Resolver o Simulado Auxiliar de Biblioteca - FUNRIO - Nível Fundamental

0 / 30

Raciocínio Lógico

1

Todo assinante do jornal X é assinante do jornal Y, todo assinante do jornal Y é assinante do jornal Z. O jornal X possui 30 assinantes, o jornal Y possui 40 assinantes e o jornal Z possui 100 assinantes. Quantas pessoas assinam pelo menos dois desses jornais?

  • A 30.
  • B 40.
  • C 60.
  • D 70.
  • E 100.
2

Sabe-se que as afirmativas "se a bola é azul, então o carro é branco" e "Carlos é inteligente ou Marcos é preguiçoso" são falsas. Logo,

  • A a bola é azul, o carro é branco, Carlos é inteligente e Marcos é preguiçoso.
  • B a bola não é azul, o carro não é branco, Carlos não é inteligente e Marcos não é preguiçoso.
  • C a bola é azul, o carro não é branco, Carlos é inteligente e Marcos não é preguiçoso.
  • D a bola não é azul, o carro é branco, Carlos é inteligente e Marcos é preguiçoso.
  • E a bola é azul, o carro não é branco, Carlos não é inteligente e Marcos não é preguiçoso.
3

Todo professor é inteligente e algum professor é paciente. Paulo é inteligente, Sérgio não é professor, Carlos não é inteligente e Antônio é paciente. Logo, conclui-se necessariamente que

  • A Paulo é professor.
  • B Sérgio não é inteligente.
  • C Antônio é professor.
  • D Antônio é inteligente.
  • E Carlos não é professor.
4

Cem concluintes de um curso de relações internacionais falam pelo menos um idioma além do português. Sessenta falam inglês, 40 falam francês, 30 falam alemão, e 20 falam pelo menos dois idiomas além do português. Nenhum deles fala um idioma estrangeiro diferente do inglês, do francês e do alemão. Quantos concluintes falam os três idiomas (inglês, francês e alemão)?

  • A 5
  • B 8
  • C 10
  • D 12
  • E 15
5

Antônio, Bruno, Carlos, David e Eva foram considerados suspeitos de um crime. Após as investigações, concluiu-se que: Antônio é culpado se e somente se Bruno é inocente; ou Bruno é culpado ou Carlos é culpado; se Carlos é culpado então David é inocente; David é inocente e Eva é inocente; e duas pessoas cometeram o crime. Os culpados do crime são:

  • A Antônio e Bruno.
  • B Antônio e Carlos
  • C Antônio e David.
  • D Bruno e Carlos.
  • E Bruno e David.
6

Sabe-se que todo B é A e que algum C é A. Segue-se necessariamente que

  • A todo A é B.
  • B algum C é B.
  • C todo A é C.
  • D pelo menos um A é B.
  • E nenhum B é C.
7

De acordo com a previsão meteorológica, não iria chover na cidade Z e não iria nevar na cidade Y. Sabendo-se que esta previsão meteorológica não se confirmou, conclui-se que

  • A choveu na cidade Z e nevou na cidade Y.
  • B choveu na cidade Z e não nevou na cidade Y.
  • C não choveu na cidade Z e nevou na cidade Y.
  • D ou choveu na cidade Z ou nevou na cidade Y
  • E choveu na cidade Z ou nevou na cidade Y.
8

Arnaldo, Bernardo e Cláudio praticam atletismo, natação e esgrima, não necessariamente nessa ordem. Um deles é paraibano, outro é torcedor do Flamengo, e o outro é cantor lírico. Sabe-se, no entanto, que Cláudio não é torcedor do Flamengo e que Arnaldo é paraibano. Sabe-se também que Bernardo pratica natação e que o cantor pratica atletismo. Logo, é necessariamente verdade que

  • A o paraibano pratica esgrima.
  • B Bernardo é cantor lírico.
  • C Arnaldo é torcedor do Flamengo.
  • D o cantor lírico pratica natação.
  • E Cláudio não é cantor lírico.
9

Uma pesquisa realizada com 1000 universitários revelou que 280, 400 e 600 desses universitários são alunos de cursos das áreas de tecnologia, saúde e humanidades, respectivamente. Ela mostrou também que nenhum dos entrevistados é discente de cursos das três áreas e que vários deles fazem cursos em duas áreas. Sabendo que a quantidade de estudantes que fazem cursos das áreas de humanidades e saúde é igual ao dobro da quantidade dos que realizam cursos das áreas de humanidades e tecnologia que, por sua vez, é igual ao dobro dos que fazem cursos das áreas de tecnologia e saúde, a quantidade de entrevistados que fazem apenas cursos da área de tecnologia é igual a:

