Resolver o Simulado Prefeitura Municipal de Araxá

0 / 39

Psicologia

1

Os desgastes profissionais e psicológicos vêm aumentando por conta de um fenômeno atual pelo qual a economia se diz em crescimento enquanto os postos de trabalho diminuem, o que traz consequências desastrosas para o trabalhador. A Organização Mundial de Saúde aponta várias doenças características do século XXI decorrentes das relações com o trabalho. Dentre elas salienta-se a que deriva da síndrome dos sobreviventes das demissões, conhecida como

  • A pânico.
  • B estresse.
  • C alcoolismo.
  • D drogadicção.
  • E ansiedade.
2

No contexto da análise institucional, hospital como instituição, torna-se altamente ansiogênico o contato diário com os problemas como doença e/ou morte. Manifestações defensivas podem emergir no comportamento dos profissionais no hospital. 

Um tipo comum e de fácil reconhecimento, que gera tensão nas equipes, identifica-se pela 

  • A onipotência.
  • B humildade.
  • C simplicidade.
  • D tolerância.
  • E misericórdia.
3

Em relação à técnica psicoterápica cujos princípios foram sistematizados a partir de um famoso manifesto datado de 1913, que reagia às práticas de introspecção que dominaram a Psicologia, pode-se dizer que:

  • A tem na transferência uma importante ferramenta de manutenção do tratamento psicoterápico, pois esta se refere ao deslocamento para o analista de atitudes e sentimentos experimentados originalmente em relacionamentos do paciente com outras pessoas.
  • B possui aspectos didáticos que incluem explicar ao paciente a lógica defeituosa com que ele avalia os acontecimentos, fornecendo uma explicação completa da relação entre sentimentos, afetos e comportamentos, bem como as razões para as etapas do tratamento.
  • C permite que pessoas emocionalmente doentes, selecionadas de forma criteriosa, se reúnam em grupo e, através de orientações do líder a partir de variadas estratégias técnicas e teóricas, interajam para realizar mudanças na personalidade
  • D considera que eventos físicos são desenca- deadores de manifestações comportamentais, sendo o objetivo da intervenção terapêutica a modificação dos comportamentos que trazem desconforto ou desadaptação significativas, e que são alvos das queixas dos sujeitos
4

A seleção e preparação dos futuros membros do grupo psicoterapêutico é de grande importância, para evitar desistências posteriores e fomentar o sucesso terapêutico. Sobre esse processo de seleção, considere as seguintes afirmativas:

1. O perfil psicológico do cliente constitui uma importante variável para ser investigada.

2. A administração de testes psicológicos é o procedimento mais útil para nortear a seleção.

3. Indicações para terapia de grupo incluem baixa autoestima, humor deprimido, dificuldades de comunicação e problemas de relacionamento e isolamento em ambientes sociais.

4. Recomenda-se que pessoas com baixo nível cognitivo, em situações de crise, demasiadamente autocentradas e com baixa tolerância à frustração e à ansiedade sejam incluídas em grupos terapêuticos.

5. Os grupos homogêneos apresentam vantagens sobre os heterogêneos quando são de longo prazo e orientados para o insight.

Assinale a alternativa correta.

  • A Somente as afirmativas 1 e 4 são verdadeiras.
  • B Somente as afirmativas 2 e 4 são verdadeiras.
  • C Somente as afirmativas 1 e 3 são verdadeiras.
  • D Somente as afirmativas 2, 3 e 5 são verdadeiras.
  • E Somente as afirmativas 1, 2 e 5 são verdadeiras.
5

As possibilidades frente à castração — renegação, rejeição e recalque — estão associadas, respectivamente, à

  • A neurose, fobia e psicose.
  • B perversão, psicose e neurose.
  • C neurose, perversão e psicose.
  • D fobia, psicose e perversão.
  • E psicose, neurose e perversão.
6

A  psicologia  humanista  é  considerada  uma  das  importantes  tendências  no  trabalho  clínico.  A  esse  respeito,  analise  as  afirmativas a seguir. 

I.  O  conceito  de  tendência  atualizante  diz  respeito  ao  reconhecimento  de  uma  tendência  inerente  dos  seres  humanos se desenvolverem em uma direção positiva.
II.  O  trabalho  em  psicologia  humanista  é  dividido  em  fases  ou  etapas. Uma das  classificações mais usadas  considera a  fase  não  diretiva,  a  fase  reflexiva,  a  fase  experencial  e  a  fase  coletiva ou inter-humana. 
III.  Na etapa reflexiva, o trabalho inicial, marcado pela atitude não-diretiva, é modificado para um centramento no cliente e  sugere uma postura mais ativa do terapeuta.

  • A se somente a afirmativa I estiver correta.
  • B se somente a afirmativa II estiver correta.
  • C se somente as afirmativas I e II estiverem corretas
  • D se somente as afirmativas I e III estiverem corretas.
  • E se todas as afirmativas estiverem corretas.
7

Segundo DSM IV-TR, o Episódio Depressivo Maior deve ser caracterizado quando há um humor deprimido ou perda de interesse ou prazer por quase todas as atividades ou ainda irritabilidade, por um período mínimo de 2 semanas, devendo ainda ser acompanhado de pelo menos quatro sintomas adicionais dentre os seguintes:

  • A percepção de sensações fisiológicas tais como palpitação e suor, pensamento perseverante de que algo ruim está para acontecer, insônia terminal, cefaleia tensional recorrente.
  • B sentimento de grandiloquência, intolerância à frustração, elevação da libido, prodigalidade, pensamento digressivo e aumento no volume e ritmo da fala, presença de messianismos, dificuldade em estabelecer relações duradouras.
  • C alterações no apetite ou peso, no sono e na atividade psicomotora, diminuição da energia, sentimentos de desvalia ou culpa, dificuldades para pensar, concentrar-se ou tomar decisões, ou pensamentos recorrentes sobre morte ou ideação suicida, planos ou tentativas de suicídio.
  • D fobia social, ideação de iminência de morte, agorafobia, abuso de substância de efeito sedativo, forte retração dos aspectos afetivos relacionais e supressão da volição, conduta evitativa de confronto.
8

São influenciadores da Psicologia Social no Brasil, EXCETO:

  • A Ponciano Ribeiro
  • B Nina Rodrigues
  • C Silvia Lane
  • D Aroldo Rodrigues
9

