Resumo de Geografia - Saturno

Saturno é o segundo maior planeta do Sistema Solar e em concentração de satélites naturais. Acredita-se que é achatado nos polos – em consequência do movimento de rotação no próprio eixo – coberto por rochas e cercado de hidrogênio e pequenas doses de hélio. 

Apresenta cor amarelada, 119,3 mil quilômetros de diâmetro e volume 755 vezes maior que a Terra. Devido a rotação rápida, leva 10 horas e 32 minutos para dar uma volta completa sobre si, e quase 30 anos em torno do sol.

Em 1610, foi descoberto pelo físico Galileu Galilei e, como é semelhante a Júpiter, recebeu o nome em homenagem ao pai do deus Júpiter na mitologia romana. Mas foi o envio das sondas espaciais Voyager 1 e Voyager 2, em 1980, que produziu informações que ainda hoje são estudadas.

Características de Saturno

Saturno, Júpiter, Urano e Netuno integram os chamados gigantes gasosos – planetas compostos especialmente por gases e pequenos núcleos rochosos no interior. No entanto, Saturno é o único com densidade 30% menor que a da água.

Sua superfície não é definida, pois a rotação acelerada provoca o achatamento dos polos, sendo a distância deles para o centro de 54 mil quilômetros. Isso evidencia a diferença de 10% no raio do lado equatorial até os polos, ou seja, a área equatorial é mais longe do centro do que a zona polar.

Os ventos atingem a velocidade de 1.800 quilômetros por hora e sopram em direção leste. As correntes mais fortes encontram-se no equador, oscilando de acordo com as latitudes.

Saturno também concentra 62 luas em sua órbita, sendo Titã a segunda maior dentro do Sistema Solar. Alguns desses satélites são pequenos, não têm nomes e foram descobertos nos últimos anos. Entre os mais notáveis estão:

  • Jápeto (1671)
  • Rhea (1672)
  • Dione (1684)
  • Tétis (1684)   
  • Mimas (1789)
  • Enceladus (1789)
  • Hyperion (1848)
  • Phoebe (1898)

Os anéis 

Um dos atributos mais famosos de Saturno são os anéis planetários.  As origens ainda causam dúvidas entre os astrônomos, mas duas teorias são as mais aceitas: eles podem existir desde o surgimento do Sistema Solar ou cometas foram fragmentados ao passarem nas proximidades do planeta.

As partículas que compõem esse sistema de anéis são formadas por gelo, mas o processo evolutivo sofreu influências dos fragmentos de satélites ao redor.  

Ainda que a largura se prolongue por milhares de quilômetros na região equatorial de Saturno, a espessura dos anéis é de apenas 150 metros.  Estima-se que a massa é parecida com a do satélite Mimas, aproximadamente 0,0031 ×1019 Kg   

Três dos sete anéis são chamados de A, B e C, sendo os dois primeiros os mais brilhantes. Eles são separados por uma lacuna batizada de Divisão de Cassini, uma homenagem ao astrônomo e matemático italiano Giovanni Domenico Cassini por ter descoberto essa zona escura que separa os dois arcos.

Durante trajeto ao redor do sol a posição do planeta é visível e seu eixo mantém-se inclinado, assim como no planeta Terra. No entanto, em certos momentos os anéis ficam estacionados na borda, causando a sensação de desaparecimento.

Esse fenômeno não é recorrente, pois a última vez que acontecera foi entre os anos de 2008 e 2009. A estimativa para o próximo é em 2024.

Pesquisadores americanos publicaram no diário científico Astrophysical Journal, em 2016, que os satélites e anéis se desenvolveram há 100 milhões de anos, 4 bilhões depois do nascimento do próprio planeta.

Segundo especialistas japoneses, os corpos de gelo que constituem os anéis planetários podem ter sido adquiridos a partir do Cinturão de Kuiper – uma área do Sistema Solar que começa na órbita de Netuno.

Saturno pode ser visto da Terra?

Mercúrio, Vênus, Júpiter e Saturno podem ser vistos a olho nu a partir da Terra, no entanto o segundo maior planeta do Sistema Solar é o que possui mais brilho. Quando a Terra fica na direção entre Saturno e o sol, no chamado momento de oposição, o brilho é ainda maior.

Os anéis refletem dois terços da luz no período que estão voltados para Terra. A órbita entre os dois planetas resulta em uma variação da distância em relação ao observador. Saturno reflete em todos os sentidos apenas uma terço da luz solar que recebe.

Você sabia?

  • Nem todas as luas de Saturno apresentam formato circular. O pequeno satélite de Atlas, por exemplo, tem estrutura elíptica (parecem discos voadores).
  • O satélite de Encélado expele água no espaço. Isso acontece porque é recoberto por uma camada de gelo e uma nascente termal que entra em erupção periodicamente.
  • Cada ano em Saturno equivale a 30 na Terra, e seu campo magnético é 578 vezes mais forte.
  • As tempestades de raios no planeta provocam chuvas de substâncias parecidas com diamantes.
  • O hidrogênio em Saturno, quando parte em direção ao núcleo, torna-se denso ao ponto de transformar-se em metal.  
Voltar

Questões