Decreto Estadual n.º 58.052/12, deverá

  • A conformar-se com a negativa, pois não cabe outro recurso.
  • B recorrer à Procuradoria-Geral do Estado.
  • C recorrer à Corregedoria-Geral da Administração.
  • D recorrer ao Poder Judiciário, porque se esgotou a via administrativa.
  • E recorrer à Comissão Estadual de Acesso à Informação.

Legislação Federal

16

De acordo com o disposto, expressamente, na Lei Federal n. o 12.527/2011 (Lei de Acesso à Informação), se depois de solicitar a informação, o interessado souber que houve o extravio da informação solicitada,

  • A poderá pedir indenização à autoridade administrativa competente.
  • B poderá requerer à autoridade competente a imediata abertura de sindicância para apurar o desaparecimento da respectiva documentação.
  • C deverá providenciar dados e documentos que tiver e fornecê-los à autoridade competente para restituição da respectiva informação.
  • D deverá requerer judicialmente a restituição da informação.
  • E poderá requerer a abertura de processo administrativo para punição do responsável e obtenção de respectiva indenização por danos morais.
17

Conforme dispõe a Lei n.º 12.527/11, agir com dolo ou má-fé na análise das solicitações de acesso à informação ensejará ao agente público que praticar a conduta ilícita a pena de,

  • A no mínimo, suspensão.
  • B no máximo, multa.
  • C no máximo, advertência.
  • D no máximo, repreensão.
  • E no mínimo, dispensa.

Legislação Estadual

18

Soldado da Polícia Militar do Estado de São Paulo, integrante do Serviço de Informações ao Cidadão da Polícia Militar, previsto e instalado nos termos da Lei Federal no 12.527/11 e do Decreto Estadual no 58.052/12, recebe pedido de informação de cidadão que solicita acesso a determinado documento que possui informações de caráter público e algumas informações com caráter sigiloso. Nesse caso, deverá o Soldado

  • A negar acesso ao documento, pois deve prevalecer a proteção à parte sigilosa.
  • B permitir o acesso à totalidade do documento, pois prevê a Lei Federal no 12.527/11 que o princípio é da publicidade como regra e o sigilo como exceção.
  • C assegurar ao cidadão o acesso à parte não sigilosa por meio de certidão, extrato ou cópia com ocultação da parte sob sigilo.
  • D negar acesso imediato, mas esclarecer que no prazo de 5 (cinco) anos a informação poderá ser consultada pelo cidadão interessado.
  • E assegurar ao cidadão o acesso à parte não sigilosa mediante consulta pessoal do documento, sob sua supervisão.

Legislação Federal

19

De acordo com o disposto na Lei n.º 9.434/97, a retirada post mortem de tecidos, órgãos ou partes do corpo humano destinados a transplante ou tratamento.

  • A não dependerá de autorização da família quando se tra­tar de pessoa maior de idade, desde que em vida tenha revelado a um médico a intenção de fazer a doação
  • B não poderá ser feita quando se tratar de pessoa juridi­camente incapaz, mesmo que haja autorização dos pais.
  • C depende de declaração de vontade feita em vida pelo doador, registrada em sua Carteira de Identidade.
  • D é vedada quando se tratar de pessoas não identificadas.
  • E deverá ser precedida de diagnóstico de morte encefá­lica, constatada por, pelo menos, um médico partici­pante da equipe de remoção e transplante.
20

Conforme prevê a Lei Federal n.º 9.434/97, a disposição de tecidos, órgãos e partes do corpo humano

  • A poderá ser gratuita ou mediante pagamento.
  • B será realizada somente por hospitais privados.
  • C independe da realização de testes de diagnóstico de infecção e infestação no doador.
  • D será realizada somente por unidades públicas do Sistema Único de Saúde.
  • E poderá ocorrer em vida ou post mortem.

Legislação Municipal

21

A Lei de Zoneamento, Uso e Ocupação do Solo do Município de São José do Rio Preto estabelece que

  • A em todo edifício residencial será obrigatória áreas de estacionamento de veículos na proporção de duas vagas por unidade habitacional.
  • B os lotes com frente para logradouros que constituem divisas de zonas e os que tiverem frente para outra rua ficam integrados na zona de maior restrição.
  • C se permite a divisão de lotes de uma mesma zona, afastados à zona.
  • D é de duzentos metros a distância mínima entre o terreno onde se pretende localizar um posto de gasolina e o que se localize tribunal e igreja.
  • E fica proibida a instalação de Usinas e Destilarias nas zonas Agrícolas e Rural do Município.
22

Conforme prevê o Regimento Interno da Câmara dos Vereadores de Sorocaba, poderão ser realizadas sessões secretas,

  • A sendo que os funcionários que dela participarem não incidirão em cominações penais e administrativas se não mantiverem o devido sigilo.
  • B que não contarão com a presença de funcionários em nenhuma hipótese, devendo-se fechar as portas do recinto da sessão, vedando-se a permanência deles nas imediações.
  • C em que cada Vereador disporá de 10 (dez) minutos para discussão, competindo ao Vice-Presidente da Câmara lavrar a respectiva ata.
  • D sendo que a matéria decidida deverá ser publicada, devendo a respectiva ata, lida e aprovada, ser assinada por todos os presentes e afixada em local de fácil acesso.
  • E mediante deliberação da maioria de dois terços dos seus membros, quando ocorrer motivo relevante de preservação do decoro parlamentar.
23

Assinale a alternativa que está em consonância com as disposições da Lei n.º 14.094/05, que instituiu o Cadastro Informativo Municipal (CADIN MUNICIPAL) em São Paulo.

  • A São consideradas pendências passíveis de inclusão no CADIN MUNICIPAL as obrigações pecuniárias vencidas e não pagas, ressalvada a ausência de prestação de contas, exigível em razão de disposição legal ou cláusulas de convênio, acordo ou contrato.
  • B A existência de registro no CADIN MUNICIPAL não impede os órgãos e entidades da Administração Municipal de realizarem, com relação às pessoas físicas e jurídicas a que se refere, concessão de auxílios e subvenções.
  • C A inclusão de pendências no CADIN MUNICIPAL deverá ser realizada no prazo de até 30 (trinta) dias, contados da inadimplência, pelo Superintendente, no caso de inadimplência com relação a deveres subordinados à respectiva Autarquia Municipal.
  • D A inexistência de registro no CADIN MUNICIPAL configura reconhecimento de regularidade de situação e elide a apresentação dos documentos exigidos em lei, decreto e demais atos normativos.
  • E O registro do devedor no CADIN MUNICIPAL ficará suspenso nas hipóteses em que a exigibilidade da pendência objeto do registro estiver suspensa, nos termos da lei, acarretando a suspensão do registro sua exclusão no CADIN municipal.
24

A Lei Orgânica do Município de São Paulo prevê, no âmbito do planejamento municipal, que deverá ser mantido um Sistema de Informações que atenderá aos princípios

  • A da legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência.
  • B da simplificação, economicidade, precisão e segurança.
  • C das diretrizes da política urbana, previstas no Plano Diretor Estratégico.
  • D da prática democrática, transparência, soberania e participação popular.
  • E da defesa e preservação do território e do meio ambiente do Município.
25

Segundo determina a legislação do Município de São Paulo, em caso de descumprimento das condições e dos prazos estabelecidos para parcelamento, edificação ou utilização compulsórios, será aplicado sobre os imóveis notificados o Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana Progressivo no Tempo – IPTU Progressivo, mediante a majoração anual e consecutiva da alíquota pelo prazo de 5 (cinco) anos, até o limite máximo de

  • A 10%.
  • B 15%.
  • C 20%.
  • D 25%.
  • E 30%.
26

Usuário do Serviço de Água, Esgoto e Resíduos do Município de Guaratinguetá constata vazamento em seu imóvel e providencia o conserto às suas expensas. Nos termos do regulamento da SAEG, este usuário poderá

  • A obter o ressarcimento dos custos do conserto, após apresentar declaração do proprietário de que houve um vazamento no imóvel com firma reconhecida, nota fiscal da compra do material hidráulico utilizado ou recibo de prestação de serviço com firma reconhecida.
  • B comprovado o vazamento, observadas as disposições do regulamento, ter corrigidas três contas: a conta do mês anterior à constatação da ocorrência, a do mês da ocorrência, e a conta subsequente ao mês da ocorrência.
  • C solicitar a religação do ramal de água por motivo de suspensão do cavalete, o que gerará uma vistoria na ligação, sendo que, somente depois disso, será autorizada a religação.
  • D requerer o restabelecimento do fornecimento de água, caso a mesma tenha sido suprimida anteriormente, dependendo-se do aguardo do pagamento do débito ou da primeira parcela.
  • E obter parcelamento ou reparcelamento das tarifas decorrentes, sendo cobrados 30% (trinta por cento) do valor total do débito na primeira parcela, sendo o menor valor a ser parcelado de 30% (trinta por cento) do salário-mínimo.
27

A Lei municipal n.º 13.479, de 30 de dezembro de 2002, instituiu, no Município de São Paulo, a Contribuição Para Custeio da Iluminação Pública – COSIP. De acordo com a referida lei, o órgão da Prefeitura encarregado de proceder ao lançamento e à fiscalização do pagamento da contribuição é a Secretaria de

  • A Negócios Urbanos.
  • B Tributação e Orçamento.
  • C Finanças e Desenvolvimento Econômico.
  • D Desenvolvimento Social e Tributação.
  • E Desenvolvimento Social e Negócios Urbanos.
28

Considerando o disposto no Regimento Interno (Resolução n.º 322/2007), a proposta destinada a regular assuntos de economia interna da Câmara, como a destituição de componente da Mesa ou da organização dos serviços administrativos, deverá ser objeto de projeto de

  • A lei ordinária.
  • B decreto legislativo.
  • C emenda à lei orgânica.
  • D lei complementar.
  • E resolução.