São deveres do psicólogo, exceto:

  • A O psicólogo deve respeitar os valores contidos na Declaração Universal dos Direitos Humanos;
  • B Usar seu conhecimento psicológico como instrumento de tortura, para promover castigos ou praticar violência;
  • C O psicólogo deve zelar pela integridade da psicologia, usando-a apenas para promover o bem;
  • D O sigilo é inerente à profissão do psicólogo.
10

A liderança no trabalho requer que o supervisor aumente a motivação de seu subordinado pela recompensa de um bom desempenho. Para tal, o supervisor pode adotar estilos de supervisão como o de apoio, o de diretividade, o participativo ou o de realização. O estilo de realização é o aquele que mantém preocupação com

  • A as necessidades e o bem estar do subordinado.
  • B a estruturação das tarefas e a indicação ao subordinado do que é esperado.
  • C os objetivos desafiadores e a ênfase em altos padrões de desempenho.
  • D a ação do subordinado e a sua presença na tomada de decisões.
  • E a disponibilidade do trabalhador e de seu desempenho de pior para melhor.
11

Nos casos boderline há uma condição psíquica de estrutura com características específicas e peculiares. Entre elas está que:

  • A o paciente boderline faz uso raro da defesa de dissociação dos distintos aspectos do seu psiquismo, que permanecem contraditórios ou em oposição entre si.
  • B há a presença de uma sensação de ansiedade sem sensação de vazio, que acompanha uma neurose unisintomática.
  • C é bastante raro o surgimento de actings que adquirem uma natureza de sexualidade perversa e sado- masoquista.
  • D os pacientes boderline conservam um juízo crítico e o senso de realidade.
  • E não está presente nestes pacientes fronteiriços, a “parte psicótica da personalidade”.
12

O  Teste  de  Zulliger  é  utilizado  em  procedimentos  de  seleção,  dado à sua fácil aplicabilidade. 

Sobre o Teste de Zulliger, analise as afirmativas a seguir. 

I.  A aplicação pode ser individual ou coletiva. 
II.  A  classificação  de  um  protocolo  do  Zulliger  envolve  os  critérios  de  localização,  determinantes,  conteúdos  e  fenômenos especiais. 
III.  A área em que o examinando situa a resposta é denominada  localização,  podendo  a  resposta  ser  classificada  em   G e D. 

Assinale.

  • A se somente a afirmativa I estiver correta.
  • B se somente a afirmativa II estiver correta.
  • C se somente as afirmativas I e II estiverem corretas.
  • D se somente as afirmativas II e III estiverem corretas.
  • E se todas as afirmativa s estiverem corretas.
13

Assinale a alternativa que define a Psicologia nas Organizações .

  • A O estudo sistemático e metódico dos sentimentos e cognições manifestados em relação ao trabalho.
  • B A área da Psicologia dedicada à resolução dos problemas que ocorrem nas relações humanas.
  • C A parte da ciência psicológica destinada à compreensão dos comportamentos manifestados dentro de um ambiente organizacional
  • D A parte da Psicologia que se preocupa com a realização humana no âmbito do trabalho.
14

A respeito da fobia escolar, quadro que dificulta a aprendizagem, assinale a opção correta.

  • A A fobia escolar é um quadro mais comum em meninas.
  • B As crianças que apresentam fobia escolar costumam ser alunos com baixo rendimento escolar anterior.
  • C Os sintomas da fobia escolar são exclusivamente emocionais como medo de ir à escola ou reações de pânico.
  • D A dificuldade de separação dos pais pode ser uma causa de fobia escolar.
  • E O tratamento da fobia escolar deve ser, exclusivamente, medicamentoso.
15

Considerando a organização psicológica do adolescente, assinale a alternativa INCORRETA.

  • A A vivência no grupo, quando seus integrantes e funcionamento são opostos ao da família, favorece a construção de aspectos identitários distintos daqueles das figuras familiares.
  • B Interesses intelectuais ou lúdicos (poesia, política, videogames, esportes etc.) podem configurar uma estratégia defensiva diante das renúncias vividas, por exemplo, do corpo infantil.
  • C O dimensionamento do desejo adolescente funciona sobre o imperativo do tempo presente, sendo a satisfação de suas necessidades dimensionadas na urgência do aqui e do agora.
  • D A estruturação numa posição heterossexual exclui a possibilidade de manifestações sexuais ambivalentes, mediante a ocorrência de interesses, fantasias ou experiências homossexuais.
  • E Os lutos adolescentes, por exemplo, pelo corpo infantil e pais da infância, são acompanhados de um humor e estado de ânimo flutuante, podendo oscilar entre sentimentos de euforia e melancolia.
16

No caso de síndromes ansiosas, analise as afirmativas a seguir.

  I.  Nas crises de pânico  costumam ocorrer  sintomas como  suor  frio, taquicardia, náuseas e outros sintomas. 

II.  O quadro de ansiedade de origem orgânica resulta de alguma  doença, do uso de fármacos ou de outra condição orgânica. 

III.  A síndrome de pânico é sempre acompanhada de agorafobia. 

Assinale:

  • A se somente a afirmativa I estiver correta.
  • B se somente a afirmativa II estiver correta.
  • C se somente as afirmativas I e II estiverem corretas.
  • D se somente as afirmativas II e III estiverem corretas.
  • E se todas as afirmativas estiverem corretas
17

A família de um usuário de crack, ao descobrir o envolvimento de um de seus membros, em grande parte dos casos torna-se co-dependente, vivendo sentimentos angustiantes de culpa e impotência. A terapia familiar é uma forma de tratamento com possibilidades de ser bem sucedida nestes casos. Não corresponde a uma mudança possível por meio da terapia de família:

  • A mudança no jeito de pensar e agir de todos os envolvidos
  • B mudança no relacionamento familiar
  • C conhecimento do sofrimento pelo qual a família passa
  • D conhecimento sobre as causas que levam ao uso do crack
  • E surgimento de confl itos impeditivos à possibilidade de sua resolução
18

Em relação à resolução 07/2003 do CFP - Conselho Federal de Psicologia, é correto afirmar que as declarações emitidas pelo psicólogo:

  • A devem conter somente dados importantes para a tomada de decisões concernentes ao sujeito atendido.
  • B devem somente informar os sintomas ou estados psicológicos relevantes para a tomada de decisões concernentes ao sujeito atendido.
  • C não devem conter o registro de sintomas, situações ou estados psicológicos.
  • D não elevem conter informações relativas ao estado psicológico imediato do atendido.
19

Françoise Dolto, conhecida psicanalista francesa, ressalta em diversos livros a importância de dirigir a palavra à criança enquanto sujeito de desejo, marcado pela linguagem e, logo, pela lei da castração. No contexto de separação dos pais, ela recomenda escutar a criança na perspectiva de:

  • A considerá-la membro da família, logo, possuidora de deveres filiais;
  • B sugerir que ela decida com quem deseja ficar, logo, atendendo a sua condição de sujeito de direitos;
  • C obter subsídios para a decisão judicial, logo, orientando a conclusão das avaliações psicológicas;
  • D induzi-la a expressar seus sentimentos, logo, considerando a separação entre lei e desejo;
  • E considerá-la objeto das leis menoristas, logo, subordinada ao Estado.
20

Para que haja um bom planejamento será necessário que se tenha um juízo claro sobre a instituição resultante da comparação de sua realidade presente com a realidade desejada que será seu marco operativo. Isso deve ocorrer a partir de um

  • A diagnóstico.
  • B roteiro.
  • C referencial.
  • D modelo.
  • E programa.

Português

21

Texto I

Só falta a política de redução de riscos

Entre 1990 e 2010, mais de 96 milhões de pessoas foram afetadas por desastres no Brasil, como demonstra o Atlas dos Desastres Naturais do Brasil. Destas, mais de 6 milhões tiveram de deixar suas moradias, cerca de 480 mil sofreram algum agravo ou doença e quase 3,5 mil morreram imediatamente após os mesmos. Desastres como o de Petrópolis, que resultaram em dezenas de óbitos, não existem em um vácuo. Se por um lado exigem a presença de ameaças naturais, como chuvas fortes, por outro não se realizam sem condições de vulnerabilidade, constituídas através dos processos sociais relacionados à dinâmica do desenvolvimento econômico e da proteção social e ambiental. Isto significa que os debates em torno do desastre devem ir além das cobranças que ano após ano ficam restritas à Defesa Civil.

A redução de riscos de desastres deve hoje constituir o cerne da política brasileira para os desastres. Isto significa combinar um conjunto de políticas não só para o durante os riscos e situações de desastres, o que avançamos bem, mas também e principalmente para o antes e o depois dos mesmos.

Particularmente, após o desastre da Região Serrana (RJ) em 2011, uma série de iniciativas importantes ocorreu. Criou-se o Centro Nacional de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais, a Força-Tarefa de Apoio Técnico e Emergência, a Força Nacional do SUS e reestruturou-se o Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos de Desastres. Estas iniciativas ainda estão concentradas no monitoramento, alerta e respostas aos desastres. Faltam políticas integradas para redução de riscos.

Dados do IBGE revelam que apenas 1,2% dos municípios possuíam plano municipal de redução de riscos em 2011. Nos municípios maiores, com mais de 500 mil habitantes, que não ultrapassam quatro dezenas, este percentual superava 50%. De modo inverso, nos municípios menores, com menos de 20 mil habitantes, em torno de quatro mil, este percentual era de 3,3%. É uma situação bastante preocupante relacionada aos municípios de grande porte e drástica nos municípios de pequeno porte.

Há necessidade urgente de se investir em políticas integradas. E que ofereçam suporte aos municípios de menor porte. Na outra ponta, políticas de recuperação e reconstrução após desastres deveriam permitir o retorno à normalidade da vida "cotidiana", não prolongando os efeitos dos desastres, como temos visto.

(Carlos Machado - O Globo, 01/04/2013)

"Estas iniciativas ainda estão concentradas no monitoramento, alerta e respostas aos desastres. Faltam políticas integradas para redução de riscos".

Com relação aos dois períodos desse segmento do texto, o segundo deles, em relação ao primeiro, indica

  • A uma retificação.
  • B uma explicação.
  • C uma consequência.
  • D uma conclusão.
  • E uma concessão.
22
Caso de Chá

A casa da velha senhora fica na encosta do morro, tão bem situada que dali se aprecia o bairro inteiro, e o mar é uma de suas riquezas visuais. Mas o terreno em volta da casa vive ao abandono. O jardineiro despediu-se há tempos; hortelão, não se encontra nem por um milagre. A velha moradora resigna-se a ver crescer a tiririca na propriedade que antes era um brinco. Até cobra começou a passear entre a folhagem, com indolência; é uma cobrinha de nada, mas sempre assusta.
O verdureiro que faz ponto na rua lá embaixo ofereceu-se para matá-la. A boa senhora reluta, mas não pode viver com uma cobra tomando banho de sol junto ao portão, e a bicha é liquidada a pau. Bom rapaz, o verdureiro, cheio de atenções para com os fregueses. Na ocasião, um problema o preocupa: não tem onde guardar à noite a carrocinha de verduras.
— Ora, o senhor pode guardar aqui em casa. Lugar não falta.
— Muito agradecido, mas vai incomodar a madame.
— Incomoda não, meu filho.
A carrocinha passa a ser recolhida nos fundos do terreno. Todas as manhãs o dono vem retirá-la, trazendo legumes frescos para a gentil senhora. Cobra-lhe menos e até não cobra nada. Bons amigos.
— Madame gosta de chá?
— Não posso tomar, me dá dispepsia, me põe nervosa.
— Pois eu sou doido por chá. Mas está tão caro que nem tenho coragem de comprar. Posso fazer um pedido? Quem sabe se a madame, com este terreno todo sem aproveitar, não me deixa plantar uns pés, pouquinha coisa, só para o meu consumo?
Claro que deixa. Em poucas horas o quintal é capinado, tudo ganha outro aspecto. Mão boa é a desse moço: o que ele planta é viço de imediato. A pequenina cultura de chá torna alegre outra vez a terra abandonada. Não faz mal que a plantação se vá estendendo por toda a área. A velha senhora sente prazer em ajudar o bom lavrador. Alegando que precisa fazer exercício, caminhando com cautela pois enxerga mal, ela rega as plantinhas, que lhe agradecem a atenção prosperando rapidamente.
— Madame sabe: minha intenção era colher só uma pequena quantidade. Mas o chá saiu tão bom que os parentes vivem me pedindo um pouco e eu não vou negar a eles. É pena madame não experimentar. Mas não aconselho: se faz mal, não deve mesmo tocar neste chá.
O filho da velha senhora chegou da Europa esta noite. Lá ficou anos estudando. Achou a mãe lépida, bem disposta.
— E eu trabalho, sabe, meu querido? Todos os dias rego a plantação de chá que um moço me pediu licença para fazer no quintal. Amanhã de manhã você vai ver que beleza que está.
O verdureiro já havia saído com a carrocinha. A senhora estende o braço, mostra com orgulho a lavoura que, pelo esforço em comum, é também um pouco sua.
O filho quase cai duro:
— A senhora está maluca? Isso nunca foi chá, nem aqui nem na Índia. Isso é maconha, mamãe!

