Resolver o Simulado Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia (IF-BA) - Auxiliar de Biblioteca - FUNRIO - Nível Fundamental

0 / 30

Biblioteconomia

1

As informações sobre uma obra acrescentadas na ficha catalográfica pelo Catalogador, são denominadas

  • A notas bibliográficas.
  • B notas biográficas.
  • C notas de série.
  • D notas especiais.
  • E notas tipográficas.
2

A história da escrita, da leitura e do livro relata a evolução dos suportes que possibilitaram a preservação do conhecimento. Nesse contexto, o termo “suporte” designa os diferentes tipos de:

  • A cadernos de escrita, que compõem o livro atual.
  • B papiros, que baratearam a produção do livro.
  • C pergaminhos, que originaram o livro em forma de rolo.
  • D papéis, que conferiram flexibilidade ao livro.
  • E materiais onde a informação está registrada.
3

Considere as seções de uma biblioteca, segundo uma organização-padrão, alinhadas na primeira coluna. Relacione-as aos materiais necessários para a consecução de suas atribuições, indicados na segunda.
I. Seção de Aquisição
II. Seção de Classificação
III. Seção de Catalogação
IV. Sala de leitura
( ) Catálogo de autoridades
( ) Catálogo dicionário
( ) Catálogo topográfico
( ) Listas de livrarias e editoras
( ) Livro de tombo
As relações entre as seções e seus respectivos materiais de trabalho estão indicadas em:

  • A III, IV, II, I e I.
  • B II, IV, I, III e IV.
  • C I, II, II, IV e III.
  • D IV, III, III, II e I.
  • E III, I, IV, III e II.
4

O técnico de biblioteca reporta-se ao bibliotecário e lhe dá suporte em suas funções. A função do técnico requer conhecimento do trabalho de escritório, de uso das

  • A habilidades e competências.
  • B competências e técnicas.
  • C tecnologias e habilidades.
  • D técnicas e métodos.
  • E tecnologias e métodos.
5

O atendimento imediato aos usuários envolve, entre outros procedimentos, a orientação sobre

  • A o uso de recursos de informação e materiais disponíveis na unidade de informação.
  • B a retirada itens da coleção ativa, para serem permutados com outras instituições.
  • C o desuso de obras que, após algum tempo, perdem o interesse dos usuários.
  • D a disciplina no processo de seleção, de acordo com as características da biblioteca.
  • E a importação de dados, em formato eletrônico, praticada pela biblioteca.
6

O espaço físico ou digital onde é armazenada uma coleção de publicações com título legal, de autoria vária, sobre assuntos gerais ou especializados, com frequência regular e periodicidade indefinida, assim como a própria coleção, é identificado como

  • A referência.
  • B biblioteca.
  • C arquivo.
  • D hemeroteca.
  • E repositório.
7

A fonte principal de informação para a catalogação de um livro, onde constam os elementos para a sua identificação e descrição, é

  • A o título de partida.
  • B o índice de assuntos.
  • C a página de rosto.
  • D o sumário de conteúdo.
  • E a catalogação na publicação.
8

O instrumento de administração que registra todos os aspectos estruturais da biblioteca, orientando sobre os serviços e as relações existentes entre as diversas tarefas, conforme os diversos setores de trabalho, é

  • A o regulamento do pessoal.
  • B o manual de serviços.
  • C o relatório técnico.
  • D o boletim de notícias.
  • E o estatuto da biblioteca.
9

Os documentos devem ser dispostos nas estantes de cima para baixo e da esquerda para direita de acordo com o número de

  • A autor.
  • B chamada.
  • C classificação.
  • D exemplar.
  • E tombamento.
10

Na biblioteca o processo de referência abrange todas as fases nas quais o usuário identifica o seu problema e transmite ao pessoal da referência em busca de uma solução. Esse processo é chamado de:

  • A atendimento ao usuário.
  • B entrevista de referência.
  • C estratégia de busca.
  • D questão negociada.
  • E processo de busca.