  • A 280.
  • B 160.
  • C 200.
  • D 240.
  • E 120.
10

Dizer que não é verdade que Antônio mentiu ou Pedro falou a verdade é logicamente equivalente a dizer que

  • A Antônio e Pedro falaram a verdade.
  • B Antônio e Pedro mentiram.
  • C Antônio mentiu e Pedro falou a verdade.
  • D Antônio falou a verdade e Pedro mentiu.
  • E se Antônio mentiu então Pedro mentiu.

Português

11

TECNOLOGIA EDUCACIONAL E DIGITAL NO CENÁRIO CONTEMPORÂNEO

Elaine Turk Faria


O objetivo deste artigo é apresentar um estudo sobre as possibilidades e necessidade de utilização da tecnologia digital nas instituições de ensino, bem como da introdução da cultura tecnológica entre alunos e professores, onde se inclui a educação à distância e as disciplinas semipresenciais no ambiente acadêmico.
Com frequência, lemos nos jornais, revistas e na literatura científica atual o quanto nossos jovens estão familiarizados com a tecnologia e têm facilidade no seu manuseio. Veem e Vrakking (2009) denominam os jovens desta época de “geração homo zappiens, que cresceu usando múltiplos recursos tecnológicos desde a infância”. Para estes autores, a geração homo zappiens é digital, e a escola é analógica. Reforçando essa posição, Marc Prensky, educador americano, escreveu um artigo em 2001 sobre os imigrantes digitais e os nativos digitais, em que faz uma divisão entre os que veem o computador como uma novidade e os que não imaginam a vida antes dele, pois têm contato com a tecnologia logo após o nascimento.
Esta situação, vivenciada na sociedade contemporânea, tem implicações tanto nas escolas de educação básica quanto nas universidades, já que este é o novo perfil dos estudantes e dos acadêmicos. Consequentemente, os cursos de licenciatura, onde se inclui também o curso de Pedagogia, têm de preparar os futuros professores para atuarem neste contexto.


[Texto adaptado]

Fonte: Aprender e ensinar: diferentes olhares e práticas.

Maria Beatriz Jacques Ramos & Elaine Turk Faria (orgs.).

Porto Alegre: PUCRS, 2011, p. 13.


Ao mencionar os “imigrantes digitais” e os “nativos digitais”, o texto os identifica, respectivamente, como

  • A quem vê o computador como uma invenção recente e quem vê o computador como um recurso bastante conhecido.
  • B quem vê o computador como uma inovação e quem vê o computador como algo que sempre fez parte de sua vida.
  • C quem vê no computador um aliado assustador e quem vê no computador uma ferramenta de auxílio.
  • D quem vê no computador uma novidade intimidativa e quem vê no computador um companheiro inseparável.
  • E quem vê um computador pela primeira vez e quem vê um computador todos os dias.
12

O computador da secretaria foi infectado por um vírus que fez com que o memorando do funcionário ficasse assim: “Solicito providênsias no sentido de que seje traga para a sala 12 o móvel a ser usado na seção de análizes. Informo, outro sim, que as obras de contenção foram concluidas afim de que o serviço podesse ser iniciado.”
Após a “limpeza” do vírus, o memorando pôde ser enviado sem nenhum erro. O total contabilizado mostrou a correção de

  • A quatro erros.
  • B cinco erros.
  • C seis erros.
  • D sete erros.
  • E oito erros.
13

A questão tomara por base o seguinte texto, que reproduz a Mensagem de Boas-Vindas da Pró-Reitoria de
Graduação aos estudantes da UFRB:
A Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) acolhe os estudantes que optaram pela instituição com
satisfação e contentamento. Neste início de mais uma jornada de aprendizagens nos nossos espaços de formação,
buscando integrar o ensino, a pesquisa e a extensão, reconhecemos a fortaleza da presença de nosso corpo discente.
Em 2015, a UFRB comemora os seus 10 anos de criação. Esta instituição instalou-se nesta região com objetivo de
proporcionar uma formação universitária abrangente e interdisciplinar, desenvolver o pensamento crítico, consolidar
metodologias de aprendizagem e contribuir para uma educação ética, cívica e democrática dos nossos estudantes. É com
felicidade que recebemos os nossos discentes para continuar construindo a história da Federal do Recôncavo.
Sejam bem-vindos!
FONTE: http://www.ufrb.edu.br/agencia/administracao/3855-mensagem-de-boas-vindas-aos-
estudantes-da-ufrb-2014-2 [adaptado]