(ANDRADE, Carlos Drummond de. “Caso de Chá”. In: Cadeira de Balanço: crônica. 8.ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1976, p. 7-8.)

“— Pois eu sou doido por chá.”

O trecho acima traz um uso coloquial da linguagem e pode ser substituído, sem prejuízo semântico, por uma linguagem menos informal, como

  • A “Eu sou doente por chá.”
  • B “Eu sou maníaco por chá.”
  • C “Eu sou louco por chá.”
  • D “Eu gosto muito de chá.”
  • E “Eu detesto chá.”
23

Assinale a alternativa em que a pontuação está corretamente empregada, de acordo com a norma-padrão da língua portuguesa.

  • A Em alguns meios acadêmicos, as ciências humanas são estreitamente associadas à cultura, porém é perfeitamente aceitável que estudantes admitam não gostar de matemática.
  • B Em alguns meios acadêmicos, as ciências humanas são, estreitamente associadas à cultura, porém é perfeitamente aceitável que estudantes admitam não gostar de matemática.
  • C Em alguns meios acadêmicos, as ciências humanas são estreitamente associadas à cultura, porém, é perfeitamente aceitável, que estudantes admitam não gostar de matemática.
  • D Em alguns meios acadêmicos, as ciências humanas, são estreitamente associadas à cultura, porém é perfeitamente aceitável que estudantes, admitam não gostar de matemática.
  • E Em alguns meios acadêmicos, as ciências humanas são estreitamente associadas à cultura, porém é perfeitamente aceitável que, estudantes admitam, não gostar de matemática.
24

Leia o texto a seguir e responda a questão.

FÁBRICA TROCA HOMENS POR MULHERES, CRIA 'VALE-
SALÃO' E DOBRA PRODUTIVIDADE


Afonso Ferreira, Do UOL, em São Paulo (SP) Em: 03/12/2013 Disponível em:
http://economia.uol.com.br/empreendedorismo/noticias/redacao/2013/12/03/fabrica
-troca-homens-por-mulheres-cria-vale-salao-e-dobra-produtividade.htm#fotoNav=1
Acesso em 21 de janeiro de 2014.

Em meio às faíscas e ao barulho da linha de produção, lábios com batom e rostos maquiados. Na fábrica de equipamentos industriais Dimensão Máquinas, em Trindade (GO), são as mulheres que fazem o trabalho pesado.
Desde que passou a contratar força de trabalho feminina para atuar na linha de produção, em 2009, o empresário Francisco Luciano Alves de Jesus, 37, diz que a produtividade aumentou e os negócios começaram a prosperar.
Jesus diz que, enquanto três homens demoravam 45 dias para produzir um equipamento, o mesmo número de mulheres fazia o serviço em metade do tempo. No ano, eles produziam a média de oito peças e elas, 16.
"Com os homens, tinha dificuldade para dividir tarefas porque eles eram mais orgulhosos. Já as mulheres trabalham melhor em equipe, o que possibilitou o aumento no quadro de funcionários e, consequentemente, a produtividade."
[...] A mudança começou quando o empresário precisou de apoio na produção para dar conta dos pedidos. "Na época, só tinha eu e três homens na produção. Pedi para a secretária dar uma força e ela gostou do trabalho. Conforme a empresa foi crescendo, comecei a contratar apenas mulheres", diz. A secretária, que hoje não trabalha mais na fábrica, gostou da atividade e pediu para permanecer na linha de produção, segundo Jesus. Depois dela, outras secretárias foram contratadas, mas também
pediram para mudar de setor.

De acordo com o empresário, a inclusão de operárias na produção começou a incomodar os homens. "Eles não aceitaram ter mulheres na mesma função e com o mesmo salário. Em um ano, os três pediram demissão", declara.
Hoje, a empresa tem 11 funcionárias e quatro estagiárias e fabrica oito peças por mês. As funções são de soldadora, eletricista, montadora, torneira mecânica e pintora. Nenhum homem, além do proprietário, trabalha na empresa.

Funcionárias são vaidosas e ganham 'vale-salão'
Para premiar a equipe quando uma meta é atingida, o empreendedor criou o "vale-salão". Elas ganham de R$ 50 ou R$ 100 por mês como motivação quando batem a meta.
"O salão de beleza é apenas uma sugestão para uso do dinheiro, mas elas podem gastar o benefício como quiserem", afirma.
[...] Além do "vale-salão", o empresário disponibiliza estojos com batom, rímel e cremes para as operárias retocarem a maquiagem durante o expediente.
"Ainda que tenhamos de usar uniforme e o trabalho seja um pouco desgastante, não deixamos de lado nossa vaidade", declara a gerente de produção Joice Ioleni da Silva, 26.

Ambiente misto favorece troca de ideias na empresa
Para a consultora do Sebrae-GO (Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Goiás) Paula Cristina Borges Gomide, as mulheres têm algumas virtudes inatas, como maior capacidade de concentração e de executar várias tarefas ao mesmo tempo.
[...] A gerente nacional de recrutamento e seleção do grupo Manpower, Lisângela Melo, afirma que a
contratação de profissionais não deve levar em consideração características como sexo, idade, altura, peso, etnia ou religião. A competência deve ser o quesito principal.
"Um ambiente misto, com homens e mulheres, jovens e profissionais experientes, é sempre o mais indicado, pois favorece a troca de ideias e faz com que um problema seja analisado com olhares diferentes", declara.