Português

11

O VÕO DA ÁGUIA
A Águia pode viver por 70 anos. Sabe por quê?
A Águia é a ave que possui a maior longevidade da espécie. Chega a viver 70 anos, mas, para chegar a essa idade, aos 40 ela tem de tomar um séria decisão.
É nessa fase da vida que ela está com as unhas compridas e flexíveis, não consegue mais agarrar suas presas das quais se alimenta. O bico alongado e pontiagudo se curva. Apontadas contra o peito estão suas asas, envelhecidas e pesadas em função da grossura das penas e voar já é tão difícil...
A águia então tem duas alternativas: morrer ou enfrentar um dolorido processo de renovação que vai durar 150 dias. Esse
processo de renovação consiste em voar para o alto de uma montanha e recolher-se em ninho próximo a um paredão onde não
necessite voar.
Após encontrar esse lugar, a Águia começa a arrancar suas unhas. Quando começam a nascer as novas unhas, ela passa a arrancar as velhas penas. E, só cinco meses depois, sai para o famoso vôo de renovação e para viver então mais 30 anos.
Em nossa vida, muitas vezes, temos de nos resguardar por algum tempo e começar um processo de renovação.
Para que continuemos a voar um vôo de vitória, devemos nos desprender de lembranças, costumes e velhos hábitos que nos causam dor.
Somente livres do peso do passado, podemos aproveitar o resultado valioso que a renovação sempre nos traz.

FONTE: Jornal carta, 09.05.2003 www.Tonoticias.jor.br


Assinale a alternativa em que a adjetivação concorre para demarcar a deliberação partir da qual a águia poderá vir a viver mais 30 anos:

  • A “...asas envelhecidas e pesadas”
  • B “...dolorido processo de renovação”
  • C “...bico alongado e pontiagudo”
  • D “... recolher-se em ninho próximo”.
  • E “...unhas compridas e flexíveis”.
12

A questão tomou por base o seguinte texto, de Ana Paula de Oliveira e Claudia Lima de Albuquerque:

UM PANORAMA DO RECÔNCAVO BAIANO: SOCIEDADE, ECONOMIA E CULTURA

(...) A história do estado da Bahia é antiga. Salvador foi a primeira capital do Brasil e por muitos anos foi o centro administrativo de Portugal na Colônia. Essa importância dada à capital abrangia também o Recôncavo Baiano. Aqui se instituiu um expressivo comércio de açúcar, fumo e outros produtos oriundos de diversas localidades, que foram em direção a Portugal e outros países europeus. A população do Recôncavo em períodos coloniais sofreu muito com a ambição desenfreada dos portugueses, que tinham como único interesse a exploração das riquezas destas terras. Observa-se muito bem no trecho seguinte de Miguel Santos e outros a intenção portuguesa, assim que chegou a estas terras.

Nos primeiros contatos que os portugueses mantiveram com o Recôncavo, perceberam a existência de uma diversidade de plantas, animais e uma sociedade nativa, denominada indígena. O colonizador europeu, quando partiu para África, América e Ásia, sabia que, se necessário, destruiria todas as culturas encontradas, a fim de atingir o seu objetivo: exploração das terras “descobertas". Daí a construção de ideologias para justificar as investidas políticas, socioeconômicas e culturais que lhe trariam grandes lucros a partir da comercialização de produtos que não se identificavam com a realidade dos nativos. (SANTOS, 1996)

A proximidade do Recôncavo com a primeira capital do Brasil facilitava o embarque dos produtos e desembarque dos escravos, tornando Salvador o principal ponto de comunicação, fazendo com que suas adjacências também sofressem inúmeras mudanças. Essa região já demonstrava sua importância desde os primórdios da colonização. Registros desse período ainda permanecem na paisagem de Salvador e de algumas cidades do Recôncavo: são os sobrados em estilo barroco, as igrejas, os pelourinhos.

A paisagem mudou ao longo do tempo. Hoje, Cachoeira comporta uma intensa atividade turística, abriga um dos campi da UFRB, o que faz com que estudantes de variados locais do país se desloquem para esta pequena cidade para estudar, trazendo melhorias, mas também aumentando, e muito, o custo de vida da população cachoeirana. Cachoeira, felizmente, ainda preserva em sua arquitetura um longo período da história brasileira, em parte graças aos investimentos do governo, que através do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) faz reformas em vários prédios, que já estavam prestes a sucumbir. Isto também ocorre em Salvador e São Félix. (...)

FONTE: http://www.narradoresdoreconcavo.com.br/index/reconcavo [adaptado]

O último parágrafo do texto fala, sobretudo, da cidade de Cachoeira. Segundo as autoras, essa cidade apresenta, nos dias de hoje, o seguinte contraste:

  • A modificação paisagística pela passagem do tempo X incremento da atividade turística.
  • B melhorias decorrentes da imigração estudantil X aumento no custo de vida.
  • C preservação de sua arquitetura X investimentos do governo em reformas de prédios.
  • D expansão populacional X deterioração do patrimônio público
  • E construção de instalações universitárias X deslocamento da geração universitária.
13

A questão tomou por base o trecho inicial de um artigo publicado na revista Espaço Pedagógico.

