Resumo de Biologia - Sistema nervoso periférico

O sistema nervoso periférico (SNP) é responsável por ligar o sistema nervoso central (SNC) aos outros órgãos do corpo humano, realizando o transporte de informações entre eles. Ele é formado por nervos e gânglios nervosos.

Componentes do sistema nervoso periférico

O sistema nervoso periférico é um das divisões do sistema nervoso central. Ele é formado por:

Nervos

Os nervos do SNC são responsáveis pela transmissão dos impulsos nervosos ao sistema nervoso central. Eles são como feixes de fibras nervosas envolvidas por um tecido conjuntivo.

Dessa forma, eles estão divididos em nervos cranianos e nervos espinhais. Os cranianos originam-se no encéfalo e os espinhais na medula espinhal.

Nervos cranianos:

São nervos que realizam a conexão com o encéfalo. Eles são compostos por 12 pares, distribuídos entre as estruturas do pescoço e da cabeça. Cada um dos pares recebem nomenclaturas específicas e são numerados em algarismos romanos.

Os núcleos que dão origem aos pares estão situados em colunas verticais no tronco do encéfalo, correspondendo à substância cinzenta da medula espinhal.

Os nervos cranianos se dividem em: sensitivos (aferentes) e motores (eferentes). Os sensitivos são originados dos neurônios situados fora do encéfalo. Eles se agrupam para formar gânglios.

Eles têm a sensibilidade para captar estímulos como o calor e a luz, por exemplo. Os nervos sensitivos são: I – nervo olfatório; II – nervo óptico e VIII – nervo vestibulococlear.

Os motores, por sua vez, enviam sinais do sistema nervoso central para as glândulas ou músculos. Assim, eles ficam responsáveis pela movimentação dos olhos, da língua e, de forma acessória, dos músculos látero-posteriores do pescoço.

São nervos motores os: III – nervo oculomotor; IV – nervo troclear; VI – nervo abducente; nervo acessório; XII – nervo hipoglosso.

Os nervos cranianos ainda agrupam os nervos mistos, formados por fibras motoras e sensoriais. São eles: V – Trigêmeo; VII – nervo facial; IX – nervo glossofaríngeo e X – nervo vago.

Nervos espinhais:

São os nervos originados na medula espinhal, que ficam responsáveis pela inervação do tronco, membros superiores e algumas parte da cabeça. Ao todo, eles são constituídos em 31 pares.

Desses pares, oito são de nervos cervicais, responsáveis por deixar a coluna na região cervical; doze são de nervos torácicos, que firmam a coluna na região torácica; cinco são de nervos lombares, responsáveis por manter a coluna na região lombar; outros cinco são pares de nervos sacrais, que deixam a coluna na região sacral, além de um par de nervos coccígeo, responsável por deixar a coluna na região cocciana.

Gânglios nervosos

Os gânglios são acúmulos de neurônios situados fora do sistema nervoso central. Geralmente, eles têm o formato arredondado e são envolvidos em cápsulas, formando uma estrutura esférica.

Divisão do sistema nervoso periférico

O sistema nervoso periférico divide-se em: sistema nervoso somático e sistema nervoso autônomo, que se se diferenciam conforme critérios anatômicos, farmacológicos e fisiológicos. O somático atua sobre a musculatura esquelética de contração voluntária, ou seja, ele regula as ações que estão sob o controle de nossa vontade.

Enquanto isso, o sistema nervoso autônomo é responsável pelo controle dos músculos cardíacos, lisos e glândulas. Ao contrário do sistema nervoso periférico somático, este atua nas ações involuntárias, que não estão sob o controle do ser humano como, por exemplo, a ação dos órgãos.

O sistema nervoso periférico autônomo ainda está subdividido em duas partes: simpático e parassimpático. O simpático é formado por nervos espinhais oriundos da região torácica e lombar da medula, que estimula o funcionamento dos órgãos e neurotransmissores que liberam adrenalina e noradrenalina.

Assim, o sistema simpático é responsável por preparar o organismo para responder a situações de estresse e emergência. Com isso, ele aumenta a frequência cardíaca, a pressão arterial, contrai e relaxa músculos, provoca a dilatação dos brônquios, das pupilas, além de aumentar a transpiração.

O sistema nervoso parassimpático, por sua vez, é composto pelos nervos cranianos e espinhais das extremidades da medula. Seu neurotransmissor, chamado acetilcolina, atua na passagem do impulso nervoso dos neurônios para as células musculares.

Ao contrário do sistema simpático, o parassimpático é responsável por fazer o corpo retornar ao estado emocional de calma, realizando o controle de sistemas e ações não conscientes, a exemplo da respiração.

Com isso, ele ajuda a reduzir a pressão arterial, a frequência cardíaca, a adrenalina, o nível de açúcar no sangue e controla o tamanho das pupilas.

Exemplo da ação do sistema nervoso periférico simpático e parassimpático:

Imagine a situação em que a pessoa perceba um carro vindo em sua direção. Nesse caso, o sistema simpático irá agir para salvar a própria vida, a fim de que a pessoa escape ilesa do acidente. Após esse momento, quando o corpo entender que não há mais perigo, o sistema parassimpático entrará em ação.

Ele será o responsável por restabelecer a frequência cardíaca do indivíduo, fazendo com que o corpo diminua a adrenalina e retorne ao seu estado normal.

Voltar

Questões