Legislação Estadual

29

Carreira, para o Estatuto dos Funcionários Públicos Civis do Estado de São Paulo, é o conjunto de

  • A atribuições e responsabilidades cometidas a um funcionário.
  • B cargos da mesma denominação.
  • C classes da mesma natureza de trabalho, escalonadas segundo o nível de complexidade e o grau de responsabilidade.
  • D cargos que têm os valores determinados por referências numéricas, seguidas de letras em ordem alfabética.
  • E cargos que têm os valores determinados por referências alfabéticas, seguidas de números indicadores de graus.

Legislação Municipal

30

Nos moldes da Lei Complementar n° 39/97, que institui o Código Tributário do Município de Suzano, é correto afirmar que

  • A o Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana incide sobre imóvel que, localizado na zona urbana, seja utilizado em exploração extrativa vegetal, agrícola, pecuária ou agro-industrial.
  • B o Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana não incide sobre imóvel que, localizado fora da zona urbana, seja utilizado como sítio de recreio e no qual a eventual produção não se destine ao comércio.
  • C em se tratando de construções demolidas durante o exercício, o Imposto Sobre a Propriedade Territorial Urbana passará a ser devido apenas sobre o respectivo terreno, a partir da data do término da demolição, devidamente comprovada.
  • D a Lei poderá atribuir a sujeito passivo de obrigação tributária a condição de responsável pelo pagamento de imposto ou contribuição, cujo fato gerador deva ocorrer posteriormente, vedada a restituição da quantia paga, caso não se realize o fato gerador presumido.
  • E a competência tributária é indelegável, salvo a atribuição da capacidade de arrecadar ou fiscalizar tributos, ou de executar Leis, serviços, atos ou decisões administrativas em matéria tributária, que poderá ser conferida à outra pessoa jurídica de direito público.
31

A prestação de serviços e a realização de obras públicas por entidades vinculadas ao Município, ao Estado ou à União deverão

  • A prevenir distorções e abusos no desfrute econômico da propriedade urbana.
  • B coibir o uso especulativo da terra como reserva de valor e recuperar para a coletividade a valorização imobiliária decorrente da ação do Poder Público.
  • C assegurar o adequado aproveitamento, pela atividade imobiliária, do potencial dos terrenos urbanos.
  • D ser obrigatoriamente submetidas ao Município para aprovação ou compatibilização recíproca.
  • E assegurar a justa distribuição dos ônus e encargos decorrentes das obras e serviços da infraestrutura urbana.
32

A Lei Orgânica do Município de São Paulo prevê que, no período de recesso, a Câmara poderá ser extraordinariamente convocada

  • A pelo Presidente da Câmara Municipal.
  • B pela Mesa da Câmara Municipal.
  • C pelo maioria relativa dos vereadores.
  • D pelo Prefeito.
  • E por membro ou comissão desde que demonstrada a urgência e autorizada pelo Presidente da Câmara Municipal.
33

Se o Vereador cometer, no recinto da Câmara, excesso que deva ser reprimido, o Presidente conhecerá do fato e, conforme a sua gravidade, tomará a seguinte providência:

  • A advertência em Plenário.
  • B suspensão por 30 (trinta) dias.
  • C suspensão da palavra por duas horas.
  • D multa de 30% (trinta por cento) sobre os rendimentos.
  • E cassação imediata do mandato, por falta de decoro parlamentar.
34

Sobre a ordem interna e o poder de polícia exercido no âmbito da Câmara dos Vereadores de Sorocaba, é correto afirmar que o Regimento Interno (Resolução n.º 322/2007) prevê que

  • A os cidadãos poderão externar sinal de aplauso ou reprovação ao que se passar em Plenário, podendo conversar em Plenário ou nas demais dependências.
  • B para assegurar a ordem dos trabalhos, o Presidente não poderá suspender ou encerrar a sessão, nem fazer evacuar o recinto destinado ao público ou retirar determinada pessoa do recinto da Câmara.
  • C o exercício do poder de polícia no prédio da Câmara e de suas dependências compete privativamente à Mesa, sob a direção do Presidente, sem qualquer intervenção de outra autoridade.
  • D se algum Vereador cometer algum excesso que deva ser reprimido, a Mesa conhecerá do fato e o relatará, em reunião pública, devendo a Câmara deliberar a respeito, impondo, se for o caso, pena de prisão.
  • E o policiamento das dependências da Câmara será realizado por funcionários especialmente designados, dentre servidores requisitados, exclusivamente, à Guarda Municipal de Sorocaba.
35

No que tange à Lei Orgânica do Município de Sorocaba, é correto afirmar que fica garantido a todo e qualquer servidor ou empregado público municipal o percebimento de

  • A licença-prêmio.
  • B adicional de insalubridade.
  • C gratificação por local de exercício.
  • D gratificação extraordinária por superávit fiscal.
  • E adicional de periculosidade.
36
Quanto à Lei municipal nº 2.674/2014, que dispõe sobre o orçamento anual do município de Duque de Caxias para o exercício 2015, é correto afirmar que:
  • A a lei fixa as despesas e prevê as receitas municipais.
  • B a norma fixa as receitas e prevê as metas orçamentárias.
  • C é o instrumento para estimar as despesas para o ano de 2015.
  • D é o instrumento que define as diretrizes do gasto público municipal.
37

Sobre as emendas à Lei Orgânica do Município de São Paulo, é correto afirmar que

  • A poderão ser propostas por cidadãos, mediante iniciativa popular assinada por, no mínimo, 10 % (dez por cento) dos eleitores do Município
  • B ela não poderá ser emendada na vigência de estado de defesa, estado de sítio ou intervenção.
  • C será considerada aprovada quando obtiver, em duas votações, o voto favorável de 3/5 (três quintos) dos membros da Câmara Municipal.
  • D uma vez aprovada, será promulgada pelo Prefeito Municipal e pela Mesa da Câmara Municipal, com o respectivo número de ordem.
  • E o Prefeito não possui legitimidade para propor emendas à Lei Orgânica do Município de São Paulo.
38

A Lei n° 3.736/2008 – Estatuto dos Servidores Públicos do Município de Jaboticabal, em relação ao provimento dos cargos públicos, determina que

  • A o provimento dos cargos públicos far-se-á mediante ato da autoridade competente de cada Poder e do dirigente superior de autarquia ou de fundação pública.
  • B é uma das formas de provimento de cargo público o reaproveitamento.
  • C a investidura em cargo público ocorre com o efetivo exercício das funções do cargo.
  • D os requisitos exigidos para a investidura no cargo deverão ser comprovados no momento em que se der o exercício.
  • E para as pessoas portadoras de deficiência, serão reservadas, no máximo, 3% (três por cento) das vagas oferecidas, nas condições a serem estabelecidas no edital do concurso.
39

Os bens municipais poderão ser utilizados por terceiros, mediante concessão, permissão, autorização e locação social, conforme o caso e o interesse público ou social, devidamente justificado, o exigir. Nesse sentido, conforme estabelece a Lei Orgânica do Município de São Paulo, a autorização legis lativa para concessão administrativa deixará de vigorar se o contrato não for formalizado, por escritura pública, dentro do prazo de

  • A trinta dias.
  • B noventa dias.
  • C dois anos.
  • D três anos.
  • E cinco anos.
40

Nos termos do que prescreve a Lei n° 3.736/2008 – Estatuto dos Servidores Públicos do Município de Jaboticabal, assinale a alternativa correta.

  • A Sem qualquer prejuízo, poderá o servidor ausentar-se do serviço por 1 (um) dia, em cada 12 (doze) meses, para doação de sangue.
  • B Não poderá ser adotado o sistema de compensação de horários, mesmo que haja necessidade extrema de serviços.
  • C O servidor terá direito a até 6 (seis) faltas abonadas durante o ano, não podendo ultrapassar 1 (uma) por mês.
  • D O servidor terá direito a 24 (vinte e quatro) dias úteis de férias, quando houver faltado ao serviço, injustificadamente, por 15 (quinze) dias durante o período de 12 (doze) meses de exercício.
  • E Ao ocupante exclusivamente de cargo em comissão, poderá ser concedida licença para concorrer a cargo eletivo.