As condições contemporâneas de uma sociedade de aprendizagem apresentam-nos novos desafios para as investigações acerca dos processos de formação humana. Enquanto o século XVIII impulsionou-nos aos limites de um modelo de educação alicerçado nas instituições escolares, tão bem descrito nos diferentes regimes disciplinares, a contemporaneidade posiciona-nos na direção de inúmeros deslocamentos. Para além de superar as metanarrativas de uma educação multidimensional, nosso tempo assiste a uma multiplicação dos espaços educativos. Os divulgadores da nova pedagogia, arautos de um mundo globalizado e em conexões permanentes, provocam-nos a pensar desde as condições de uma educação que se dá em todos os espaços: nas cidades, nas mídias, nas políticas ambientais, no consumo, nas escolas e nas diferentes arenas democráticas contemporâneas.

Fonte: http://www.upf.br/seer/index.php/rep/article/view/4308/2834

disciplinares / contemporaneidade / deslocamentos / metanarrativas / multidimensional / globalizado
As seis palavras transcritas do texto têm, do ponto de vista da estrutura mórfica, alguma semelhança?

  • A Sim, todas têm prefixos e sufixos.
  • B Sim, todas têm sufixos e apenas uma não tem antepositivo ou prefixo.
  • C Sim, todas têm prefixos e apenas uma não tem pospositivo ou sufixo.
  • D Sim, todas têm sufixos, embora duas não tenham prefixo ou antepositivo.
  • E Sim, todas têm prefixos, embora duas não tenham sufixo ou pospositivo.
14

Assinale a alternativa que contém frase com desvio na flexão da forma verbal.

  • A Por favor, avise-me quando você vir aquele anúncio novamente.
  • B Ninguém pediu que ele trouxesse os salgadinhos para a festa.
  • C Na próxima eleição, espero que o seu candidato seja bem votado.
  • D Não sei dizer quem tinha trago as malas do aeroporto até aqui.
  • E Quando o advogado interpuser o recurso, o prazo já terá expirado.
15
TV DOMESTICADA
Apesar de tantas opções de canais, muita gente tem a sensação de que há pouca coisa interessante para assistir na TV. Se você se sente assim também, anime-se. Com o início da transmissão digital no Brasil, as mudanças serão tão grandes que a caixa quadrada parecerá um novo aparelho. Aliás, ela não será mais quadrada. “A grande diferença de imagem em alta definição será o de menos", disse Nicholas Negroponte, diretor do Laboratório de Mídia do Instituto de Tecnologia de Massachusetts, nos Estados Unidos. “A deficiência da TV atual é a programação. O sistema digital trará uma mudança de conteúdo completa", afirma.

Para o especialista em tecnologia, a interatividade será a principal vantagem da TV digital. “Isso significa que expressões como horário nobre perderão o sentido. Cada espectador fará sua própria programação", diz Negroponte. Ou seja, se você chegar em casa depois do jornal das 8 horas, vai poder assisti-lo à meia-noite. Vai escolher se quer mais esporte e menos política no noticiário ou vice-versa. E, se quiser assistir a um conserto, poderá optar por uma visão da primeira fila, na plateia, da frisa lateral ou do fundo das galerias. Tudo isso poderá ser operado por comandos de voz.

Vai ser uma mudança e tanto. “As emissoras vão ter de reaprender a fazer televisão", disse o engenheiro eletrônico Eduardo Bicudo, professor da Universidade Mackenzie, responsável pelos estudos que vão definir qual dos três sistemas em operação no mundo será adotado no Brasil - o japonês, o europeu ou o americano. Para ele, porém, a mudança vale a pena: “Comparada com o potencial da digital, a TV atual é um lixo".

Fonte: Carlos Dias & Renata Mercante, Revista Superinteressante São Paulo: Ed. Abril, abril 2000, p. 76.

No segundo parágrafo, encontramos duas vezes o emprego do verbo “assistir":

I – “vai poder assisti-lo à meia-noite"
II – “se quiser assistir a um conserto"

Assinale o único comentário que interpreta adequadamente essas duas construções.

