Resumo de Português - Polissemia

Polissemia são palavras que possuem mais de um significado. Dessa forma, a polissemia aponta a variedade de significados que um termo pode ter, dependendo do contexto em que a palavra está inserida. A polissemia faz parte da semântica e acontece na maioria dos vocábulos.

Exemplos de palavras polissêmicas:

Letra (símbolo de escrita e documento substituto de dinheiro, com origem comum na palavra em latim littera);

Dama (senhora da nobreza e peça de jogos, com origem comum na palavra em francês dame);

Cabeça (parte do corpo humano e líder do grupo, com origem comum na palavra em latim capitia);

Banco (assento sem encosto e local de operações financeiras, com origem comum na palavra no germânico banki);

Gato (animal mamífero e pessoa atraente, com origem comum na palavra em latim cattus);

Cabo (posto militar, acidente geográfico, cabo da vassoura, da faca).

Origem da polissemia

A polissemia acontece em decorrência de muitos motivos, sendo os principais:

  • A utilização da linguagem no sentido figurado, com metáforas e metonímias;
  • A tradução de linguagem específica para linguagem corrente;
  • A atuação de estrangeirismos e neologismos.

Polissemia e homonímia

A polissemia é diferenciada da homonímia por apontar uma só palavra com vários significados. Já a homonímia apresenta duas palavras diferentes, com origens e significados distintos. No entanto, apresentam a mesma ortografia e pronúncia.

Homonímia

Classificamos como palavras homonímias aquelas que têm a mesma estrutura fonológica, os mesmos fonemas, a mesma acentuação gráfica e ainda assim apresentam significados diferentes.

O momento do uso e contexto que a palavra foi empregada serão responsáveis pela construção de sentidos na ocorrência da homonímia. Sendo assim, não vai existir prejuízo ao entendimento da mensagem.

Exemplos de palavras homonímia:

Manga (fruto da mangueira com origem na palavra malaiala manga; parte da roupa com origem na palavra latina manica);

Grama (relva com origem na palavra em latim gramen; unidade de massa com origem na palavra grega grámma);

Pena (revestimento do corpo das aves com origem na palavra latina penna; castigo, sentimento ou sofrimento com origem na palavra grega poinê).

Atenção! Alguns dicionários mostram no mesmo verbete os casos de polissemia e em verbete diferente os casos de homonímia.

Polissemia e monossemia

Polissemia e monossemia apresentam conceitos diferentes. Como foi visto acima, na polissemia uma palavra apresenta outros significados. Na monossemia a palavra tem apenas um significado, possibilitando uma leitura única.

Existe uma quantidade menor de palavras monossêmicas e, normalmente, elas são muito específicas. Elas se referem a pontos específicos, como, por exemplo, as palavras técnicas.

Algumas palavras monossêmicas:

Estetoscópio – (instrumento médico);

Eneágono – (polígono com nove ângulos);

Vulcanologista – (especialista em vulcanologia).

Polissemia e ambiguidade

Ambiguidade é a quantidade de interpretações diferentes que um discurso pode ter.

Exemplo:

Ninguém conseguia se aproximar do porco do tio, tão bravo ele era.

Essa frase pode ser interpretada como ironia, da mesma forma que pode ser vista como uma ofensa ao tio. Da mesma maneira, que o tio pode ter um suíno bravo.

Ambiguidade

Um termo ambíguo pode expressar a sensação de indecisão, hesitação, imprecisão, incerteza e indeterminação.

Exemplos:

Não sei se gosto do frio ou do calor.

Não sei se vou ou fico.

A ambiguidade pode estar presente em palavras, frases, expressões ou sentenças completas. Esse recurso é muito usado em textos literários, poéticos ou humorísticos, porém deve ser evitado em textos científicos ou jornalísticos, por exemplo.

Ambiguidade também pode ser um substantivo que dar nome a falta de clareza em uma expressão.

Exemplo:

Eduardo disse ao amigo que Pedro havia saído.

Quem havia saído? Pedro ou o Eduardo?

Voltar

Questões