Assinale a única alternativa correta. A partir das informações presentes no texto, podemos concluir corretamente que:

  • A O mesmo número de equipamentos produzidos por três mulheres era produzido pelo mesmo número de homens em metade do tempo delas.
  • B O dobro de mulheres demoravam 22 dias e meio para produzir o mesmo equipamento que três homens em 45 dias.
  • C Três mulheres demoravam 90 dias para produzir o mesmo número de equipamentos produzidos pelos homens em 45 dias.
  • D Três mulheres demoravam 45 dias para produzir os mesmos dois equipamentos produzidos pelos homens em 90 dias.

Inglês

25

Leia o texto para responder à questão.

Mr. Day was a teacher at a school in a big city in the north of England. He usually went to France or Germany for a few weeks during his summer holidays, and he spoke French and German quite well.
But one year Mr. Day said to one of his friends, “I’m going to have a holiday in Athens. But I don’t speak Greek, so I’ll go to evening classes and have Greek lessons for a
month before I go.”
He studied very hard for a month, and then 10 holidays began and he went to Greece.
When he came back a few weeks later, his friend said to him, “Did you have any trouble with your Greek when you were in Athens, Dick?”
“No, I didn’t have any trouble with it,” answered Mr. Day. “But the Greeks did!”

(L. A. Hill. Elementary Stories for Reproduction, 1977.)

A palavra que completa corretamente a lacuna numerada no texto é

  • A its.
  • B his.
  • C their.
  • D your.
  • E her.

Português

26
Mudança climática pode aumentar pobreza, alerta ONU
Documento do Painel Intergovernamental sobre Mudanças
Climáticas (IPCC) projeta que, para evitar que consequências
do aquecimento global “saiam de controle", mundo
precisa reduzir a emissão dos gases de efeito estufa


O Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC, na sigla em inglês) da Organização das Nações Unidas revelou na manhã desta segunda em Yokohama, no Japão, a segunda parte do quinto relatório produzido pelos cientistas do órgão - o anterior foi divulgado há sete anos, em 2007. O documento projeta que a mudança climática irá piorar problemas sociais já existentes, como pobreza, doenças, violência e número de refugiados. Além disso, irá frear os benefícios da modernização, como o crescimento econômico regular e uma produção agrícola mais eficiente.

Para evitar que as consequências do aquecimento global “saiam de controle", o mundo precisa reduzir a emissão dos gases de efeito estufa, afirmou Rajendra Pachauri, presidente do IPCC - e existe pouco tempo para tomar atitudes que possam mitigar os efeitos da mudança climática, permitindo aos países se ajustarem à maior variação de temperaturas.

Intitulado “Sumário para Formuladores de Políticas", o documento foi aprovado por unanimidade pelos mais de 100 governos integrantes do IPCC. Uma versão preliminar do sumário havia vazado na internet há alguns meses e já fazia advertências semelhantes, como a de que “as mudanças climáticas vão amplificar os riscos relacionados ao clima já existentes e criar novos", reduzindo, por exemplo, a oferta de água renovável na superfície e nas fontes subterrâneas nas regiões subtropicais mais secas e aumentando o número de pessoas sob risco de inundações. Em média, o texto aprovado pelo IPCC.

Em média, o texto aprovado pelo IPCC menciona a palavra “risco" cinco vezes e meia em cada uma de suas 49 páginas. Os perigos mencionados envolvem cidades grandes e pequenas e incluem preço e disponibilidade de alimentos. Em escala menor, são citados riscos que envolvem doenças, custos financeiros e até mesmo a paz mundial. “Magnitude crescente do aquecimento aumenta a possibilidade de impactos severos, penetrantes e irreversíveis", alerta o relatório.

Desastres naturais como ondas de calor na Europa, queimadas nos Estados Unidos, seca na Austrália, inundações em Moçambique, Tailândia e Paquistão são lembretes de como a humanidade é vulnerável a condições climáticas extremas, diz o texto. Os problemas devem afetar todos de algum modo, mas as pessoas que menos têm recursos para arcar com as consequências serão as que sofrerão mais. “Agora nós estamos em uma era na qual a mudança climática não é algum tipo de hipótese futura", afirmou Chris Field, um dos autores líderes do estudo.

Uma parte do relatório discute o que pode ser feito para amenizar os efeitos do aquecimento global e lista como alternativas a redução da poluição de carbono e a preparação para mudanças climáticas com um desenvolvimento mais inteligente. O Secretário de Estado dos EUA, John Kerry, ressaltou que o documento é um alerta às novas ações e alertou que os custos da falta de ação serão “catastróficos".

Maarten van Aalst, um dos autores do estudo, reforçou que se a comunidade internacional não reduzir as emissões de gases estufa logo, os riscos sairão de controle. “E os riscos já subiram", disse. Coautor do relatório, o cientista do IPCC Saleemul Huq lembra que “as coisas estão piores do que previmos" em 2007, quando o grupo de cientistas emitiu a última versão do documento. “Nós veremos cada vez mais impactos, mais rápido e antes do que antecipamos", declarou.

O relatório, inclusive, cria uma nova categoria de risco. Em 2007, o maior grau de perigo era “alto", simbolizado pela cor vermelha. Desta vez, o nível máximo é “muito alto" e de cor roxa nas ilustrações gráficas.

Vice-presidente do painel do ONU, o climatologista Jean-Pascal van Ypersele defendeu os alertas do IPCC contra críticas que apontem alarmismo por parte dos cientistas. “Nós estamos indicando as razões para o alerta. Isso é porque os fatos, a ciência e os dados mostram que há razões para estar alarmado, não é porque nós somos alarmistas", disse.

No entanto, outra coautora do estudo, a cientista Patricia Romero-Lankao disse que ainda existe uma janela de oportunidade. “Nós temos escolhas. Nós temos que agir agora", disse.

Adaptado de http://veja.abril.com.br/noticia/ciencia/mudanca-climatica...
-pode-aumentar-pobreza-alerta-onu

Assinale a alternativa que apresenta a palavra que segue a mesma regra de acentuação que “castratróficos”.

  • A relatório.
  • B advertência.
  • C consequências.
  • D benefícios
  • E páginas
27
No dia 9 de janeiro de 1921, um sortido grupo reuniu-se no salão de festas do badalado restaurante Trianon, no alto da aprazível avenida Paulista, para um banquete em homenagem a Menotti Del Picchia, que lançava uma edição do poema Máscaras.