  • A Apenas a primeira construção está correta, pois o verbo “assistir" exige o emprego da preposição A.
  • B As duas construções comprovam a flutuação no uso do verbo “assistir" no português contemporâneo.
  • C A linguagem jornalística não leva em conta o português falado, no qual o verbo “assistir" está em desuso.
  • D Essas construções são impróprias e deveriam ter o verbo “ver", já que “assistir" significa “prestar assistência".
  • E Ambas as construções estão corretas, pois em cada uma delas há um significado diferente para o verbo “assistir".
16

O VÕO DA ÁGUIA
A Águia pode viver por 70 anos. Sabe por quê?
A Águia é a ave que possui a maior longevidade da espécie. Chega a viver 70 anos, mas, para chegar a essa idade, aos 40 ela tem de tomar um séria decisão.
É nessa fase da vida que ela está com as unhas compridas e flexíveis, não consegue mais agarrar suas presas das quais se alimenta. O bico alongado e pontiagudo se curva. Apontadas contra o peito estão suas asas, envelhecidas e pesadas em função da grossura das penas e voar já é tão difícil...
A águia então tem duas alternativas: morrer ou enfrentar um dolorido processo de renovação que vai durar 150 dias. Esse
processo de renovação consiste em voar para o alto de uma montanha e recolher-se em ninho próximo a um paredão onde não
necessite voar.
Após encontrar esse lugar, a Águia começa a arrancar suas unhas. Quando começam a nascer as novas unhas, ela passa a arrancar as velhas penas. E, só cinco meses depois, sai para o famoso vôo de renovação e para viver então mais 30 anos.
Em nossa vida, muitas vezes, temos de nos resguardar por algum tempo e começar um processo de renovação.
Para que continuemos a voar um vôo de vitória, devemos nos desprender de lembranças, costumes e velhos hábitos que nos causam dor.
Somente livres do peso do passado, podemos aproveitar o resultado valioso que a renovação sempre nos traz.

FONTE: Jornal carta, 09.05.2003 www.Tonoticias.jor.br


No texto, lê-se “Apontadas contra o peito estão suas asas, envelhecidas e pesadas em função da grossura das penas e voar já é tão difícil...”. As reticências que encerram essa frase servem para.

  • A assinalar a inflexão emocional provocada pela cólera.
  • B contrariar tudo o que foi mencionado anteriormente.
  • C informar que o narrador está surpreso com o que constatou.
  • D indicar que a idéia expressa será suprida pela imaginação do leitor.
  • E realçar uma palavra ou uma expressão dita anteriormente.
17

Assinale o item incorreto quanto ao emprego da palavra destacada.

  • A Não sei aonde estás neste momento.
  • B Digam-me, por favor, aonde pretendem conduzir-me.
  • C Não sei aonde vais com essa pressa toda.
  • D Não sei donde vieste para estar assim tão extenuado.
  • E Quero saber onde deixaste aqueles embrulhos todos.
18
ALTAS HABILIDADES E SUPERDOTAÇÃO: DESAFIOS À DOCÊNCIA
Elis Regina Fogaça Silveira


Segundo a Organização Mundial de Saúde, os superdotados formam de 1% a 3% da população. Há quem diga, porém, que essa porcentagem se refere apenas aos talentos que se destacam nas áreas intelectuais ou acadêmicas. Porém, se avaliarmos as competências dessas crianças, referentes à liderança, criatividade, psicomotricidade e artes, as estatísticas aumentarão consideravelmente.
Esse grupo tem sido mal identificado no Brasil, demonstrando como existem tabus a serem rompidos, pelo desconhecimento do tema por parte não só da sociedade, mas também da escola e família. Já é fato que, se uma criança com Altas Habilidades não é estimulada intelectualmente, podem ocorrer alterações de comportamento como resposta à frustração vivenciada por ela. É comum que alunos se tornem entediados e retraídos diante da rotina escolar, e a falta de oportunidades do meio pode levar o sujeito à indiferença, à apatia e a reações agressivas, podendo chegar até mesmo a ocultar seus talentos.
De acordo com as diretrizes da Secretaria de Educação Especial, a identificação da criança com Altas Habilidades deve ocorrer o mais cedo possível, já na pré-escola, visando ao pleno desenvolvimento de suas capacidades e ao seu ajustamento social. Cada aluno deve ser atendido em sua totalidade. A proposta é utilizar fontes múltiplas na identificação, não enfatizando resultados em testes de QI, mas considerando importante conhecer a história de vida familiar e escolar do aluno, seus interesses, suas preferências e padrões de comportamento social em variadas oportunidades e situações. O processo de identificação deve caracterizar um trabalho interdisciplinar e transdisciplinar, ressaltando um compromisso socioeducacional mais amplo.
Sabe-se que a inteligência apresenta predisposição genética, mas o meio cultural é, sem dúvida, propulsor para o aperfeiçoamento das habilidades. Assim como os pássaros dependem das duas asas para levantar voo, as crianças portadoras de Altas Habilidades/Superdotação necessitam de um meio familiar e social acolhedores que possibilitem a sua integração.

