Resumo de Geografia - Placas Tectônicas

Placas tectônicas são grandes blocos de rocha que formam a crosta terrestre. O Planeta Terra tem quatorze placas principais, elas de movimentam lentamente sobre o manto, podendo se aproximar ou se afastar uma das outras.

A movimentação das placas pode ocasionar atividades vulcânicas, terremotos, tsunami ou até dar origem a montanhas e fossas oceânicas.

Limites das Placas Tectônicas

Existem três limites de placas, eles são caracterizados pelo modo como as placas se deslocam umas relativamente às outras. Elas podem ser classificadas em Divergentes (que definem a zona de construção da crosta), Convergentes (definidas na zona de destruição da crosta) e Conservativos (onde estão as falhas transformantes).

Limites Divergentes

Esse movimento acontece quando as placas se distanciam uma das outras ocasionando em uma nova crosta oceânica.

Dessa forma, quando acontece o movimento das correntes convectivas ascendentes, o magma que fica no interior do Planeta Terra perpassa as brechas e vai em direção à superfície. Depois disso, o magma se resfria e é acrescentado às bordas das placas, que aumentam de tamanho.

Com a separação das placas oceânicas formam-se dorsais mesoceânicas, que causam o crescimento do fundo oceânico, dando origem aos terremotos e aos vulcões.

O afastamento das placas pode resultar em terremotos e formar vulcões e vales rifte.

Vales rifte

Vales rifte são locais em que a crosta terrestre sofre uma quebra, provocando afastamento das partes vizinhas da superfície terrestre.

Limites Convergentes

Nesse movimento as placas se aproximam e em seguida se chocam umas contra as outras. Quando esse movimento acontece entre uma placa oceânica e uma placa continental, a primeira volta ao manto e a segunda fica enrugada, formando dobras. Isso acontece porque as rochas das placas oceânicas são mais espessas que as pedras das placas continentais.

Quando ocorre o encontro entre duas placas oceânicas, a placa que afundará será a mais espessa entre as duas.

No choque de duas placas continentais, não existe afundamento de placa porque as densidades das duas são iguais, sendo assim, ambas vão se dobrar. A placa Sul-Americana e a Placa de Nazca são exemplos desse registro, elas se chocaram originando a Cordilheira dos Andes.

Limite transformante

Nesse movimento, as placas vão ao encontro umas em relação às outras, ocasionando rachaduras no local de contato entre as placas. No movimento transformante, não existe quebra nem criação de placas, podendo, em alguns casos, causar falhas.

Um exemplo de movimento transformante ocorreu entre a Placa do Pacífico e a Placa Norte-América, resultando na falha de San Andres, no estado da Califórnia, nos Estados Unidos.

Principais Placas Tectônicas

No mundo existe um total de 52 placas tectônicas, sendo 14 principais e 38 menores. Veja a seguir as principais e suas características:

Placa Sul-Americana

Envolve a América do Sul e estendendo até a Dorsal Mesoatlântica.

Sua fronteira leste faz limite divergente com a Placa Africana; ao sul, faz limite com a Placa Antártica e com a Placa Scotia; a oeste, faz limite convergente com a Placa de Nazca; e ao norte, limita-se com a Placa Caribenha.

Placa de Nazca

Fica à esquerda da Placa Sul-Americana. O choque entre essas duas placas formou a Cordilheira dos Andes.

Placa do Pacífico

Alcança grande parte do Oceano Pacífico.

Limita-se ao norte com a Placa do Explorador, com a Placa Juan de Fuca e com a Placa de Gorda.

Seu limite com a Placa Norte-Americana resultou na falha de San Andres.

Placa Euro-Asiática

Envolve parte da Eurásia e limita-se com a Placa Africana e a Placa da Índia.

Separa-se da Placa Norte-Americana pela Dorsal Mesoatlântica.

Existem ainda placas tectônicas menores, são elas: Placa Adriática, Placa da Anatólia, Placa Arábica, Placa Caribeana, Placa da Carolina, Placa de Cocos, Placa Leste-Americana, Placa Helénica, Placa Indiana, Placa Indo-Australiana, Placa Iraniana, Placa das Filipinas, Placa da Somália, Placa de Scotia, Placa de Sunda e Placa de Tonga.

Por que as placas tectônicas se movimentam?

As placas tectônicas se movimentam devido a alta temperatura no interior da Terra.

A crosta terrestre fica sobre o manto, camada da Terra formada por magma. O forte calor no local provoca a movimentação circular do manto em correntes de convecção. Através do movimento convectivo, o calor no núcleo da terra é levado para as camadas mais externas, causando a movimentação das placas, levando à junção ou à separação dos continentes.

Placas tectônicas no Brasil

Assim como todos os países, o Brasil fica situado em uma placa. O Brasil situa-se na Placa Sul-Americana, que possui uma extensão de 43,6 milhões de quilômetros quadrados e, aproximadamente, 200 quilômetros de espessura. Essa placa se move para o oeste, se afastando da Dorsal Mesoatlântica e se aproximando das Placas de Nazca e do Pacífico.

O Brasil fica exatamente no centro da Placa Sul-Americana. Por isso, o país não sofre com grandes abalos sísmicos. Por aqui existem abalos de pequena magnitude, em virtude do desgaste da placa.

Teoria das Placas

No ano de 1913, Alfred Wegener, geógrafo e meteorologista alemão, apresentou a teoria da Deriva Continental, afirmando que há milhões de anos a terra era formada por um grande continente, chamado de Pangeia. A teoria de Wegener foi confirmada por sua sucessora, teoria batizada por Teoria das Placas Tectônicas.

A Teoria das Placas Tectônicas acredita que a crosta da terra é dividida em grandes blocos semirrígidos, isto é, em placas que envolvem os continentes e o fundo dos oceanos. As placas se movimentam sobre o magma, empurradas por forças originadas no interior do Planeta Terra. Dessa forma, chega-se a conclusão que a superfície terrestre não é uma placa imóvel, como era falado no passado.

Voltar

Questões