Noções de Informática

41

Assinale a alternativa que apresenta um protocolo da camada de aplicação do modelo TCP/IP de protocolos de redes de computadores.

  • A ARP.
  • B FTP.
  • C UDP.
  • D IPSec.
  • E ICMP.
42

No Windows 7, a partir da sua configuração padrão, quando for aberta uma pasta ou biblioteca, esta será vista em uma janela. As várias partes dessa janela foram projetadas para facilitar a navegação no Windows e o trabalho com arquivos, pastas e bibliotecas. Veja a seguir uma janela típica e cada uma de suas partes:

Assinale a alternativa que contém, corretamente, o nome do elemento 4.

  • A Barra de endereços
  • B Barra de Opções
  • C Barra de Controle.
  • D Barra de Nomes.
  • E Barra de Formatos.
43

Para responder à questão, considereas duas formas a seguir, extraídas do MS-PowerPoint 2010em sua configuração padrão em dois momentos, antes edepois da utilização de um recurso do grupo Organizar, daguia Formatar, que é exibida quando uma ou mais formas sãoselecionadas.

antes depois


Para desfazer a ação que produziu o efeito observado entre os dois momentos das figuras, antes e depois, o usuário pode utilizar o atalho de teclado

  • A Ctrl+A
  • B Ctrl+D
  • C Ctrl+R
  • D Ctrl+U
  • E Ctrl+Z
44

Assinale a alternativa que contém o nome do grupo, dentro da guia Página Inicial, que contém o ícone Marcadores, que permite inserir marcadores nos slides de uma apresentação do MS-PowerPoint 2010, em sua configuração padrão.

  • A Slides.
  • B Símbolos.
  • C Fonte.
  • D Parágrafo.
  • E Mostrar.
45

Durante a navegação na Internet, no Internet Explorer 9, em sua configuração padrão, o usuário pode utilizar o atalho de teclado_______ , que permite atualizar a página da Web atual e os arquivos temporários da Internet, mesmo que os carimbos de data/hora da versão da Web e da versão armazenada localmente sejam iguais.


Assinale a alternativa que preenche, corretamente, a lacuna do enunciado.

  • A Ctrl + F5
  • B Ctrl + Alt + Del
  • C F5
  • D Crtl + F4
  • E F4
46
Texto II para as questões de 41 a 45.

Augusto, no exercício do cargo de Técnico Judiciário, recebeu
uma ordem de seu superior imediato solicitando a elaboração
de um relatório no Microsoft Office Word 2007 (idioma
Português Brasil). Segundo as ordens recebidas, o documento
elaborado contemplará diversas informações, dentre elas uma
planilha construída no Microsoft Office Excel 2007 (idioma
Português Brasil). Por fim, Augusto deverá enviar o e-mail à
Secretaria do Tribunal, utilizando na mensagem o recurso de
confirmação de entrega.

A ordem de trabalho determina que a planilha do Microsoft Office Excel 2007 (idioma Português Brasil) contida no relatório deverá ser a ele vinculada ou incorporada, de forma a criar um vínculo dinâmico que, ao contrário do que ocorre quando simplesmente se cola os dados externos (pressionando CTRL+V, por exemplo), seja possível trabalhar no programa original (Excel). Uma forma de atender corretamente à essa determinação será

  • A acessar a guia “Inserir”, clicar em “Objeto” no grupo “Texto”, selecionar “Planilha do Microsoft Office Excel” na lista e depois clicar em “OK”.
  • B acessar a guia “Inserir”, clicar em “Referência Cruzada” no grupo “Links”, selecionar “Planilha do Microsoft Office Excel” na lista e depois clicar em “OK”.
47

Assinale a alternativa que indica o que acontece quando se clica na opção “Restaurar” do menu de contexto de um arquivo armazenado na Lixeira do MS-Windows 7, em sua configuração padrão. Considere que o local de origem do arquivo, o diretório “documentos” da unidade principal (C:\documentos), está vazio.

  • A O arquivo é removido permanentemente do computador.
  • B O arquivo é enviado para o local de origem de onde foi excluído e sai da Lixeira.
  • C O arquivo é enviado para a Área de Trabalho e sai da Lixeira.
  • D Uma cópia de segurança é enviada para a Área de Trabalho, e o arquivo permanece na Lixeira.
  • E Uma cópia de segurança é enviada para o local de origem de onde foi excluído, e o arquivo permanece na Lixeira.
48

Uma  senha  serve  para  autenticar  uma  conta,  ou  seja,  é  usada  no  processo  de  verificação  da  sua  identidade,  assegurando que você é realmente quem diz ser e que possui o direito de acessar o recurso em questão.  É um dos  principais mecanismos  de  autenticação  usados  na  internet  devido,  principalmente,  à  simplicidade  que  possui.  São  consideradas boas práticas de segurança para protegê-la, EXCETO:

  • A Criar uma senha forte e utilizá-la para assuntos pessoais e profissionais.
  • B Certificar-se de encerrar uma sessão ao acessar sites que requeiram uso de senhas.
  • C Certificar-se do uso de serviços criptografados quando o acesso a um site envolver fornecimento de senha.
  • D Utilizar a verificação em duas etapas, pois adiciona uma segunda camada de proteção no acesso a uma conta.
49

Observe as figuras a seguir, que apresentam o mesmo slide em duas exibições distintas da área de trabalho do Apache OpenOffice Impress 4.0.1, em sua configuração padrão.



A Exibição 1, Normal, é considerada a principal exibição para trabalho com slides individuais. Já a Exibição 2, chamada de__________, é utilizada para adicionar ___________ para um slide.

Assinale a alternativa que preenche, correta e respectivamente, as lacunas do enunciado.

  • A Notas … notas
  • B Estrutura de tópicos … tópicos
  • C Folheto … folhetos
  • D Rascunhos … rascunhos
  • E Classificador de slides … classificações
50

Observe a figura a seguir, extraída do navegador Google Chrome, em sua configuração padrão, rodando em um ambiente MS-Windows.



Assinale a alternativa que descreve, corretamente, o que acontece quando o usuário clica no botão circulado na figura.

  • A Uma nova janela é aberta.
  • B O Gerenciador de favoritos é aberto.
  • C A guia atual é fechada.
  • D Todas as guias são fechadas.
  • E Uma nova guia é aberta.
51

Um bibliotecário usando o LibreOffice Writer 4.2.2.1, em sua configuração padrão e em português, precisa redigir um documento com limitação de caracteres, de modo que necessita saber quantos caracteres foram digitados. Assinale a alternativa que apresenta o nome do item do menu Ferramentas que pode ser usado para verificar o número de palavras, o número de caracteres digitados incluindo espaços e também o número de caracteres excluindo espaços.

  • A Ortografia e gramática.
  • B Caractere especial.
  • C Numeração de linhas.
  • D Contagem de palavras.
  • E Opções.
52

No MS-Word 2010, em sua configuração original, para imprimir uma cópia completa do documento antes da primeira página da próxima cópia a ser impressa, é necessário escolhe __________ após clicar na guia Arquivo e em Imprimir.

Assinale a alternativa que preenche corretamente a lacuna.

  • A Retrato.
  • B Mesclado.
  • C Agrupado.
  • D Desagrupado.
  • E Paisagem.
53

Se o Microsoft Excel 2010, em sua configuração padrão, exibir “#####” em uma célula depois de aplicar a ela a formatação de número, isso significará que talvez a célula não seja suficientemente larga para exibir os dados.

Assinale a alternativa que contém um procedimento que permite expandir a largura da coluna automaticamente para se ajustar ao número formatado.

  • A Escolher a opção Largura automática no grupo formatar da guia Dados.
  • B Clicar duas vezes no limite esquerdo da coluna que contém a célula com “#####”.
  • C Clicar duas vezes sobre a coluna que contém a célula com “#####”.
  • D Clicar duas vezes no interior da célula com “#####”.
  • E Clicar duas vezes no limite direito da coluna que contém a célula com “#####”.
54

No MS-Word 2010, em sua configuração original, para imprimir uma cópia completa do documento antes da primeira página da próxima cópia a ser impressa, é necessário escolher __________após clicar na guia Arquivo e em Imprimir.

Assinale a alternativa que preenche corretamente a lacuna.

  • A Retrato.
  • B Mesclado.
  • C Agrupado.
  • D Desagrupado.
  • E Paisagem.
55

A figura a seguir foi extraída do Apache OpenOffice Writer 4.0.1 em sua configuração padrão. Ela apresenta as opções do botão Autolegenda..., da caixa de diálogo que pode ser acessada a partir do item Legenda... do menu de contexto de uma figura.