[Texto adaptado]
Fonte: Aprender e ensinar: diferentes olhares e práticas.
Maria Beatriz Jacques Ramos & Elaine Turk Faria (orgs.).
Porto Alegre: PUCRS, 2011, p. 101.


Diz o texto que “o processo de identificação deve caracterizar um trabalho interdisciplinar e transdisciplinar, ressaltando um compromisso socioeducacional mais amplo.” Entende-se um trabalho interdisciplinar e transdisciplinar como aquele que:

  • A envolve mais de uma disciplina.
  • B ultrapassa o conteúdo da grade curricular.
  • C ajuda a controlar a disciplina na escola
  • D ressalta um compromisso socioeducacional amplo.
  • E é realizado antes dos conteúdos de cada disciplina.
19

A transposição de uma frase do discurso indireto para o discurso direto (ou vice-versa) obedece a certos princípios lógico- sintáticos. Considere o seguinte período, extraído de uma notícia publicada no Estado de S. Paulo: “Júlio Bressane costuma dizer que filmar é uma viagem e o que se faz é uma porção mínima do que a consciência permite.” Se fosse escrita na forma do discurso direto, seguindo os princípios lógico-sintáticos de praxe, a frase começaria com “Júlio Bressane costuma dizer”, prosseguiria com o sinal de dois-pontos e teria esta “fala” do cineasta:

  • A “– Filmar é uma viagem e o que se faz é uma porção mínima do que a consciência permite.”
  • B “– Um filme é como uma viagem e o que eu faço é uma porção mínima do que a consciência permite.”
  • C “– Quando eu filmo é uma viagem, pois o que eu faço é uma porção mínima do que a consciência permite.”
  • D “– Fazer um filme é como viajar, e eu faço apenas uma porção mínima do que a consciência permite.”
  • E “– Viajar é como um filme que eu faço segundo uma porção mínima do que a consciência permite.”
20

Que se perdoe o exagero da frase: o Fla-Flu começou no Recife. Sim, é bem verdade que a disputa de futebol entre times de Flamengo e Fluminense é cria do Rio de Janeiro, nas Laranjeiras, em um domingo de julho de 1912. Mas o verdadeiro Fla-Flu, não. O clássico como é hoje, com a grandeza contrastada pela miudeza de duas palavras monossílabas separadas por um hífen, veio à luz na capital pernambucana. E, feito uma partida, teve dois tempos: o primeiro antes mesmo de o jogo existir, em 1908, quando nasceu Mario Filho; e o segundo justamente em 1912, quando Nelson Rodrigues saiu do ventre de sua mãe. As impressões digitais deixadas pelos irmãos nas teclas de suas máquinas de escrever criaram o imaginário do clássico que completa 100 anos neste sábado. O Fla-Flu teria outra dimensão sem eles.

Ao começar seu texto pedindo perdão pelo exagero, o redator se utiliza de :

  • A uma licença poética que só é possível em textos literários e jornalísticos escritos em língua padrão.
  • B um recurso estilístico que permite usar um argumento inesperado como forma de introdução de um texto
    .
  • C uma figura de linguagem chamada hipérbole, a qual sempre se baseia em ideias de exagero expressivo.
  • D um diálogo imaginário com o leitor a fim de criar nele uma reação inicial de estranheza ou desconfiança.
  • E uma abertura tipicamente jornalística, que consiste em iniciar a notícia com o fato concreto acontecido.

