Resumo de Educação Física - Polo Aquático

O polo aquático é uma das modalidades de esportes coletivos disputadas na piscina entre duas equipes.  Ele tem muita semelhança com o handebol, pois em ambos as equipes precisam passar a bola por cima dos adversários utilizando as mãos para marcar o gol. A diferença é que o polo é praticado na água.

Alguns pesquisadores do esporte explicam que há indícios de que o polo aquático já era praticado desde o século XVIII na Escócia e Inglaterra, mas foi na cidade de Londres, em 1870, que ele ficou conhecido.

Regras do polo aquático

  • A equipe é composta por 7 jogadores disputando o jogo, e mais seis jogadores suplentes, que ficam na reserva. Para diferenciar os jogadores de cada equipe, os adversários usam toucas de cores distintas. Já os goleiros devem usar toucas na cor vermelha;
  • O jogo é dividido em quatro tempos de sete minutos cada. Se houver empate entre as partidas eliminatórias, haverá a prorrogação do tempo. Se ainda assim continuar empatado, a disputa será resolvida nos pênaltis com cinco cobranças para cada equipe;
  • A bola usada no jogo apresenta massa variável entre 400 g e 450 g, havendo diferença entre jogos femininos e masculinos;
  • Em cada extremidade da piscina é colocado um gol de 3m de largura e 90cm de altura.

Faltas

Os juízes são responsáveis por apontar as infrações cometidas durante a partida. Entre as ações que são consideradas como faltas, pode-se listar:

  • Não é permitido tocar a bola com as duas mãos ao mesmo tempo, salvo o goleiro;
  • Os jogadores não podem afundar a bola na tentativa de impedir que ela seja tomada pelo adversário;
  • É proibido ao jogador pegar o impulso na piscina para arremessar a bola;
  • Cada arremesso de bola deve ser feito em até 24 segundos;
  • Os jogadores devem evitar contato físico com a equipe oposta, pois é falta grave empurrar, bater ou chutar os adversários.

Além disso, as piscinas usadas para a prática do polo aquático também atendem a alguns requisitos. O principal deles é a profundidade que deve ser de no mínimo dois metros; a largura precisa medir entre dez e vinte metros; e o comprimento deve medir entre 20 e 30 metros. Por fim, vence a equipe que marcar o maior número de gols.

Campeonatos

O órgão responsável pela organização de eventos e campeonatos do polo aquático no mundo é a Federação Internacional de Natação (FINA). A Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) é responsável por realizar e organizar os campeonatos no Brasil.

A cada quatro anos, a Fina realiza a Copa do Mundo de polo aquático. Os campeonatos mundiais de maior relevância para o esporte são realizados a cada dois anos. O polo aquático é um dos esportes dos Jogos Olímpicos.

Origem no Brasil

O esporte surgiu no Brasil no começo do século XX. O responsável pela introdução do polo aquático no país foi Flávio Vieira. Ele organizou torneios em vários clubes do Rio de Janeiro como: os clubes Regatas Botafogo, Regatas Vasco da Gama, e o Natação e Regatas.

Os jogos eram realizados nas praias e os times formados por 11 jogadores. Na época, eles usavam uniformes e disputavam o jogo sem o uso de toucas. A primeira partida de polo aquático aconteceu em 1908 na praia de Santa Luzia e a disputa ocorreu entre os clubes “Natação e Regatas” e “Flamengo”.

Olimpíadas

O time do Brasil participou da primeira Olimpíadas em 1920, na Bélgica, mas não obteve sucesso e foi eliminado ainda na fase inicial.

A segunda participação fora do país aconteceu em Los Angeles no ano de 1932, mas o Brasil também não obteve um final feliz, pois foi desclassificado por agressão no jogo contra a Alemanha.

Com isso, as competições ficaram suspensas por um bom tempo, o que causou a insatisfação do público brasileiro em relação ao esporte. Esse episódio, no entanto, teve um final feliz e em 1946 o Brasil participou e, enfim, venceu uma partida no campeonato Sul-Americano realizado no Rio de Janeiro.

Ainda assim, os espectadores eram a favor da modificação das regras. Em 1950, o esporte institui as primeiras mudanças como, por exemplo: a permissão para os jogadores nadarem com a bola parada, a diminuição do número de competidores, as substituições feitas a qualquer momento, além do tempo de posse de bola, que foi alterado em 1960. 

Dois personagens foram de extrema importância para a evolução do polo aquático no Brasil. O técnico Italiano Paolo Costoli, contratado pelo Fluminense na época, introduziu novos métodos e implantou um novo estilo de jogo. Junto com ele, o jogador Aladar Szabo trouxe as experiências que viveu na escola da Hungria para os brasileiros.

Uma característica relevante do polo aquático, desde que ele foi introduzido no país, é a rivalidade entre paulistas e cariocas.

O Brasil alcançou sua a primeira medalha de ouro em jogos Pan-Americanos na cidade de São Paulo em 1963.

Curiosidades

O polo aquático é um jogo que exige velocidade, resistência e estratégia. O jogador precisa de muita habilidade com a bola para realizar os passes sem tocar no adversário, e ter uma ótima natação. Por ser praticado na água, ele não oferece riscos de contusões.

Entre algumas curiosidades do polo aquático está o glossário do esporte. Confira algumas definições:

  • Passe molhado: é quando a bola toca na água antes de chegar ao jogador;
  • Passe seco: quando o arremesso é feito sem tocar a água;
  • Backhand: quando o passe de bola é ruim;
  • Barreira: quando o defensor impede que o adversário receba a bola;
  • Brutalidade: forma de jogar mais ríspida (violenta) como dar uma cotovelada ou um soco no adversário;
  • Pressão: tática defensiva usada para marcar um adversário.
Voltar