Situado na área hoje ocupada pelo MASP, o Trianon era uma espécie de restaurante-pavilhão, com salão de chá e de festas. Inaugurado em 1916, tornara-se um dos centros da vida social paulistana, com seus bailes, concertos, aniversários, casamentos e banquetes.

Naquele domingo de verão, ilustres integrantes do mundo cultural e político foram prestigiar o escritor e redator político do Correio Paulistano, homem de amplo arco de amizades.

Mário de Andrade, que estava presente, escreveu sobre a festa na edição da Ilustração Brasileira. Impressionou-se com a diversidade dos convidados, um séquito de homens das finanças, poetas e escritores da velha e da jovem guarda.

Figurões revezaram-se na tribuna, até chegar a vez de Oswald de Andrade, que faria soar, nas palavras de Mário de Andrade, “o clarim dos futuristas" - aquela gente “do domínio da patologia", como gostavam de escrever “certos críticos passadistas, num afanoso rancor pelas auroras".

O tribuno foi logo avisando que não gostaria de confundir sua voz com o cantochão dos conservadores. Juntava- se à louvação a Menotti, mas “numa tecla de sonoridade diferente", em nome “de um grupo de orgulhosos cultores da extremada arte de nosso tempo". Para selar o pertencimento de Menotti ao clã dos modernos, a máscara de seu rosto, esculpida por Victor Brecheret, lhe era ofertada. Disse Oswald: “Examina a máscara que te trazemos em bronze. Produziu-a de ti a mão elucidadora de Victor Brecheret que, com Di Cavalcanti e Anita Malfatti, afirmou que a nossa terra contém uma das mais fortes, expressivas e orgulhosas gerações de criadores".

Não poderia faltar ao discurso a exaltação do dinamismo paulista, pano de fundo da inquietação dos novos artistas e escritores. Num mundo - dizia o orador futurista - em que o pensamento e a ação se deslocavam da Europa para os “países descobertos pela súplica das velas europeias", São Paulo surgia como uma espécie de terra prometida da modernidade. Com suas chaminés e seus bairros em veloz expansão, a cidade agitava as “profundas revoluções criadoras de imortalidades".

E, se a capital bandeirante podia promover aquela festa e nela ofertar uma “obra-prima" de Brecheret ao homenageado, isso significava que uma etapa do processo de arejamento das mentalidades já estava vencida.

Na avaliação de Mário da Silva Brito, o que se viu no Trianon foi o lançamento oficial do movimento modernista em território hostil - um “ataque de surpresa no campo do adversá- rio distraído". Ao que parece, entretanto, a distração do respeitável público foi mais funda - a ponto de poucos terem notado que as palavras ali proferidas representavam um “ataque". Oswald foi aplaudido por passadistas, futuristas e demais presentes. “Todos estavam satisfeitos porque se julgavam incorporados à 'meia dúzia' de que falara o audaz", ironizou Mário de Andrade.


(Adaptado de GONÇALVES, Marcos Augusto. 1922: A semana que não terminou. São Paulo, Cia. das Letras, 2012, formato ebook)






Depreende-se do contexto que a ironia de Mário de Andrade (final do texto) deve-se ao fato de que

  • A a distração do respeitável público presente no evento desrespeitava não apenas o anfitrião como também o orador.
  • B Oswald de Andrade não considerava todos os integrantes do mundo cultural e político presentes no evento como membros do seleto grupo de artistas revolucionários em que se incluía.
  • C se pensava que os países descobertos pela súplica das velas europeias, entre os quais se incluía o Brasil, eram incapazes de produzir arte de vanguarda, digna das capitais europeias.
  • D o presente ofertado pelos futuristas ao homenageado, visto como uma “obra-prima” de Brecheret pelo grupo de artistas revolucionários, causou pouco entusiasmo ao público, ainda não acostumado a obras modernas.
  • E o discurso de Oswald de Andrade, que faria soar, nas palavras de Mário de Andrade, “o clarim dos futuristas”, não provocou o efeito desejado, entediando a plateia em vez de surpreendê-la.
28

Texto I

A ciência permanecerá sempre a satisfação do desejo mais alto da nossa natureza, a curiosidade; ela fornecerá sempre ao homem o único meio que ele possui para melhorar a própria sorte. (Renan)

Texto II

A ciência, que devia ter por fim o bem da humanidade, infelizmente concorre na obra de destruição e inventa constantemente novos meios de matar o maior número de homens no tempo mais curto. (Tolstói)

Texto III

Faz-se ciência com fatos, como se faz uma casa com pedras; mas uma acumulação de fatos não é uma ciência, assim como um montão de Pedras não é uma casa. (Poincaré)

A(s) opinião(ões) que traduz(em) uma visão negativa da ciência é(são):

  • A no texto II.
  • B no texto I.
  • C nos texto I e III.
  • D nos texto II e III.
29