Assinale a alternativa que contém o texto mascarado na figura, que descreve o objetivo da caixa de diálogo apresentada

  • A Ordenar os seguintes objetos por sua legenda:
  • B Inserir um novo objeto:
  • C Criar uma nova legenda para o objeto:
  • D Adicionar legendas automaticamente ao inserir:
  • E Editar legendas automaticamente ao inserir:
56

Quanto à ferramenta de Restauração do Sistema, no Windows XP Profissional, em sua configuração padrão, é correto afirmar que

  • A a restauração do sistema é um processo irreversível.
  • B o computador cria um ponto de restauração quando ele é ligado.
  • C desativar a restauração do sistema reduz o espaço disponível em disco.
  • D o usuário pode criar um ponto de restauração no momento que julgar necessário.
  • E o ponto de restauração é automaticamente eliminado 90 dias após a sua criação.
57

Para_________um arquivo no ambiente do Windows Ex- plorer do Windows 7, em sua configuração padrão, o usuário pode utilizar o atalho de teclado __________ .

Assinale a alternativa que preenche, correta e respectivamente, as lacunas do enunciado.

  • A copiar ... Ctrl+V
  • B colar ... Ctrl+C
  • C copiar ... Ctrl+P
  • D colar ... Ctrl+V
  • E imprimir ... Ctrl+I
58

Para acessar uma página internet, é necessário especifi­ car um URL (Uniform Resource Locator). Considere o seguinte URL:

http://www.teste.com.br/material/x.html

O campo www.teste.com.br corresponde

  • A ao compilador utilizado na produção da página a ser acessada.
  • B ao tipo de protocolo a ser utilizado.
  • C à linguagem utilizada na produção do site.
  • D à máquina ou ao servidor a ser acessado.
  • E à forma de comunicação a ser utilizada.
59

A imagem a seguir mostra uma janela do Windows Explorer no MS-Windows 7, em sua configuração padrão. O MS-Excel 2010 e o MS-Word 2010 também estão instalados. Além disso, é exibido na imagem o menu de contexto aberto nas opções “Organizar por” nessa pasta.



O marcador que indica a opção escolhida atualmente foi apagado da imagem.

Assinale a alternativa que indica, corretamente, o nome da opção onde o marcador estava.

  • A Pasta.
  • B Autor.
  • C Marca.
  • D Tipo.
  • E Nome.
60

Augusto, no exercício do cargo de Técnico Judiciário, recebeu uma ordem de seu superior imediato solicitando a elaboração de um relatório no Microsoft Word 2007. Segundo as ordens recebidas, o documento elaborado contemplará diversas informações, dentre elas uma planilha construída no Microsoft Office Excel 2007 (idioma Português Brasil). Por fim, Augusto deverá enviar o e-mail à Secretaria do Tribunal, utilizando na mensagem o recurso de confirmação de entrega.

A ordem de trabalho determina que a planilha do Microsoft Excel 2007 contida no relatório deverá ser a ele vinculada ou incorporada, de forma a criar um vínculo dinâmico que, ao contrário do que ocorre quando Augusto simplesmente cola os dados externos (pressionando CTRL+V, por exemplo), e possível trabalhar no programa original (Excel). Uma forma de atender corretamente à essa determinação será

  • A acessar a guia “Inserir”, clicar em “Objeto” no grupo “Texto”, selecionar “Planilha do Microsoft Office Excel” na lista e depois clicar em “OK”.
  • B acessar a guia “Inserir”, clicar em “Referência Cruzada” no grupo “Links”, selecionar “Planilha do Microsoft Office Excel” na lista e depois clicar em “OK”.

Português

61

Leia o texto para responder à questão

Palavras voam no vento

A pequena Dora adorava dizer coisas feias. Sim, ela tinha aquele terrível hábito de falar bobagens, xingamentos. Certa manhã, antes de sair para o trabalho, sua mãe disse: “Tu sabias que as palavras voam no vento? Se dizes coisas ruins, o mal sai por aí e se multiplica. Mas se dizes coisas belas... o vento faz com que
a bondade se espalhe pelo mundo”. A jovenzinha ficou intrigada. Assim que a mãe se foi, decidiu testar a teoria. Encheu o peito e gritou com toda a força: AMOR!!!!...
Uma enorme e fortíssima rajada de vento se fez. Uma borboleta começou a brincar no ar. Dora seguiu o bichinho. Viu quando ele se pôs a dançar ao redor de uma moça. Viu a moça sorrir com a borboleta e começar a dançar como uma bailarina. Seguiu a moça. Viu quando ela, cheia de alegria, mandou beijos para uma andorinha que sobrevoava um jardim. A andorinha, de repente, deu um rasante sobre um canteiro e pegou com seu bico uma delicada flor vermelha. Dora seguiu a andorinha. Viu quando o pássaro deixou a flor cair nas mãos de um rapaz que estava sentando num banco de praça.
O moço, capturado por um imenso contentamento, tomou para si uma folha em branco e escreveu um poema. Dora viu quando o rapaz leu para o vento o poema. E os versos diziam: “Ame, porque o amor significa cantar. Cante, cante, cante. Porque quem canta encanta e sabe melhor amar”. Nossa amiga viu
quando uma súbita ventania arrancou o papel da mão do jovem. Dora tentou correr para não perder de vista o escrito. Mas o vento foi mais ágil e o papel se perdeu.
Cansada com toda aquela andança, a menina voltou para casa. Caía a tarde quando sua mãe retornou do trabalho e entregou à filha um presente: um pedaço de papel dobrado em quatro. Disse ela: “Tome, minha filha. É para ti. Eu estava na janela do escritório e o vento me trouxe esse pedaço de papel. Leia... É para ti”. Dora abriu o papel e chorou ao ler o poema que nele estava escrito. Diziam os versos: “Ame, porque o amor significa cantar. Cante, cante, cante. Porque quem canta encanta e sabe melhor amar”.

(Carlos Correia Santos, http://www.amapadigital.net. Adaptado)

A palavra que está empregada com sentido figurado no contexto está destacada em:

  • A Certa manhã, antes de sair para o trabalho, sua mãe disse... (primeiro parágrafo)
  • B ... tomou para si uma folha em branco e escreveu um poema. (terceiro parágrafo)
  • C Cansada com toda aquela andança, a menina voltou para casa. (quarto parágrafo)
  • D ... sua mãe retornou do trabalho e entregou à filha um presente... (quarto parágrafo)
  • E Tu sabias que as palavras voam no vento? (primeiro parágrafo)
62
O que é ler?

Começo distraidamente a ler um livro. Contribuo com alguns pensamentos, julgo entender o que está escrito porque conheço a língua e as coisas indicadas pelas palavras, assim como sei identificar as experiências ali relatadas. Escritor e leitor possuem o mesmo repertório disponível de palavras, coisas, fatos, experiências, depositados pela cultura instituída e sedimentados no mundo de ambos.
De repente, porém, algumas palavras me “pegam”. Insensivelmente, o escritor as desviou de seu sentido comum e costumeiro e elas me arrastam, como num turbilhão, para um sentido novo, que alcanço apenas graças a elas. O escritor me invade, passo a pensar de dentro dele e não apenas com ele, ele se pensa em mim ao falar em mim com palavras cujo sentido ele fez mudar. O livro que eu parecia soberanamente dominar apossa-se de mim, interpela-me, arrasta-me para o que eu não sabia, para o novo. O escritor não convida quem o lê a reencontrar o que já sabia, mas toca nas significações existentes para torná-las destoantes, estranhas, e para conquistar, por virtude dessa estranheza, uma nova harmonia que se aposse do leitor.
Ler, escreve Merleau-Ponty, é fazer a experiência da “retomada do pensamento de outrem através de sua palavra”, é uma reflexão em outrem, que enriquece nossos próprios pensamentos. Por isso, prossegue Merleau-Ponty, “começo a compreender uma filosofia deslizando para dentro dela, na maneira de existir de seu pensamento”, isto é, em seu discurso.