“É com felicidade que recebemos os nossos discentes para continuar construindo a história da Federal do Recôncavo.”
Um professor propôs a seus alunos que reescrevessem a última frase do penúltimo parágrafo substituindo os termos sublinhados por pronomes oblíquos coerentes. A resposta correta seria esta:

  • A É com felicidade que recebemo-los para continuar construindo-na.
  • B É com felicidade que os recebemos para continuar construindo-a.
  • C É com felicidade que no-los recebemos para continuar construindo-nos.
  • D É com felicidade que vos recebemos para continuar a construindo.
  • E É com felicidade que recebê-los-emos para continuá-la construindo.
14

Assinale a única alternativa que contém um exemplo (retirado de letras da MPB) de antítese.

  • A Você é minha droga, paixão e carnaval. / Meu zen, meu bem, meu mal. (Caetano Veloso)
  • B Oh, Deus, perdoe este pobre coitado, / Que de joelhos chorou um bocado (Gordurinha e Nelinho)
  • C Por você eu largo tudo / Vou mendigar, roubar, matar (Cazuza)
  • D Eu sou a mosca que perturba o seu sono / Eu sou a mosca no seu quarto a zumbizar (Raul Seixas e Paulo Coelho)
  • E Eu não posso mais ficar aqui a esperar / Que um dia de repente você volte para mim (Roberto e Erasmo Carlos)
15

O VÕO DA ÁGUIA
A Águia pode viver por 70 anos. Sabe por quê?
A Águia é a ave que possui a maior longevidade da espécie. Chega a viver 70 anos, mas, para chegar a essa idade, aos 40 ela tem de tomar um séria decisão.
É nessa fase da vida que ela está com as unhas compridas e flexíveis, não consegue mais agarrar suas presas das quais se alimenta. O bico alongado e pontiagudo se curva. Apontadas contra o peito estão suas asas, envelhecidas e pesadas em função da grossura das penas e voar já é tão difícil...
A águia então tem duas alternativas: morrer ou enfrentar um dolorido processo de renovação que vai durar 150 dias. Esse
processo de renovação consiste em voar para o alto de uma montanha e recolher-se em ninho próximo a um paredão onde não
necessite voar.
Após encontrar esse lugar, a Águia começa a arrancar suas unhas. Quando começam a nascer as novas unhas, ela passa a arrancar as velhas penas. E, só cinco meses depois, sai para o famoso vôo de renovação e para viver então mais 30 anos.
Em nossa vida, muitas vezes, temos de nos resguardar por algum tempo e começar um processo de renovação.
Para que continuemos a voar um vôo de vitória, devemos nos desprender de lembranças, costumes e velhos hábitos que nos causam dor.
Somente livres do peso do passado, podemos aproveitar o resultado valioso que a renovação sempre nos traz.

FONTE: Jornal carta, 09.05.2003 www.Tonoticias.jor.br


Acentua-se pela mesma regra que determina a escrita da palavra “flexíveis” o termo:

  • A águia.
  • B espécie
  • C próximo.
  • D difícil.
  • E vôo.
16

A crítica à gramatiquice e ao normativismo não significa, como pensam alguns desavisados, o abandono da reflexão gramatical e do ensino da norma padrão. Refletir sobre a estrutura da língua e sobre seu funcionamento social é atividade auxiliar indispensável para o domínio da fala e da escrita. E conhecer a norma padrão é parte integrante do amadurecimento das nossas competências linguístico-culturais. O lema aqui deve ser: reflexão gramatical sem gramatiquice e estudo da norma padrão sem normativismo.

Não cabe, no ensino de português, apenas agir no sentido de os alunos ampliarem seu domínio das atividades de fala e escrita. Junto com esse trabalho (que é, digamos com todas as letras, a parte central do ensino), é necessário realizar sempre uma ação reflexiva sobre a própria língua, integrando as atividades verbais e o pensar sobre elas.