Texto 1

Inauguração da Avenida

[...]
Já lá se vão cinco dias. E ainda não houve aclamações, ainda não houve delírio. O choque foi rude demais. Acalma ainda não renasceu.
Mas o que há de mais interessante na vida dessa mó de povo que se está comprimindo e revoluteando na Avenida, entre a Prainha e o Boqueirão, é o tom das conversas, que o ouvido de um observador apanha aqui e ali, neste ou naquele grupo.
Não falo das conversas da gente culta, dos “doutores” que se julgam doutos.
Falo das conversas do povo - do povo rude, que contempla e critica a arquitetura dos prédios: “Não gosto deste... Gosto mais daquele... Este é mais rico... Aquele tem mais arte... Este é pesado... Aquele é mais elegante...”.
Ainda nesta sexta-feira, à noite, entremeti-me num grupo e fiquei saboreando uma dessas discussões. Os conversadores, à luz rebrilhante do gás e da eletricidade, iam apontando os prédios: e - cousa consoladora - eu, que acompanhava com os ouvidos e com os olhos a discussão, nem uma só vez deixei de concordar com a opinião do grupo. Com um instintivo bom gosto subitamente nascido, como por um desses milagres a que os teólogos dão o nome de “mistérios da Graça revelada” - aquela simples e rude gente, que nunca vira palácios, que nunca recebera a noção mais rudimentar da arte da arquitetura, estava ali discernindo entre o bom e o mau, e discernindo com clarividência e precisão, separando o trigo do joio, e distinguindo do vidro ordinário o diamante puro.
É que o nosso povo - nascido e criado neste fecundo clima de calor e umidade, que tanto beneficia as plantas como os homens - tem uma inteligência nativa, exuberante e pronta, que é feita de sobressaltos e relâmpagos, e que apanha e fixa na confusão as ideias, como a placa sensibilizada de uma máquina fotográfica apanha e fixa, ao clarão instantâneo de uma faísca de luz oxídrica, todos os objetos mergulhados na penumbra de uma sala...
E, pela Avenida em fora, acotovelando outros grupos, fui pensando na revolução moral e intelectual que se vai operar na população, em virtude da reforma material da cidade.
A melhor educação é a que entra pelos olhos. Bastou que, deste solo coberto de baiucas e taperas, surgissem alguns palácios, para que imediatamente nas almas mais incultas brotasse de súbito a fina flor do bom gosto: olhos, que só haviam contemplado até então betesgas, compreenderam logo o que é a arquitetura. Que não será quando da velha cidade colonial, estupidamente conservada até agora como um pesadelo do passado, apenas restar a lembrança?
[...]
E quando cheguei ao Boqueirão do Passeio, voltei-me, e contemplei mais uma vez a Avenida, em toda sua gloriosa e luminosa extensão. [...]

Gazeta de Notícias - 19 nov.1905. Bilac, Olavo. Vossa Insolência: crônicas. São Paulo: Companhia de Letras, 1996, p. 264-267.

Vocabulário:
baiuca: local de última categoria, malfrequentado.
betesga: rua estreita, sem saída,
: do latim “mole” , multidão; grande quantidade,
revolutear: agitar-se em várias direções,
tapera: lugar malconservado e de mau aspecto

Sobre a oração destacada em “Não falo das conversas da gente culta, dos ‘doutores’ QUE SE JULGAM DOUTOS.” (textol - § 3), é correto afirmar que:

  • A ocorre no texto sob a forma de um sintagma adverbial, no qual a palavra gramatical conjuntiva dá a base da oração.
  • B a expressão gramatical típica da conseqüência se concretiza na conjunção que.
  • C combina-se, independente, para expressar um ato discursivo diferente do estabelecido pela primeira oração.
  • D ocorre no texto sob a forma de um sintagma adjetivo, conhecido como oração adjetiva, delimitando a parte de um conjunto.
  • E a unidade subordinada adquire um padrão no qual juntam-se as orações para formar um sintagma adverbial.

Atualidades

30

Em julho de 2013, um presidente sul-americano enfrentou um sério incidente diplomático na Europa, pois foi impedido de entrar no espaço aéreo de diversos países pela suspeita de transportar Edward Snowden, um norte-americano que está sendo acusado de espionagem nos Estados Unidos. O fato causou imediata reação de repúdio de lideranças sul-americanas.

(http://noticias.terra.com.br/mundo/america-latina/ -presidentes-sul-americanos-evocam-unasul-contra-graveafronta, c8e22d16f92af310VgnVCM20000099cceb0aRCRD.html. Adaptado)

O incidente ocorreu com o presidente do(a)

  • A Peru.
  • B Venezuela.
  • C Chile.
  • D Bolívia.
  • E Equador.
31

Tema recorrente na história do Estado brasileiro, a reforma política ganha destaque no complexo cenário surgido das manifestações de rua que explodiram pelo Brasil afora em junho de 2013. Entre os pontos colocados em debate está a proposta de mudança do sistema eleitoral hoje vigente no país. Relativamente a esse tópico, assinale a opção correta.

  • A Há consenso entre os membros do Congresso Nacional acerca da adoção do sistema distrital puro, em que cada deputado é eleito por um distrito pelo voto proporcional.
  • B O Partido dos Trabalhadores (PT), atualmente no comando do Executivo Federal e com forte bancada na Câmara dos Deputados, defende o financiamento das campanhas eleitorais com recursos públicos.
  • C O voto em lista fechada, em que o eleitor não escolhe candidato a deputado específico do partido, foi unanimemente rechaçado pelos partidos com representação no Congresso Nacional.
  • D O fim das coligações para eleições proporcionais é tese defendida, sobretudo, por partidos políticos médios e pequenos, que regularmente dispõem de candidatos “puxadores de voto”.
  • E O fim da suplência no Senado Federal, bem como a proibição da presença de parentes entre os suplentes, foi decisão assumida consensualmente pelas lideranças partidárias da Câmara Alta.
32

Por seis votos a um, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu nesta quinta-feira (3) não conceder registro ao partido Rede Sustentabilidade, da ex-senadora Marina Silva (...). Com isso, o partido não poderá participar das eleições de 2014.

(http://g1.globo.com/politica/noticia/2013/10/por-6-1-tse-barra-partido-de-marina-silva-nas-eleicoes-de-2014.html, 03.10.2013)

Os ministros do TSE entenderam que a Rede Sustentabilidade

  • A não conseguiu instalar diretórios em todos os estados da federação.
  • B recusou-se a fornecer a declaração de bens dos dirigentes do partido.
  • C não atingiu o quociente eleitoral necessário na região Nordeste do país.
  • D desrespeitou as regras de filiação nos pequenos e médios municípios.
  • E não alcançou a quantidade mínima de assinaturas para sua criação.
33

Morreram no mês de julho de 2014 os escritores brasileiros: Ariano Suassuna, Ivan Junqueira, João Ubaldo Ribeiro e Rubem Alves.