(Marilena Chauí, Prefácio. Em: Jairo Marçal, Antologia de Textos Filosóficos. Adaptado)


Com base nas palavras de Marilena Chauí, entende-se que ler é

  • A um ato de interação e de desalojamento de sentidos cristalizados.
  • B uma atividade em que a contribuição pessoal está ausente.
  • C uma reprodução automatizada de sentidos da ideologia dominante.
  • D um processo prejudicado pela insensibilidade do escritor.
  • E um produto em que o posicionamento do outro se neutraliza.
63
Invista em companhia para mudar hábitos


Como ter hábitos de vida mais saudáveis e perder peso com mais facilidade? Além da combinação clássica de mais atividade física com melhor alimentação, dois novos estudos sugerem que topar o desafio na companhia do parceiro ou de um grupo pode fazer toda a diferença.
No primeiro trabalho, da Universidade College of London, do Reino Unido, especialistas avaliaram mais de 3.700 casais com idade igual ou superior a 50 anos. Concluíram que é muito mais fácil parar de fumar, perder peso e fazer exercícios quando a cara-metade também arregaça as mangas e compra a briga.
Só para citar um exemplo: 50% das mulheres que fumavam conseguiram largar o cigarro quando o companheiro tentou junto. Entre as mulheres cujo parceiro já era um ex-fumante (portanto não a acompanhou na tentativa), só 17% conseguiram parar. Entre aquelas cujo marido continuou a fumar, o índice de sucesso ficou em apenas 8%.
Num outro trabalho, da Universidade de East Anglia, também do Reino Unido, pesquisadores revisaram 42 estudos envolvendo mais de 1.800 pessoas de 14 países e constataram que fazer atividade física em grupo diminui as condições que ameaçam a saúde, como doença coronariana, derrames, depressão e até alguns tipos de câncer.
Para os especialistas, caminhar em grupo faz as pessoas se exercitarem por mais tempo do que fariam sozinhas, além de estimular treinos mais vigorosos. As atividades coletivas também mostram ganhos psicológicos. Os praticantes ficam menos isolados. O sentimento de pertencimento aumenta o bem-estar e a sensação de apoio emocional. A combinação de benefícios físicos e psicológicos pode reduzir sintomas depressivos e estresse.
Para muitos dos homens e mulheres pesquisados, os grupos podem facilitar a aderência à atividade física regular e converter as caminhadas num novo hábito de vida. Quer seja na companhia do parceiro ou de um grupo, fica mais fácil vencer as resistências e encarar a mudança.

(Jairo Bouer. Época, 02.02.2015. Adaptado)





De acordo com as informações do texto, é correto afirmar que

  • A a prática de exercícios físicos na companhia de parentes e amigos é comprovadamente mais eficaz para melhorar a saúde que seguir uma alimentação balanceada.
  • B o hábito de caminhar em grupo levou muitos indivíduos a se dedicarem a treinos mais intensos e vigorosos, situação que tem preocupado médicos cardiologistas.
  • C os pesquisadores constataram, com base na observação de 1.800 indivíduos, que os casais ingleses que se exercitavam em grupo superaram doenças como depressão e câncer.
  • D a atividade física, praticada de forma regular e coletiva, torna os indivíduos psicologicamente mais saudáveis, pois pertencer a um grupo reduz a sensação de isolamento.
  • E as mulheres, tanto as jovens como as de meia-idade,obtiveram maior sucesso para abandonar o cigarro quando receberam o apoio do companheiro.

64
Desmantelo só quer começo

Onze controles remotos, eis o surpreendente saldo da minha faxina: 11 controles remotos que há muito já não controlavam, mesmo que remotamente, coisa alguma.
Ao longo dos anos, as TVs, aparelhos de som, DVDs e videocassetes a que serviram foram partindo e deixando-os para trás: órfãos, sem ocupação ou residência fixa, vagavam pela casa ao sabor do acaso. Terminada a arrumação, meti todos eles numa sacolinha plástica e joguei na lixeira.
Imagino que jogar controles remotos no lixo fira gravemente alguma regra ecológica, mas a visão daqueles defuntos eletrônicos me trouxe um sentimento de urgência: eram eles ou eu.
Meu finado tio-avô costumava dizer que “Desmantelo só quer começo". O cronista Humberto Werneck, atento à grandeza que o miúdo esconde, escreveu uma vez sobre a traiçoeira contribuição dos copos de requeijão para o fim de um casamento.
Aos poucos, esses intrusos vão cavando espaço no armário da cozinha, empurrando lá pro fundo as taças que, no início do namoro, assistiam da primeira fila aos beijos e abraços - é a vulgaridade galgando o terreno da paixão.
Até que um belo dia você acorda e descobre que o vinho do amor virou água da bica num copo da Itambé - “Desmantelo só quer começo".
Tenho medo: numa casa em que 11 finados controles remotos permanecem insepultos por anos a fio, o desmantelo já começou faz tempo, já criou raízes, frutos, lançou esporos. Minha cozinha é cheia de copos de requeijão.
Digo a mim mesmo, enquanto vejo o caminhão de lixo deglutir os expurgos da minha faxina: este é o início de uma nova fase, a partir de agora serei um exemplo de organização.
Entro em casa de queixo erguido, peito estufado e meu ânimo dura quatro segundos: só até ver minha mulher com as mãos enfiadas entre as almofadas do sofá, perguntando se por acaso eu não vi, em algum lugar, o controle da televisão.

(Antonio Prata, Folha de S.Paulo, 04.05.2014. Adaptado)

Considere o sétimo parágrafo para responder à questão.

Tenho medo: numa casa em que 11 finados controles remotos permanecem insepultos por anos a fio, o desmantelo já começou faz tempo, já criou raízes, frutos, lançou esporos. Minha cozinha é cheia de copos de requeijão.

O autor revela temer que os controles remotos e os copos de requeijão, que foram se avolumando em sua casa ao longo dos anos, sejam indício de que

  • A ele tenha se habituado a viver em meio à sujeira.
  • B a vulgaridade esteja ameaçando seu casamento.
  • C sua vida financeira tenha entrado em decadência
  • D sua mulher não seja tão disciplinada quanto ele.
  • E ele não atingiu a ascensão social que almejava.
65
Texto

1º/4/1964 – Cena de rua

Minha filha chega da escola dizendo que há revolução na rua. Em companhia de Carlos Drummond de Andrade,
meu vizinho no Posto 6, fui ver o que estava se passando.
Vejo um general comandar alguns rapazes naquilo que mais tarde um repórter chamou de “gloriosa barricada”. Os
rapazes arrancam bancos e árvores impedem o cruzamento da av. Atlântica com a rua Joaquim Nabuco. O general
destina-se a missão mais importante: apanha dois paralelepípedos e concentra-se na façanha de colocar um em cima do
outro. Vendo-o em tarefa tão insignificante, pergunto-lhe para que aqueles paralelepípedos tão sabiamente colocados
um sobre o outro. “Isso é para impedir os tanques do 1º Exército!”
Acreditava, até então, que dificilmente se deteria um exército com dois paralelepípedos ali na esquina da rua onde
moro. Ouço no rádio que a medida do general foi eficaz: o 1º Exército, em sabendo que havia tão sólida resistência,
desistiu do vexame: aderiu aos que se chamavam de rebeldes.
Nessa altura, há confusão na av. N. S. de Copacabana, pois ninguém sabe o que significa “aderir aos rebeldes”. A
confusão é rápida. Não há rebeldes e todos, rebeldes ou não, aderem, que a natural tendência da humana espécie é
aderir. Erguem o general em triunfo. Vejo o bravo general passar em glória sobre minha cabeça.
Olho o chão, os dois paralelepípedos lá estão, intactos, invencidos, um em cima do outro. Vou lá, com a ponta do
sapato tento derrubá-los. É coisa fácil. Das janelas, cai papel picado. Senhoras pias exibem seus pios lençóis e surge uma
bandeira nacional. Cantam o hino e declaram todos que a pátria está salva.
Minha filha, ao meu lado, pede uma explicação para aquilo tudo. “É carnaval, papai?” “Não.” “É Copa do Mundo?”
“Também não.”
Ela fica sem saber o que é. Eu também. Recolho-me ao sossego e sinto na boca um gosto azedo de covardia.

(Carlos Heitor Cony. Cena de rua. Folha de São Paulo. 01/04/2014.
Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/colunas/carlosheitorcony/2014/04/1433846-141964---cena-de-rua.shtml.)



A palavra “invencidos”, que aparece no 5º§ do texto, foi formada pelo processo de
  • A derivação prefixal.
  • B composição prefixal.
  • C derivação prefixal e sufixal.
  • D composição sufixal e prefixal.
66

Leia o texto para responder a questão.