Esse pensar visa à compreensão do funcionamento interno da língua e deve caminhar de uma percepção intuitiva dos fatos a uma progressiva sistematização, acompanhada da introdução do vocabulário gramatical básico (aquele que é indispensável, por exemplo, para se entender as informações contidas nos dicionários). No fundo, trata-se de desenvolver uma atitude científica de observar e descrever a organização estrutural da língua, com destaque para a imensa variedade de formas expressivas alternativas à disposição dos falantes.

Desse modo, se os conteúdos gramaticais não podem desaparecer do ensino, também não podem simplesmente permanecer arrolados e repassados como no ensino tradicional. Só existe sentido em estudar gramática, se esses conteúdos estão claramente subordinados ao domínio das atividades de fala e escrita, isto é, se eles têm efetiva relevância funcional. Ou, dito de outro modo, se conseguimos romper radicalmente com o modelo pedagógico medieval de ensino de língua, conforme descrito anteriormente.

No segundo parágrafo, ao reconhecer um trabalho que é “a parte central do ensino”, o autor se refere ;

  • A à ampliação do domínio das atividades de fala e escrita por parte dos alunos.
  • B à ação reflexiva sobre a própria língua a ser estimulada pelo professor.
  • C à exploração exclusiva de atividades escritas no ensino de português.
  • D à prática pedagógica voltada sobretudo para os exercícios de memorização.
  • E à integração das atividades verbais ao ato de pensar sobre elas.
17

Se tivéssemos de atribuir à charge acima um título coerente com a imagem e o texto, poderíamos escolher este:
  • A AQUECIMENTO GLOBAL
  • B ENQUANTO ISSO... NO POLO NORTE
  • C GELADEIRAS EM PROMOÇÃO
  • D CINCO PINGUINS CONTRA UM URSO
  • E CHUVA NÃO É CHUVISCO
18

O uso adequado do pronome relativo é um dos temas que merece maior atenção por parte dos redatores e revisores. Extraídas de textos oficiais, quatro das frases abaixo têm problemas de construção justamente por não empregarem corretamente o pronome relativo segundo a linguagem padrão. Assinale a única que está correta.

  • A Propõe-se a análise dos depoimentos onde eu transcrevi dos autos do processo.
  • B Registre-se que faltam os documentos das licitações que participamos este ano.
  • C Sugere-se arquivar este processo na pasta cujo conteúdo dela era sigiloso.
  • D Verificou-se que o litígio aconteceu com a pessoa da qual os participantes deviam entregar o cartão.
  • E Proíba-se a demissão de profissionais que estejam ministrando treinamento aos servidores.
19

Assinale o item que completa corretamente a frase a seguir: Enquanto as crianças __________ com os brinquedos, os pais __________ os móveis nos seus devidos lugares

  • A entreteram / reporam.
  • B entretia-se / repuseram.
  • C entertiveram/ repuseram.
  • D se entretiam / reporam.
  • E se entretinham/ repuseram.
20
TECNOLOGIA EDUCACIONAL E DIGITAL NO CENÁRIO CONTEMPORÂNEO

Elaine Turk Faria

O objetivo deste artigo é apresentar um estudo sobre as possibilidades e necessidade de utilização da tecnologia digital nas instituições de ensino, bem como da introdução da cultura tecnológica entre alunos e professores, onde se inclui a educação à distância e as disciplinas semipresenciais no ambiente acadêmico.
Com frequência, lemos nos jornais, revistas e na literatura científica atual o quanto nossos jovens estão familiarizados com a tecnologia e têm facilidade no seu manuseio. Veem e Vrakking (2009) denominam os jovens desta época de “geração homo zappiens, que cresceu usando múltiplos recursos tecnológicos desde a infância”. Para estes autores, a geração homo zappiens é digital, e a escola é analógica. Reforçando essa posição, Marc Prensky, educador americano, escreveu um artigo em 2001 sobre os imigrantes digitais e os nativos digitais, em que faz uma divisão entre os que veem o computador como uma novidade e os que não imaginam a vida antes dele, pois têm contato com a tecnologia logo após o nascimento.
Esta situação, vivenciada na sociedade contemporânea, tem implicações tanto nas escolas de educação básica quanto nas universidades, já que este é o novo perfil dos estudantes e dos acadêmicos. Consequentemente, os cursos de licenciatura, onde se inclui também o curso de Pedagogia, têm de preparar os futuros professores para atuarem neste contexto.