Eram membros da Academia Brasileira de Letras:

  • A Ariano Suassuna e João Ubaldo Ribeiro, apenas.
  • B Ariano Suassuna e Ivan Junqueira, apenas.
  • C Ariano Suassuna, Ivan Junqueira e João Ubaldo Ribeiro, apenas.
  • D Rubens Alves e Ariano Suassuna, apenas.
34

Assinale a alternativa que apresenta, respectivamente, os atuais presidentes da Rússia e dos Estados Unidos da América:

  • A Karl Mark / Abraão Lincoln
  • B Yuri Gagarin / John Kennedy Júnior
  • C Bin Laden / Bill Clinton
  • D Vladimir Putin / George Buch
  • E Vladimir Putin / Barack Obama

Direitos Difusos e Coletivos

35

Conforme o disposto na Lei n.º 9.394/1996, os sistemas de ensino assegurarão aos educandos com necessidades especiais

  • A acesso diferenciado aos benefícios dos programas sociais suplementares disponíveis para o respectivo nível do ensino regular.
  • B professores com especialização exclusivamente em nível superior em qualquer área, bem como professores do ensino regular capacitados para a integração desses educandos nas classes comuns.
  • C terminalidade específica para aqueles que puderem atingir o nível exigido para a conclusão do ensino fundamental, apesar de suas deficiências, e aceleração para concluir em menor tempo o programa escolar para os superdotados.
  • D educação especial para o trabalho, visando à sua efetiva integração na vida em sociedade, inclusive condições adequadas para os que revelarem capacidade de inserção no trabalho competitivo, mediante articulação com os órgãos oficiais afins, bem como para aqueles que apresentam uma habilidade superior nas áreas artística, intelectual ou psicomotora.
  • E currículos, métodos, técnicas, organização e recursos educativos específicos, para atender às suas necessidades.

Legislação Federal

36
ASSINALE A ALTERNATIVA CORRETA EM RELAÇÃO AO CONSELHO DE DISCIPLINA, INSTITUÍDO PELO DECRETO Nº 71.500/72:
  • A O Conselho de Disciplina é destinado a julgar a incapacidade do Guarda-Marinha, do Aspirante- a-Oficial e das demais praças das Forças Armadas que ainda não possuam estabilidade assegurada, para permanecerem na ativa, criando-lhes, ao mesmo tempo, condições para se defenderem.
  • B As praças das Forças Armadas, reformadas ou na reserva remunerada, presumivelmente incapazes de permanecerem na situação de inatividade, também poderão ser submetidas a Conselho de Disciplina.
  • C A praça condenada definitivamente à pena superior a 2 (dois) anos de reclusão pela prática de crime militar de natureza dolosa, será submetida, ex officio, a Conselho de Disciplina para fins de exclusão do serviço ativo das Forças Armadas.
  • D O Conselho de Disciplina é composto por 3 (três) militares da Força Armada da praça a ser julgada, devendo seus membros ser de graduação superior à da praça submetida a Conselho.
37
A Lei nº 5.194, de 24 de dezembro de 1966, regula o exercício das profissões de Engenheiro, Arquiteto e Engenheiro-Agrônomo. Das alternativas a seguir, uma não atende o dispositivo dessa lei. Aponte essa alternativa.
  • A Os estudos, plantas, projetos, laudos e qualquer outro trabalho de engenharia, de arquitetura e de agronomia, quer público, quer particular, somente poderão ser submetidos ao julgamento das autoridades competentes e só terão valor jurídico quando seus autores forem profissionais habilitados de acordo com a Lei nº 5.194/66.
  • B Só poderá ter em sua denominação as palavras engenharia, arquitetura ou agronomia a firma comercial ou industrial cuja diretoria for composta, em sua maioria, de profissionais registrados nos Conselhos Regionais.
  • C São nulos de pleno direito os contratos referentes a qualquer ramo da engenharia, arquitetura ou da agronomia, inclusive a elaboração de projeto, direção ou execução de obras, quando firmados por entidade pública ou particular com pessoa física ou jurídica não legalmente habilitada a praticar a atividade nos termos da Lei nº 5.194/66.
  • D Os Conselhos Regionais de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (CREA) são órgãos de fiscalização do exercício das profissões de engenharia, arquitetura e agronomia, em suas regiões, sendo uma das suas atribuições relacionar os cargos e funções dos serviços estatais, paraestatais, autárquicos e de economia mista, para cujo exercício seja necessário o título de engenheiro, arquiteto ou engenheiro-agrônomo.
38

A Lei nº. 5.553, de 1968, resguarda os direitos dos cidadãos quanto à posse de seus documentos pessoais de identificação, os quais são garantias do exercício de direitos. Por força dessa lei:


  • A é vedada a apreensão de documentos originais, porém é permitida a retenção daqueles apresentados em fotocópias autenticadas, na medida em que estes não possuem valor legal.
  • B a retenção de documentos de identificação pessoal constituirá contravenção penal, mas apenas quando praticada por autoridade pública, sendo um irrelevante penal a conduta quando praticada por particular.
  • C as limitações constantes da lei somente se referem a documentos que contenham a fotografia do titular, pois apenas estes são válidos como documentos de identificação.
  • D nos termos da lei, a autoridade policial deve reter documento que, por mau estado de conservação, torne incerta a veracidade dos dados dele constantes, fazendo instaurar investigação sobre possível crime de uso de documento falso.
  • E é lícito condicionar a entrada de pessoas em prédios públicos à apresentação de documento de identificação, mas o documento deve ser imediatamente restituído após conferência ou anotação dos dados.
39

Assinale a alternativa que apresenta corretamente a definição de aditivo alimentar, conforme o disposto na Nº 530 de 25 de fevereiro de 2010, do Conselho Federal de Farmácia:

  • A É o alimento que atende ao padrão de identidade e qualidade pré- estabelecido, nos aspectos higiênico-sanitários e nutricionais.
  • B É qualquer ingrediente adicionado intencionalmente aos alimentos, sem propósito de nutrir, com o objetivo de modificar as características físicas, químicas, biológicas ou sensoriais, durante a fabricação, processamento, preparação, tratamento, embalagem, acondicionamento, armazenagem, transporte ou manipulação de um alimento.
  • C Toda substância ou mistura de substâncias, no estado sólido, líquido, pastoso ou qualquer outra forma adequada, destinadas a fornecer ao organismo humano os elementos normais à sua formação, manutenção e desenvolvimento.
  • D É toda substância, excluindo os equipamentos e os utensílios utilizados na elaboração e/ou conservação de um produto, que não se consome por si só como ingrediente alimentar e que se emprega intencionalmente na elaboração de matérias-primas, alimentos, ou seus ingredientes, para obter uma finalidade tecnológica durante o tratamento ou elaboração. Deverá ser eliminada do alimento ou inativada, podendo admitir-se no produto final a presença de traços da substância ou seus derivados.
Voltar para lista