Chuvas com lembranças

Começam a cair uns pingos de chuva. Tão leves e raros que
nem as borboletas ainda perceberam, e continuam a pousar, às
tontas, de jasmim em jasmim. As pedras estão muito quentes, e
cada gota que cai logo se evapora. Os meninos olham para o céu
cinzento, estendem a mão – vão fazer outra coisa. (Como deseja-
riam pular em poças d’água! – Mas a chuva não vem...)
Nas terras secas, tanta gente a esta hora está procurando, também,
no céu um sinal de chuva! E nas terras inundadas, quanta
gente estará suspirando por um raio de sol!
Penso em chuvas de outrora: chuvas matinais, que molham
cabelos soltos, que despencam as flores das cercas, que entram
pelos cadernos escolares e vão apagar a caprichosa caligrafia dos
exercícios!
Chuvas de viagens: tempestade na Mantiqueira, quando nem
os ponteiros do para-brisa dão vencimento à água; quando
apenas se vê, na noite, a paisagem súbita e fosfórea mostrada pelos
relâmpagos.
Chuvas antigas, nesta cidade nossa, de eternas enchentes:
a de 1811, que com o desabamento de uma parte do Morro do
Castelo soterrou várias pessoas, arrastou pontes, destruiu
caminhos e causou tal pânico em toda a cidade que durante sete dias
as igrejas e capelas estiveram abertas, acesas, com os sacerdotes
e o povo a pedirem a misericórdia divina.
Chuvas modernas, sem igrejas em prece, mas com as ruas
igualmente transformadas em rios, os barracos a escorregarem
pelos morros; barreiras, pedras, telheiros a soterrarem pobre gente!
Por enquanto, caem apenas algumas gotas aqui e ali, que
nem as borboletas percebem. Os meninos esperam em vão pelas
poças d’água onde pulariam contentes. Tudo é apenas calor e
céu cinzento, um céu de pedra onde os sábios e avisados tantas
coisas liam, outrora...
“São Jerônimo, Santa Bárbara Virgem, lá no céu está escrito,
entre a cruz e a água benta: Livrai-nos, Senhor, desta tormenta!”

(Cecília Meireles, Escolha o seu sonho. Adaptado)

Com seu texto, a autora tem a intenção de

  • A falar mal dos tempos de chuva.
  • B mostrar que ninguém se importa com a chuva.
  • C combater a ideia de que a chuva seja importante.
  • D registrar com sensibilidade os efeitos da chuva.
  • E comentar como é a chuva na sua velhice.
67

Assinale a alternativa que completa, correta e respectiva­mente, as lacunas do texto.

Desde muito cedo, eles aprendem, por meio de expe­riências diversas, que_______ discriminação em relação_______aparência física, principalmente quando o objetivo é escolher candidatos para os melhores postos de traba­lho_______na cidade.

  • A há … a … existentes
  • B existe … a … existentes
  • C há … a … existente
  • D têm … à … existentetêm
  • E há … à … existentes
68

O papa Francisco pediu nesta sexta-feira (23) que os aparelhos tecnológicos, como celulares e tablets, não atrapalhem as conversas em família que, para ele, são o berço da comunicação.

Em seu discurso anual pelo dia católico das comunicações, o pontífice afirmou que o uso dessas ferramentas pode tanto ajudar como prejudicar a comunicação entre as famílias. Ao mesmo tempo, podem ajudar as pessoas a se evitarem.

“O grande desafio que enfrentamos hoje é reaprender a falar uns com os outros, não simplesmente como gerar e consumir informação”, disse.

“Eles atrapalham quando se tornam uma via de escape para ouvir, se isolar, mas podem favorecer se ajudam a conversar e a dividir. Que as famílias orientem o nosso relacionamento com as tecnologias ao invés de serem guiadas por elas”, destacou.

Para Francisco, o núcleo familiar é o primeiro local onde as pessoas aprendem a comunicar e é preciso “voltar a esse momento para deixar a comunicação entre as pessoas mais autêntica e humana”.

“Em um mundo em que se gasta muito tempo em falar mal, semear a discórdia, poluir as conversas com nosso ambiente humano, a família pode ser uma escola de comunicação abençoada. E a bênção deve permanecer, inevitavelmente, acima do ódio e da violência”, ressaltou.

O tema do dia da comunicação deste ano coincide com o encerramento de dois anos de discussões sobre a família que terão seu ponto alto em outubro, no Sínodo da Família, com a participação de bispos e cardeais.

Dentre os assuntos que possivelmente serão debatidos, estão o divórcio, as uniões estáveis, as crianças transgênero e a união homossexual.

No tocante à sintaxe de concordância, examine as afirmações seguintes e observe se elas são verdadeiras ou falsas. Aponte a alternativa correta.

I. No fragmento “as conversas em família que, para ele, são o berço da comunicação” (l. 02), o verbo ser pode ser flexionado no singular, concordando com o predicativo do sujeito.
II. Em “para deixar a comunicação entre as pessoas mais autêntica e humana” (l. 12 e 13), os adjetivos estão no feminino singular porque concordam com o objeto direto “comunicação”.
III. No sintagma “as crianças transgênero” (l. 21), o adjetivo deveria ter concordado com o substantivo, ou seja, deveria ser as crianças transgêneras.

  • A Só III é falsa.
  • B I e II são falsas.
  • C II e III são falsas.
  • D Só II é verdadeira.
69

Leia a charge.



Ao dizer que o papo “não tem pé nem cabeça”, a personagem sugere que a conversa do amigo está sendo

  • A incoerente.
  • B concisa.
  • C engraçada.
  • D inteligente.
  • E articulada.
70
Na ordem do dia

A mobilidade entrou definitivamente na pauta do poder público. Há dois anos, o Brasil conta com uma Política Nacional de Mobilidade Urbana, que foi instituída pela Lei 12.587/2012. Nela ficou estabelecida a prioridade do transporte coletivo sobre o individual e da circulação de pedestres sobre a de veículos. Uma de suas diretrizes é a integração da mobilidade com a política de desenvolvimento urbano. Até 2015, deverão ser desenvolvidos planos locais e regionais de mobilidade, como condição para que estados e municípios obtenham financiamentos para essa área.

Outra conquista está em curso. Em dezembro de 2013, a Câmara dos Deputados aprovou a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 90/2011, que tramita agora no Senado, que equipara o transporte coletivo ao rol dos demais direitos sociais. A nova condição legal poderá significar a adoção de políticas públicas de maior alcance social.

Dentre os pares abaixo, assinale o que apresenta a grafia correta da forma verbal correspondente.

  • A urbana / urbanizar
  • B prioridade / preorizar
  • C mobilidade / mobilisar
  • D desenvolvimento / dezenvolver
71

Leia o texto para responder a questão.

Chuvas com lembranças

Começam a cair uns pingos de chuva. Tão leves e raros que
nem as borboletas ainda perceberam, e continuam a pousar, às
tontas, de jasmim em jasmim. As pedras estão muito quentes, e
cada gota que cai logo se evapora. Os meninos olham para o céu
cinzento, estendem a mão – vão fazer outra coisa. (Como deseja-
riam pular em poças d’água! – Mas a chuva não vem...)
Nas terras secas, tanta gente a esta hora está procurando, também,
no céu um sinal de chuva! E nas terras inundadas, quanta
gente estará suspirando por um raio de sol!
Penso em chuvas de outrora: chuvas matinais, que molham
cabelos soltos, que despencam as flores das cercas, que entram
pelos cadernos escolares e vão apagar a caprichosa caligrafia dos
exercícios!
Chuvas de viagens: tempestade na Mantiqueira, quando nem
os ponteiros do para-brisa dão vencimento à água; quando
apenas se vê, na noite, a paisagem súbita e fosfórea mostrada pelos
relâmpagos.
Chuvas antigas, nesta cidade nossa, de eternas enchentes:
a de 1811, que com o desabamento de uma parte do Morro do
Castelo soterrou várias pessoas, arrastou pontes, destruiu
caminhos e causou tal pânico em toda a cidade que durante sete dias
as igrejas e capelas estiveram abertas, acesas, com os sacerdotes
e o povo a pedirem a misericórdia divina.
Chuvas modernas, sem igrejas em prece, mas com as ruas
igualmente transformadas em rios, os barracos a escorregarem
pelos morros; barreiras, pedras, telheiros a soterrarem pobre gente!
Por enquanto, caem apenas algumas gotas aqui e ali, que
nem as borboletas percebem. Os meninos esperam em vão pelas
poças d’água onde pulariam contentes. Tudo é apenas calor e
céu cinzento, um céu de pedra onde os sábios e avisados tantas
coisas liam, outrora...
“São Jerônimo, Santa Bárbara Virgem, lá no céu está escrito,
entre a cruz e a água benta: Livrai-nos, Senhor, desta tormenta!”

(Cecília Meireles, Escolha o seu sonho. Adaptado)

Assinale a alternativa em que a preposição em destaque forma uma expressão indicativa de lugar.