Raciocínio Lógico

21

Fábio comprou um carro. Dizer que não é verdade que o carro comprado por Fábio é confortável e o carro comprado por Fábio é esportivo, é logicamente equivalente a dizer o seguinte:

  • A se o carro é confortável então o carro não é esportivo.
  • B se o carro não é confortável então o carro é esportivo.
  • C o carro não é confortável ou o carro não é esportivo.
  • D o carro não é confortável e o carro não é esportivo.
  • E ou o carro não é confortável ou o carro não é esportivo.
22

Ana, Bárbara, Charles, Duarte e Ernesto formam uma fila. Ana e Ernesto têm apenas um vizinho na fila. Charles e Duarte não são vizinhos. Logo, Bárbara é a

  • A primeira da fila.
  • B segunda da fila.
  • C terceira da fila.
  • D quarta da fila.
  • E quinta da fila.
23

Uma pesquisa realizada com 1000 universitários revelou que 280, 400 e 600 desses universitários são alunos de cursos das áreas de tecnologia, saúde e humanidades, respectivamente. Ela mostrou também que nenhum dos entrevistados é discente de cursos das três áreas e que vários deles fazem cursos em duas áreas. Sabendo que a quantidade de estudantes que fazem cursos das áreas de humanidades e saúde é igual ao dobro da quantidade dos que realizam cursos das áreas de humanidades e tecnologia que, por sua vez, é igual ao dobro dos que fazem cursos das áreas de tecnologia e saúde, a quantidade de entrevistados que fazem apenas cursos da área de tecnologia é igual a:

  • A 280.
  • B 160.
  • C 200.
  • D 240.
  • E 120.
24

Todo assinante do jornal X é assinante do jornal Y, todo assinante do jornal Y é assinante do jornal Z. O jornal X possui 30 assinantes, o jornal Y possui 40 assinantes e o jornal Z possui 100 assinantes. Quantas pessoas assinam pelo menos dois desses jornais?

  • A 30.
  • B 40.
  • C 60.
  • D 70.
  • E 100.
25

Quantos números inteiros, cujos algarismos são todos ímpares e distintos, existem entre 300 e 900?

  • A 24
  • B 27.
  • C 48.
  • D 36.
  • E 64
26

O baterista, o guitarrista e o vocalista de uma banda musical são engenheiros civil, eletrônico e mecânico, não necessariamente nessa ordem. Sabendo que Antônio, João e Pedro são os nomes dos integrantes da banda, que Antônio é engenheiro civil e não toca instrumentos musicais, que o engenheiro eletrônico é o guitarrista da banda e que João não é baterista, analise as seguintes proposições e assinale a alternativa correta.

I. João é engenheiro eletrônico e guitarrista da banda.
II. Pedro é baterista da banda.
III. Antônio é vocalista da banda.
IV. Pedro é engenheiro eletrônico.

  • A Apenas a proposição I é verdadeira.
  • B Apenas a proposição II é verdadeira.
  • C Apenas a proposição III é verdadeira
  • D As proposições II e IV são falsas.
  • E As proposições I, II e III são verdadeiras.
27

De acordo com a previsão meteorológica, não iria chover na cidade Z e não iria nevar na cidade Y. Sabendo-se que esta previsão meteorológica não se confirmou, conclui-se que

  • A choveu na cidade Z e nevou na cidade Y.
  • B choveu na cidade Z e não nevou na cidade Y.
  • C não choveu na cidade Z e nevou na cidade Y.
  • D ou choveu na cidade Z ou nevou na cidade Y
  • E choveu na cidade Z ou nevou na cidade Y.
28

Antônio, Bruno, Carlos, David e Eva foram considerados suspeitos de um crime. Após as investigações, concluiu-se que: Antônio é culpado se e somente se Bruno é inocente; ou Bruno é culpado ou Carlos é culpado; se Carlos é culpado então David é inocente; David é inocente e Eva é inocente; e duas pessoas cometeram o crime. Os culpados do crime são:

  • A Antônio e Bruno.
  • B Antônio e Carlos
  • C Antônio e David.
  • D Bruno e Carlos.
  • E Bruno e David.
29

Todo professor é inteligente e algum professor é paciente. Paulo é inteligente, Sérgio não é professor, Carlos não é inteligente e Antônio é paciente. Logo, conclui-se necessariamente que

  • A Paulo é professor.
  • B Sérgio não é inteligente.
  • C Antônio é professor.
  • D Antônio é inteligente.
  • E Carlos não é professor.
30

Uma orquestra é composta por 50 músicos, que tocam instrumentos de sopro, corda e percussão. Sabe-se que seis músicos tocam instrumentos de sopro e de corda, três tocam instrumentos de corda e percussão, e três tocam instrumentos de sopro e percussão. Sabe-se ainda que um músico toca os três tipos de instrumentos. Quantos músicos tocam apenas um único tipo de instrumento?

  • A 30.
  • B 35.
  • C 37.
  • D 40.
  • E 41.
Voltar para lista