Resumo de Português - Palavras difíceis

O conceito de palavras difíceis na Língua Portuguesa aplica-se àqueles termos usados com pouca frequência e associados à norma culta padrão do idioma, assim, ao discurso formal.

O uso de palavras difíceis no dia a dia deve ser feito de forma equilibrada, para manter a comunicação viável com um vocabulário rico, porém compreensível a quem ouve ou lê.

Assim, quando optar por usar palavras difíceis deve-se atentar para quem é o receptor da mensagem e qual é o seu grau de instrução. Isso porque pessoas têm níveis diferentes de escolaridade e entendimento. Com isso, o que pode ser compreensível para uma pessoa pode soar estranho para outra.

Portanto, as palavras difíceis têm seu espaço na comunicação, desde que usadas de forma moderada mediante nível de entendimento de quem recebe a mensagem.

Como usar palavras difíceis na redação?

Na tentativa de escrever uma boa redação, algumas pessoas apelam para o uso de palavras difíceis, acreditando que conseguirão impressionar o corretor e garantir uma boa pontuação. Cuidado: isso pode ser uma armadilha!

O uso de palavras difíceis na redação do Enem ou de outra banca examinadora deve ser feito com bom senso. O fato considerado mais importante em um texto é a transmissão da ideia acerca do tema abordado atendendo à estrutura do tipo de redação (narrativo, descritivo e dissertativo).

A preocupação em inserir palavras difíceis para impressionar na redação, normalmente, é associada à ideia de transparecer inteligência por parte de quem escreve. Contudo, essa sensação de texto culto pode confundir quem lê, ao invés de impressionar.

O que define uma boa redação é a capacidade de organizar as ideias com introdução, desenvolvimento e conclusão com coesão e coerência. Somado a isso, deve-se priorizar uma mensagem clara, livre de interferências que possam tornar o texto menos direto (prolixo).

Considerando-se a necessidade de passar a mensagem de forma culta, uma opção viável é recorrer ao uso de sinônimos e antônimos. Dessa forma, há mais possibilidades de encontrar palavras que conversem com o leitor.

Assim, a escolha do vocabulário deve privilegiar palavras adequadas ao padrão normativo da gramática, considerando o nível de compreensão de quem está lendo. Nesse quesito, um redator que quer falar sobre o comportamento de um grupo de indivíduos não precisa optar por escrever “idiossincrasia”, podendo fazê-lo por meio de outras expressões, visto que o termo mencionado é uma palavra difícil e pouco usual, que pode dificultar o entendimento da mensagem.

Palavras difíceis da Língua Portuguesa

A

Abduzir Acrimônia Adstrito
Alarido Alcunha Âmago
Ardiloso Arroubo Atoleimado

B

Balbúrdia Belicoso

C

Capcioso Chistoso Coalizão
Cominar Consociação Corolário

D

Dilapidar Dândi Dissentir

E

Engodar Eflúvio
Elucubrações Empedernido

F

Fugaz Fleumático
Frugal Fósmeo

H

Homizio

I

Idiossincrasia Ígneo Ignóbil
Implícito Influição Insolente
Irrupção Incólume Inócuo

J

Jaez Janota Justapor

L

Lauto Loquaz

M

Manguari Mediatário
Metuendo Mixórdia

N

Nódoa

O

Olvidar Opróbrio Oscular

P

Pachorrento Pacóvio Pândego Pecúlio Pedante Pederasta
Perdulário Perene Perscrutar Permuta Pernóstico Petiz
Plissado Pérfido Plaga Procrastinar Prolegômenos  

Q

Quimera

R

Ruar Recôndito Rubicundo

S

Sumidade Suscitar
Sobrepujar Sorumbático

T

Tácito Taciturno Tergiversar

U

Ufanismo

V

Vacância Veneta
Vitupério Vicissitudes

Nota: existem palavras difíceis ao conhecimento popular que são associadas a áreas específicas como médica, jurídica, cientista e etc. As palavras enquadradas nesse contexto tornam-se comuns e amplamente utilizadas pelos integrantes de cada área dentro do grupo de atuação.

Palavras grandes

Pneumoultramicroscopicossilicovulcanoconiótico: maior palavra da Língua Portuguesa. É um adjetivo que possui 46 letras. É o nome dado ao indivíduo que está com doença respiratória como pneumonia.

Paraclorobenzilpirrolidinonetilbenzimidazol: esse palavrão de 43 letras é o nome de uma substância encontrada em medicamentos.

