Resumo de História - Torre Eiffel

A Torre Eiffel é um grande monumento localizado na cidade de Paris, França, mais precisamente no Campo de Marte (Champ de Mars). Além de ser um ícone de grande representatividade na cidade é também um forte ponto turístico da Europa.

Como surgiu a Torre Eiffel?

A Torre Eiffel é uma construção de ferro com pouco mais de 300 metros de altura. Ela foi desenvolvida especialmente para a participação na Exposição Universal de Paris, que aconteceu no ano de 1889, em comemoração aos 100 anos de Revolução Francesa.

O evento foi uma competição, desenvolvida pelo governo francês, entre engenheiros e arquitetos da cidade que pretendiam expor os seus projetos. O design da Torre Eiffel foi criado pelo engenheiro francês Gustave Eiffel, por isso, a torre recebeu esse nome.

Para ficar completamente pronta, a construção da torre durou dois anos, 2 meses e 5 dias. Ao todo, a obra custou 8 milhões de francos e teve a participação de cerca de 250 pessoas trabalhando nela. Sendo assim, o seu desenvolvimento foi dividido em 3 etapas.

Após a instalação das fundações, a construção do primeiro andar terminou em 1° de abril de 1888, o segundo andar em 14 de agosto de 1888, e por fim, a montagem definitiva até o topo da torre ficou concluída no dia 31 de março de 1889, quando o monumento foi então inaugurado.

Difícil aceitação

No início, alguns artistas consideraram o tamanho da torre desproporcional e sugeriram, inclusive, que ela fosse desmontada após o evento devido a possível baixa rentabilidade.

Diante dessa situação, o projeto fez surgir numerosos artistas insatisfeitos, que consideraram a Torre Eiffel como uma ameaça à estética da cidade através de uma carta publicada e intitulada de: Protesto dos Artistas contra a Torre do Sr. Eiffel.

Na carta, eles argumentavam que uma torre de ferro erguida em pleno coração de Paris não era conveniente, pois contrastava demasiadamente com a elegância e a beleza refinada da cidade.

Um dos artistas, o poeta Verlaine, apelidou a Torre Eiffel de “esqueleto de Beffroi” para descrever a aparência pouco graciosa do monumento: uma torre gigante que iria “desfigurar” a cidade.

Gustave Eiffel, criador do projeto, precisou pensar em algo importante que impedisse a destruição da arte. Logo, ele se empenhou para provar a utilidade científica da torre ao multiplicar as experiências  em domínios como a astronomia e a fisiologia.

No início do século XX, com a chegada das guerras mundiais, as autoridades enxergaram na Torre Eiffel uma maneira estratégica de realizar a comunicação entre os militares. Assim, foram instaladas antenas de radiodifusão no local, que captavam mensagens, ajudando os aliados de forma decisiva.

Com o passar dos anos e graças ao auge da cidade de Paris como destino turístico internacional, a Torre Eiffel se tornou um dos monumentos mais visitados no mundo, chegando a receber mais de 7 milhões de visitas turísticas por ano.

Reforma

Em 2014, a Torre Eiffel passou por uma reforma em suas instalações e ganhou um novo piso de vidro transparente a 57 metros do chão no primeiro nível da torre. Antes, ao entrar no monumento, os visitantes iam logo para os andares de cima apreciar a vista exuberante da cidade.

Contudo, o objetivo da instalação do piso é fazer com que as pessoas passem mais tempo no primeiro andar e possam contemplar as instalações que foram implantadas no local, como cafés, lanchonetes e restaurantes, tornando o espaço mais atrativo.

Curiosidades

  • Além de medir 324 metros, a Torre Eiffel possui três níveis;
  • Até o ano de 1930, a Torre Eiffel era considerada a mais alta estrutura do mundo;
  • A torre é a estrutura mais alta de Paris e a segunda da França. Ficando atrás apenas do viaduto Millau, que tem 343 metros;
  • A estrutura da Torre Eiffel apresenta mais de 15 mil peças em ferro e 2,5 milhões de parafusos. Além disso, o seu peso ultrapassa 10 mil toneladas;
  • Logo quando foi inaugurada, os visitantes subiam 1700 degraus até o ponto mais alto da torre. Nos dias atuais, ela possui um elevador;
  • Gustave Eiffel, engenheiro francês e responsável pela construção da torre, participou de outros projetos, como o da Estátua da Liberdade em Nova York, Estados Unidos, e da Ponte Maria Pia, no Porto, em Portugal;
  • Hoje em dia, existem diversas réplicas da Torre Eiffel espalhadas pelo mundo. Vale destacar as das cidades de Las Vegas (Estados Unidos), Sucre (Bolívia), Tóquio (Japão), Hangshou (China), Urais (Rússia), Calcutá (Índia), Naqura (Líbano);
  • Ela é o monumento pago mais visitado do mundo;
  • No verão, a torre aumenta de tamanho, ficando cerca de 15 centímetros mais alta, em razão da dilatação do ferro;
  • Um estudo realizado pela “Câmara de Comércio Monza e Brianza” da Itália revelou que a Torre Eiffel é o monumento mais valioso de toda a Europa, deixando em segundo lugar o Coliseu na cidade de Roma, e em terceiro lugar a Catedral da Sagrada Família, em Barcelon;
  • Ao todo, a torre possui 20 mil lâmpadas que ajudam a iluminar Paris todas as noites. Em cada lado, são 5 mil lâmpadas, garantindo o espetáculo diário para moradores e turistas que consideram esse momento único e especial.  Embora, a iluminação mais tradicional seja a dourada, a torre muda de cor conforme a homenagem ou mensagem que a França deseja passar ao mundo;
  • Na base da torre é possível encontrar uma homenagem aos grandes gênios da França. Um total de 72 nomes que cercam toda a Torre Eiffel, dos quatro lados. Cientistas e famosos como Lavoisier, Ampere e  Focault.

Competição

Além de ser considerada atualmente o maior cartão postal da França, a Torre Eiffel também já foi espaço de aventuras e desafios. Isso porque em 2015 aconteceu a maior competição da história do ponto turístico.

A inspiração veio de uma competição parecida que acontece no Empire State Building (arranha céu) dos Estados Unidos, onde os participantes disputam uma corrida até o topo do monumento.

No entanto, a Torre Eiffel possui 1.665 degraus, 89 a mais que o edifício de Nova Iorque, tornando o combate ainda mais difícil que o americano.

Voltar

Questões