Resumo de Biologia - Terçol

O terçol é uma inflamação em forma de caroço que nasce no olho e causa dor e vermelhidão. Popularmente chamado de viúva, ele surge no canto interno ou externo da pálpebra inferior ou superior.

Possui sinais típicos de infecção provocada por bactéria, apresenta pus e tem a aparência de um furúnculo ou de uma espinha.

O terçol se instala próximo às raízes dos cílios e possui o nome científico de Hordéolo. Apesar de não afetar a visão, ele provoca muito incômodo e desconforto no local. Em alguns casos raros, pode haver a necessidade de fazer uma cirurgia para remoção do caroço.

O problema nunca é levado muito a sério porque, geralmente, desaparece sem muito esforço. Mas, em casos extremos e recorrentes podem haver complicações.

Sintomas do terçol

Os sintomas característicos do terçol são o inchaço e a vermelhidão na região da pálpebra, que acontecem na parte de cima ou na parte de baixo dos olhos. Quando o problema é superficial, chama-se terçol externo.

Já quando o terçol é interno, a lesão é mais profunda e pode ser mais inflamada e dolorida. Se o inchaço possuir uma pontinha amarela, é indicativo da presença de pus.

Os sinais comuns do terçol são:

  • Aumento de temperatura na região;
  • Caroço vermelho nas pálpebras;
  • Coceira na região dos olhos;
  • Dificuldade para abrir o olho;
  • Dor e sensibilidade ao piscar ou mexer na pálpebra;
  • Fotofobia;
  • Inchaço das pálpebras, com elevação no local e um ponto amarelo no centro;
  • Lacrimejamento nos olhos;
  • Olhos irritados e vermelhos;
  • Pouca secreção;
  • Sensação de corpo estranho;
  • Sensibilidade à luz;
  • Visão embaçada.

Causas do terçol

O terçol acontece por causa do entupimento das glândulas sebáceas, Zeis e Mol, que ficam localizadas perto dos cílios, como também pela infecção por bactérias (geralmente a estafilococo).

Na maioria das vezes o entupimento e a infecção estão associados. Ele pode surgir também como consequência de uma Blefarite – inflamação específica da pálpebra (parece caspa), causada pelo acúmulo de secreção gordurosa nos cílios.

O problema é mais recorrente no verão, por causa do clima quente e, consequentemente, maior volume de suor produzido pelo corpo. Nessa época, geralmente a pele fica mais oleosa, favorecendo a possível obstrução das glândulas.

Falta de higiene, lentes de contato não desinfetadas, dormir com maquiagem, cosméticos fora da validade e até mesmo a rosácea – vermelhidão facial – são fatores que podem facilitar o surgimento do terçol.

Por conta da variação hormonal, que influencia diretamente na produção de gordura pelas glândulas da pálpebra, os adolescentes são mais suscetíveis a desenvolver o terçol. Na gravidez também pode acontecer, em decorrência das alterações hormonais. Pode também significar que a imunidade está baixa. 

Quando as glândulas são invadidas pelas bactérias, o sistema imunológico do organismo é ativado e células de defesa são enviadas ao local para eliminar os microrganismos invasores. Nesse embate muitas células morrem, provocando o pus que obstrui a região. Vale reforçar que o terçol não é uma doença contagiosa.

Tratamento do terçol

É possível fazer o tratamento do terçol em casa, com hábitos saudáveis de higiene e uso de medicamentos específicos, caso haja necessidade. Em adolescentes e idosos, a frequente repetição do terçol pode requerer a necessidade do uso prolongado de antibiótico por via oral, de acordo com as determinações médicas.

Outras atitudes caseiras facilitam o alívio da dor e incômodo:

  • Boa alimentação: como a imunidade baixa facilita o aparecimento do terçol, alimentar-se bem fortalece o sistema imunológico;
  • Compressa fria: aplicar no local gaze ou algodão embebido em chás frios de camomila, verde ou preto;
  • Compressa morna: colocar bolsas de água aquecida ou então aplicar calor na região com uma gaze ou pedaço de algodão embebido em água morna, com duração de 15 a 20 minutos e três a quatro vezes por dia;
  • Higiene: limpar bem a região afetada sem deixar acumular secreções. Há indícios de que o shampoo de bebê por ter o pH neutro, ajuda no processo de retirada das secreções sem forçar, nem espremer. Deve-se fazer a limpeza de modo a evitar que o pus se espalhe pelo olho todo;
  • Uso de colírios e pomadas: ajudam a melhorar o aspecto da região e diminui o inchaço. Nesses casos, os colírios e as pomadas oculares possuem antibióticos e anti-inflamatórios, portanto só devem ser usados se forem prescritos por médicos oftalmologistas.

Existem casos em que há a necessidade de fazer uma drenagem cirúrgica. Ela é necessária quando a lesão é crônica e não retrocede com o tratamento clínico. A cirurgia é feita com anestesia local e consiste em uma incisão na região para drenar todo o conteúdo do abscesso.

Calázio

Quando a inflamação não é causada por bactérias é chamada de calázio. É menos dolorosa, porém maior que o terçol e muitas vezes precisa de tratamento cirúrgico.

Diferente do terçol que aparece com infecção, o calázio, também chamado de Chalázeo, é uma inflamação da glândula de Meibônio, diferente das doenças causadas por bactérias.

Mesmo sendo tratada, ela pode permanecer na pálpebra como um granuloma, que cresce quando a secreção que a glândula produz não é eliminada.

Quando surge com frequência pode indicar algum defeito de refração do olho.

Voltar

Questões