Resumo de Português - Provérbios e ditados

Provérbios e ditados são expressões ditas com intuito de deixar uma lição e expressar sabedoria. Caracterizam-se por serem frases curtas, simples e de fácil memorização. Ambos fazem parte de uma cultura e provêm dos conhecimentos filosófico, religioso ou popular.

Parte da cultura de um povo, assim como as crenças e superstições, os provérbios e ditados são construídos a partir de experiências vivenciadas e repassadas de geração para geração.

Transmitidos pela oralidade e comumente falados no dia a dia, os provérbios e ditados são equivocadamente aceitos como a mesma coisa. Eles apresentam semelhanças, mas têm algumas características que os diferenciam. Em provas, costumam aparecer como questão de interpretação de texto.

Origem dos provérbios e ditados

Há poucos registros acerca da origem dos provérbios e ditados. Sabe-se que a palavra “provérbio” vem do latim “proverbium”. Acredita-se, também, que a palavra é de origem religiosa, tendo:

“Pro” = “no lugar de”.

“Verbio”, origem de “verbo” = “palavra de Deus”.

Esta explicação apoia-se no provérbio “A voz do povo é a voz de Deus”.

Estudiosos da área apontam que essas expressões já eram usadas desde Antes de Cristo (a.C.), mas com o nome de sebayts.

Desde aquela época, os provérbios e ditados eram usados para representar a palavra de um sábio. No século IV a. C. apareceram os Provérbios de Salomão e, um pouco depois, no século VI a. C., as Palavras de Ahiqar.

Tipos de Provérbios e ditados

Os provérbios e ditados dividem-se em três tipos. Podem ser religiosos, estrangeiros e brasileiros. O que caracteriza cada um é a sua origem.

Provérbios e ditados religiosos

A bíblia traz o livro dos Provérbios com ensinamentos morais.

Exemplos:

“O generoso prosperará. Quem dá alívio aos outros, alívio receberá.” (Provérbios 11:25)

“Quando vem o orgulho, chega a desgraça, mas a sabedoria está com os humildes”. (Provérbios 11:2)

Provérbios e ditados estrangeiros

Podem ser usados em diferentes países. No Brasil, usa-se muito os de origem chinesa. Há, também, os de origem indiana, japonesa, árabe etc.

Exemplos

“Um pouco de perfume sempre fica nas mãos de quem oferece flores.” (Provérbio chinês)

“Águas mansas não fazem bons marinheiros.” (Provérbio indiano)

“Quem queimou a língua nunca esquece de soprar a sopa.” (Provérbio alemão)

“Não aconselhes o tolo: em qualquer caso ele te culpará depois.” (Provérbio árabe)

“Muito trabalho e pouca diversão tornam Jack um menino aborrecido.” [All work and no play makes Jack a dull boy] (Provérbio americano)

“Quando o diabo não tem o que fazer, mata moscas com o rabo.” [Cuando el diablo no tiene qué hacer, con el rabo mata moscas] (Provérbio mexicano)

Provérbios e ditados brasileiros

Exemplos

“Filho de peixe, peixinho é”.

“Para um bom entendedor, meia palavra basta”.

“Quem canta seus males espanta”.

“O seguro morreu de velho”.

“Em terra de cego quem tem olho é rei.”

“Ladrão que rouba ladrão tem cem anos de perdão.”

“Deus ajuda quem cedo madruga.”

Ditados parecidos

Alguns ditados usados no Brasil também são ditos ao redor no mundo, mas com algumas adaptações. Confira:

“Falar é prata, calar é ouro” ou “Falar é prata, silêncio é ouro”.
Em japonês: “Não falar é uma flor”.

“Mais vale um pássaro na mão do que dois voando”.
Em croata: “Melhor um pardal na mão do que um pombo nos ramos”.
Também é dito em inglês, alemão e italiano.

Semelhanças e diferenças entre provérbios e ditados

Tanto os provérbios quanto os ditados surgiram a partir do conhecimento popular. São constituídos de frases simples e fáceis.

Os provérbios são poéticos e podem ser traduzidos em diversos idiomas, por isso são ditos em diferentes países. Quase sempre consegue-se identificar o autor do provérbio. Quando este começa a ser muito repetido passa a ser considerado um ditado popular.

Os ditados possuem, na maioria das vezes, expressões regionais e são quase sempre de autores desconhecidos.

Explicações de alguns provérbios e ditados

Acabar em pizza”: é dito quando alguma situação termina sem punição. Conta-se que surgiu no futebol, na década de 60, quando alguns jogadores do Palmeiras se reuniram para resolver alguns problemas. Depois de 14 horas de discussão, os jogadores resolveram pedir pizzas e esqueceram as dificuldades. Então um jornalista que cobria o assunto publicou a matéria sobre o ocorrido com a seguinte manchete: “Crise do Palmeiras termina em pizza”.

As paredes têm ouvidos”: fala-se isto quando vai ser dito algum segredo, no sentido de tomar cuidado para que outras pessoas não ouçam a conversa. Este provérbio veio da França e surgiu durante o período de perseguição contra os huguenotes, em 1572. Conta-se que a rainha Catarina era desconfiada e pediu para que fizessem uma parede com furos, para que ela pudesse ouvir melhor as conversas alheias.

Comer com os olhos”: essa expressão vem da Roma Antiga, na época em que eram servidos banquetes nas cerimônias religiosas, para oferecer aos deuses. Ninguém poderia tocar na comida, muito menos comê-la. Assim, todos os convidados presentes “comiam com os olhos”, ou seja, apenas olhavam o banquete.

Errar é humano”: este provérbio é atribuído ao filósofo Sêneca, que desde 4.aC. dizia: “Errare humanum est”.

A ver navios”: de acordo com o conhecimento popular, o rei de Portugal, Dom Sebastião, desapareceu em uma batalha no Marrocos. As pessoas, na esperança de vê-lo retornar sã e salvo, subiam no alto de Santa Catarina, em Lisboa, para ficar à espera do rei que eles acreditavam que retornaria em um navio. Como ele nunca chegava, as pessoas ficavam apenas a ver navios.

Lista de provérbios e ditados

“Deus escreve certo por linhas tortas.”

“A pressa é inimiga da perfeição.”

“Mentira tem perna curta.”

“Se não queres que ninguém saiba, não o faças.” (Provérbio chinês)

“Se você quer saber como foi seu passado, olhe para quem você é hoje. Se quer saber como vai ser seu futuro, olhe para o que está fazendo hoje.” (Provérbio chinês)

“Quando um não quer, dois não brigam.”

“De grão em grão a galinha enche o papo.”

Voltar

Questões