[Texto adaptado]
Fonte: Aprender e ensinar: diferentes olhares e práticas.
Maria Beatriz Jacques Ramos & Elaine Turk Faria (orgs.).
Porto Alegre: PUCRS, 2011, p. 13.

Uma fonte citada no texto denomina os jovens de nossos tempos como “geração homo zappiens, que cresceu usando múltiplos recursos tecnológicos desde a infância”. O neologismo “homo zappiens” combina as formas “homo sapiens” e “zap”, com o intuito de

  • A fazer uma associação entre o hábito de se usar frequentemente o controle remoto e estar em contato com variados recursos eletrônicos.
  • B ironizar o excesso de utilização dos recursos tecnológicos por parte da juventude, que por isso mesmo pode deixar os estudos em segundo plano.
  • C mostrar que o homem, desde os tempos mais remotos, sempre avançou em busca de conhecimento, o que justifica a metáfora com a palavra inglesa.
  • D conectar criativamente a língua latina e a língua inglesa na formação de uma palavra que teria vida breve na língua portuguesa.
  • E expressar uma crítica velada aos jovens que passam mais tempo diante dos computadores do que envolvidos nas tarefas propostas pela escola.

Biblioteconomia

21

A espécie de obra de referência, que apresenta a grafia, a pronúncia, a definição e a silabação das palavras de uma determinada língua, é o

  • A relatório.
  • B manual.
  • C guia.
  • D tratado.
  • E dicionário.
22

As normas, os procedimentos e o programa de segurança de uma biblioteca devem ser avaliados no que se refere à sua

  • A eficácia, pertinência e rapidez.
  • B pertinência, rapidez e eficiência.
  • C rapidez, eficiência e adequação.
  • D abrangência, eficácia e pertinência.
  • E eficiência, adequação e abrangência.
23

A história da escrita, da leitura e do livro relata a evolução dos suportes que possibilitaram a preservação do conhecimento. Nesse contexto, o termo “suporte” designa os diferentes tipos de:

  • A cadernos de escrita, que compõem o livro atual.
  • B papiros, que baratearam a produção do livro.
  • C pergaminhos, que originaram o livro em forma de rolo.
  • D papéis, que conferiram flexibilidade ao livro.
  • E materiais onde a informação está registrada.
24

Os documentos devem ser dispostos nas estantes de cima para baixo e da esquerda para direita de acordo com o número de

  • A autor.
  • B chamada.
  • C classificação.
  • D exemplar.
  • E tombamento.
25

Diante da necessidade de um recurso de conservação que aumentasse a vida útil dos livros numa biblioteca pública, tornando-os mais resistente ao manuseio, um auxiliar de biblioteca sugeriu ao bibliotecário que desencadeasse um processo continuado de

  • A higienização
  • B restauração.
  • C reprodução.
  • D encadernação.
  • E desinfestação.
26

Em bibliotecas não informatizadas, depois de consultar e ver que todos os exemplares de uma determinada obra encontram- se emprestados, preenche-se uma papeleta de

  • A empréstimo.
  • B atendimento.
  • C solicitação.
  • D circulação.
  • E reserva.
27

No âmbito da terminologia arquivística, a transmissão formal da custódia ou propriedade de documentos ou arquivos denomina-se

  • A acumulação.
  • B alienação.
  • C acondicionamento.
  • D aditamento.
  • E anexação.
28

O atendimento a consultas, a orientação aos leitores e a divulgação do acervo são atividades específicas do serviço de

  • A aquisição.
  • B difusão.
  • C marketing.
  • D referência.
  • E seleção.
29

O técnico de biblioteca reporta-se ao bibliotecário e lhe dá suporte em suas funções. A função do técnico requer conhecimento do trabalho de escritório, de uso das

  • A habilidades e competências.
  • B competências e técnicas.
  • C tecnologias e habilidades.
  • D técnicas e métodos.
  • E tecnologias e métodos.
30

O espaço físico ou digital onde é armazenada uma coleção de publicações com título legal, de autoria vária, sobre assuntos gerais ou especializados, com frequência regular e periodicidade indefinida, assim como a própria coleção, é identificado como

  • A referência.
  • B biblioteca.
  • C arquivo.
  • D hemeroteca.
  • E repositório.
Voltar para lista