Resumo de Biologia - Peroxissomos

Os peroxissomos, também chamados de peroxissomas, são organelas celulares do citoplasma presentes nas células eucariontes tanto como célula animal ou célula vegetal. Elas foram descobertas há pouco tempo, possuem dupla membrana plasmática e tem o formato de vesículas esféricas semelhante aos lisossomos, porém se difere dela em relação as suas funções.  

Essa organela realiza o armazenamento de enzimas digestivas, que são responsáveis principalmente pela catalisação do peróxido de hidrogênio, popularmente conhecido como água oxigenada (H2O2): substância tóxica para as célula e fonte de radicais livres.

Embora existam várias enzimas digestivas capazes de degradar gorduras e aminoácidos no interior do peroxissomos, a principal delas e também encontrada em maior quantidade é a catalase.

Funções dos peroxissomos

No interior dos peroxisssomos, a enzima responsável pela catalisação da água oxigenada (H2O2) é a catalase.

A água oxigenada se forma, normalmente, durante a degradação de gorduras (metabolismo celular) e de aminoácidos, mas em grande quantidade ela pode causar lesões à célula.

Sendo assim, para não prejudicar os tecidos, a enzima denominada de catalase reage com o peróxido de hidrogênio produzindo água (H2O) e oxigênio molecular (O2), causando a destruição dessa substância.

Veja como ocorre essa reação:

2 H2O2 → enzima catalase → 2 H2O + O2

Além da função principal, os peroxissomos participam de outros processos de desintoxicação da célula. Entre eles:

  • A oxidação de ácidos graxos para a síntese de colesterol;
  • Quebra dos ácidos graxos em cadeia longa (tóxicos)
  • Matéria-prima na respiração celular com o intuito de obtenção de energia.

No corpo humano, os peroxissomos são encontrados em grande quantidade nas células que formam os rins (células renais) e o fígado (células hepáticas), chegando a ocupar até 2% desses órgãos.

No interior das células hepáticas, eles ajudam na produção de sais biliares e também na neutralização de algumas substâncias tóxicas para o corpo.

Glioxissomos

Os glioxissomos são peroxissomos especiais encontrados nas células vegetais (folhas e sementes em germinação). Tem a mesma estrutura dos peroxissomos, porém os glioxissomos atuam em algumas reações do processo de fotossíntese.

Nas sementes, o efeito dessas organelas são importantes na transformação de ácidos graxos em substâncias de menor tamanho, que por sua vez serão convertidas em glicose e utilizadas pelo embrião em germinação. Além disso, convertem lipídios em carboidratos.

Doenças peroxissômicas

A ausência ou deformidade estrutural enzimática dos peroxissomos pode causar doenças metabólicas envolvendo diversos órgãos.

As doenças peroxissômicass podem ser divididas em dois grupos. No primeiro é possível destacar a Síndrome de Zellweger e a condrodisplasia puntata rizomélica. Elas acontecem quando os peroxissomos são produzidos em menor quantidade ou quando suas proteínas não são importadas e degradas no citoplasma.

Além delas, existem outras doenças que são causadas por defeito em uma única enzima peroxissomal por ocorrência de acúmulo de substratos ou por falta dos seus respectivos produtos. As doenças são: adrenoleucodistrofia ligada ao cromossomo X, pseudo síndrome de Zellweger, hiperoxalúria tipo I e acatalessemia.

Como as organelas celulares são cobradas no Enem?

Se você está se preparando para provas de vestibulares e quer se dar bem no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), principal forma de ingresso nas universidades públicas e particulares, saiba que as organelas celulares é um assunto bastante cobrado no exame.

As organelas, inclusive os peroxissomos, são encontrados no citoplasma, que fica entre a membrana plasmática e a carioteca. Além dos peroxissomos, existem outros exemplos de organelas citoplasmáticas. O Guia Estudo selecionou as principais:

  • Lisossomos: os lisossomos são produzidos no interior do Complexo de Golgi e assim como os peroxissomos são organelas presentes no citoplasma da maioria das células eucariontes. Outra função importante dessa organela é a autofagia, que promove a renovação de outras organelas celulares e envelhecidas;
  • Ribossomos: os ribossomos são pequenas granulações presentes no citoplasma da célula e também na parte superficial do retículo endoplasmático, formando o retículo endoplasmático rugoso (granular). Além disso, atuam na síntese de proteínas e de cadeias polipeptídicas;
  • Retículo endoplasmático liso: é um tipo de retículo endoplasmático que possui a função de realizar a síntese de lipídios, além de transportar e armazenar substâncias;
  • Retículo endoplasmático rugoso: responsável por fazer a síntese de proteínas;
  • Retículo endoplasmático liso: realizam o transporte e armazenamento de substâncias, além de realizar a síntese de lipídios;
  • Centríolos: participam da divisão celular e originam flagelos e cílios;
  • Vacúolos: estão presentes nos protozoários e participam da digestão intracelular. Na célula animal possuem vacúolos que fazem o armazenamento de gordura e controle osmótico.
  • Mitocôndrias: As mitocôndrias são encontradas dentro das células animais e vegetais. Na respiração celular, elas funcionam como “usinas de energia”, pois quebram moléculas de combustíveis e convertem em energia durante a respiração celular.
  • Complexo de Golgi: também chamada de aparelho de Golgi, trata-se de uma organela responsável pela exportação das proteínas das células para outras partes do organismo após a síntese do retículo endoplasmático rugoso. O Complexo de Golgi fica localizado próximo a membrana plasmática.

Resumo sobre peroxissomos

Os peroxissomos são organelas celulares do citoplasmas que podem ser encontradas nas células eucariontes de animais e vegetais. Possuem membrana plasmática dupla e tem o formato semelhante aos lisossomos.

Ela realiza o armazenamento de enzimas digestivas, responsáveis principalmente pela catalisação do peróxido de hidrogênio, conhecido como água oxigenada (H2O2), que é tóxico para as células.

Voltar

Questões