  • A Penso em chuvas de outrora…
  • B … quanta gente estará suspirando por um raio de sol!
  • C Começam a cair uns pingos de chuva.
  • D Os meninos esperam em vão pelas poças d’água…
  • E … e causou tal pânico em toda a cidade…
72

Um homem de consciência

Chamava-se João Teodoro, só. O mais pacato e modesto dos homens. Honestíssimo e lealíssimo, com um defeito apenas: não dar o mínimo valor a si próprio. Para João Teodoro, a coisa de menos importância no mundo era João Teodoro.
Nunca fora nada na vida, nem admitia a hipótese de vir a ser alguma coisa. E, por muito tempo, não quis nem sequer o que todos ali queriam: mudar-se para terra melhor.
Mas João Teodoro acompanhava com aperto no coração o desaparecimento visível de sua Itaoca.
“Isto já foi muito melhor”, dizia consigo. “Já teve três médicos bem bons - agora um e bem ruinzote. Já teve seis advogados e hoje mal dá serviço para um rábula ordinário como o Tenório. Nem circo de cavalinhos bate mais por aqui. A gente que presta se muda. Fica o restolho. Decididamente, a minha Itaoca está se acabando ...”
João Teodoro entrou a incubar a ideia de também mudar- -se, mas para isso necessitava de um fato qualquer que o convencesse de maneira absoluta de que Itaoca não tinha mesmo conserto ou arranjo possível.
“É isso”, deliberou lá por dentro. “Quando eu verificar que tudo está perdido, que Itaoca não vale mais nada de nada, então arrumo a trouxa e boto-me fora daqui.”
Um dia aconteceu a grande novidade: a nomeação de João Teodoro para delegado. Nosso homem recebeu a notícia como se fosse uma porretada no crânio. Delegado ele! Ele que não era nada, nunca fora nada, não queria ser nada, se julgava capaz de nada ...
Ser delegado numa cidadezinha daquelas é coisa seríssima. Não há cargo mais importante. É o homem que prende os outros, que solta, que manda dar sovas, que vai à capital falar com o governo. Uma coisa colossal ser delegado - e estava ele, João Teodoro, de-le-ga-do de Itaoca! ...
João Teodoro caiu em meditação profunda. Passou a noite em claro, pensando e arrumando as malas. Pela madrugada botou-as num burro, montou seu cavalo magro e partiu.
- Que é isso, João? Para onde se atira tão cedo, assim de armas e bagagens?
- Vou-me embora - respondeu o retirante. - Verifiquei que Itaoca chegou mesmo ao fim.
- Mas, como? Agora que você está delegado?
- Justamente por isso. Terra em que João Teodoro chega a delegado eu não moro. Adeus.
E sumiu.

(Monteiro Lobato. Cidades Mortas. São Paulo: Globo, 2009)

rábula: advogado sem diploma

Analise os seguintes trechos:



I. Mas João Teodoro acompanhava com aperto no coração o desaparecimento visível de sua Itaoca. (3.º parágrafo).


II. Decididamente, a minha Itaoca está se acabando...” (4.º parágrafo).



Os pronomes possessivos, em destaque, indicam

  • A sentimento de ofensa.
  • B sentimento de afetividade.
  • C relação de propriedade.
  • D relação de origem.
  • E sentimento de ironia.
73

Leia o capítulo XX de Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis, para responder à questão.

Bacharelo-me

Um grande futuro! Enquanto esta palavra me batia no ouvido, devolvia eu os olhos, ao longe, no horizonte misterioso e vago. Uma ideia expelia outra, a ambição desmontava Marcela. Grande futuro? Talvez naturalista, literato, arqueólogo, banqueiro, político ou até bispo, – bispo que fosse, – uma vez que fosse um cargo, uma preeminência, uma grande reputação, uma posição superior. A ambição, dado que fosse águia, quebrou nessa ocasião o ovo, e desvendou a pupila fulva e penetrante. Adeus, amores! adeus, Marcela! dias de delírio, joias sem preço, vida sem regime, adeus! Cá me vou às fadigas e à glória; deixo-­vos com as calcinhas da primeira idade.
E foi assim que desembarquei em Lisboa e segui para Coimbra. A Universidade esperava­me com as suas matérias árduas; estudei-­as muito mediocremente, e nem por isso perdi o grau de bacharel; deram­-mo com a solenidade do estilo, após os anos da lei; uma bela festa que me encheu de orgulho e de saudades, – principalmente de saudades. Tinha eu conquistado em Coimbra uma grande nomeada de folião; era um acadêmico estroina, superficial, tumultuário e petulante, dado às aventuras, fazendo romantismo prático e liberalismo teórico, vivendo na pura fé dos olhos pretos e das constituições escritas. No dia em que a Universidade me atestou, em pergaminho, uma ciência que eu estava longe de trazer arraigada no cérebro, confesso que me achei de algum modo logrado, ainda que orgulhoso. Explico-­me: o diploma era uma carta de alforria; se me dava a liberdade, dava-­me a responsabilidade. Guardei-­o, deixei as margens do Mondego, e vim por ali fora assaz desconsolado, mas sentindo já uns ímpetos, uma curiosidade, um desejo de acotovelar os outros, de influir, de gozar, de viver, – de prolongar a Universidade pela vida adiante…

(Machado de Assis. Memórias Póstumas de Brás Cubas. São Paulo: Ática, 1997)

A norma-­padrão determina que, havendo partícula atrativa, o pronome deve vir antes do verbo, isto é, deve-­se utilizar a próclise.

Sabendo-­se que as conjunções subordinativas são partículas atrativas, assinale o trecho do texto que exemplifica essa norma gramatical.

  • A Enquanto esta palavra me batia no ouvido, devolvia eu os olhos…
  • Bme vou às fadigas e à glória; deixo-­vos com as calcinhas da primeira idade.
  • C … uma bela festa que me encheu de orgulho e de saudades, – principalmente de saudades.
  • D No dia em que a Universidade me atestou, em pergaminho…
  • E … o diploma era uma carta de alforria; se me dava a liberdade, dava­-me a responsabilidade.
74

Na tirinha – O melhor de Calvin – as palavras em destaque no primeiro quadrinho expressam, correta e respectivamente, circunstâncias de

  • A intensidade; tempo; lugar.
  • B modo; modo; lugar
  • C afirmação; afirmação; tempo.
  • D afirmação; tempo; lugar.
  • E intensidade; lugar; lugar.
75

Leia o poema e responda à questão.

Casa

Meu irmão tocava piano
na tarde azul e o resto de sol
punha um brilho novo
nos móveis e vasos.

Um brilho
que não sustenta meia volta
no relógio da cozinha.

Meu irmão tocava piano
e eu não pensava em nada
nem no brilho
se desfazendo nos ponteiros.

(Heitor Ferraz. Resumo do dia. São Paulo: Ateliê Editorial, 1996)

Assinale a alternativa que apresenta uma interpretação correta do poema.

  • A A primeira estrofe refere-se a uma ação trivial e cotidiana, que se repete regularmente no presente do enunciador.
  • B A referência ao brilho do sol, na primeira estrofe, colabora para produzir um cenário de tédio e desolação.
  • C Os versos da segunda estrofe, em particular, sugerem que o brilho descrito pelo enunciador é passageiro.
  • D A alusão ao relógio da cozinha, na segunda estrofe, cria uma situação banal, em que a família se reúne para almoçar.
  • E A terceira estrofe representa a relação conturbada entre os irmãos, evidenciando que o enunciador se ressente de não tocar piano.
76
O líder narcisista

Manfred Kets de Vries, fundador do Centro de Liderança da escola de negócios Insead, revela já ter identificado em altos executivos características de personalidade nocivas e deses­tabilizadoras tanto para a equipe quanto para a organização. Um desses perfis comportamentais é o narcisista.
Todos nós, em maior ou menor grau, manifestamos caracte­rísticas narcisistas, o que muitas vezes é necessário para manter nosso equilíbrio emocional. Há momentos em que o amor pró­prio predomina, sentimo­-nos orgulhosos de nossas realizações e somos levados a externar uma saudável autoestima.
O problema surge quando o narcisismo se manifesta de uma forma exacerbada. Ou seja, quando o indivíduo sucumbe sob o peso da vaidade. Em torno desta postura invariavelmente gravi­tam o autoritarismo, a dificuldade do diálogo, a falta de empatia e, consequentemente, uma coleção de animosidades.
No contexto empresarial, sobretudo em cargos de gestão, uma dose moderada de narcisismo – evidentemente alicerçada em reais competências – fortalece ainda mais habilidades como a iniciativa, a criatividade, a versatilidade, o gosto por desafios, componentes fundamentais para o exercício de uma liderança efetiva.
Em face dessa autovalorização, o líder com essa caracterís­tica coloca mais empenho no alcance de resultados, não teme seus pares, inspira e valoriza a participação da equipe, e, por entender que um bom convívio social é fundamental para sua liderança, não transforma o ambiente de trabalho em batalha ccompetitiva. É o que se denomina de líder narcisista produtivo.
Por outro lado, quando essa autovalorização é vivenciada de forma excessiva, devemos entendê-la como uma liderança tóxica que afetará negativamente a moral e a efetividade de sua equipe.
Um líder que adota tal postura a manifesta de formas varia­das: dificuldade em aceitar as falhas alheias, autoritarismo nas suas decisões, necessidade compulsiva de se destacar, pretensa autossuficiência, clichês baseados em convicções pessoais, ausência de empatia, entre outras de igual efeito destrutivo.
Nenhum líder está imune ao narcisismo. No entanto, se suas ações são movidas unicamente por uma vitaminada vaidade, cui­dado! Você é um líder com tendências narcisistas destrutivas e o convívio difícil não será apenas com seus liderados; com a alta gestão da empresa você também não transitará com facilidade.
Um salto sem rede para sua carreira!
O antídoto para não cair na malha dos efeitos tóxicos do narcisismo exagerado será o contínuo exercício do autoconhe­cimento, a busca do equilíbrio. Fugir desse “império do ego" é retirar tanto a lente de aumento que procura superdimensionar habilidades, como a máscara que esconde limites.
(Ruth Duarte. O Estado de S.Paulo, 13 de abril de 2014. Adaptado)

Assinale a alternativa em que a palavra em destaque tem a mesma função com que foi empregada no trecho:

Um líder que adota tal postura, a manifesta de formas variadas: dificuldade em aceitar as falhas alheias, autoritarismo nas suas decisões, … (7.º parágrafo).

