Resumo de Biologia - Relações Harmônicas

As relações harmônicas (positivas) entre os seres vivos são aquelas que existem interações e não ocorrem desvantagens entre as espécies. Ao menos uma das espécies sai beneficiado dessa relação. Isso é muito comum de acontecer, até mesmo com os seres humanos.

As relações harmônicas podem ocorrer de forma intraespecífica, ou seja, entre seres da mesma espécie; e de maneira interespecífica, isto é, entre espécies diferentes.

Veja abaixo alguns exemplos desses tipos de relações:

Relações Harmônicas Intraespecífica

Sociedade

É um dos tipos de relações harmônicas constituída por um grupo de indivíduos da mesma espécie que vivem juntos de forma permanente e que cooperam entre si.

Nesta união entre espécies existe uma característica marcante que é a divisão do trabalho. São os exemplos das abelhas, formigas e cupins.

É importante destacar que a organização entre eles é o que mais chama a atenção. As abelhas operárias que não se reproduzem, por exemplo, realizam todo o trabalho. São elas que colhem o néctar das flores, limpam e defendem a colmeia, além de alimentar com mel as abelhas rainhas.

No Reino Animal, especialmente na classe dos mamíferos, também é possível encontrar exemplos de sociedades, como é o caso dos gorilas, castores, babuínos e a espécie humana. A diferença é que nestes exemplos a divisão de trabalho não é feita de forma severa.

Colônia

Também é um tipo de relações harmônicas.  Nas colônias, os seres vivos da mesma espécie repartem funções.

A formação das colônias acontece por um método assexuado chamado de brotamento. São exemplos dessa associação as algas volvox, bactérias e os corais. Alguns indivíduos dessa categoria se destinam em funções específicas e necessárias à colônia.

Elas são divididas em colônias homomorfas, composta por indivíduos que possuem a mesma anatomia e a mesma função. Nessa categoria não há divisão de trabalho entre eles. Existe também as colônias heteromorfas que são seres com formato diferente e funções peculiares.

Um exemplo de seres heteromorfos são as colônias de celenterados (água-viva, anêmonas- do- mar, etc), na qual uma parte da colônia é responsável pela alimentação, e outra parte pela reprodução.

Relações Harmônicas Interespecíficas

As relações harmônicas interespecíficas acontecem entre indivíduos de espécies diferentes. Veja abaixo as classes de organismo:

Mutualismo

Nessa relação os indivíduos de espécies diferentes convivem juntos, de maneira permanente, e todos são beneficiados no grupo.

O líquen, por exemplo, são associações entre fungos e algas microscópicas, e muitas vezes parece um único organismo. As algas produzem alimento por meio da fotossíntese e recebem dos fungos água, proteção e nutrientes minerais que são absorvidos do substrato pelas hifas. Essa relação permanente é bem profunda a ponto de um líquen se reproduzir, gerando novos liquens.

Não é possível, por exemplo, desassociar as algas dos fungos. Ao realizar esse experimento em um laboratório, o líquen é danificado e as duas partes morrem, visto que uma não sobrevive sem a outra.

Protocooperação

A protocooperação é uma relação ecológica similar ao mutualismo. No entanto, os indivíduos dessa associação não ficam juntos de forma permanente, por isso podem viver separadamente. É o exemplo do paguro e da anêmona-do-mar.

Também conhecido como bernardo eremita, o paguro faz parte grupo das lagostas e dos caranguejos. O abdômen desse ser vivo é mole, protegido por conchas vazias de moluscos, encontradas no fundo do mar.

Por conta disso os tentáculos das anêmonas protegem o crustáceo contra predadores. Em troca, as anêmonas se aproveitam dos movimentos do caranguejo, além de se alimentar das sobras de alimento deixadas por ele. O paguro e a anêmona-do-mar conseguem viver separados, mas o mais comum é vê-los juntos.

Comensalismo

O comensalismo é uma associação na qual os indivíduos aproveitam os restos alimentares do outro sem que haja desvantagem entre as espécies. Temos como exemplo o tubarão e rêmoras, leão e hiena, urubu e o homem, etc.

O peixe rêmora, por exemplo, vive associado ao tubarão, preso em seu ventre através de uma ventosa.  A medida que o tubarão captura uma presa, a rêmora come somente o que o tubarão não aproveitou. O peixe-rêmora, depois de se alimentar, vai em busca de outro tubarão para associar-se. Essa relação para a rêmora é vantajosa, para o tubarão é neutra.

Inquilinismo

Nesse tipo de relação um dos seres é chamado de inquilino, pois se acomoda no corpo de outro organismo, chamado de hospedeiro.

Nessa associação não existe qualquer dano. Muito parecido com o comensalismo, a principal diferença é que o inquilinismo não envolve a busca de alimentos, somente o abrigo.

Voltar

Questões