Piperidinoetoxicarbometoxibenzofenona: com 37 letras, esse nome grande designa uma substância encontrada em remédios.

Hipopotomonstrosesquipedaliofobia: essa palavra não tem qualquer relação com hipopótamo. Contendo 33 letras, trata-se do nome dado à pessoa que possui fobia (medo) de pronunciar palavras grandes.

Confira outras palavras grandes em português:

  • Aeropiesotermoterápico
  • Acrocefalossindactilia
  • Anticonstitucionalmente
  • Anticonstitucionalismo
  • Celiossalpingectômico
  • Cineangiocoronariográfico
  • Coledocoduodenostômico
  • Coronografopolarímetro
  • Cristaloluminescência
  • Diacetilenodicarbonato
  • Estereofotogramétrico
  • Espectrocolorimétrico
  • Fotocromometalografia
  • Fotocromometalográfico
  • Hexanitrodifenilamina
  • Hidropneumopericárdio
  • Histerossalpingectomia
  • Histerossalpingografia
  • Histerossalpingográfico
  • Interconfessionalismo
  • Inconstitucionalidade
  • Inconstitucionalissimamente
  • Inconstitucionalmente
  • Interdisciplinaridade
  • Meningoencefalomielite
  • Multidisciplinaridade
  • Oftalmotorrinolaringologista
  • Otorrinolaringologista
  • Parassimpaticomimético
  • Pneumartrorradiografia
  • Preterintencionalidade
  • Supertuberculinização
  • Transdisciplinaridade
  • Traquelangulescapular
  • Traquelatloidoccipital
  • Ureteropielonefrítico
  • Ureteropieloneostômico
 

As palavras mais difíceis do mundo em português

Palavras difíceis de escrever, falar e ler

Ooforossalpingectomia: embora pareça estranho, essa palavra feminina começa com duas vogais “o”, portanto não é erro de digitação. Trata-se de um termo médico, que significa “ressecção cirúrgica do ovário e da trompa de Falópio”.

Dacriocistossiringotomia: é um termo médico, com 24 letras, que significa incisão do saco lacrimal e do ducto lacrimal.

Coledocoduodenostomia: palavra com 21 letras, que especifica uma formação cirúrgica.

Traquelossuboccipital: embora visualmente pareça ser menor do que a palavra acima, este termo também tem 21 letras. É um termo da anatomia, que designa os músculos retos anteriores da cabeça.

Palavras difíceis de entender

  • Admoesta – perdão, isenção, arrego, repreensão, reprimenda.
  • Estrênuo – corajoso, zeloso.
  • Exórdio – princípio, origem.
  • Fenecimento – fim, falecimento.
  • Ígneo – relativo ao fogo, ardente.
  • Loquaz – falante.
  • Parco – econômico, simples.   
  • Rubicundo – avermelhado.
  • Tênue – pequeno, fino, de pouco valor.

Origem das palavras

Toda palavra tem uma origem que explica a sua influência e a sua grafia. Ao estudo dessa origem dá-se o nome de etimologia.

O nome etimologia vem da derivação grega étumos (real, verdadeiro) + logos (estudo, descrição, relato), cujo estudo científico se propõe a descobrir a origem e história de palavras.

O estudo por meio da etimologia possibilita a compreensão de semelhanças entre línguas diferentes e facilita a assimilação de palavras novas. Tendo como exemplo a palavra “erva”, sabe-se, por meio da sua etimologia, que ela vem do latim ‘herba’. Assim, infere-se que a palavra herbívoro designa um animal que se alimenta de plantas.

Portanto, a etimologia é a parte da gramática responsável por estudar a história ou origem das palavras e explicar o significado delas por meio de morfemas, que são as menores partes de uma palavra com significado.

Resumo

Existem várias palavras consideradas difíceis na língua portuguesa. Elas vão desde as grandes, como aeropiesotermoterápico ou fotocromometalográfico, até as menores, como parco ou tênue.

Usar palavras difíceis nem sempre é sinônimo de inteligência. Em muitos casos, o uso dessas palavras pode atrapalhar a comunicação. Em casos de redação, por exemplo, querer impressionar pode na verdade dificultar o entendimento.

Por conta disso, é importante sempre usar as palavras mais difíceis com moderação. Observar os momentos e locais certos para usar palavras que possam ser consideradas oportunas, e optar por sinônimos em momentos em que elas possam dificultar o entendimento.

Voltar

Questões