  • A Em um cargo de gestão, uma dose moderada de narci­sismo é útil à iniciativa, fortalecendo-­a.
  • B … somos levados a externar uma saudável autoestima.
  • C Em torno desta postura invariavelmente gravitam o a utoritarismo, a dificuldade do diálogo, …
  • D Fugir desse “império do ego” é retirar tanto a lente de aumento...
  • E Se quisermos reconhecer um líder narcisista destrutivo, basta lançarmos um olhar a seus subordinados.
77

Quer ganhar mais dinheiro? A ciência tem uma dica

Você acredita que muitas pessoas mentem para se dar bem? Ou que agem de forma injusta para levar a melhor? Portanto, melhor não confiar em ninguém, certo? Bem, se você concorda com tudo isso, a ciência tem um conselho: pare.

É que pesquisadores alemães descobriram uma relação entre desconfiança e salários. Eles analisaram questionários respondidos por 1,5 mil pessoas, os quais mostravam o grau de ceticismo delas, e a renda mensal relatada por elas anos depois. E quanto mais céticos os participantes, menos dinheiro eles ganhavam.

Numa segunda etapa, compararam a renda de 16 mil alemães. Todos completaram um questionário semelhante ao anterior. Mais uma vez, as pessoas menos desconfiadas levavam a melhor: ganhavam, em média, 300 dólares por mês a mais que os outros.

Isso porque os céticos, cheios de medo de serem passados para trás, acabam cooperando menos – e pedindo menos ajuda aos outros. Aí, além de se queimarem com os colegas, os resultados do trabalho podem sair piores.

(Carol Castro. http://super.abril.com.br, 08.07.2015. Adaptado)

A expressão empregada com sentido figurado está em destaque na seguinte passagem do texto:

  • A Você acredita que muitas pessoas mentem para se dar bem? (1° parágrafo)
  • B Portanto, melhor não confiar em ninguém, certo? (1° parágrafo)
  • C É que pesquisadores alemães descobriram uma relação entre desconfiança e salários. (2°parágrafo)
  • D Numa segunda etapa, compararam a renda de 16 mil alemães. (3° parágrafo)
  • E Aí, além de se queimarem com os colegas, os resultados do trabalho podem sair piores. (4°parágrafo)
78
A ética da fila

SÃO PAULO - Escritórios da avenida Faria Lima, em São Paulo, estão contratando flanelinhas para estacionar os carros de seus profissionais nas ruas das imediações. O custo mensal fica bem abaixo do de um estacionamento regular. Imaginando que os guardadores não violem nenhuma lei nem regra de trânsito, utilizar seus serviços seria o equivalente de pagar alguém para ficar na fila em seu lugar. Isso é ético?
Como não resisto aos apelos do utilitarismo, não vejo grandes problemas nesse tipo de acerto. Ele não prejudica ninguém e deixa pelo menos duas pessoas mais felizes (quem evitou a espera e o sujeito que recebeu para ficar parado). Mas é claro que nem todo o mundo pensa assim.
Michael Sandel, em “O que o Dinheiro Não Compra”, levanta bons argumentos contra a prática. Para o professor de Harvard, dublês de fila, ao forçar que o critério de distribuição de vagas deixe de ser a ordem de chegada para tornar-se monetário, acabam corrompendo as instituições.
Diferentes bens são repartidos segundo diferentes regras. Num leilão, o que vale é o maior lance, mas no cinema prepondera a fila. Universidades tendem a oferecer vagas com base no mérito, já prontos-socorros ordenam tudo pela gravidade. O problema com o dinheiro é que ele é eficiente demais. Sempre que entra por alguma fresta, logo se sobrepõe a critérios alternativos e o resultado final é uma sociedade na qual as diferenças entre ricos e pobres se tornam cada vez mais acentuadas.
Não discordo do diagnóstico, mas vejo dificuldades. Para começar, os argumentos de Sandel também recomendam a proibição da prostituição e da barriga de aluguel, por exemplo, que me parecem atividades legítimas. Mais importante, para opor-se à destruição de valores ocasionada pela monetização, em muitos casos é preciso eleger um padrão universal a ser preservado, o que exige a criação de uma espécie de moral oficial - e isso é para lá de problemático.

(Hélio Schwartsman, A ética da fila. Folha de S.Paulo, 28.04.2013)


Na oração – Ele não prejudica ninguém… – (2.º parágrafo), o pronome em destaque recupera textualmente o termo:

  • A utilitarismo.
  • B alguém.
  • C sujeito.
  • D acerto.
  • E guardador.
79

Assinale a alternativa em que o acento indicativo de crase está empregado corretamente.

  • A Quero ir à esta praia que vi no seu álbum de fotografias; onde fica?
  • B Os namorados foram à alguma praia do litoral norte de São Paulo.
  • C Minha família foi à uma cidadezinha no interior de Santa Catarina
  • D A moça desejava ir à famosa Ilha de Itamaracá, em Pernambuco.
  • E Eu quero ir à qualquer lugar de onde possa ver o mar.
80
Tomadas e oboés

“O do meio, com heliponto, tá vendo?", diz o taxista, apontando o enorme prédio espelhado, do outro lado da marginal: “A parte elétrica, inteirinha, meu cunhado que fez". Ficamos admirando o edifício parcialmente iluminado ao cair da tarde e penso menos no tamanho da empreitada do que em nossa variegada humanidade: uns se dedicam à escrita, outros a instalações elétricas, lembro-me do meu tio Augusto, que vive de tocar oboé. “Fio, disjuntor, tomada, tudo!", insiste o motorista, com tanto orgulho que chega a contaminar-me.

Pergunto quantas tomadas ele acha que tem, no prédio todo. Há quem ria desse tipo de indagação. Meu taxista, não. É um homem sério, eu também, fazemos as contas: uns dez escritórios por andar, cada um com umas seis salas, vezes 30 andares. “Cada sala tem o quê? Duas tomadas?"

“Cê tá louco! Muito mais! Hoje em dia, com computador, essas coisas? Depois eu pergunto pro meu cunhado, mas pode botar aí pra uma média de seis tomadas/sala."

Ok: 10 x 6 x 6 x 30 = 10.800. Dez mil e oitocentas tomadas! Há 30, 40 anos, uma hora dessas, a maior parte das tomadas já estaria dormindo o sono dos justos, mas a julgar pelo número de janelas acesas, enquanto volto para casa, lentamente, pela marginal, centenas de trabalhadores suam a camisa, ali no prédio: criam logotipos, calculam custos para o escoamento da soja, negociam minério de ferro. Talvez até, quem sabe, deitado num sofá, um homem escute em seu iPod as notas de um oboé.

Alegra-me pensar nesse sujeito de olhos fechados, ouvindo música. Bom saber que, na correria geral, em meio a tantos profissionais que acreditam estar diretamente envolvidos no movimento de rotação da Terra, esse aí reservou-se cinco minutos de contemplação.


Está tarde, contudo. Algo não fecha: por que segue no escritório, esse homem? Por que não voltou para a mulher e os filhos, não foi para o chope ou o cinema? O homem no sofá, entendo agora, está ainda mais afundado do que os outros. O momento oboé era apenas uma pausa para repor as energias, logo mais voltará à sua mesa e a seus logotipos, à soja ou ao minério de ferro.

“Onze mil, cento e cinquenta", diz o taxista, me mostrando o celular. Não entendo. “É o SMS do meu cunhado: 11.150 tomadas."

Olho o prédio mais uma vez, admirado com a instalação elétrica e nossa heteróclita humanidade, enquanto seguimos, feito cágados, pela marginal.

(Antonio Prata, Folha de S.Paulo, 06.03.2013. Adaptado)

No último parágrafo – Olho o prédio mais uma vez, admirado com a instalação elétrica e nossa heteróclita humanidade, enquanto seguimos, feito cágados, pela marginal. –, a expressão em destaque enfatiza a ideia de que eles seguem de modo

  • A consciente.
  • B remediável
  • C moroso.
  • D fortuito.
  • E desembaraçado
Voltar para lista