Resumo de Biologia - Parto Cesárea

O parto cesárea, também conhecido como cesariana, é indicado quando há algum risco ou impedimento para a realização do parto normal. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o procedimento é realizado apenas quando há indicativos que possibilitem somente a realização do parto cesárea, além de ser executado exclusivamente sob orientação médica.

As cesarianas exigem um tempo maior de cicatrização do que o parto normal, levando em média seis semanas para a recuperação completa.

A palavra cesariana tem origem no verbo caedo -is, cecidi, caesum, caedere, que significa cortar e está presente nas palavras ciseaux, do francês, e scissors, do inglês, que significam ambas “tesoura“.

Preparação para um parto cesárea

Algumas recomendações são fundamentais para o preparo da cirurgia, principalmente nos casos em que a cesárea for marcada com antecedência, pois em situações de emergência não há possibilidade de seguir as indicações.

O preparo inclui:

  • Jejum de 8 horas (de comida): garante uma segurança maior de não haver refluxo de alimento, vômitos e aspiração deste conteúdo na hora do parto;
  • Só beber água até 4 horas antes da cirurgia;
  • Retirar esmaltes das unhas (ou usar esmaltes transparentes);
  • Preferir refeições sem alimentos fermentativos.

Indicação

O parto cesárea é indicado em casos especiais, quando há possibilidade de complicação, ocorrendo em cerca de 15% dos partos. Esses riscos são constatados principalmente durante o pré-natal, por isso é recomendado que durante a gravidez sejam realizados exames regularmente.

Segundo o Ministério da Saúde, o parto  é indicado em alguns casos específicos. Confira alguns deles:

  • Placenta prévia: quando há implantação da placenta na porção mais baixa da cavidade uterina;
  • Placenta acreta: quando a placenta se implanta e adere ao músculo uterino, impedindo sua separação do útero no pós-parto, tanto normal quanto cesariana;
  • Feto pélvico: quando os bebês estão sentados ao invés de estarem com a cabela em direção ao canal vaginal.
  •  Mães infectadas pelo vírus HIV: neste caso, a cesárea deve ser feita na 38ª semana, a fim de se evitar tanto a prematuridade quanto o trabalho de parto e a ruptura prematura das membranas.

Riscos do parto cesárea para a mãe

Assim como toda cirurgia de risco, o parto cesária apresenta riscos. Entre eles, pode-se destacar:

  • Problemas decorrentes da anestesia;
  • Atonia uterina, ou seja, de que o útero não consiga contrair-se adequadamente e suficientemente a ponto de garantir um estancamento do sangramento;
  • Hemorragias;
  • Embolia pulmonar ou embolia amniótica;
  • Infecções, principalmente nas mulheres que já têm alguma doença ou deficiência no sistema imunológico;
  • Trombose.

A longo prazo, o parto cesárea apresenta outros riscos elevados para a mãe, em uma próxima gestação:

  • Rompimento uterino em próxima gestação;
  • Placenta prévia, que é implantação da placenta na porção mais baixa da cavidade uterina;
  • Placenta acreta, quando a placenta fica aderida no útero após o parto, podendo causar hemorragia e perda do útero;
  • Maior chance de ter um próximo parto cesárea de novo (se passar de 2 cesáreas, o próximo deve ser obrigatoriamente esse tipo de parto de novo).

Riscos para o bebê

Além de oferecer riscos para a gestante, o parto cesárea pode trazer riscos também para o bebê. Entre eles estão:

  • Nascimento prematuro, se for realizado antes de completar o tempo necessário para o seu crescimento;
  • Desconforto respiratório ao nascer.

Recuperação 

Logo após a cirurgia, a mulher permanece em recuperação pós-anestésica por cerca de 4 horas. Em seguida é retirada a sonda da bexiga e, após isso, é recomendado levantar pela primeira vez.

Na maioria dos casos, a mulher fica internada de 2 a 4 dias após o parto cesárea.

Em relação às dores e desconfortos, assim como o tempo de recuperação, varia de mulher para mulher. Para que ela aconteça de forma rápida, é importante a utilização da cinta pós-parto. Ela ajuda na movimentação e evita o acúmulo de líquido na região da cicatriz.

A ingestão de água deve ser de 2 a 3 litros por dia e a alimentação deve ser rica em proteína.

Vantagens do parto cesárea

Apesar de ser indicado apenas em alguns casos específicos, o parto cesárea possui alguns vantagens. Confira algumas delas: 

  • Há possibilidade de escolher a data do nascimento do bebê;
  • Acaba reduzindo o estresse durante o parto, pois há um planejamento do ambiente e do psicológico;
  • O trabalho de parto acaba sendo mais curto e com duração previsível;
  • Garante que o obstetra que acompanhou durante a gestação esteja disponível no dia do parto;
  • Impede a ocorrência de nascimentos  do bebê com mais de 42 semanas de gestação, o que está associado a um maior risco de problemas para a criança;
  • Elimina o risco de complicações relacionadas ao processo de trabalho de parto vaginal, como lesões no ombro do bebê, traumas ósseos ou asfixia em virtude de complicações no parto; 
  • Reduz o risco a longo prazo de problemas na bexiga e incontinência urinária na mãe.
Voltar

Questões